Apps

Um apelo: pare de filmar com o smartphone em modo retrato

Frame extraído de um vídeo feito em modo retrato.
Minha expressão quando vejo um vídeo em modo retrato :-/

Não é de hoje que todo smartphone é, também, uma câmera bem decente. A fotografia foi uma das primeiras áreas absorvidas pela convergência dos smartphones. Por estarem presentes neles há tanto tempo, já temos câmeras em celulares que rivalizam em qualidade com as compactas.

A conectividade e os incrementos qualitativos que as câmeras de smartphones apresentam não foram capazes, ainda, de barrar um desvio fotográfico-comportamental bem característico desse cenário: a gravação de vídeo em modo retrato. Não é muito difícil, em filmagens caseiras hospedadas no YouTube ou compartilhadas entre amigos, se deparar com uma feita com o celular “em pé”, da forma que o seguramos ao realizar outras atividades.

Uns podem dizer que isso é imposição pura e simples, que é ditar um modo de uso aos demais. Não acho que seja o caso porque… bem, o mundo é uma grande paisagem. TVs, monitores, cinema: tudo está em modo paisagem, com telas widescreen. E, diferentemente de celulares, que podem ser usados tanto em modo retrato quanto paisagem, girar uma TV a 90º é um pouco mais complicado. Uma tela de cinema? Acho que não dá.

Apoie o Manual do Usuário. Você ajuda a manter o projeto no ar e ainda recebe recompensas exclusivas. Saiba mais »

Há casos em que o vídeo em modo retrato se justifica. O Snapchat incentiva isso — e é compreensível, visto que o consumo desse materal se restringe ao próprio celular. Para todos os casos, ou ainda, na dúvida, optar pelo modo paisagem é o mais sensato. Pena que não existe uma maneira de lembrar a todos disso. Ou será que existe?

Tem um app para isso

Os apps nativos de câmera das três principais plataformas móveis fazem pouco caso com a maneira com que o usuário segura o smartphone. No máximo, rotacionam os ícones e outros elementos da tela de acordo.

Terceiros mais preocupados com esse fenômeno têm surgido com a difícil missão de acabar com os vídeos em modo retrato.

O YouTube Capture só funciona em modo paisagem.
Foto: Rodrigo Ghedin.

O YouTube Capture, um app para iOS do Google para filmar, editar e subir vídeos no YouTube, simplesmente não funciona em modo retrato. Nesta posição ele pede, gentilmente, para que o usuário coloque o iPhone em modo paisagem e só aí libera o botão de gravação.

Mais recente, o Horizon1 tem uma abordagem diferente na luta para sanar o mesmo problema. Em vez de obrigar o usuário a usar o smartphone assim ou assado, ele adapta o vídeo para estar sempre em modo paisagem, mesmo quando filmado em retrato. Usando o giroscópio do aparelho, a área gravada é mantida na posição correta independentemente da posição do smartphone.

É mais conveniente, sem dúvida. Na prática, porém, os vídeos sofrem um pouco com essa liberdade dada ao usuário. O sensor da câmera não é quadrado, ele é projetado para ser usado em modo paisagem. No caso do Horizon, parece que acontece um crop (recorte) no vídeo em tempo real; apesar de um dos desenvolvedores ter me garantido que não há perdas, na prática é fácil notar que a qualidade final fica levemente prejudicada e o fator de corte aumenta — parece que a câmera dá um zoom, mas é apenas a limitação física do sensor que se mostra ao ser usado de forma “inadequada”.

Horizon em ação: filmagem em modo paisagem mesmo com o celular na vertical.
Foto: Rodrigo Ghedin.

Tanto o Horizon quanto o YouTube Capture são duas tentativas de contornar um problema não técnico, um de natureza comportamental. Por isso, talvez o maior desafio deles não seja contornar o modo de operação do usuário, mas sim serem lembrados. Em outras palavras, é difícil concorrer com o app nativo da câmera. Na hora de filmar, a pessoa que grava vídeos em modo retrato se lembrará de abrir o Horizon em vez do app a que está acostumada?

Pós-produção?

Algumas pessoas pediram à Evil Window Dog, desenvolvedora do Horizon, uma forma de converter vídeos já filmados em modo retrato para o modo paisagem. Seria uma solução conveniente ao problema, considerando o hábito das pessoas de sempre recorrerem ao app nativo da câmera.

Com um software de edição adequado é fácil fazer essa alteração. Os resultados nem sempre ficam perfeitos, há perda em qualidade, mas antes isso do que uma faixa estreita no meio da tela ladeada pelo breu.

Ainda falta um passo, que é facilitar o processo. Numa pesquisa rápida não encontrei apps que fazem o serviço com alguns cliques, sem complicações — e se você conhecer algum, por favor diga aí nos comentários. Facilidade conta pontos em sistemas móveis, além de impulsionar o alcance da prática. Por mais simples que seja a operação em um Movie Maker da vida (e é), a coisa precisa ocorrer no próprio smartphone para ser considerada. Saiu dele? Esqueça.

Algum dia ficaremos livres dos vídeos em modo retrato? Dificimente. Mas a esperança, ah a esperança… é a última que morre, né? Wired, The Verge e este esquilo engraçado já imploraram para que as pessoas parem com isso. Agora, o Manual do Usuário engrossa o coro. Faça a sua parte, compartilhe este post com aquele amigo ou parente que insiste nessa prática errada. Um a um, devagar e sempre, conseguiremos conscientizar mais pessoas sobre as desvantagens do vídeo em modo retrato e assim faremos do mundo um lugar melhor!

  1. Entra aí no site, é bem maneiro. Tem um iPhone no meio da tela que fica rodando de acordo com o mouse e dois viewfinders à esquerda mostrando como fica o vídeo com e sem a tecnologia deles.

A melhor maneira de acompanhar o site é a newsletter gratuita (toda quinta-feira, cancele quando quiser):

Acompanhe também nas redes sociais:

  • Mastodon
  • Telegram
  • Twitter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

34 comentários

  1. Escrevo em 2018 e a má prática ainda é recorrente. E a questão não é só de adaptação as diversos dispositivos de reprodução, que são orientados em modo paisagem. É que desta forma se consegue pegar muito mais informação visual do que no modo retrato. É a forma como tendemos a enxergar o mundo e, em geral, o “teto” e o “chão” não têm nada relevante para gravar…

  2. Abaixo a horizontonormatividade! Eu filmo do jeito que eu quiser! Os incomodados que deletem. (mentira; também tenho VVS)

        1. ignorância não é um querer….e sim uma condição…..a propósito lendo o seu post me lembrei de algo interressante : sabe qual a diferença de uma pessoa burra para àquela ignorante ? pois bem, a ignorante , assim o é porque ignora/ não teve acesso a determinado conhecimento ou informação. E a burra é àquela que mesmo recebendo informação reinteradas vezes continua incapaz de aprender.Um bom dia e feliz Natal a todos.

          1. Foi ótimo …kkkk ele não “quereu” mais responder.

  3. Olá, estamos em 2017, e sei lá mas acho que continua assim…
    Então só vim dizer que gravei poucas vezes num celular LG8275 acho, e a câmera já era invertida, isto é, bastaria gravar com o cel na vertical e a imagem ficava no modo paisagem. Isso é melhor que ficar virando o celular tentando achar o lado certo… Em outros smartphones muita gente fez vídeos de ponta cabeça, achando que era o lado certo.

  4. Veja esse vídeo filmado em 1995, num evento de luta entre Mike Tyson e McNeeley. Aos 2 minutos e 52 segundos, um homem da plateia filma a luta com um dispositivo parecido com um celular e filma na vertical. Seria realmente um celular moderno nas mãos de um homem vindo do futuro?

  5. Muito obrigado por esta publicação. Vou compartilhar.
    Vamos criar uma hashtag!
    #DigaNaoAosVideosNaVertical
    .
    Tem alguma ou tem como fazer alguma, ensinando as pessoas a fazer upload ao invés de passar mais de 50 fotos de uma só vez pelo whatsapp? kkkkk vc salvaria o mundo das maiores desgraças digitais.

  6. o problema não é convencer os usuários apenas é informar, quem não sabe e começa a usar até descobrir já passou raiva ai vem os espertos para ensinar a parar de fazer isso.

  7. Se até site de tecnologia posta video em modo retrato, imagina um usuário leio.. O mundo não tem solução mesmo =P

  8. E a praga das filmagens em modo retrato se espalham.Sou obrigado a ver na minha smart tv um monte de espaço inútil devido essas imagens mal captadas.Hunf…

  9. ola eu tenho um galaxy gran duos, quando eu filmo com ele na vertical eu olho direto para o foco da camera,mais quando filmo na horizontal parece q fico vesga tipo eu to olhando pro outro lado como se fosse outra camera…. nao sei se isso seria do comigo mais ja fiz testes,e e claro q a camera na vertical vc perde a metade da imagem, mais como resolver esse problema de gravar videos com vc olhando pro lado ao contrario do foco??
    ME AJUDEM POR FAVOR……

  10. Isso é complicado.

    Já me xinguei muitas vezes quando fui ver a merda do vídeo e tinha filmado ele em modo retrato, o triste é que parece que a gente faz isso naturalmente pela posição que o celular fica na mão.

    O ideal mesmo era que os aplicativos de câmera tivessem uma opção onde poderíamos nos forçar a filmar sem em paisagem.

  11. Ghedin, não por mal, mas vou contra sua maré e dentro da maré do “povão” neste caso. Acho meio irrelevante apelar este tipo de coisa pois é algo até mínimo perante a enxurrada de conteúdos que existem na internet, e que tem diferentes formas de exposição.

    Uma coisa que penso aqui, aí meio dando uma de “joão sem braço” (ou cliente preguiçoso necessitado :) ) seria a seguinte questão: já que smartphones / photophones trabalham em um primeiro momento “de pé” (altura > largura), e esta posição é mais prática inclusive de segurar (lembremos de alguns equipamentos de gravação antigos), por que os mesmos equipamentos não possuem suas lentes no “formato paisagem” quando “de pé”?

    Pode se argumentar que “apesar do formato da câmera, o “natural” seria a posição da lente/sensor acompanhar o formato da câmera ou da tela principal”. Mas se pensar que um smartphone / photophone é à priore um equipamento de comunicação e sua câmera é mais um bonus do que o principal da máquina (com exceções à regra), seria interessante se a posição do sensor fosse de forma a priorizar as fotos “paisagem”.

    Se bem que no final, apesar de eu também me sentir incomodado um pouco, “não fico muito nem aí” e não vou ficar me estressando por alguém que posicionou a câmera em modo retrato. Senão, prefiro que façam câmeras com formato 1:1 :p, só para não dar briga :3

      1. Por que não? O Horizon, mencionado pelo Ghedin, apenas reduz um pouco a área de corte de imagem. Uma ideia interessante seria as câmeras terem um sensor 1:1 (da mesma forma que o sensor dos photophones Lumina, que é bem exagerado de tamanho de pixels), e o corte dela ser feita via software, e não só baseado no tamanho do sensor. Aí, é possível fazer um filme em modo paisagem segurando o celular de pé e talvez até o Horizon ser comprado por uma empresa e se tornar recurso nativo de algum celular. :)

  12. Achei interessante o post, concordo plenamente que oa vídeos verticais sao ruins para a maioria dos registros, talvez só em fotos ~a la~ Instagram funcione.

    Agora sobre o seu vídeo Ghedin, bem que voce poderia olhar para a lente da câmera. Nao sei se voce tava lendo ou olhando para a tel, mas seria melhor o olho fixo na lente, sei la.

    E na última parte o som ficou baixo, talvez pq estava longe do mic, sei la!

    Enfim, mesmo assim ficou bacana esse formato. Coisa que nao tem muito no YT Br, dicas e toques simples.

    Att

    1. Saquei o lance de olhar pra lente só no final — note que na última parte eu olho pra ela. O começo estava gravado e editado, aí bateu uma preguiça de refazer… E o volume ficou baixo mesmo.

      Primeira vez que me gravo, e com a câmera frontal do iPhone. Foi longe das condições ideais e acabou ficando aquém. De qualquer forma, valeu pelo feedback! :-)

      1. Tu tem algum gravador de áudio (tipo aqueles de mão que repórteres usam) de boa qualidade contigo? Para este tipo de gravação, onde as vezes você usa duas câmeras, poderia contar com um gravador apenas de áudio para sincronizar no vídeo depois ;)

  13. Faço aqui a minha “mea culpa”. Eu já filmei em modo retrato. Mas como atenuante, o vídeo era para “consumo interno”, ou seja, somente eu e a minha família fomos prejudicados e depois que eu vi a m* que ficou eu nunca mais fiz isso.

    Foi falta de costume mesmo. Sempre usando em modo retrato, eu nem me toquei em virar o smartphone quando comecei a filmar…

  14. Interessante o texto e principalmente a abordagem que os aplicativos apresentados tomam. Agora, minha dúvida é a seguinte. Para outras plataformas existem algumas soluções como as apresentadas para iOS?

    Pessoalmente me incomoda muito ver vídeos gravados em modo retrato no PC ou até mesmo no tablet. Seria bom se houvesse essa preocupação no momento da filmagem.

    Outro ponto interessante é com fotos. Com o advento de porta retratos digitais, colocar fotos em modo paisagem e retrato no mesmo equipamento cria uma situação semelhante. Nesse caso seria melhor ter dois gadgets como esse na sala, um para o modo retrato e outro para o modo paisagem.

  15. Parem de reclamar!

    Acredito que se vídeos em modo retrato fossem o maior problema do usuário comum ao usar o smartphone o mundo seria um lugar melhor para se viver.

    Digo sim aos vídeos em modo retrato.

  16. Estava aqui pensando com meus botões… Realmente é um fenômeno esquisito, já que ocorre apenas com smartphones, em câmeras “comuns” não.
    Independente da posição da câmera dedicada, o video sempre vai estar em modo paisagem, mas com o conteúdo “de lado”.

    1. Acho que em parte essa “capacidade” é culpa dos sensores dos smartphones (acelerômetro, giroscópio), mas principalmente de algumas aplicações em que faz sentido o vídeo em modo retrato — a principal, talvez, vídeo conferência.

  17. Concordo que as pessoas exageram no uso do vídeo em modo retrato, mas nem por isso acho ele inútil. Por exemplo, em filmagens que a intenção é mostrar o corpo inteiro e não se pode ir muito para trás, ou filmagens que tem como objetivo só o compartilhamento via whatsapp, que só vão ser vistos no celular.
    Um modo simples de resolver isso é o Youtube implantar um player modo retrato, acaba com as barras pretas dos lados.

    1. É como argumentei no texto, Renato. Há situações em que o vídeo em modo retrato se justifica, como no Snapchat e, também, no WhatsApp. Para todos os outros, é simplesmente… inadequado.

      O player do YouTube é maleável o suficiente para ser colocado em modo retrato, eliminando as faixas pretas laterais. Só que isso não resolve o problema. O YouTube é visto em um punhado de lugares, incluindo TVs. Muito mais simples filmar em modo paisagem e garantir compatibilidade total com qualquer tela de saída.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!