Qual o smartphone e o tablet mais popular do Brasil na web? Moto G e iPad 2

Um estudo recém-publicado pela ScientiaMobile apontou o Moto G como o smartphone mais popular do Brasil, seguido pelo Lumia 520 e, em terceiro lugar, o iPhone 4S. Entre os tablets, as cinco primeiras posições são ocupadas por modelos do iPad. Algo errado?

O questionamento é válido porque, a julgar pelos números de vendas de tablets no país, é pouco provável que a Apple esteja tão no topo assim. Juntas, segundo levantamento da Folha, DL, Lenoxx e Samsung, que fabricam tablets quase que exclusivamente com Android, detêm 55% das vendas no mercado nacional.

A ascensão do iPad no relatório da ScientiaMobile e algumas outras estranhezas (a maioria relacionada à Apple) decorrem da metologia usada. As conclusões se baseiam em uma amostra de 2,5 bilhões requisições a sites, coletadas e analisadas pelo WURFL.io, uma solução para detecção de dispositivos e adequação de conteúdo às peculiaridades de cada formato.

Em outras palavras, os resultados mostrados abaixo foram pautados pela web, não por vendas ou uso efetivo — o título deste post reflete bem esse detalhe. Aqueles tablets baratinhos que, suspeitamos, servem apenas para YouTube e jogos simples? Ficam de fora da conta, bem como usuários que raramente abrem o navegador ou clicam em links da web nos apps.

Apesar desse detalhe, os números são curiosos e revelam alguns padrões de consumo e divergências entre o mercado nacional e outros de fora. O ranking de uso de smartphones no Brasil, por exemplo, aponta a supremacia de modelos relativamente baratos (até R$ 1.000) por aqui, em oposição à maioria high-end na América do Norte:

Os smartphones e tablets mais populares do Brasil na web.
Gráfico: ScientiaMobile.

(Esse “Galaxy Gran Quattro” é o nosso Galaxy Win Duos.)

Na América do Sul a liderança do Moto G é mais acentuada, com 17% de participação, seguido dos Galaxy S 4 (5%) e S III (4%). Em nenhum outro continente se usa mais smartphones com telas entre 4 e 5 polegadas (70% aqui). Em nota relacionada, a Ásia, berço dos phablets, mostra que gosta mesmo de smartphones enormes: 42% dos analisados têm telas com algo entre 5 e 6 polegadas.

Diversas estatísticas de smartphones e tablets, por continente.
Gráfico: ScientiaMobile. (Clique para ampliar.)

Voltando ao Brasil, entre as fabricantes a Samsung aparece soberana, com 31% dos smartphones usados para acessar a web aqui. Dividindo a segunda posição estão Apple (!), Motorola e Nokia, cada uma com 17% de participação. Nos tablets, a Apple lidera fácil com uma fatia de 70%:

As fabricantes de smartphones e tablets mais populares.
Gráfico: ScientiaMobile.

Usamos mais smartphones e tablets para ver sites à noite, a partir das 20h. Um pouco depois, às 22h, o uso de ambos os dispositivos atinge seu pico diário, que é maior que a média mundial — 1,7 e 2,2 vezes, respectivamente.

Brasileiro usa smartphone e tablet após as 20h.
Gráfico: ScientiaMobile.

Para ler o relatório completo da ScientiaMobile, que traz mais dados globais, divide acessos a partir de navegadores móveis e webviewers e outros insights bacanas, clique aqui.

Agradecimentos à Ju Iglesias pelo envio desse relatório. Valeu! :-)

O Manual do Usuário é um blog independente que confia na generosidade dos leitores que podem colaborar para manter-se no ar. Saiba mais →

Acompanhe

  • Telegram
  • Twitter
  • Newsletter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 comentários

  1. O “market share” na web pode até surpreender comparado aos dados de venda de tablets aqui no Brasil, mas é a questão da experiência de uso: frequentemente eles não atendem direito nem mesmo os usos mais básicos que se espera de um tablet, por isso acabam sub utilizados ou abandonados.

  2. Olhando esses resultados contra-intuitivos, vejo dois motivos para a Apple parecer um produto popular: plano de dados e qualidade de navegação.

    Plano de dados são caros, para navegar na internet é necessário conexões melhores que apenas se atualizar no Facebook e WhatsApp. Eu mesmo, usando um pré-pago sem vergonha da Vivo, evito ficar entrando em páginas web…costumo apenas dar uma olhada no Twitter e no Facebook mesmo.

    Além disso, existe a questão da qualidade de navegação. Saindo de um Razr i para um Moto X, a agilidade em navegar na internet é o maior ganho que percebi na troca de aparelhos, em casa eu sempre pegava o iPad para navegar mas agora se for algo rápido eu uso o Moto X mesmo. Ou seja, aparelhos muito básicos não são convidativos para navegar pela internet.

    Por fim, pode haver um viés na amostra se esse serviço não estar presente em muito sites nacionais. Nesse caso, (acho que) é esperado que pessoas mais ricas acessem mais sites estrangeiros.

    1. Um Lumia em segundo lugar também é mega estranho, acham não?

      A questão do serviço usar mais sites estrangeiros pra fazer a conta é uma boa hipótese.

      1. O Lumia 520 fez uma mega sucesso por aqui. Pelo valor que era vendido, nenhum Android o superava em qualidade. Tanto que o WP chegou a ser o segundo sistema operacional mais vendido/usado no Brasil.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!