Post livre #66

Dois balões de diálogo.

Todas as sextas o Manual do Usuário publica um post sem conteúdo, apenas para interagirmos, nos comentários, conversando sobre quaisquer assuntos.

Acompanhe

Newsletter (toda sexta, grátis):

  • Mastodon
  • Telegram
  • Twitter
  • Feed RSS

264 comentários

  1. Quase fechando os comentários aqui, mas lembrei de algo que perguntei faz um tempão em outro post livre e acabou se resolvendo sozinho: falhas de conexão entre smartphone e o som Bluetooth do carro.

    Recapitulando para os que não se lembram, a zica era que quando eu saía do carro e depois retornava, a conexão era feita automaticamente, mas a música ficava dando travadinhas que tornavam impossível continuar ouvindo.

    Pois bem, melhorou. Agora, ao reconectar o som ainda apresenta as velhas travadinhas, mas elas duram um ou dois segundos e aí a música encontra o “tempo certo” e fica normal.

    Não fiz absolutamente nada fora atualizar o iOS. Também levei o carro para a revisão, mas, se não me falhe a memória, a melhoria aconteceu antes disso — e tenho quase certeza que não mexeram em nada do som nessa revisão. O que me deixa encafifado é que esse problema também se manifestava com aparelhos Android. Vou tentar com algum, quando der, para saber se o carro melhorou sozinho ou se foi alguma coisa nas últimas versões do iOS que corrigiu isso.

    1. As duas caixas e som da Logitech estão com um pequeno delay na conexão… Daí qdo se vê um vídeo está sem sincronia. Nem imagino o q seja.

  2. Quase fechando os comentários aqui, mas lembrei de algo que perguntei faz um tempão em outro post livre e acabou se resolvendo sozinho: falhas de conexão entre smartphone e o som Bluetooth do carro.

    Recapitulando para os que não se lembram, a zica era que quando eu saía do carro e depois retornava, a conexão era feita automaticamente, mas a música ficava dando travadinhas que tornavam impossível continuar ouvindo.

    Pois bem, melhorou. Agora, ao reconectar o som ainda apresenta as velhas travadinhas, mas elas duram um ou dois segundos e aí a música encontra o “tempo certo” e fica normal.

    Não fiz absolutamente nada fora atualizar o iOS. Também levei o carro para a revisão, mas, se não me falhe a memória, a melhoria aconteceu antes disso — e tenho quase certeza que não mexeram em nada do som nessa revisão. O que me deixa encafifado é que esse problema também se manifestava com aparelhos Android. Vou tentar com algum, quando der, para saber se o carro melhorou sozinho ou se foi alguma coisa nas últimas versões do iOS que corrigiu isso.

      1. A neve, quando congela, faz com que o carro perca totalmente o atrito com o chão. E você pode estar a 5 Km/h e ainda sim, a inércia não lhe permite parar. Chega a ser aterrorizante, é não ter controle algum sobre uma máquina de metal de quase 2 toneladas.

    1. A questão da legalidade a parte, isto é toda uma outra discussão. Acho brilhante a maneira dela e de seu antecessor de evitar falar sobre certos assuntos mesmo atacando o entrevistador.

        1. É necessário muita eloquência e cuidado com as palavras para evitar assuntos desse jeito. É algo para poucos.

    2. o entrevistador é assim tb qdo tem um machinho de gravata ou talvez um sheikh na frente dele ou só as mulheres despertam o ‘melhor’ nele?

      1. Em todas as suas entrevistas com grandes personas, sempre que tentam fugir da questão ele pressiona.

  3. Pessoal, quais trilhas sonoras de filmes, séries e jogos vocês consideram boas?

    1. Cara, não sou muito versado em cinema ou mesmo nos jogos mais modernos, mas sempre que penso em trilha de jogo, sempre lembro de dois:

      Lotus Ultimate Challenge – Acho que tem umas 5 faixas que acho muito fodásticas, principalmente agora que o rodo no DOSBox com emulação da Roland MT32

      Tomb Raider, o original da década de 90. Aquela música da abertura dele me hipnotiza até hoje.

    2. a trilha do filme ‘crash’ é boa, a do ‘lost in translation’, a do ‘donnie darko’, a do ‘dreamers’, as dos filmes do louis male. a trilha do mr. robot é muito boa. poxa… tem bastante coisa.

      1. pode ir mandando mais aí
        to montando uma playlist só com essas músicas

      2. pode ir mandando mais aí
        to montando uma playlist só com essas músicas

    3. Recomendo as trilhas sonoras de Halo 4, Scott Pilgrin e One Piece (orquestra sinfônica).

    4. Músicas de jogos de Sonic são sempre viciantes. A fanbase costuma até dizer: “o jogo pode até ser ruim, mas a trilha sonora nunca decepciona”.

      Se quiser, posso te indicar algumas faixas e OSTs aqui.

    5. Músicas de jogos de Sonic são sempre viciantes. A fanbase costuma até dizer: “o jogo pode até ser ruim, mas a trilha sonora nunca decepciona”.

      Se quiser, posso te indicar algumas faixas e OSTs aqui.

    6. Tô apaixonado pela trilha de Crypt of the Necrodancer spotify:album:46XBodEMc5dbor2odnjJUq

    7. Gosto bastante das músicas do Megaman, principalmente da série Zero. A música do último chefe do MMZ3 (Cannonball) é sensacional.

      Também tem todas as músicas incríveis do igualmente incrível Full Throttle.

    8. tenho uma pasta dedicada pra isso.

      (2000) O Brother Where Art Thou (OST) @320 with Cover Art! (Inert01)/
      2007 Hot Fuzz/
      A Clockwork Orange/
      Almost Famous soundtrack/
      Backbeat Band – Backbeat/
      Blow – 2001 – Soundtrack/
      Boogie Nights OST/
      Cowboy Bebop OST/
      Detroit Rock City/
      deuses da guitarra/
      Guardians of the Galaxy – Soundtrack & Awesome Mix Vol. 1 – MP3/
      Irish Punk Drinking Songs Compilation/
      Jazz And ’70s/
      Kill Bill Vol. 1 Soundtrack/
      Les Paul & Mary Ford, ‘The World Is Waiting For The Sunrise’ + 18 Hits/
      O Fabuloso destino de Amelie Poulain/
      OST – Stand By Me/
      OST-The_Life_Aquatic_with_Steve_Zissou-2004-iRF/
      Pulp Fiction-OST/
      Repo Men (2010) OST/
      Rock_Star_Soundtrack/
      School_Of_Rock/
      Sucker Punch – Movie_ Soundtrack (2011)/
      That.Thing.You.Do.OST/
      The Boat That Rocked OST/
      The Mask [Original Soundtrack]/
      VA – CBGB – SOUNDTRACK [OST] 2013/
      V.A. – Crazy Heart OST [2010]/
      VA – Hot Tub Time Machine OST/
      VA-Kick_Ass-OST-2010-TosK/
      Vanilla Sky/
      Various Artists – Punk Goes Classic Rock (2010) [h33t] vtwin88cube/
      VA-Rock_Of_Ages-OST-2012-C4/
      VA – Scott Pilgrim vs. the World – 2010/
      VA-Stranger_Than_Fiction-OST-2006/
      VA-The_Devils_Rejects_OST-2005-MUSiQ/
      VA – The Dreamers (Soundtrack)/
      VA – The Great Rock-N-Roll Collection (3CD) (2009)/
      VA-The_Runaways-OST-2010-VAG/
      VA-The_Watchmen_(OST)-2009-MTD/
      Ventures/
      Vivaldi As Quatro Estações/
      Wanted (2008) – Danny Elfman/
      Warm Bodies Soundtrack/
      Wayne’s World [OST]/

    9. recomendo um programa da rádio cultura fm de sp, o super8. é só sobre trilhas.

    10. Essa vc já deve tá mais que ligado, mas a trilha do jogo hotline Miami é muito boa.

    11. Essa vc já deve tá mais que ligado, mas a trilha do jogo hotline Miami é muito boa.

  4. Pessoal, quais trilhas sonoras de filmes, séries e jogos vocês consideram boas?

  5. Estou testando o Amazon Prime diretamente na minha TV e que app ruim, principalmente comparado ao netflix. Pouca coisa se salva.

    Entretanto acho que darei chance ao serviço porque o catálogo inclui Community, Mr Robot e alguns filmes.

    1. Porra, não liberou o APP na minha TV ainda, então acho que vou cancelar a assinatura, que tinha feito justamente por causa de Mr. Robot, voltarei ao meu AmazonTorrent kkkkkkk, já que o netflix não tem essa série

    2. Interessante. Queria mesmo sabe rum pouco sobre o aplicativo, mas, acho que não vale o trabalho de substituir o Netflix.

  6. Vocês já perceberam que a sessão Trending/Em Alta do youtube parece mais uma sessão de vídeos patrocinados ?

    Dos 10 primeiros vídeos, apenas 3 tinham visualizações significantes pelo tempo, a maioria ~24 horas e a grande parte com visualizações ínfimas perto do resto, alguns com 25 mil, mas todos esse que parecem estranhos são de grandes empresas, principalmente trailers.

    1. Eu entrei nessa aba quando ela apareceu e fiquei traumatizado. Não é o tipo de coisa a que assisto. Nunca mais acessei.

      Mas o que talvez explique essa variação nos contadores de visualização é o potencial que cada vídeo tem. Se um recebeu 20 mil visualizações em três dias, e outro recebe cinco mil com apenas duas horas no ar, mesmo tendo bem menos visualizações o segundo tem um potencial maior.

      (Sei lá se é assim, é só uma hipótese.)

      1. Eu consigo entender isso, muitas visualizações em um curto espaço de tempo, mas vi, no trailer do homem aranha, está no ar a 2 dias, e tem aqui 95 mil views, isso para o YouTube, é pouquíssimo. Ainda mais quando tem-se um vídeo de um Youtuber(?) há 4 horas no ar que já tem 500 mil. Isso eu consigo entender, mas são vários os casos de vídeos que para uma escala que a plataforma considera altos, eles estão lá, mesmo sendo extremamente pequenos na escala da plataforma que diz que se precisa de milhões de views.

    2. a minha tela de vídeos q o youtube recomenda é vexatória. muita porcaria mesmo. coisa q eu jamais consumiria. teve uma professora, ivana bentes, há uns dez anos, nos primórdios do youtube, disse q ele era o esgoto da internet. eu achei exagerado e talvez o youtube sozinho já não represente mais a podridão da rede (talvez o face seja o atual esgoto), mas eu fiquei muito contrariado com a afirmação, pq via muita coisa boa ali (e besteirol tb). só q nos dias q correm, cara, é quase incontornável vc não se deparar com coisas grotesca. e, pelo q eu saiba, qdo se abre a tampa de bueiro, não há flores ali.

      1. Na minha constante batalha pela privacidade, abri mão da minha conta do Google, os canais que sigo se baseiam exclusivamente no Feed RSS em capturar um novo vídeo, funciona bem mas não sempre. Então meu youtube cada vez que entro são sugestões completamente diferentes. Mas hoje por acidente entre no Trending e pareceu mais para mim uma forma de promover vídeos de grandes marcas do que mostrar conteúdos que de fato estão ganhando tração na plataforma.

        1. tinha aquele lance do youtube não dar grana, né? pelo visto eles acharam uma forma de dar. e não à toa há gente sendo remunerada (mais concentração de renda aí). eu tb desativei os históricos e fico nessa batalha. então nunca q vai bater como meu gosto pessoal. mas o q ele sugere, às vezes, é coisa indecorosa, desprezível, abjeta e outros adjetivos q me escapam pra descrever o quão horrendo é vídeo de gente sendo humilhada em programas de tv ou conteúdo feito por anônimos q se expõem a si e outros a ignominias pra ter alguma audiência. e, claro, tem o lixo comercial feito por empresas grandes, mas essas estão na tv tb, então…

          1. com certeza, pq o modelo q toda essa geração, mesmo as mais jovens, tem é o da tv (q se apropriou de muitos elementos do rádio). não tem nada de referência antes da tv pra usar… teria o cinema, mas isso é impraticável e mesmo o cinema mudou e se aproximou da tv. a tv é a grande referência e ainda será. silvio santos terá sobrevida de centenas de anos, pq veja qtas crias ele tem hj e já dá pra projetar q muitas outras cópias virão. assim como todos eles reverenciam o chacrinha, q eu só vi na infância, e não tenho memórias consistentes… qdo vejo felipe neto e kefera (futuros bojacks horsemans da vida real) eu poderia pensar, nossa, olha aí uma novidade, mas não… é uma continuidade q eles não quebraram, ao contrário, reafirmam todos os dias já q querem ser celebridades. vc cancela a assinatura da tv, mas ela te persegue no twitter, com os ecos do masterchef ou coisas do tipo. a tv ainda é base de tudo como foi o rádio…

      2. E sobre ser o esgoto da internet, tanto ele quanto o facebook, quanto qualquer outra plataforma a ser chamada assim, vejo a plataforma como reflexo de quem consome conteúdo nela. Você não teria todo um mercado de empresas de maquiagem patrocinando Youtubers(?) se as empresas não achassem que teriam retorno. Não se teria tanta gente falando asneira se eles não tiverem audiência, pois é assim que a plataforma remunera. O mesmo vale para as FakeNews, elas só se tornaram algo pois é lucrativo falar besteira, não porque tem alguém te pagando, e sim poque isso gera views, e com views se ganha dinheiro. Não é ético, mas não é ilegal, veja que liberdade da imprensa e liberdade de expressão são coisas diferentes.

        Tanto é que grande parte das FakeNews da eleição americana teve origem na Macedônia, não porque eles queriam que X ou Y ganhassem, eles o fizeram por dinheiro, tem um jovem que gerou mais de 1BI de pageviews, é algo imenso ainda mais quando não se tem conteúdo de facto. Numa entrevista, um criador de notícias falsas disse, comecei com notícias reais, mas uma falsa gerava um numero tão maior de views que não fazia sentido investir tempo nas verdadeiras.

        1. Então, as empresas tapam o nariz pra transitar nessa merda toda. O departamento de markting, a diretoria, eles não são pessoas preocupadas com o ambiente, o quão pouco saudável o ambiente pros negócios podem ficar a médio prazo com políticas assim, pq eles querem resultados a curto prazo. Então, o facebook é um reduto de gente extremada e informações falsas, ok, mas vamos fazer anúncios patrocinados assim mesmo, pq, bem, uma hora esse povo vai ás compras e precisa ser influenciado de algum modo.

          Qto as notícias falsas, de fato gente ganha grana, mas faz parte da campanha de desinformação plantar notícias falsas com toda sorte de propósito… É um ambiente problemático e creio q o face não vá conseguir impedir isso, por mais q faça anúncios. Toda plataforma de comunicação pode ser usada com esse intuito de desinformação, não tem como evitar. Só se todos os usuários fossem certificados, sofressem alguma penalidade e se houvesse alguma fiscalização… Impossível fazer isso sem cometer enganos e injustiças através de algorítimos.

        2. Então, as empresas tapam o nariz pra transitar nessa merda toda. O departamento de markting, a diretoria, eles não são pessoas preocupadas com o ambiente, o quão pouco saudável o ambiente pros negócios podem ficar a médio prazo com políticas assim, pq eles querem resultados a curto prazo. Então, o facebook é um reduto de gente extremada e informações falsas, ok, mas vamos fazer anúncios patrocinados assim mesmo, pq, bem, uma hora esse povo vai ás compras e precisa ser influenciado de algum modo.

          Qto as notícias falsas, de fato gente ganha grana, mas faz parte da campanha de desinformação plantar notícias falsas com toda sorte de propósito… É um ambiente problemático e creio q o face não vá conseguir impedir isso, por mais q faça anúncios. Toda plataforma de comunicação pode ser usada com esse intuito de desinformação, não tem como evitar. Só se todos os usuários fossem certificados, sofressem alguma penalidade e se houvesse alguma fiscalização… Impossível fazer isso sem cometer enganos e injustiças através de algorítimos.

          1. E eu não quero que o Facebook me fale o que verdade do que não é. Dar poder assim para um governo já é preocupante, para uma empresa então. Mesmo com FactChecking é bem possível contar uma mentira, já que numa primeira checagem, e a mais comum sendo aplicada é verificar se o que você disse sobre X pode ser provado ao ponto de se tornar um fato, até que novas informações sejam publicadas e possa tornar aqui falso, é bem possível usar números a seu favor para contar uma história, a onde tudo que você se baseia é uma verdade mas conta a história do seu jeito, o que pode não refletir a realidade dos fatos.

            Claro que é mais fácil por eles para fiscalizarem, só que ai eles acabam com as duas partes da informação, e podem ditar o que é certo do que é errado. E achar que eles não fariam isso é pura inocência. Veja o escândalo que foi quando alguns engenheiro do Facebook fizeram algumas alterações no algorítimo para mostrar mais conteúdo pró-Clinton, o fuzuê foi enorme.

            Ou então você educa o usuário a ser crítico e pensar, e quem sabe até ler mais do que o título do ele compartilha. Se os usuários fizerem mais desse último apenas acho que temos uma vitória.

          2. Mas é um peso muito grande sobre as pessoas elas mesmas terem q confirmas as coisas sozinhas… É pra isso q temos relações de confianças com outras pessoas. Se o MdU publicar uma notícia falsa propositalmente e nada em mim despertar alguma desconfiança, terei aquilo como verdadeiros, mas isso não quer dizer q estou lendo de forma acrítica, mesmo pq discordo de coisas q são publicadas aqui, o q não quer dizer q sejam falsas, mas q vão ao encontro das minhas convicções q podem ser contrárias. Mas como seria um sistema de total desconfiança, qdo pode pairar dúvidas sobre as informações!? É essa base solida de reputação e confiança q a imprensa construiu por séculos e q foi, de certo modo, solapada em menos de uma década pelo sistema de ranqueamento do google ou pelos algorítimos de redes sociais q passaram a levar em conta critérios outros q antes só poderíamos confiar pq pessoas o faziam, com base em análise de dados, experiência de vida, intuição e desconfiança centrada em pontos específicos das narrativas q observavam e sondavam, sobre a validade e confiança de informações.

            Os vazamentos de informações críticas, por exemplo, são benéficas demais, pq a imprensa pode tratá-las, mas qdo cai na pessoas com interesses sabe-se lá quais, fica difícil saber… E, claro, mesmo a imprensa, q tem suas preferências, merece leitura crítica, mas é diferente, né? Na imprensa vc consegue reconhecer a origem da informação, nas redes sociais tá tudo sem pontas, pq é assim q é.

          3. Mesmo na mídia tradicional, G1, UOL, são os dois maiores portais de notícias do Brasil, e incrivelmente, muitas vezes não são citadas fontes de matérias o que é um problema, já que não é possível confirmar prontamente se o que reporta como notícia é verdade, meia-verdade, meia-mentira ou apenas uma mentira. Eles são de longe os que mais tem dinheiro para investir em jornalismo de qualidade, e ainda sim, não os tem.

            Seguindo seu exemplo, o MdU publica uma matéria falsa propositalmente. Toda a credibilidade que o site tem se vai.

            O meu problema não é o FactCheching, é ótimo, principalmente com números, aonde não se joga mais números absurdos por ai. Mas ainda sim é falho.

            Uma coisa que não crítico é o ranqueamento do google. Ele é extremamente eficaz em nulificar notícias falsas, punindo o site quando é reportado algo indevido. Mas ainda sim também não perfeito.

            A internet é o sonho molhado de qualquer jornalista pré-internet, e a mesma é responsável por estar matando o jornalismo, o que é no minimo irônico.

          4. É bem raro ver um jornal como a Folha não creditar notícias. O que acontece é que, muitas vezes, eles são a notícia em primeira mão, ou seja, são a fonte, ou bebem direto dela — através de press releases, entrevistas, denúncias e outros meios. Aí não tem como “dar o crédito”. As matérias exclusivas do Manual também são assim. O veículo que publica se torna a fonte e aí entra a questão da credibilidade dele. Algo que a Folha ou o Manual publicam será levado a sério; algo que aparece numa Folha do Brasil, um desses sites de notícias falsas, só é levado a sério por desavisados e mal-intencionados.

            O ranqueamento do Google é tão falho quanto — falhou, inclusive, nas eleições norte-americanas: https://www.washingtonpost.com/news/the-fix/wp/2016/11/14/googles-top-news-link-for-final-election-results-goes-to-a-fake-news-site-with-false-numbers/?utm_term=.38119db718af

            Quando você coloca como critério de credibilidade a popularidade (que é o que Facebook e Google fazem), corre o risco de ser manipulado por gente interessada nos resultados dessa manipulação. Nenhuma rede social ou algoritmo de busca está imune a isso.

          5. mas esse lance de reputação acabaria entre os seguidores, quem não conhece pode ter por verdade algo falso. e mesmo com a área de comentários ativada com alertas sobre a validade, se a notícias estiver bem ranqueada ou bem distribuída nas redes, desfazer uma mentira pode ser irreversível.

            aquele exemplo muito citado da escola base, qdo foram feitas falsas afirmações de abuso das crianças por parte dos donos e funcionários é tão marcante q se fala nisso até hj… só q nas redes sociais acontecem vários ‘escolas base’ por dia e, cara, isso não tem controle. é bom q não tenha controle, mas se os otimistas esperavam q as pessoas seriam capazes de distinguir as coisas falsas, essas previsões falharam miseralvemente. a inteligência coletiva não está nas redes sociais, com certeza. ela pode se manifestar em projetos coletivos como softwares de código aberto, mas as seções de comentários aleatórios, até mesmo como assim aqui, podem ser facilmente uma nascedouro de inverdades.

          6. Na maior parte dos casos, não se cita fonte. Às vezes porque a pessoa quer manter a identidade em sigilo e não prejudicá-la.

            E aí entra a questão de ser verdade ou não. Como dizia um professor: “Sua fonte pode mentir, omitir e às vezes dizer a verdade”.

            Cabe ao repórter checar a veracidade das informações. Sem contar que sempre há os dois lados da história, então cada um se defende como pode.

          7. Na maior parte dos casos, não se cita fonte. Às vezes porque a pessoa quer manter a identidade em sigilo e não prejudicá-la.

            E aí entra a questão de ser verdade ou não. Como dizia um professor: “Sua fonte pode mentir, omitir e às vezes dizer a verdade”.

            Cabe ao repórter checar a veracidade das informações. Sem contar que sempre há os dois lados da história, então cada um se defende como pode.

          8. Não me refiro a fontes, como pessoas que vazam dados para a imprensa, e sim, da onde a informação foi tirada. A maior parte da imprensa geral, vide Folha, G1 e etc, quando cita estudos científicos, geralmente não cita como fonte o estudo, pesquisa, apenas pública a interpretação do jornalista sobre tal estudo. E isso é errado pois acaba impedindo o leitor de checar por si se é uma interpretação válida ou não. A fonte pode ser uma pessoa ou uma entidade, quando se refere a uma pessoa, é totalmente válido falar, fonte anonima. Mas ao menos sabe-se que, ou ainda, espera-se que aquilo que é reportado seja verdade, ou contenha um fundo de verdade.

          9. Entendo suas preocupações e concordo.

            Difícil é mudar esse modelo. Já briguei com muitos colegas por irem sempre pelo senso comum.

          10. Entendo suas preocupações e concordo.

            Difícil é mudar esse modelo. Já briguei com muitos colegas por irem sempre pelo senso comum.

          11. Quando uma matéria de como se dar prazer oral, sendo homem, chama-se mais a atenção do que uma matéria sobre o consumo de mídia mórbidas em casos de grandes acidentes. Só prova o ponto.

          12. Ah! É errado dizer que jornalistas mais antigos acreditam no fim da profissão por causa da Internet. Essa é uma questão inconcebível.

          13. O status quo atual é que jornalismo deve ser de graça, reportar notícias não deve custar nada ao leitor. A grande forma de monetização é veiculando anúncios, ou tentar forçar o leitor a pagar para ler o conteúdo, mas quase todo paywall é facilmente contornável. Até existem métodos alternativos, o próprio MdU é adepto, mas ainda sim, é uma alternativa que não é viável para grandes sites, até tentam, mas até agora não chegaram num modelo que dê certo. Não falo no fim do jornalismo. E sim, uma extinção de bom jornalismo, esse é um que não paga quem escreve, pois que lê acaba sendo nicho, já um site de fofocas lucra bem mais, pois o conteúdo é raso o bastante para o público e acaba gerando receitas.

            Mas no cenário atual, fica cada vez mais difícil ter bom jornalismo, se ele não se pagar não tem como justificar fazê-lo. Não é um projeto de ciência aonde o saber é muito importante, mas pode-se ignorar se de fato é importante, pois pode vir a ser.

          14. É difícil imaginar o porque pagar algum repórter um bom salário, se a única coisa que ele faz são matérias click-bait. É esse tipo de matéria que dá dinheiro. Que mantém um site funcionando. A imprensa física sofre no Brasil, ainda mais hoje, os custos da operação são extremamente elevados, além das pessoas só lembrarem que o Jornal existe quando precisam embalar algo.

          15. É difícil imaginar o porque pagar algum repórter um bom salário, se a única coisa que ele faz são matérias click-bait. É esse tipo de matéria que dá dinheiro. Que mantém um site funcionando. A imprensa física sofre no Brasil, ainda mais hoje, os custos da operação são extremamente elevados, além das pessoas só lembrarem que o Jornal existe quando precisam embalar algo.

          16. Não culpe o repórter. Ele é a base dessa pirâmide de interesses.

            Sim, tem gente de má-fé, mas tem muito mais editores e diretores mal intencionados.

            Infelizmente, a maior parte se conforma com qualquer coisa.

          17. É engraçado colocar a culpa nas empresas e redimir as pessoas que são de fato a rede nessa sua conta.

          18. É engraçado colocar a culpa nas empresas e redimir as pessoas que são de fato a rede nessa sua conta.

          19. vc é empresário, tem milhões pra gastar em marketing, contrata especialistas e o q acontece? propaganda dentro do programa pânico… quem tem os milhões!? eu q não sou…

      3. Fábio, beleza?
        Eu não entendi bem o teu comentário. Quando abro o YouTube no PC realmente aparece só lixo, mas quando faço o login é outro mundo. Depois de logado o YouTube recomenda o que estou acostumado assistir ou relacionados.

        1. vc deve estar com suas configurações de histórico habilitadas, por isso ele filtra, mas a questão é fugir desses filtros, pelo menos pra quem valoriza a privacidade, daí o q ele exibe é terrivel. mas, ainda assim, o youtube tem uma seção de recomendações deles… essa é muito ruim.

    3. Eu queria poder bloquear alguns canais. Fica aparecendo recomendação do Nando Moura. Detesto aquele cara.

      1. Eu gosto que pessoas que tem visões diferentes da minhas se manifestem, isso ajuda a sair da bolha que criamos. Muito do fanatismo que existe hoje é dado pelas pessoas só consumirem conteúdo que vá de encontro com suas crenças, e acabam criticando massivamente tudo que vá contra isso. Por mais idiota que você ache as crenças de alguém, o outro lado acha o mesmo sobre as suas crenças. Assim como o cristão religioso fanático vê com total descrença o pensamento científico, o mesmo vale para um cientista agnóstico. Mas isso não quer dizer que um lado está mais certo que o outro, e sim as crenças são diferentes. Alguns irão preferir um Estado mais socialista, mais preocupado com o aspecto humano, outros preferem um Estado mais ausente nesse quesito. No futuro um lado pode prevalecer, mais não significa que ele estará certo, e sim que ele venceu.

        Se o Nazismo tivesse prevalecido, tudo que eles fizeram seria considerado certo, e numa visão mais humanista, seriamos grandes retrógrados comparados a hoje. A história é contada por quem venceu, prevaleceu. O que quer dizer que nem tudo que é contado tem ambos os lados da história e/ou quando tem, se ambos os lados realmente falam a verdade.

        Falei a mesma coisa sobre o Stallman, por mais extremista que ele seja, é importante ele manifestar suas crenças para que possamos ter uma escala maior de “escolha” sobre qualquer assunto.

      2. Eu gosto que pessoas que tem visões diferentes da minhas se manifestem, isso ajuda a sair da bolha que criamos. Muito do fanatismo que existe hoje é dado pelas pessoas só consumirem conteúdo que vá de encontro com suas crenças, e acabam criticando massivamente tudo que vá contra isso. Por mais idiota que você ache as crenças de alguém, o outro lado acha o mesmo sobre as suas crenças. Assim como o cristão religioso fanático vê com total descrença o pensamento científico, o mesmo vale para um cientista agnóstico. Mas isso não quer dizer que um lado está mais certo que o outro, e sim as crenças são diferentes. Alguns irão preferir um Estado mais socialista, mais preocupado com o aspecto humano, outros preferem um Estado mais ausente nesse quesito. No futuro um lado pode prevalecer, mais não significa que ele estará certo, e sim que ele venceu.

        Se o Nazismo tivesse prevalecido, tudo que eles fizeram seria considerado certo, e numa visão mais humanista, seriamos grandes retrógrados comparados a hoje. A história é contada por quem venceu, prevaleceu. O que quer dizer que nem tudo que é contado tem ambos os lados da história e/ou quando tem, se ambos os lados realmente falam a verdade.

        Falei a mesma coisa sobre o Stallman, por mais extremista que ele seja, é importante ele manifestar suas crenças para que possamos ter uma escala maior de “escolha” sobre qualquer assunto.

        1. não vejo essa necessidade, de ter q se expor a opiniões diametralmente contrárias as minhas. pq, por mais q não se tenha verdades absolutas, direitos consagrados (direitos humanos, essencialmente) são superiores e incontestes em determinados contextos (mas não totalmente corretos já q os direitos humanos se sobrepõem aos direitos de todos os animais, por exemplo, e isso não faz muito sentido a meu ver) à lógica da eliminação do outro como solução. daí q dar ouvidos a alguém q defende, por exemplo, a pena de morte, não me faz ficar mais na minha bolha, só me faz imune a um discurso q, levando em conta certas premissas e princípios, é indefensável. daí q esse lance de ter q ouvir a opinião alheia tem um limite já q esbarra em coisas como a alt right, discursos de ódio, homofobia e o abjeto bolsonaro.

        2. não vejo essa necessidade, de ter q se expor a opiniões diametralmente contrárias as minhas. pq, por mais q não se tenha verdades absolutas, direitos consagrados (direitos humanos, essencialmente) são superiores e incontestes em determinados contextos (mas não totalmente corretos já q os direitos humanos se sobrepõem aos direitos de todos os animais, por exemplo, e isso não faz muito sentido a meu ver) à lógica da eliminação do outro como solução. daí q dar ouvidos a alguém q defende, por exemplo, a pena de morte, não me faz ficar mais na minha bolha, só me faz imune a um discurso q, levando em conta certas premissas e princípios, é indefensável. daí q esse lance de ter q ouvir a opinião alheia tem um limite já q esbarra em coisas como a alt right, discursos de ódio, homofobia e o abjeto bolsonaro.

          1. O Trump só se tornou presidente porque muito da mídia não acreditou nele, enquanto candidato,
            até quase o fim da eleição. Eles viam ele como alguém muito alternativo, que fugia do era pintado, para ser presidente, e todos ficaram chocados quando ele ganhou.

            Não digo que tem-se que ficar ouvindo e conflitando sobre o que não gosta, mas sim, se expor a tal oposição pode ser benéfica, uma vez que, se aliena a um conteúdo, pode-se ficar cego em relação a outros.

            Eu, de fato, não consigo entender Bolsonaro, mas ainda sim, ele pode ser um nome forte para a Presidência em 2018, e se fizer o discurso direito, veja Trump, ele tem chances reais de ganhar. Aliás, ele tem uma base jovem forte, pelo que vejo na internet. Se ele souber utilizá-la, é só mais força. Por mais que eu o abomine, ele é um candidato bem forte.

  7. Um comentário sobre alimentação: aqui em casa, há um ano, passamos a ser vegetarianos. Foi um processo gradativo e correu tudo bem. Ninguém sofreu com isso, tirando uma lembrança ou outra de refeições q envolvem carnes. Agora estamos passando pra condição de vegano. Caros, apesar da dificuldade, devo dizer q isso me fez MUITO BEM. Minhas razões para vegetarianismo envolve a preservação dos animais e do veganismo idem, mas os benefícios para o corpo eu já estou notando há algumas semanas depois dessa segunda etapa. Estou perdendo peso, pq sou consumidor de muitas porcarias (chocolates tipo kitkat e toda sorte de doces) e como quase uns 99% deles usam leite e ovos, parar de consumi-los me levou a uma condição melhor, de me sentir bem mesmo fisicamente. Agora vamos pra um terceiro nível, mas provavelmente mesclando, pq esse é mais restrito ainda, q envolve a alimentação de muita coisa crua, isto é, evitando o mesmo fogão, pq no cozimento dos alimentos muita coisa se perde… Enfim, como já pesei bem menos do q agora, pra mim está compensando, mesmo pq o peso extra me tira o pique de correr, já q detona os joelhos. Enfim, deixo mais como uma sugestão: vcs procurarem saber q o q vendem como alimentação saudável (grelhados, peito de peru, queijo branco e frutas e legumes com agrotóxico) não é NEM UM POUCO saudável, muito pelo contrário.

    Ontem estive numa festa de confraternização da firma e não senti vontade alguma de doces (mesmo com todos comento a minha frente) e de carnes… É impressionante como depois de algum tempo, essas coisas não fazerem falta alguma.

    1. Alguns anos atrás, aboli carne vermelha da dieta por uns oito meses. Há uma dificuldade natural no preparo e busca de alternativas, mas senti mais mesmo foi o peso social — ir a churrascos era sempre meio chato porque tinha que explicar que não estava comendo carne vermelha e as pessoas me olhavam como se eu fosse um alienígena.

      Depois voltei a consumir, mas não muito. Como umas três vezes por semana (considerando catorze refeições, almoço e janta todos os dias). Porém, preocupe-me com a alimentação saudável e, de fato, atentar-se a isso melhora muito a qualidade de vida. O primeiro “alimento” que aboli e que acabou sendo o mais impactante foi o refrigerante. A diferença é quase imediata. Depois reduzi também o consumo de sucos industrializados, doces, gorduras (nem pastel de feira como mais) e os excessos também — não adianta nada se entupir de comida saudável.

      Eu sinto como se tivesse negligenciado um negócio muito importante durante boa parte da vida. Mas é difícil, né? A publicidade martela um monte de lixo na nossa cabeça e o acesso a esse lixo, em termos de disponibilidade e custo, é muito mais fácil que o de alimentos saudáveis. (Sobre o tema, aliás, Muito além do peso, um documentário brasileiro, é super indicado!)

      1. e não só a publicidade, q essa, de algum modo, até dá pra contornar se vc é um pouco mais crítico em relação ao q come. mas o q pega, conforme a esposa foi estudando melhor assunto, é a campanha dos médicos, nutricionistas etc, fazendo o jogo da indústria ou simplesmente não estudando melhor questões relacionadas ao consumo de determinados alimentos.

        a parte social é complicada, pq se for pra ir numa churrascaria, eu já nem iria. pq o mais pega pra mim é o lance dos animais e nem tanto o lado saudável, mas ao lado disso, veio a parte saudável e isso está sendo muito positivo, claro.

        de fato, a depender da idade, a nossa vida foi danificada comendo alimento industrializado, tomando leite etc etc etc… o q essa alimentação fez com o nosso corpo é irreversível. o qto antes mudar, melhor.

        é preciso ficar MUITO atento aos apelos da dita ‘alimentação saudável’, pq há muita desinformação aí. e essa nem dá pra por na conta do facebook…

      2. e não só a publicidade, q essa, de algum modo, até dá pra contornar se vc é um pouco mais crítico em relação ao q come. mas o q pega, conforme a esposa foi estudando melhor assunto, é a campanha dos médicos, nutricionistas etc, fazendo o jogo da indústria ou simplesmente não estudando melhor questões relacionadas ao consumo de determinados alimentos.

        a parte social é complicada, pq se for pra ir numa churrascaria, eu já nem iria. pq o mais pega pra mim é o lance dos animais e nem tanto o lado saudável, mas ao lado disso, veio a parte saudável e isso está sendo muito positivo, claro.

        de fato, a depender da idade, a nossa vida foi danificada comendo alimento industrializado, tomando leite etc etc etc… o q essa alimentação fez com o nosso corpo é irreversível. o qto antes mudar, melhor.

        é preciso ficar MUITO atento aos apelos da dita ‘alimentação saudável’, pq há muita desinformação aí. e essa nem dá pra por na conta do facebook…

        1. Tô pensando em parar de beber cervejas e destilados ano que vem. Esse sim vai ser um desafio grande. Ser vegetariano vou deixar pra mais pra frente. Refrigerantes já cortei, só consumo pra sarar a ressaca.

          1. É…. álcool no organismo não faz bem. Eu não adiaria não, eu iria reduzindo o consumo já pra depois vc não continuar adiando, pq não tem um momento X pra vc começar. Vc pode começar hj e ir consumindo menos, até q vc não precisa consumir mais nada de carne…

          2. Sim, já estou diminuindo gradualmente, agora só estou bebendo sexta/sábado e feriados.

            Mas quero ficar no final, só no vinho. As gatas curtem um vinho e é ideal para deixá-las mais desinibidas, um grande plus para um sexo mais gostoso, hehehehehe

          3. Sim, já estou diminuindo gradualmente, agora só estou bebendo sexta/sábado e feriados.

            Mas quero ficar no final, só no vinho. As gatas curtem um vinho e é ideal para deixá-las mais desinibidas, um grande plus para um sexo mais gostoso, hehehehehe

          4. desconfio q vc surpreenderia com um suco orgânico integral de uva, mas cada um sabe o q faz da vida.

          5. desconfio q vc surpreenderia com um suco orgânico integral de uva, mas cada um sabe o q faz da vida.

          6. O q deixa as pessoas menos tímidas é a confiança e se ela não advir de um processo (nem sempre rápido), o q vc tem é um artifício e, com isso, vc está indo pra uma área perigosa, qdo não consegue mais ter respostas confiáveis de uma pessoa se ela está alcoolizada… O consentimento pra uma relação sexua, por exemplo, nessas circunstâncias, pode ficar seriamente comprometido.

          7. O q deixa as pessoas menos tímidas é a confiança e se ela não advir de um processo (nem sempre rápido), o q vc tem é um artifício e, com isso, vc está indo pra uma área perigosa, qdo não consegue mais ter respostas confiáveis de uma pessoa se ela está alcoolizada… O consentimento pra uma relação sexua, por exemplo, nessas circunstâncias, pode ficar seriamente comprometido.

          8. Não, uma garrafa de vinho não deixa ninguém embriagado, mas tira um pouco do pudor das meninas. Tipo, tem muitas que ficam preocupadas com estrias, uma celulite, 2kgs a mais, uma unha quebrada.

            O álcool tem o poder de fazer elas relevarem isso e se jogarem no momento.

            Até porque fazer sexo bêbado é uma merda, geralmente não lembro de nada kkkkkkkkkkkkk

            E somo adultos, não podemos ignorar o poder do álcool quanto à interação social.

          9. Esse tipo de comentário é complicado, @MxlBR:disqus. Acredito que não seja a sua intenção, mas o sexo sem consentimento derivado da embriaguez é um problema real e seríssimo que muitas mulheres enfrentam.

            Beber com alguém de quem se gosta ou com quem se tenha um interesse mútuo, ainda que exclusivamente sexual, não é errado e, de fato, pode ser bem legal, mas tenha mais cuidado ao expressar isso. Quando você diz que tira o pudor ou as deixa mais desinibidas, e atribui tudo isso unicamente ao fator álcool, corre um risco enorme de ser mal interpretado e, pior, fomentar a cultura do estupro.

          10. Entendo sua preocupação, agradeço, mas você mirou no padre e acertou Jesus.

            A malícia está na cabeça de quem pensa, não posso ter minha liberdade de expressão cerceada porque estamos rodeados por pessoas que não conseguem interpretar um texto.

            Tenho quase 30 anos, quando falo vinho, é à dois, um encontro, um bom papo, falar de ideia, de projetos de vida, etc…

            Essa conversa de que álcool deixa as pessoas desinibidas é tão trivial em sociedades evoluídas, pois é de sabença curial.

            A cultura do estupro é fomentada pela falta de educação e sensação de impunidade aqui do país, em minha humilde opinião, como 99% dos crimes.

            No mais, não cabe interpretação extensiva para tipos penais, de toda sorte, não cometi nenhum ato ilícito. Só reafirmei o que inúmeras pesquisas já comprovaram.

          11. Em momento algum disse que cometeu um “ato ilícito” (você é da área do Direito, né?), apenas atentei ao seu discurso que, no nosso contexto social, não pega bem. Talvez nos países desenvolvidos a história seja outra, mas, aqui, ignorar esse contexto é incorrer no risco de fomentar essa cultura do estupro.

            O combate a ela não se faz punindo. Aliás, isso não altera em muita coisa ela, pois o estrago já está feito. É um trabalho de base, preventivo, de mudança de consciência e que passa, também, por lugares inusitados, como este espaço para comentários na Internet composto quase que majoritariamente por homens.

            Não basta a intenção, é preciso atentar para como o que se diz é percebido. A interpretação que os outros fazem do que dizemos realmente é imprevisível, mas podemos cuidar para minimizar os riscos de sermos mal-interpretados.

            Enfim, foi só um toque, na boa, e um contraponto que achei importante fazer porque, bom, estamos no Manual do Usuário e o que aparece nos comentários é responsabilidade minha também — e, dessa forma, não queria que esse tipo de mensagem ficasse sem questionamento.

          12. há alguns problemas aí, cara… esse lance de ‘a malícia está na cabeça de quem pensa’ não se sustenta, pq isso anularia toda sorte de crime. uma criança em uma situação sexualizada não é fruto da minha imaginação q a vê numa situação erótica: ELA ESTÁ numa situação sexualizada e isso independe da minha opinião. se não se aceita nem ao menos uma representação de algo q possa ensejar abuso de um menor isso não é à toa.

            qto a impunidade, isso tb não se sustenta, pq vivemos encarceramento crescente em todo o país. as cadeias estão apinhadas de gente (de gente q não cometeu crime algum, diga-se). a sensação de impunidade, a meu ver, tem a ver com o sentimento generalizado por parte da sociedade q tem pouco, isto é, se for lesada de algum modo, não tem como reparar, e que quer vingança imediata como forma de inibir um assalto ou um furto. vc já deve ter visto vídeo de pessoas cercando garotos q roubam celulares exigindo a morte deles. numa dessas falas uma mulher em copacabana diz: “tem q metralhar”. isso não é sentimento de impunidade… isso é outra coisa.

            agora o álcool tem sido responsável por milhares de mortes no trânsito, por milhares de homicídios e tb por estar associado a crimes como o estupro. me parece q é indissociável da cultura do estupro o álcool nessas condições. não me pareceu ser o q vc está propondo, claro, mas, sei lá, não acho uma boa…

          13. há alguns problemas aí, cara… esse lance de ‘a malícia está na cabeça de quem pensa’ não se sustenta, pq isso anularia toda sorte de crime. uma criança em uma situação sexualizada não é fruto da minha imaginação q a vê numa situação erótica: ELA ESTÁ numa situação sexualizada e isso independe da minha opinião. se não se aceita nem ao menos uma representação de algo q possa ensejar abuso de um menor isso não é à toa.

            qto a impunidade, isso tb não se sustenta, pq vivemos encarceramento crescente em todo o país. as cadeias estão apinhadas de gente (de gente q não cometeu crime algum, diga-se). a sensação de impunidade, a meu ver, tem a ver com o sentimento generalizado por parte da sociedade q tem pouco, isto é, se for lesada de algum modo, não tem como reparar, e que quer vingança imediata como forma de inibir um assalto ou um furto. vc já deve ter visto vídeo de pessoas cercando garotos q roubam celulares exigindo a morte deles. numa dessas falas uma mulher em copacabana diz: “tem q metralhar”. isso não é sentimento de impunidade… isso é outra coisa.

            agora o álcool tem sido responsável por milhares de mortes no trânsito, por milhares de homicídios e tb por estar associado a crimes como o estupro. me parece q é indissociável da cultura do estupro o álcool nessas condições. não me pareceu ser o q vc está propondo, claro, mas, sei lá, não acho uma boa…

          14. Fábio, já fizeram alguns testes e a fermentação do vinho faz diferença. Ele faz muito bem para o coração, de forma que o suco de uva não conseguiu o mesmo resultado.

          15. Fábio, já fizeram alguns testes e a fermentação do vinho faz diferença. Ele faz muito bem para o coração, de forma que o suco de uva não conseguiu o mesmo resultado.

          16. pode ser, mas o álcool faz mal, então… as vantagens são anuladas.

          17. Eu parei com as bebidas alcoólicas dia 4/1/2016.
            Foi difícil, principalmente por que estava acostumado a beber em casa. Mas hoje me arrependo de não ter parado antes.
            Tem o lance social que o Rodrigo e o Fábio falaram, mas os amigos acostumam-se. Na auto elétrica que trabalho até me sinto bem, pois tem outros 3 colegas que também não bebem.

          18. Eu parei com as bebidas alcoólicas dia 4/1/2016.
            Foi difícil, principalmente por que estava acostumado a beber em casa. Mas hoje me arrependo de não ter parado antes.
            Tem o lance social que o Rodrigo e o Fábio falaram, mas os amigos acostumam-se. Na auto elétrica que trabalho até me sinto bem, pois tem outros 3 colegas que também não bebem.

      3. To numa luta contra refrigerante. Depois do Brasil x Holanda, decidi que nunca mais ia tomar e fiquei 1 ano sem, foi até bem mais fácil do que eu esperava. Nesse semestre, tomei quase todo dia… aboli de novo.

          1. Deve ter sido uma promessa depois do 7 x 1 contra a Alemanha, não? “Se o Brasil não conseguir pelo menos o 3º lugar, nada de refrigerante até a próxima copa!”… É uma teoria… hahaha

          2. Nada, tava torcendo para a Holanda na copa mesmo, desde o gol do RvP como bom torcedor do Manchester United

          3. Nada, tava torcendo para a Holanda na copa mesmo, desde o gol do RvP como bom torcedor do Manchester United

      4. Às vezes é até uma ilusão de economia de tempo. Um exemplo são as pizzas congeladas, quando feitas em forno convencional levam cerca de 30 a 40 minutos. Nesse tempo é perfeitamente possível fazer uma massa de pizza do zero (não vai ficar A massa, mas fica boa o suficiente – melhor que a congelada, com certeza), um queijinho, tomate triturado, sal e uma cobertura de preferência, mais uns 5 a 10 minutos no forno e tá pronta.

        1. sem dúvida. fiz um bolo vegano aqui em casa, a partir de uma receita q vi na internet, e gastei um 15 minutos… foi mais prático q um bolo normal.

        2. sem dúvida. fiz um bolo vegano aqui em casa, a partir de uma receita q vi na internet, e gastei um 15 minutos… foi mais prático q um bolo normal.

    2. A alimentação vegana parece ser bem interessante financeiramente para quem consegue cozinhar em casa.

      1. não só. pq tb não temos tanto tempo assim. a gente apela pro mr. veggie, por exemplo. foi a nossa janta ontem: coxinha (com soja) e quibe de tomate seco com escarola. é só colocar no forno e comer. é industrializado e não é o recomendável, mas é um industrializado menos pior, digamos.

      1. Mas eu ainda nem pedi pra eles depositarem uma quantia na minha conta…

      2. Mas eu ainda nem pedi pra eles depositarem uma quantia na minha conta…

        1. Racionalmente, acredito que isso possa estar ligada a uma questão amplamente emocional.

          1. ah sim, qdo vejo a crueldade da indústria com os animais fico emocionalmente abalado.

          2. ah sim, qdo vejo a crueldade da indústria com os animais fico emocionalmente abalado.

    3. Uma perguntinha, puxando pra outro tipo de alimentação:

      Ser vegetariano/vegan inclui abdicar das massas (vide aquela dieta paleo/low carb)?

      Na minha cabeça, acho que ser vegetariano é bem “mais fácil” (relativamente) que ser paleo. Pra carne, há muitas alternativas em proteína (podem até ser mais caras, mas são mais populares ou fáceis de achar). Já pra dieta paleo, eu não consigo pensar em substitutos para carboidratos no dia a dia (pão, arroz, etc.)

      Se alguém souber e quiser responder também…

    4. Uma perguntinha, puxando pra outro tipo de alimentação:

      Ser vegetariano/vegan inclui abdicar das massas (vide aquela dieta paleo/low carb)?

      Na minha cabeça, acho que ser vegetariano é bem “mais fácil” (relativamente) que ser paleo. Pra carne, há muitas alternativas em proteína (podem até ser mais caras, mas são mais populares ou fáceis de achar). Já pra dieta paleo, eu não consigo pensar em substitutos para carboidratos no dia a dia (pão, arroz, etc.)

      Se alguém souber e quiser responder também…

      1. Eu não manjo muito de alimentação, quem está pesquisando mais a sério isso é a esposa, então vou na cola dela, mas pra massas há opções: acabamos de comer macarrão, mas q é feito sem ovos. Basta vc ver na embalagem: a base de sêmola ou algo assim.

        1. Entendo… perguntei mais pela parte dos doces, mas lembrei que boa parte dos doces leva em seus ingredientes ovo ou manteiga (de origem animal)…

          1. Tem livro de receita de doce vegano muito bons. E tem dois canais interessantes: presunto vegetariano e vegitarirango. Nesses tem receitas e algumas explicações.

          2. A respeito do presunto, você tocou num ponto que o povo lá no Gizmodo estava discutindo, na matéria do hamburger vegan… então eu queria aproveitar e te perguntar: cê acha que faz sentido um vegan tentar reproduzir com vegetais/grãos algo que tem gosto de carne? (hambúrguer de soja, “carne moída” de soja, etc.)

          3. A respeito do presunto, você tocou num ponto que o povo lá no Gizmodo estava discutindo, na matéria do hamburger vegan… então eu queria aproveitar e te perguntar: cê acha que faz sentido um vegan tentar reproduzir com vegetais/grãos algo que tem gosto de carne? (hambúrguer de soja, “carne moída” de soja, etc.)

          4. Num certo ponto até vale vc tentar reproduzir, especialmente se vc está em transição e sente falta da alimentação q está deixando, o sabor da carna e tal, mas qdo vc deixa de comê-la, vc vai se deparar com novos sabores. Entendo esse esforço do lance de imitar a forma dos outros alimentos tb, mas acho sem sentido ficar nisso o tempo todo, afinal é outra alimentação.

      2. Pelo que já li dieta paleolítica e vegetarianismo estrito são inconciliáveis, já que muito da proteína da alimentação vegetariana são obtidas dos grãos, que na dieta paleo é restrito.

        Mas não, o vegetariano não abdica da massa, exceto as com ovos no caso do vegetariano estrito.

      3. Pelo que já li dieta paleolítica e vegetarianismo estrito são inconciliáveis, já que muito da proteína da alimentação vegetariana são obtidas dos grãos, que na dieta paleo é restrito.

        Mas não, o vegetariano não abdica da massa, exceto as com ovos no caso do vegetariano estrito.

    5. Vale lembrar que um alimento ser vegano (ou vegetariano estrito) também não é nenhuma garantia de ser saudável. A batata frita e muitos industrializados veganos são um exemplo.

      Faz três anos que minha esposa é vegetariana e que paramos de compra carne e embutidos em casa. Eu ainda como eventualmente na casa de alguém ou mesmo em restaurantes. Uma mudança muito positiva que percebemos foi a variação no cardápio e inclusão de muitos alimentos que não comíamos com regularidade (legumes e grãos).

      Além disso, tentamos preparar o máximo de coisas em casa e evitar industrializados, fazemos hambúrgueres de grão de bico, lentilha, feijão ao invés de comprar aqueles medonhos de soja, pão etc. Desta forma, o próprio hábito no mercado mudou, pouca coisa processada e muitas “matérias primas” (em vez de pão, farinha e por aí vai).

      Ah, você já mediu o seu nível de B12? Eu, mesmo ainda comendo carnes eventualmente, está em 264 negócios (me fugiu a medida). Para a medicina convencional está normal, mas estudos recentes mostram que o ideal é acima de 490.

      1. tenho q fazer esse exame pra ver o b12, a esposa já alertou há algum tempo. qdo for fazer outros já incluo esse.
        mas, de fato, vc pode ser vegano e comer um monte de porcaria. o lance é fazer uma alimentação saudável, o mais saudável possível, já q muita coisa é contaminada de algum modo…
        isso vc faz é o ideal: preparar mais coisas em casa e apelar pouco aos industrializados.

        1. Sim, eu fiquei muito tempo para fazer.

          Mas algo que tenho lido é que mesmo entre onívoros há muita gente com deficiência de B12 e, como a maioria de vegetarianos se preocupa com B12, nem que seja com suplementação, os níveis de B12 são melhores nesses que naqueles.

    6. Já tentei abolir a carne vermelha, o problema é que realmente gosto do sabor de um bom filé grelhado. Já tentei alternativas vegetarianas(?), substitutos de soja, ainda sim, a diferença é bem grande, ao menos, nas alternativas que tentei. Além de ser mais caro. Eu escolhi fechar os olhos para o gado, para poder aproveitar uma coisa que tanto gosto. Sobre os industrializados, sempre tive prazer em cozinhar, assim consigo evitar o consumo absurdo de comida processada, mas não adentrar numa dieta rigorosa me permite viver um pouco mais livre, acho, para se precisar, comer um McDonalds.

    7. Já pensei nisso também. Mas acho que o conceito no documentário “Cooked” faz mais sentido que o veganismo…

      1. Não li os livros nem vi a série, mas por uma crítica (bem positiva aos autor) q li agora, ele parece não ir ao cerne da questão da alimentação saudável (q implica em muitas restrições), apesar da menagem dele ser boa nesse aspecto: fugir da comida industrializada. Há um apelo forte às lembrançaa qdo ele diz “não coma nada a sua avó não reconheça como comida”. Ante a indústria q tudo destrói, entendo a nostalgia (eu mesmo q nem sou tão velho sinto falta de coisas do meu passado q.ja não existem mais), mas a nostalgia não é a pedra de salvação nesse caso… não tem como ser.

        https://www.google.com.br/amp/paladar.estadao.com.br/noticias/comida,cooked-estreia-esta-sexta-no-netflix,10000016946.amp?client=ms-opera-mobile&espv=1

  8. Graças ao último post do MdU (um escrutínio pelo qual peço ao bom deus não ter q passar um dia), descobri o Pinguins Móveis e depois o projeto Pandora. Que equipamento interessante esse, o DragonBox Pyra Handheld 4G LTE Mobile Edition 4GB, não? Quero ter uma biblioteca de joguinhos e ao invés de emular num laptop, poderia emular num pequeno dispositivo já com os controles de jogo, q conecta na internet, tem navegador, etc etc etc. Agora q tenho salvo conduto pra trazer toda a América pro Brasil (desde carros de luxo e mansões inteiras, segundo o procurador da Receita) e destruir a nossa economia saudável, penso seriamente em comprar um desses qdo lançarem a nova versão. O q vc acham? É um trabolhinho ou vale a pena? https://uploads.disquscdn.com/images/2629ee2cea5e075aca4925fe752416f7fa7bced32e8f296acbc62cc68d407918.jpg

    1. Parece um senhor trambolho, a ponto de colocar em xeque o fator portátil. Outros pontos ruins é que é de uma marca desconhecida e isso fragiliza o potencial de longevidade — se algo quebrar no software, vai ter quem arrume? Isso, claro, sem falar na garantia que você provavelmente não terá. (Ou, se sim, no transtorno de mandar de volta para outro país e esperar esse tempão sem.)

      Talvez eu esteja com um olhar pessimista, mas eu não compraria. Mais negócio investir num desses joysticks em que se acopla o celular. O da Samsung é bem bacana, porém caro: http://www.samsung.com/uk/consumer/mobile-devices/accessories/others/EI-GP20HNBEGWW

      1. sim, tem toda essa parada de não ter assistência, mas eu achei q ele é meio quebra galho, saca? dia desses tive q fazer uma alteração num site q envolvia a edição de imagem e usar um cms toscão. consegui, mas foi penoso. o app ‘editor de fotos’ foi uma baita mão não roda, pq ele permitia digitar as dimensões da imagem, mas foi BEM DEMORADO. e fazer tudo com o touch, num carro em momento, foi ainda mais complicado… um aparelhinho desses, além de ser uma central de jogos antigos, poderia me ajudar com um lance desses. eu já não tenho levado mais laptop para reuniões pra fazer anotações, só o celular mesmo tem dado conta (nisso o s6 se mostra muito eficiente)… eu até q gostei do aspecto meio quadradão dele e, sei lá, esse tecladinho tb é bem prático pra quem sofre com os tecladinhos virtuais.

        1. Mas será que seria menos penoso fazer essa edição nesse trambolho do que no smartphone? Talvez seja mais eficiente gastar um tempo procurando apps e adaptando o seu workflow do computador para o smartphone do que tentar outro gadget.

          1. Quando a emoção entra em jogo, aí não há argumento racional capaz de fazê-lo mudar de ideia. Depois conte para nós o que achou do brinquedo novo :)

          2. só lança em fevereiro e tudo vai depender do preço. talvez eu compre pra testar e ver qualé q é. pq, sério, pode me ajudar com trabalhos.

          3. eu comprei um joystick da 8bitdo pra jogar no tablet (q não tenho mais), mas não era todo jogo q aceitava: ‘horizon chase’, por exemplo, infelizmente não aceitava. e acabei não pegando muitos jogos antigos à época, mas até pode ser…

          4. Cara, comprei um joystick, também da 8bitdo, para o Horizon Chase (nas configurações dele há uma opção para controle externo) e quebrei a cara. Enviei um e-mail de suporte para o desenvolvedor (que se não me engano é brasileiro) e não tiveram a decência de ao menos responder! Já pedi suporte a outros desenvolvedores, esses gringos, e sempre tive algum retorno, nem que fosse para dizer que em alguns dias ele entraria em contato novamente. Confesso que, embora seja alucinado com o Horizon Chase, fiquei bem decepcionado com o (ou a falta de) suporte.

          5. Cara, comprei um joystick, também da 8bitdo, para o Horizon Chase (nas configurações dele há uma opção para controle externo) e quebrei a cara. Enviei um e-mail de suporte para o desenvolvedor (que se não me engano é brasileiro) e não tiveram a decência de ao menos responder! Já pedi suporte a outros desenvolvedores, esses gringos, e sempre tive algum retorno, nem que fosse para dizer que em alguns dias ele entraria em contato novamente. Confesso que, embora seja alucinado com o Horizon Chase, fiquei bem decepcionado com o (ou a falta de) suporte.

          6. eu mandei e eles responderam, sobre o mesmo problema, mas desconfio q quem respondeu não entende do riscado ou estava tirando com a minha cara, pq sugeriam comprar um software pra tentar fazer funcionar e q custa uns 40 dolares.

            eu acho q eles já não tem mais capacidade de responder, já q o jogo ficou muito popular e está em muitas plataformas… eu não os culparia por isso, apesar deles terem q se preparar pra dar suporte.

            mas, de fato, eles dizem q pode usar o controle, mas não funciona na prática. era melhor nem dizer q poderia usar. eu fui seco e dancei.

          7. Exatamente! Eu também fui seco, porque, cara, adoro aquele jogo! No mais, sei lá, dá uma impressão bem ruim! A gente aqui no Brasil tá acostumado com esse descaso, os gringos acostumados com algum suporte melhor devem estar horrorizando. Sei lá, queima o filme.

        1. Como central de emulação, ACHO, que um x86 pode vir a ter mais opções, além de ser um processador mais potente, tem-se o custo na bateria, mas pelo preço não pode-se cobrar por um Core M. Vejo o apelo do projeto Pandora, mas se quiser algo mais just works, esse chinês parece ser uma boa solução.

          1. esse é bem mais poderosos e eu quero só pro joguinhos antigos mesmo, daí se custar menos de 100, acho q ficaria com o pandora mesmo.

      1. bem legal mesmo, em termos de possibilidade de jogos e produtividade, mas muito caro… tem custar até 99,99 dólares, senão não posso encomendar. :(

      2. Cara já tinha visto esse carinha naqueles e-mails que o AliExpress manda pra gente. Babei! Mas o preço tá bem fora da minha realidade atual.

      1. muito interessante mesmo! pq penso em desenvolver jogos pra rodarem em situações precárias e equipamento me parece perfeito pra, tipo, distribuir pra crianças de baixa renda num tipo de projeto envolvendo educação e games. eu acho q já tinha lido algo sobre, mas tinha se perdido totalmente. valeu a dica!

        1. Eu comprei o CHIP (sem o Pocket) na época do Kikstarter deles e depois me empolguei com o Pocket e acabei comprando. Além do pico8, os caras da comunidade deles portaram uma penca de emuladores. Estão emulando o PSOne nele com qualidade bem razoável.

          Tem um cara no forum, um alemão, que desenvolveu uma plaquinha para usar a carcaça, display, bateria, falantes e botões de um PSP com o CHIP. Basicamente você retira a placa do PSP, entra com essa placa dele e encaixa o CHIP em cima. E roda vários emuladores. Achei muito foda!

        2. Eu comprei o CHIP (sem o Pocket) na época do Kikstarter deles e depois me empolguei com o Pocket e acabei comprando. Além do pico8, os caras da comunidade deles portaram uma penca de emuladores. Estão emulando o PSOne nele com qualidade bem razoável.

          Tem um cara no forum, um alemão, que desenvolveu uma plaquinha para usar a carcaça, display, bateria, falantes e botões de um PSP com o CHIP. Basicamente você retira a placa do PSP, entra com essa placa dele e encaixa o CHIP em cima. E roda vários emuladores. Achei muito foda!

          1. tentei comprar um, mas eles estão cobrando U$40 de taxas… estou tentando ver se eles tiram isso, se não, nada feito.

            gostei mesmo do equipamento e vejo muitos potenciais nele, pra além dos jogos até, numa sala de aula.

  9. Vocês conseguem fazer cursos online tipo o Coursera, entregar todo o conteúdo e tals?

    Eu sempre usei de material de apoio para estudar, mas nunca tentei fazer o curso realmente sério, acho que teria dificuldades com a disciplina…já que acabo só vendo as partes que me interessa.

    1. Fiz diversos cursos no Coursera, alguns deles inclusive pagos. No começo levava muito “nas coxas”, fazendo quando dava, ou ainda deixando pra ver várias aulas em seguida, mas aprendi por experiência própria que não adianta não encarar como uma aula presencial.

      É necessário disciplina, criar rotina de isolamento para se dedicar ao conteúdo, respeitar horários, cumprir atividades, senão a distração acaba tirando a gente do foco principal.

      1. Concordo. É importante a disciplina e um objetivo para o curso. Fiz alguns muito bons porque estudei e no momento abri mão de alguns porque sei que não tenho tempo disponível.

    2. abandonei um curso online, mas mais por estar achando o conteúdo fraco… mas não é tão fácil acompanhar, mesmo não tendo essa necessidade de ir. acabei me matriculando um presencial mesmo. acho q tende a ser um compromisso com outras pessoas envolvidas e isso te compele a ir e manter a assiduidade…

    3. Fiz um do ITS-Rio recentemente. Achei o conteúdo bom, mas a dinâmica EaD é exigente demais. Não há muita interação (no nosso caso, era só um chat em texto) e as aulas, de duas horas, ao final cansavam muito, por melhor que fosse o professor (e alguns eram bem bons).

      Admiro a galera que faz graduação EaD. Aprendi bastante ali e, quanto a isso, nada a reclamar, mas é preciso muita disciplina e empenho para aguentar o ritmo.

    4. Fiz um do ITS-Rio recentemente. Achei o conteúdo bom, mas a dinâmica EaD é exigente demais. Não há muita interação (no nosso caso, era só um chat em texto) e as aulas, de duas horas, ao final cansavam muito, por melhor que fosse o professor (e alguns eram bem bons).

      Admiro a galera que faz graduação EaD. Aprendi bastante ali e, quanto a isso, nada a reclamar, mas é preciso muita disciplina e empenho para aguentar o ritmo.

    5. Esse ano cheguei a fazer 3 cursos online, um deles foi muito bom com professores de diversos países. Entretanto, a pessoa precisa estar disposta a criar uma rotina de estudo com esse fim (parece fácil,mas, é bem difícil).

  10. dbrand, one plus e Marques Brownlee tão sorteando cem(!!) oneplus 3T no Twitter, neste endereço (https://dbrand.com/winners ) tem os detalhes para participar da promoção. Já saíram 20, mas ainda acho que alguém do manual pode levar a sorte grande. =)

    1. Ghedin, você já pensou em se juntar a esses sites que fazem crowdfunding recorrente pra firmar uma parceria? No sentido de fazer uma “promoção de assinatura”: pague um, leve três. Isso, claro, mantendo a independência entre os três veículos. Não sei se seria uma boa ideia, apenas estou jogando ela no ar, mas enxergo algumas vantagens: seria mais econômico (e menos burocrático) para o leitor, permitiria uma troca de públicos maior entre os sites, etc.

      1. Não consigo ver um público que vá gostar de Tech, Games e Basquete, ainda mais num preço realizável para ambas as partes, públicos e os sites, em 2 deles é cobrado 8 reais, e noutro começa em 3 reais. Mas ainda sim ficaria caro para alguém para que se justificasse, ou ainda, não vantajoso.

        Pessoalmente, não gostei do layout do overloadr. E quando se paga para um conteúdo desses, você acaba esperando bastante,e é algo a se levar em consideração quando se associa tua marca com a dos outros. Mas gosto bastante do trabalho de Pedro Falcão, ex-Kotaku, que acompanho há anos, gosto bastante de seu trabalho.

      2. Não consigo ver um público que vá gostar de Tech, Games e Basquete, ainda mais num preço realizável para ambas as partes, públicos e os sites, em 2 deles é cobrado 8 reais, e noutro começa em 3 reais. Mas ainda sim ficaria caro para alguém para que se justificasse, ou ainda, não vantajoso.

        Pessoalmente, não gostei do layout do overloadr. E quando se paga para um conteúdo desses, você acaba esperando bastante,e é algo a se levar em consideração quando se associa tua marca com a dos outros. Mas gosto bastante do trabalho de Pedro Falcão, ex-Kotaku, que acompanho há anos, gosto bastante de seu trabalho.

        1. Na realidade, Games e Tech possui um público bastante em comum, mas quanto ao Basquete… Não acho que seja um esporte que chegue a ser “impopular”, mas entendo sua preocupação.

          Quanto ao preço, considerando que haveria uma economia aí na taxa do pagamento, e colocando na equação um público que seria maior, acho que seria fácil chegar num valor de 15 a 16 reais para os três sites. Eu pelo menos me sentiria mais tentado a pagar em um “kit” com três sites…

          1. É um esporte não-popular ao menos no Brasil, em outros locais é febre, mas ao menos no mainstream isso se faz verdade, que existe público existe, tanto que o nicho é bem explorado. Sobre os games, sou um jogador bem casual de 1 ou 2 FPS e alguns games indies que me chamam a atenção, além de ainda jogar SimCity 4. Não consigo ver games como uma categoria a ser considerada, mas isso sou eu, e aparentemente estou errado.

      3. Eu acho q o MdU tem mais força pra abrigar outros sites do q ele se juntar a outros… Pensando no próprio nome do site “manual do usuário” e estendo a um conceito e se aproveitando da linha mais crítica e desacelerada, isso dá pra levar pra outros campos ou pra nichos específicos na área de tecnologia.

  11. Pessoal, me cadastrei numa promoção da Samsung pra ganhar um fone bluetooth Level U Pro, alguém conhece? É bom? Achei feio, mas pelo que li, parece bom.
    E é aquilo né, de graça! Hehe

    1. Dei uma pesquisada, é só eu, ou o U envolto no pescoço aparenta ser desconfortável?

    2. Quando eu tava pesquisando alguns fones Bluetooth, me disseram que esse era bom. De qualquer modo, o salto na praticidade ao ficar livre de fios é enorme.

    1. terei uma semana de “folga”, então vai um high-five em muito entusiasmo…

    2. terei uma semana de “folga”, então vai um high-five em muito entusiasmo…

        1. é q tô com um banco de horas de 700 horas… então tenho umas margens aí. agora férias só em setembro (se ainda estiver empregado, claro).

        2. é q tô com um banco de horas de 700 horas… então tenho umas margens aí. agora férias só em setembro (se ainda estiver empregado, claro).

    3. sempre preferi as férias longe de dezembro, já que em dezembro todo mundo tira férias e é bem tranquilo trabalhar, o ritmo é bem menor. Mesmo motivo pra eu não tirar em fevereiro (carnaval).

      Mas não preciso viajar pra outra cidade pra ver família, isso talvez pese pra quem prefere dezembro.

    4. sempre preferi as férias longe de dezembro, já que em dezembro todo mundo tira férias e é bem tranquilo trabalhar, o ritmo é bem menor. Mesmo motivo pra eu não tirar em fevereiro (carnaval).

      Mas não preciso viajar pra outra cidade pra ver família, isso talvez pese pra quem prefere dezembro.

  12. Sexta-feira, dia mundial da procrastinação!!! Tradição respeitadíssima aqui no Brasil!!!

    Só queria mandar o salve que o melhor custo/benefício saiu do moto g, para os zenfone da Asus.

    1. Mas pra quem gosta de Android puro, continua c o Moto G xP
      PS.: No TudoCelular, o custo benefício do Moto G4 normal tá em 9.6 (se n me engano)

        1. Problema é que os celulares da Asus são mais feios que bater na mãe. Acho que o melhor CxB, por incrível que pareça, são os Galaxy A.

          1. Putz, não consigo gostar dos Asus de jeito nenhum. Os Galaxy A tão todos muito bonitos, parecendo com a linha S. Os Motorola são bonitos também, mas menos que os Samsung.

          2. Nem o Zenfone 3? Os antigos eu não achava feios, mas… peculiares. Entendo quem não gostava deles, a linguagem de design da Asus era estranha. Mas com o Zenfone 3, acho que acertaram a mão. É muito bonito e de bom gosto. Pena que esse capricho ainda não se reflete na ZenUI…

          3. Ainda não vi o Zenfone 3 pessoalmente então não sei dizer muita coisa. Pelo que vi nas fotos, ele realmente ficou bem mais bonito na frente e dos lados mas o elemento que eu não gostava permanece lá na traseira: Esse material “reflexivo” que, pra mim, deixa o aparelho com cara de chinês. :/

            E eu nem vou falar nada sobre a ZenUI senão vou acabar sendo taxado de hater, hahahah

            http://www.zenfone3brasil.com.br/blog/wp-content/uploads/2016/06/Zenfone-3-dimens%C3%B5es-e1464816270460.jpg

          4. A Asus é chinesa, e aliás, esse tipo de acabamento é muito popular na ásia, um mercado que mesmo que venda mal, irá dar mais resultados e lucros que se for líder de venda em todo o ocidente.

            Mas é daquilo, gosto é algo subjetivo, e só há X maneiras de se fazer um retângulo com uma tela. Mas ainda sim, acho um telefone interessante.

          5. Entendo porque diga que é Taiwanesa, assim como chinesa, ainda sim, a considero chinesa, sendo membro integrante da República Popular da China.

          6. Entendo porque diga que é Taiwanesa, assim como chinesa, ainda sim, a considero chinesa, sendo membro integrante da República Popular da China.

          7. Saquei. É meio marca registrada da Asus, né? Se estende até para notebooks e tal… A troca do plástico pelo vidro e o fato da parte de trás ser plana deu um ar mais sofisticado a ele. Dos mid-range que testei recentemente, achei ele o mais bonito de todos!

          8. Nem todos, meu notebook Asus K555LB tem acabamento em alumínio.

          9. Nem todos, meu notebook Asus K555LB tem acabamento em alumínio.

          10. Peitei comprar um cel desta marca pq ela sempre foi referência em motherboard, logo, calculei, se consegue fazer uma placa-mãe referência, não conseguirá fazer um smartphone aceitável?!

            Único porém, até agora, é a assistência técnica, precária a quantidade de locais, acho que só em SP.

          11. Acho os aparelhos da Sony os mais bonitos, mas custo benefício passa bem longe :(

          1. A TouchWiz discorda, veja quanto tempo demorou para ela finalmente ficar boa, ou ao menos, não-ruim. Isso era rodando no suprassumo da tecnologia.

          2. A TouchWiz discorda, veja quanto tempo demorou para ela finalmente ficar boa, ou ao menos, não-ruim. Isso era rodando no suprassumo da tecnologia.

          3. Depende da referência que você está usando. No caso achei que era quanto ao hardware, mais difícil de resolver do que o software.

          4. O Hardware não se resolve, se troca. Se você tem um hardware ruim, nem o software mais otimizado pode tirar proveito, as vezes, do hardware em si, no Android isso é mais difícil, pois não se tem controle total sobre o Software, e um celular competitivo não consegue ser muito otimizado, pois custa dinheiro e as empresas não tem feito dinheiro com celular, o que acaba dificultando as coisas.

          5. Num Android só se resolve o problema do software, a não ser que o hardware seja defeituoso, não há o que resolver, apenas num novo produto.

      1. Mas quais os critérios usados para se chegar nessa nota? O problema de pontuação é que geralmente falta um método ou, se ele existe, é bem capenga.

        Depois da Black Friday, passou a ser relativamente comum encontrar o Moto G4 Plus por menos de R$ 1 mil. Aí ele fica um custo-benefício bem interessante!

        1. Tô acompanhando o preço e tá bem interessante mesmo. Esse G4 Plus será meu próximo telefone se o meu digníssimo Moto X da primeira geração vir a óbito.

          1. Do jeito que o meu Moto X de 1a. geração tá resistente, acho que vai ser é o Moto G5 Plus ou ainda o G6 Plus :-P

        2. Acredito que seja relação entre hardware e menor preço. Tanto é que agora o VB caiu menos de 9 (acredito que por aumento do menor preço)

      2. Eu pensava assim também, mas depois do Zenfone 3 acabei adorando a ZenUI e suas modificações.

        Por exemplo, ele tem um gerenciador de notificações que é uma mão na roda: permite ver os aplicativos que mais chamam a atenção e bloqueá-los sem dó nem piedade :P

      3. Eu pensava assim também, mas depois do Zenfone 3 acabei adorando a ZenUI e suas modificações.

        Por exemplo, ele tem um gerenciador de notificações que é uma mão na roda: permite ver os aplicativos que mais chamam a atenção e bloqueá-los sem dó nem piedade :P

        1. Hahahaha mesmo assim. Acho a interface pura bem mais consistente com a linguagem de Google, e isso pra mm um conta muito

        2. Hahahaha mesmo assim. Acho a interface pura bem mais consistente com a linguagem de Google, e isso pra mm um conta muito

      1. Talvez este seja um dos motivos para o qual a Fitbit tenha comprado a Pebble.

  13. 2016 tá tão de cabeça pra baixo que a Samsung tá se comprometendo com as atualizações mensais de segurança do Android e a Motorola não…

Os comentários deste post foram fechados.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!