Smartphones enormes são a nova preferência nacional?


14/8/14 às 18h53

Eu não conhecia a Jana e mesmo depois de ver o seu site fiquei sem entendê-la direito. O que absorvi dali é que se trata de uma empresa de publicidade especializada no mercado mobile de mercados emergentes.

Brasileiro gosta de smartphone grandão.
Gráfico: Jana.

Enfim. A Jana divulgou uma pesquisa que apontou que nos países emergentes o povo quer saber de smartphone grande, com no mínimo 5 polegadas. No Brasil, esse público é de 61%, sendo que 26% prefere coisas enormes com mais de 5,5 polegadas. (Gráfico ao lado -> )

A pesquisa é questionável. A amostragem é baixíssima (1386 pessoas consultadas em nove países) e o fato da Jana ter como produto a veiculação de vídeos curtos pode ter influenciado de alguma maneira o resultado — além do tamanho preferido, a pesquisa também averiguou qual a porcentagem de usuários que consomem vídeos em smartphones.

De qualquer forma, se ainda não é uma preferência nacional, o interesse por samrtphones grandalhões já é palpável pelos reviews mais populares aqui (oi, Xperia C!) e pelo que leio e ouço por aí.

A explicação óbvia e única que me ocorre é a superutilização do smartphone por um público que prioriza convergência por preferi-la, mas também por necessidade — sai mais barato pegar um phablet mid-range do que um smartphone mais um tablet. E como quem determina market share e, para muitas fabricantes, aquele lucro suado no fim do trimestre são os segmentos de entrada e intermediários, a inundação de smartphones gigantes com configurações medianas atende a uma demanda aparentemente real.

Tenho curiosidade em saber o que a galera que cai de cabeça num smartphone grande acha da experiência. A minha é sempre um tanto frustrante, especialmente com os modelos enormes de 6 polegadas — passaram vários desses aqui recentemente e me senti muito incomodado com todos eles. Pode ser só uma fase, mas pode ser também que um novo padrão esteja se estabelecendo. Só espero que, nessa, os iPhone, Moto X e Galaxy Alpha não sumam a médio ou longo prazo…

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês