Banner anúncio do Revelo UP, com o logo do programa e o texto 'Financiamento de curso em tecnologia' à esquerda, a frase 'Investir no seu futuro começa agora' no meio e, à direita, a palavra 'UP' vazada, com uma mulher pensativa no 'U' e um homem fazendo anotações no 'P'.

Telegram ganha agendamento de chats em voz; Tecnocracia Balcão acontece nesta quarta (28)

Dois prints mostrando o processo de agendamento de um chat em voz num grupo do Telegram.
Imagens: Telegram/Reprodução.

Uma das novidades do Telegram 7.7, lançado nesta segunda (26), é o agendamento de chats de voz. Veio em boa hora: nesta quarta (28), às 18h30, vai rolar o segundo Tecnocracia Balcão, uma versão ao vivo e interativa do Tecnocracia, com Guilherme Felitti. Via Telegram.

O ingresso em nosso grupo do Telegram é um benefício dos apoiadores do Manual do Usuário (a partir do plano II, de R$ 16/mês). Para apoiar o projeto e participar do Balcão, apoie-nos!

O que Telegram e Manual do Usuário têm em comum?

O que Telegram e Manual do Usuário têm em comum? A visão sobre publicidade digital e privacidade.

Pavel Durov, CEO do Telegram, já disse que considera anúncios direcionados “imorais” e não deve recorrer a esse artifício quando o aplicativo passar a veicular anúncios. Na matéria do Wall Street Journal desta terça (16), sobre a dívida do Telegram, um porta-voz do aplicativo disse que pretendem mostrar que “a publicidade precisa, baseada em contexto, não só é uma alternativa ética à publicidade direcionada, mas que também pode ser tão eficiente quanto”. Nós também.

O Telegram está crescendo, mas precisa de anunciantes — e de US$ 700 milhões em breve

O enorme crescimento do Telegram não veio de graça. Segundo o Wall Street Journal, a empresa está emitindo dívida no valor de US$ 1 a 1,5 bilhão para manter os servidores ligados e saldar uma dívida com investidores que entraram naquele esquema de criptomoedas que o Telegram lançou em 2017. (Deu ruim, os Estados Unidos melaram o negócio e, no final de abril, o Telegram precisará pagar US$ 700 milhões a investidores nada satisfeitos com o investimento, pois perderam grana.)

A matéria cita alguns caminhos que o Telegram deverá buscar para gerar receita. Além de um IPO, fala também em anúncios. (O próprio Durov, CEO do Telegram, já havia dito isso em seu canal oficial.) Os anúncios seriam veiculados apenas em canais (tipo o do Manual) e não seriam gerenciados pelo Telegram, mas por empresas parceiras espalhadas pelo mundo. Via Wall Street Journal (em inglês, com paywall).

Globo derruba conteúdo e canais de BBB no Telegram

A Globo derrubou conteúdo de pelo menos dois canais do Telegram que cobrem o Big Brother Brasil (BBB) e publicavam pequenos vídeos do reality show. Ambos estavam veiculando publicidade de anunciantes pequenos; o Canal BBB 21, derrubado e recriado (agora sem vídeos), chegou a faturar R$ 1 mil por semana. Os donos dos canais são todos jovens e fãs da atração. Em nota, a Globo ofereceu uma justificativa meio esquisita para a ação tomada: “A pirataria expõe o usuário ao roubo de dados e crimes de outras naturezas.” Via Folha.

Apoiadores do Manual poderão ouvir a gravação do podcast Guia Prático no Telegram

A partir desta quinta-feira (18), apoiadores do Manual do Usuário do plano II em diante (R$ 16 ou mais) poderão acompanhar as gravações do podcast Guia Prático ao vivo e trocar ideias em áudio comigo e com a Jacqueline Lafloufa.

O evento ocorrerá no Telegram, que, sem surpresa, já tem um recurso parecido com o Clubhouse embutido, ou seja, grupos de conversas por áudio. (O que o Telegram não tem?) Fizemos um teste no início da semana e deu muito certo. Além das similaridades, o Telegram tem duas vantagens sobre o Clubhouse: oferece app para Android e é onde o nosso grupo de apoiadores já funciona.

As transmissões ocorrerão toda quinta-feira, começando nesta (18), a partir das 18h30. (Somos pontuais!) Durante a conversa, os apoiadores poderão interagir por texto, comentando e corrigindo o que eu e a Jacque estivermos falando. Ao final da gravação, abriremos os microfones para um bate-papo de ~20 minutos — esta parte não será gravada e, portanto, não estará no podcast.

Você pode apoiar o Manual pelo PicPay, Catarse ou Pix (anual; envie um e-mail para mais detalhes). Àqueles que não apoiam o site financeiramente ou que não puderem nos ouvir durante a gravação, o Guia Prático continuará saindo às sextas de manhã, como sempre, acessível a todo mundo.

Big Brother Brasil é enorme no Telegram

Fenômeno curioso se desenrola na internet em torno do Big Brother Brasil. No Telegram, canais e grupos têm arregimentado audiências enormes para acompanhar o reality show da Globo. O canal @Espiadinha conta com 101 mil inscritos e cada post chega fácil a 400 comentários. Já o @canalbbb tem 134 mil e ainda mais comentários por post. O grupo @chatbbb21 tem 7,4 mil membros e, na tarde desta segunda (1), 1,2 mil deles estavam online debatendo o programa. Dica do @pinguinsmoveis.

Há poucos perfis no Twitter com mais de 50 mil seguidores — a exceção é o @RadarBBB, com 239 mil. (Do Instagram não sei porque impossível verificar isso sem ter conta lá.)

Os super grupos e canais do Telegram são, sim, um risco à plataforma, mas também uma força para popularizá-la.

Telegram e desinformação

Apesar da multiplicidade de alternativas disponíveis, o êxodo do WhatsApp tem beneficiado dois aplicativos em especial: Signal e Telegram. Por priorizar privacidade e segurança, o Signal come poeira do WhatsApp em experiência de usuário (UX). O Telegram, por outro lado, é muito mais do que o WhatsApp poderia ser. E isso pode virar um problemão […]

Já tivemos picos de downloads antes, ao longo da nossa história de sete anos protegendo a privacidade dos nossos usuários. Mas desta vez é diferente.

— Pavel Durov A crise de privacidade do WhatsApp está beneficiando aplicativos de mensagens rivais. O Telegram havia ultrapassou a marca de 500 milhões de usuários ativos na primeira semana de janeiro; só nas últimas 72 horas, o aplicativo ganhou 25 milhões de novos usuários. Via @durov/Telegram.

Criptografia de ponta a ponta não é tudo

Um dos poucos acertos do Facebook no que diz respeito à privacidade foi ter implementado a criptografia de ponta a ponta como padrão e obrigatória no WhatsApp em 2016. O recurso é útil, mas não é uma panaceia a despeito do que a empresa diz em seus comunicados e ao responder críticas.

Os “rótulos nutricionais” para apps que a Apple implementou em suas lojas em dezembro evidenciam isso. Dos de mensagens mais populares, o WhatsApp é o que mais coleta meta dados — que revelam muito sem quebrar a criptografia, e que o Facebook usa para direcionar anúncios e refinar recomendações automáticas em outras propriedades, como a rede social Facebook e o Instagram.

Acesse a página do WhatsApp na App Store, role até o subtítulo “Privacidade do app” e toque no link “Ver detalhes”, à direita. Em contrapartida, veja quais dados e para quê iMessage (da própria Apple), Telegram e Signal (o melhor deles) coletam. A diferença é chocante. Via Forbes (em inglês).

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!