Vamos falar sobre a WWDC 2015


8/6/15 às 15h34

Tim Cook na WWDC 2015
Foto: The Verge.

A keynote de abertura da WWDC está acabando e a Apple não economizou em 2015 — vimos um punhado de coisas anunciadas lá. Você acompanhou? Eu sim, e queria debater aqui. Então pensei em um formato… diferente. Vem comigo.

Funciona assim: publiquei comentários apenas com os principais tópicos dos anúncios de hoje. Você entra no papo respondendo a eles, dizendo o que achou, o que chamou a atenção, o que é cópia de quem, enfim, dando seu pitaco. Se eu esqueci alguma coisa, ou se tiver alguma dúvida ou curiosidade, mande novos comentários (não respostas).

É um sistema um pouco mais complexo que o dos posts livres e “Pergunte o que quiser,” mas acho que estamos maduros o bastante para fazê-lo funcionar.

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

171 comentários

  1. Sobre o formato: Senti falta de mais informações e imagens. Tive que ir em outros sites buscar estas informações. Não sei se esse é o intuito, apenas comentar, mas acho que dá muito certo sim.

    1. É, não teve nada muito informativo, foi mais um post para quem viu o evento ou acompanhou algum live blogging/Twitter comentar as primeiras impressões.

      Estou preparando um post “o que chamou a atenção,” nos moldes daquele da Google I/O. Sai ainda hoje.

    1. Cara tbm curti. Só acho chato que as discussões poderiam durar mais de um dia, mas os posts novos acabam empurrando-a e a maioria dos leitores tem preguiça ou alguma dificuldade de ler textos mais “antigos”.

      1. Quando eu crescer vou inventar um Disqus fixo em tempo real que serve pra todos os posts e ao mesmo tempo com todo mundo junto e em vários dias… e zas e e e depois outro zas e eu faço assim e depois desse jeito e pronto. OK. Espero que minha mãe deixe.

          1. Aff mano pra que que tu foi falar? Fui olhar e SIM! Meu deos o que está acontecendo?
            Assistiu Sense8? Medo cara. Medo.
            Espero que você seja pegável pelo menos.

  2. Um pouco offtopic, mas ontopic ao mesmo tempo.

    Eu senti a Apple um pouco inspirada pela Microsoft nesse evento… Embora o CEO não tenha mudado, eu vi várias mudanças de estratégia que me causaram certa estranheza, a começar pelo Apple Music: um serviço universal. Claro que seria um pouco óbvio essa estratégia para emplacar o Apple Music, mas, ele não é o único que está virando independente aqui, o próprio Apple Watch está aprendendo a andar sozinho! Alem disso aparelhos que ninguém apostaria que receberia iOS 9 irão receber, alias, todos que tem a versão 8 irão receber (meu iPad Mini 1 agradece)!

    Estão conseguindo enxergar isso? Microsoft parece estar conseguindo ditar o mercado a ponto de afetar a maçã que parecia inabalável e fazendo-a correr atrás de inovações (em minha opinião, pela primeira vez desde o falecimento de Steve Jobs). Finalmente concorrência de verdade!

    1. WWDC, 2003. Steve Jobs anuncia o iTunes para Windows. O inferno congelou.

      Isso não é novo. Diversos serviços da Apple têm versões para Windows quando escala é importante — Safari (para desenvolvedores testarem seus sites no navegador) e iCloud (porque um monte de gente usa iOS e Windows), por exemplo. Acho que a Microsoft nunca esteve numa posição pior para ditar tendências; ela é que está correndo atrás e se abrindo para concorrentes a fim de (re)conquistar usuários.

      1. Não vejo muito a Microsoft por esse ângulo (com exceção do mercado Mobile). Vejo-a como uma empresa que finalmente está saindo de sua zona de conforto depois de anos e começando a criar algo além dos tais “ecossistemas”, batalha na qual ela entrou tarde e de forma pouco funcional com sua integração entre Windows, Windows Phone, Onedrive, Xbox e outros serviços. Embora seja novo essa história de ecossistemas, sempre se via tudo muito preso a determinada empresa dona desse ecossistema, a Apple era um exemplo, embora ela tenha alguns de seus principais serviços no Windows (de desktop), no Android isso não acontecia nem no Windows Phone, assim como a Google em relação ao Windows Phone. Parecia que tudo era pela metade… Até a Microsoft anunciar seus apps universais não somente para sua plataforma, mas para qualquer plataforma, um ecossistema para todos, não muito diferente do que consegui enxergar na conferencia WWDC desse ano, ver a Apple sair de sua zona de conforto e, assim como a Microsoft, tentar algo diferente.

        1. A MS está muito atrás, percebeu isto, e agora está correndo e tentando entrar pela porta dos fundos.
          A recente compra do Sunrise e Wunderlist, ambos bem posicionados na Apple, ilustra bem isso.

    1. Muitos designers reclamam da Helvetica Neue do iOS 7/8. Eu nunca tive muito problema, mas estou curioso para ver (com meus próprios olhos!) como o sistema ficará com a San Francisco.

  3. E a linguagem de programação Swift agora ser Open Source, qual ganho da Apple nisto? O que vai ser possível fazer agora?

    1. Vi num grupo por ai: “Não tamo conseguindo resolver a merda aqui sozinho. Ajuda ae galere”
      Pelo que eu entendi, que por ser aberto, a galera pode ajudar a melhorar a linguagem, talvez não diretamente. Tem um cara num grupo de programação (Alô A.P.D.A!) que quer fazer um compilador.

          1. O negócio aqui e a discussão interessante que o feminismo ( nome infeliz) tem trago, mesmo nas grandes empresas

          2. O negócio aqui e a discussão interessante que o feminismo ( nome infeliz) tem trago, mesmo nas grandes empresas

  4. Ghedin, faltou alguns assuntos, o app do iCloud, o Move to iOS, o programa de desenvolvimento agora é unificado.

    1. Não me surpreendeu muito! Mas ainda é cedo. Só acho que não tem nenhum diferencial para que eu saia do Deezer.

      1. Cara, o único que tem um diferencial, mesmo que irrelevante, é o Tidal, que mesmo assim, não despertou paixões em ninguém.

    2. E pelo menos aqui no Brasil o preço não está nada competitivo. Ainda mais com o dólar desse jeito…

      1. Spotify e Deezer cobram no Brasil cerca de metade da preço da assinatura na europa, não?

        Duvido que a Apple faça isso, mas curiosamente não há menção ao valor das assinaturas na página brasileira.

    3. Eu quero só saber se vai vir pro Windows. Porque acho que esse serviço ai vai desbancar a superioridade do Spotify sim — pelo menos se eles fizerem um app pra desktop bem fluído e leve (acho o spotify pesadíssimo).

          1. Só no mundo apple + PC no primeiro momento e depois para android.

            *Apple Music is available on your iPhone, iPad, iPod touch, Mac and PC starting June 30. Apple Music will be coming to Apple TV and Android phones this fall.

          2. Só no mundo apple + PC no primeiro momento e depois para android.

            *Apple Music is available on your iPhone, iPad, iPod touch, Mac and PC starting June 30. Apple Music will be coming to Apple TV and Android phones this fall.

      1. Vai ter aplicativo pra Windows e Android, mas dado o histórico que a Apple tem no Windows, não significa muita coisa.

        1. É, mas isso na Microsoft antiga né. Agora com essa nova, talvez as coisas melhorem. Espero só que não seja uma capsula do iTunes (porque esse aplicativo é ridículo).

          1. Uai kkkkk Windows é da Microsoft né. Ela tá passando por uma mudança bem legal, espero que faça com que Apple e Microsoft finalmente se integrem em algumas coisas. Começou já com o Office novo e agora o Apple Music. Tá ficando interessante.

          2. Mas é a Apple que desenvolve mal seus aplicativos para Windows, a MS não tem nada a ver com essa história. A Apple ter bons aplicativos para Windows independe da MS.

          3. A Microsoft fazia o mesmo, apps porcos em outras plataformas/ exclua o Office disso.

          4. Mas eu não estou defendendo a MS. Concordo que ela também fazia aplicativos ruins para outras plataformas, só não é essa a questão.

          5. É exatamente essa questão, o iTunes no windows, não sei como está hoje, mas sempre foi muito ruim. E ter que usar software ruim para aproveitar e não ter uma interface web vai tirar muita gente do grupo de usuários.

          6. O que você falou está certo, mas continua não sendo a questão. A questão é que a Apple ter bons apps para Windows independe da MS e a MS ter bons apps para iOS/OS X independe da Apple. É esta a “discussão”. Enfim… Estávamos neste ponto quando você disse que “a Microsoft fazia o mesmo”.

          7. O que você falou está certo, mas continua não sendo a questão. A questão é que a Apple ter bons apps para Windows independe da MS e a MS ter bons apps para iOS/OS X independe da Apple. É esta a “discussão”. Enfim… Estávamos neste ponto quando você disse que “a Microsoft fazia o mesmo”.

          8. Não depende, mas as parcerias sempre acabam gerando apps melhores.

          9. Tem razão. Mas estou esperanço com tudo isso que ta rolando essa ano. Acho que esse serviço vai conseguir competir forte com o Spotify.

          10. Cara, acho que o AppleMusic dísponivel para PC/Android é para ganhar mercado e não porque a Apple tá precisando. Já a Microsft precisa mostrar que vale voltar para o Windows e seus apps + Windows Phone

          11. Ah isso sem dúvidas. E também pra concorrer mais abertamente com os outros serviços.

    4. Colocando os diferenciais não diretamente relacionados ao streaming de lado, não tem nenhuma diferença ou vantagem sobre o Spotify ou Rdio. Já os diferenciais, só o tempo vai dizer se valem a pena para mudar de plataforma, provavelmente não.

      1. Acho que a única vantagem que o AppleMusic pode ter é sua biblioteca, ainda sim não é algo tão exclusivo da apple, então só quem já está no sistema vai acabar adotando.

        1. Depois que eu assinei o Spotify, dificilmente abro minha biblioteca do iTunes, que levei anos para organizar TODAS as capas de disco e tags. Simplesmente porque a música que eu quero escutar, procuro no Spotify e começo a ouvir sem carregar a biblioteca toda. :) Ao menos eu não vejo diferencial para o meu uso, por enquanto.

          1. Não digo a biblioteca pessoal, mas sim o acervo que eles têm disponiveis

      2. Nunca tinha ouvido falar desse Tidal… até agora. Faz tanto sucesso assim?

        Só usei o Spotify, mas já ouvi falar do Rdio e Deezer

        1. O Tidal é do JayZ, e ele oferece música com LossLess de altíssima qualidade…

          Mas ninguém comprou isso nem o preço que eles estão cobrando

        2. O Tidal foi lançado a menos de três meses pela empresa do Jay Z e só tá disponível nos EUA e alguns países europeus. É caro e faz a mesma coisa que o Spotify, mas o que fez a galera desprezar o serviço foi a arrogância dos artistas presentes no lançamento do serviço.

    5. Está a uma ferramenta do sucesso absoluto: Algo que possibilite importar a sua biblioteca/playlists de outro serviço, porque fora isso parece preencher tudo:

      – Multiplataforma + vem por padrão nos Apple Devices = userbase enorme
      – Preço parece bem competitivo em relação ao Spotify
      – App é bem bonito (sim, isso conta)

    6. Grátis só durante 3 meses?

      Enquanto consigo ouvir no Spotify livre (com propagandas)?

      Será que pega? Acho difícil combater a concorrência assim

      1. Três meses é um período bem longo para teste gratuito. E acho que o que interessa a Apple é competir com aqueles que pagam ou pagariam para ter streaming, os usuários gratuitos não são interessantes pra eles. Ao menos é o que eu imagino.

      2. Três meses é o mesmo período que o Google dá, e o tempo que o Spotify garante na promoção para novos assinantes (não grátis, mas pagando uma mixaria tipo R$ 5).

        A Apple não tem um tier gratuito porque usa isso para seduzir as gravadoras e artistas — um monte, como a Taylor Swift, reclama que serviços de streaming pagam pouco. É a mesma premissa do Tidal, mas menos Tim Cook parece um cara mais pé no chão (e menos topetudo) que o Jay-Z. E a Apple tem grana para bancar um fracasso — como o Tidal parece ser.

      3. O público da Apple é outro. Ela não precisa de uma base de usuário gigante como Google ou Facebook precisam para sobreviver. Fica claro pelo posicionamento cada vez mais alto, mesmo com menos custos, dos seus produtos.

        Quem tem um iTroço não vai fazer muita questão de pagar $10 por mês.

    7. Sobre o serviço no Brasil, tenho lá minhas duvidas se a Apple br vai se importar em fazer o serviço ser competitivo.

    8. Sobre o serviço no Brasil, tenho lá minhas duvidas se a Apple br vai se importar em fazer o serviço ser competitivo.

    1. Eles pretendem substituir a Banca ou vai ser apenas um app extra para concorrer com o Flipboard?

      Se for um flipboard melhorado, ok. Se for apenas um canal para conteúdo exclusivo, não acho que decola — iria na contramão do caráter aberto da web.

    2. Eu tô mais interessado nessa linguagem que a Apple criou. Se for algo aberto pode ser uma revolução na forma de consumir notícias online. Mas se for fechado as empresas podem perder o interesse em produzir conteúdo no formato e não vai para frente.

      Por enquanto não é possível ter acesso a essa linguagem, mas espero que seja em breve

      1. Mas acho que o nome é mais algo interno do que para o consumidor final. Digo, não é como um app, que está na cara do usuário toda hora e precisa de um bom branding. Nesse caso, nome é o de menos.

      2. Mas acho que o nome é mais algo interno do que para o consumidor final. Digo, não é como um app, que está na cara do usuário toda hora e precisa de um bom branding. Nesse caso, nome é o de menos.

        1. Não que eu me lembre, só sei das soluções que algumas fabricantes colocam, mas nada realmente integrado no código do sistema.

          1. Não sabia dessa, bem legal. Mas provavelmente só vai estar pronto depois do lançamento do Android M.

        2. O Galaxy Note Pro 12″ tem uma ótima multi-tarefa, mas ele está mais para competidor do surface, tentando abocanhar o mercado corporativo.

        3. O Galaxy Note Pro 12″ tem uma ótima multi-tarefa, mas ele está mais para competidor do surface, tentando abocanhar o mercado corporativo.

          1. O que pega é a falta de qualidade nos tablets com Android, tirando o Nexus7 que é muito bom pelo preço e porque é subsidiado pelo Google. Mas de resto é tudo meia boca comparado ao iPad que ainda hoje ninguém conseguiu um tablet melhor para uso pessoal, claro que pode ter alguém que ache um android melhor por razões específicas mas no geral ainda é complicado.

          2. Eu discordo, viu. Os tablets topo de linha da Samsung são muito bons. Sofrem com a qualidade inferior do Android no formato, mas mesmo isso tem sido amenizado nos últimos anos. Acho que dá para ser feliz com um Galaxy Tab S…

          3. O problema é o preço, ele é muito mais caro, mesmo o Tab S, são $100 no mínimo, isso complica bastante, junte isso a um sistema que nunca se deu bem com os tablets e dá no que dá.

    1. Quem liga pro Ipad? Rsrsrs. Sério. Comprei o ipad mini 1 quando do lançou e não tenho nenhuma vontade de trocar. Se ele quebrasse hoje eu não compraria outro.

      1. Comprei o iPad2 e tenho ele desde então, ganhei um iPadAir2 de minha namorada, se não continuaria com meu velho de guerra…

      2. Nossa cara, você descreveu a complexidade que sinto com o bichinho. Gosto demais dele, mas ao mesmo tempo se desse alguma merda, azar e cest la vie.

        1. O meu quebrou a tela e sinto vontade de conserta-lo unicamente pra vender o mais rápido que puder hauahaua

    1. Esperava uma mudança gigantesca no design de novo, mas como vocês comentaram no podcast, a tendência agora é otimizar os OS’s e erradicar bugs. Espero que valha o mesmo no novo OS X

      1. Eu não esperava não… Acho que não vão mudar o visual novamente tão cedo… Agora é trabalhar com funcionalidades e performace.

          1. Se não me engano, quando anunciaram o Mac OS 9 (1999?), foi anunciado no mesmo evento o desenvolvimento do Mac OS X (e de todas as mudanças que ele traria) para apenas dali a um ano, prevendo Betas públicos, etc.

            Esse ritmo mais lento e esses períodos mais longos de teste público fazem falta… Mas seria impossível para a Apple de hoje fazer um anúncio duplo desses, prevendo um período tão longo de testes.

      2. Mudar muito a interface do sitema é díficil, veja a revolta que teve na época do iOS 7, e se mudasse tão repentinamente iria causar muitos problemas.

    2. Espero que seja tudo que a Apple queria que fosse o iOS 9. Particularmente não faço questão de inovações desnecessárias todo ano, quero um sistema que funcione.

    3. Comentar aqui pq tem cara de tópico geral. :D

      Sistemas móveis ficando cada vez mais complexos. Apps compartilhando tela, telas sobrepostas, assistentes ‘super inteligentes’, no geral isso não me agrada muito. Mas, é a evolução que o sistema (o outro) pede.

    4. Melhor coisa do iOS 9: selecionar palavras usando a tela toda (em teoria, terei que ver o vídeo). A seleção d iOS é ruimdemais

    5. Melhor coisa do iOS 9: selecionar palavras usando a tela toda (em teoria, terei que ver o vídeo). A seleção d iOS é ruimdemais

    6. Espero que seja focado em velocidade realmente. Continuo no meu 4s e ainda sou feliz.

      E claro melhorias nos teclados, não consigo usar os alternativos, bugs demais.

    1. Acho positiva a possibilidade de atualizar seu gadget antigo, porém acho que se o desempenho não ficar decente não vale a pena.

    2. Acho positiva a possibilidade de atualizar seu gadget antigo, porém acho que se o desempenho não ficar decente não vale a pena.

        1. De fato é, o A8X é muito mais potente e parrudo que o A8, tanto gráficamente, quanto em questão de multi-threads

          1. Ach o que a memória é uma parte muito relevante nesse ponto também, é o único dispositivo iOS com 2GB. Acredito que esse recurso possa chegar inclusive nos iPhones na próxima versão…

          2. Ai eu já não vejo muita utilidade, mais de um app numa tela pequena, mesmo que as de 5″ sejam grandes não fica confortável

          3. Bem observado. Como comentaram no nosso grupo no Facebook, o iPad já rodava apps lado a lado há tempos, via jailbreaking. Talvez fosse mais complexo aplicar isso a modelos antigos, ou “dentro das regras” do iOS sem jailbreaking… Só isso explicaria uma decisão puramente técnica para limitar o recurso ao Air 2.

    3. Acho bobagem. Deu para ver que não vai receber as principais novidades para o usuário final (multitask) fora que deve piorar o desempenho. É a típica atualizar por atualizar, não temos fragmentação blablabla

      1. Não é só isso. Ter a base atualizada significa menos dor de cabeça para desenvolvedores e mais recursos (APIs novas/atualizadas) para criar/atualizar apps. Mesmo que venha com recursos ausentes ou afete um tiquinho o desempenho, é sempre bom estar com a versão mais atual do sistema. (Tem também a questão de segurança/correção de bugs, né?)

    4. E outra “chupa Android”. O aparelho mais velho do mercado e até hoje atualizado.

      Nenhum Android faz isso. Tenho certeza que eles continuam atualizando só para mostrar que é possível.

      O 4s bate muito Android novo por aí.

    1. Tenho um macbook 13″ retina, mid2014. Apesar de ser um modelo recente, o Yosemite de vez em quando engasga nas animações do sistema (principalmente no Mission Control). Melhorias gráficas e de estabilidade fazem falta. Espero que cumpram a promessa.