Preço do G4 no Brasil é 30% maior que o do G3 na época do seu lançamento — e isso é tendência


28/5/15 às 15h02

Hoje a LG anunciou preço e disponibilidade no Brasil do G4, seu novo smartphone topo de linha. A versão básica, com tampa em policarbonato, sai por R$ 2.999. Por R$ 100 a mais você leva a de couro. Ele estará disponível na segunda metade de junho.

O preço assustou um pouco, e fortalece uma tendência. Até agora, apenas LG e Samsung lançaram seus melhores smartphones em 2015. Em relação aos modelos de 2014, os preços de ambas estão 26% (Samsung) e 30% (LG) mais caros. O G3, do ano passado, saiu aqui com o preço sugerido de R$ 2.299.

Montei a tabela abaixo, que será devidamente atualizada com o tempo, para observar melhor essa evolução:

Gráfico comparativo de preços de smartphones (2014 e 2015).

Se a Apple seguir as rivais sul coreana, o preço do (suposto) iPhone 6s de entrada pode passar de R$ 4.000 (com um aumento de 26%). Já o Moto X, aparelho mais barato da geração passada, sairia por ~R$ 1.888.

Nesse caso da Motorola existem duas forças conflitantes, porém: uma, o grande vilão dólar, que disparou em quase 40% (!) no último ano. Na outra ponta, a Lei do Bem, que zera PIS e Cofins (somados, 9,25%) de smartphones fabricados no Brasil que custem até R$ 1.500 ao consumidor final. Como a estratégia da Motorola tem sido focar em custo-benefício, o que explica em parte seu sucesso no Brasil, estou curioso para ver por quanto o sucessor do Moto X sairá aqui.

A verdade é que smartphone topo de linha nunca esteve tão caro no Brasil. E os intermediários também começam a encarecer. A LG anunciou as variantes simples do G4, os modelos Beat e Stylus. Preços? Segundo o iG Tecnologia, R$ 1.429 e R$ 1.499, respectivamente. Detalhe: eles têm apenas 1 GB de RAM cada.

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 comentários

  1. Não duvido que esse LG G4 chegue à Black Friday por uns 1.500 reais, considerando que o dólar fique na casa dos R$ 2,80. Se o dólar ficar a 4 reais, talvez o encalhe fique por uns 1.900 reais.

  2. Vou ser cuzão se reclamar que não tem aparelhos Nokia/Microsoft na sua tabela?

    Bem pelo que lembro de cabeça o ultimo top Lumia, o 930 saiu por 2K, um preço um pouco maior era cobrado pelo 1520 e 1020 (2300 eu acho). Acho que a Microsoft vai ser a unica que vai tentar fugir desta tendência, talvez trazendo sua versão mais simples do topo de linha por no máximo 2,5k para tentar ganhar mercado no combo W10 e melhor preço de top.

  3. Ainda chegará o dia em que acharemos esses preços ai baratos, infelizmente.

    Enquanto isso, continuo comprando meus smartphones pelo menos 1 ano depois do lançamento. Até hoje, nunca gastei mais que R$800,00 e tem suprido minhas necessidades bem de boa. Só pra ter uma ideia, comecei por um Galaxy (o primeiro, I7500), Milestone, Omnia W e atualmente um Nexus 4.
    Quando trocar o Nexus, provavelmente irei de Moto X 2014, mas não pretendo passar dos mil reais.

  4. O público alvo dos aparelhos Android top de linha tem percebido que os preços caem consideravelmente depois 2, 3 meses. Por isso eu não tenho considerado muito esses preços. Esperar um pouquinho compensa.
    E o Moto X, além de ser o melhor custo/benefício, aparenta ter uma vida mais longeva por conta disso, fazendo com que a troca anual não seja tão necessária assim. O bolso agradece.

      1. iPhone, gasolina, carro…uns trocados que caem no preço, esgota. Por isso não vai baixar nunca hahaha

  5. Ainda vejo o Moto X 2014 como melhor opção, pelo preço, acabamento e as atualizações em dia. É imbatível.

  6. Os topos de linha 2014 continuam aí firmes, fortes e barato. LG G3 e Moto X facilmente ficam na casa dos R$ 1.100,00 e em promoção menos de R$ 1.000. Pelos fracos lançamentos que ocorreram em 2015 não vejo nenhum motivo para pagar esse valor absurdo a não ser status, já que existem várias opções de qualidade.

  7. Comprei o Moto X 2014 na black friday (foi 1280), por ter certeza que seria o topo de linha mais barato que eu encontraria (e por ser o que mais se assemelhava ao meu uso, saindo de um Nexus 4). E cada vez mais tenho certeza de que fiz a escolha certa, vendo os preços da concorrência. Agora é torcer pra ele durar até no mínimo o fim de 2017.

    1. Eu também comprei o meu por 1280, em meados de set/2014. Considerando a data de lançamento dele, estamos praticamente a 4 meses do MX 2015 e não vejo o mínimo sinal de que ele vai “abrir o bico”. Não duvido muito que ele aguente bem até meados de 2016 pelo menos.

  8. E com isso, os atravessadores e importadores ilegais vão fazendo suas pequenas fortunas.
    Conheço um cara aqui na cidade que largou tudo e agora vive de trazer iPhones, Macbooks e GoPros.

  9. E com isso, os atravessadores e importadores ilegais vão fazendo suas pequenas fortunas.
    Conheço um cara aqui na cidade que largou tudo e agora vive de trazer iPhones, Macbooks e GoPros.

  10. Os intermediários são o maior trunfo das fabricantes em mercados como o brasileiro. Vendem que nem água. E como a demanda é gigante, eles vão aumentando aos poucos o valor dos novos intermediários. E como eles devem ter percebido que, mesmo assim vendem, vão aumentando mais. Pq se a pessoa quer, ela compra.

    O marketing boca a boca também é ajuda nesse ponto. Pessoas que compraram o moto g 2013 (por ex) indicam o moto g pra quem busca um aparelho novo. Ai a pessoa vai e compra o moto g 2015, independente se o valor variou 30 ou 40% com relação ao antecessor.