Post anual para reclamar dos preços do novo iPhone

Foto de divulgação do iPhone 6s.

Hoje o Timehop me lembrou de um post do ano passado sobre os preços do iPhone 6. E, um ano antes, havia escrito sobre o preço do iPhone 5s. O tom deles é sempre o mesmo (estupefação). Entra ano, sai ano, os valores que a Apple cobra pelo seu smartphone seguem surpreendendo. Em 2015, com o iPhone 6s, não foi diferente.

O iPhone 6s começa, no Brasil, em R$ 3.999. A versão mais cara do iPhone 6s Plus, de 128 GB, bate R$ 4.889. Os preços vazaram e, depois, foram confirmados pelas lojas do varejo.

Ano passado fiz um gráfico demonstrando a escalada de preços de lançamento do iPhone no Brasil. Segue o mesmo, atualizado (e agora produzido no Numbers, para regojizo de Tim Cook e associados):

Preço do iPhone no Brasil.
O preço do iPhone no Brasil.

Acrescentei ao gráfico a variação ano a ano do preço em porcentagem e, sem surpresa, 2015 viu o maior aumento desde que o iPhone passou a ser vendido na Apple Store nacional, de 25%. Diferentemente de outros anos, neste não dá nem para reclamar — o dólar subiu horrores e a economia está levemente despirocada. (E pensar que exatamente há um ano temíamos que o dólar passasse os R$ 3…)

O leitor c_mcardoso levou o exercício mais longe e converteu os preços para a cotação do dólar nos respectivos dias de lançamento dos iPhones. Sob esse prisma o iPhone 6s é um dos mais baratos já lançados aqui:

iPhone em dólar, no Brasil.
Tabela feita por c_mcardoso.

Prova do peso enorme do dólar no custo do iPhone 6s brasileiro é a diferença que se vê entre comprar aqui e lá fora. Nosso preço não fica muito distante do de alguém que porventura se disponha a dar um pulo em Miami para comprar seu iPhone novo. Façamos as contas:

US$ 650 * R$ 3,80 = R$ 2.470
R$ 2.470 + R$ 185 (7,5% de impostos americanos) = R$ 2.655
R$ 2.655 + R$ 169 (6,38% de IOF) = R$ 2.824

À vista, no Brasil, algumas lojas como a Americanas dão 10% de desconto, o que traz o preço do iPhone 6s para R$ 3.599. Assim, a diferença para o americano fica em R$ 775, ou um Moto G da vida e ainda sobra uns trocados.

O mais curioso, porém, é que mesmo com o iPhone 6s de 16 GB, a versão mais barata, batendo próximo dos R$ 4.000, ele não é o smartphone mais caro do Brasil. A Sony, que anda mal das pernas no setor móvel, trouxe o Xperia Z5 por absurdos R$ 4.299. E nem é o Premium, com tela 4K… É só um palpite, mas acredito que esse tipo de destaque não ajudará os japoneses a saírem do aperto.

O Manual do Usuário é um blog independente que confia na generosidade dos leitores que podem colaborar para manter-se no ar. Saiba mais →

Acompanhe

  • Telegram
  • Twitter
  • Newsletter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

58 comentários

  1. Mesmo se o dólar estivesse com o preço de 2013, por exemplo, a Apple não deixaria de cobrar menos de R$3mil reais no iPhone de entrada. Não querendo ser pessimista, mas do jeito que o país vem sendo conduzido (a culpa não é só da presidência), ainda não chegamos ao pior.

  2. Olha, nem vou comentar preços que é algo muito nebuloso aqui no Brasil. Quase impossível apontar culpados. Mas só pra complementar o post, os preços da Claro ficaram bem mais em conta. O iPhone 6S Plus 64 (o que espero pregar através do ClaroUp) está quase 800 reais mais barato.

  3. Olha, nem vou comentar preços que é algo muito nebuloso aqui no Brasil. Quase impossível apontar culpados. Mas só pra complementar o post, os preços da Claro ficaram bem mais em conta. O iPhone 6S Plus 64 (o que espero pregar através do ClaroUp) está quase 800 reais mais barato.

  4. Recentemente, um amigo revelou ter financiado o saldo do valor da compra de um carro, em 36 parcelas. Em outra conversa, sobre o (sempre) exorbitante preço do iPhone, opinou que não conseguia entender a pessoa que parcela a sua compra em 10x, que era “coisa de pobre”.
    Sem perceber a gafe, haja vista o numero de pessoas ao redor com iPhone nas mãos, ele tentou se justificar. Nao deu tempo. Um outro amigo, economista, logo disparou que a lógica de interpretação dele era absolutamente fraca do ponto de vista do “bolso”, concluindo: Cada um faz o esforço que pode para investir seu rico dinheirinho no que bem lhe carece, exemplificando: Você, aos 30, tem condições de financiar 20k sem sofrimento. Outra pessoa, talvez na mesma idade, ou mais nova, não tivesse condições de financiar os mesmo 20k, mas poderia financiar uns 4k. E o resultado, do ponto de vista econômico, seria o mesmo tanto para o mercado quanto para a satisfação pessoal do comprador.
    Silenciei.

  5. Custo x Benefício do iPhone é inviável para o cidadão comum. Uma pena, pq acaba se tornando um produto de nicho.

    1. Mas os produtos da Apple sempre foram de nicho, nunca foi dito pela empresa que passaria a vender para qualquer consumidor. A Apple sempre pensa no usuário “premium”, mesmo seus produtos não sendo do mesmo valor.

  6. Em termos de hardware, o Lumia 930 é mais flagship que o iPhone 6S, e o Lumia 1520 é mais phablet flagship que o iPhone 6S Plus. E custam menos.

      1. Em termos numéricos, as telas são melhores – a do 930 tem mais resolução, com densidade de 441 ppi, e a do 1520 tem Glance e gasta menos bateria por ser AMOLED -, ambos tem 2 GB de RAM e o mesmo processador Snapdragon 800 quad-core de 2.2 GHz com GPU Adreno 330, câmeras frontais de 2 megapixels e traseiras de 20 megapixels, com PureView, flash LED duplo, lentes Zeiss, abertura f/2.4, OIS e gravação em Full HD, carregamento sem fio, baterias melhores – o 930 com 2450 mAh e o 1520 com 3400 mAh -, e o 1520 tem a vantagem de aceitar cartão de memória micro SD de até 128 GB.
        Os Lumias perdem em termos de leveza e espessura, de arquitetura dos processadores (32 bits, contra 64 bits dos iPhones) e apanham feio em termos de ecossistema, mas a comparação acima leva em consideração apenas o hardware.

        1. Esse processador Snapdragon 800 é bem defasado, o desempenho single-core é umas 3x melhor do iPhone 6S assim como a GPU é de outro nível: http://www.anandtech.com/show/9662/iphone-6s-and-iphone-6s-plus-preliminary-results

          Fora dois recursos exclusivos de hardware com importância subjetiva: Touch ID e Force Touch. O Lumia 930 é um ótimo smartphone pela idade, mas apesar do senso comum, tirando questões de tela e bateria o iPhone é muito forte em hardware nos testes sintéticos.

          1. Vale ressaltar que a minha comparação foi entre o Lumia 930 e o iPhone 6. E tudo indica que o Lumia 930 de alguma forma terá acesso ao Windows Hello, equivalente biométrico do Touch ID. Segundo rumores, a tecnologia usada será o reconhecimento facial (particularmente acho difícil desse rumor se concretizar)

    1. Só tem que levar em conta que a Apple não entrou (e nem precisa) nessa guerra de especificações.

      Por isso eu acho que não faz sentido comparar hardware de iPhone com os demais.

      1. Pô, pelo menos a tela e a bateria tem que acompanhar o oferecido pela concorrência. Resolução abaixo de 400 ppi e bateria inferior à 2000mAh eu acho num Lumia 535 ou em um Moto E.

        1. Ainda acho que não faz sentido “reclamar” por isso, pelo menos não da tela.
          Qualquer coisa acima de 300 DPI é mais que suficiente, não há uma diferença visível entre 326 (“retina”) e 441 DPI a não ser gastar mais bateria e exigir mais processamento.

          Já a bateria eu concordo, já que tem muita gente reclamando, deve ser um problema de fato e poderia melhorar.

          1. Eu uso um Lumia 730 com densidade de cerda de 312 ppi, e os pixels são visíveis (ainda que com “esforço”). As telas poderiam sim ser um pouco melhores, e se for uma AMOLED ou de tipos afins, o consumo de bateria se torna bem menor.
            E a quanto à bateria, não dá pra pagar R$ 3000 num aparelho com menos de 1900 mAh como são os iPhone 6 e o iPhone 6s. É muito pouco pra um top de linha

          2. Enxergo pixels no iPad Air (que eu acho que tem a pior tela retina, considerando resolução e distância usual dos olhos) e no Macbook Pro 13″ Retina (que, no entanto, não chega a atrapalhar). Mas no velho iPhone 4s, não consigo enxergar pixel nenhum na distância usual (é uma tela muito melhor que a do iPad, por exemplo). Mas, como isso parece variar muito de olho para olho, fico curioso com um estudo comparativo. Será que existe?

          3. Os únicos “estudos” que eu vejo são esses comparativos de sites – que sempre me dão um pouco de receio por muitas vezes serem parciais. Eu escrevi pra blog e procurava sempre ser neutro (e muitas vezes era xingado quando eu considerava o aparelho de outro sistema melhor que o do Windows Phone).
            Eu consigo enxergar os pixels na tela do meu Lumia 730 (cerca de 314 ppi), mas apenas quando por exemplo a fonte do texto é muita fina e clara em um fundo escuro.
            Sinceramente não me atrapalha, mas já que tem aparelhos top de linha com resoluções superiores, a Apple poderia entregar algo próximo dos 400 ppi, pra justificar o preço cobrado (um absurdo, na minha opinião)

          4. O problema desse raciocínio é que ele se apega aos números e esquece a experiência. É um comum, já que comparar números (objetivo) é mais fácil do que experiência (quase que totalmente subjetivo).

            Já testei um monte de smartphones, Android, Windows Phone e tive um iPhone. A tela desse último nunca deveu nada às dos demais, mesmo aqueles com resolução QuadHD. É uma questão de experiência: a partir de um ponto, o incremento na especificação se torna irrelevante. Ok, a Apple pode ir a +500 PPI, mas a troco do quê? Eu nunca vi alguém reclamar da tela de um iPhone porque, TURNS WHAT, ela é ótima, uma das melhores da indústria. Não é só resolução que faz uma e o Lumia 730 é um bom exemplo — é bem pior, seja pelo painel, ajuste de cores, saturação, sei-lá-o-quê. (Se quiser uma explicação bem, mas beeeem mais longa sobre esse lance de percepção, leia isto: https://www.manualdousuario.net/web-design-100-primeiros-anos/ )

            Vale o mesmo para processador (embora, em processador por núcleo, o iPhone deixe todos os outros muito para trás: http://www.pcmag.com/article2/0,2817,2491936,00.asp ), bateria, câmera e outros parâmetros. A Apple nunca se pautou por benchmarks, ela faz um celular que funciona bem. É algo que só vi, em Android, com o Moto X original, o que é uma pena.

            Sobre os Lumias, a Microsoft tem problemas maiores para resolver antes, a começar pelo Windows Phone. Hardware não é nada sem um bom software.

  7. Duas coisas:

    – Os preços do iPhone subiram também em dólar, não?
    – O iPhone de 128GB está com um preço bem melhor, comparativamente, que o de 64GB. (Estou partindo do princípio que a pessoa sabe fazer as quatro operações e descobriu que o de 16GB não faz sentido algum de existir)

  8. Esperando a venda da linha Xperia em 2016 hahaha
    Seja lá o responsável por ela, apenas muitos vacilos (esse lance de atualizar semestralmente praticamente banaliza o produto)

          1. O primeiro artigo é de mais de 2 anos atrás (setembro/2013). Tem nada mais recente não?

            O segundo só deu ‘no data’ aqui no Brasil.

          2. No segundo link, você moveu a régua do tempo no rodapé do site ? Testei aqui e funfou.

          3. Pois faz dois anos que o WP vende mais que iPhone no BR (e em mais 25 países). Antigamente o número era melhor, mas com a falta de lumias mid e high, deu nisso.
            Ghedin já falou disso aqui… Lembrando, isso é numero de vendas por trimestre, não número de share absoluto.

    1. A última build que coloquei no meu Lumia 1320 é bastante consistente. Já consigo usar no dia a dia sem passar muito aperto.

    2. A última build que coloquei no meu Lumia 1320 é bastante consistente. Já consigo usar no dia a dia sem passar muito aperto.

  9. Sem defender valores digo que os aparelhos da Apple, oscilaram na faixa de 1000 – 1200 dólares em sua data de estreia em terras tupiniquim, mas e la fora como estava? Preço fixo de 650 dólares. Vamos fazer um exercício prático: converter o valor na data de lançamento com o valor do dólar. Para compararem o 5S citado na matéria lançado aqui na Bananalândia com preço de R$2799,00 em 22/11/2013 com o dólar a R$ 2,29 vide http://www.idealsoftwares.com.br/indices/dolar2013.html custava convertido o valor de $1223 dólares, hoje um iphone 6S na conta do autor custaria $1052 dólares Aqui ressalvo não achei ainda dólar a R$ 3,80 para comprar, este é o valor do dólar comercial e as transações devem ser feitas com base no valor do dólar turismo e quando chequei estava R$ 3,98 na sexta feira. Olhando por este prisma, existiu uma redução no valor comparando o 5S com o 6S. Vamos de novo? O Iphone 4 lançado em 2010, tínhamos cotação do dólar a R$1,73 e o Iphone custava aqui R$1799 logo a com a nossa continha de buteco temos o valor de $1045 dólares que por curiosidade bate quase com o numero de conversão do 6S. Pois é, se acho os valores caros? Falo a vocês: nossa moeda está fraca e desvalorizada e temos um baixo poder de compra atualmente.

        1. Se morar em São Paulo, recomendo uma visita à Santa Efigênia, após um período os valores são ajustados, para o estoque velho na alta do dólar, é aplicado o preço mais alto no estoque velho. Estoque velho comprado com dólar alto, fica o preço alto até repor o estoque. Malandragem brasileira. Vejo muita gente la batendo preço de mercadolivre, kabum entre outros com vendedor. Eu pessoalmente comprei algumas bugigangas a preço de dólar antigo , arduino, e toda a família de sensores saindo mais barato que comprar na Gringa.

      1. Se o dólar baixar e o no futuro o IPhone XPTO manter o preço, temos uma indicação clara de lucro Brasil, mas desde o lançamento do IPhone 4 nunca vi o dólar baixar na data de lançamento dos Idevices … Mas se procurar vai ver que o iPhone 3GS custava 550 dólares com venda aqui por 1699 e dólar a 1,85 em média, pela nossa conta vamos ter 919 dólares, ou “ceje” olhando o preço do iPhone 4 manteve o preço mesmo com oscilação do dólar.

  10. Sem defender valores digo que os aparelhos da Apple, oscilaram na faixa de 1000 – 1200 dólares em sua data de estreia em terras tupiniquim, mas e la fora como estava? Preço fixo de 650 dólares. Vamos fazer um exercício prático: converter o valor na data de lançamento com o valor do dólar. Para compararem o 5S citado na matéria lançado aqui na Bananalândia com preço de R$2799,00 em 22/11/2013 com o dólar a R$ 2,29 vide http://www.portaldefinancas.com/dolptax_eu_2013_2s.htm custava convertido o valor de $1223 dólares, hoje um iphone 6S na conta do autor custaria $1052 dólares Aqui ressalvo não achei ainda dólar a R$ 3,80 para comprar, este é o valor do dólar comercial e as transações devem ser feitas com base no valor do dólar turismo e quando chequei estava R$ 3,98 na sexta feira. Olhando por este prisma, existiu uma redução no valor comparando o 5S com o 6S. Vamos de novo? O Iphone 4 lançado em 2010, tínhamos cotação do dólar a R$1,73 e o Iphone custava aqui R$1799 logo a com a nossa continha de buteco temos o valor de $1045 dólares que por curiosidade bate quase com o numero de conversão do 6S. Pois é, se acho os valores caros? Falo a vocês: nossa moeda está fraca e desvalorizada e temos um baixo poder de compra atualmente.

  11. Bom texto, mas em todas as matérias daqui que li, todos colocam a culpa no dólar, como se a Apple não tivesse nenhuma influência nesses preços.

    1. Eu penso que a Apple se aproveita da alta do dólar para “justificar” esses aumentos. As outras fabricantes não aumentaram tanto seus preços no mesmo período.
      Vou repetir o que disse no post livre: quero ver se o preço vai recuar junto com o dólar. Eu sei que não vai ser logo.

      1. Não, não vai.

        Se o dólar hoje chegasse a 1 real. eu duvido que qualquer produto baixasse de preço.

        Difícil ver isso acontecer aqui no Brasil.

    2. A Apple sempre teve os maiores preços em todos os produtos e a gente sabe que a culpa é do “custo Brasil”. A Apple mete a faca mesmo.
      Mas a diferença de preço do ano passado pra esse não tem outro motivo senão a alta do dólar e a economia ruim.

    3. A Apple sempre teve os maiores preços em todos os produtos e a gente sabe que a culpa é do “custo Brasil”. A Apple mete a faca mesmo.
      Mas a diferença de preço do ano passado pra esse não tem outro motivo senão a alta do dólar e a economia ruim.

  12. Pois é, apesar da alta, por causa da variação do dólar, provavelmente é a primeira vez que não dá pra sugerir ir pra Miami e comprar. Antes a diferença do iPhone aqui pro americano chegava a R$ 1.500…

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!