Foto de divulgação do iPhone 6s.

Post anual para reclamar dos preços do novo iPhone


7/11/15 às 12h59

Hoje o Timehop me lembrou de um post do ano passado sobre os preços do iPhone 6. E, um ano antes, havia escrito sobre o preço do iPhone 5s. O tom deles é sempre o mesmo (estupefação). Entra ano, sai ano, os valores que a Apple cobra pelo seu smartphone seguem surpreendendo. Em 2015, com o iPhone 6s, não foi diferente.

O iPhone 6s começa, no Brasil, em R$ 3.999. A versão mais cara do iPhone 6s Plus, de 128 GB, bate R$ 4.889. Os preços vazaram e, depois, foram confirmados pelas lojas do varejo.

Ano passado fiz um gráfico demonstrando a escalada de preços de lançamento do iPhone no Brasil. Segue o mesmo, atualizado (e agora produzido no Numbers, para regojizo de Tim Cook e associados):

Preço do iPhone no Brasil.
O preço do iPhone no Brasil.

Acrescentei ao gráfico a variação ano a ano do preço em porcentagem e, sem surpresa, 2015 viu o maior aumento desde que o iPhone passou a ser vendido na Apple Store nacional, de 25%. Diferentemente de outros anos, neste não dá nem para reclamar — o dólar subiu horrores e a economia está levemente despirocada. (E pensar que exatamente há um ano temíamos que o dólar passasse os R$ 3…)

O leitor c_mcardoso levou o exercício mais longe e converteu os preços para a cotação do dólar nos respectivos dias de lançamento dos iPhones. Sob esse prisma o iPhone 6s é um dos mais baratos já lançados aqui:

iPhone em dólar, no Brasil.
Tabela feita por c_mcardoso.

Prova do peso enorme do dólar no custo do iPhone 6s brasileiro é a diferença que se vê entre comprar aqui e lá fora. Nosso preço não fica muito distante do de alguém que porventura se disponha a dar um pulo em Miami para comprar seu iPhone novo. Façamos as contas:

US$ 650 * R$ 3,80 = R$ 2.470
R$ 2.470 + R$ 185 (7,5% de impostos americanos) = R$ 2.655
R$ 2.655 + R$ 169 (6,38% de IOF) = R$ 2.824

À vista, no Brasil, algumas lojas como a Americanas dão 10% de desconto, o que traz o preço do iPhone 6s para R$ 3.599. Assim, a diferença para o americano fica em R$ 775, ou um Moto G da vida e ainda sobra uns trocados.

O mais curioso, porém, é que mesmo com o iPhone 6s de 16 GB, a versão mais barata, batendo próximo dos R$ 4.000, ele não é o smartphone mais caro do Brasil. A Sony, que anda mal das pernas no setor móvel, trouxe o Xperia Z5 por absurdos R$ 4.299. E nem é o Premium, com tela 4K… É só um palpite, mas acredito que esse tipo de destaque não ajudará os japoneses a saírem do aperto.

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês