Resultado do desafio de maio e um post


6/6/17 às 13h56

Em maio, convidei os assinantes do Manual do Usuário a indicarem uma série disponível na Netflix em troca de seis meses gratuitos na plataforma de streaming de vídeos mais popular da atualidade. As indicações não foram muitas, mas foram boas e, como já era de se esperar, uma saiu vitoriosa.

Sem saber os nomes de quem estava concorrendo, os jurados Leandro Souza e Samir Salim Jr. votaram nas mesmas indicações, logo, para mim sobrou o Voto de Minerva. Não foi fácil escolher, mas Wallyson Rodrigo de Moura Borba acabou levando a melhor ao sugerir The Keepers, uma série documental de sete episódios que conta a história do assassinato ainda não solucionado da irmã Cathy Cesnik, que lecionava no Seton Keough High School, em Baltimore. A série foi dirigida pelos mesmos criados de outro fenômeno, Making a Murderer.

The Keepers, por Wallyson Rodrigo de Moura Borba

Bem, Emily, eu poderia recomendar séries clássicas que todo ser humano teria que ver antes de morrer como Breaking Bad, Sherlock ou Black Mirror (hahaha), mas vou focar em uma série que me deixou sem dormir por alguns dias, por motivos que descrevo abaixo. A série é: The Keepers.

Narra o documentário de um crime que não foi solucionado até hoje: uma freira que foi assassinada (!) por supostamente ter descoberto esquemas que envolviam abusos sexuais nos conventos.

Como o caso envolve a igreja e pecados capitais é cada vez mais difícil cavar mais fundo para resolvê-lo, pois os mistérios que envolvem religião nunca são questionados. Autoridades policiais e comerciantes envolvidos no caso também são religiosos, o que dificulta apontar pessoas da igreja como envolvidos, sempre abafando o caso.

Além do mais, outros crimes vão sendo revelados ao longo da investigação, como corrupção, lavagem de dinheiro e outros assassinatos.

Ah, importante mencionar que a investigação é conduzida por moradores da cidade e não pela própria polícia!

Não dormi pensando na quantidade de crimes que podem ser escondidos debaixo do tapete da fé cega e da autoridade e do poder inquestionável das divindades terrestres.

Fica aí a minha recomendação.

The Expanse, por Leonardo G. de Souza

Eu estava carente de uma boa space opera desde o fim de Battlestar Galactica (<3). Aí quando me falaram que The Expanse é uma mistura de BSG com Game of Thrones (outra que sou fã), putz… sério, como não ficar pelo menos curioso com essa combinação?

Algumas semanas atrás eu terminei de assistir a segunda temporada e fui correndo para o Facebook tentar convencer as pessoas a assistirem a série. Além da facilidade de estar no Netflix, a história é extremamente intrigante: estamos no Século 23 e os seres humanos colonizaram o sistema solar. A ONU controla a Terra, e Marte é uma força militar independente (que tenta “terraformar” o planeta e odeia os terráqueos por não valorizarem o que têm); e temos o Cinturão de Asteroides, com seus habitantes cheios das gírias e até mesmo um desenvolvimento corpóreo diferente, devido a gravidade e outros recursos escassos. A tensão entre eles está sempre prestes a explodir, e quando uma ameaça (ou seria oportunidade?) alienígena aparece, salve-se quem puder!

Baseada em uma série de livros que foi indicada como “Best Series” no Hugo Award 2017, é possível se apaixonar pela série logo de cara: não é incomum encontrar a frase “One of the greatest openings ever” pela internet. Sério, assista pelo menos a intro da série. Garanto que você não vai se arrepender. :)

American Crime History: O Povo contra OJ Simpson, Mad Men e Narcos, por Carlos Gabriel Arpini

American Crime History: O Povo contra OJ Simpson
A série conta a história do assassinato da esposa do O.J. Simpson e seus desdobramentos, desde a perseguição e prisão do astro do esporte até o seu julgamento. O ponto mais interessante não é ver as estratégias de defesa e acusação, mas sim perceber como o chamado julgamento do século se tornou, por suas questões raciais – OJ morava em uma comunidade majoritariamente branca e foi acusado de assassinar a esposa loira – algo que extrapolou o crime em si. A tensão social com a proximidade do julgamento é bastante grande, e emblemática. Vale cada episódio.

Mad Men
É uma série muito bem desenvolvida que conta a história paralela de uma agência de publicidade dos anos 60 e do seu Diretor de Criação, Don Draper. O balanço entre as histórias da agência e as pessoais do personagem principal é muito bom, com as tramas intercaladas e com consequências em ambos os polos. Para quem gosta de curiosidades sobre marcas e propagandas, é um prato cheio, mostrando o surgimento de toda a mítica, excessos e acertos da área de publicidade.

Narcos
Uma série espetacular que mostra a ascensão e queda do mítico Pablo Escobar, desde a exploração inicial de contrabando até o tráfico internacional de drogas. O curioso é o balanço entre o lado assistencialista e — até com alguma visão social — e o lado cruel e sanguinário com que Escobar tratava seus inimigos. Um verdadeiro thriller de suspense e ação mostrando a guerra contra as drogas levada adiante pelos EUA através do DEA que até hoje é parca em resultados concretos.

Abraços a todos do MdU!

Sobre os desafios

Quase todo mês os assinantes do Manual do Usuário são convocados a participar de desafios que valem prêmios — smartphones, fones de ouvido, acessórios, só coisas legais. É mais uma das vantagens de apoiar um pequeno blog de jornalismo independente de tecnologia. Que assinar? Clique aqui.

Acompanhe o Manual do Usuário por e-mail (newsletter), Twitter e Telegram.

5 comentários sobre “Resultado do desafio de maio e um post”

  1. Eu assisti The Keepers. Mostra que nem sempre é só no Brasil que tem autoridades envolvidas em esconder crimes quando são de interesses de pessoas poderosas. Vale muito a pena!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *