Notícias

Nos EUA, streaming e vinil sobem, arquivos digitais e CDs descem

David Bakula, vice-presidente sênior da Nielsen:

“Com a transmissão sob demanda passando 70 bilhões de músicas nos primeiros seis meses de 2014, o streaming continua a ser uma parte significativa da indústria da música. O crescimento anual de 42% do streaming e o aumento de 40% dos vinis em relação ao recorde do ano passado mostram que o interesse em comprar e consumir música continuam altos, com dois segmentos bem distintos da indústria expandindo substancialmente.”

O relatório da Nielsen contempla as vendas de todas os formatos de música nos EUA dentro do primeiro semestre de 2014. No todo, o mercado encolheu 3,3%, porcentagem baixa e que somada aos números superlativos acima, mostram que embora a forma de se ouvir música esteja mudando, o interesse por ela segue estável.

CDs tiveram uma queda de 19,6% em relação ao mesmo período de 2013. Combinadas, as vendas de álbuns e faixas digitais (no modelo da iTunes Store) caíram 12%. Os 42% de aumento no consumo via streaming contemplam áudio e vídeo; sozinho, o de áudio teve um salto de 50,1% em um ano.

A melhor maneira de acompanhar o site é a newsletter gratuita (toda quinta-feira, cancele quando quiser):

Acompanhe também nas redes sociais:

  • Mastodon
  • Telegram
  • Twitter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 comentários

  1. Acho que as vendas de streaming se tornaram uma bolha em breve… Não parece ser o tipo de sistema que se sustenta, acho que ele e as vendas digitais podem andar lado a lado. Esses dias mês eu conciliei esses sistemas, ouvi o álbum novo da Lana Del Rey no Spotify e quando eu descobri que eu realmente gostei dele eu comprei o álbum no iTunes.

  2. E é por isso que a Apple está correndo atrás de um serviço de streaming que vire sucesso.

    Crescendo e muito, impressionante.

  3. Concordo com o Pedro, realmente é bizarro o aumento expressivo na venda de vinil…. seria muito louco chegar na casa de uma pessoa e me deparar com ela ouvindo vinil naqueles toca discos antigo, por falar nisso a maneira de se ouvir ainda é a mesma,certo?

    1. Alguns amigos meus têm vitrola em casa, e não é tão bizarro assim se deparar com uma. E sim, o mecanismo continua igual, com agulha, prato giratório, tudo idêntico aos anos 1990 :-)

      Quem ouve vinil geralmente encara música de uma forma mais “profunda” e esses números de vendas mascaram uma verdade surpreendente: vinis deixaram de vender nos anos 2000 não por falta de público, mas de interesse das gravadoras.

      Todas essas questões são lindamente contempladas neste artigo de Peter Weber. Vale (muito!) a leitura.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!