Dois homens, em poses diferentes, usando cuecas pretas da Insider, um em cada canto da imagem. No centro, a frase: “A cueca mais confortável com 12% Off. Cupom MANUALDOUSUARIO12”

Post livre #46: Especial de Carnaval

Alguém por aqui? Que bom! Achei que isso fosse ficar vazio no Carnaval…

Por “especial”, entenda um post livre mais longo — começa agora, termina na hora do almoço da quarta-feira de cinzas.  A fórmula é a mesma, ou seja, o espaço de comentários aberto e livre para conversarmos sobre qualquer coisa.

399 comentários

  1. Praticamente duas horas de pesquisa perdidas q estava anotando no Evernote :(

    Subitamente tudo virou um ponto e sem chance de reversão. Não sei explicar o q houve. Certamente algum ato desastrado meu, mas ele ficar irreversível foi de lascar. E, pior, ia anotar tudo numa caderno, mas pensei q poderia precisar disso e na nuvem seria melhor. Foi o meu primeiro golpe com o Evernote q tanto gosto… Vou usar só o app e a versão web no desktop, pq o programa me ferrou legal…

    1. Ano passado o Evernote enfrentou uma onda pesada de críticas pela precariedade dos aplicativos. Pelo visto, ainda falta arrumar algumas coisas…

      Sempre usei, sem dores de cabeça, o Simplenote para isso. Agora, estou usando o Notas da Apple.

  2. Apesar do horário, aqui vai: alguém usa o Blender pra edição de vídeo? Estava procurando editores gratuitos leves e bons e me apareceu esse pra fazer par com o Audacity.

  3. Salvem a madrugada desse pobre menino. Indicações de uma série boa para quem gosta de MR. Robot e black mirror.

    1. Ainda não tive tempo de ver, mas dizem que Humans é bem boa.

      1. Sim!! Humans é muito boa, pena eu já não ter cidade ela. Tb já assisti.rsrs

    2. Poxa, são série bem específicas e não vi muitas do tipo, mas sugerira ‘True Detectives’, a primeira temporada q vi, já q vc curte uma história bem amarrada como as das séries q vc citou. Mas essa passa ao largo de tecnologia… Se vc ainda não viu, vale a pena.

  4. Quem por aqui assiste Suits? Estão gostando do retorno da 5a temporada?

    1. Assisti a primeira e a segunda e achei muito boa.
      A terceira foi tão ruim que até desisti. Recomenda voltar a assistir?

    2. Assisti a primeira e a segunda e achei muito boa.
      A terceira foi tão ruim que até desisti. Recomenda voltar a assistir?

    3. Eu assisto, é uma das minhas preferidas porém ainda nao assisti a quinta pois estou tomado pelo carnaval, alias, to atrasado em várias séries.

    4. Assisto, curto para passar o tempo.
      Nunca exijo muita coisa dela.

  5. Aproveitando o carnaval para a prática de nerdices! Descobri um tal de CloudReady, um sistema baseado no ChromiumOS mas que se assemelha muito ao ChromeOS (pelo que consta, eles têm até a bênção do Google) e instalei no meu netbook velho de guerra, do qual acompanho este Post Livre. Alguém já teve a oportunidade de experimentar um ChromeBook? Confesso que tenho tido dificuldades em me adaptar com a idéia de um sistema baseado num navegador. Se alguém tiver alguma dica, será bem vinda.

  6. E ai amigos, como ta sendo o carnaval dos senhores e senhoras? hoje to tirando o dia para descansar, porem sairei novamente a noite!

        1. Pra ficar só em três, Spotlight foi o melhor que vi até agora. Sem dúvidas um ‘must see’. Steve Jobs e Rushmore (velho, mas estava devendo) que são muito bons.

          1. Rushmore é muito bom. Acho que o Wes Anderson é um excelente diretor e roteirista

          2. Rushmore é muito bom. Acho que o Wes Anderson é um excelente diretor e roteirista

          3. esse eu não vi. vou colocar na lista aqui já q vcs estão achando muito bom.

          4. Puts, calhou q não vi nenhum desses ainda. Queria ter visto o “os oito odiados”, mas já saiu de cartaz. Se o spotlight tiver em cartaz no fds vou tentar ver. “O filho de Saul” é muito foda mesmo. Saí arruinado do cinema… E depois vi “O regresso”. É bom, mas, como já disseram, lembra demais os filmes do Tarkovski.

          5. Puts, calhou q não vi nenhum desses ainda. Queria ter visto o “os oito odiados”, mas já saiu de cartaz. Se o spotlight tiver em cartaz no fds vou tentar ver. “O filho de Saul” é muito foda mesmo. Saí arruinado do cinema… E depois vi “O regresso”. É bom, mas, como já disseram, lembra demais os filmes do Tarkovski.

          6. Quero ver esses que você falou em breve, são os próximos aqui na minha lista.

          7. Quero ver esses que você falou em breve, são os próximos aqui na minha lista.

          8. os sons em ‘o filho de saul’ vão ficar na minha cabeça pra sempre. eles conseguiram fazer uma plausível visão do inferno ali.

      1. muitos. até enjoar. hahaha
        e começamos a ver Flash, que é muito bom. e olha que eu nem curto séries.

        1. Estou pensando em ver Flash também, mas tenho um pé atrás com essas séries da DC.

    1. Era pra ter feito um monte de coisas, mas fiz bem pouco. O q deu pra fazer foi ver o Mondrian no CCBB-SP e instalar um lustre aqui em casa… Amanhã quero ver o “Regresso” e se der tudo certo “Filhos de Saul”. De carnaval mesmo, só vi pessoas fantasiadas perambulando pela cidade. Algumas bem interessantes, diga-se.

        1. dentro do movimento faz muito sentido. eu curti muito :)

    2. tivemos que vir “trabalhar”. recebi apenas 1 ligação durante o dia e era só pra compartilhar uma impressora.

  7. Aquele argumento de pequenas corrupções do dia-a-dia legitimarem as corrupções políticas é ~válido?

    1. Em partes. Muda se a cultura antes para mudar a política depois

    2. Acho meio maniqueísta dizer que pagar alguém para te passar antes no restaurante é igual desviar dinheiro público. Entretanto, também acho que a gente tem uma facilidade de relativizar corrupções, já que na política vivemos uma situação meio fora da régua nesse aspecto.

      O que o Neymar estava fazendo para não pagar imposto, por exemplo, é a coisa mais comum do mundo, o mercado de TI tem vários modelos de contratação para evitar os encargos de CLT. De fato, é complicado enquadrar judicialmente tanto Neymar quanto profissionais de TI, mas é algo que todos sabem a motivação: sonegar imposto. Entretanto, ninguém se enxerga na mesma situação, já que eu sou apenas um classe média sobrevivendo e ele é muito rico egoísta.

      Acho que a classe média se escora muito em sua relativa pobreza para se justificar: como as sonegações e os desvios são de milhões ou bilhões, tudo fica pequeno. Quando você não paga os 27,5% do seu salário de 10k, não é nada perto do Neymar com seu salário de milhões. Parece ridículo quando um deputado reclama do seu salário, mas considerando os valores de corrupção e ganhos que ele trabalha, realmente não é nada demais.

      Se a corrupção dos 1% é socialmente aceitável, só as do 0,1% não, acho que há uma sensação de “pode tudo” disseminada para grande parte da população.

    3. Acho meio maniqueísta dizer que pagar alguém para te passar antes no restaurante é igual desviar dinheiro público. Entretanto, também acho que a gente tem uma facilidade de relativizar corrupções, já que na política vivemos uma situação meio fora da régua nesse aspecto.

      O que o Neymar estava fazendo para não pagar imposto, por exemplo, é a coisa mais comum do mundo, o mercado de TI tem vários modelos de contratação para evitar os encargos de CLT. De fato, é complicado enquadrar judicialmente tanto Neymar quanto profissionais de TI, mas é algo que todos sabem a motivação: sonegar imposto. Entretanto, ninguém se enxerga na mesma situação, já que eu sou apenas um classe média sobrevivendo e ele é muito rico egoísta.

      Acho que a classe média se escora muito em sua relativa pobreza para se justificar: como as sonegações e os desvios são de milhões ou bilhões, tudo fica pequeno. Quando você não paga os 27,5% do seu salário de 10k, não é nada perto do Neymar com seu salário de milhões. Parece ridículo quando um deputado reclama do seu salário, mas considerando os valores de corrupção e ganhos que ele trabalha, realmente não é nada demais.

      Se a corrupção dos 1% é socialmente aceitável, só as do 0,1% não, acho que há uma sensação de “pode tudo” disseminada para grande parte da população.

        1. mas são poucos os q podem sonegar impostos, não? porque desconta direto na fonte. a maior das pessoas economicamente ativa são assalariadas ou vivem da economia informal? dependendo do q for, pode ser q sonegar seja uma possibilidade para poucos, porque, um camelô, por exemplo, q sonega e, provavelmente, mesmo se quisesse não poderia pagar impostos já q a origem de sua mercadoria muitas vezes não tem comprovação… mas ao comprar produtos q já saem da indústria tributado com o q ele ganha, creio q, de um jeito ou de outro, todos pagamos impostos. a questão é q o nosso governo, desde qdo sou garoto, só quer mais e mais, tamanha a farra q eles levam adiante. isso simplesmente em todas as esferas.

          1. o camelô, assim como muitos, se escora na legislação do Microempreendedor Individual. Ele não tem obrigação de emitir nota se seu faturamento não passe de 60k por ano.
            Então ele vai levando o negócio com o “jeitinho brasileiro”

          2. pelo q eu saiba, qdo é comércio, vc tem q emitir nota. só qdo é serviço q vc pode se safar… mas não manjo do assunto, então posso estar falando bobagem. eu entrei nessa mesma categoria e tenho q emitir nota :/

          3. aqui em Passo Fundo a prefeitura implementou a nota de serviço eletrônica e com isso tivemos crescimento de clientes.
            mas emitir a NFSe é raro em meios como consultórios médicos…, ou seja, dá pra ter uma idéia do quanto esses caras sonegam imposto….

          4. ao invés de aumentarem impostos, deveriam diminui-los e forçar as pessoas as pagarem pelo menos um pouco, acho q seria melhor pra todos, pq já q a sonegação não é combatida, eles cobram mais e mais. e veja q é a mesma lógica da água. aqui em sp se desperdiça 40% da água na rede de distribuição e parece q algo não muito diferente acontece com a distribuição de energia… Nos dois casos eles aumentam a tarifa ao invés de combater as perdas.

          5. ao invés de aumentarem impostos, deveriam diminui-los e forçar as pessoas as pagarem pelo menos um pouco, acho q seria melhor pra todos, pq já q a sonegação não é combatida, eles cobram mais e mais. e veja q é a mesma lógica da água. aqui em sp se desperdiça 40% da água na rede de distribuição e parece q algo não muito diferente acontece com a distribuição de energia… Nos dois casos eles aumentam a tarifa ao invés de combater as perdas.

          6. eu tenho que me informar como funciona a tarifa por aqui. eu tento poupar ao máximo de água, mas a conta sempre vem entre 55 e 65 reais.
            desconfio que eu esteja naquela ‘taxa mínima’ de uso.
            se me permite, quanto é o sua despesa com água por ai?

          7. aqui energia fica em 100 (o q é um abusrdo, pois somos apenas dois) e água custam 40. a água eu entendo q seja cara, pq é um recurso escasso, mas é cruel com quem tem pouca grana ou com quem sofre com os rodízios q o governo custa em oficializar.

      1. Vi uma entrevista de um tributarista no Programa do Jô há uns 10 anos e, embora eu também não concorde totalmente com a sonegação, o que o cara disse fazia sentido: A política tributária brasileira é tão absurda que, dependendo da situação e do tamanho da empresa, chega uma hora em que vale a pena arriscar e sonegar. Aí ele cita o exemplo de uma micro empresa: Se desde o começo do começo do processo de abertura a empresa recolher tudo o que deveria recolher de acordo com a legislação, em três meses ela vai à falência. Ou seja, tem hora que a sonegação é uma questão de sobrevivência.

        1. Se os governos dependessem de cotas de contribuição voluntária, eles se esforçariam mais pra usar o q tem e ofereceriam serviços melhores para q as pessoas doassem mais. Mas eu vejo, por exemplo, pela doação de sangue. Poucas pessoas doam sangue, mesmo sabendo q ele pode salvar vidas, mas como são vidas de pessoas desconhecidas, talvez isso não motive vc a doar o seu sangue. Daí um governo q dependesse de doações, estaria em maus lençóis. Eu acho arbitrário ter q pagar tanto imposto especialmente se não há retorno, mas qdo abri minha empresa, fiz questão de pagá-los, porque é o mais correto tendo em vista q deixar de pagá-los pode comprometer várias áreas em q APENAS o governo atua. É complicado, mas se o governo deixasse de cobrar impostos ou fosse mais brando com sonegadores, eu presumo, q ninguém mais pagaria…

          1. Não sou contra a cobrança de impostos por parte do governo. Sem eles a máquina estatal não se sustenta. Sou contra a cobrança abusiva, extorsiva até, que sofremos todos os dias, que reduz nosso poder aquisitivo e que é mal gasto pelo governo, que não se reverte em benefícios para o coletivo. Chega num ponto que, como cidadão, me bate aquela questão: Posso pagar ou posso sonegar. Se eu pagar, vou ver o retorno dele?
            É tipo pagar pedágio em estrada bem conservada: Sou favorável porque tenho um asfalto que mais se parece um tapete, faixas reflexivas, placas de sinalização, e aquelas tartarugas que indicam as faixas da estrada. Pago o pedágio para ter aquilo ali a meu dispor. Por outro lado me bate uma revolta desgraçada quando pago IPVA, taxa de licenciamento, CID e sabe-se lá mais o que e tenho que rodar numa estrada administrada pelo governo e que está esburacada e mal sinalizada. No imposto eu paguei por uma estrada tapete tipo a do primeiro exemplo, mas levei esse lixo!

          2. É, mas veja q bisonho, o CTB diz q as estradas precisam ser assim, completamente em ordem e bem sinalizadas etc e isso PODE ser feito com essa fábula de imposto q pagamos, mas, apesar disso, eles vão lá e privatizam, pq o dinheiro arrecadado não chega lá, dada o superfaturamento em tudo qto é obra de todas as esferas, de todos os governos… Acho foda isso tb. Pra ficar no exemplo q vc deu e parece q estamos fazendo um bom negócio, mas, na verdade, pela lei, q deveria valer para todos, estamos pagando duas vezes pela mesma coisa… :/ Tb não sou contra impostos, mas sou dessa mesma opinião q a sua, q pagamos impostos de mais e não tem um puto q apareça aí dizendo q vai mudar isso, muito pelo contrário, e, apesar de sermos roubados diariamente, ninguém parece estar muito preocupado, contato q um outro vá pra cadeia, tá tudo certo e bonito. :/

          3. Ah sim, eu concordo com isso também! É um absurdo pagarmos duas vezes, mas meio que já me conformei com isso porque, no final das contas, nesse país, esperar que o governo faça o que lhe compete é esperar demais. Ou seja, se quero rodar numa estrada boa eu sei que vou ter que pagar (de novo) por isso. No final, sai menos caro pagar dobrado pela estrada boa do que os reparos do carro por rodar em estrada ruim.

        2. eu trabalho com desenvolvimento de softwares para pequenas empresas e pelo que vejo é mais facil sonegar no começo…, temos muitos clientes que emitem o mínimo possivel de NFe ou nem emitem.

    4. Tava pensando isso hoje. Desde coisas triviais como furar semáforo…. Vi 2 camionetes fazendo isso hoje. Quando colocam lombada eletrônica reclamam de “indústria da multa”. Se o cidadão é corrupto com coisas tão simples ele poderia reclamar de um político?

      1. tuneman, desculpe, mas furar farol é infração gravíssima :/

        1. Sim. Mas como a guarda municipal não fiscaliza o pessoal abusa. Fora os motoqueiros… O fim de semana é foda aqui no centro. Cada vez mais sou a favor de fiscalização eletrônica

          1. Lombada eletrônica é legal, mas o cara diminui qdo ela está chegando e depois taca lhe pau. O lance era ter aqueles radares com média de velocidade, mas isso em avenidas, claro. Nas ruas, espera-se respeito aos limites… mas, sinceramente, não boto fé q esses q se incomodam com a fiscalização respeitem qdo não estão sendo vigiados em ruas residências e de baixa velocidade.

    5. engraçado, geralmente ouço o argumento ao contrário.

  8. Aproveitando esse feriado maravilhoso onde todo mundo parece esquecer seus problemas, sou só eu ou os movimentos sociais no Brasil se tornam cada vez mais exagerados? Venho percebendo que seja o racismo, a homofobia, o privilégio dos mais ricos e a suposta (e inexistente) restrição religiosa ganham mais destaque e atenção que elementos que realmente deveriam ser mais valorizados em nossa situação atual como saúde, educação, segurança… Como se políticos se restringissem a um movimento específico pra angariar votos, uma onda de político pastor, político gay, político de esquerda e menos político pró-povo no sentido amplo da palavra, estaria o brasileiro caminhando pra um individualismo chato e prejudicial?

    1. JK, é curiosa a sua observação, porque qdo alguns movimentos sociais estão nas ruas, pelo menos em SP, eles são alvo de rejeição e qdo não estão, são alvo de cobrança. O curioso é q a rejeição e a cobrança partem dos mesmos grupos, mas ok. O carnaval, a mim e a muitos, é um feriado longo e de diversão. É uma trégua geral e para aqueles q estão na rua em momentos críticos, como qdo a polícia vem pra cima por dias e dias, q mal há fazer uma pausa? A mim me parece ok tb, porque, convenhamos, apanhar tb no carnaval, é osso.

      Eu não vejo os movimentos sociais como exagerados de um modo geral, mas talvez possa haver, sim, um caso ou outro de radicalismo, mas seria legal indicarmos quais pra não generalizarmos. Quer dizer, faria mais sentido, não?

      A parte final do seu comentário ficou um pouco confusa pra mim, porque, afinal, há os movimentos sociais, q lutam por causas sociais, isto é, coletivas e há o individualismo q, por um lado, não é de todo deletério se, por exemplo, vc e outros, individualmente, tomam atitudes conscientes de um modo geral. Talvez o crivo de chato, se se pensar em pessoas críticas demais, possa ser aplicado, mas me parece válido q haja uma multidão de chatos cobrando por melhorias coletivas e tb individuais, afinal, não vivemos em manadas (apesar de sermos tratados assim).

      O q acha?

      1. Quando cito movimentos não me refiro especialmente ao de minorias (sendo eu parte de uma) mas também religiosos e conservadores. Claro, é comum e necessário que haja divergências políticas num ambiente democrático, meu problema maior no momento seria o “o meu é mais importante que o seu” e que se ferre o resto, vejo classes cada vez mais individualistas que não só desejam uma melhora individual como cercear a individualidade de outras, ver por exemplo uma parcela politica ser contra uma lei anti-homofobia por restringir a liberdade religiosa, por “não poder mais nem ser contra algo”. Tendo embasamento puramente religioso, deveria se restringir a questão religiosa comentários a respeito de homossexuais, qualquer ação fora disso como generalizar o grupo de forma baixa e caluniosa merecia sim uma análise, o mesmo valendo para negros, mulheres e religiosos… Ataques de odio… O que quero dizer, de um jeito bem porco, pois sou péssimo pra me expressar é que se um lado luta por melhorias é porque outro restringe direitos básicos e humanitários, que o pluralismo e entender a importância da felicidade e liberdade do próximo seria um ótimo caminho pra um país melhor e focado em evolução e melhora pra toda população.

        1. Se vivêssemos conforme diz nossa consitituição, estaríamos super bem agora, talvez até melhor q a Suécia, mas não é assim. Sem q se exige direitos, é porque algum determinado grupo de interesse ou apenas a maioria está esgarçando o direito alheio. Então, as minorias ou q estão vendo sendo direitos violados, tendem a se manifestarem através de pessoas com ímpeto ativista. Acho difícil um grupo ativista defender uma melhoria social total. Isso tenderia a ser perder, algo similar ao q aconteceu com as manifestações de Junho de 2013, qdo milhares de pautas surgiram e muito pouco foi feito. Grupos menores q reúnam demandas mais específicas tendem a se especializar e indicar melhor o q é preciso melhorar de maneira pontual e mais vinculada à realidade, já q esses grupos, claro, prestam atenção nos orçamentos públicos disponíveis e no q é viável fazer ou não. Qtos mais grupos específicos, melhor. Afinal, há causas específicas q poderiam passar batido. Pq, veja, temos um sistema de saúde totalmente arruinado? Creio q não. Temos um sistema educacional totalmente arruinado? Não dá pra dizer isso. Temos a chance de sermos mortos por facínoras sanguinários? Sim, mas muito pouca… Não vivemos no caos ou num sistema totalmente arruinado. Preciso de melhorias em todos os seguimentos, mas não tem como um figurão q seja abraçar tudo… Daí q a esquerda tem suas afinidades e a direita as suas. Não é possível afirmar q tudo o q reivindica a direita seja execrável mesmo de um ponto de vista de alguém de esquerda. Pô, exigir um gasto racional dos recursos públicos deveria ser consenso, mas não é, e não é justamente por conta das demandas q existem e q são maiores q os recursos disponíveis hj. Nossa país não é pobre, mas tb não nada em dinheiro… Nosso sistema judiciário é pavoroso em muitos sentidos, mas ele resolve uma série de outros problemas e, nitidamente, trabalha sobrecarregado e é entregue a pessoas incompetentes como era, por exemplo, o Nalini.

          Esses grupos q tentam reduzir direitos e aumentar os seus, são, sim egoístas, mas o movimento não é totalmente estranho, já q não há recursos infinitos. Quando certos grupos anseios para que as pessoas possa, finalmente, se armarem e todo mundo pode ter uma arma, eles nitidamente pensam em segurança e tb no próprio comércio ligado a esse segmento, mas ao não pensarem no impacto q isso tem numa sociedade destrutiva como a nossa, é nitidamente algo individualista no pior sentido, já q a segurança não vai aumentar, na verdade é justamente o contrário… vai diminuir, já q o meu vizinho pode me dar um tiro se eu espirrar no elevador.

    2. Movimentos sociais no Brasil? O que existe por aqui é gente financiada com dinheiro público com o objetivo de defender interesses de partidos.

          1. nunca consegui entender essa fixação que o pessoal de direita tem com o MST (que a bem da verdade eu nem conheço o suficiente para defender ou criticar)

            mas esse dinheiro aí que supostamente o MST recebeu do governo federal é dinheiro de pinga perto do que o agro-negócio mama nas tetas do governo federal, de qualquer partido…o agro-negócio praticamente vive (e lucra!) do dinheiro subsidiado pelo governo federal

            http://economia.ig.com.br/empresas/agronegocio/2015-06-02/dilma-anuncia-r-188-bilhoes-para-o-agronegocio-20-a-mais-que-na-ultima-safra.html

          2. “Fixação do pessoal do direita”…

            Agora quem não apoia esse tipo de BANDIDAGEM é de direita?

            Tem que ser completamente alienado para defender esse tipo de coisa e ainda querer argumentar com outra classe de apadrinhados do governo.

          3. IMHO o uso de agrotóxicos já diminuiu muito, mas no resto eu concordo.
            mas não deixa meu pai ouvir que eu disse isso!! ele é agricultor e tive oportunidade de me tornar.
            a área agricola é dominada por pessoas conservadoras. Na cabeça deles existe um risco de ‘prejuizo’ é MUITO difícil fazer alguma mudança.

          4. imagino. existem faculdades e tal e q poderiam disseminar o conhecimento na área, mas não parece ser a praia da maioria. nem todos fazem essas práticas criminosas, claro. o q me vem à mente nesse casos são os mega produtores. muitos fazendeiros pequenos são explorados, diga-se, por alguma indústria… e o trabalho no campo é duro e com cada vez menos gente interessado em fazê-lo. :(

          5. a nossa região é dominada por pequenos produtores. o receio deles é perder area de plantio, ou seja, ter que reflorestar ou obedecer a reserva legal.
            aqui não ocorre aqueles absurdos de desmatamento como no norte e nordeste. aquilo é pra quem tem muita grana.

          6. tem as fazendas de gado tb, né? q dão origem a um puta desmatamento… é uma parada complicada isso e eu acho q estamos indo pra uma situação cada vez pior, pq todo o desmatamento da amazônia fez chover menos aqui no sudeste como dizem vários cientistas… eu parei de comer carne pelos animais, mas isso tb pode ajudar um pouco nessa questão do clima.

          7. vc falou q poderia ter se tornado um. aqui na capital se fala com certo ranço dos agroboys. eu nunca tive contato com eles, então não sei qual é a mentalidade dos caras pra comentar. mas o fato de muitos terem dinheiro farto, desperta ressentimento nas famílias urbanizadas sem a mesma gaita.

          8. Não vou comentar sobre a CUT pois tenho minhas críticas a ela — de fato, ela é por demais governista.

            No entanto, a crítica ao MST não procede, pois se trata de um grupo popular, constituído por trabalhadores, que está disputando recursos públicos para investir no bem público (diferente do que fazem empresas que solicitam verbas ao BNDES, por exemplo, que estão interessadas apenas no bem privado).

            Dinheiro público está aí para ser gerido e disputado publicamente, segundo princípios de transparência. O MST faz isso de forma coerente e prezando pelo espírito público — diferente de uma empresa como a Vale, por exemplo…

            (enfim: o dinheiro destinado à reforma agrária é pouco, muito pouco. 160 mi é troco de pinga perto do que nossas elites sonegam)

          9. Não vou comentar sobre a CUT pois tenho minhas críticas a ela — de fato, ela é por demais governista.

            No entanto, a crítica ao MST não procede, pois se trata de um grupo popular, constituído por trabalhadores, que está disputando recursos públicos para investir no bem público (diferente do que fazem empresas que solicitam verbas ao BNDES, por exemplo, que estão interessadas apenas no bem privado).

            Dinheiro público está aí para ser gerido e disputado publicamente, segundo princípios de transparência. O MST faz isso de forma coerente e prezando pelo espírito público — diferente de uma empresa como a Vale, por exemplo…

            (enfim: o dinheiro destinado à reforma agrária é pouco, muito pouco. 160 mi é troco de pinga perto do que nossas elites sonegam)

          10. louis, isso se dá pq, historicamente, muitos partidos e sindicatos perderam força. e isso não quer é um fenômeno de agora. conforme as pessoas vão tendo um pouco de melhora de vida, elas acham q já podem dispensar os sindicatos e partidos ligados a causas sociais e deixando de lado os q estão imediatamente abaixo. a CUT ter q apelar a esse expediente (se esse vídeo for verídico) não é algo absurdo qdo eles precisam de figurantes em seus comícios. se vc for ver, esse é o expediente de toda propaganda, não? ou vc acha q o comercial é feito com situações reais? pra parece q o movimento é exitoso e q tem adesão, eles fazem isso e me parece aceitável em certa medida, apesar de eu tb não curtir muito isso não já q tira parte da legitimidade do movimento. mas apenas parte da legitimidade.

        1. É claro que não tive a intenção de dizer que absolutamente todos os movimentos sociais do Brasil são recheados de pilantras, mas, infelizmente os maiores são uma vergonha e claramente recheados de corrupção.

    3. JK, seu argumento é um pouco confuso.

      Por que desqualificar as pautas dos movimentos sociais? É preciso ter cuidado com certas generalizações, como a suposta superexposição que eles estão tendo: será que eles REALMENTE estão tão evidentes hoje? Ou será que simplesmente ganharam UM POUQUINHO de exposição e de partilha da presença pública tradicionalmente dividida apenas entre uns poucos grupos e famílias tradicionais que dominam os meios de comunicação há 500 anos (exposição essa de movimentos que inclusive, por vezes, é até capitalizada pelos grandes grupos)?

      O MST, por exemplo, já tem décadas de atividade e nunca esteve tão POUCO evidente na grande mídia como hoje (nos anos 90, por exemplo, só se falava dele). E ele continua sendo um movimento importante, combativo e presente (mas ignorado pelos meios de comunicação).

      Além disso, por que a tal da tríade “saúde, educação, segurança” é mais importante que qualquer outra pauta de qualquer outro movimento? Por que essa naturalização? Este tipo de generalização é perigoso, pois não só desqualifica outras pautas como neutraliza o discurso sobre cada uma destas coisas (por exemplo: de que educação estamos falando? da tradicional? da emancipatória? da construtivista? do abolicionismo escolar? da escola de tempo integral? da meramente pró-mercado?). De que segurança falamos? Da segurança alimentar? Da segurança dos ricos contra os pobres? Da segurança dos pobres contra os ricos? De que saúde falamos? Da saúde dos convênios ou do SUS?

      Aliás, para cada uma destas coisas há muitos movimentos atuantes, de muitas décadas. Se não fosse o movimento pela saúde pública nos anos 80, a CF de 88 não teria instituído o SUS, por exemplo. O mesmo vale para hoje: se não fosse pelo esforço do importante movimento LGBT e do movimento feminista, nunca teríamos discutido as questões de gênero na educação e continuaríamos a cultivar uma educação machista, sexista e discriminatória.

      1. Enfim, o que você chama de pauta “anti-povo” e porque diabos um agente político de esquerda é “anti-povo”?

  9. Nunca fui de comemorar Carnaval, esse ano ainda menos. Não tenho feriado porque aqui não comemoram. Mas estou a toa porque aulas foram canceladas por causa da neve, então, o que vocês sugerem para o fds? (btw, to doente, então nada muito radical)

      1. Poderia ser dirigir uma escavadeira de neve e assistir netflix ao mesmo tempo.

  10. Alguém saberia responder? O Deadpool saiu com classificação 16 anos. Um menor de 16entra acompanhado do responsável, que também assina um termo de responsabilidade na bilheteria. Mas o menor pode entrar se o responsável assinar o termo mas não entrar no cinema?

    1. Boa pergunta, mas é capaz de varia de cinema pra cinema, de rede pra rede… No cinema q frequento, tirando os filmes nitidamente voltado para crianças, raramente vejo jovens dessa idade, então, na verdade, nunca reparei muito…

  11. Acabei de ler que o Firefox OS sera descontinuado,WP esta mais morto que vivo,Ubuntu Phone nem saiu do papel,sera que ficaremos apenas com Android e iOS ?

    1. Acho que a MS não vai largar o osso do WP ainda, vale uma última tentativa com o WM10, de resto não vejo MTA esperança pro mercado mobile, iOS e Android são completos demais e é difícil um OS novo chegar ao nível de qualidade de ambos, e claro, crescer.

      1. Também não acho que vá largar o osso, mas cara… quando começaram a lançar as versões beta do sistema, indicavam que ele seria liberado no final de 2015. Dia desses tirei meu Lumia 620 da gaveta e procurei por updates, esperando achar a versão final do 10. Não achou nada e fui ver a quantas anda a liberação: Não achei nem previsão de quando vai ficar pronto. Tipo, nem quem era fã incondicional está disposto a esperar mais.

    2. E não nos esqueçamos que a Blackberry jogou a toalha com o BB10, a Jolla está mal das pernas com seu Sailfish. Talvez o que sobre além do Android e do iOS seja o Tizen, que pelo menos tem uma gigante por trás, mas com a participação quase inexistente, eu não apostaria nele. Duopólio maldito. Gostaria muito de ter visto o WebOS ir pra frente. Era um sistema fantástico na época, mesmo não estando otimizado ainda.

    1. Pode até fazer sentido economicamente, mas não deixa de ser uma mesquinharia pra lá de antipática. Eu não voltaria a esse lugar.

      1. Eu frequentava um restaurante que decidiu, um belo dia, a cobrar R$0,30 pela fatia de limão no copo de coca-cola. Achei tão absurdo que na vez seguinte, passei antes no varejão que tinha na loja de baixo, comprei um limão inteiro e levei para o restaurante. A dona do lugar depois passou a conferir nos pratos dos clientes se havia arroz, porque um prato que não tivesse no mínimo 30% de arroz e feijão, o preço era diferenciado. Parei de frequentar o lugar.

  12. Acho q é um assunto q nunca vi sendo abordado aqui, pelo menos desde qdo comecei a pariticipar, mas vcs têm animal de estimação (resumindo: pet)? Eu tenho uma gata e ela faz muito bagunça qdo não está dormindo.

    1. Tem um dinossauro da espécie Golden Retrivier, o Simba. Pelos liberados/ dia: Incalculáveis

    2. Tem um dinossauro da espécie Golden Retrivier, o Simba. Pelos liberados/ dia: Incalculáveis

    3. Tive um poodle que faleceu com 13 ou 14 anos em setembro.
      Saudoso. Foi o único cachorro a ter ido na pizzaria grife da cidade. Único momento que ele ficou comportado na vida.

      Sdds sinceras, mas ao mesmo tempo foi fácil superar a perda. Forte ou indiferente?

      1. É… digamos q nesses termos, fica parecendo q vc não deu bola, mas o processo de luto é estranho mesmo.

        1. Aquele esquema de 5 fases do luto me parece uma das coisas mais acertadas sobre a vida humana.

    4. A vida inteira sempre tive gatos (teve uma lenda que viveu 12 anos) como animal de estimação. Atualmente tenho um.

      Cachorro, contando com o que tenho agora (um basset meio vira-lata haha) só tive 3 a vida inteira. Tive um trauma aos 10 anos de idade quando vi meu pinsher ser atropelado na véspera de Natal. Foi um presentão que Papai Noel trouxe.

      Já cheguei a ter alguns pássaros engaiolados, muito pela influência do meu pai e do meu avô mas quando eu tinha uns 19 anos criei consciência de que eles deveriam estar voando livres e parei.

      1. Fez em bem em soltar pássaros. Qdo era criança comprei um passarinho pra mim e ele escapou. Fiquei chorando um tempão por isso e ainda penso no pobre q, a esta altura, já está mortinho. ;/ Tb tive três cães, todos pastores, e agora uma gata. Acabo q trato a gata um pouco como sendo um cão…

        1. Não cheguei a soltá-los, decidi que seriam os últimos. Eram dois curiós e soltá-los seria pior, por conta da dificuldade de adaptação que eles teriam. Depois de um certo tempo preso, ele não tem o mesmo instinto para buscar comida e o vôo seria prejudicado por conta da falta de preparo. Ou ele morreria de fome ou seria presa fácil.

          Por incrível que pareça, seria uma covardia pior ainda.

          1. Tô ligado… Mas fez muito bem em não engaiolar mais. :)

      2. Lembro que um cachorro aqui da casa da minha avó (um dos unicos da familia), morreu no natal tambem, foi estranho, todos chorando, e eu, ainda criança, não entendia muito bem o que tava rolando AHAHAHA

      3. Lembro que um cachorro aqui da casa da minha avó (um dos unicos da familia), morreu no natal tambem, foi estranho, todos chorando, e eu, ainda criança, não entendia muito bem o que tava rolando AHAHAHA

        1. Pequeno porte, poodles, apenas um cresceu demais e ficou enorme kk.

        2. Pequeno porte, poodles, apenas um cresceu demais e ficou enorme kk.

          1. Apesar de imaginar um cenário de bagunça, é administrável…

    5. Tinha uma gata que levei morar com meus país. Queria ter um gato, cão ou ambos… Mas minha patroa só deixaria ter um gato.
      Pior que tenho um receio muito grande de tornar se um gato bagunceiro

      1. a minha é bagunceira em determinados horários, mas é administrável.

        1. A minha era tranqüila. Antes dela tivemos um gato que era um capeta… Fugiu e nunca mais voltou. Quem sabe ano que vem eu adote outra.

          1. a minha é adotada e se comportou e quase ficamos com outra, q foi abandonada filhote num parque aqui perto. mas a sogra ficou com ela, felizmente, pq essa é demoníaca.

    6. Tive uma gata siamesa por uns 5 anos. Foi meu último bicho. Eu era apaixonado por ela e ela retribuía o carinho sempre. Mas fui forçado pela ex-mulher a doá-la para outra pessoa. Sempre que me lembro dela, bate uma saudade dolorosa, então decidi que jamais teria outro bicho. No máximo vou ter um peixe betta num aquário.

        1. Sempre bate sim! Por um tempo era pior porque a caixa de transporte dela ficou pra trás e eu sempre dava de cara com isso no quartinho de despejo. Depois do divórcio isso se amenizou um pouco porque voltei para a casa dos meus pais e lá não tinha condição de eu criar uma gata.

          1. Cara, vc tem q dar um desconto, mas achei a sua história engraçada, apesar do desfecho. E depois vc não conseguiu reaver a gata?

          2. Cara, vc tem q dar um desconto, mas achei a sua história engraçada, apesar do desfecho. E depois vc não conseguiu reaver a gata?

          3. Nunca mais! Quando fui obrigado a entregar a bichinha, morávamos em Vitória da Conquista, na Bahia. A família que a adotou mudou-se, poucos meses depois,para Salvador e eu, cerca de um ano mais tarde voltei para BH, então nunca mais a vi.

    7. Tinha 2 na casa da minha mãe, que pegamos na rua, um que pegamos pois ia ser atropelado e tal, era filhote, tava muito maltratado com feridas etc, era todo assustado, cuidamos e viveu uns 12 anos acho, morreu no fim do ano passado, mas foi legal ver que ele ficou grandão (era vira lata misturado com algo), e bem saudavel. A outra tambem é vira lata e pegamos na rua pois ela ficava no nosso portão todo dia, ai um dia abrimos e é isso, ficou pra sempre HAHHAHAA. Ja na casa da minha avó (onde moro hoje em dia), tambem tem dois, ambos que pegamos da rua tambem, como um anterior que ja morreu tambem, sempre pegamos de rua mesmo.

  13. No post sobre o primeiro clube do livro, indicaram, pra servir como ilustração do comportamento do personagem do ‘Reprodução’, uma abordagem q o youtuber (não gosto do termo, mas ele parece estar consolidado) Pirula sofreu de um cara q o interrogou ainda de dentro de seu carro.

    Bom, link vai, link vem… cheguei a uma espécie de ‘pegadinha’ (trote ou brincadeira), de outro canal, de outro youtuber: o cara tenta vender umas camisinhas no metrô como se fossem balões. A despeito do quilate da piada ou do q quer q tenha sido a intenção cômica do cara, de repente ele leva uma cotovelada extremamente covarde e violenta de um cara q estava incomodado com a ‘pegadinha’. Vendo aquilo, meu sangue ferveu por conta da covardia do ataque…

    Pensando nisso, vcs tomam alguma medida em termos de defesa pessoal pra evitar esse tipo de coisa, além, claro de evitar fazerem ‘pegadinhas’ em ambiente não controlados como ensina o rapozão Silvio Santos?

    https://www.youtube.com/watch?v=QcyEbihUJ7Q

    1. Acho que nem se a vítima aí fosse faixa preta seria possível evitar o ataque. Foi covarde, mesmo. Nada justifica a violência, por pior que seja a piada (e essa é ruim, de extremo mau gosto).

      Eu acho as pessoas, de modo geral, muito imprevisíveis, então evito dar brecha para mal entendidos e confusão. Com algum colega que não gosta de brincadeira, eu não brinco; com gente que reage de modo mais imprevisível que o que eu esperaria, passo a evitar; e por aí vai…

      1. Há a recomendação pra se manter distância da pessoa ou pessoas q lhe parecem ameaçadoras, nesse sentido de q vão te agredir e tal, por conta justamente desse risco de ser pego de surpresa. Então, presumo q um faixa preta de alguma arte marcial, provavelmente ficaria ligado nisso, apesar de q numa discussão razoável a proximidade é normal e aceitável. Esse cara foi realmente muito imprevisível e não tinha dado nenhum sinal de q agiria como agiu. O q mais me deixou preocupado é essa dissimulação e como, agindo de boa fé com outros, é possível ser atingido de repente. Já vi muita gente sento intimidada e ameaçada por aí, mas em todos os casos havia claros sinais de ameaça… Não sei se alguém q pratique Krav Maga, por exemplo, poderia se safar dessa.

  14. As vantagens da música por streaming já eram inúmeras. Aí você confirma isso quando se vê naquela situação de procurar umas músicas pra curtir o carnaval com a galera e simplesmente busca umas playlists, sincroniza e acabou. Uma maravilha.

    1. Sim. No meu celular baixei uma playlist funknejo de emergência para festas. Não tive o trabalho de procurar nada.

    2. Eu estou achando legal poder acessar os CDs lançados recentemente quase no ato, e poder deixar para comprar fisicamente só aqueles que eu realmente gostar e quando o dinheiro deixar. E não precisar ficar arrumando tag de música e organizando as pastas no HD é algo indescritivelmente bom.

    3. Eu estou achando legal poder acessar os CDs lançados recentemente quase no ato, e poder deixar para comprar fisicamente só aqueles que eu realmente gostar e quando o dinheiro deixar. E não precisar ficar arrumando tag de música e organizando as pastas no HD é algo indescritivelmente bom.

    4. Para completar, uma dessas caixinhas Bluetooth do tamanho de um pote de manteiga faz uma sonzeira boa e anima o ambiente. Viver no futuro é bom demais.

      1. Ô…fala não.

        Aproveitando o gancho, peguei uma dessas na orgia que a Saraiva promoveu no meio de semana. Uma JBL por 49,90 e também um fone over-the-ear da Audio Tecnhica por 99,90.

        1. Poxa, queria ter aproveitado essa.
          Na passada eu consegui o Sony NC e um fone backup pro meu já desgastado de guerra Philips.

        2. Poxa, queria ter aproveitado essa.
          Na passada eu consegui o Sony NC e um fone backup pro meu já desgastado de guerra Philips.

      2. Eu diria q o presente é a melhor época pra estarmos vivos.

  15. Tenho pontos a favor e contra o carnaval. A favor são os feriados, possibilidade de sair com amigos, colocar as coisas em dia (para quem não é da folia), etc. E contra são a muvuca infernal e o extremo calor brasileiro nessa época.

    Li algumas pessoas comentando sobre minas, e como bom mineiro, digo que, para quem gosta, o carnaval de Minas é altamente recomendado.

    Abraços!

    1. O carnaval em Ouro Preto parece legal, mas nunca fui.

      1. Ouro Preto é massa para festa. Fui numa simples de república e foi um dos dias mais divertidos da vida.

        1. Ouro preto é muito legal de um modo geral e essas repúblicas tem cara de festa mesmo.

          1. Passei uns 4 dias lá. Quando voltei pra cidade, foi estranho não ter ladeiras.

    2. Feriado é algo que não curto. Tudo fecha, é uma merda. Detesto isso.

        1. hahaha! Comentei com um amigo meu dia desses que esse (vários feriados ao ano) é uma das poucas vantagens em ser brasileiro.

          1. Poxa trabalho feito um camelo, inclusive em alguns fins de semana e madrugadas, e tem gente q ainda diz q há muitos feriados. Quem parece reclamar muitos dos feriados é quem depende de pessoas trabalhem pra ele. Eu acho bom termos feriados, pq assim a gente pode viver além de trabalhar apenas.

          2. Exato! E pelo que consta, os outros países não tem tantos feriados como a gente tem por aqui.

          3. Pois é. É a graça do catolicismo, das datas festivas da república e tantas outras celebrações e motivos. Mas pelo q consta, na Europa o período de férias é maior q o nosso e eles trabalham menos horas. Mas não sei qtas horas e se é em toda a Europa. Presumo q não. Mas se todos pudêssemos trabalhar apenas meio período, seria ótimo, qdo não, permitir q as pessoas trabalhassem de casa qdo possível pra reduzir o tempo q perdem perambulando inutilmente pela cidade.

    1. estou longe de querer defender a soninha, q mudou muito depois de ter sido eleita vereadora pela primeira vez. [removido um trecho equivocado aqui], mas noto problemas na argumentação do autor do texto q vc indica.

      um deles:

      “Um escritor incapaz de entender as ideias de Einstein, dizia Snow, é tão limitado quanto um engenheiro que ignora o valor de Shakespere.”.

      desculpa aí, mas shakespeare (se é q ele existiu como sendo um só, afinal pairam dúvidas sobre isso) escrevia para o povo; eram peças populares no seu tempo… einstein, amigo, creio q até físicos tenham dificuldade de acompanhá-lo, afinal, o cara é sinônimo de ser gênio.

      e depois:

      “David Foster Wallace ou Thomas Pynchon”…

      cara, esses dois são considerados autores BEM difíceis, mesmo pra quem é da área de literatura, primeiro pq são dois puta gênios (o primeiro se suicidou e outro é recluso total, traços do quão complexas são suas personalidades) e depois eles levaram ao extremo a linguagem literária e, cara, ‘graça infinita’ e ‘o arco-íris da gravidade’, respectivamente, são obras SUPER intrincadas. se for assim, ‘ulysses’, do james joyce é barbada pra qualquer um e não entendo como vcs não leram… ora, não é.

      a soninha se queixa, talvez de maneira equivocada, da FORMA como a FUVEST pega as questões de matemática e as aplica na prova. eu não sou bom em matemática, mas adoro a história da matemática e do poder de abstração q ela dá e suas infinitas aplicações. agora, física, pra mim, é mais fácil, por que será, né?… ninguém q preza pelo conhecimento e pelo aprendizado desprezaria o conhecimento matemático, ninguém! a FUVEST nitidamente é um filtro, pq muitas pessoas muito inteligentes ficam de fora da USP, pq não são capazes de enfrentar a maratona q só aqueles com boa memória e anos de treino (q pra alguns já começam na pré-escola) conseguem passar.

      nas áreas em q essas pessoas q são barradas tem vocação, elas poderiam ser testadas de outro modo… daí q passa nos vestibulares pessoas sem vocação e sem afinidade com as escolhas q fizeram e, não à toa, a taxa de desistência tb é grande… eu diria q a FUVEST e outros vestibulares, eles sim (seus organizadores, na verdade) é q sentem um profundo e total desrespeito pela matemática tendo em vista a forma como tratam o conhecimento: fazendo dele um abjeto e deplorável meio de exclusão.

      e, cara, depois q vc entra num curso de humanas, a matemática, tirando algumas áreas como arquitetura q tem disciplinas de cálculo, ela meio q desaparece quase q totalmente… os currículos tb estão errados.

      Edit: a fuvest não fode só a matemática, a química, a física etc. Se eu tiver q fazer a parte de história da fuvest é certeza q cometa vários erros tamanha a empolação e armadilhas q eles colocam ali pra vc se ferrar. Isso não é testar conhecimento, é testar a memória das pessoas.

    2. estou longe de querer defender a soninha, q mudou muito depois de ter sido eleita vereadora pela primeira vez. [removido um trecho equivocado aqui], mas noto problemas na argumentação do autor do texto q vc indica.

      um deles:

      “Um escritor incapaz de entender as ideias de Einstein, dizia Snow, é tão limitado quanto um engenheiro que ignora o valor de Shakespere.”.

      desculpa aí, mas shakespeare (se é q ele existiu como sendo um só, afinal pairam dúvidas sobre isso) escrevia para o povo; eram peças populares no seu tempo… einstein, amigo, creio q até físicos tenham dificuldade de acompanhá-lo, afinal, o cara é sinônimo de ser gênio.

      e depois:

      “David Foster Wallace ou Thomas Pynchon”…

      cara, esses dois são considerados autores BEM difíceis, mesmo pra quem é da área de literatura, primeiro pq são dois puta gênios (o primeiro se suicidou e outro é recluso total, traços do quão complexas são suas personalidades) e depois eles levaram ao extremo a linguagem literária e, cara, ‘graça infinita’ e ‘o arco-íris da gravidade’, respectivamente, são obras SUPER intrincadas. se for assim, ‘ulysses’, do james joyce é barbada pra qualquer um e não entendo como vcs não leram… ora, não é.

      a soninha se queixa, talvez de maneira equivocada, da FORMA como a FUVEST pega as questões de matemática e as aplica na prova. eu não sou bom em matemática, mas adoro a história da matemática e do poder de abstração q ela dá e suas infinitas aplicações. agora, física, pra mim, é mais fácil, por que será, né?… ninguém q preza pelo conhecimento e pelo aprendizado desprezaria o conhecimento matemático, ninguém! a FUVEST nitidamente é um filtro, pq muitas pessoas muito inteligentes ficam de fora da USP, pq não são capazes de enfrentar a maratona q só aqueles com boa memória e anos de treino (q pra alguns já começam na pré-escola) conseguem passar.

      nas áreas em q essas pessoas q são barradas tem vocação, elas poderiam ser testadas de outro modo… daí q passa nos vestibulares pessoas sem vocação e sem afinidade com as escolhas q fizeram e, não à toa, a taxa de desistência tb é grande… eu diria q a FUVEST e outros vestibulares, eles sim (seus organizadores, na verdade) é q sentem um profundo e total desrespeito pela matemática tendo em vista a forma como tratam o conhecimento: fazendo dele um abjeto e deplorável meio de exclusão.

      e, cara, depois q vc entra num curso de humanas, a matemática, tirando algumas áreas como arquitetura q tem disciplinas de cálculo, ela meio q desaparece quase q totalmente… os currículos tb estão errados.

      Edit: a fuvest não fode só a matemática, a química, a física etc. Se eu tiver q fazer a parte de história da fuvest é certeza q cometa vários erros tamanha a empolação e armadilhas q eles colocam ali pra vc se ferrar. Isso não é testar conhecimento, é testar a memória das pessoas.

      1. Na administração do PT? Mas ela não é funcionária do Governo do Estado?

        1. achei melhor remover o comentário sobre os partidos. não acrescentava em nada mesmo…

      2. A questão do escritor entender Einsten é forçada mesmo, mas os literatos e cientistas citados são apenas exemplos de pessoas excepcionais que se mantiveram nesse caminho…não que a produção deles precise ser compreendida por todos. São apenas exemplos de um perfil raro hoje em dia.

        Em relação a crítica da Soninha, duvido que seja uma crítica apenas a Fuvest, pelo relato está claro que o problema que ela enxerga é as pessoas de humanas terem que aprender inutilidades de ciências hard para entrar na Universidade. Não citou o “””problema””” inverso, de alunos de exatas terem que saber quem foi o presidente do ano X. O vestibular é um método com seus problemas inerentes e a Fuvest tem vários outros além disso. Se realmente quisesse criticar isso, poderia questionar o tipo de abordagem e conteúdo, mas não questionar para que serve cosseno e logaritmos em si.

        Primeiro é uma postura bastante simplista, infantil, de aprender só o que deseja para seu trabalho: vou reclamar de aprender escolas literárias e biologia por que não importa? A proposta da EACH e seus cursos é justamente essa, fiz Sistemas de Infirmação e tive aulas de Psicologia, Meio Ambiente, Artes, Sociedade, Ciências da Natureza, etc. Fora isso, ela está simplesmente muito errada, Gestão de Política Públicas envolve matemática na prática já que precisa de base em economia, contabilidade e matemática financeira…além de análise estatística de diversos tipos.

        O conhecimento de matemática é tão mal ministrado que a ponte de exatas para o mundo real não existe como isso mostra, mesmo programadores costumam questionar a necessidade de aprender matemática. Esse problema da falta de vocação que você citou é profundo em exatas, cursos como Física e Matemática tem uma desistência altíssima…Ciência da Computação, inclusive, é campeão de desistência no Brasil. Isso porque o mundo é tão diferente da escola que o choque é gigante, vide o desespero unânime que é Cálculo para qualquer aluno de ensino superior.

        Não estou restringindo o problema ao lado de humanas de se isolar, isso é muito comum em pessoas de exatas/biológicas também, mas não consigo não enxergar como um absurdo alguém se propor a um curso desse não enxergar valor (ainda mais com experiência). Dizer abertamente me parece especialmente grave, tanto como alguém dizer que não se interesse por nenhum tipo de leitura por exemplo.

        1. Olha, posso ter feito um entendimento bem particular da questão, mas o q me parece é o seguinte: ela critica o fato de vc ter q aprender matemática pra passar no vestibular. A forma como as questões são dadas em vestibulares como a fuvest são propositalmente complicadas, pq elas deve, prioritariamente, eliminar e não ensinar. Vestibular não ensina nada, apenas testa sua memória e capacidade de entender o sistema q eles usam. Se vc saca qual é o sistema, vc passa em primeiro, segundo… Ela, me pareceu, não está reclamando q terá q aprender matemática no curso, se aprovada, mas q tem q usar seus conhecimentos em matemática, q devem ser rasos dada a queixa, pra passar na maldita avaliação.

          O q ela pede é q ela seja testada nos conhecimentos com os quais há mais afinidade com a disciplina escolhida e por mais q matemática seja importante no curso q ela escolheu, não é disciplina dominante, convenhamos. É o seguinte: eu testo vc de acordo com aquilo q vc demonstra mais afinidade e capacidade, ponto.

          Pra faculdade de música, por exemplo, além do vestibular padrão q todos enfrentam, o candidato tem q mostrar q é bom no instrumento q escolheu. Imagine q isso fosse dispensado, bastaria o cara ter boa memória. Mas daí ele descobre q passa longe de ser um Glenn Gould… aí acho q não vai rolar.

          Como disse, não quero defender a Soninha, só desconfio q ela não expressou bem a questão. E fecho contigo no q vc disse no penúltimo parágrafo. Mas há um esforço muito grande em mudar isso por parte de muitos professores vocacionados. Eu assisti na TV Cultura, há muitos anos, uma série q se chamava ‘Arte e matemática’. Era um jovem abobalhado e a série me abriu os olhos para um mundo novo.

          ps1: “saber quem foi o presidente do ano X”. sei q foi um exemplo, mas é representativo, pq esse tipo de ensino de história q cobra essas coisas é o pior.

          ps1: repara no mac do professor luiz barco!

          https://www.youtube.com/watch?v=AxYCY2-KvB8&list=PLE336BDAF7939F08F

        2. Olha, posso ter feito um entendimento bem particular da questão, mas o q me parece é o seguinte: ela critica o fato de vc ter q aprender matemática pra passar no vestibular. A forma como as questões são dadas em vestibulares como a fuvest são propositalmente complicadas, pq elas deve, prioritariamente, eliminar e não ensinar. Vestibular não ensina nada, apenas testa sua memória e capacidade de entender o sistema q eles usam. Se vc saca qual é o sistema, vc passa em primeiro, segundo… Ela, me pareceu, não está reclamando q terá q aprender matemática no curso, se aprovada, mas q tem q usar seus conhecimentos em matemática, q devem ser rasos dada a queixa, pra passar na maldita avaliação.

          O q ela pede é q ela seja testada nos conhecimentos com os quais há mais afinidade com a disciplina escolhida e por mais q matemática seja importante no curso q ela escolheu, não é disciplina dominante, convenhamos. É o seguinte: eu testo vc de acordo com aquilo q vc demonstra mais afinidade e capacidade, ponto.

          Pra faculdade de música, por exemplo, além do vestibular padrão q todos enfrentam, o candidato tem q mostrar q é bom no instrumento q escolheu. Imagine q isso fosse dispensado, bastaria o cara ter boa memória. Mas daí ele descobre q passa longe de ser um Glenn Gould… aí acho q não vai rolar.

          Como disse, não quero defender a Soninha, só desconfio q ela não expressou bem a questão. E fecho contigo no q vc disse no penúltimo parágrafo. Mas há um esforço muito grande em mudar isso por parte de muitos professores vocacionados. Eu assisti na TV Cultura, há muitos anos, uma série q se chamava ‘Arte e matemática’. Era um jovem abobalhado e a série me abriu os olhos para um mundo novo.

          ps1: “saber quem foi o presidente do ano X”. sei q foi um exemplo, mas é representativo, pq esse tipo de ensino de história q cobra essas coisas é o pior.

          ps1: repara no mac do professor luiz barco!

          https://www.youtube.com/watch?v=AxYCY2-KvB8&list=PLE336BDAF7939F08F

        3. Discordo da soninha de um modo geral. Mas nesse ponto concordo com ela. Obrigar um ser humano a passar 5 horas de seu dia durante 12 anos, todos os dias, “estudando” assuntos que não o interessam pra mim não tem outro nome que não fascismo. Por que não construir os currículos escolares com as crianças ao invés de obrigá-las a estudar uma coisa tão chata como matrizes, logaritmos, fotossíntese, termodinâmica, etc.

          Além disso, sabemos que o vestibular não serve para nada além de garantir a vaga apenas dos mais ricos.

          1. Eu realmente nunca pesquisei outras formas de seleção que não seja um vestibular, estranho como o vestibular é extremamente criticado (com razão), mas nunca li sobre alternativas de outros países. Ao menos, o ENEM parece melhor construído que a Fuvest, mas continua sendo um vestibular com todo os seus problemas inerentes.

            O modelo norte-americano, de aprovação por análise de vários aspectos. pode ser teoricamente mais interessante. mas tenho a sensação de que esse modelo subjetivo de análise acaba apenas ajudando na perpetuação das desigualdades. Aqui no Brasil, tenho certeza que seria questão de tempo para milhões de jeitinhos aparecerem para piorar ainda mais o acesso dos mais pobres.

            Chato é uma questão de perspectiva né? Cada aluno tem suas preferências, não acho que seja muito boa essa ideia comum de “sou de exatas, vou fazer apenas mais aulas de física/matemática” e “sou de humanas, vou me aprofundar em história/geografia”. Acho que no Ensino Médio talvez seja mais aceitável isso, mas muita coisa para a qual eu provavelmente evitaria aprender na escola se tivesse opção, me abriu a cabeça para com mais maturidade explorar um pouco esses caminhos.

            Gostaria de compreender melhor a educação nos países bem sucedidos nesse aspecto, como os orientais e os nórdicos.

            Sei que uma abordagem dos países nórdicos é lidar com problemas multi-disciplinares, um problema grande é algo que já chama atenção e tem a oportunidade de construir algo que agregue várias áreas como problemas ambientais por exemplo. O problema é que isso é bem mais desafiador para o professor, mas parece válida essa abordagem.

      3. Essa parada de currículo é foda. Acho que nenhum presta mas ao mesmo tempo todos prestam, porque a iniciativa em se capacitar, evoluir, aprender etc precisa ser do aluno também.

  16. Ultimamente minha namorada tem me marcado nuns posts da página JáPartiu (comida japonesa), e a página sempre interage conosco, só que ontem o restaurante ligou para ela para informar sobre as promoções, inclusive falando o nome dela, daí ela me disse que o telefone dela é privado no Facebook, será que as páginas podem acessar o número mesmo estando privado?

  17. Estou querendo implementar alguma solução para gerenciamento de projetos.
    Já tentei algumas coisas, mas eram complicadas ou em inglês apenas…
    Alguem têm uma dica?
    – até umas 5 pessoas
    – ser em portugues
    – open source (ou similar)
    – php

    1. Chegou a dar uma olhada no Trello?
      A interface dele é uma tela em branco pra gerenciar praticamente qualquer coisa.
      Costumo planejar meus projetos nele, e tive ótimos resultados.

  18. Estou querendo implementar alguma solução para gerenciamento de projetos.
    Já tentei algumas coisas, mas eram complicadas ou em inglês apenas…
    Alguem têm uma dica?
    – até umas 5 pessoas
    – ser em portugues
    – open source (ou similar)
    – php

  19. Queria deixar aqui uma constatação que de repente a maioria de vocês ja sabem, mas não deixa de ser bizarro: a visão de que iPhone é “a unica solução”, ou então o unico telefone que presta no mundo. Tenho um amigo na faculdade que fotografa e tal, e ele antigamente tinha um samsung bem ruim, que eventualmente ele trocou por um iPhone 4s, ai beleza, só que ele perdeu esse celular, então que ele fez? Mesmo com a situação financeira nada boa, ele deu preferência em comprar OUTRO iPhone, não lembro se foi outro 4s ou um 5c, porem, na cabeça dele os androids não “serviam”, sendo que ele poderia ter pego um Moto X (qualquer um dos X que lançaram ai, que no caso são varios), que ele teria uma camera ótima, autonomia de bateria, o celular ia receber diversas atualizações recentes, porem no imaginario dele os androids ainda não prestam, e creio que se pra ele, que é um cara relativamente “antenado” nas coisas, acha isso, imagina pro resto das pessoas? pouquissimas devem saber que temos um S6 da Samsung ai que é tão bom, ou até melhor que um Iphone…
    PS: esse meu amigo não tem nenhum outro produto Apple tambem, o que não serve nem como desculpa dele para ter uma integração melhor entre seus devices.

    1. Olha… não é querendo ratificar a “cabeça-durisse” do seu amigo, mas até a leva atual de Moto X, as câmeras da Motorola eram bem ruins. Mesmo a do Moto X de 2ª geração é, comparada aos topos de linha da época, ruim. Até 2014 a Apple reinava em câmera, só ano passado que o Galaxy S6 chegou.

      1. Pelo que entendi, o cara é fotografo (semi?)profissional. Um fotografo que se preze não vai bater fotos com o telefone, eu acho! Ou entendi errado será?

        1. Eu já vi fotografia profissa da extremamente entusiasmado em não carregar mais equipamento pesado e fotografar só com celular. Pode ter sido entuasiamos momentâneo, mas dependendo do registro , um celular da conta.

        2. Eu já vi fotografia profissa da extremamente entusiasmado em não carregar mais equipamento pesado e fotografar só com celular. Pode ter sido entuasiamos momentâneo, mas dependendo do registro , um celular da conta.

          1. Depende muito mesmo. Eu gosto fã minha câmera dslr. Com celular é só coisa de registro rápido mesmo e discreto.

            Edit: Pra fotografar com a DSLR, além do peso de ter q carregá-la, ela teria q estar sempre a mão. Perco muitos registros qdo saio por aí pq estou sem ela… Pelo celular não é a mesma coisa pra mim… Talvez se eu tivesse um celular melhor, mas, mesmo assim, teria q me habituar e pegar o jeito. Muda tudo: empunhadura, controles, formato e tb a relação com as pessoas. A minha câmera meio q ‘intimida’ as pessoas, um celular, já sendo um aparelho ao qual estão todos tão familiarizados, não.

          2. Dá para fazer fotos muito bonitas com celulares bons e o que o @EPMnIvWTKTAD:disqus diz procede: a familiaridade do smartphone, fato dele estar sempre à mão e a flexibilidade (mediante apps) dão outra dimensão à fotografia móvel. Para o fotógrafo profissional, que conhece as limitações do equipamento e trabalha em torno delas, é um playground muito bacana. Não tem como dizer que estas fotos são ruins: http://www.apple.com/iphone-6s/cameras/photos/

            Vale a pena ler este relato aqui, de um designer que viajou para a Indonésia e levou só um iPhone 6s para registrar: http://pxlnv.com/blog/iphone-6s-indonesia/ Acho que ele consegue traduzir bem essas nuances que descrevi no parágrafo acima.

          3. as fotos são boas e, claramente, denotam q são aceitáveis pra um registro sem muito controle manual (mas como não uso iphone, posso estar falando groselha). certamente acessórios e aplicativos podem deixar o registro mais interessante (tripé incluso) e são suficientes pra registros básicos de boa qualidade. se vc quer algo muito elaborado, aí, talvez, só aquela lente específica vai lhe servir, qdo não, é preciso modificar a lente ou equipamento para o registro perfeito. o pessoal da national geographic apela a esse expediente pra conseguir aquelas fotos fodas q eles fazem.

            https://www.youtube.com/watch?v=D8v4T-dj7jI

        3. pelo contrário. eles gostam tanto quando a gente, mas claro, não profissionalmente.

          E nesse ponto, a maioria dos fotógrafos que conheço, tem iPhones.

          1. Que até 2014 a Apple reinava nas câmeras. Muito pelo contrário. O software do iPhone já era extremamente fluído e otimizado (por sinal, até hoje smartphones Android são inferiores nisso em comparação com a maçã). Entretanto, a câmera do iPhone foi bem ruim durante MUITOS anos.

            Lembro que uma amiga tinha um iPhone 4 e eu Galaxy SII Lite bem velhinho. As fotos noturnas dela eram um borrão. E mesmo meu smart não sendo o top (era mid da linha do SII na época) tirava fotos noturnas bem melhores.

            Enfim, é inegável que a Apple tem um ótimo OS fluído há anos, com cuidado primoroso no design físico do aparelho e do sistema, mas era em muitos casos inferior a concorrência.

          2. Que até 2014 a Apple reinava nas câmeras. Muito pelo contrário. O software do iPhone já era extremamente fluído e otimizado (por sinal, até hoje smartphones Android são inferiores nisso em comparação com a maçã). Entretanto, a câmera do iPhone foi bem ruim durante MUITOS anos.

            Lembro que uma amiga tinha um iPhone 4 e eu Galaxy SII Lite bem velhinho. As fotos noturnas dela eram um borrão. E mesmo meu smart não sendo o top (era mid da linha do SII na época) tirava fotos noturnas bem melhores.

            Enfim, é inegável que a Apple tem um ótimo OS fluído há anos, com cuidado primoroso no design físico do aparelho e do sistema, mas era em muitos casos inferior a concorrência.

          3. Eu tive um Galaxy SII Lite, não era grande coisa. Concordo contigo que as câmeras até o iPhone 4 não eram muito boas, mas nenhuma outra era — com exceção das dos Nokia com Symbian, se você os categoriza junto com smartphones modernos. Do 4S em diante, só a mesma Nokia conseguiu superar, mas novamente com um software desanimador (Windows Phone) e outros contratempos.

            De modo geral, desde o iPhone 4S (2011), especialmente a partir do iPhone 5 (2012), ninguém ainda conseguiu bater a Apple no conjunto da obra, ou seja, qualidade final, consistência nos resultados, facilidade de uso.

    2. Até recentemente as câmeras da Motorola eram medonhas, me parece que só no atual Moto X Play/Style as coisas ficaram boas. Celulares como Samsung Galaxy S6, LG G4, Sony Xperia Z5 e um ou outro modelo aqui e ali conseguem ser tão bons ou melhores que iPhone (no que se refere a câmera), mas até pouco tempo ele não tinha concorrentes não.

    3. Até recentemente as câmeras da Motorola eram medonhas, me parece que só no atual Moto X Play/Style as coisas ficaram boas. Celulares como Samsung Galaxy S6, LG G4, Sony Xperia Z5 e um ou outro modelo aqui e ali conseguem ser tão bons ou melhores que iPhone (no que se refere a câmera), mas até pouco tempo ele não tinha concorrentes não.

    4. Vejo essa tendência principalmente entre os jornalistas de tecnologia. Os caras passam o dia inteiro lendo artigos em sites americanos, que acabam se esquecendo da realidade brasileira. Basta ver o preço dos equipamentos que eles recomendam.

      1. Como disse ao @disqus_1TXBqyGKZD:disqus ali em cima, qualidade e preço são variáveis diferentes. O fato de um produto ser inacessível no Brasil o torna pior em termos objetivos? Para mim, não.

    5. Fazer o que se realmente o iPhone é o melhor celular do planeta?

      A Apple foi a única empresa de celular ano passado que fechou no lucro. Todas outras tiveram prejuízo.

    6. Moto X em matéria de câmera, só os aparelhos de 2015. A câmera do X2 é ruim demais, perco a paciência fácil tentando tirar uma foto em condições desfavoráveis. E isso para o X2, significa estar um degrau abaixo da perfeição.

      Sobre o iPhone. Seria minha primeira opção caso os preços aqui fossem justos. Sabemos da qualidade que o aparelho possui mas essa cultura instalada aqui e em alguns países, dele ser praticamente um item de ostentação, distorce a noção que temos do mesmo.

      1. perder foto pq o X se desentende com o foco: 2 membros
        perder foto pq o X fica mais perdido que daltônico na tabela pantone quando usa o flash ao tirar foto de objetos em movimento: 2 membros.
        ter vontade de arremessa-lo quando vê o que ele fez numa foto no escuro: 2 membros.

        O X 2014 só consegue ser “OK” em fotos de paisagem com muita iuminação. Dai pra baixo é loteria.

        1. Sim. Foto boa com ele, só no momento da perfeição cósmica.

    7. Ranner. É perfeitamente compreensível. Ele confia na marca e não quer mudar.

      Por mais que sejam parecidos Android e iOS tem diferenças entre si, o que exige alguma curva de aprendizagem na mudança. Ele quer ter que se submeter a essa curva?

      Além disso, os pontos positivos da plataforma iOS talvez sejam muito mais importantes para ele do que os do Android. E os negativos do robô o deixem mais irritado. (alias, me irritam muito até hoje, inclusive. Eu mesmo penso em voltar pro iPhone pq as vezes o Android me irrita bastante). Enquanto os pontos negativos do iOS ele já saiba como contornar e prefere ficar assim.

      Então a pergunta verdadeira é: Porque se importar com isso? Esse melhor x pior está nos detalhes…. E pra cada um é uma visão.

    8. É o que mais vejo por aqui e na Internet em geral.

      Tem motivo para isso? Sim, porque existem muitos fãs do iPhone.

      Isso reflete a realidade brasileira? Não. Não mesmo. Jornalistas brasileiros em geral vivem num mundo do faz de conta.

      E Moto X sempre tiveram péssima câmera e tela MUITO ruim.

    9. É o que mais vejo por aqui e na Internet em geral.

      Tem motivo para isso? Sim, porque existem muitos fãs do iPhone.

      Isso reflete a realidade brasileira? Não. Não mesmo. Jornalistas brasileiros em geral vivem num mundo do faz de conta.

      E Moto X sempre tiveram péssima câmera e tela MUITO ruim.

      1. Falando por mim, claro, não é “ser fã de iPhone”, nem viver num mundo de faz de conta. Acho que consegui argumentar, no review do iPhone 6s, por que ele é preferível aos demais e, no guia de compras de smartphones do final do ano passado, como ele está fora da realidade para muita gente — foi a minha indicação na faixa “dinheiro infinito”. É que é bom mesmo e, a menos que você faça algum malabarismo argumentativo, é difícil fugir dessa conclusão…

    10. Não sei o quão informado ele é sobre tecnologia, mas pensando do ponto de vista de um leigo, faz sentido essa predileção fixa pelo iPhone. Acho que isso é bom para pensar se não temos a mesma atitudes de seus amigo em alguma área que não é da nossa “especialidade” como smartphones.

      A Apple é a única marca exclusivamente high-end de tecnologia, o que faz as pessoas a colocarem em um patamar acima de qualquer concorrente. Os concorrentes nem segmentam suas linhas de forma consistente, talvez seja o caso dos demais fabricantes adotarem uma estratégia similar a marcas de carro, que usam outras marcas para vender produtos de segmentos distintos.

      Além dessa segmentação de linhas, há o problema de consistência nos produtos: que fabricante mantém um smartphone consistente desde sempre? A Motorola começou bem com Milestone, mas sofreu por um tempo com o Motoblur e mesmo com o Google sofreu para recuperar reputação. Samsung tomou o lugar da Motorola, mas não foi muito bem com o S4 e S5. Enfim, para quem não acompanha, a única compra certa é Apple. Seu produto pode não ser o melhor, mas sempre é bom, diferente dos demais fabricantes…o que atrapalha muito a formação da marca.

    11. não daria pra encarar o iphone como um artigo ‘de’ moda (e não da moda)? sei q é um item tecnológico, mas eu posso ter um relógio normal de cem mangos no pulso (ou menos até) e vc com um de 100 mil. ambos fazem o mesmo: informam as horas, mas um com mais precisão e estilo q o outro. se vc pegar aquilo q movem alguém a comprar uma roupa, isto é, os critérios q ela usa pra comprar algo só por conta da etiqueta, talvez seja possível aplicar nesse caso. é um pitaco.

    12. Cara, eu tive um android da samsung, lá pelos idos de 2011, se não me falha a memória. a experiência de uso, tanto pela baixa qualidade do hardware, quando pela falta de maturidade do sistema naquela época, faziam a experiência de uso ser um lixo. Depois de uma briga com o telefone por ter travado no meio da noite e não ter tocado o despertador no horário correto (o que me gerou um belo de um atraso), fiquei por quase um ano sem aparelho nenhum e, posteriormente, acabei indo pro lado do windows phone. Não peguei um iPhone por conta do custo. Fiquei uns dois ou três anos no windows phone (com dois aparelhos da nokia) até que voltei ao android com o Moto G 2014. Embora o sistema tenha alcançado a maturidade e o hardware seja bem mais decente do que meu primeiro aparelho, ainda sinto falta da fluidez que tinha com o sistema da microsoft ou que teria com um iPhone. E sim, se não fossem os custos, eu iria para o iOS.

  20. Alguém muito hábil em excel poderia me explicar o sentido dessa fórmula:

    =(2*F5+1*G5)/3

    os valores são estes:

    F5 = 8 e G5 = 5

    recebi uma planilha com essa fórmula qdo deveria ter sido apenas =(F5+G5)/2. qual o sentido da primeira fórmula? criar algum arredondamento?

    1. Olhando assim fora de contexto parece uma média ponderada, onde F5 tem o dobro d peso de G5.

      1. Mas mesmo assim seria dividido por dois, não por três, acredito eu.

          1. salvou a pátria, porque até eu descobrir por conta do q se trata, ia demorar um tanto.

          2. Espero que você não tenha que fazer o caminho para conseguir os valores e aplicar na fórmula, rsrsrs

          3. pior q é uma parada meio séria isso e me deixou boladão.

          4. eu fiz o caminho. desculpe, só entendi agora o seu comentário depois de ler com calma. o problema principal é: não querem falar a minha nota… um inferno.

        1. Na média ponderada divide-se pelo somatório dos pesos.

          1. Vixe, não sabia TB. Mas aí da desconto q sou de humanas.

          2. São dois pesos: um peso sendo “2” e o outro peso sendo “1”. Pra simplificar: é como se você considerasse F5 duas vezes, então ficaria: (F5 + F5 + G5)/3

        2. Pois é, cara… Q rolo. Eu, sinceramente não entendi esse três.

  21. Minha experiência carnavalesca se resume a um baile, uma matinê aos 6 anos de idade…

    Achei uma experiência terrível….. Radical??? Sim…. mas cést la vie….. Coisas que as mães fazem com a melhor das boas intenções….rsrs….

    Meu sonho de consumo é passar o carnaval em um lugar onde a cultura local não tenha inventado um Tambor….rsrsrs

    O que é isso???? Essa música da metralhadora???? Estou começando a achar que o Lepo Lepo não era tão ruim assim……

    1. poxa, zumbasan, a comunicação a distância, provavelmente, começou justamente com tambores :(

      a metralhadora é tão ruim, tão ruim, q eu não consegui ouvir até o fim. ou seja, levei uma rajada e morri.

      1. Ok!!!!!!
        Por fatos históricos posso Amenizar para o tambor, mas a Cuica……
        kkkkkkkkkk………

        Fez bem em não ouvir até o final…..

    2. Cara, me recordo que no começo dos anos 2000, quando o tal do Bonde do Tigrão, Eguinha Pocotó e coisas do tipo estavam em alta, eu achava que tínhamos chegado ao fundo do poço. Era porque eu não sabia o que viria no universo funkeiro 15 anos depois! Já ouvi (passivamente) cada coisa absurda, imoral e indecente, que não dá nem pra repetir.

  22. Aproveitando aquela discussão sobre o ‘prazer’ em comprar roupas no post-livre passado, resolvi tomar algumas medidas em relação aos meus hábitos de consumo nesse segmento. Vou tentar ao máximo evitar as grandes marcas q optam por baratear seus produtos para aumentar as vendas, mas q acabam deixando de lado a vida das pessoas q trabalham na indústria têxtil e não esquentam muito a cabeça com o impacto ambiental… É um gesto mínimo, mas gosto de pensar q minha presença é um pouco menos danosa aos outros… Se alguém tiver dicas nessa área, pode mandar. Descobri uma loja chamada King55 e parece ter essa pegada mais consciente. Se não for marketing, pode ser uma boa.

    Edit: Só pra justificar um pouco melhor, eu comprei três camisetas da Adidas essa semana e cada uma vez de um país diferente: China, Paquistão e Vietnã. Comecei a reparar nas etiquetas e raramente tinha algo fabricado no Brasil. Não sou nacionalista, mas no Brasil há direitos trabalhistas e nesses outros países não é bem assim… Enfim, fiquei bem cabreiro com isso e resolvei mudar um pouco a postura qto a isso. :/

    1. Tem muita marca de roupa BR que vem de pólo de confecção. Em Monte Azul/Mg eu sei que tem algumas, mas te indicar seria difícil agora.

    2. Isso não é meio utópico? Acho legal preocupar-se com a origem dos produtos, e compreensível (louvável, até) boicotar quem não respeita direitos humanos, mas fechar num país, ainda que o nosso, soa o que você diz não ser — nacionalista/ufanista, algo que não combina com a economia globalizada atual.

      1. Como não sou nacionalista, não importa se vier do Brasil ou não, mas gostaria de ficar mais atento em relação a origem. Se vier de um país q respeita os direitos trabalhista ou de uma empresa q apesar de viver num país com essa demanda, assim o faz, poderia ser uma escolha melhor. Não me parece ser utópico, porque já existem empresas agindo assim, então o ponto seria identificar essas empresas ou países q forçam a barra pra empresas agirem de modo correto e passar a verificar essa procedência de algum modo. A Adidas tb produz no Brasil, mas sei lá… Tb não sei muito bem como sair dessa sinuca de bico.

          1. Ah! eu recomendei o mesmo ali em cima. Achei que eram suecas.

            muito forte…. dificil de engolir.

          2. muito foda mesmo a brutal diferença no padrão de vida.

          3. Mas no final o trio está destroçado de forma triste de ver. ( a loirinha chorando na entrevista da mulher que perdeu a mãe…. doeu de ver)

            Se pra gente, que vive num páis problemático aquilo soa como absurdo, imagina pra um Norueguês. Não estão nem preparados para ver aquilo direito.

            E bem… as histórias daqueles trabalhadores então. Doem o estômago.

          4. Esse seu comentário me fez vir à mente aquela imagens do alemães que foram obrigados pelos americanos a verem os campos de concentração nazista… Por se tratarem de pessoas comuns que diziam não saber daquilo, na imagem parecem mesmo horrorizados.

          5. Pessoas comuns, do bem (notar a diferença pra “de bem”) ficam horrorizadas de verdade.

            Aquelas crianças ali da Noruega…. por mais que possam ver em imagens, ver a verdadeira pobreza, exploração… se a pessoa tem coração, se arrebenta.

            Aqui no Brasil já vi coisas de doer. E somos a Noruega perto do Camboja

          6. É verdade. É uma coisa de empatia mesmo e sentimento. Vc pode ter aderido ao máximo ao capitalismo e desfrutá-lo, mas se nem uma vírgula do seu EU se comove com uma pessoa naquela condição abjeta, cara, tem algo errado contigo… pq é MUITO sofrimento e uma vida de merda pra ser vivida. Se o cara diz ter uma religião, então…

          7. Ah, uma coisa q me irrita um pouco nisso é ver uma pessoa como a Gisele Bundchen ter ganho rios e rios de dinheiro por conta dessa indústria, agora q nada em dinheiro, não assumir essa bandeira nem q seja usando apenas a sua imagem… Mas parece q ela ainda se beneficia muito com isso, então não tem cara q ela pretenda parar ou mudar o rumo da vida q leva… Não q ela seja obrigada a mudar, mas digamos q tem poder suficiente pra mudar e ainda ficar na crista da onda.

      2. quanto a economia ser global isso não me parece determinante num sentido maior já q a globalização (ou mundialização como preferem alguns) é um processo histórico longo. dependendo dos rumos das sociedades industrializadas, isso pode mudar de figura no longo prazo, afinal, já não estamos mais tão bem assistido de recursos assim e a variação do clima está afetando a produção agrícola pra valer…

      3. É complicado. Saindo do papo ufanista/nacionalista, nossa economia é globalizada, mas os direitos individuais não. As obrigações das empresas também não são globalizadas. A real é que temos relações comerciais realmente globalizadas, projetos, equipes. Mas o resto fica aquém disso.

        Então valorizar – sem radicalizar – um produto nacional (que seja bom), mesmo que seja um pouco mais caro não é ser ufanista ou nacionalista. A linha é tênue, concordo! Mas reconhecer alguns esforços de uma indústria nacional não é de todo mal. Ainda mais sabendo que a concorrência é quase desleal para alguns países. Vi uma confecção enorme falir porque o produto chinês é extremamente mais barato.

        Por outro lado, quando compro um produto chinês, de certa forma estou dando emprego a algum cidadão no mundo. O problema é quando a balança fica desequilibrada.

        Outro dia li um cartaz, que devia estar em algum local de pequeno comercio nos EUA, dizendo que comprar ali ajuda “nossos filhos” a fazerem aula de piano, ir no futebol. Ao invés de comprar numa multi-nacional e ajudar um CEO a comprar sua terceira casa de veraneio.

        Faz sentido. E as vezes tento valorizar esse comércio e fabricação local.

        1. Vi q deram destaque pra venda de comércio de bairro. Acho q era em Boston, não lembro, os caras colocavam um selo no produto dizendo de q bairro ele vinha, mas aqui em SP, desde qdo era moloque, ouvia sobre a rixa entre ZN e ZL. Então, especialmente quem mora na ZL, tem um bairrismo q o faz comprar preferencialmente na região. Eu acho q isso é bom em muito sentidos, se o dinheiro circula mais localmente. Mas, claro, eu não quero q o cara lá no Camboja se lasque mais ainda com o meu boicote de bom samaritano ingenuamente informado de suas mazelas… O ponto seria como ajudar local e globalmente já q somos, a essa altura (apesar do futuro ser imprevisível nesse aspecto, afinal, as fronteiras abrem e fecham ao longo da história), indissociáveis do mundo de muitas formas.

        2. Vi q deram destaque pra venda de comércio de bairro. Acho q era em Boston, não lembro, os caras colocavam um selo no produto dizendo de q bairro ele vinha, mas aqui em SP, desde qdo era moloque, ouvia sobre a rixa entre ZN e ZL. Então, especialmente quem mora na ZL, tem um bairrismo q o faz comprar preferencialmente na região. Eu acho q isso é bom em muito sentidos, se o dinheiro circula mais localmente. Mas, claro, eu não quero q o cara lá no Camboja se lasque mais ainda com o meu boicote de bom samaritano ingenuamente informado de suas mazelas… O ponto seria como ajudar local e globalmente já q somos, a essa altura (apesar do futuro ser imprevisível nesse aspecto, afinal, as fronteiras abrem e fecham ao longo da história), indissociáveis do mundo de muitas formas.

      4. A Oriba q o @charlesbarroso:disqus indicou parece ter uma pegada muito interessante e vai bem de encontro com algumas preocupações q eu tenho. Não parece ser marketing e sim um negócio conduzido por empresário com outra mentalidade. E o melhor: é uma moda básica para homens!

    3. Esses dias, acho que no GNT, passou um documentário marcante. Pegaram 3 jovens suecos, blogueiros. Acho que de moda.
      E levaram para o Camboja para ver como as roupas são fabricadas.

      não é fácil. …

      1. acho q deve ser o mesmo q o @fromriften:disqus comentou. valeu por avisar, vou assistir novamente, pq vi já faz um tempinho.

    4. Cara eu sei desta: oriba.com.br
      Muito bacana o projeto deles, acho que cada peça vendida eles separam um pequeno percentual e adquirem material escolar para crianças de baixa renda.

      E também tem esta: http://www.basico.com
      Muito interessante também, são fortes no estilo minimalista. Ao qual me chama bem atenção.

      Ambas são nacionais.

      1. é verdade. tinha esquecido da básico. mas preciso saber como eles trabalham, onde fabricam etc.

        vou dar uma olhada na oriba.

        valeu :)

        1. A qualidade da basico.com é fora de série (melhor camiseta que já vesti), mas realmente falta informação sobre a origem e condições dos colaboradores. O máximo que dizem é que o algodão é do tipo pima, cultivado no Peru; não dizem por quem, nem como.

          1. Fiz uma pergunta no face deles. Talvez depois do carnaval respondam. Se forem legais qto a isso, é mais uma boa opção.

      2. cara, ótima dica o oriba.com.br. além dos projetos sociais, eles tem essa pegada de não explorar o trabalho das costureiras. e o melhor: eles tem tamanho longo e curto para camisetas! vou devolver as da adidas q comprei e vou comprar eles :)

      1. pois é. vou me corresponder com a empresa, caso não ache informações no site, sobre como é o processo de produção deles. se a resposta for nebulosa ou melindrosa… deixa quieto, pq aí tem.

    5. Não tem muita relação com o que você disse, mas eu me lembrei de ter lido isso no começo do ano: Lojas grandes, tipo a Riachuelo, estão comprando o algodão produzido no Brasil, mandando para fábricas montadas no Paraguai, onde ele é beneficiado, vira tecido, que vira roupa que é trazida de volta para o Brasil e vendida nas lojas dos shoppings por aqui. A explicação não vinha só da questão trabalhista: No Paraguai os custos de eletricidade, frete, água, etc. são bem menores do que aqui e a quantidade de impostos é bem mais realista do que a nossa, a ponto de compensar toda essa manobra. Nessa matéria nem citaram custos trabalhistas, mas eu imagino que também devam ser menores do que os nossos. Mas o que eu quis dizer é que o fato de quase nada hoje em dia ser fabricado aqui, não está ligado apenas a questões do custo de mão de obra/encargos trabalhistas.

    1. Se flickr deixar de existir, vai ser muito triste… muito mesmo.

      1. Eu uso o Flickr demais para encontrar imagens livres para ilustrar artigos. Só. Como repositório de fotos, compartilhamento social e outras funções mais populares hoje, ele é um zumbi — ou um morto que esqueceu de cair.

        O que é uma pena, porque o Flickr era enorme e tinha um potencial gigantesco de ser, hoje, o que o Instagram e Facebook são para a fotografia digital.

        Sobre isso: http://gizmodo.com/5910223/how-yahoo-killed-flickr-and-lost-the-internet

        1. Eu sempre procuro por fotografias (por interesse e curiosidade) e fotógrafos (profissionalmente) ali… O aplicativo é bom e esse lance de poder achar fotos por tipo de lente usada ou máquina é uma boa qdo vc quer ver melhor os resultados de um equipamento específico. É engraçado, mas eu sinto q há atividade intensa ali, mas é algo realmente um tanto deslocado do frenesi das redes sociais apesar do flickr tb ser uma, eu acho.

  23. Sou só eu que ainda uso o Delicious? “Favoritos” eu gerencio pelo iCloud do Safari, mas para guardar artigos específicos (que dificilmente voltarei a ler alguma vez na vida) ainda uso o Delicious (embora bem menos que dez anos atrás).

      1. Pocket é lindo, já usei muito, só lamento que muitos artigos não fiquem bem formatados nele, aí o jeito é apelar para a visão de web mesmo.

        Sobre o Pinboard, eu tenho conta lá, usei muito nos primeiros meses, depois reduzi drasticamente o uso, porque percebi que quase não consultava os links depois de salvar. Uma vez ou outra só que eu olhava, e quase sempre é mais rápido encontrar o que você quer simplesmente fazendo uma busca no Google que no seu “Google particular” que é o Pinboard. Às vezes ainda salvo algo lá, e a base legada é grande (quase mil links), mas raramente consulto… Pesa também o fato de o Android não ter bons clientes, diferente do iOS.

        1. não ficam bem formatados mesmo no pocket, mas acho q é por conta da origem, pq ele faz um trabalho bem decente em 90% dos casos. e poder ler offiline é excelente! sou fã do pocket. até pagaria se não fosse tão caro. se pudesse comprar ao invés de assinar, seria melhor.

      2. Nunca dei muita bola para o Pinboard pois achava bobagem pagar por um “clone do delicious”. Mas isto me chamou a atenção: “For a few more bucks a year, Pinboard offers an archiving service which saves a copy of everything you bookmark, gives you full-text search, and automatically checks your account for dead links.”

        Pelo que eu entendi, ele guarda cópias de qualquer site por 100 reais por ano — é isso? Misturando com IFTT, dá pra fazer muita coisa.

        Sobre ferramentas do tipo “read it later”: nunca tive a disciplina de me adequar a elas direito. Mas eu usava o Readability: Pocket é muito diferente?

        1. Não muito. O Pocket antigamente se chamava Read It Later e, na prática, faz a mesma coisa que o Readability, Instapaper e uns outros. A diferença é que ele conseguiu se tornar o mais popular — para mim, com méritos.

          E sim, o Pinboard tem esse serviço extra. Além disso, eu gosto de como o Maciej toca o negócio. (Trivial: ele também escreve e é o autor daquele textão que traduzimos aqui, sobre os 100 anos do web design.)

    1. Eu usava muito… depois parei totalmente. Gostava e achava uma forma de conseguir ficar por dentro de alguns assuntos, mas acho q não ganhou muita força aqui no Brasil, né?

    2. Sim, só vc
      Diferentão
      Pré histórico
      Peça de museu
      Amigo dos dinos

      Eu mantenho meus favoritos no Safari também, que sincroniza com o iCloud. Mas isso para mim significa somente os links que acesso com frequência, que são o Gmail, Facebook, Moodle da universidade, um site de concursos e um ou outro blog de tecnologia.

      Já links mais ad-hoc, aí depende muito. Se for algo para ler depois e descartar, uso a Lista de Leitura do Safari mesmo. Se for algo para um trabalho, vou salvando os links em uma nota de texto. Se for algo pra manter para o futuro, Delicious-like, uso o Pinboard.

      Edit: Assim como você, dificilmente volto a ler os links salvos =/

    3. Uso os do Chrome mesmo. Sinto falta de uma ferramenta que fosse integrada com os favoritos do navegador e fosse multi-plataforma (Chrome, Firefox, etc.)

        1. Esse Xmarks não me é estranho. Acho que já testei uma vez, mas não lembro…

      1. Mas a do Chrome é multiplataforma, funciona no Chrome do Windows, do Mac, do Linux, do Android e do iOS, hehe
        Só não é multi-browser :P

    4. Usava o diigo, se a interface exigisse um pouco menos de cliques e foi mais condensada seria top na balada.

  24. Sou só eu que ainda uso o Delicious? “Favoritos” eu gerencio pelo iCloud do Safari, mas para guardar artigos específicos (que dificilmente voltarei a ler alguma vez na vida) ainda uso o Delicious (embora bem menos que dez anos atrás).

  25. Vale a pena pagar 199 reais,por um Smartwatch `generico`,estou na duvida,uso iPHONE e ja tive,que um que atendia e fazia chamadas,bateria durava bem,mas estou na duvida,preciso de um relogio,seja tradicional ou mais moderninho,ajudem me!

          1. Na realidade precisava comprar um Smartwatch de verdade,mas a grana ta curta

          2. Pode nos contar o motivo?

            Problema desses xing-ling é que costumam ser tão ruins que acabam irritando demais. Antes ficar sem.

          3. Eu só queria a Mi Band, mas sumiu do site oficial. Assim como a Mi Bank.

            Triste :(

          4. Eu só queria a Mi Band, mas sumiu do site oficial. Assim como a Mi Bank.

            Triste :(

          5. E no mercado livre,dei uma olhada e constatei que esta inflacionado.

          6. Importando da Gear Best você consegue a versão nova (com sensor de batimentos) por cerca de 80 reais. Mas aí você tem que estar disposto a esperar e a correr o risco de ser taxado.

          7. Opa Gear Best? Vou arriscar.

            GearBest.com? Vou lá, sou mais comprador da DX. Mas essa do modelo novo é mais interessante :D valeu

          8. Pois é né? Faz mais de mês que a Mi Band e a Mi Power Bank estão indisponíveis. Realmente não sei o que está acontecendo com a Xiaomi aqui no Brasil, parece que estão pouco se importando.
            Acho os produtos deles ótimos (tenho um Redmi 2 Pro) e compraria vários outros produtos deles, se estivessem disponíveis. Torço para que ele dêem mais atenção para o Brasil esse ano.

          9. Eu queria a Mi Band nova, que mede batimento cardíaco. Em relação ao power bank, o Zenpower da Asus é bem bonito também e não é muito caro (comprei um por 130 reais recentemente no site da Asus).

          10. Corrigindo o precisava/vontade de ter um Smartwatch,tenho a necessidade de comprar um relogio e estava meio numa via crucis entre um relogio tradicional e um SmartWatch xing ling,tenho lido feedbacks bem negativos desses produtos e vou escolher realmente um relogio tradicional.

          11. Realmente acho melhor um tradicional, nesse caso.
            Você vai ter um produto de qualidade melhor, e que vai te acompanhar por bem mais tempo!

          12. Realmente acho melhor um tradicional, nesse caso.
            Você vai ter um produto de qualidade melhor, e que vai te acompanhar por bem mais tempo!

        1. Olha, eu não compraria. A integração com o iPhone deve ser bem limitada e a qualidade do relógio não me parece das melhores.

          Se o desejo é ter um smartwatch, um Pebble usado pode ser mais vantajoso. Por questão de preço, eu iria de relógio tradicional mesmo.

  26. Gostaria de falar sobre algo chato que já aconteceu TRÊS vezes comigo, existe a rede social Facebook no qual não tenho nenhum interesse, acho uma perda de tempo e além do fato da rede social minerar dados dos usuário mesmo quando não estão usando (através do aplicativo).
    O fato que me desagradou por TRÊS vezes foi quando recebe no meu Email pessoal HOTMAIL um aviso que eu tinha me inscrito nesta rede social, no momento tomei um susto, fui no site deles tentei logar, pedir uma nova senha e recebe no meu Email, quando entro vejo que um rapaz chamado que tinha o nome parecido com o meu tinha usado meu Email para se cadastrar e a rede social não pediu nenhuma confirmação, aceitando logo de cara! Como não gostei fiz minha parte e deletei a conta.
    Depois de um tempo outra vez acontecei agora no meu Email de trabalho OUTLOOK que outra vez foi usando na rede social para abrir uma conta e a mesma aceitou sem confirmação, essa assim como a outra foi deletada mas agora a pessoa que tentou usar o Email OUTLOOK na primeira reativou a conta na rede social, e ainda recebe na minha conta de Email a uma mensagem do Facebook dizendo que gostou de me ver outra vez :/
    Agora meu dados que no caso é meus dois endereço de Email que sempre tive cuidado de não cadastrar em nada agora esta com o Facebook já que mesmo deletando a conta os dados continuam…
    Estou pensado quais as ações que devo tomar contra esta rede social.

    1. uma vez eu já tinha comentado aqui que algo similar aconteceu comigo. um tal de Rafael de Andrade de Canoas abriu uma conta usando meu email…. só que eu sou Rafael Machado! aí fico recebendo uma porrada de emails e não consigo pegar a conta pra mim, pois não tenho a data de nascimento do vagabundo.
      pior que já enviei mensagem pro cara e não me respode. acredito que ele nem use mais essa conta.
      isso é coisa de amador! o facebook deveria exigir a validação do email.

    2. Já aconteceu comigo algumas vezes alguém mandar pra mim um e-mail que era pra outra pessoa. Acho que é quando o endereço de e-mail é simples ou com algum ponto fácil de confundir.

      Quanto ao Facebook permitir a abertura de contas sem confirmação, realmente eles deveriam tomar um cuidado maior quanto a isso, permite muito a criação de fakes (ainda bem que não foi seu caso). Já tentou entrar em suporte com lá? Acredito que ter o e-mail cadastrado lá não é muito “grave”, se você deixar a conta inativa e sem acessar – pode ser até uma estratégia pra evitar essa situação novamente.

    3. Isso está acontecendo comigo também. Criei minha conta de email no dia do lançamento do outlook e por isso consegui criar um login bem “comum”. Tempos depois comecei a receber emails de notificação de criação de conta no facebook. No começo achei que era cilada, até que me dei conta de se tratava de notificação do facebook mesmo. Nos últimos tempos recebi notificações do Deezer, de um site imobiliário da espanha e mais alguns outros.
      Aí recentemente fui criar uma conta para mim no netflix… informei meu email e pá… mensagem de que já havia uma conta com aquele endereço de email! Fiquei desconfiado, pq até então não tinha recebido nenhuma notificação do netflix (não que eu me lembre pelo menos…). Mas enfim, de fato existia uma conta no netflix com o meu email (consegui recuperar a senha (!)), mas era de outro país (espanha se eu não me engano) e era uma inativa, sem cobrança e etc…

    4. Aconteceu comigo também três vezes. Apaguei as contas sem dó: o Facebook não ouve reclamações; os usuários não respondem. O jeito é apagar.
      O fato deles deixarem tão facilmente se usar endereços dos outros foi mais uma razão para eu abandonar esse barco furado azul…

  27. Aproveitando clima de Carnaval: podia marcar um encontro do pessoal do MdU para um encontro né? Fazer um Post Livre presencial. :p

    1. O difícil são as distâncias, não?
      Eu mesmo moro no interior de MG. Mas acredito que tenha uma galerinha aqui de São Paulo-SP

      1. Tenho mt vontade de conhecer MG, principalmente o interior.

        1. Eu moro no norte de Minas, em Montes Claros. Tem alguns lugares bem bacanas para se ver, mais voltados para a natureza ou coisas históricas.
          O legal é que onde moro a influência baiana/nordestina é bem mais forte que a mineira, propriamente dita

          1. Cara, ainda tem por aí aquela tradição em carne de sol?

          2. Cara esse arroz com pequi e a mandioca com manteiga, são sensacionais. Dá até água na boca. Bom de mais!

          1. marcar um café no parque municipal num dia ensolarado de domingo.. olha q legal!! kkkkkkk

          2. Café no parque? Com as barraquinhas da feira ali em cima fazendo aquele tropeirão com torresmo?! Hahahaha! Mas tá aí, se rolar alguma coisa em BH, tô dentro!

          3. Café no parque? Com as barraquinhas da feira ali em cima fazendo aquele tropeirão com torresmo?! Hahahaha! Mas tá aí, se rolar alguma coisa em BH, tô dentro!

          4. Eita, idem. Só falta sermos vizinhos e nem sabermos disso.
            Edit: Acabei de ver abaixo que não. Sou do leste e demoro 5 horas até BH, você é do norte e demora 5 horas também! Que mágica é essa?

          5. Não, leste de MG. Editei ali, hahahah. Mas sério que daí até BH são só 5 horas?

          6. Ah, bom! Daqui lá em condições ideais dá 4:30, mas geralmente 5.

          7. Sou sim, a roça crescida. Aliás, a maioria das cidades de Minas que conheço são roças crescidas. Você conhece a cidade ou viu no meu Twitter?

          8. Gostei da definição (roça crescida), boa!
            Conheço a cidade, ví no Twitter e também sou de Guanhães.
            kkk… tamu juntu

    2. A sugestão me faz imaginar várias pessoas sentadas próximas umas as outras, cada uma com seu smartphone ou notebook, escrevendo e navegando intensamente e, de tempos em tempos, espiando a reação um do outro por conta de um comentário bombástico, mas sem trocarem palavras de modo inteligível: seriam apenas bufadas, resmungos e suspiradas…

      Edit: nitidamente esse é um comentário jocoso.

      1. Hahaha! Já teve alguns, na real, e foram bem legais — sem notebooks! O primeiro foi numa Starbucks (que custei a achar), foram o @google-c1e8c4d9f770b920ebf66bcdfb1f7dec:disqus e o Nelson. O outro foi num bar, ano passado, com o Gabriel, o @brncavalcante:disqus e um povo da imprensa que ia cobrir a coletiva da LG no dia seguinte. (Não lembro se havia outros leitores lá.)

        Sempre que vou a SP marco com os assinantes do site de fazermos alguma coisa. No momento, não tenho perspectiva de voltar, mas quando rolar, avisarei com antecedência.

        1. Opa! Avisa aí. Se conseguir me desvincular de um certo acabrunhamento e a falta de noção em fazer comentários inapropriados na hora errada, pode ser uma boa :)

        2. Não precisa ser em SP. Nem todos os leitores são de lá! Humpf! hahahahahah
          Se vier pra Floripa, dá um toque também! :D

          1. Tem q rodar pelo país com aquele ônibus com foto na lateral e tal. Safadão style.

          2. Ah sim, mas lá está a maior fatia dos leitores :)

            De tempos em tempos viajo para o litoral de SC, mas costumo ficar em Camboriú. Na próxima, aviso sim!

        3. Já tentamos organizar encontros de listas de discussão (tão anos 90) mas sempre esbarrávamos no mesmo problema: tem muita gente esparramada pelo país todo (as vezes até fora). E curiosamente os encontros das listas sempre se concentravam em SP. Já cheguei a viajar para lá por um encontro desses.

    3. Se vierem para BSB, a gente pode invadir o espelho dágua do Congresso. :)

    4. Agora fiquei curioso. Tem algum leitor do MdU por aqui que também seja de Fortaleza? hehehe

  28. Aproveitando clima de Carnaval: podia marcar um encontro do pessoal do MdU para um encontro né? Fazer um Post Livre presencial. :p

  29. Comprei esses dias um Smartphone e comecei a brincar com ele, e pensei em fazer root, mas com todas essas últimas novidades no Android, vocês ainda acham necessário root? Pois eu fiquei pensando e não me veio nenhum BOM motivo, a não ser o cerberus (mas já tem aplicativos que fazem isso sem root), titanium backup (google está resolvendo isso), e aparentemente o tasker funciona melhor com root…

    1. Acho que, hoje, isso é mais para aquele pessoal que gosta de modificar o visual do sistema usando módulos do Xposed, tipo trocar os botões do sistema, colocar transparências, mudar cores de abas etc (o que, pessoalmente, acho meio brega).
      Claro, tem módulos em que você consegue mudar algumas configurações interessantes do aparelho. Mas quando você lê nos fóruns toda aquela galera tentando corrigir eventuais problemas e bugs que essas modificações causam, já me dá uma preguiça de tentar.

    2. Eu cheguei a usar o Cerberus, mas agora que o próprio Android já tem ferramentas de rastreamento remoto embutidas no SO, não vejo mais necessidade. Ah, e eu usava o Cerberus sem ter feito root. Onde exatamente root seria necessário?

      1. Impedido que o aplicativo seja tirado através de um reset.
        “Se você possui root, pode baixar uma versão especial do Cerberus nesta página e instalá-la com o ClockworkMod Recovery (CWM), por exemplo. Dessa forma, mesmo que alguém retorne o aparelho às configurações de fábrica, o Cerberus permanecerá instalado.”
        Fonte:https://tecnoblog.net/155520/cerberus-android-antirroubo-gratis/

      2. Impedido que o aplicativo seja tirado através de um reset.
        “Se você possui root, pode baixar uma versão especial do Cerberus nesta página e instalá-la com o ClockworkMod Recovery (CWM), por exemplo. Dessa forma, mesmo que alguém retorne o aparelho às configurações de fábrica, o Cerberus permanecerá instalado.”
        Fonte:https://tecnoblog.net/155520/cerberus-android-antirroubo-gratis/

    3. Eu uso o Cyanogem. Não tenho os problemas que citaram abaixo, rodou lisinho, deixou o celular mais leve, e tirou aquele monte de bloatware!
      O legal é que você escolhe até que apps do google vai instalar. Agora, se o celular é novo e atualizado, não vejo necessidade!

    4. Fiz no meu só para bloquear nativamente as propagandas de todos os apps.

      1. Essa parece ser a última killer feature do rooting. Ad blocker sem ele, até onde sei, só rola usando navegadores específicos, e os com rooting ainda têm a vantagem de bloquear anúncios de apps também.

    1. Eu nunca fui no Carnaval, então nem posso falar muito. Antigamente era totalmente avesso, mas hoje toparia ir, no mínimo para conhecer, ver como é.

    2. Vire e mexe eu vou em um bloquinho, acho divertido, mas não tenho muito pique não para ir, sei lá, em Salvador ficar a semana inteira loucaço.

      1. Fui no carnaval da Vila Madalena ano passado e até achei divertido, mas também não tenho pique pra ficar andando pra lá e pra cá, meu lance é mais ficar parado, bebendo, de boa.

        1. Eu também só vou porque moro na Pompéia, então consigo ir andando para casa facinho…fora quando não tem Carnaval na própria rua de casa.

          1. Já fui em Diamantina 3 anos seguidos.
            Isso porém, foi há uns 8 anos atrás quando não namorava.
            Acho que rola mais solteiro.

    3. Moro em Recife e sou praticamente um infrator por não gostar do carnaval. Segue a vida. =P

      1. Aqui no interior do Paraná, a festa está mais para isso:
        – O que é Carnaval?
        – É um feriado que tem em fevereiro, pro povo ir pra praia ou descansar.

      2. Até que gosto do carnaval de rua do Recife. Dá pra curtir de noite (ou seja, sem calorão) e as músicas de frevo até que são legais, dá pra curtir bem no clima família mesmo (diferente das micaretas/axé…)

    4. Como trabalhei num acervo de música, tomei muito contato com marchinhas de carnaval e elas são ótimas. Antes as prefeituras faziam.concursos e tal, não sei se ainda rola. O carnaval no Brasil tem uma história longa e essa retomada dos blocos de rua parece fazer muito sentido – principalmente se não houver uma profissionalização deles q impediria as pessoas deterem livre acesso como em Salvador, por exemplo.

      É uma festa legal… Tirando a bebedeira exagerada e algumas estripulias q o povo apronta, é uma grande demonstração de felicidade.

    5. Acho q vou aproveitar pra ver alguns filmes q a ainda não consegui ver no cinema e ir àquela exposição com as obras do Mondrian no CCBB-SP, saca? Tem umas peças de teatro q tb parecem boas, talvez dê pra ver alguma. E, claro, dar uma role pela cidade pra tirar umas fotos… deve ter umas figuras interessantes perambulando pelas ruas nesses dias. :)

      1. Nossa, bora falar de Mondrian: é arte? Por que?
        Tá contigo a bola.

        1. ué, pairam dúvidas de q seja arte?
          se assim for, pobre geraldo de barros. :(

        2. tá show de bola a exposição. se puder, vá. é arte pura!

          1. Fiquei realmente impressionado, mas a exposição não é só do Mondrian e sim do movimento do qual eles fez parte, o De Stijl. Isoladamente e sem ver o retrospecto, parece meio bobo os quadros geométricos dele, mas não são. Eles são o essencial qdo vc tira todo o q é desnecessário. E, vendo as obras dos outros integrantes do movimento, cara, o design atual tem um débito incalculável com esse pessoal com teve ideias tão radicais na década de 20 do século XX. É realmente incrível, depois de ver o q eles fizeram, como há um sem número de cópias por ai do trabalho e conceitos deles. Eu tinha visto um quadro do Mondrian há muitos anos, numa exposição de arte expressionista alemã, q fizeram no MAM (muito ampla, diga-se) e já tinha ficado muito interessado naquela geometria tão essencial. Vendo como está agora por essa exposição, tenho ainda mais motivos pra admirar. E fizeram lá uma brincadeira com realidade aumentada pra todo mundo poder usar seu celular e kinect q foi até q bacana.

          2. Fiquei realmente impressionado, mas a exposição não é só do Mondrian e sim do movimento do qual eles fez parte, o De Stijl. Isoladamente e sem ver o retrospecto, parece meio bobo os quadros geométricos dele, mas não são. Eles são o essencial qdo vc tira todo o q é desnecessário. E, vendo as obras dos outros integrantes do movimento, cara, o design atual tem um débito incalculável com esse pessoal com teve ideias tão radicais na década de 20 do século XX. É realmente incrível, depois de ver o q eles fizeram, como há um sem número de cópias por ai do trabalho e conceitos deles. Eu tinha visto um quadro do Mondrian há muitos anos, numa exposição de arte expressionista alemã, q fizeram no MAM (muito ampla, diga-se) e já tinha ficado muito interessado naquela geometria tão essencial. Vendo como está agora por essa exposição, tenho ainda mais motivos pra admirar. E fizeram lá uma brincadeira com realidade aumentada pra todo mundo poder usar seu celular e kinect q foi até q bacana.

          3. Acho que deve vir pro CCBB daqui.
            Aliás, o CCBB daqui é bem triste quando comparado com o CCBB do RJ ou o de Minas. Nunca fui no de SP.

            Se pá porém devo ir este ano, assim como no sesc pompeia e no MIS. Provavelmente em julho, quando terá a bienal iberoamericana de arquitetura, que até hoje não sei se era junta da XI bienal de arquitetura de SP.

          4. O CCBB de BH é muito show de bola, nossa. Vi uma exposição incrível lá qdo estava em BH, a do Milton Machado. A exposição se chamava “Cabeça”. Os outros não conheço, mas qdo estiver em Brasília com certeza vou dar um pulo lá. Sesc pompéia é incrível, vale visitar. O MIS tb e se for ao MIS aproveite e vá ao MUBE q é do lado.

            Cara, nunca fui nas bienais de arquitetura. Acho q esse ano eu vou.

    6. Eu. Não curto. Recife também.

      Eu aqui no escritório da empresa. Somos 5 analistas. Um deles pegou o notebook, colocou no youtube e tá tocando aqui para todo mundo músicas de carnaval em looping.

      Pedi para ele desligar e ele disse: “é carnaval”.

      Me deu vontade de ligar a metralhadora e detonar um “trá trá trá”

    7. Não é que eu não curto O CARNAVAL em si, eu não curto alguns fatores, e eles são: o CALOR infernal que faz essa época no ano (e eu que nem na praia vou e sou branco pra caramba, ja viu que sol não é uma das coisas que eu mais gosto né), e a aglomeração gigante em alguns blocos de carnaval, isso dai é tenso pra mim, não tem como gostar, porem, e um bloco ou outro mais tranquilo eu vou, ou até nas “baladas” que eu costumo ir é bem legal, pois as festas tem um tema mais carnavalesco e tal, a, e outra parte chata é porque como eu moro na parte de niterói etc, quando eu vou pro RJ a noite pela ponte, ta IMPOSSIVEL passar, graças ao desfile das escolas de samba AHHAAHA

    8. Eu gosto. Já gostei mais, quando era solteiro e mais novo.
      Mas hoje meu tipo de carnaval não é de escolas de samba e tal.. Gosto mais de blocos pequenos, lugares sem tanta muvuca de gente, que eu posso tomar uma ou doze cervejas em paz, sem ter que ficar 15 dias na fila para beber, 30 para mijar e tal.
      Se bem que esse ano, com o patrocínio da empresa que a esposa trabalha, vou desfilar na avenida, assistir os desfiles das campeãs de camarote, fazer bate e volta para uma cidade a uma hora de viagem para ficar num bloco. É… Torcerei para ser bom, mas não to colocando muita fé não!

    9. Quando eu era mais novo era completamente avesso ao carnaval. A medida que fui ficando adulto, comecei a curtir um pouco mais. Não sou o maior fã, mas não odeio o carnaval.

    10. Antigamente eu era bem intolerante, detestava com todas as minhas forças. O tempo me ensinou a hoje respeitar quem gosta e aproveitar a folga grande, já que definitivamente não gosto do estilo musical vigente nos carnavais país afora.

Os comentários deste post foram fechados.

Compre dos parceiros do Manual:

Manual do Usuário