Post livre #334

Toda semana, o Manual do Usuário publica o post livre, um post sem conteúdo, apenas para abrir os comentários e conversarmos sobre quaisquer assuntos. Os comentários fecham segunda-feira ao meio-dia.

Newsletter

O Manual no seu e-mail. Três edições por semana — terça, sexta e sábado. Grátis. Cancele quando quiser.

339 comentários

  1. Conversando com uma colega de trabalho, ela me falou de um site moneysx em que vc digita o cpf e ele mostra algumas info (bem específicas tipo nome da mãe e endereço) e qto de dinheiro tem para receber.

    O irônico é que falam q não podem revelar as informações da instituição onde está o dinheiro pois está protegido por sigilo bancário… mas pagando o relatório, aí não tem mais sigilo.

    Me lembrou daquele site q o manual entrou em contato com o dev. Ou estou confundido? Eh possível ser golpe, mas o que me impressiona é como conseguiu essas infos. Não tinha visto vazamento de valores até então.

    1. Coloquei o meu CPF e consta R$ 6.079,48 a receber. Tenho 99,9% de certeza que não tenho nada a receber, pois já consultei várias vezes em canais de informação bem mais confiáveis.

      Uma coisa interessante é que o meu nome, data de nascimento e o nome da minha mãe estão corretos. Já o endereço… realmente morei no endereço que consta nesse site, porém me mudei há cerca de 19 anos desse endereço…

  2. Vocês já ouviram falar sobre o filen.io? É um serviço novo de cloud que tem um preço acessível no plano de 100GB (que, pra mim, é o suficiente). Todos os serviços de nuvem que conheço e que prometem maior segurança têm um preço mais elevado do que estou disposto a pagar, então estava pensando em contratar. Assino o Google One, mas eles nem sequer disponibilizam um aplicativo oficial para Linux e preferiria muito usar um serviço que não fosse da Google.

    Será que vale a pena ter eles como backup/sincronização?

    1. Nunca tinha ouvido falar. Sempre fico com um pé atrás com ofertas muito tentadoras — e também com planos vitalícios, que são por definição insustentáveis.

      Onde você conhece esse serviço, Edson?

      1. Então, na verdade eu acabei esbarrando com menções ao lançamento dele no Reddit. Esperei algum tempo para ter mais notícias e esses dias, enquanto buscava um novo serviço de cloud, esbarrei de novo com ele no AlternativeTo… Ou seja, desconsiderando alguns feedbacks de outros usuários, normalmente elogiosos, e o fato projeto se propor open-source, não tenho referência alguma.

        O plano vitalício e sua inviabilidade também me chamaram a atenção. Parece que essa é uma nova (e péssima) moda entre as clouds.

    2. PCloud é mais conhecido é estava com um bom plano.

      Google é ótimo e confiável, isso é inegável. Quanto à privacidade, veja se o criptomator que o Ghedin posto recentemente resolvem essa questão pra você.

      1. O PCloud realmente é interessante, porque o custo-benefício dos planos é ótimo, mas realmente estou longe de precisar de 500GB de armazenamento, então eu acabaria pagando por algo que provavelmente nunca usaria nem a metade da capacidade.

        Quanto ao Criptomator, uso ele sempre que preciso salvar documentos pessoais meus ou de outras pessoas, mas fazer dele um meio pra criptografia de ponta-a-ponta tem a limitação de só funcionar no computador, não? Não consigo me lembrar se eles têm uma versão para Android e se ela consegue acessar pastas na cloud.

        1. O Cryptomator tem aplicativos para Android e iOS. (Não os testei, mas imagino que sejam tão simples de usar quanto os para computadores.)

          1. Opa, bom saber!
            Ainda não resolve meus problemas com a sincronização no Linux, mas pelo menos melhora o uso com os documentos mais sensíveis.

  3. Tenho usado o 22H2 do Windows 11 desde quando lançaram a RTM dele. Apesar da ausência de bugs e de performance semelhante em jogos em relação ao Win 10, to pensando em voltar pro sistema antigo de vez. Não faço isso desde o famigerado 8.

    O que me dá essa vontade de retornar é ver que é a primeira versão que remove várias funcionalidades da versão anterior, sem trazer nenhuma grande novidade exclusiva. A única coisa que eu realmente gostei foi o lance da Snap Bar, mas isso dá pra mimicar com o Fancy Zones do PowerToys.

    Ficou um sistema oversimplificado, “celularizado”, com uma enfase em touch (que foi o que deu errado no 8 e tava sendo deixado pra trás no 10), e com uma usabilidade piorada. Os caras nerfaram o menu de contexto ao clicar com o botão direito no sistema. Adicionou um clique extra pra uma pá de coisa, fora que tem um certo delay que dá pra notar que o sistema tá meio que construindo o menu a cada vez. E simplesmente destruíram a barra de tarefas. Não dá mais pra habilitar exibir todos os icones da tray, não dá pra escolher a posição e o tamanho da barra, não dá pra habilitar os rótulos dos aplicativos (uteis ao trabalhar com várias coisas abertas de uma vez). Também deixaram a barra de progresso do icone na barra quase escondida, sendo uma linhazinha (ao invés de ir pintando todo o fundo do botão), o que torna quase ilegivel algo que antes era só passar o olho.

    Sei que o Startallback corrige algumas dessas coisas, só que é meio tosco usar um programa de terceiro pra coisas basicas de UX, além dele (pelo menos na minha percepção) gerar um pequeno delay na abertura de programas e usar de hacks que num futuro pode ser que a MS remova.

    Fora os lances de enfiar propaganda em tudo, fazer programas padrão piores (Gerenciador de Tarefas, Bloco de Notas) e tornar impossível pelo caminho comum de instalar o sistema com conta local.

    Além disso, me parece que o 10 é mais responsivo que o 11. Não boto nem a culpa em animações, já que removo isso desde a época do XP.

    O que me faz pensar em ficar no Windows 11 é o gostar de novidades e acompanhar as mudanças. Mas como o sistema vai dar uma estabilizada agora, com o eventual lançamento do Windows 12 daqui a 2 anos, quebra isso.

    Tenho a impressão que o 12 vai vir com o mesmo marketing do 10, de ser um sistema voltado pros usuários de desktops e notebooks que usam teclado e mouse. Ou será que a MS vai insistir em socar propaganda e forçar o Edge/Bing em tudo, trocar apps nativos pela joça do UWP e fazer mudanças só pra falar que mudou?

    1. Amigo, você resumiu com muita precisão o que penso a respeito do Windows 11. Entendo seu sentimento. É por conta de todos esses poréns que você citou que eu nem mesmo me interessei em instalar. Decidi esperar a versão 12 e ver no que dá.

    2. Tive que usar o win11 pra configurar uma impressora de cupom pra minha irmã e em 5 minutos eu só conseguia pensar em como aquilo tudo tinha ficado horrível kkkkk. Nem pra copiar o KDE de forma decente! Kkkk

    3. dá pra deixar o Windows 11 bem parecido com o Windows 10, mas dá um pouco de trabalho

      começa pelo Explorer Patch (que tem no Github)

      1. mas ai é o lance de ter que encher de gambiarra o sistema.

    1. Eu sei que existem as seguintes classes de licença:

      – Retail (revenda), que é a que se compra em uma Kalunga ou na caixinha por exemplo. Sempre é a mais cara

      – OEM (Original Equipament Manufacturer): é a licença atrelada ao computador (hoje baseado em códigos direto na UEFI da placa mãe). Algumas empresas costumam revender licença OEM atrelado a uma placa mãe por exemplo. O preço é mais barato. Ou as vezes pegam lotes de pc que nunca usaram a chave oem impressa (etiqueta) e usam ela para revender.

      – Chave MAK ou MAS – aqui vou entrar com uma suposição, mas falamos de chaves de servidor ou atrelados a servidores e terminais. É outro tipo de licença que alguns revendem como chave barata.

      Sei que no Japão existem tipos de licenças específicas (tem um vídeo do Michael MJD que dá um exemplo). E as vezes alguns mercados tem licença específica. Ai não sou MVP para isso.

      1. Quando fala no Revit ou Corel Draw, há duas suposições:

        – ou tão revendendo licença empresarial ou especial em pacote, assim barateando para clientes.

        – ou é licença comprada com cotação em outro país para pegar mais barato (agora viajei).

        1. o mais bizarro é que vários programas cujas licenças eles alegam vender como “vitalícias” simplesmente não possuem originalmente nenhum outro modelo que não o da assinatura

          tem muita cara de golpe, mas é muito bizarro que um site assim exista sem ter sido já derrubado

          mas pode ser mesmo alguma brecha nessas licenças vendidas em lotes que você descreveu

          1. Então. No caso de licenças MS, como são varios tipos, então há N brechas.

            Licenças de programas para Cad ou CorelDRAW creio que a brecha é onde há locais com desconto.

            Já vi o seguinte caso: o Corel Draw quando instalado de forma pirata e não mexem no sistema de bloqueio (Protexis), quando a instalação caí, é exibido um anúncio com propaganda de um Corel mais barato oficialmente pela Brassoft, mas na versão anterior (isso até as versões X). Não sei como está hoje.

  4. https://driesdepoorter.be/
    Até estou em dúvida se é real, mas o último trabalho dos caras foi pegar fotos com geolocalização no instagram e achar o momento do clique em câmeras abertas.

    1. Cara… Isso é tão incrível (estou genuinamente impressionado pelo esforço do cara), mas terrivelmente assustador. Mais uma para minha lista de “razões para não se expor em redes sociais”.

  5. Minha esposa começará a trabalhar home Office e precisará de um notebook novo (o dela é bem velho, mesmo com ssd, dá sinais de cansaço).

    Queria um que fosse um pouco mais resistente

    Tela boa pra usar planilhas

    Teclado numérico seria bom (mas qro convencer ela a usar externo por ergonomia)
    Penso q um i5 de 10ª ou 11ª geração de conta, com 8Gb ram expansível , qual seria o AMD compatível? E qual dos dois anda melhor (lembro que os Ryzen tinham dado um salto, mas não sei como está agora)
    512gb resolvem com tranquilidade.

    Vai usar planilhas, videoconferência e outros sistemas internos não tão pesados,
    Mas muitas vezes navegador mais MS Teams, Meet ou Zoom.

    Antigamente gostava dos Dell para trabalho, mas hoje não me parecem confiáveis, no meu trabalho deram muito problema.

    Não precisa ser superfino, nem ultraleve

    Vai usar Windows e Office, então MacBook não é opção

    Gostaria de não passar de 4k, mas prefiro a melhor reação custo-benefício que considerarem

    Quais as recomendações de vocês ?

    1. O que mais pega é tela, tem muito note com tela ruim… dá uma olhada nos Acer no custo beneficio

      1. Obrigado José. Fomos de Acer, os diferenciais foram justamente tela melhor e mais portas.

        O modelo foi o Aspire 5-515-R760
        R$ 3.270

        15.4” FullHD IPS – ela não vai trabalhar com monitor externo, então uma tela IPS é uma boa vantagem sobre painéis TN

        Ryzen 7 5700U – um tanto melhor que o i5 pretendido inicialmente, pelo mesmo preço pago. Adiciona alguma longevidade ao equipamento.

        8GB de ram – infelizmente 4GB são soldados na placa, permitindo o máximo de 20GB ao invés de 2 slots é um máximo de 32 ou 16 em dual channel, mas agora é uma configuração meio q padrão nessa faixa de preço. Upgrade pra 12 ou 20GB assim q possível pois a placa de vídeo compartilhada usa memória RAM.

        SSD 256GB – como será focado no trabalho , acredito que será o suficiente, mas tem espaço pra mais um HDD ou SSD SATA de 2.5”.

        Teclado um pouco melhor q os principais concorrentes diretos (bem subjetivo, mas comparei principalmente com Dell 3511 e Ideapad 3)

        Bateria – não é o forte deste note, mas será usado mais em casa, então não faz diferença 6 ou 10h de bateria (para o uso dela).

        Porta RJ 45 – raridade hoje em dia, especialmente nesta faixa de preço.

        1x USB A 2.0, 2x USB A 3.2 e 1x USB C 3.2 – suficiente para o uso dela, sem necessitar de adaptadores.

        Acho que foi uma excelente compra Custo-Benefício pensando em longevidade e uso para escritório com alguns cálculos um pouco mais complexos, mas sem uso para jogos, aplicativos CAD, edição de vídeos e afins.

  6. tenho uma dúvida matemática e, como mataram o Yahoo Respostas, gostaria de saber que local da internet abarcaria a seguinte questão:

    Gostaria de simular (manualmente) o quanto preciso ter em conta para que, baseado na taxa SELIC, ganhe o rendimento de R$ 600 por mês.

    Uma vez, muitos anos atrás, consegui fazer essa conta para brincar com a ideia de trabalho e capitalismo – mas a idade passou e já me vejo gastando muitos minutos com a calculadora (e sites na internet) sem saber qual lógica me levará ao resultado.

    1. numa conta grosseira (desconsiderando inflação, etc), com 55 mil você consegue hoje (com essa selic absurdamente alta) por volta de 600 reais por mês

    2. Diria mais de 60k, baseando-me num pequeno rendimento que tenho.

  7. Olá pessoal,
    Daqui uns tempos farei uma viagem mais longa e gostaria de registrá-la em uma série de fotografias e compartilhar com a família e amigos. A ideia seria uma espécie de blog fechado que seria preciso fornecer senha para visualizar as publicações. Se fosse há muitos anos, eu cogitaria o blogspot, mas hoje não sei quais opções legais existem. Não cogito o Instagram pois não quero ficar recebendo sugestões de “pessoas para eu seguir” nem nada assim. Gostaria de algo simples, em que eu com um celular selecionaria as fotos para publicar, subiria elas e escreveria algumas linhas para dizer de onde foram tiradas as fotos e tal, como se fosse um “diário” mesmo. Existe algum serviço assim hoje em dia, simples e fácil, sem firulas?

    Obrigado desde já.

    1. Não cogita um aplicativo de mensagens, como Signal ou WhatsApp? Você pode criar um grupo em que só administradores (você) podem postar, ou uma lista de transmissão (no caso do WhatsApp).

      Newsletter também me parece uma boa solução, caso seus familiares e amigos tenham o hábito de ver e-mail.

      1. Ghedin,

        Cogitei, mas no caso do Signal ou WhatsApp, por exemplo, as fotos ficariam “perdidas” ao longo das semanas.

        O que pensei como ideal seria algo como: com o celular nas mãos, em meio a locomoção entre um local e outro, eu acessaria a galeria de fotos, seleciono “n” fotos e direciono ao serviço a ser usado, bastando que eu escreva um título da publicação e uma breve mensagem abaixo do título – semelhante a se criar uma publicação no WordPress, por exemplo. Lembro que, antigamente, o Flickr possuía algo similar, porém, acho que se criava álbuns e colocava as fotos neles, mas fazem anos isso, e até a saída de cena do Yahoo que não sei ainda seguiria essa dinâmica, ou se há algo mais fácil e rápido.

    2. Lembre-se que qualquer rede online é insegura. Mas entendo que você apenas quer um espaço para compartilhar entre parentes as fotos.

      Talvez uma pasta no Google Drive com link possa ser útil. Não sei se compensaria o trabalho de criar um site só para isso ou usar algum tipo de rede mais “exclusiva”. A “ideia base” sua na verdade se encontra com o OnlyFans ou BeReal.

    3. Testaria um álbum no Google Fotos. Pode ser compartilhado com um link ou com pessoas específicas, se estas tiverem uma conta Google.
      Ou então um Google Docs / Apresentações. Podem ter um formato mais parecido com o diário que vc quer.
      Tudo isso deve dar certo nas soluções da Microsoft também – OneDrive/Word/PowerPoint.

    4. Tiago, já ouviu falar do aplicativo 1second everyday? Ele utiliza a função de Live Photo dos iPhones para criar um álbum com fotos passando a cada 1 segundo ou mais, depende da configuração, e que cria uma história do roteiro, organizado por dias. Dá uma olhada na versão gratuita que é bem completa.

    5. Infelizmente acho que o Google Photos manda bem nisso. No álbum compartilhado as pessoas podem comentar nas fotos ou apenas curtir. Dá pra colocar legenda. Dá pra criar caixa de texto entre as fotos. A parte chata que é a ordem das fotos enlouquece quando se está editando o álbum.
      Parte de privacidade o acesso, dá pra exigir login pelo google ou apenas ter o link é suficiente.

      Sou fotógrafo e sempre busquei algo legal pra isso e sempre me frustrei. Até parei de testar “novidades”. Hoje utilizo muito o Lightroom, mas é algo caro e não tão prático e rápido como o Photos. Considerando que você irá usar por um período determinado de tempo, eu iria no que não custa grana extra.

    6. Crie um grupo no WhatsApp e compartilhe os links das fotos do Google Fotos. Eu deixaria o acesso aberto a quem tivesse o endereço por pelo menos algum tempo. Pode parecer bobagem, mas as pessoas, em geral, apanham bastante das tecnologias.

    7. Tem mesmo que ser algo fechado? Eu pergunto porque se tu criar um blog num blogger / beardev da vida e não divulgar muito publicamente, ninguém vai descobrir. Digo por experiência própria.

      Porém, também por experiência, criar esses blogs fora das redes sociais comuns de hoje, pestilente ninguém visita. 😐

    1. ainda bem que só acesso caixa eletrônico com a biometria, o que teoricamente me deixa livre desses perigos, não?

      1. A alguns anos atrás quando eu tinha conta no Santander fui numa agência num final de semana e todos os caixas eletrônicos estavam com o leitor biométrico riscado, não entendi se aquilo era algum tipo de golpe ou algum adolescente aborrecido que o fez. Mas como eu já sofri fraude em caixa eletrônico uma vez, ainda por cima do Santander, saí de lá rapidinho e procurei um 24 horas. Mas até hoje não sei o que era aquilo, é difícil entender a mente dos meliantes, estão sempre um passo à frente.

        1. Talvez fazia parte do golpe… Riscaram a biometria pra forçar o cliente a usar outro método.

    2. Pessoal atrasado, em 2010/2011 já tinham os chamados “chupa-cabras” nos caixas eletrônicos em São Paulo.
      Tem uma técnica bem rudimentar que funcionava antes, quando as entradas para envelopes de depósitos eram “abertas” (agora é fechada mecanicamente. Abre só no instante em que vai inserir o envelope) – colavam linha de pesca e silvertape pra impedir os envelopes de caírem dentro da máquina, a pessoa tinha até o comprovante pq o envelope passava pelo leitor, mas depois era “pescado” de volta e os valores retirados.

      O sistema bancário Br é tão avançado não à toa.
      Aqui alguns leitores requerem que a pessoa esteja viva pra funcionar (não leem apenas a digital, q permitirá fraudes mais fáceis amputando-de dedos)

    1. desculpe, quis dizer para os mineradores de criptomoedas, não especificamente bitcoin.

    2. Pelo pouco que acompanho (tenho uns trocados espalhados em algumas moedas) o mercado de criptos já tava meio frio nos últimos meses e já começavam a aparecer placas de vídeo por preços menos exorbitantes. Talvez isso acelere o processo.

      1. Pois é, andei vendo umas promoções interessantes de peças usadas no AliExpress. Talvez já seja um reflexo disso. placas de vídeo sendo liberadas e como o gargalo por hardware novo está diminuindo, mas coisa usada entra no mercado.

  8. podem me chamar de chato, mas adoro o clima que faz agora em são paulo: 16º, nublado, confortável para caminhar pela cidade

    a não ser que você seja rico e tenha acesso fácil a piscina e ar condicionado, esta cidade é horrível quando faz calor

    esse clima agradável por volta de 18º pra mim é perfeito — menos que isso é muito frio, mais que isso já começa aquela suadeira nojenta só de colocar os pés na rua

    1. Confesso que não gosto muito. Prefiro quando tá aquele solzinho tímido ali, que da vontade de sentar no quintal pra tomar um banho de sol kkk

    2. Com o tempo na faixa dos 20 graus, costumo dar uma caminhada longa quando dá tempo. Tipo da Sé até o Ibirapuera por exemplo.

      E sempre me lembro da piada dos “Brasileiros em diversas temperaturas”.

    3. Blz…
      Tu é chato! 🤣🤣🤣🤣🤣
      Também prefiro clima mais proximo dos 20C…

    4. Engraçado que em São Paulo parece não ter meio termo: ou esquenta demais ou esfria demais.

      1. então: essa faixa 16º–18º é perfeita e acontece justamente em apenas algumas semanas no ano

        por mim podia ser o ano inteiro assim :)

    5. 131 dias sem chuvas em Brasília
      record atrás de record de temperatura e seca nessa semana

      supertrunfo da catastrofe

      1. Quem poderia imaginar que cortar algumas árvores iria causar mudanças climáticas em toda América Latina? /s

    6. Como moro no nordeste, sinto aquela vontade de ter um clima assim por aqui. Vou me contentar com os agradáveis 25° dessa noite hahaha

  9. Pedido para os carecas do MdU, qual máquina vocês recomendam para raspar a cabeça? Não para aparar, aquela que deixa sem nada mesmo, igual gilete.

    Fui em um barbeiro em Buenos Aires que usou uma máquina que deixou mais baixo do que com gilete, mas não perguntei a ele qual era o modelo e até hoje me arrependo.

    Se alguém tiver recomendações, agradeço!

    1. A última vez que raspei o cabo (faz uns 10 anos) foi com “gilete” mesmo.

      Geralmente o pessoal raspa o cabelo com maquina sem cabeça de pente, e alguns finalizam com gilete. Creio que maquinas de barbear podem servir para “zerar” também.

      1. Eu faço isso, mas dá uma trabalheira, quando o cara fez com a máquina foi mais rápido, limpo e durou mais, por isso queria achar uma semelhante.

        Seria essa de “barbear” mesmo, mas queria uma que aguente bem porque eu raspo a cabeça com frequência.

        1. Creio que Panasonic ou Phillips original, mas a tipo “trimmer” (aquela cabeça que vibra), não a que tem cabeça redonda.

    2. Tenho uma maquina que comprei no Paraguai (sem marca) à uns 30 anos atrás. Já tive outras, mas sempre volto para essa antiga. O segredo é manter afiada e lubrificada.

    3. Provavelmente ele usou um barbeador deste tipo, mas de uma linha mais profissional (não sei fazer links aqui, então segue a URL):
      https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1628753443-maquina-barbeador-maquininha-shaver-km-2024-bivolt-oferta-_JM#position=32&search_layout=grid&type=item&tracking_id=a9c6871c-bce3-49b5-967e-67c859c3011e

      Eu mantenho barba baixa e aparo os “contornos” todos os dias. Como minha pele no pescoço é muito sensível, comprei um desses pra utilizar após passar o barbeador e funciona super bem. Fica de fato mais baixo que o gilette.

      1. Você usa exatamente esse aparelho ou só um desse tipo? Há quanto tempo tem ele?

        1. Deste tipo, o meu é de uma marca chamada GA.MA. Comprei no início de 2021, não me lembro o preço exato que paguei mas foi algo na casa dos 250-280 reais. Funciona super bem pra mim desde então.

    4. Eu uso um barbeador Qshave manual mesmo. Demora um tempo pra fazer a barba, mas ele usa daquelas laminas tradicionais, então gera um lixo 100% reciclável e eu comprei uma cartela enorme que deve me dar o equivalente a um ano de barba e cabelo raspados :)

    5. Eu raspo a cabeça a cada 2-3 dias, com gilette mesmo. Uso meu barbeador (nesse caso, qlqr um serve) pra abaixar e, em seguida, passo a gilete mesmo.

      A dica de ouro para não se machucar é: primeiro passar a lâmina de cima para baixo e, em seguida, passar de baixo para cima. Evita sangramentos, em especial com lâminas novas.

    6. Tenho uma da Philips, modelo QC5115/15 há muitos anos, funciona super bem.

      1. Caramba!!!! Vou continuar tentando, uma hora eu consigo também. Rs

        Parabéns!!

    1. Fica a dica q o canal de youtube do tomscott, de onde veio esse joguinho, é mto bom tbm

    2. Perdi no nível 5 também, quando chegou a parte da adição do minutos embaralhou tudo.

  10. Ontem fui procurar um presente no shopping e comprei algumas coisinhas. Na hora de pagar o caixa falava “digita o cpf para dar prosseguimento por favor” e aparecia na maquininha a opção do cpf. Fiquei “SENHORA?!?”. Antes eles pelo menos se esforçavam para pegar seus dados, um desconto, uma proposta. Agora vai assim no seco. Não pensei duas vezes, digitei 000000000.

    Alguém mais notou esse comportamento por aí? Era loja da C&A e Kalunga em cidade de interior SP

    1. Aconteceu comigo na Decathlon algo parecido.

      Fui fazer a compra, pediram meu CPF, falei que eu não precisava de CPF na nota. Ai o atendente me falou que não era pra por na nota, era pra cadastro na loja. Perguntei se teria desconto ou algo assim, ele me falou que não, mas que o prazo para troca seria de 90 dias em vez de 30, e eu não precisaria guardar o cupom para fazer a troca.

      Como raramente troco alguma coisa, principalmente se já puder provar e verificar se tem algum defeito na loja, e posso muito bem guardar o cupom por 30 dias, agradeci e pedi para não informar o CPF.

        1. Acho que a troca a que eles se referem nesse caso é caso você não goste mesmo do produto, ou se o tamanho for inadequado etc. Não necessariamente por defeito.

    2. isso virou padrão em várias lojas aqui do rio também, só dou quando acho que posso precisar (felizmente é raro).

      isso me lembrou de outra coisa chata, sempre que vou em alguma loja vem o famoso “você já tem cartão com a gente?”, eu falo logo que não tenho e não quero, mas continuam insistindo, uma vez falei que tinha o nome sujo, aí ele pediu meu CPF msm assim pra ver se dava pra fazer, e no final ainda pedem: “faz pra ajudar a gente”, enfim, um saco.

      aí agora virou a dupla do apocalipse: me informa o cpf e faz o cartão com a gente.

      ah, antes que esqueça, cacau show subiu de patamar nessa guerra de dados, criaram um “clube”, todos os produtos nas lojas agora tem 2 preços, 1 para quem faz parte e outro para quem não faz, e como fazer parte do clube? simples, só fazer seu cadastro, é gratuito, só tem vantagens, basta informar cpf, e-mail, telefone, daqui a pouco vão perguntar sua renda.

      1. 012.345.678-90

        Meu CPF preferido para colocar em Wifis “publicos”

      2. Mas essas máquinas não identificam a lógica da sequência do cpf? Tipo se não seguir a lógica da inválido?

        1. Fico é me perguntando se alguém que tem um cpf destes ganha no nota fiscal paulista.

        2. Esse CPF aí é válido. Uma barbada pra esse tipo de burocracia

  11. Pessoal, alguém já usou o posteo.de para hospedar seus e-mails? Que acharam do serviço deles? Algum problema com uptime ou entregabilidade?

    Eu usei o protonmail por um tempo, mas a entregabilidade tava péssima (todo mundo dizia que meus e-mails caíam no spam, mesmo com tudo configurado corretamente).

    1. Que pena saber que o proton tem problemas de entrega.. Eu tava pensando em usar o serviço deles pra uma mailbox que eu preciso compartilhar em casa. Tô cansado de ficar criando filtros pra encaminhar coisas que recebo pra minha esposa.

      Eu uso Fastmail desde 2014 e nunca tive problemas com isso. Inclusive uma vez que uma pessoa me disse que não havia recebido um email meu, contatei o suporte deles e me proveram até trechos do log comprovando a entrega do email no servidor da pessoa. Recomendo.
      O motivo de eu estar interessado no Proton era pra dar uma brincada em outra plataforma. :)

      1. Infelizmente é um problema recorrente do ProtonMail. Comigo mesmo já aconteceu de ir pro spam e até de não conseguir me registrar em alguns sites usando meu email deles. Acabei abandonando.

        1. Droga!
          Ok. De volta aos meus filtros então. Não vou pagar pra perder e-mail.

    2. Nunca usei o posteo.de, mas sugiro que dê uma olhada no Tutanota. Curto bastante o serviço – preço justo; suporte prestativo; várias personalizações. Sou cliente de longa data. Nunca tive problemas com meus e-mails parando em spam, mas tenho problemas com “entregabilidade” para um domínio específico de uma empresa específica (sempre recebo um e-mail de volta informando que não foi possível entregar o e-mail: “Host or domain name not found. Name service error for name=xxxx.xxxx type=MX: Host not found, try again”). Só com eles que acontece (nunca descobri o porquê), mas recebo deles normalmente.

      Como raramente envio e-mail (só peço que encaminhem arquivos para arquivamento), nem fiz (ainda) questão de correr atrás.

      Enfim; vale a pena conferir o serviço, principalmente pelo preço. O ponto positivo de usarmos domínios próprios é essa mudança entre serviços acontecer praticamente sem downtime e sem muito esforço.

      1. no tutanota tenho problema de não receber mensagens, que o tutanota alega não serem compatíveis. recebo emails dizendo que não podem ser recebidos kkkk

  12. Buenas, pessoal.

    Alguém aí já pesquisou sobre o “dumbphone” Qin F21 Pro?

    Pelo que vi, parece estar unindo o melhor dos dois mundos do aspecto “minimalismo digital” e ao mesmo tempo ser mais funcional e potente que os dessa categoria – sem contar que tem 4g e é “customizável” por ser Android.

    Vi bastante coisa sobre gente crackeando ele, desde gente que prefere utilizar Google Services mesmo ou pessoas que tem medidas mais protetivas de privacidade, eliminando todas dependências do Google e da Xiaomi.

    Mesmo vendo alguns comentários de brasileiros que compraram, fiquei pensando como seria a compatibilidade dele com “bandas” de sinal daqui pois não entendo muito do assunto.

    Fiquei tentado em comprar pra eventualmente usar ele como celular principal e ter o smartphone atual como backup (apps de banco etc.)

    Pensamentos sobre?

      1. Acho que serve mais como “celular de idoso” (porque idoso precisa de tecla, já vi isso e muito mais fácil um celular deste tipo do que celular touch) ou “celular de ‘corre'” (para contatos da empresa). Como boa parte da comunicação é mais fala que escrita, não vejo problema. É tipo que nem os antigos “Nextel” (celulares tipo “IDen”, que fazia o famoso “PRIP!”).

        Talvez sirva também como “segundo celular”, que nem o caso do primeiro comentário do PL da semana.

    1. Ñ vejo nada de preocupante nesse caso. Pensei que eles iam deixar de negociar os BDRs por aqui.

      O BDR nível 1 é o mesmo de empresas que ñ estão listadas na B3. Ou seja, muda nada para quem quer continuar com ações da empresa e ñ quer comprar via corretora gringa.

      Ps.: url do artigo está clickbait demais.

      1. Não tem clickbait, de fato o Nubank está fechando capital na bolsa brasileira (B3).

        1. O título da entender que ñ é possível comprar ações (BDRs) pela a B3.

    2. Me admira quem acreditou q um “banco” apenas com conta física e alguns MEIs ter um valor de mercado maior q o Itaú um dos maiores bancos do mundo e um dos mais lucrativos do mundo. Não faz sentido precificar o Nubank como foi feito na época sem o banco ter uma empresa grande com folha como cliente, não tem segmentação alta renda, sem empréstimos empresariais e agrícolas… Exageraram o valuation do Nu e povo caiu, pagaram muito no IPO e agora ele está rodando no valor correto.
      Os sócios antes do IPO q se deram super bem levaram uma boa grana com o IPO e agora podem seguir os planos futuros, um deles esse deixar de negociar aqui para reduzir custos e negociar apenas nos EUA e por aqui passam a ter o novo ticker de brd

  13. Existe alguma boa TV que não tenha Smart (e que não seja um monitor haha)?

    1. Sei que existem TVs “profissionais”, geralmente vendidas para estabelecimentos comerciais e tal. São bem mais duras na queda e, salvo engano, não são smart. O problema é que custam muito caro e talvez tenham recursos que não fazem sentido em casa — tipo um software para ficar girando imagens e vídeos, tipo aquelas telas/letreiros de lanchonetes.

      1. Interessante. Porque procurando eu achei com no máximo 32′, parece que a regra da industria é ter no máximo o tamanho de um painel de lanchonete mesmo.

        1. Se analisar com calma, toda TV na verdade é um monitor, a diferença é que TV tem sintonizador. Apenas isso.

          Então não há problemas em pegar um monitor para usar como TV – e nem um aparelho profissional tipo “de lanchonete” como o Ghedin demonstra, e que na verdade também não deixa de ser um monitor também… ah! e o software as vezes é aquele mesmo embutido em TVs para rodar vídeos ou fotos. Geralmente os “outdoors” ou “paineis eletrônicos” nada mais são que monitores ligados em um PC com placa(s) de vídeo e todas as telas agindo como “tela única” ou com os vídeos rodando conforme configuração de quem fez o sistema de anúncios.

          Não a toa as vezes vemos outdoors com mensagens de erro ou até tela de boot.

          1. Monitores em geral são bem mais caros, assim como as TVs profissionais, era nesse sentido.

          2. Avalie se compensa comprar um usado. Geralmente usados funcionam bem e estão revisados (se oriundos de lojas de eletrônica).

            Talvez pelo que você espera, uma TV smart antiga pode lhe resolver. Como o “Smart” já estaria aposentado, usaria como TV comum mesmo.

            Preço de TV tá caro mesmo. As TVs Smarts, imagino, tem os preços embutidos dos programas que vem junto (e pagam para estar lá, vamos dizer assim). Por isso que monitor é mais caro – eles “não se pagam” com software.

          3. “Se analisar com calma, toda TV na verdade é um monitor, a diferença é que TV tem sintonizador. Apenas isso.”

            Não é apenas isso. Existem várias outras diferenças, tanto relacionadas a saúde, quanto relacionadas a usabilidade.
            Tecnicamente é possível usar uma TV como monitor. Mas as TVs não foram projetadas para isso. Até porque:
            -As TVs emitem mais luz azul que monitores: As TVs não foram feitas para que alguém assista a 2 palmos da tela, por isso elas emitem muito mais luz (de todos os tipos) e especificamente muito mais luz azul (que é mais danosa aos olhos).
            -As TVs tem menor densidade de pixels que monitores: PPI é a quantidade de pixels por polegada. Quanto mais próximo a tela dos olhos, maior necessidade de maiores níveis de ppi. O celular, por exemplo, tem geralmente PPIs maiores que os tablets, que por sua vez tem PPIs maiores que monitores, que por sua vez tem PPIs maiores que TVs, que por sua vez tem PPIs maiores que painéis de publicidade.
            -Tanto o “Input Lag” quanto o “Tempo de resposta dos pixels” das TVs são maiores: Input Lag é o tempo que demora até uma instrução ser enviada e ela aparecer na tela. Para TVs, a velocidade do input lag é completamente irrelevante, só o que importa é a imagem e o som estarem sincronizados, enquanto nos computadores são necessários para que você não tenha delay ao ver o mouse se movendo na tela (e pra quem joga no computador nem se fala). Sem contar que nas TVs, além do comando demorar mais a chegar a tela (input lag), a própria tela demoram mais a mudar as cores, e a luminosidade dos pixels. (Algumas poucas TVs conseguem atingir um Input Lag próximo ao dos monitores quando se ativa o “Modo Jogo”).
            -As “cores” da TV não são fidedignas: As TVs são configuradas para emitir cores mais vibrantes fazendo com que as pessoas achem as imagens “mais bonitas”. Já os monitores são configurados para emitir cores mais fidedignas à realidade. Apesar de para maioria dos usuários isso ser irrelevante, para o caso específico de quem usa o computador para editar fotos e vídeos, uma reprodução correta das cores é necessária.

            Resumindo, dá pra usar, mas o ideal é usar uma TV como uma TV e um monitor como um monitor.

          4. Qdo vim morar com meu marido, a gente comprou um monitor 42 pol e aé nossa dumb tv da sala até hj. Mas foi em 2013, era da Gradiente.
            Tá funcionando bem até agora, a gente só teve q trocar um backlight uns meses atrás. Tá aqui com roku e playstation

          5. Obrigado pela aula, @Gabriel. 😁 Seria um bom tema para uma pauta do MdU no futuro.

            Não imaginava que a Gradiente teria um monitor deste tamanho, @Mariana. Interessante. 😃

    2. TV que não seja Smart em quase “pleno século 2023” talvez nem tenha mais.

      1. Tem de 43 polegadas da Multilaser e da Philco – tem até uma com 48 pol. – que não são smart, é só tv mesmo, mas é full hd.
        Há 15 dias comprei uma de 43 pol. da marca HQ, ouviu falar? Nem eu. O interessante é que estava mais barata que outras de 43 pol. mas é 4k. A parte smart é bem burra, muito ruim mesmo mas a qualidade da imagem é bem bacana. Como tenho um FireTV não estava mesmo interessado no lado smart da tv, queria só um monitor mesmo e esta opção estava mais barata que aquelas que mencionei no começo da postagem, agora já não vale mais a pena a tv foi de $1600 para 3 paus!!!
        (Acho que as respostas abaixo eram para esta postagem)

    3. 2016 foi o ano que comprei minha tv. Já naquela época as opções Smart eram mais abundantes que as “dumb”. Não obstante comprei uma TV normal e não me arrependo. Funciona até hoje sem qualquer bug de software nem nada parecido. Nesse tempo já troquei de dongle umas 2 vezes (Chromecast 1 -> Fire Stick -> Realme Stick) e é exatamente isso que eu buscava: durabilidade no hardware e deixa que o software eu pego por fora.
      A título de curiosidade, o modelo dela era Panasonic, mas no site deles não consta mais nenhuma “dumb” TV à venda.

      1. Enquanto a conexão à internet não for obrigatória (algo que pode mudar com o 5G), não tem muito erro: compra a TV e não ativa a conexão dela, aí usa uma caixinha qualquer para streaming.

        Estou fazendo isso com a minha, um modelo da Samsung de 2012 que ano passado “ganhou” um Roku Express. “Ah, mas aí perde as atualizações da TV”. A menos que seja algo grave e perceptível, tipo qualidade de imagem zoada, por que uma TV precisaria ser atualizada?

        1. Eu tenho duas Samsung, uma clássica sem nada com Chromecast e uma modelo 2020.

          A mais nova da pequenos travamentos na navegação e alguns aplicativos congelam do nada, parece que falta hardware, sem contar que tem banners na barra de escolha de aplicativos. Há um tempo dava pra ligar o modo desenvolvedor e apagar algumas coisas forçadamente, agora na última atualização bloquearam isso.

          Demos uma Xiaomi Box para meus pais há anos e o bichinho voa, sem contar que segue atualizando rapidamente para últimas versões do Android.

          Vou tentar resetar essa Samsung nova e não conectar em nada para ver o que acontece.

    4. Eu tenho uma aqui em casa que estava com defeito na imagem, por R$ 380 em uma assistência perto de casa a TV ficou ótima novamente e o técnico até elogiou a qualidade da imagem. É uma TV Samsung LCD 32 polegadas Full HD com várias conexões de VGA até HDMI e sem smart que pode ser resolvido facilmente com um dongle usb.

      1. o mercado acabou com as 32 fullhd. nunca entendi isso. eram tvs ótimas e dava pra usar de monitor, bem configuradinho. simplesmente não se acham mais.

    5. Tem de 43 polegadas da Multilaser e da Philco – tem até uma com 48 pol. – que não são smart, é só tv mesmo, mas é full hd.
      Há 15 dias comprei uma de 43 pol. da marca HQ, ouviu falar? Nem eu. O interessante é que estava mais barata que outras de 43 pol. mas é 4k. A parte smart é bem burra, muito ruim mesmo mas a qualidade da imagem é bem bacana. Como tenho um FireTV não estava mesmo interessado no lado smart da tv, queria só um monitor mesmo e esta opção estava mais barata que aquelas que mencionei no começo da postagem, agora já não vale mais a pena a tv foi de $1600 para 3 paus!!!

      1. Eu vi uma 32 da Philco para meus pais, porque demos um Roku pra eles e facilita ter menos opções de HDMI e escolha. A da Multilaser tem que colocar uma adaptador para TV Digital, bem gambiarra no modelo que vi.

        A HQ é uma marca mineira, não? Ou é fabricada lá.

        Mas é sempre isso, as opções que tem grande acabam pecando na qualidade da estrutura ou de resolução, algumas inclusive nem tem HDMI CEC, oque não permite o controle inteligente pelos Box.

    6. Eu tinha uma tv led da Samsung 40” que eu amava. Smartizei ela com uma Apple tv fullhd e ficou perfeito. Passei pro meu pai porque a dele tinha queimado. Nunca mais tive outra no mesmo nível. Não acho nenhuma de 40”, se encontro são smart e lentas tipo Philco. E a base da Samsung era uma cruz perfeita pra colocar em qualquer rack. Agora todas as tvs tem aqueles pezinhos horríveis angulados nas laterais me obrigando a ter uma rack maior. Tive até que por na parede (o que odeio) porque a tv de 43” (pois não achei de 40) que comprei não cabia na rack que eu tinha. Sem falar que meu quarto é pequeno e 40” é o tamanho ideal pra distância que fico da tv.
      Enfim a tv de 40 queimou e fiz o mesmo processo de passar a minha de 43 pro meu pai e peguei uma de 50”(olha o contra-senso) mas essa pela menos coube na minha rack porque os pés tem um formato diferente.
      Essa mania que a indústria tem de pasteurizar as coisas é horrível. A gente tem que se desdobrar pra achar um item que seja mais adequado as nossas necessidades simplesmente porque o povão ta seguindo uma nova tendência.

  14. boa tarde pessoal, quanto tempo :]
    cês sabem dizer como consigo bloquear determinadas notificações de aplicativos a partir de uma data ou hora?
    por exemplo, tirar as notificações do gmail entre 18h e 8h de segunda a sexta, no sábado e domingo desligar completamente

    1. Opa, blz?
      Você poderia tentar a função “Não Perturbe”, deve ser possível setar um horário específico e/ou usar a função “Foco” se o seu celular tiver.

      1. Isso aí. Da pra até configurar com horário ou ao conectar no wi-fi de casa.

    2. O caminho varia de dispositivo pra dispositivo, mas dá pra programar rotinas da função não perturbe. Se não tiver nada contra o “Ok Google” (eu tenho), as rotinas dele também podem ajudar.

    3. Obrigado pelas dicas pessoal.
      Fim das contas consegui acertar horários específicos e mesmo “eventos” que posso ligar e desligar as notificações no Android, porém as permissões ficam restritas a geral, SMS e Telefonemas. Por ora me server, futucarei mais para ver se consigo bloquear apps específicos em dias e horários determinados. :]

  15. Por algumas vezes tentei sem sucesso me tornar assinante de certo podcast de música, sendo que a página para a assinatura é hospedada no Hotmart. Sempre retornava uma mensagem de erro, “seu pagamento não pode ser processado” ou algo assim. Tentei trocar o cartão de crédito, conferi o endereço de cobrança, usei cartão de outro banco, nnca funcionava. Ontem me deu uma luz e tentei usar um navegador no qual não tenho o uBlock instalado (que só uso pra acessar o OneDrive quando ele dá pau no Firefox) e: sucesso!
    Fiquei pensando quais dados meus a Hotmart estaria sugando…

    1. tenho uma hospedagem de email de uma empresa na Uol e não consigo acessar o painel de lá com o Firefox, pois o uBlock bloqueia o hotmap da página…
      hotmap na página de painel de controle da hospedagem de e-mail para “melhoria e aperfeiçoamento dos nossos serviços”

  16. Olá, pessoal!
    Recentemente meu plano de VPN anual se encerrou (Hotspotshield) e penso em mudar. Gostaria de saber quais VPNs vocês tem usado e recomendam?

    1. se eu fosse comprar uma VPN iria de Nord, como não é algo prioritário, to esperando uma boa promoção.

    2. NordVPN
      SpodVPN
      ExpressVPN
      ou contratar um VPS e subir uma VPN por ele (minha ultima opção)

      1. sai mais em conta contratar uma VPS? ou vc só usa assim pq usa para outras coisas?

        1. Como regra não sai mais em conta e dá muito mais trabalho.
          Traz muito menos anonimidade, pq suas conexões vão sair sempre do mesmo servidor (e só as suas conexões).

          Se procurar apenas por privacidade e for usar algumas coisas, atende bem.

          Pode usar uma instância grátis do oracle cloud, especialmente se seu uso não for profissional.

    3. Olha, não uso mais, mas gosto muito da proposta da Mullvad VPN. Dá uma olhada no site deles.

      1. Fiz um teste rápido com a Mullvad alguns meses atrás, e não consegui configurá-la de maneira alguma. Mesmo acompanhando o FAQ, e depois em contato direto com o suporte, a conexão da VPN, mesmo em servidores brasileiros e próximos, era bizarramente lenta. Sem solução, acabei solicitando o reembolso em menos de uma semana.

        Já tive a oportunidade de testar a PIA por três meses, e era tão rápida que por vezes esquecia completamente que estava conectado à VPN. Tive alguns problemas, como alguns e-commerce brasileiros barrando o acesso (só Americanas/B2W vem à mente agora), e os servidores brasileiros “evaporando” por um dia (que o suporte rapidamente solucionou e se desculpou por), mas foi uma ótima experiência num geral.

        Eventualmente, percebi que VPN não era exatamente ideal para o meu threat model, e abandonei completamente, mantendo só o uso do NextDNS mesmo.

        1. Vixe! A minha experiência com eles foi diferente, mas durou um mês, com só uma semana de uso mais intenso.

    1. Quando trabalho não declaro voto ou discuto política. Tou com poucos clientes e parte com quem trabalho infelizmente é eleitora do salnorabo. (Não tem gente de esquerda segurando minha mão aqui infelizmente). E todos que eram meus “amigos” pessoais e eleitores do salnorabo hoje mantenho distância. (Ou seja, não tenho mais amigos para conversar 🤷

      Mas costumo provocar na rua se alguém faz merda na minha frente. Se a pessoa não respeita a faixa de pedestre chamo ela de “corrupta que nem bolsonaro”.

      1. Nossa q triste ter q se afastar das pessoas q tina como amigos, por causa de politica, em não poder ter uma conversa sobre.
        Ghedin vi teu post no twitter, povo fica doido por declarar, como vc lida com os ataques desse valentes digitais, nesse tipo de caso caso aconteça?

        1. De certa forma até me fez bem. Parte destes “amigos” tinham preconceitos e visões de vida diferente da minha. Um deles era chileno. Não conheço sobre a vida dele (ou dos pais) antes da vinda ao BR, mas achei estranho quando ele começou a apoiar o salnorabo. Notei que ele não conhece (imagino) sobre Pinochet e não duvido que o pai dele veio ao BR fugindo da ditadura.

          1. Vc fez oq tem de melhor se afastar, não precisa ficar aturando e passando por situações indesejadas quando simplesmente pode se afastar.

        2. Nossa, já apareceu um ~trader~ nas replies desse twit falando que vai votar no biruleibe por motivos econômicos. O que deve de bom pra economia nesses 4 anos pra quererem repetir a dose? Aqui só vi desemprego, gás e gasolina altíssimos

        3. Acho que muitas vezes esse afastamento é “orgânico”, vem naturalmente. Hoje em dia meu contato com eleitores do atual presidente é basicamente com parentes. Muitos deles eu evito encontrar e assim vou tocando o barco.

    2. Normalmente eu não falo em todo lugar que vou votar 13 (Presidente e Governador).
      Só quando perguntam ou não.

    3. Sim, até porque minha esposa é voluntária na campanha de um candidato e tenho um daqueles “adesivões” no parabrisa traseiro do carro.

    4. Sim e perdi qualquer “vergonha” de falar em quem vou votar, mesmo que gera alguma indisposição com familiares, aguentamos 4 anos dessa balburdia agora vou encher o saco mesmo.

      E vou aproveitar (publi gratis) pra divulgar o projeto que fiz: https://colinha.digital/, com a ideia incentivar ainda mais a divulgação do seu voto em bons candidatos. ;)

      1. Perfeito o seu projeto Renan! Estava justamente procurando algo assim pra compartilhar. Obrigado!

      2. adorei! vou até usar os candidatos como base para procurar os que estou indeciso.

        pena que não pode usar a colinha na hora da votação, pois o celular tem que ficar com o mesário;.

        1. Eu não coloquei um botão de imprimir, mas quando faz a Colinha e pede para imprimir no Browser aparece no formato certo ;)

          Nota mental: Colocar isso na lista de tarefas!

    5. Não tenho problema algum em declarar. Não sou do tipo que fica militando, só quero comida e combustíveis baratos e dormir tranquilo sem acordar no meio de um golpe de Estado.

      Tenho sorte que só uma pequena parte do meu círculo de relacionamentos é bolsonarista. E, por serem pessoas que tenho mais contato, se alguma delas me enche o saco por votar no Lula, meto o dedo na ferida e jogo na cara o quando a vida delas piorou nos últimos 4 anos em detalhes e ordem cronológica.

      1. Pior que assim: alguns daqueles que vi apoiarem o salnorabo nos últimos anos meio que ou se mantiveram com uma qualidade de vida razoável (como um dos meus “amigos” que falei lá nos primeiros comentários) ou até melhoraram (não posso dizer quem… mas digamos que se aproveitou de cripto e movimentos do governo).

        Quem realmente ganhou com o governo atual, ou sempre viveu “na margem” e conseguiu sobreviver nestes últimos 6 anos, continuaria com o salnorabo. Quem ganhou, ganhou pq aproveitou das mudanças legais (grilagem, investigações, etc…)

    6. Não declaro em redes sociais. Mas quem me conhece pessoalmente sabe q voto no número da sorte do ex técnico Zagallo :)
      Confesso q tenho uma mistura de pavor/raiva/ódio desse presidente que está aí no comando. De resto, #PAZ para todos nós e com um país melhor igualitário para todos. Um abraço!

    7. Só entre amigos de confiança. Nas redes sociais eu só coloco críticas.

      1. Sigo essa linha de pensamento também. Nunca se sabe quando vai aparecer um lunático armado e cheio de razão.

        1. Eu só quero evitar desgaste com conhecidos, mas gosto de colocar o dedo na ferida.

    8. Por aqui tenho evitado falar em política. Não dá pra falar mal de um candidato sem a outra parte assuma imediatamente que vou votar no outro canditado.

      E pra falar a verdade não decidi meus votos ainda. A única certeza que tenho por enquanto é que, para presidente, não vou votar em nenhum dos dois primeiros colocados na pesquisa…

    9. Ainda não… Tenho pensado bastante nisso, porque acho importante apoiar algumas candidatas a deputadas que gosto do trabalho, mas no interior deputado é uma pauta… complicada…

    10. Sempre posto algo indicando que não vou voltar no bolsonaro de forma alguma e quem me conhece, inclusive no trabalho, sabe que eu vou de Lula. E olha que eu trabalho em órgão de segurança pública, onde bolsominion é o que não falta kkk

      1. De fato qualquer setor onde envolve segurança – pública ou não -, o bolsonarismo meio que está presente por causa do eco das atitudes milicianas. Nem falo nada pq os rolos são profundos, e meio que acredito que só vai melhorar com mudanças na forma de atuação das polícias.

    11. Sim, e declaro aqui também:

      Presidente: Ciro
      Governador: Haddad
      Senador: Márcio França
      Federal: Tabata Amaral
      Estadual: Leci Brandão

      1. Aqui seria:
        Presidente: Lula
        Governador: Haddad (pelo Bilhete Único Metropolitano!!! VOLTA BOM!!!)
        Senador: Márcio França
        Federal: Ricardo Galvão
        Estadual: em anlálise

      1. Simples.

        Trabalho e contatos. A situação anda tão polarizada que não vale a pena desfazer os laços que traz lucro ou comida na mesa por causa de candidatos que nem sabem da nossa existência, mesmo que acreditamos que farão nosso futuro melhor votando neles.

    12. No Twitter, sempre; no trabalho, geralmente quando sou perguntado, mas todo mundo já sabe em quem voto; na “vida real”, quando vejo que há alguma abertura e a pessoa não está totalmente refratária a qualquer ideia oposta.

      Recentemente fui o Rio e me espantei com a quantidade de apoiadores de Bolsonaro orgulhosos de tal status, com bandeiras, adesivos e tudo o mais (sou piauiense). Tive várias conversas com motoristas de Uber tentando entender o porquê do apoio e topei com 2 ou 3 que disseram que não vão votar no Bolsonaro, mas no sigilo, sem falar para a família e amigos – “a patroa até me divorcia se souber que vou votar no Lula”, disse um.

      Tenho esperança que esses opositores a Bolsonaro envergonhados sejam muitos e que dê para fechar logo no primeiro turno.

    13. Clima tá muito ruim pra isso. Única coisa que falo é que em 45 anos nunca votei no PT e vai ser assim até o fim.

      Assim sendo:

      Presidente – Nulo
      Governador – R Garcia PSDB
      Senador – Marcos Pontes PL
      Dep estadual – Carlos Gianazzi PSOL
      DEP federal – Prof HOC Podemos

      1. Cara, vai de Ciro, Soraya ou Tebet pelo menos, mas não vote nulo.

        E achei contraditório: tu vai votar em um PSOL como Deputado, sendo que o PSOL hoje está federado com o PT.

        1. Gianazzi faz muito pelos professores. Aí é um voto na pessoa. Mas se ele for pro PT, perde meu voto.

          1. Então fica uma sugestão para fazer ao menos um voto mínimo e coerente para presidente: Vai de Léo Péricles (União Popular) ou Vera Lúcia (PSTU). Mas pelamor, não vota nulo não. Um voto em alguém ajuda a equilibrar os votos úteis. Um voto nulo só “ideologicamente” tira tua responsabilidade de caráter, mas na prática voto nulo é igual a deixar os outros escolherem por você o político que deseja.

    14. até 2013 eu ainda arriscava falar de política no serviço

      depois das “jornadas de junho” e da lava jato ficou impossível

      em 2018 no meu serviço 90% do pessoal era bolsonarista, e uns 50% eram bolsonaristas alucinados

      me lembro de ver meu chefe na época (hoje é gerente), uma pessoa no geral muito decente e inteligente, contando como praticamente obrigou a mãe a votar no bolsonaro

      falar de política no serviço é estragar o ambiente

  17. Acredito que já foi discutido aqui no Manual do Usuário sobre fones de ouvido Bluetooth e o que fazer com essa quantidade de plástico depois que eles param de funcionar. Ontem vivi esse drama quando um dos pares do meu fone da Baseus parou de carregar. Comprei eles há pouco mais de um ano e a qualidade do som era ok, a duração da bateria era satisfatório e o preço foi bom (vulgo “bom custo-benefício”). Porém eles caíram no chão na segunda-feira e notei ontem que um deles não carrega mais quando colocado na caixinha. Agora eu estou com um pedaço de plástico sem nenhuma utilidade pra mim (fone de ouvido mono é fora de cogitação). O problema é que eu acostumei a utilizar fones bluetooth e agora vivo esse pequeno dilema: compro outro, mesmo sabendo que tenho um produto que estaria em ótimo estado se estivesse carregando, ou volto para o fone com fio.
    Mas antes disso gostaria de perguntar se existe alguma forma de arrumar esse tipo de problema com esses fones. Alguém já passou por isso? Se eu não conseguir arrumar, só me resta mesmo jogar o fone fora?Eu sou dó tipo que gosta de usar os dispositivos o máximo possível, e é uma pena ter que dispensar os fones assim.

    1. Se já está no cenário “ou vai ou racha” eu insistiria no reparo DIY.

      Vídeos no Youtube podem ajudar a indicar o primeiro reparo, a julgar pelo relato da queda pode ser algo ligado a encaixe ou um ponto de solda no fio.

      No passado já tive problema com um desses TWS bcb (Bom custo-benefício). Um desmontei mas não funcionou tão bem, o segundo que era um da Xiaomi funciona até hoje após o primeiro intervento DIY.

      Em tempo, também me acostumei com a praticidade desses fones.

      1. Eu começaria por uma limpeza cuidadosa nos contatos do fone/caixinha, em seguida tentaria abrir para ver se é algum ponto de solda quebrado. Pelo relato, parece ser algo do tipo.

        1. Eu vou partir pra isso mesmo. Vou tentar abrir e ver essa questão da solda. Valeu pessoal.

    2. Eu gosto muito daqueles DAC+AMP+BT pequeninhos que voce conecta qualquer fone com fio. não resolve a questão lixo, pois ainda assim é um equipamento que a bateria vai zoar (em algum momento) e fones com fio não duram muito mais (o fio costuma estourar rápido).

      1. O fone que veio no meu antigo Iphone 5s até que durou bastante, mesmo sendo com fio e levando em consideração que eu usava ele pra tudo, no Iphone e em um MP3 player que eu gosto de usar pra correr (sim, ainda estou usando esse dispositivo hahaha).
        Depois de um tempo eu comprei um fone da JBL com fio em uma promoção, paguei R$70 e estou com ele até hoje. Acredito que ele tem um certo nível de resistência à água e funciona perfeitamente bem em minhas atividades físicas com o mp3 player velho de guerra. Então até que eu não tive muitos problemas com fones de ouvido com fio.
        Agora tenho o Iphone SE 2020 e ele não tem o adaptador para esse fone, mas estou até considerando comprar um e ir usando ele caso eu não consiga ressuscitar meu fone.

    3. eu na rua só uso fones sem fio, em casa no pc até que uso com fio, mas no dia a dia tem que ser sem fio, a praticidade de não se preocupar com cabo é imensa, fora o fato de eu já ter trincado um celular com um mês de uso por causa de fone com fio (ele estava com mal contato e eu estava segurando na mão pra não parar de funcionar, aí vou dar sinal do ônibus e o fio prende na mochila, fazendo ele saltar da minha mão e bater no chão)

    4. Não sei se é mta vantagem passar pra fone com fio… eu fui pros bluetooth justamente pq uma hora o fio começa a dar mal contato (se bem q aí é algo q tvz dê pra corrigir se for diy)

    5. Bom, abri o bendito fone e aparentemente nenhum ponto de solda corrompido. Acho que morreu mesmo =(

  18. Uma coisa que parece ter passado batido no iOS 16 foi a possibilidade de recorte de um objeto/pessoa apenas com o toque sobre a foto. Impressionante.

    1. Essa opção rápida de fazer esse recorte e já compartilhar ou salvar a imagem, ficou bem legal, já matou um app especifico q muitos tinham no celular para fazer isso

    2. Tenho um Samsung mas não exploro muito as possibilidades deles mas acho que isso já existia na linha Galaxy.

  19. Gostaria de trocar minha indignação com a criminalidade na capital paulistana com outra, a de que, 1 ano após ouvir “Fico Assim sem Você”, descobrir que brasileiros misturam QUEIJO com GOIABADA.

    1. Pergunta básica, antes de qualquer outra: já experimentou?

      Não entendo a indignação. Queijo com goiabada é uma combinação maravilhosa.

      1. Não experimentei, e reforço que também nunca comi pastel e caldo de cana ao mesmo tempo!

        Me declaro sem cidadania brasileira 🤣

        1. pastel + caldo de cana numa feira é vida!

          aliás, nunca tomei caldo de cana sem ser com pastel numa feira.

        2. Bah, então experimente. A gente consome umas coisas tão malucas (pense no café, um grão torrado, moído e que, no fim, a gente bebe a água “suja” que sai depois de passá-la num filtro), dá uma chance à goiabada (cascão, de preferência) com queijo (minas/branco é o que vai melhor nessa combinação).

        3. Olha, tenho sérios problemas em misturar “doce com salgado” no mesmo prato/mordida. Mas um bom queijo com goiabada é uma mistura dos deuses

          1. eu tb to nessa, uma vez a minha noiva foi num restaurante com a família e me contou que comeu um hambúrguer com uma fatia de abacaxi, ela disse que amou, e eu fiquei imaginando o gosto e até provar não consigo gostar, kkkk

        4. aproveita e experimente também a tradicional “cartola” de pernambuco que é deliciosa!

    2. Olha, queijo com goiabada é uma das melhores combinações que existem. Vale experimentar!

    3. Antigamente eu achava inaceitável até provar queijo com goiabada artesanais. Aí virei fã e entendi o porque brasileiro gosta tanto.

      BTW, a melhor que já provei na vida fica na Churrascaria Gaúcha, em Lins. Se por acaso alguém passar por lá, é parada obrigatória.

    4. Tipo, se você já comeu alguma vez e achou estranho, acho que talvez é porque pegou algum dos dois que não tem nada a haver, seja o queijo ou goiabada.

      Geralmente a goiabada é aquela “cascão”, que lembra gelatina, mas bem densa. Queijo geralmente usam o “de minas”, o branco, bem salgadinho. Com mussarela me lembro de uma vez ter comido e achado um pouco estranho. Prato e outros nunca experimentei.

      Mas a graça é justamente por causa do agridoce que dá a mistura de sabor.

      (tipo que nem doce de feijão anzuki) :)

    5. Maior do que a sua indignação com a mistura queijo com goiabada talvez seja a minha surpresa em alguém não conhecer que a mistura salgado + doce (também conhecido como agridoce) é um clássico em vários tipos de culinária. Vai desde pratos quentes (carne com molho de abacaxi e frango com molho de laranja), saladas (com molho mostarda e mel), culinária oriental (molhos agridoce e teriyaki) e mexicana (sour cream e guacamole) e sobremesas (o já citado romeu e julieta – queijo e goiabada).

      Inclusive, eu não acho que a mistura queijo e goiabada seja tão original dos brasileiros assim, acredito que muita gente goste de “harmonizar” diversos tipos de queijos e frutas (tipicamente uvas) em tábuas de frios, e até a torta cheesecake é uma versão elaborada dessa combinação.

      1. isso me lembrou que ~aparentemente~o Brasil é o único lugar do mundo em que se come abacate como doce, em todo o resto do mundo é salgado (?)

      2. Cara, não sou um especialista nisso, mesmo porque sou dos que não gostam de misturar doce com salgado, embora goste muito de culinária, mas tenho quase certeza de que o agridoce é a mistura do doce com o ácido.

        1. Fui dar uma pesquisada aqui e realmente você está certo. Por definição, agridoce é a mistura de doce com ácido ou doce com amargo. No entanto, eu já vi mais de uma vez alguém ou algo se referir a agridoce como a mistura de doce com salgado, talvez por “extensão” do significado, já que o salgado também é visto como o contrário do doce (assim como o azedo ou o amargo). Mas também não sou especialista pra afirmar com certeza.

          1. Eu entendo como “doce com salgado”. Doce com amargo ou azedo (tipo água tônica ou suco de limão) ao meu ver é doce. Mas agora entendi. Obrigado pela aula.

    6. Minas Gerais se sente indignada com sua indignação. ;)
      (Btw: do universo dos “queijo Minas”, os queijos canastra, de Araxá ou das Vertentes, frescos ou meia-cura, vão muito bem com boas goiabadas. Recomendo as goiabadas de Ponte Nova.)

      1. Eu passei aí e ninguém me ofereceu! Só queriam vender pão de queijo e queijo minas.

        Vou ir aí retificar a situação!

      2. Cara, como bom mineiro, endoço suas indicações dos queijos e da goiabada! Mas fico no to. E dos que comem os dois separadamente! Kkkkk

        O Araxá talvez seja o melhor queijo produzido por aqui, embora eu goste muito dos da região do Serro também. Infelizmente os do Serro estão piorando com o tempo…

    7. Acho lamentável também, assim como a existência do coentro.

    8. Olha, aqui no Nordeste o Queijo com Goiabada é um clássico hehe. Principalmente se for queijo de manteiga

    9. Se é para se mostrar indignação com alguma mistura o meu voto é pizza com catchup!

      1. Oche, isso não tem problema. Pq pizza com catchup é só um sabor a mais.

        Tinha um episódio da série “Samurai Gourmet” que era tipo assim: em um restaurante, um especialista em espetinhos dava bronca em quem botava algum tempero diferente (tipo colocava azeite ou shoyu) no espetinho.

        Aí um estrangeiro meio que deu uma lição de moral, falando que não era problema a pessoa botar um tempero diferente em um prato tradicional. Isso até incentiva a pessoa a comer mais dependendo do caso. :)

    10. Como uma mineira que mora em São Paulo há mais de 10 anos, em geral, não gosto de misturar doce com salgado, mas gosto de goiabada e de qualquer doce em compota com queijo (canastra) (todos os paulistas que conheço estranham isso, não sabem o que estão perdendo)!

      1. Marmelada ou geleias no queijo “canastra” (era esse o nome que eu tentava me lembrar) é uma maravilha. :)

  20. vocês tem consoles portáteis (sem ser psp/switch)? usam muito? qual recomendam? o que acham?

    eu to de olho num powkiddy para jogar uns emuladores e zerar uns que não o fiz na infância, fora que ele tem entrada mini-HDMI, então posso espetar na TV e jogar com a família e como o pessoal aqui gosta bastante, creio que seria um entretenimento legal.

    o medo é não sair como planejado e ficar de lado, rs, pq cheguei a comprar um controle bluetooth pra jogar no celular há uns anos, mas não ficou tão prático.

    1. Olha, tenho um psp que usei até o osso, ainda funciona mas é um negócio bem individualista. Pensei em comprar um switch lite mas a vontade passou. Se vc quer jogar com outras pessoas acho que o mais legal é pegar um Raspberry Pi e instalar um emulador nele, tem para todos os gostos, vai no canal do Ruivo (https://www.youtube.com/c/RuiVoPlay) que tem tudo.
      O legal do RP é que é só trocar o cartão microSD que vc tem outra máquina completamente diferente.

      1. então, jogarei mais sozinho que com terceiros, então é bom ter uma tela única para isso, no RP eu ficaria preso a TV, no portátil eu posso ficar no meu canto jogando ou coloco na TV e jogo com todo mundo, por isso nem considerei RP, rs.

        ah, PSP já foi meu sonho de consumo, até pensei em comprar um há um tempo, mas o cabo de carregamento proprietário e a quase certeza da bateria gasta me fizeram desistir de ter um

    2. Se você tiver disposto a fazer um investimento razoável, recomendo os consoles da GPD.

      1. eu já estive interessado no gpd xd, mas não vende mais, e o mais próximo é o powkiddy x18s (estou esperando sair a versão nova deste, que parece que vão anunciar esse mês) que estou de olho, e os gpd disponíveis estão muito caros, então não fico muito disposto, fora que já comprarei controles bluetooth, então vai aumentar meus gastos além do portátil

    3. Eu tenho sonhos distantes e molhados com um steamdeck. Nunca tive um portátil, mas certamente teria este!!!

      1. po, parece ser muito legal, eu lembro que vi quando lançou, mas tem poucos jogos pro preço (ao menos pro BR), mas a ideia é bem legal.

      2. Acho um negócio curiosíssimo, adoraria dar uma olhada nele, mas nem cogito comprar porque comigo não é questão de ter medo, é certeza que usaria uma tarde e depois nunca mais 😄

        1. Pois é. Eu comprei um Switch há uns 2 anos e sequer terminei Zelda. Sempre fico naquelas de talvez um dia. No fim, acabo jogando mais coisas no iPhone mesmo.

          1. Nossa nem me fale. Eu zerei zelda no emulador de wiiu e achei fantástico. Foi para os tops da vida. Aí resolvi comprar um switch antes da pandemia e só zerei 1 game Indy. O zelda abri umas duas vezes só. O Mário odissey nunca comecei, e eu ainda tinha um pro controller. Só dinheiro jogado fora. Acabei fazendo rolo (e perdendo dinheiro).

    4. Cara, já estive namorando alguns consoles da powkiddy também, mas acabei comprando um joystick Bluetooth, que recebe o celular no meio, ficando tipo um switch. Algumas muitas horas gastas configurando o RetroArch e foi um belo passa tempo durante as fases mais críticas da pandemia.

        1. Ipega pg-9167. Apesar de falarem mal da marca, já experimentei alguns e gostei muito. O único ponto negativo que vejo nele é que a posição do d-pad é um tiquinho incomoda. Depois de jogatinaa mais longas, eu ficava com o polegar dolorido.

          Esse problema, parece, foi corrigido no modelo que substituiu o 9167.

    5. Uma outra opção é um Nintendo 3DS hackeado.
      Eu tenho um Nintendo 3DS que um parente me deu porque enjoou de jogar, aí fiz o seguinte: resolvi desbloquear e instalar ROMs pirata de todos os portáteis da nintendo. Já que eu nunca tinha tido um kkk

      1o eu desbloqueei e instalei Homebrew e uns emuladores para os sistemas antigos da nintendo (de gameboy, supernintendo e GBA), vendo um video de youtube brasileiro que já perdi a referencia, tudo em casa numa tarde de graça. Aí depois baixei o programa que ele indicou para converter as ROMs dos sitemas antigos para arquivo .cia (que é o que o nintendo 3DS entende), tudo grátis. Depois é só colocar num cartão SD e abrir no menu do portátil. As ROMs de Nintendo 3DS foram muito mais fáceis, porque é só baixar e copiar lá diretamente, porque já é nativo. Eu resolvi ter uns 3 cartões micro SD para caber tudo, aí eu copiei as pastas do 1o cartão SD convertido antes de acrescentar jogos para só copiar e colar nos outros.
      2o Depois eu comprei um cartão R4 com TODOS os jogos de Nintendo DS, aí já tenho tudo desse sistema sem passar trabalho. na verdade nem precisava ter feito o passo 1 se fosse só para jogar jogos de nintendo DS, o cartão R4 já roda em nintendo normal, é um cartucho hackeado bem legal. Essa referencia eu guardei, é esse anúncio aqui: Cartao Com Jogos R4 Gold Pro Com Micro Sd 64gb Jogos Ds/3ds https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1689521038-cartao-com-jogos-r4-gold-pro-com-micro-sd-64gb-jogos-ds3ds-_JM
      Tem uns 1300 jogos de nintendo DS, tudo que foi lançado nos EUA basicamente.

      Aí com meus ROMs convertidos e ROMs de 3DS , e o cartão R4 com jogos do nintendo DS, eu já tenho um console portátil com jogos para a vida inteira, e eu fiz isso num portátil recebido de presente que teria ficado encalhado em algum armário, confesso que me senti feliz dando nova vida a ele.

      Voce pode ver se tem algum familiar, amigo ou amigo de amigo etc que queira te vender ou mesmo te dar, ou comprar barato na internet em algum OLX ou mercado livre.

      Um Nintendo 3DS hackeado, com emuladores, ROMs e cartão R4 é uma fonte inesgotável de jogos de todos os generos e gostos para alguem, com quase 40 anos de história da Nintendo para aproveitar. Eu uso muito, posso recomendar a ideia, se voce tiver paciencia de pesquisar e fazer tudo certinho (ou só comprar o cartão R4 e pronto, tudo de Nintendo DS). O único ponto negativo é que não teria como colocar na televisão ou jogar socialmente, seria só se fosse jogar individualmente mesmo. O ponto positivo é que Nintendo 3DS é um portátil de verdade, dá para eu levar no bolso da calça ou na mochila sem problema, o Switch é um trambolho que não sei como pessoal aceita ser um console portátil.

      1. legal o relato, vc costuma jogar diferentes jogos?

        e o principal, quanto tempo dura a bateria?

        1. Sim. Eu já joguei a série do donkey kong, vários do Mário , Sonic, pokemon Kalos, Pokémon mistéry dungeon, algum metroid, um de corrida que esqueci o nome, e alguns licenciados tipo astro boy 2003, piratas do Caribe, etc. Eu fico mais em gêneros de ação .

          A bateria ainda aguenta umas 3 horas se for jogo de 3DS, umas 5 ou 6 se for jogo antigo. Provavelmente não tinha sido muito usado pelo dono anterior. E eu desligo o 3D, que me deixa enjoado, deve ajudar a conservar mais. Mas você pode trocar a bateria do Nintendo 3DS , aí fica novo . De acordo com a internet, bateria nova dura de 3 a 5 horas pra jogo 3DS (provavelmente com 3D ligado) e de 5 a 8 pra jogo DS, e deve ser + pra outros jogos. https://www.lifewire.com/nintendo-3ds-battery-life-1126265#:~:text=The%20typical%20battery%20life%20for,between%20five%20and%20eight%20hours.
          Isso está em linha com minha experiência, o meu já estando na margem pra baixo.

      2. Cresci no fim dos anos 90 e início dos 2000, no boom da pirataria digital. Hoje tenho condições de comprar games, mas percebi que não jogo mais. Até me entusiasmo com as novidades mas é começar a jogar e logo eu enjoo. Já insisti várias vezes em consoles diferentes mas não adianta, acho que a criança que era viciada em jogos morreu em mim. A última foi um Ps4, lançou um jailbreak em dezembro eu corri e comprei um Ps4 zero e desbloqueei, hoje tenho praticamente toda biblioteca a disposição (off-line) e quem disse que eu jogo? Ele fica mais desligado que tudo. Fiquei velho 👴🏻
        Acho que o que eu gosto mesmo é de fuçar nas tretas que são esses paranauês tecnológicos (e pirateiros). Eu tento pelo menos não incentivar ninguém a piratear, mas foi um costume trabalhado por anos.

    6. Tenho switch, gostei pois tirou um monte de coisas do meu celular. Jogo mais Pokemon unite e Sky. Lado negativo é que gastei muito em jogo que nem peguei direito. Mas não houve arrependimento do console em si, bem pratico para a vida adulta, menos burocrático. Só é casual demais (novamente, bem vida adulta)

    7. Estou namorando os consoles portáteis da Anbernic. Não sei se são bons, mas assistindo alguns vídeos eu fiquei um pouco tentado.

  21. Se não comentei que fui roubado semana passada, bem, eu fui. Tá sendo uma burocracia o pós-roubo.

    Eu nunca levei a sério o perigo em São Paulo, vou sozinho pra Sampa desde 2018. Todo mundo sabe que lá tá mais perigoso durante/após a pandemia, mas quando eu comecei a voltar a visitar a cidade, o nível de insegurança era muito maior. E o medo por aqui é exatamente dos “trombadinhas”, as gangues de crianças e adolescentes, que ouço dizer não ser algo tão frequente em outras grandes cidades e capitais brasileiras.

    Mas ainda não entra na minha cabeça que São Paulo tá assim.

    1. Tento não chamar a atenção de forma a pensar que tenho dinheiro e sempre andar em local onde noto que posso se precisar correr para algum comércio.

      Admito que o único vacilo que pratico é eventualmente usar o celular na rua. Mas por ser antigo, já ajuda a evitar chamar a atenção.

      Se vejo uma aglomeração estranha, evito o caminho.

      1. Olha cara, querendo ou não, só de ter cara de japa já é muito problema. Meus amigos quase foram roubados ou pelo menos perseguidos só por terem reconhecido o rosto. Tanto que mendigo ou coisa do tipo, quando vai me destratar, mas questão de mencionar que japonês é tudo filha da mãe.

        Então assim, tem muita dessas dicas que, pra mim, não funcionam. E sério, se roubaram a gente, roubariam qualquer um. Acho até besteira pensar que eu não iria tomar porrada só por andar com celular barato, os caras roubaram até meus óculos, sabe? Não vai existir cliente com +6 de miopia, isso eu te garanto.

        1. pode contar como foi o assalto? pq levar os óculos é muita sacanagem, eu também uso e apesar de ter medo de assalto, nunca tive medo de levarem meus óculos.

        2. Li seu relato. A região da São Bento é uma dentro do centro onde tem muita população de rua. Quem é “ladrão” se aproveita disso pois pode se misturar com outras pessoas.

          Costumo sempre manter distância, ou dar uma de louco se vejo alguém estranho (isso ajuda a fazer alguém pensar duas vezes antes de chegar perto, pois não sabe como você reagirá se tentarem algo). Ou dependendo até cumprimento (a distância).

          Em dias que trabalho para buscar objetos na região, costumo descer na estação São Bento, mas sair de forma a cair ou na praça do largo ou em alguma rua que eu possa depois cair em uma galeria que dê acesso a 25 de Março, assim evitando estar na rua. Já saio da galeria direto para a 25 de Março.

          Uma coisa que você pode fazer é tentar ir por dentro de galerias e shoppings quando você estiver em local ermo e desconfiar de movimentos estranhos. Mas veja se a galeria tem lojas abertas onde em caso de emergência você possa parar em uma.

      2. quando mais novo eu também sempre pensava que quando fossem me assaltar eu iria sair correndo, mas todas as vezes em que fui (3x) foram dentro de ônibus, então eu não podia fazer nada…

    2. Cara, a cidade está abandonada. Quando vou a São Paulo vou ao Tatuapé e o bairro está coalhado de nóia, o centro da cidade parece camping de tanta barraca. É o reflexo, em menor grau, da pandemia e, em alto grau, da falta de governo.

      1. Qual lado da Tatuapé? Eu só desci nos dois lados, após os Shoppings de cada canto, uma única vez. Não senti uma falta de segurança, ou pelo menos, era parecido com descer na Bresser-Mooca, onde tem o Museu da Imigração. Não é exatamente seguro, mas não diria ter o mesmo tom de insegurança que o Centro de São Paulo.

        Mas aí é uma percepção minha. O que eu mais dei mole foi nessa parte do Museu da Imigração, pois as ruas do museu realmente são vazias.

        1. Na região da praça Silvio Romero, mas descendo pela Pe. Adelino.

        2. Sigo o Tet. Nas vezes que tenho ido em São Paulo, lugares como o Tatuapé até que estão razoáveis.

          O problema maior, ao meu ver (e claro, isso é uma opinião pessoal) é mais em regiões onde há aglomerações estranhas. O Brás já foi notícia tempos atrás (creio que diminuiu depois da exposição no jornalismo).

          O Centro de São Paulo tem o problema da Cracolândia e da centralização dos polos de tratamento de moradores de rua. Sou muito da ideia que população de rua merece algo digno mas ao mesmo tempo uma espécie de monitoria social (algo que não vem tendo seja por falta de dinheiro para investir, seja porque não há pessoal com incentivo para trabalhar). A “Cracolândia” é um dos mais graves, e sou da opinião que só vai ser resolvido na hora que se investigar as polícias.

          1. Adendo: “monitoria social” não é um eufemismo. Digo no caso que Cras (Centros de Referência em Assistência Social) e similares atuem de forma a evitar que a população de rua descambe para a criminalidade.

            Só que tem o fato que população de rua não é algo bem visto pelas pessoas.

        3. Não sou o Juarez mas sabe a rampa que tem na entrada do Shopping Metrô Tatuapé ?, Então lá fica cheio de meliante que vira e mexe puxam uns arrastões.

          Lá pra 2017 eu trabalhava fazendo entrega na região do Belenzinho/Brás e algumas na 25 de março. Já tinha mendigos e pedintes mas hoje pela situação econômica atual do Brasil piorou e muito não me sinto confortável em andar pela região do centro de São Paulo.

          1. Entendi. Vou ficar mais ligado e ver como anda. É chato isso :/

    3. A muitos anos atrás fui visitar os parentes da minha esposa em São Paulo, moravam no Morumbi.
      Me assustei quando a gente foi sair pra jantar em um restaurante muito bacana, e o tio dela falou: “Deixem tudo aqui, não levem celular, carteira, relógio, nada. Eu vou pagar a janta, então é melhor vocês não levarem nada para caso tenha um arrastão.”

      Lembro que fui todo cagado jantar, não aconteceu nada aquele dia, mas deve ser horrível morar em lugares onde você tem que andar com a “carteira do ladrão” ou sair de casa com o mínimo possível.

    4. moro no centro já faz dez anos (e nos primeiros cinco anos morei bem no centrão) e sou testemunho de como a sensação de insegurança explodiu de alguns anos pra cá

      tive a “sorte” de só ter sido assaltado uma vez em todo esse período — se é que dá pra chamar isso de sorte — mas de fato a sensação de andar na rua em certos horários piorou muito

      dez anos atrás a gente andava tarde da noite e era razoavelmente tranquilo: agora isso é impossível em certos lugares

      o país acumulou desde 0 golpe de 2016 uma dívida social altíssima e o preço está sendo cobrado

      espero que com Lula tudo isso melhore

      1. e espero que esteja bem e tenha conseguido resolver todos os problemas que surgiram

        li seu relato e algo parecido ocorreu com um conhecido, também no centro, mas em outro local

      2. A falta de insegurança pública é um problema muito mais do nível Estadual do que do nível Federal já que as polícias Civil e Militar são subordinadas ao Governador.
        A eleição de qualquer presidente não mudou uma tendência que já existia de aumento na criminalidade.
        As eleições para prefeito e vereador (principalmente se você mora em cidades pequenas) são mais importantes para o seu dia a dia do que qualquer cargo das eleições federais.

        1. Polícia é só um componente na segurança pública, e nem é dos mais importantes. A ideia de que mais policiamento/repressão resulta em mais segurança é falida.

        2. Discordo.

          Segurança pública é nível mundial. Cada nível governamental tem responsabilidades sobre ela.

          No caso da Federal, é controle de fronteiras (não para impedir imigrações, mas sim atitudes ilegais como tráfico de armas ou itens proíbidos seja para exportação ou importação), investigação de grandes organizações e formas de monitoria para impedir a formação de novas organizações criminosas. Polícias Federais e órgãos de inteligência estão para (ou deveriam) servir relativo a impedir coisas como o desmatamento da amazônia, o tráfico de drogas na região, etc… No caso o nível federal também é relativo a legislação (pois tirar ou colocar leis podem ajudar no controle da criminalidade, ou melhor, a reduzir novos crimes).

          No nivel Estadual e Municipal, são os crimes “comuns” – roubos, furtos, estelionatos, e correlatos. O Estado ou Município tem legislações a seus respectivos níveis, mas de qualquer forma obedecem a Constituição, ao Código Penal e demais códigos de conduta e controle. Quando a gente vê criminosos virando políticos (vide Embu das Artes, onde foi eleito um suspeito de ser participante de organização, ou Atibaia onde descobriram recentemente que uma pessoa comandava nas licitações), nisso era para o nível Federal investigar e atuar, pois o problema maior é a falta de fiscalização.

        3. policiamento é problema estadual e zeladoria urbana é problema municipal, mas economia é problema nacional: e hoje o que leva muita gente a recorrer a esse tipo de assalto é puramente econômico — as pessoas simplesmente não têm outra oportunidade

          não estou justificando as escolhas de ninguém nem estou passando pano pra nada — nem estou dizendo que a culpa é da vítima do assalto, longe disso

          só estou dizendo que enquanto formos governados pela direita, mais gente terá de recorrer ao crime ou simplesmente não terá condições de sobreviver

    5. Tet, isso que tu tá descrevendo é o centro do Rio de Janeiro desde que alguém julgou que escola pública de qualidade é elefante branco (brizola). Ou seja, o governo do Brizola tinha um projeto pra resolver o problema, ta aí até hoje… só que é aquilo, se tu pode dar de graça na escola comida, lazer e estrutura política ninguém compra nada (o que é bobo, feio, chato e diabólico).
      Dica é: anda de bicicleta, anda de carro ou de patinete eletrônico, quanto mais rico teu meio de transporte menos perto da realidade vc estará e, necessariente, mais seguro.
      Viva longa ao capitalista !

      1. Me lembrou que a primeira vez que fui no Rio teve uma tentativa de assalto, mas eu já fui prevenido e deixei o dinheiro no tenis (tinha 2 reais na carteira meio que para enganar mesmo).

        Na segunda fui mais ligado e não fui assaltado (queria ir uma terceira, mas perdi todos os motivos).

          1. Não não. Eu tinha mais contato com amigas no Rio, mas o tempo passou e perdeu o gás o contato.

            Ainda desejo ir no Rio passar um dia se eu tivesse condições de fazer um mochilão. A ideia é subir para Belo Horizonte com o trem de Vitória a Minas, aí a parada no Rio seria rápida para depois ir para o ponto do trem que eu possa pegar em Espirito Santo, e aí subir.

    6. Olha, sou de São Paulo, sempre andei por todos os cantos da cidade, passei um tempo fora e voltei. Posso dizer que a minha sensação de insegurança por aqui aumentou muito.

  22. Só passando pra avisar q Adobe comprou o Figma… será q o plano gratuito do amado Figma vai resistir? O Figma é muito melhor que o AdobeXD, altamente aceito pela comunidade. Oh… quem poderá nos salvar?

    1. Putz! Essa é uma bomba que eu não esperava e vai deixar o mercado ainda mais limitado. Não há nada de errado em cobrar, mas a Adobe é mestre em matar ferramentas excelentes para alimentar os elefantes que são suas soluções proprietárias, como fez por exemplo com as coisas da Macromedia.

    2. Caos e gritaria no mundo designer com essa compra :P

      Veremos os próximos passos, mas já me lembrou do trauma que foi na época a migração do Sketch pro Figma.

  23. Comprei o suporte fixo para o monitor. Achei a montagem fácil, só estou encucado que não consigo girar ele no próprio eixo — o manual diz que ele gira 10º para cima e para baixo e para os lados. Só consigo fazer a rotação da tela (até 180º). Se alguém tiver ideia do que estou fazendo errado, agradeço desde já.

    Liberou bastante espaço na mesa e afastou o monitor alguns centímetros, tudo o que eu queria. Bem satisfeito com a compra. O modelo é o Plmsm01f, da PCYES. Uma foto.

    1. Esse lance do suporte do monitor é uma das coisas que a gente não enxerga os reais benefícios (no caso, otimizar o espaço na mesa), até usar na prática, ou ver alguém usando. Até um mais simples desse tipo aí já vale a pena.

      Sobre girar no próprio eixo, tenta usar um pouco de força (com cuidado pra não quebrar) pra ver se funciona. Geralmente esses suportes vem bem firmes pra suportar monitores de diferentes pesos e não ficarem folgados demais.

      1. Tentei forçar até onde achei seguro. O mais intrigante é que as outras partes móveis são suaves (o giro em 180º) ou óbvias (a altura é regulada por uma presilha atrás que você rosqueia quando quer mexer).

        Ainda estranho o monitor reto. Parece que ele está “baixando a cabeça” para mim. Queria incliná-lo um pouquinho para cima.

        1. Preste atenção nas juntas/articulações para ver como elas agem.

    2. Eu uso um articulado a e a primeira coisa que notei foi o ganho de espaço na mesa, mas imediatamente um dos gatos ocupou o espaço :)

    3. Me desculpa, Ghedin, mas seu deskpad com o logo de cabeça pra baixo tá me dando agonia.

      1. Hahahaha, só reparei agora! Eu fico girando ele de tempo em tempo para desgastar de maneira mais uniforme. (E odeio esse logo, queria que fosse todo preto.)

  24. Eu jurava que hoje era quarta feira. O clima frio e chuvoso em SP tá me dando a sensação de “parado no tempo”.

    Tava aqui relembrando que no fim do mês passado fui no Bus Brasil Fest, um evento anual de fãs de ônibus que expõem veículos antigos e novos. Pela primeira vez entrei em dois veículos que eu sempre quis entrar: um veículo dos anos 30 (creio eu) e um dos anos 80 (um ônibus de dois andares que não me lembro direito se já andei nele quando criança). E em alguns ônibus antigos de viagem, que parecem bem simples para os padrões atuais de viagens. Engraçado era ver o pessoal notando os cinzeiros dentro dos ônibus, meio que dando destaque a ele (até os anos 90 era permitido fumar em ambientes fechados, incluso ônibus).

    1. sério que era só até os anos 90 que era proibido fumar? eu tenho quase 30 e tenho lembranças de quando era criança em restaurantes ter lugar para fumante e não fumante.

      obs: moro no RJ, então pode ser lei estudal/municipal

      1. Aqui no Paraná, até meados dos anos 2000 era permitido. Tenho lembranças de ir em ~baladas e voltar fedendo. Dentro do lugar era uma névoa de fumaça de cigarro misturada com a de gelo seco. Um horror.

        1. Mas hoje até que tenho visto muita gente fumando, Juarez. Fora que hoje tem as “tabacarias”e “lounges”, com gente usando “vape” e “nargile”. E claro, alguns lugares onde pessoal fuma maconha de boa, sem incomodar.

          Tipo, de fato a proibição parece que deu este ar de “prazer ilegal” que a juventude atual está experimentando. Mas fico pensando nas consequências futuras. Fumaça de cigarro é tão ruim quanto fumaça de caminhão ou de carro – e o pior é pensar que nestes dois últimos casos, tem gente que curte… :\ ¬_¬

          1. O problema é a patrulha, o álcool é mais destrutivo que o cigarro e todo mundo acha bonito beber, mas acende um cigarro… A turba fica louca. A sociedade escolhe muito mal as batalhas.

        2. Meu pai está em uma casa de repouso com problemas mentais por causa do alcoolismo. Como opinião pessoal, gostaria muito que a legislação contra o álcool fosse mais implacável no combate a venda de alcoólicos, mas é difícil, dado que a produção de alcoólicos é lucrativa e já tem gente no poder baseado nestes ganhos.

          Entendo também que há o trauma da “lei seca” (americana). Enfim, lidar com o alcoólico é algo complexo, mas sinceramente sou a favor do combate como droga também, no mesmo pacote de outras drogas.

          1. Lamento pelo seu pai, mas essa posição, de proibir o álcool, é reacionária e seria frustrada. É possível consumir álcool sem atrapalhar a vida de ninguém. Arrisco dizer que a maioria das pessoas o faz assim. Se consumido com comedimento, é um prazer, uma das coisas boas da vida. O ser humano consome vinho há milênios.

            Devemos combater os excessos e as barbeiragens, como dirigir embriagado, mas daí a proibir… sei lá. Você mesmo lembrou da lei seca norte-americana, que foi um fracasso em todos os sentidos.

          2. Não fui claro Ghedin, perdão.

            Quando falo em combate, entendo que a proibição gera problrmas piores (o crime organizado geralmente é financiado pela venda de produtos proibidos). Não a toa falei da traumática lei seca americana, que fora uma época de proibições e problemas.

            O combate seria o que de alguma forma estava ocorrendo nos tempos anteriores: diminuição da propaganda e restrições de venda. De alguma forma as restrições de venda (como a presença de alcoólicos em postos de gasolina) são nulas. Não tenho visto maid blitz de bafômetro por ai, diga-se.

            E consumir algo por milênios não é desculpa para continuar consumindo (ao menos nas condições atuais). Entendo que a questão de drogas/entorpecentes nunca foi vista de forma a evitar abusos. No final, nos ilicitos (como cocaína por exemplo), a situação acaba só favorecendo os criminosos. E nos lícitos (alcool), não se faz programas de ajuste de consumo para evitar abusos.

        3. Era um tempo bom para quem fuma. Eu, que não fumo, achava horrível — e, pela natureza do negócio, que espalha uma fumaça que impregna quem está ao redor, era impossível escapar.

      2. O Cine Paissandu, no Flamengo, tinha área de fumante dentro da sala de exibição.

      3. Inclusive lembrei desse vídeo que vi muitos anos atrás, “jornalistas” criticando o prefeito de São Paulo por ter proibido fumar em ambientes fechados, pois ataca a “liberdade individual”.

        https://www.youtube.com/watch?v=yClp_OL6-aI

        Irônico que 25 anos depois é a imprensa que defendia a exigência de uso de máscara, e os políticos incentivando a liberdade individual.

  25. Estou passando por um dilema meio besta.
    Eu queria sair pra correr ouvindo Spotify e também algum programa guiado para alternar caminhada e corrida e acompanhar a evolução.
    Não quero, porém, lidar com o transtorno de ter meu celular roubado, caso aconteça.
    Seria o ideal comprar um smartwatch que suporte estes aplicativos, que parece ser uns 1500 a 2000 reais? Ou um smartphone de 500 reais só pra este fim?
    As outras funcionalidades de um smartwatch valem a pena a diferença de preço?
    (cheguei a considerar contratar um seguro pro meu celular e sair pra correr com ele mesmo, mas é um S21 Ultra, então tanto seguro quanto franquia ficam em valores que não quero pagar)

    1. Se você tiver algum smartphone antigo parado na sua casa, poderia cogita-lo a usar também, não? Desde que suporte as funções que deseja para acompanhamento. Se pensa em comprar um “smartphone de R$ 500,00” novo (como a série A da Samsung ou qualquer um da Multi/Positivo) só para isso, não sei se ele terá as funções que precisa para monitorar caminhada (GPS, Acelerômetro, etc…) . Aí é mais interessante pegar um usado top de linha usado (que geralmente basta trocar a bateria e atualizar o Android se possível) e pronto!

      Um smartwatch também vai ser tão visado quanto um smartphone. Se tem medo de assaltos, cogitar um smartwatch (caro) é lhe por um alvo. Não sei se smartwatches “sem marca” (abaixo de R$ 500,00) tem a mesma capacidade e precisão, talvez poderia ser uma opção. Lembrando que há smartwatches usados também, e claro, pontas-de-estoque (me lembro de ver um lote de smartwatches originais samsung para vender em uma loja na Galeria Pajé, em São Paulo).

      Em último caso, seja low-profile e prefira um mp3 player + contador de passos ou similar, que são bem mais baratos (imagino).

      1. Essa sugestão de mp3 player (que vai acabar sendo um smartphone da Multilaser rsrsrs) + uma smartband de R$200 também é uma boa alternativa!

    2. O problema de um smartphone de R$ 500 é que provavelmente o GPS dele é ruim. E todo o resto também.

      Onde você corre tem um histórico de assaltos? Quando saio para correr, levo o meu celular mesmo, em uma pochete ~slim embaixo da camiseta. (Tipo esta, mas sem zíper; é bem discreta.) Os fones de ouvido “deduram” que estou com um celular, mas se não os levasse, passaria tranquilo como alguém sem nada.

    3. Fala Henrique. Bom eu uso um Apple Watch (considere meu comentário enviesado nele) e mesmo que os smartwatches em geral sejam mais caros, acredito que eles são mais interessantes pela portabilidade, discrição e pelos sensores dedicados a saúde acompanhando você 24h/7 (cada passo, batimento cardíaco, sono e afins). Os Galaxy Watch pelo que já li são a melhor opção para quem tem Android e a versão 4 Classic está na casa dos R$1.200 no site da Samsung.

    4. essa semana o galaxy watch 4 estava entre 500 – 600,00 em alguma loja que não lembro o nome e 685 na loja da samsung.

    5. procura por ticwatch, acho que foi aqui que me falaram sobre ele um dia, ele tem Wear OS, então vc deve conseguir baixar e usar o spotify, aí vc pode conectar seu fone bluetooth, ah, ele tem NFC, então você pode usar pagamento por aproximação.

      estou namorando a marca, só estou tomando coragem pra comprar, kkk

    6. Dependendo do teu nível de dedicação em corridas, eu posso sugerir o Garmin 245 Music. Minha esposa participa de um grupo de corrida e sai só com ele, dá pra configurar os treinos, o relógio te avisa se está acima ou abaixo do pace, etc, tem medidor de batimento cardiaco, etc, e também da pra baixar músicas neles e conectar um fone bluetooth.

      Enfim, se o uso seria exclusivo para corridas, vale a pena procurar uns reviews desse relógio. Gosto os desse site: https://www.dcrainmaker.com/2019/04/garmin-forerunner-245-music-gps-watch-in-depth-review.html

    7. Cara, eu saio com meu celular mesmo, que é um G5 velho de guerra. Onde moro é muito tranquilo mesmo. Uso fone de ouvido akg com fio e uma mi band 5. O Fitotrack pega os dados da pulseira e marca o trajeto usando o GPS do celular. Funciona relativamente bem e me dá dos dados de subida, descida, batimentos, etc. Para o que eu uso, funciona muito bem, o único problema é ainda não ter descoberto um sistema automático para fazer o aviso de tempo de correr – tempo de caminhar.
      Boa sorte!

    8. Uma alternativa que talvez você não tenha pensado: aparelhos de MP3. O lado positivo é que eles são bem baratos (pelo menos aqueles chineses que eu encontrei numa pesquisa rápida), então não precisaria investir tanto quanto um celular extra ou um smartwatch. No entanto, eu vejo que tem vários pontos negativos que possivelmente o faria (se já não fez) desistir da ideia:

      – Não tem suporte a Spotify, seria necessário passar os arquivos mp3 como faziam nossos antepassados ancestrais
      – Não tem suporte a bluetooth, estaria limitado a fone de ouvido com fio
      – Dependendo da qualidade da marca/aparelho, a bateria pode não ser durável o suficiente

      1. Nesse penúltimo ponto, até tem alguns modelos com suporte a bluetooth. Eu comprei um na Shopee pra fazer caminhada.
        Mas realmente a qualidade é bem inferior a usar o fone com fio.
        Eu geralmente uso para ouvir podcasts também. Mas essa situação do Spotify realmente é péssima. Tenho que reencontrar os arquivos MP3 novamente pra colocar no dispositivo.

    9. Veja: ou vc usa o smart caro com um celular barato ou um smart barato com celular caro, se vc for roubado vai ter prejuízo em qualquer cenário. Vai para galera e seja o que deus quiser, use o que for mais conveniente.

      1. E outra: se vc treina corrida é para correr ou para ficar parado? Põe esse treino para funcionar. :D

    10. Como você comentou que tem um S21 Ultra, acredito que o smartwatch valha o preço, até por ser um bem mais durável que smartphone.

      Tenho um Galaxy Watch 1 que vai fazer 5 anos, e costumo sair só com ele e o fone BT pra caminhar, sem carteira e celular. Daí, se me roubarem, o prejuízo é menor e não vão conseguir acessar meus dados ou contas de banco.

      Fica de olho nas promoções do Galaxy Watch 4, já apareceram algumas por menos de R$1000,00. Por ele ter Wear OS, é totalmente compatível com o Spotify.

    11. acredito que o grande limitador da sua necessidade é o “programa guiado para alternar caminhada e corrida e acompanhar a evolução.”
      Isso é bastante específico e é o que deverá guiar sua escolha no final das contas.
      Deve verificar no WEAR OS (opções: Galaxy Watch 4; TicWatch), no Tizen (opções: versões anteriores do Galaxy Watch) ou no Android (opções: celulares android) se existe algum app que faça essa função e afunilar sua busca.

    12. que achas de um celular bom, porém usado?
      é o melhor dos dois mundos hehe

    13. Pesquisa pelo amazfit pace. Dá pra usar de boa sem o celular, e é barato

    14. Eu tenho o Amazfit Stratos e recomendo para o seu uso.
      Ele tem ótimas funções pra correr. Dá pra colocar MP3 nele e ouvir no fone bluetooth e deixar o celular em casa.
      Acho o melhor custo benefício neste caso.

    15. Melhor opção é um Watch 4, direto está aparecendo por menos de R$700 em sites de promoção.

Comentários fechados.