Alguém quer um relógio inteligente?

Kevin Roose, na New York:

Apesar de todo o barulho em torno dos [gadgets] vestíveis, não está claro quem deveria estar comprando eles. Menos da metade dos entrevistados em uma recente pesquisa da Accenture disseram que considerariam comprar um relógio inteligente, e mesmo os analistas mais otimistas preveem apenas 20 milhões de relógios do tipo vendidos esse ano, número insignificante comparado aos das vendas de smartphones e tablets. O ceticismo do mercado talvez seja em função do quão cedo os primeiros relógios inteligentes saíram de cena (poucos duraram mais do que um ou dois anos antes de serem tiradas das prateleiras). Mas o mais provável é que os relógios inteligentes atuais continuam sendo gadgets misteriosos e de certa forma redundantes. Até os modelos mais sofisticados não fazem nada que um celular não consiga, exceto ficar confortavelmente no seu pulso. E o fator novidade ainda é alto. Os caras dos códigos do Vale do Silício podem apreciar a capacidade de pedir pizza a partir do próprio pulso (o que é, por sinal, um app real do Android Wear), mas o resto de nós não tem muita necessidade de outro dispositivo para carregar por aí, manter carregado e se preocupar em não quebrar.

Em certo sentido o ceticismo é parecido com o que acometeu o iPad, mas isso não garante que o Android Wear e outros relógios inteligentes terão o mesmo destino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 comentários

  1. Cara, não sei não… Tô usando um Gear Fit que peguei emprestado para monitorar minhas atividades físicas e é a coisa mais incrível que poderia ter usado. Bem melhor do que carregar um telefone pendurado no braço, até usei na pelada para ver quanto eu corro durante uma partida de futebol. Como tudo, depende do uso que você fará dele. =)

  2. Uma sugestão de pauta e de uma pesquisa feita pela teleco que é bem interessante e intrigante que é, o “3G tornando a principal tecnologia do celular em 2014”.

  3. Tá difícil mesmo mostrarem a que vieram. Pra tarefas mais complexas (como pedir uma pizza!), sacar o celular do bolso é 10x mais rápido. Fica mesmo restrito a coisas pequenas como uma notificação de e-mail/tweet/whatever, talvez navegação de mapa pra quando estiver a pé na rua, monitor de batimentos ou outros sensores corporais, enfim, coisas que dificilmente justificam uma adoção em massa.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!