Assinantes do Manual agora concorrem a prêmios mensais

Moleque do lendário vídeo NINTENDO SIXTY FOOOUR.

Recentemente nos deparamos com um desses problemas que surgem pequenos, vão se acumulando e crescendo e, quando notamos, estão tão grandes que passam a exigir uma resposta. No caso, a nossa questão eram os brindes ou presentes que assessorias e empresas nos dão. Que fim dar a eles?

Antes de entrarmos no problema, um pouco de contexto para quem não é ou conhece o meio. O jornalismo dialoga com outras grandes áreas da comunicação, a publicidade e as relações públicas — especialmente essa segunda. Nossos colegas mandam notícias sobre as empresas onde ou para as quais trabalham, conseguem declarações para compormos nossas matérias, organizam eventos presenciais, etc. Fazem a mediação entre jornalistas e os profissionais das empresas que cobrimos. É um trabalho muito legal e reconhecido (obrigado, amigos RP!).

Naquele “etc.” do parágrafo anterior eventualmente aparece o envio de alguns mimos, presentes ou amostras de produtos para apresentar uma novidade ou para fazer uma ação de marketing com os colegas das redações. Eles variam, vão de coisas simples e baratas como mochilas até smartphones.

O que fazer com esses brindes? Esse tema dá muita discussão em mesas de bares compostas por jornalistas e é uma questão que normalmente fica em aberto. Como todo dilema ético, não se tem resposta definitiva e há bons argumentos contra e a favor.

Nós, do Manual do Usuário, temos um posicionamento quanto a isso: não aceitamos presentes ou, se sim, não os usamos nem ficamos com eles.

Foi de um episódio assim, um presente da Asus, que saiu aquela promoção valendo um Zenfone 2. Como os brindes, presentes e amostras de produtos continuam chegando, a partir do mês que vem doaremos, eu e Emily, todas as coisas que recebemos de assessorias e empresas a você, leitor! Também passaremos a aceitar os brindes (oi assessorias! oi empresas!) que de outra forma recusaríamos a fim de distribuí-los aqui no site.

“Que tipo de coisas?”, você deve estar se perguntando. Muitas coisas legais! Bolsas e mochilas, por exemplo. Roteadores portáteis. Tablets. Smartphones, obviamente. Vários, dos baratinhos de entrada até os topos de linha — a maioria recente, nada de velharia.

Para participar, é preciso ser assinante do Manual do Usuário. Além de exercitar o nosso desprendimento, essa redistribuição de gadgets é também uma maneira de recompensar o leitor que literalmente investe no site. Mas não será fácil, não! Esqueça sorteios. A cada mês pensaremos em uma missão, em um desafio em que o melhor (o mais engraçado, ou o mais original, ou… ah, sei lá, o “mais alguma coisa”) levará o prêmio. Será divertido!

Semana que vem lançaremos o primeiro desafio (junto com o regulamento) e revelaremos o primeiro prêmio. Estamos pensando em começar pesado, com algo bem massa. Dúvidas? Os comentários estão aí para resolvê-las. Valeu!

Acompanhe

Newsletter (toda sexta, grátis):

  • Mastodon
  • Telegram
  • Twitter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

34 comentários

  1. Ghedin, uma dúvida rápida: como eu faço para conseguir, digamos para meu site, estes links personalizados das lojas, que geram comissão? Sempre tive essa dúvida, é com o bondfaro?

  2. Ghedin, acabei de assinar :)
    Espero que vocês não escolham o melhor apenas por likes, odeio esse tipo de sistema. Sempre tem um famosinho que leva o prêmio por ter mais amigos.

    Proponho que a própria equipe do Manual do Usuário escolha e não o público.

    Abraço!

    1. Não haverá nada do tipo “ganha tem tiver mais likes”. Isso incentivaria um comportamento que pessoalmente acho bem deplorável.

      Os jurados serão misturados, parte da equipe do Manual, parte gente de fora.

  3. Algumas sugestões para os desafios: participar nos comentários e/ou criar novas discussões interessantes no Discuss do MdU, enviar fotos da sua mesa de trabalho para a seção ‘Mostre a sua mesa de trabalho’, enviar fotos do que tem na sua mochila para a seção ‘Na mochila’, sorteio para quem começa com a letra R (essa é a melhor, hein!) rsrsrs

  4. Ghedin, seu lindo!!??
    À espera dos desafios. Se bem q não sou o melhor em criatividade. Mas é uma boa oportunidade para assinantes e para atrair mais.
    Só acho q os desafios devem ser diversificados, pq se forem parecidos, corre o risco de a mesma pessoa ganhar algumas vezes, oq é justo, pq ele foi melhor, mas é injusto com os demais assinantes.
    Acredito q vc tenha bolado algo em relação a isso.
    Ótima iniciativa

      1. Eu não diria impedir, mas limitar apenas. Algo como só poderá ganhar novamente depois de 6 meses, por exemplo.
        Até porque alguém pode ganhar algo pequeno e simples e depois não terá a chance de conseguir algo mais interessante.

  5. Além de pagar eu vou ter que fazer um desafio para poder concorrer?

    Não. Obrigado.

    Isso está errado. A ideia de pagar (para muitos já é um grande desafio) é exatamente poder participar dos concursos. Assim como qualquer assinatura com prêmios.

    Não conheço nenhuma premiação de revista para assinantes que você precise fazer um desafio. Ou até aquelas poupanças de banco.

    1. Nós não somos qualquer revista para assinantes :)

      Para nos livrar dos brindes, poderíamos doá-los ou qualquer coisa do tipo. A ideia de colocar um desafio no meio é para nos divertirmos e interagirmos mais. Sorteio por sorteio é algo muito frio e distante; pedindo aos assinantes para participarem ativamente, a coisa muda de figura. Pense nisso como a antítese daqueles sorteios bobocas do Facebook (“curta, marque três amigos e compartilhe”).

    2. Não conheço nenhuma premiação de revista para assinantes que você precise fazer um desafio.

      Sempre tem a primeira vez. :-)

      Acho a iniciativa bacana, um tratamento especial com quem contribui, uma forma de agitar, e não um chamariz para trazer mais assinantes, ao menos eu vejo assim. Não é um “assine o manual e concorra a milhaaaaares de prêmios”. Mas abre a possibilidade de quem assina poder participar de um negócio bacana, interagir etc.

    3. Não acho nada errado. A assinatura do MdU nem tinha isso e já vale muito a pena. Eu assino há uns 2 ou 3 meses, e estou deveras satisfeito!
      Só estaria errado se o chamariz da assinatura fosse “Assine para concorrer a prêmios”, quando na verdade, é mais algo do tipo “Assine, ajude a bancar os custos do site (esta parte é a que mais se destaca), receba a NewsLetter, e ainda tenha a chance de participar nos concursos!”.
      Acho legal, bem legal! Pensar fora da caixa é muito bacana…

    4. Entendo o lado do Ghedin e o seu lado também. Eu não tenho grana para investir aqui (e até as vezes falho, como hoje quando deixei 40 reais a mais no supermercado por falha na hora de passar o dinheiro… tou me estapeando até agora… : )

      O ponto é que atualmente, a profissão principal (e renda), ao que noto ele falando, é o Manual do Usuário. Ou seja, o trabalho dele é nos alimentar com informações relevantes (provavelmente o Ghedin me corrige aqui, pois da última vez, li que também estava envolto com o estágio da faculdade).

      A ideia da assinatura é para ajudar o Ghedin. A ideia do brinde é um “bonus”, aliando a ética do Ghedin de recusar brindes de empresas com a vontade de contribuir com a comunidade de leitores do Manual do Usuário.

      No caso das “revistas para assinantes”, há de alguma forma um desafio quando se fala em brindes. Vide que é necessário ter paciência (e ultimamente isso é um desafio :p ) para juntar peças para a coleção ofertada pela revista, por exemplo. Ou convites para envio de textos, onde os melhores ganham algum brinde.

      De qualquer forma, muitas mídias investem em brindes para tentar agradar seus leitores. O Ghedin está tentando um método e não está errado.

      1. Dar brinde é uma coisa, até a revista Caras faz isso, mas pagar para participar de poder fazer um desafio é outro.

        Nem o BBB você paga, você só faz o desafio (gravação de pedido) e envia para eles. Não rola dinheiro para poder fazer isso, qualquer pessoa pode fazer esse desafio e participar no sorteio.

        Eu era até assinante, não curti isso, mesmo. Ia voltar, voltar pela qualidade do texto e tudo isso que você falou. Mas não curt essa idéia dos brindes, não curti mesmo. Melhor o formato “Você assina e pode participar do sorteio”. Ponto.

        Mas fazer desafio, passo mesmo.

        1. Não sei se sabe, mas quando se tem sorteio envolvido em alguma mídia, é obrigatório o controle na Caixa Econômica Federal. Isso é uma burocracia e é caro para mexer. Outra: mesmo um sorteio, as pessoas desconfiam do resultado.

          A ideia do desafio, suponho, é que o Ghedin possa por exemplo fazer alguma coisa que até nós aqui podemos avaliar, e o resultado gera o direito do brinde.

  6. Putz, fiquei numa situação interessante… Criatividade zero, ou próximo disso, não tenho sorte com os sorteios. Não me recordo última vez que ganhei algo além óbvio do meu aniversário ou natal rsrsrs. Mas fiquei contente dia de participar automaticamente… Vamos ver se fazendo Zueira dá pra ganhar algo

  7. Eu que não sou assinante, me animei. Mas até chegar na parte dos desafios. Poxa, como o Guilherme aí embaixo, não tenho muito jeito com essas coisas. Além disso, não corre o risco de toda vez as mesmas pessoas ganharem? Um rodízio soaria mais justo, não? (claro, considerando que há brindes o suficiente, e que os brindes mais “valiosos” ficariam fora dessa).

    1. Sim, vai ter algum mecanismo para evitar que uma pessoa ganhe duas ou mais vezes. Quanto aos desafios, a gente pretende fazê-los bem variados, para exercitar diferentes habilidades dos leitores e dar chance a todos de ganhar.

  8. Opa! Ótimo incentivo pra voltar a assinar. Só fico com um pouco de “medo”, porque se tem uma coisa que eu não tenho sorte na vida é pra sorteio. Mas já está valendo a pena só pelo prazer de poder cooperar com a manutenção do trabalho magnífico que o Ghedin e a Emily tem feito.

  9. “Estamos pensando em começar pesado, com algo bem massa.”
    Boa Ghedin, sempre quis um Macbook Air haha
    Esperarei ansiosamente todo mês!

  10. Duas dúvidas: o custo de envio não pode se tornar um peso para vocês? Vale para quem contribui com o Patreon (eu já recebi os adesivos, recebo as newsletters, mas não sei se me enquadro na categoria “assinante”)?

    1. Há um custo, sim, mas vamos arcar desde que o premiado resida no Brasil (mais detalhes disso no regulamento).

      Para ser elegível basta estar assinante, ou seja, ainda estar contribuindo mensalmente. De todos que já foram assinantes em algum momento, 38% não é mais. Esses não têm direito de concorrer exceto se voltarem à condição de assinante.

  11. Sou sem graça e sem criatividade. Não poderia rolar uma vez ou outra um sorteio de alguma coisa pequena, por fora dos sorteios? :P

    No mais, já tô na espera!

  12. Eu tenho uma dúvida!
    Rodrigo, qual é a melhor plataforma pra assinar o manual? Como irei utilizar o cartão de crédito, vaia cabar não dazendo diferença pra mim. Mas imagino que PayPal e PagSeguro tenham formas de repasse taxas diferentes. Qual é a melhor pra você?
    Aliás, excelente iniciativa!

    1. Na ordem dos que menos cobram:

      Depósito em conta > PagSeguro > PayPal > boleto.

      O problema do depósito é que o controle é totalmente manual e dá um baita trabalho, então não estimulamos muito, só em último caso. PagSeguro ou PayPal, tanto faz — o PagSeguro cobra menos, mas a diferença é mínima.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!