Post Livre #85

Chegou a sexta-feira que eu mais esperava neste ano — sim, é meu aniversário! — e também mais um dia de post livre. Mais uma vez, teremos a difícil tarefa de não brigar nos comentários por questões políticas e debater a tecnologia que torna nossas vidas mais fáceis e aturáveis em dias chuvosos como o de hoje — pelo menos aqui em São Paulo. Ou seja, se o Google I/O não for suficiente para nos entreter nos comentários, sempre podemos falar sobre o tempo. E aí, vamos conversar? Bem-vindos.

182 comentários

  1. Amigos, venho aqui pedir uma singela ajuda de vocês (desenvolvedores principalmente), eu geralmente assisto espn pela internet, pelo watchespn, as x pegava, outros dias não, só que agora não carrega nunca em nenhum navegador (fica nessa tela cinza direto), nem em modo anonimo ele carrega, ja tentei fazer de tudo e nada da certo, auguem consegue me ajudar? eu botei pra inspecionar o código da pagina e aquele “DevTools failed to parse SourceMap: http://cdn.espni.go.com/_scripts/underscore-min.map” la embaixo me chamou atenção, tem algo a relacionado ao problema? https://uploads.disquscdn.com/images/014a44ce72ffd7de5d5ece1d61036f069d36efcff095659b31ec369df399ed36.png https://uploads.disquscdn.com/images/506f838e3bbb0363e9a7adcc00719c7d748661f0a95674b9ed923bccc3e26081.png

  2. É tão engraçado que eu passo a semana inteira pensando em alguns tópicos para discutir aqui com vocês no Post Livre, chega o dia, esqueço todos! hahaha, terei que passar a anotar.

    P.S.: Parabéns, Emily! Tudo de melhor pra você!

    1. Já me aconteceu inúmeras vezes isso, principalmente porque penso nas coisas segunda ou terça haha

    2. Eu comecei a escrever o tópico na hora e deixar salvo em algum lugar hahaha

      Aí já posto logo de cara para o pessoal comentar, senão acaba ficando no “ostracismo”.

    1. São Pedro tá contra esse movimento aqui na minha cidade

  3. O que vocês pensam sobre esses apps de relacionamento, Tinder, Happn etc?
    Nos últimos meses tenho usado bastante só que percebi uma coisa.
    Embora tenha conhecido algumas (3 ou 4) pessoas realmente bacanas; é muito comum perder o interesse, deixar de falar, virar só mais um contato no whatsapp etc… Como se as pessoas ali não fossem reais de fato, entende? As vezes tenho a sensação de serem computadores (haha), daria praticamente no mesmo. rs

    1. Bom… talvez ainda não tenha aparecido o interesse de conversar todo dia (mútuo ou exclusivo seu – tem muita mulher que “exige” que o homem tenha que ter a “pegada”). O que pode atrapalhar também é a falta de convivência – às vezes a gente conversa mais com quem a gente vê no dia a dia (trabalho, escola, faculdade…)

      1. Ué, mas o homem tem que ter a pegada, né, tem de ser homem! Senão é um mero amigo…

        1. Acho que “pegada” não foi uma palavra certa. Quero dizer que, muitas vezes, a mulher espera que o homem faça tudo (inclusive a conversa, daí a “pegada”), e não se dispõe a nada…

    2. Eu não uso programa de relacionamento. Mas há bastante tempo namorei uma mulher que conheci pela Internet. Entendo que é preciso ter foco no que se deseja. Se você quer uma namorada, o serviço pela Internet deve ser um mero meio de se conhecer alguém e aí logo tratar de se encontrarem e, se for pra rolar alguma coisa, priorizar contatos reais, físicos. Senão se tornam meros amigos virtuais.

    3. Na época em que usava (agora namoro), eu gostava por acabar conhecendo pessoas bem diferentes, de fora do meu ‘mundinho’. Ainda não tinha as reflexões sobre tecnologia que tenho hoje; então não me importava de ter contatos ‘inativos’ resultantes de uma noite, eu idealizava esses contatos como um rolê pré aprovado pra dias de tédio hahaah

  4. Queria deixar uma sugestão de publicação independente que tomei conhecimento não faz muito tempo: http://derivaderiva.com/

    Vocês conhecem outras publicações nesse mesmo estilo?

    1. o que seria esse site? parece uma espécie de medium, digo, parece um monte de textos de pessoas diferentes agregados la, mas só que se fecham em apenas 3 assuntos, estou equivocado? me explica ai por favor

    1. vinho aqui em casa só entra “cantina da serra” HAHAHAHAh brinks

  5. Estou boladíssimo com a morte do Chris Cornell. Acho que agora entendo o que algumas pessoas sentem com o Senna, por exemplo.

    1. Do nada, isso é a pior parte, é diferente de saber que o Chuck Berry morreu por exemplo…bem mais tenso.

      Eu não conhecia muito ele na real, na adolescência ouvi bastante Audioslave, nem ouvia música música…mas assisti o clipe do Cochise e comprei o disco. Vou dar uma revisitada, mas certamente moldou meu gosto até hoje.

      1. Recomendo muito o Live in Cuba*. Antes tinha completo no Youtube, não sei se removeram. Foi um puta show, talvez o melhor do Audioslave antes de lançarem o Revelations (que maior parte das pessoas nem gosta, mas eu me amarro também).

        *Parece que foram a primeira rockband a tocar em Cuba pós revolução.

  6. 2 semanas para a WWDC. Fico pensando se FINALMENTE a apple vai integrar um mísero aplicativo de relógio ao tvOS…

    Poxa, a apple tv não possui sequer previsão do tempo.

      1. Eu acho que sim. No iOS é assim. O problema é que nem todo mundo é ou quer ser programador.

        1. No caso, a dúvida do @gafernandes:disqus refere-se a uma suposta inércia da Apple quanto à integração, que na verdade não existe, uma vez que se o dev quiser ele pode por o produto dele em qualquer iDevice

          1. Se o programador quiser e for aceito na App Store.

            Eu entendi que o Gabriel queria mais integração vinda da Apple, como um aplicativo de previsão do tempo, relógio, etc.

            Eu me lembro que quando eu usei um iPhone eu fiz um despertador que me atendia melhor – e o mesmo tempo serviu como projeto final do meu curso de iOS – que eu conseguia controlar melhor o tempo de soneca, mudar quantos despertadores eu tinha, entender que depois de X snoozes ele deveria parar de aceitar a função, etc. Eu nem procurei na App Store por algo assim.

  7. To indo trocar de smartphone. To com outras prioridades na vida e to indo pegar algo na faixa de 600 a 800. Alguém tem algum conselho?

      1. Uou, não sabia que o moto g5 já tava nessa faixa.
        Ainda assim vi que a LG tem o X-Power por cerca de 600, por exemplo.
        Ele chega a ser razoável?

      1. Tem o Zenfone 3 Max, que chega na faixa de 850 na promoção. E a bateria dele é muito boa também.

  8. Se a constituição permitisse novas eleições em caso de queda do Temer, vocês teriam algum candidato pra votar? Eu não tenho candidato :/

    1. Também tô sem, a coisa tá feia. A gente podia usar o manual do usuário como plataforma e lançar um candidato nerd que tivesse como prioridade coisas nerds do tipo educação, um programa espacial, incentivo a empresas de tecnologia e por aí vai… hahahaha =)

      1. Rapaz, já pensou se desse pra votar entre Satya Nadella, Sundar Pichai, Tim Cook, Mark Zuckerberg e Jeff Bezos? Eu ficaria indeciso entre Satya e o Sundar

          1. Mas demonstra a linha de raciocínio. Talvez você pense mais na hora de votar, mas, a maioria das pessoas pensaria “se o Bill Gates fundou a MS e ficou rico, ele consegue muito bem administrar o Brasil”.

            Infelizmente essa é a educação (ou deseducação) política da nossa população.

          2. Se o mundo se resumisse à corporações sem governos, o exemplo absurdo acima seria plausível. Por isso destaquei a irrealidade delirante da opção. Logo, não é uma linha de raciocínio minha real

        1. Governar um país é diferente de comandar uma empresa. São objetivos totalmente diferentes. Não necessariamente um bom CEO seria um bom governante.

          1. Alguém precisa avisar o Dória… E olha que estou sendo bom ao considerar ele CEO ou dono.

          1. uma coisa que não deveria existir é PEC…por causa de maioria de 2/3 (ou 3/5?) temporária a constituição vira papel higiênico

          2. Por outro lado, nossa constituição é descritiva demais, em alguns aspectos detalha as coisas de forma absurda e, nesse caso, ou permite-se a emenda à constituição ou a sociedade de 2017 fica refém do que era relevante para a sociedade de 1988.

            Naquele tempo a contagem de votos para presidente levava uma semana inteira, por isso a eleição indireta no caso de vacância de presidente e vice nos 2 anos finais do mandato. Hoje se organiza uma eleição em menos tempo, a contagem de votos é bem mais rápida e envolve menos pessoas. Dá pra reduzir esse prazo para 6 meses, como a PEC que tramita lá.

            Poderiam já ter feito isso em outro momento? Claro! O fato de fazer agora nesse momento é que dá a entender que é oportunismo.

          3. eu sou contra a PEC como um princípio geral, não estou falando de um caso específico

            quanto à constituição ser genérica demais, não acho ser uma razão válida para as PECs, haja vista a constituição americana, ou então a (não existência de ) constituição no Reino Unido

            o fato é que as “jornadas de junho” de 2013 acabaram elegendo um dos piores, se não o pior, congresso sde toda a república, e agora esse congresso, através das PECs, pode acabar com direitos arduamente adquiridos nos últimos 70 ou 80 anos (desde a época de Vargas)

          4. Você me entendeu errado, nossa constituição não é genérica, antes fosse. Ela é analítica. Por ser analítica, prevê situações que hoje não cabem mais, e deve ser reformada periodicamente.

    2. Olha, eu votaria em qualquer um que se comprometesse em barrar as reformas do temer e a aumentar o imposto dos ricos. Enquanto isso, organização nas ruas.

      1. Aumentar imposto do rico? Parabéns! Aí o rico fica fulo, vai embora do país e te deixa desempregado.

          1. exato…

            o que gera emprego é demanda…

            se eu fabrico 1.000 pares de sapato por mês e o mercado não consegue absorver mais, por que diabos eu iria investir para aumentar minha produção para 2 mil pares de sapatos com os cortes de impostos que eu vou receber ?

            vou investir no mercado financeiro, transferir para as ilhas Cayman, etc, o que não vou fazer é fabricar sapato que não vou vender…

        1. Pra cada rico que fica fulo existe outro que vai ocupar o vácuo deixado pelo que saiu, seja concorrência, seja um empresa nova. E, mesmo pagando mais como pessoa física, vai ganhar mais. Prefiro pagar 50% sobre 100 do que 0% sobre nada.

      2. 1. As mesmas reformas que Dilma já defendia, e que, não fosse esse impeachment, ninguém estaria a crucificando?

        2. Mais importante que aumentar o imposto dos ricos, é reduzir a carga tributária que atinge a classe média e os mais pobres (esses últimos, principalmente).

        3. Votaria em qualquer um que se comprometesse em reduzir os inúmeros benefícios dos políticos, salários, cargos comissionados, estatais ineficientes e que só sangram dinheiro, etc. Mas quem é o doido de fazer isso?

        1. 1) Sim, e daí? Ser de esquerda não é ser petista.

          2) Uma coisa não existe sem a outra. Sem aumentar imposto de rico não tem como baixar de pobre. A tributação deve ser sobre renda e não sobre consumo, esse é o único modo de se ter uma tributação minimamente aceitável que não crie distorções.

          3) Defina “estatais ineficientes”. Isso é muito amplo e muito sem sentido. A ineficiência pode ser problema de gestão, de dinheiro (arrecadação/repassa insuficiente) ou de sucateamento voluntário (em busca de privatização). Eu concordo com o resto (políticos etc) mas esse ponto é por demais amplo.

          1. 1. Não tô entrando no mérito de ser esquerda/petista, apenas dizendo algo que provavelmente aconteceria. A medida seria proposta, o povo ia chiar do mesmo jeito, mas não haveria toda essa revolta, movimentos de greve geral e contra a presidente.

            2. Pode ser, num mundo ideal talvez fosse assim. Mas na situação atual, eu vejo que a redução de impostos no consumo traria muito mais benefícios do que a tributação de grande fortunas, num tempo menor (curva de Laffer: imposto menor = preços menores = consumo maior = mais arrecadação). Fora que pessoas mais ricas possuem bem mais recursos e possibilidades para sonegar impostos. Ou estou errado?

            3. Ok, realmente ficou meio vago, eu quis me referir à reduzir a ineficiência de estatais com o objetivo de diminuir o desperdício de dinheiro público. O maior motivo disso, creio eu, é a gestão, onde são indicações meramente políticas, não há preocupação sobre o dinheiro gasto, etc. Sobre sucateamento voluntário, tô por fora disso, mas não vejo a privatização como de todo ruim (só não vou dizer que é a solução pra tudo, como dizem os ancaps).

          2. A curva de Laffer tem um teto, principalmente quando se trata de tributação em consumo. Se você continuar tributando em consumo, mesmo que seja menos tributação, uma hora satura. Sem falar que o Brasil tem uma arrecadação per capita baixa (se arrecada pouco quando comparado com países desenvolvidos) que se concentra nas porções pobres da sociedade, o efeito imediato disso é um país com pouco dinheiro (sim) para manter serviços essenciais como SUS, segurança e educação. O problema é que nossos governantes são postos no poder por corporações, essas corporações sonegam tudo o que podem e, quando pagam, pagam muito pouco pois o Estado é permissivo com elas. Sem uma tributação de renda não tem como sair do atoleiro fiscal que o Brasil está.

            Sobre o “sucateamento voluntário” é suficiente dar uma olhadas nas universidades estatais que, cada vez mais (e diga-se de passagem, desde o governo do PT) estão sendo sucateadas e deixadas de lado em prol da compra de vagas das universidades privadas (PROUNI).

            Entenda que o PROUNI per se não é ruim, pelo contrário, permite o acesso a uma imensa camada de pessoas que não teriam condições de entrar na universidade pública, mas, ele se tornar o carro-chefe do ensino universitário no Brasil é ruim. E é ruim demais.

            Um exemplo bem simples de entender é a pesquisa no Brasil que está numa curva descendente que se acentua cada vez mais pro buraco, e, em todos esses anos de PROUNI e gordas verbas do Estado, as universidade privadas não se mexeram para suprir uma demanda desse tipo – salvo as PUC e algumas ilhas aqui e ali, universidade privada não faz pesquisa no Brasil – pelo contrário, preferiram investir o dinheiro ganho em prédios suntuosos, mais salas de aula (mais vagas = mais dinheiro) e estacionamentos. O que ocorre hoje é um apagão na pesquisa do Brasil.

            Claro que nesse ponto ainda vale mais um PS que é o fato de que não existe no mundo órgão de fomento de pesquisas que se iguale aos Estado, nem nos EUA, que tanto gostam de comparar, temos empresas financiado pesquisa de base, quando muitos, financiam pesquisa final, aplicação no mercado consumidor etc.

            Outro exemplo, aqui no RS por exemplo, é a segurança. O governador do PMDB, O Sartori que inclusive está na delação da JBS por receber, supostamente, 1.5 milhões em propina disfarçada de caixa 2, tinha como meta de governo criar a primeira força de segurança privatizada do país – o que teoricamente serviria de trampolim para Brasília – só que parar isso era preciso criar um sentimento de inutilidade na BM do RS. Como ele fez isso? Congelou salários (de todos os funcionários por 4 anos) e extinguir o concurso público, deixando o déficit de pessoal ainda mais do que era antes dele assumir. Aos poucos Porto Alegre foi galgando o seu lugar nos primeiros lugares dos rankings de violência do país. O latrocínio cresceu como nunca no governo dele. Tudo estava correndo bem até que ele perdeu o controle totalmente e a sociedade + mídia começaram a bater nele o dia todo, a popularidade dele que nunca foi alta caiu abaixo de 10% e ele teve que chamar um monte de PM às pressas e abortar o plano dele – ainda mais depois do turbilhão de Brasília. Problema é que leva 6 meses para formar um BM pronto para as ruas (naquelas) e nesse meio tempo ele teve que chamar a Força Nacional e colocar os soldados do interior na capital (mesmo assim o problema persiste, agora muito mais grave do que era antes e com as facções criminosas dominando bairros inteiros da cidade). Agora o interior, que perdeu homens para a capital, sofre com o aumento da criminalidade (era óbvio né) e aos poucos o governo dele está derretendo.

            Esse mesmo governador também extinguiu uma série de fundações depois de deixar elas sem papel e material de limpeza por meses (algumas, diga-se de passagem, fundações lucrativas).

            Esses são exemplos bem claros de sucateamento voluntário com vistas à privatização.

            Ainda poderíamos falar das teles, principalmente a CRT que, no governo do Britto do PMDB (veja só), foi vendida a troco de banana depois de ser sucateada por quase uma década e, às vésperas do leilão, teve toda a sua malha de comunicação trocada e modernizada, e, finalmente, é bom dizer que o mesmo Britto que a vendeu depois foi ser diretor da Brasil Telecom.

          3. “1. Não tô entrando no mérito de ser esquerda/petista, apenas dizendo algo que provavelmente aconteceria. A medida seria proposta, o povo ia chiar do mesmo jeito, mas não haveria toda essa revolta, movimentos de greve geral e contra a presidente.”

            Isso é muito mentira. O que mais tem é movimento sindical anti-PT. Aqui no RS o PT sempre sofreu muito com os sindicatos, principalmente CPERS, por conta das reformas e modificações que eles faziam.

            Essa sua visão é bastante distorcida.

    3. Jair Messias Bolsonaro! O Brasil precisa de um líder como ele!

      Acerca de outros possíveis candidatos, Geraldo Alckmin e João Dória. O primeiro é um péssimo gestor e político. Não moro em SP, mas frequento esse Estado há bastante tempo e só o vejo piorar.

      Basta analisar bem e ser crítico. Sinceramente, eu não entendo como o pessoal de SP vota tanto nesse cara…

      Abordando um tema específico e bastante importante: segurança. Esse governador está acabando com a Polícia Investigativa. Números de crime só aumentando e número de policiais responsáveis pela investigação diminuindo…

      E embora, obviamente, a Polícia Civil de SP seja a maior no quantitativo de funcionários, sua estrutura é bastante atrasada. Diversos outros Estados já fizeram uma reestruturação nas carreiras, mas SP só postega isso e todo o funcionamento dela é bastante engessado…

      O salário da Polícia de SP é um dos menores do Brasil, sendo que é o Estado mais rico. Os policiais estão há mais de 3 anos sem aumento, inclusive o aumento de acordo com a inflação, assegurado pela constituição federal, é ignorado pelo governador.

      Um exemplo do que acontece atualmente: a carreira mais importante, Investigador, segundo uma lei que estipula a quantidade de cargos (já bastante obsoleta) diz que há mais de 3 mil cargos vagos. Houve um concurso iniciado em 2014 para 1.384 vagas. Esse concurso demorou 2 anos pra ser concluído e, após um ano e meio de homologado, o governador só contratou pouco mais de 700. E as aposentadorias não param…

      Ótimo exemplo de eficiência, não acham?

      Ai fica a pergunta: se ele como governador faz de tudo pra acabar com a polícia investigativa, o que ele faria com a Polícia Federal se virasse presidente?

      Sobre o João Dória, não tenho o que falar. Quiçá seria interessante se ele fosse ministro do governo Bolsonaro.

        1. Se porventura ele se candidatar, embora eu veja que as chances dele ganhar sejam ínfimas, pois a força dele limita-se a SP, eu faço questão de fazer campanha contra ele, mostrando todos os fatos que o tornam um péssimo candidato.

          E, claro, farei campanha de graça pro Bolsonaro.

          1. Alckmin não ganha mais em São Paulo, exceto se houver candidato pior que ele.

            O pessoal cansou da morosidade das obras que não saíram, e do encarecimento do transporte público. Tá um porre o Estado e o pessoal já demonstra o estresse.

      1. eu tenho um grande ponto contra o Bolsonaro. Ele defende a liberdade.
        liberdade de armas de fogo, religiosa, economica….
        mas ele é contra a liberdade sexual do cidadão….???
        então acaba ficando contraditório, entende?
        e eu poderia encaixar nisso qualquer partido que fizesse o mesmo.

        1. Você está completamente errado acerca desse assunto. O Bolsonaro não tem absolutamente nada contra homossexuais. Ele já deixou isso bem claro, inclusive que tem amigos gays! Ele só não quer que os gays incutem na mente das crianças que eles precisam ser gays também, sacou? Já conversei com gays inteligentes que adoram o Bolsonaro e entendem perfeitamente esse ponto.

          1. “Ele só não quer que os gays incutem na mente das crianças que eles precisam ser gays também, sacou?”
            Mas aí que está! isso não faz o menor sentido!!

          2. por que eu poderia utilizar exatamente o mesmo argumento contra o cristianismo… veja…
            “Ele só não quer que os religiosos incutem na mente das crianças que eles precisam seguir uma religião também, sacou?”

            Mas o Bolsonaro e defensores achariam isso absurdo.

          3. Muito simples: essas questões devem ficar a cargo dos pais. Se os pais forem gays, não tem pra onde correr. Mas numa família normal, a escola não deve se meter. E isso se aplica a outras questões, como religião, posicionamento político…

          4. opa, agora estamos entrando num acordo. só que não existe “familia normal”.
            e não há por que controlar tais coisas…mesmo com posicionamento politico e religião.
            as pessoas interagem umas com as outras, lêem livros, assistem filmes….acabam tendo contato com coisas homossexuais, comunistas ou Islâ. isso não deve ser combatido.

          5. Há família normal, sim. Homem e mulher que geraram juntos uma criança. Qualquer coisa diferente disso é anormal. Essa é a realidade. Haver conversas informais entre colegas, amigos dentro de uma instituição de ensino sobre sexualidade, política é uma coisa. Mas haver um professor, alguém responsável por crianças ou adolescentes dizendo certas coisas, isso não deve ocorrer. É preciso haver imparcialidade.

          6. Não…

            – “Família Normal” é um termo que ignora o que realmente faz uma família.

            Você tem familiares “naturais” – àqueles que “o fabricaram”. Mas isso não significa que sua família “natural” lhe aceite – estou colocando uma suposição de fato.

            Tem neste caso agora a “família que cuida”, os “responsáveis”. Diz o ditado: “pai não é quem faz, mas quem cuida”. Não importa quantos homens ou mulheres a familia pode ter. O importante é como a relação é tratada no meio, se há respeito, se há entendimento, se há cultura.

            Tantas vezes vejo “famílias normais” onde as pessoas vivem brigando umas com outras, enquanto vejo “famílias diferentes” onde há respeito, carinho e principalmente, aprendizado.

            Imparcialidade aqui filho é simplesmente entender a seguinte lógica:

            Família é quem cuida, não importa sua formação

            Pergunte a um órfão deixado em um lugar quem é seu familiar. Pergunte a quem foi vendido para outra família quem é seu familiar. Pergunte a um adotado por um casal homossexual quem é seu familiar. As respostas lhe virão com total sinceridade. E imparcialidade.

          7. Que curioso. Parece que você se inscreveu no Disqus só pra me responder.

            Eu nem ia te responder nada. Mas vi esse detalhe e resolvi escrever algo rápido.

            Ok pra sua resposta. Eu concordo. Você abrangeu bastante o assunto, foi muito além da minha mensagem singela.

            Dessa forma, podemos dizer, então, que o “normal” pra mim é “natural” e questão resolvida.

          8. Sim, se para você o normal é natural, ok.

            Mas lembremos: se é tão natural uma família com homem e mulher basicamente, é natural também sexo sem consentimento, estupro, gravidez precoce, etc… etc…

            A partir do momento que você fica em uma “zona de conforto” baseada em conceitos simplistas, ignora a complexidade social humana. As situações que ocorrem, as culturas envolvidas.

            Hoje crianças humanas nascem de relacionamentos sexuais. Ok. Mas também há inseminação artificial, há estudos de clonagem, há várias outras formas imaginadas ou não de nascer um novo ser. Só que por naturalmente sermos animais conservadores, estamos apenas no básico – no máximo pegamos o esperma de um e botamos no óvulo de outra e voilá! E ainda podemos pegar o resultado disto e colocar em um útero de um terceiro!

            Ainda não chegamos ao estágio de um Brave New World onde seres são fabricados em série e ainda catalogados. No entanto, há pessoas que pensam assim de alguma forma…

          9. e outra, de que maneira gays influenciam crianças? eles batem de porta em porta para convidar? passam email? falam em praças sobre as grandes vantagens de seguir a orientação sexual livre?

            gays existem desde a antiguidade, lidem com isso.. reprimir é muito pior.

          10. Não há repressão da parte do Bolsonaro ou de pessoas normais. Cada pessoa deve ter (e aqui no Brasil tem) sua liberdade sexual assegurada. Eu sou hétero, sou eleitor do Bolsonaro (sou do RJ e sempre votei nele), já convivi com gay assumido na universidade e fui inclusive cantado por gays e sempre os respeitei, embora não ache isso normal, nunca tratei mal alguém por ser gay…

            Sempre que há alguma oportunidade, alguns gays perturbados (pois não são todos) aproveitam para seduzir nossas crianças.

            No meu tempo de escola, lembro-me que houve palestras sobre sexo e o assunto era tratado de maneira objetiva para nos ensinar como não contrair doenças, pra evitar gravidez precoce. Já atualmente vemos muitos exemplos de que só falam que ser gay é positivo, que precisam se libertar etc etc… Pra que isso? Isso é completamente inadequado. Se a pessoa é gay, ela será e ponto final. Não é preciso alguém incentivando, ainda mais CRIANÇAS!

        2. Então o direito de dar o cu é mais importante que o direito a liberdade de expressão? Mais importante que a economia nacional?

          1. opa! excelente ponto! tanto o direito de dar o cu quanto de livre expressão são importantes e devem ser assegurados, mas parece que os bolsominions só preocupam-se com isso.

            quanto a economia nacional, isso não fez parte do assunto que eu estava a discutir com o rapaz ai em cima….
            alias, isso não é um problema tão grande, pois basta desregulamentar gradativamente que o livre mercado vai tornar nossa economia competitiva novamente.

          1. Você está falando de um sujeito racista, machista, elitista e apologista da tortura. Um sujeito que já declarou que o problema da ditadura foi ela ter mantido vivos os comunistas.

            Você está lançando um criminoso à presidência da república.

          2. Entre ele dizer que apoia essas coisas e ele fazer de fato há uma distância muito grande. Basta ver tudo o que falavam sobre Trump e o que se concretizou de fato.

            Mesmo que, no pior caso, ele vá fazer uma ditadura, ele vai precisar de MUITO apoio pra isso. Ninguém faz uma ditadura sozinho. E eu duvido que hajam muitos representantes (deputados, senadores, etc.) dispostos a apoia-lo.

            PS.: também acho um absurdo as coisas que ele fala, mas enquanto ele permanecer só falando essas bobagens, ele não vai ter o apoio e nem gente que o leve a sério o suficiente para que ele faça algo de fato perigoso.

          3. Ele nunca prometeu ditadura, nao que eu saiba.
            Se puder me passa o link sobre esta promessa dele.

          4. Também não tô sabendo… mas há pessoas que temem ser presas e torturadas caso ele seja eleito…

          5. Se passei esta impressão nao foi minha intenção, honestidade vai além de pose.

          6. Quando você defende alguém só porque lhe parece honesto (ou você julga como tal), você está indo só pela pose.

            Bolsonaro “soa” honesto baseado em conceitos antigos, arcaicos, atrasados até. Revise seus conceitos.

          7. Pois é, mas muitas das ideias dele me representa.
            Mas respeito a opinião de todos aqui, afinal o que queremos em essência é um país melhor.
            E acho bacana este papo nosso, isto enriquece de mais, e faz a gente refletir.

          8. Sem hipocrisias, acho que todos aqui querem ter um conforto. E só. Não é “um país melhor”. Só querem poder viver sem serem incomodados. E mais nada.

            Infelizmente tenho visto que ideias coletivas no fundo são apenas máscaras de necessidades individuais.

          9. O problema é que os brasileiros estão corrompidos, você encontra mais brasileiros dizendo que também roubariam se fosse presidente sendo que o certo seria o contrário.

          10. Ai que está meu amigo, parecer não quer dizer que ele é, e nao tem ninguém melhor lá.

          11. Disponha: http://jovempanfm.uol.com.br/panico/defensor-da-ditadura-jair-bolsonaro-reforca-frase-polemica-o-erro-foi-torturar-e-nao-matar.html

            Não só de tiro, porrada e bomba que a plataforma de Jair funciona. Com passagem pelo Exército, Bolsonaro defende os anos de Ditadura Militar. “Naquela época existiam grandes debatedores. O período de 64 foi pintado errado pelo PT. Quem tem dúvida, pergunte para o vovô. E veja como o Brasil era naquela época e compare com hoje em dia”, analisou.

          12. Minha avó morou em são paulo e diz que tinha muita violencia por conta de baderneiros que queriam tomar o poder.
            Ela pode ate estar errada, mas….

          13. Sim, tal como estava falando para outra pessoa, temos que ver todos os lados da história. Sua vó via assim, e sinceramente, gostaria muito de saber muito mais sobre sua avó do que ela achava da época, pois precisamos de relatos de todos os lados.

            O avô do outro foi sequestrado por ter “sido confundido com um baderneiro”, sendo que provavelmente não o era.

            Entende o problema aqui?

          14. Amado batista foi confundido também, mas as amizades dele eram da linha de frente do comunismo.
            O socialismo em si é muito bonito e se funcionase seria um pais perfeito, mas infelizmente não funciona.

          15. Acho que você entrou na velha retórica do “socialismo vs. qualquer coisa”. Duas coisas para você entender:

            – Socialismo per si ou capitalismo per si não resolve problema nenhum. No entanto, entender detalhes do que cada “sistema” tem pode ajudar a montar algo melhor.

            – A partir do momento que você entende que há inúmeros outros tipos de pessoas, cada um com sua mentalidade, e não formas simplistas e binárias de pensamentos, talvez você entenderá melhor um pouco esta situação.

          16. Se o comunismo fosse bom o resto do mundo seria comunista.
            Obs: Minha esposa é Negra e apoia mais ele do que eu.

        1. Comunista tem que morrer tortura é pouco tem que ser fuzilado.

    4. Nas ultimas eleições eu já votei nulo pois não acreditava em nenhum dos candidatos.
      Me assombra a quantidade de gente pedindo pela volta da ditadura militar.
      Algo totalmente absurdo. Hoje temos um governo ruim e podemos falar mal e fazer piada dele. Imagina colocar (de volta) no lugar um regime que proíba fazer isso!
      As pessoas estão ficando desesperadas e vão acabar tomando medidas desesperadas sem pensar nas consequencias. Faltou aulas de história! Já passamos por situações muito piores. Não queria ver o Brazil repetir essas coisas.

      1. Como eu disse, eu hoje não tenho candidato… A não ser que o Joaquim Barbosa se lançasse à presidência, e ainda assim eu teria que ver o plano de governo dele e qual partido ele se filiaria

        1. o Aécio…., estava falando com um camarada meu ontem…. tanta gente pediu para o Aécio salvar o pais e no fim ele estava envolvido em toda essa sujeira. hahaha.
          as pessoas deveriam parar de ter politico de estimação.

          1. Na verdade ele era muito pior do que outras alternativas. O linguajar dele é de bandido, no pior estilo mafioso.

            Falam muito mal das falas da Dilma (inclusive eu a critico), por não ter um pingo de preparo e argumentação, mas, pelo menos por todas as gravações que saíram ela não tinha essa alma de mafiosa e nem queria matar ninguém.

            Espero que as investigações avancem e gente como Lula, Aécio, Temer e Dilma paguem pelo que fizeram com o Brasil.

          2. No entanto, Dilma tinha por trás das costas o Lula. Dilma pode ser uma pessoa delicada nas atitudes, mas se notar, deixou nas mãos alheias a responsabilidade dos problemas de fundo. Se analisar, é a métrica padrão da política brasileira: grandes cabeças expostas, testas de ferros e costas largas por trás.

          3. Mas ele sempre esteve. O ponto é que ele sempre buscou discrição, além de ter uma “costa larga” boa o suficiente (a irmã jornalista). Caiu ela, caiu o mundo dele.

      2. Acho que uma parte desse pessoal que pede a volta da ditadura é de gente que viveu alienada naquele tempo e não fez parte de nenhuma militância ou nunca foi pro pau-de-arara. Pra eles, obviamente o regime era bom, já que os militares censuravam toda informação negativa.

        A outra parte (e acho que a maioria) só segue a manada mesmo. Prova disso é uma pesquisa recente da Globo sobre a novela das 23h que revelou que o público não sabe o que foi a ditadura. E mais além: Também não sabiam quem era D. Pedro ou que o Brasil já foi uma colônia portuguesa.

        1. A massa de analfabetos, funcionais ou literais, é assustadora. Felizmente vejo aqui e ali algum jovem demonstrando interesse em aprender sobre tudo, inclusive história

        2. Teve uma época que pensei que poderia voltar a ditadura. De fato, o que noto é que nunca houve também pesquisas a fundo sobre como as pessoas viviam na ditadura à Brasileira que tivemos. Até agora só vi relatos do pessoal contrário a ditadura, o que não é desmerecível e precisamos deles realmente para nossas correções históricas.

          No entanto, ao que noto, quem viveu a época da ditadura sem mexer com política ou movimentos partidários, parece que ao menos viveu sem tanta encrenca. Se ver documentários brasileiros dos anos 60-80, vemos um país até que sossegado que buscava algum rumo mínimo. Os paus-de-arara cortando rodovias e levando trabalhadores braçais para fazer crescerem as cidades. Ou construindo (sem dinheiro próprio – lembrando que houve uma época que só vivemos só de empréstimos, justamente a era da ditadura) rodovias e outras infraestruturas…

          De qualquer forma, acho que faz falta um debate justamente de quem realmente achava a época da ditadura brasileira “uma boa”. Sério, pois não noto uma grande unanimidade sobre este assunto – quem realmente viveu tal época não é bom de conversa e hoje está preocupado com sua aposentadoria.

          1. “No entanto, ao que noto, quem viveu a época da ditadura sem mexer com política ou movimentos partidários, parece que ao menos viveu sem tanta encrenca.”

            Hmmm, não.

            Primeiro de tudo, é um regime de exceção e como tal deve ser combatido e evitado a qualquer custo.

            Segundo, as coisas não era lineares – humanos não são – e enquanto alguns quartéis “apenas” pegavam os militantes políticos, outros pegavam qualquer um que estivesse passando pela rua e eles não fossem com a cara – coisas o poder ilimitado. Um caso verídico é de um tio meu que sumiu em 69 porque estava com uma camiseta do Uruguai, Jamais ofi encontrado e a alegação dada pela delegacia foi de que “ele estava cometendo ato subversivo contra a pátria ao andar promovendo outros países” ou algo assim (me lembrei de cabeça).

            Sem falar que no campo econômico a hiperinflação dos anos 90 é fruto da ditadura, assim como o salto da dívida pública e o nosso atraso de 30 anos em termos de pesquisa e tecnologia (lembre-se: reserva de mercado). Sem falar na corrupção constante para tudo – desde abrir uma padaria no bairro até importar um vídeo-game pro filho, tudo precisava ser na base da propina.

            O Brasil ditatorial era um país sem rumo econômico, estagnado tecnologicamente e completamente ilhado do mundo. Um paralelo porco seria com a Venezuela atual (para desespero dos conservadores).

          2. Se as pessoas buscam evitar sem compreender os porquês daquilo ter durado tanto tempo, sempre haverá pessoas defendendo aquilo novamente pois nunca houve exposições a fundo de o que realmente aconteceu.

            Pode ser exposto toda a mazela ocorrida com quem era contrário ao regime excludente, no entanto, lembremos também que o resultado de quem “foi salvo” deste regime excludente é o sistema político atual, de onde se originaram muitos que antes foram exilados, eram filhos de pessoas importantes da época ou tiveram alguma influência política.

            A corrupção e problemas sociais não foram alteradas com a alternância de ditadura por democracia. Não por completo.

            Meus pêsames quanto ao seu tio. Provavelmente posso compreender o porque de seu trauma com o regime ditatorial com esta passagem. No entanto, é um caso de vários também.

            O que só quero colocar aqui, é que se olhar apenas do lado “ditomico” (bem vs. mal) e ignorar o porque das pessoas elogiarem a ditadura, não vamos ter no futuro pessoas realmente sendo contrárias a ditadura.

          3. Acho que não existe bem vs mal nessa questão, apenas a defesa da liberdade do ser.
            Tentar minimizar o quão absurdo foi o regime amenizando as passagens dele pelas vidas de diversas pessoas com uma relativização de que não piorou/melhorou após é perigoso no meu ver porque abre o precedente para que muitas pessoas acreditem que naquela época trocávamos a liberdade por segurança, por exemplo (é um discurso comum, que normalmente vem acompanhado da narrativa da suavização do regime).

            As pessoas que elogiam a ditadura normalmente entendem que é uma troca de segurança por liberdade, de costumes rígidos (conservadores) em detrimento de uma sociedade mais plural/diversa e que dialoga e discute mais.

            Acho que a comissão da verdade é/era um passo importante para entender essa questão.

          4. Relativizar deixa as coisas mais claras, abertas, limpas. Justamente abre espaço para que quem defina o que foi bom ou ruim, ou seja a experiência que a pessoa teve ao acompanhar as informações tanto positivas quanto negativas da ditadura. Nisso a pessoa pode jogar na balança os valores que quer para o futuro.

            Toda e qualquer forma autocrática surge quando justamente a liberdade exagera em suas definições e “direitos”. A polarização atual política mostra isso: as pessoas estão cansadas do discurso de liberdade sem retorno, sem certeza, sem igualdade.

            Ninguém se entende pois todos estão buscando seu espaço contrariando o outro. O cara que não tem nada atropela quem tem algo pois quer algo. O cara que tem algo tem medo de outros que não tem nada. Alguém resolve isso? Não. Não foram os “exilados da ditadura” que resolveram os problemas sociais. Eles foram amenizados, mas sem resolução clara. Estagnaram.

            E não falo em volta da ditadura. Se bem que ditaduras podem ter varias faces, inclusive faces disfarçadas de democracia. Falo apenas de jogar as pessoas que dizem sobre “experiências positivas” da época da ditadura e entender o porque delas defenderem. Só. Nisso se compreende um pouco da mentalidade da época, talvez algo que faça falta nestes tempos também.

          5. Mas a maioria das pessoas que diz que era bom diz exatamente o que eu falei: naquele tempo não tinha corrupção, não tinha bandidagem e não tinha vagabundagem.

            Isso tudo é errado, sob todos os pontos, principalmente o da corrupção. A ditadura militar foi uma época de corrupção em larga escala e de obras faraônicas. A bandidagem existia também, porém, eram os anos 60/70 sem o estouro do crack e de outras drogas, não tem como comparar com o momento atual.

            As pessoas que querem a volta da ditadura a querem por falta de informações e por uma educação de caserna – uma evidência anedótica: eu conheço vários milicos e policiais que querem a volta da “rigidez militar” nas escolas. Esse discurso de “só o Bolsonaro e uma ditadura militar pra endireitar o Brasil” traz consigo esse sentimento de violência contra quem pensa diferente. Ou, o que mais seria endireitar o Brasil senão bater e prender todo mundo que se coloca contra o conservadorismo que eles defendem?

            ” polarização atual política mostra isso: as pessoas estão cansadas do discurso de liberdade sem retorno, sem certeza, sem igualdade.”

            As pessoas querem que a volta do que elas consideram certezas, direitos e igualdade (igualdade muitas vezes sendo desigualdade antiga, como era nos anos 50/60).

            “Ninguém se entende pois todos estão buscando seu espaço contrariando o outro. O cara que não tem nada atropela quem tem algo pois quer algo. O cara que tem algo tem medo de outros que não tem nada. Alguém resolve isso?”

            Sim, isso é sociedade, principalmente quando falamos/tratamos de um corpo social como o brasileiro, com quase uma formação escravocrata e de elites acostumadas a benesses e privilégios quase ilimitados. Esse atrito vai existir, não tem como a sociedade sair do atual estágio de desigualdade do país sem que ocorra atrito, sem que ocorra luta. Não tem como se alcançar nada disso por via pacífica quando um lado detém quase todo o poder econômico do país.

          6. Tudo bem, se você acredita em que não se resolva por via pacifica, por favor faça um favor a todos e dê um tiro em cada um de que você julga que está fazendo errado pela sociedade. Vamos resolver as coisas de forma mais simples e prática do que esta “luta de classes” que apenas cansa e faz sofrer muita gente.

      3. É isso mesmo.

        O desespero.

        A república democrática brasileira não existe. O país está dominado pela violência, corrupção e mentiras. Não existe futuro.

        1. Nossa. Imagine então o futuro de países que encontram se em situação ainda pior.

        1. Primeiro, apenas ela e Eduardo Jorge mostraram um plano de governo na última eleição (foi um absurdo ver aqueles dois rumo ao segundo turno sem dizer claramente o que pretendia e ainda com a cara de pau de atacar quem apresentou – também revela o quanto o povo brasileiro é facilmente manipulado).

          Em segundo lugar tem uma postura diferente dos políticos que há anos estão sob acusações e não conseguem se explicar (vide Lula, Aécio, Dilma, Serra, Gleysi e tantos outros).

          O terceiro ponto é sua visão de país. Vejo que os principais grupos políticos do país (esquerda (PT/PSOL) e direita (PSDB/DEM) além do PSDB que se vende por qualquer trocado) não tem o mínimo respeito e visão de país. É absurdo a esquerda querer prejudicar o país em nome de uma ideologia (como faz atualmente desde o impeachment – e vem com a baixaria de falar em “golpe” quando se seguiu todo o rito atualizado pelo supremo). Da mesma forma, a direita prejudicou como pode o governo do PT/PMDB. Não vejo uma outra pessoa com uma visão além do próprio umbigo, capaz de conversar com os vários setores da sociedade e ter humildade de reconhecer os avanços de ambos governos.

          Já em 4o lugar foi alguém que há anos trouxe a necessidade da discussão de uma reforma política, que por sinal do mostra extremamente necessária e tanto o governo do PT/PMDB quanto do PSDB/PMDB não tiveram muito interesse em realizar. A Dilma, por sinal, perseguiu o quanto pode para impedir a criação do partido idealizado pela Marina.

          Portanto, rsses são os pontos principais, um caminho para para o Brasil, postura decente de alguém que não está envolvida nos escândalos de corrupção, visão de país longe da arrogância da última presidente disposta a pacificar as discussões e com visão de futuro. Lógico que existem problemas em qualquer pessoa, mas, entre as opções, não vi até agora outra pessoa que de fato pense no Brasil como estadista além dos seus próprios interesses.

    5. Olha, tá difícil de candidato, viu. Se “empurrassem” o Doria para uma possível candidatura, eu votaria nele, apesar de todas as críticas. Outra pessoa que eu votaria seria o Romario, que aparentemente vem fazendo um bom mandato como senador. Porém, em ambos os casos, tenho minhas dúvidas se eles estariam realmente preparados e se eles chamariam a atenção da população, comparando com os candidatos que provavelmente estão cotados para 2018.

      1. Dá uma lida com calma nas mídias paulistanas. Doria fala demais e faz pouco cara. Não vira não.

        1. Hmm. De fato, eu teria que pesquisar um pouco mais pra saber.

    6. Já descartaria quem se vende como herói ou gestor/gerentão.

      1. E se o cara for de fato um gestor/gerentão, tipo um CEO de um Nubank ou coisa que o valha, você consideraria como uma opção?

          1. Quer dizer que se você por acaso criar uma empresa de sucesso e passar a empregar muitas pessoas então você passará a se considerar bandido?

      2. E se cala diante da corrupção de companheiros de partido.

        O mais interessante é o ódio que ele tem do Lula (vive aos gritos dizendo que ele é bandido), mas, está caladinho em relação ao Aécio.

    7. De bate pronto não tenho nenhum, mas vejamos as opções da mídia:

      – Bolsonaro: Fanfarrão e indelicado demais. Nada diplomático. Não está na minha lista.

      – Lula: pelamor, errar três vezes é suicídio.

      – Geraldo Alckmin: não… não mesmo.

      – Dória: falador passa mal. Prometeu muito e tá cumprindo muito pouco. Só ver o fim de lua de mel da imprensa paulistana.

      – Luciano Huck: para quem já viu os problemas que ele teve com seus “programas de auxilio” (Lata Velha e Lar Doce Lar), já imagina o desastre da gestão dele.

      – Marina Silva: ela me soa morosa demais, mas ainda assim entraria com ressalvas na minha lista de provável voto.

      – Eduardo Jorge: igual Marina.

      – Fernando Haddad: mesmo dentro do PT, é uma boa opção. Ele é razoavelmente ponderado, talvez faria uma gestão boa de ajustes. Notei que São Paulo ficou razoavelmente bom com ele. Além de ele ser diplomático.

      1. Concordo com relação ao Haddad, acho que ele fez um governo interessante, embora na minha visão tenha lhe faltado bom senso em muitas decisões – colocar ciclovia no meio da Iguatemi foi ridiculamente estúpido, ele praticamente pediu pra ciclista morrer. E de fato houve acidentes fatais envolvendo ciclistas após a implantação da ciclovia na Iguatemi. Porém ele está envolvido em corrupção, dados os depoimentos recentes da Lava Jato que andam entregando todo mundo

        1. Digo-lhe uma coisa que acho que as pessoas ainda não se tocaram: TODA, MAS TODA A POLÍTICA BRASILEIRA ESTÁ SUJA! pois depende de dinheiro para ser feita as publicidades necessárias, para dar “os 50 reais de quem vendeu o voto”, “a ajudinha para levar o cara no hospital”, etc…

          Não há alma limpa por aqui não. Não é a toa que o pessoal busca anistia para o Caixa 2.

          1. Não é bem assim também.

            Se política fosse um jogo fácil, não teria suas regras. “Se candidatar” é também “eleger alguém que nos represente”. No entanto, somos milhões de brasileiros, e temos que escolher um só para representar isso tudo.

            Outro problema ainda, que voltando o comentário anterior, é a questão da nossa própria moral. Muitos de nós votamos por interesse próprio também. No fundo, desejamos que o líder em questão respeite nossos gostos, desejos e necessidades. Mas alguns vão a mais além disto e usam seu voto como moeda de troca. Procuram políticos para vender seu voto por algo que precise no momento. E isso é notório em comunidades carentes ou locais que faltam apoio legislativo para isso – favelas, ocupações irregulares, comunidades indígenas, etc…

            E o poder corrompe. As eleições de 2016 para mim consegui ver o que é ver amigos (ou melhor, colegas) virarem políticos eleitos. Eles não voltam a ser os mesmos de sempre. E nisso eles acabam sendo alvos do próprio ego, e comidos pelo mesmo.

            Muitas pessoas em um lugar tornam o lugar impessoal. Pessoas viram coisas. E coisas, bem…

          2. Eu penso que é por aí sim.
            Tem quem se corrompa? Ok. Talvez a maioria? Ok. Isso não impede que alguém incorruptível se eleja.
            Penso também que político não deve ser tratado como estrela pop (me referindo aqui a votar de acordo com o próprio gosto). O critério deve ser o programa de governo – já considerando que se trata de alguém honesto.

          3. A corrupção vai do caráter da pessoa, nao que isto não possa acontecer, eu por exemplo roubei um hd quando adolescente, felizmente nao consegui dormir e para ter sossego nas minhas noites de sono entreguei.
            Uma experiência traumática para mim que me fez enxergar quem eu realmente era, isto foi o lado positivo esta experiência.
            Mas para escolher candidato eu geralmente vou somando pontos nas qualidades, propostas entre outros.

          4. Uau. Que bom que você consegue se abrir facilmente sobre o assunto. Certamente é algo superado.
            Sobre os candidatos, eu espero que você analise o plano de governo do senhor Bolsonaro, caso a candidatura dele se concretize. Eu desconfio que ele terá diretrizes semelhantes às do Trump – fechar as fronteiras, taxar produtos estrangeiros pra tentar trazer fábricas para o Brasil, ameaçar de expulsão os ilegais (devem ser muitos, não sei). Se for isso mesmo, será um plano que pouco ou nada aborda os problemas brasileiros de estados inflados, burocracia, carga tributária pesada sobre o consumo, educação pífia, péssima distribuição de renda, insegurança generalizada e vários outros.

          5. Ok, já sabemos que você vota no Bolsonaro. Não sei se notou, mas muita gente aqui não curte ele, e gostaríamos muito que você entendesse os porquês.

            Ser honesto, como já falei, não é só pose. É complexo isso. Não é pegar e e roubar um HD que significa que você não é honesto. Decidir roubar algo tem seus motivos, e cabe a cada um analisa-lo para definir per si se foi válido tal necessidade. Não se esqueça que honestidade é um valor moral e não é fixo. Depende da sociedade onde se encontra.

            O problema no seu discurso é ir na dictomia “honesto vs. ladrão”. Quer dizer que um cara que rouba um HD não é honesto, mas e um cara que puxa pirata é? E um cara que cobra caro pelo seu software (ou mão de obra) é? A discussão vai além disso e não pode ser resumida em honesto vs. ladrão.

          6. Eu respeitei a decisão de vocês, pelo que pude ver aqui são todas boas pessoas buscando um pais melhor, eu sou como vcs mas com ideias um pouco diferente, no final queremos apenas um pais mais rico, rico na saúde, educação, segurança e em tantas outras coisas.

          7. O Bolsonaro no momento é a melhor opção, justamente por não ter outra, quem sabe apareça alguém que me surpreenda? Se aparecer, troco meu voto numa boa.

          8. Eu votaria em vocês só por este papo que tivemos, mas antes teria que ver e analisar as ideias.
            ?

          9. Não há. Não existe honestidade no Brasil.

      2. É muito amor a bandido defender o Haddad e comparar Marina a o Eduado Jorge…

        1. Haddad pode ser do PT, mas ao menos é um dos poucos “equilibrados” dentro do partido.

          Marina e Eduardo são legais e já votei neles no passado, no entanto eles me soam “quietos” demais. É o que menos precisamos hoje.

  9. Saindo da tecnologia:

    Quando vcs veem que está na hora de acabar um relacionamento?

      1. Não acho que seja a hora, pode ser apenas um indicador, um sinal amarelo…

    1. Acho que tu perguntou isso aqui uns meses atrás e a galera respondeu dando umas dicas, contando experiências e tal. Se nesse tempo todo a situação não se resolveu, então acho que não trago boas notícias…

      1. ahhh é verdade, tinha esquecido.

        É complicado, conversei com minha mãe sobre, ela disse que isso é medo do desconhecido, caso termine eu ficarei na dúvida como seria se continuasse.

        1. E se você continua, ficará na dúvida como seria se terminasse. Ahhh essa liberdade de escolha que “complica” nossa vida…

    2. Em síntese, podemos dizer que pra um relacionamento interpessoal íntimo dar certo são necessárias basicamente duas coisas: os objetivos do casal precisam confluir e haver atração sexual. No meu último relacionamento, terminamos porque tínhamos diferentes expectativas da vida, embora nos entendêssemos no sexo, mas não era suficiente.

    3. Acho que a partir do momento em que um dos dois (ou os dois) não consegue encontrar uma solução para um possível erro/conflito do casal. Eu acho que em todo relacionamento há erros pequenos, que podem ser relevados, erros que podem ser consertados com esforço mútuo. Mas se houver um erro em que um não está disposto a (se) corrigir para o bem da relação, aí seria o caso de pensar no término mesmo.

      Não sei se ficou claro, hehehe, mas é minha opinião.

Os comentários deste post foram fechados.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário