Dois homens, em poses diferentes, usando cuecas pretas da Insider, um em cada canto da imagem. No centro, a frase: “A cueca mais confortável com 12% Off. Cupom MANUALDOUSUARIO12”

Post livre #313

Toda semana, o Manual do Usuário publica o post livre, um post sem conteúdo, apenas para abrir os comentários e conversarmos sobre quaisquer assuntos. Os comentários fecham segunda-feira ao meio-dia.

Nesta, por conta do feriado de Tiradentes, que cai na quinta (21), antecipei em um dia a abertura do post.

198 comentários

  1. Alguém que use o AdGuard pode me dar uma luz? Eu já uso ele no celular e no PC há alguns meses e sempre funcionou legal, mas de uns dias para cá não consigo acessar conteúdo que estão por trás daqueles sites de redirecionamento e/ou monetização do Adfly. O domínio sempre muda o wwwX para wwwXX (vai mudando os números) e fica impossível acessar, dando erro de conexão e DNS. Alguém sabe de alguma configuração para corrigir isso? Só consigo acessar se desativar o AdGuard por completo 😕

    1. Tenho notado que alguns sites que usam anti-adblocker estão tentando formas de quebrar os bloqueios. Eu estava acessando um site que ficava forçando abertura de pop-up, mas o uBlock fechava segundos depois. Mas tipo, de 3 tentativas, uma dá certo e mantém a propaganda aberta (geralmente Gearbest).

        1. Nunca testei. Só me lembro que eles faziam propaganda em vários lugares (e em alguns canais do YouTube). Mas sei lá, fico cismado de comprar algo depois desta insistência de publicidade.

  2. Bom dia, gente. Estou ficando um pouquinho curioso com essa questão da privacidade digital e queria começar a fuçar com uma distribuição Linux que tenha algo como controle de pacotes (tipo um relatório de tudo o que sai da máquina, pra onde vai, tamanho, essas coisas), e que tenha também uma opção de bloquear a comunicação com servidores específicos. Existe alguma? Qual? Ah, essa segunda ‘funcionalidade’, tem em algum sistema de smartphone (Android, iOS)?

    1. Creio que existem as distribuições “forenses”, que já possuem estes programas nativamente. Aqui tem uma lista simples no Distro Watch. Os programas que tem neles podem ser puxados para sua distribuição favorita também, salvo engano.

      Caso prefira um servidor de controle, o recomendado da casa é o PiHole, esse é só puxar no buscador que já aparece rapidinho.

    2. Olá! Eu sou novo nessas questões de privacidade também, mas segue minhas indicações:
      Com relação a distribuição linux, eu indico o Zorin OS. É a primeira distribuição que usei/uso, e é muito boa para iniciantes no Linux. A parte do controle de pacotes eu não tenho nenhuma indicação de app, mas o Ghedin já escreveu aqui no manual sobre o Pi hole (https://manualdousuario.net/raspberry-pi/), você pode dar uma olhada.

      Para Android sem root, você pode usar o Netguard (disponível na playstore e no f-droid). Ele é um firewall, mas utiliza a função VPN do celular, logo você não consegue usar a VPN/netguard simultaneamente.

  3. para aqueles que desbloaram root no celular Android, para qual finalidade vocês usam? algum APP para indicar?

  4. vocês viram que interessante isso? https://kottke.org/22/04/contra-chrome

    em 2008 o google contratou Scott McCloud — autor do clássico Desvendando os quadrinhos — para produzir uma HQ sobre o então recém-lançado Chrome

    agora uma artista produziu uma nova HQ inspirada na original denunciando todos os podres por trás do navegador

  5. Ontem me dispus a assistir ao novo Batman. Não sou o público-alvo, mas… né, da mesma maneira que instalei o TikTok no celular para ver o que os jovens estão consumindo, encarei as três horas de filme.

    Achei bem fraco. A primeira coisa que me chamou a atenção é como a atmosfera é vazia, o que deixa o filme meio desalmado, tipo quando falta grana para contratar figurantes? (O que, obviamente, não é o caso.) Talvez tenha sido uma escolha artística, para exacerbar a introspecção do personagem principal, mas sei lá, acho que falhou.

    Mesmo as partes legais e diferentes dos outros filmes, como terem explorado o lado “detetive” da personagem, soaram rasas. As motivações do Batman, a ingenuidade dele perante a corrupção generalizada, tudo ali é muito, mas muito raso frente à proposta que o filme apresenta. Alguém pode malhar os filmes do Nolan, mas nesse aspecto eles são muito bons, fora da curva em se tratando de filmes de heróis, especialmente o segundo.

    1. ainda não vi esse filme novo, mas um dos meus esportes preferidos é falar mal do christopher nolan

      :)

      você gosta mesmo dos filmes dele? eu sempre acho que ele está o tempo todo tentando explicar com palavras o que acontece visualmente e ao longo da narrativa

      1. Esse é o ponto forte dele. Cinema não é apenas algo visual e, muitas vezes, o visual é escamoteado debaixo de outras coisas. Uma experiência boa de cinema tem explicações rasas pras coisas que ocorrem na tela. Sem falar que a ideia do filme de heróis – de todos eles – é ser raso, simples e superficial e nunca deixar margem à interpretação; ou seja, um filme do Nolan =D

        Me admira é ter quase 3h de história pra contar. Eu não consigo mais encarar nenhuma sessão de cinema, TV ou música com esse tempo todo. Até hoje não vi “O Irlandês” exatamente pelo tempo que ele tem de tela. A moda agora é sairem filmes com +2h30 pra qualquer história boba. Já andava distante do cinema, imagina agora.

        1. olha, acredite: o tempo de tela de O irlandês se justifica plenamente

          não pela quantidade de coisas a serem ditas: ao contrário, a própria experiência do tempo se revela o principal elemento do filme e é por isso que é tão interessante passar esse tempo todo experimentando o filme

          o filme é uma boa experiência sobre solidão e envelhecimento — por mais que pareça, à primeira vista, só mais um filme de máfia do scorsese

          eu sinceramente achei bem melhor que os outros filmes famosos dele de máfia, justamente pela maneira como ele conseguiu lidar com o tempo de tela: não propriamente te apresentando fatos, mas fazendo a gente lidar com a passagem do tempo

          1. Já me dissera inúmeras vezes que vale a pena, mas é como começar a ver uma série de 10 temporadas com episódios de 45 minutos. Cansa só de pensar ;)

          2. Ahhh, acho que temos gostos bem diferentes, @gabriel! Achei O irlandês meio chato — e olha que eu não tenho problema algum com filme longo e/ou arrastado.

            Para tirar a dúvida de uma vez por todas: você viu Mank, do David Fincher? Se sim, o que achou?

      2. Puts, pior que eu gosto. Não acho que o didatismo arruina os filmes, até porque os filmes dele costumam costurar tramas relativamente complexas, com muitas camadas e pontas soltas que vão se juntando aos poucos. De outro modo, os filmes ficariam difíceis de entender — tratando-se de filmes do circuito comercial.

        Mas, à parte o debate cinéfilo, acho os filmes dele bem cinema pipoca (e digo isso como elogio), daquele tipo que justificam a ida ao local físico cinema, de toda a atmosfera “hoje veremos um filmão”. Talvez eles sejam, para mim, os equivalentes dos “filmes de herói” da maioria :)

        1. Você acha que até Tenet é um filme pipoca do Nolan? Até agora eu não entendi se o filme é genial ou presunçoso.

          1. Em alguns pontos o Tenet é muito bom, mas ninguém se importou com o enredo, com a bomba, com a protagonista. Ele quase chega no ponto do Inception, mas falha em justificar toda a história. Kkkk

          2. @Rafael achei tudo muito complexo e confuso naquele filme… mas não achei um filme ruim.
            Mas minha pergunta era se considerava ele como um filme pipoca. Pra mim filme pipoca é aquele que você desliga o cérebro e assiste ao filme, se diverte e pronto. Claro que muitos filmes pipoca você pode analisar até o fundo e procurar significado em cada tomada, ou cor do ambiente, etc (YouTube tá cheio de canais que vão dissecar as coisas nesse nivel). Mas eu, particularmente, achei Tenet extremamente “filosófico” (por falta de palavra melhor… meu cérebro tá cansado) e exigindo demais de quem assiste, quase realmente dissecar o filme para entender. Estou criando coragem para assistir novamente e ver o que acho novamente.

          3. Esse eu ainda não vi, mas acho que cabe uma explicação mais detalhada do “filme pipoca” porque entendo que exista outra interpretação diferente do que quis dizer.

            Quando me referi aos filmes dele como “filmes bem pipoca”, foi mais num sentido de “filme grande para ver no cinema”, não do tipo “filme divertido para desligar o cérebro” — que é como, imagino, “filme pipoca” possa soar.

          4. @Ghedin Ah sim, entendi o que quis dizer! Eu assisti no cinema e realmente é um filmão pra se ver nesse ambiente!!

    2. Também não gostei! O filmes do Nolan tão muito além. As cenas de perseguição achei tudo muito zoada. Umas câmera na roda do carro nada vê. As cenas de luta também, achei que não tinha força, com os cortes manjados pra disfarçar.

    3. Eu entendo, mas o personagem é isso mesmo. Maniqueísta, bobo, infantil e raso. É um bilionário de inclinação fascista que resolve os problema da cidade batendo em todo mundo. Não tem muito o que recontar nisso. É quase um mundo barroco – Deus vs Homem – nesse sentido.

      1. Concordo, está na essência dele. É um eterno murro em ponta de faca, mas eu ainda tinha a esperança de que, 1) dada a quantidade de filmes, reboots e afins; e 2) com os problemas sociais presentes no filme cada vez mais presentes aqui fora, em especial nos Estados Unidos, alguém poderia tentar algo diferente.

        Não achei que seria otário de novo. Fui otário.

        Esse filme novo até arranha essa superfície, coloca o Batman num momento “será que isso que estou fazendo é a coisa certa”, mas é um lapso que o personagem (e o roteiro) atropelam rápido e sem cerimônia.

        1. Chuto que se isso acontecesse, dado como o recebimento desse novo filme está sendo positivo, os fãs do personagem não iriam gostar muito.

          O filme do Coringa mudou um pouco a narrativa, colocando o pai do Batman como um capitalista-empresário-vilão e o pessoal já ficou brabo, pensa só modificar a estrutura do pensamento do personagem principal deles …

      2. ataque de oportunidade: ouça nosso Fora de prumo sobre o camp

        https://foradeprumo.com/2022/03/31/fora-de-prumo-f-27-notas-sobre-notas-sobre-o-camp/

        lá a gente sugere que a melhor maneira de tratar o bátimã é pela via da série dos anos 60 (e, em alguma medida, com o jeitão maneirista do Tim Burton)

        e veja esse vídeo do professor alexandre linck: https://www.youtube.com/watch?v=7_uT2YaOjOI

        também aponta uma crítica maravilhosa do bátimã a partir de uma abordagem queer

        1. Opa, vou colocar aqui na lista!

          Uma coisa do Batman que eu curto é aquela série animada Os bravos e os destemidos, que é inspirada na versão canastrona dos anos 1960. É tudo tão absurdamente absurdo que acaba virando um entretenimento gostosinho. Tem na HBO Max.

        2. Gostei da ideia do Batman queer, e fez sentido dentro do meu limitado espectro intelectual sobre essa cultura.

          A parte camp, no entanto, eu não consegui entender direito. A estética da Sontag me é familiar, mas não consegui ver o enxaixe camp no Batman do Burton (e no dos anos 60 eu acho muito mais uma coisa infantil do que camp necessariamente).

  6. Olá!
    Estou querendo fazer uma faculdade na área da tecnologia mas bem perdido na escolha do curso, primeiro pensei em ads mas aí me veio a dúvida, e se eu não quiser ser dev e sim trabalhar com redes por ex ou segurança? Valeria a pena mesmo assim? Então pensei em Ciências da Computação que me parece um curso mais amplo mas é quase o dobro do tempo… alguém tem uma dica pra me dar? Aceito tbm a indicação de boas faculdades EAD. Valeu!!

    1. Acho que vai muito do quê você quer trabalhar em relação a redes ou segurança. Por exemplo: se quiser trabalhar no mercado dessas áreas, existem cursos mais curtos do que uma Ciência da Computação e mais voltados a mercado de trabalho que são ótimos.

      Agora, se você quiser ser um pesquisador acadêmico que vai estar nas universidades pesquisando e definindo os melhores futuros protocolos pra rede, novos paradigmas matemáticos para criptografia, etc, aí é Ciência da Computação.

      Eu fiz Ciência da Computação em uma época que não existiam os cursos tecnológicos/tecnólogos tão amplamente como hoje; atualmente, sou programador, mas se fosse fazer um curso hoje, com certeza faria um curso mais curto e mais voltado ao mercado, porque eu acabei não tendo interesse em seguir carreira acadêmica. Ciência da Computação é muita, muita matemática, então pensaria 2x antes de ingressar nela se o seu foco é o mercado de trabalho.

      Quanto a recomendações de faculdades EAD, fico devendo, por não conhecer mesmo.

      1. Ajudou demais! Talvez Ciências da Computação não seja mesmo pra mim nesse momento, tenho outro emprego, varias demandas…

        Análise de Sistemas poderia ser um curso “coringa”? Uma base para qualquer área? Pq pra mim que não tenho conhecimento do mercado e nem sei direito oq quero fazer é difícil escolher agora…

    2. Tive uma disciplina no começo da minha graduação chamada Computação e Sociedade. Nela, nós vimos documentos da ACM e da SBC sobre os vários cursos de computação. Vale a pena procurar um pouco mais sobre a estruturação dos cursos de graduação para você entender o foco central; por exemplo, Sistemas de Informação tem um foco extremamente organizacional, Engenharia de Software está muito ligada ao desenvolvimento de software em si, e por aí vai. Também é importante ler a matriz curricular dos cursos, exigências (ou não) de estágio obrigatório, turnos, etc.

    3. de uma olhada na TRYBE, é meio difícil o processo seletivo deles apesar de ser uma escola online, mas um curso de 1 ano que vai de preparar muito melhor pro mercado que qualquer faculdade ou curso técnico

    4. Se você quiser ter um leque de opções no segmento, recomendo dar uma pesquisada no curso de Sistemas de Informação. Sou formado nesse curso e tive desde desenvolvimento de software até matérias focadas em governança de TI, administração e redes.

      Falando em carreira, você acaba tendo conhecimentos em vários segmentos de tecnologia. No meu caso, já trabalhei com suporte, desenvolvimento, gestão de projetos e hoje trabalho com auditoria de sistemas.

      A única coisa ruim é que você aprende um pouco sobre tudo, mas sai do curso sem dominar nada, diferente de um engenheiro de software ou um analista de sistemas. Então se você decidir fazer carreira como dev ou arquiteto de redes, por exemplo, pode acabar começando um pouco atrás de quem já é formado nessas áreas.

  7. Ainda não consigo manter uma boa rotina de meditação mas vez ou outra eu utilizava o aplicativo Stop Breathe Think para tal. Gosto do layout e da ferramenta “Check-in”, que seleciona meditações de acordo com seu estado físico, mental e emocional. Outro ponto interessante é que esse aplicativo tinha um bom conteúdo para não assinantes. Fui acessar o app na última semana e infelizmente eles estão encerrando as operações. Por ora, tenho acesso a todo conteúdo, porém não sei até quando ficará disponível.
    Tentei voltar ao Headspace para ver se funcionaria como uma alternativa caso eu perca o acesso, porém não consegui achar meditações liberadas para não assinantes (se tem, estão bem escondidas).
    Vocês teriam sugestões de aplicativos para meditação guiada que tenham algum conteúdo gratuito?

    1. Usei o Medito por um tempo. Tinha tudo que eu precisava e boa parte do que você mencionou também, só fico hesitante sobre a questão do estado físico, mental e emocional. Acho que o Medito não oferecia tantas opções, faz um tempo que eu não abro.

      Usei o Balance também, bem mais robusto com muitas mais opções, tem uma forma de pegar 1 ano de graça que preciso me recordar como faz, mas interessantíssimo se sua prioridade for essas meditações personalizáveis.

    2. O Lojong tem todo o conteúdo “liberado”, mas você terá que ver um anúncio de até 30 segundos antes de casa meditação guiada. Ao pagar os anúncios desaparecem.

    3. Se puder ser em inglês (me parece que sim), recomendo demais o Healthy Minds!

    4. Uso o Inspire. Todo grátis e em português. Nunca tinha feito então não posso comparar com nada, mas completei o ciclo de três semanas e foi bem legal. Não tem essas funcionalidades todas, mas é bem honesto :)

  8. Galera das indicações: que roteador com Wifi 5 (ou até Wifi 6, se tiver) e que tenha bom custo benefício vocês recomendam? (não precisa ser um roteador gamer, daqueles que parecem um disco voador e tem 10 antenas…)

    Percebi que meu roteador é bem básico aqui pra casa, e mesmo sendo pra uso doméstico, não pega em algumas áreas do meu apartamento (que tem 45m², diga-se de passagem) e percebo que o ping em alguns jogos e pra acessar a internet e streaming é aquém do que eu gostaria (apesar de que meu roteador suporta a internet de 100mb que tenho em casa, o problema é mais esse ping e o tempo de resposta).

    1. Eu tenho um TP-Link Archer C20 aqui em casa que é muito bom. E tenho outro TP-Link que está comigo há 10 anos… Mas esse eu troquei o firmware e coloquei OoenWRT nele. 😄

      Aliás, tenho um segundo Archer C20 pra vender aqui, completo na caixa. Se alguém tiver interesse… Comprei para por num cliente, que declinou do serviço. Logo, está novo.

      1. Cara, achei a proposta interessante, pelo que eu pesquisei aqui, esse roteador não é tão caro, então seria um upgrade por um preço não tão grande (pesquisei alguns modelos com Wifi 6 e não vi nenhum por menos de 500 reais).

        Tem como a gente conversar pra ver se rola negócio? Meu e-mail é diogoan@gmail.com e Telegram é @diogoan

    2. Mas apesar de maior velocidade o wi-fi 5 tem um alcance mais curto… E eu nem me preocupei com esse recurso, pois não tenho nenhum aparelho compatível.

      1. Sim, a questão do alcance eu sei que não ajudaria muito, acredito que o benefício maior seria mais na latência mesmo. Já usei redes wifi 5 e a mudança no ping foi perceptível.

    3. Aliás, qual teu roteador atual? Quanto está disposto a investir?

      1. É um RT-N300 da Asus. Agora quanto eu estou disposto a investir, eu gostaria de ver o preço médio dos roteadores e tal. Eu sei que um roteador basicão custa na faixa dos 100 reais (ou menos), então por um roteador um pouco melhor, estou disposto a gastar mais.

        1. Não entendo muito, mas vou indicar alguns que conheço:

          Roteador Wi-Fi 5 (AC 1200) com porta Internet giga e LAN fast da Intelbras, parece que o foco é no Wi-Fi. Peguei um para meu irmão e ainda não tenho uma opinião formada, mas ele é dual band e já notei que, obviamente, é melhor que um roteador básico.

          Roteador Quebra Parede TP Link Tl-wr941hp (Parece que é um pouco caro), mas a potência do sinal é muito boa só que é 2.4 GHz.

          Algum com tecnologia Mesh, por exemplo Twibi Fast ou Giga da Intelbras.

          1. Pelo que entendi, o Diogo ele quer algo com Wi-Fi 6 / ax .

            O quebra-parede, digo por certa experiência, ele é até bom mas só com poucos equipamentos em casa. Quando tem mais de 5 aparelhos, ele fica meio chatinho.

            Boa parte dos roteadores atuais acima de 200/300 $ já provavelmente vem com Wi-Fi 6. Roteadores Mesh (tipo Deco / Covr) o par saí por uns 1.500,00 $

    4. Tenho visto bastante gente comprando os da Xiaomi pelo AliExpress e elogiando bastante

      1. Puxa vida, acabei de comprar 2 tplink wr941 por achar que vai resolver meus problemas de alcance. Essa história de meio chatinho com mais 5 conexões, conta mais detalhes aí, por favor.

        1. Um cliente meu comprou um par destes (de hard ver diferentes).

          para a casa dele tinha bom alcance, mas a familia dele era grande. então imagine uns 7 celulares ligados, duas smart tvs, etc… dava muita queda e conflito de sinal.

          foi resolvido depois de trocar os dois 941 por um par de TP-Link Deco gigabit. não houve mais reclamações.

    5. Estou pensando em pegar um kit Deco M4 com 3 roteadores.

      Meu problema aqui em casa é que o sinal fica horrível no andar de baixo e a rede fica quase inutilizável. Sem contar que meu roteador da Xiaomi pediu aposentadoria e a interface é chatinha demais pro meu gosto.

      No seu caso, por ser Wi-Fi 6, eu acredito que seria interessante um da linha Archer AX da TP-Link. Ou um Deco X20 (que é Wi-Fi 6). O preço do X20 não é lá essas coisas (e não tem em pack de 3), mas dizem que o alcance é bom e as velocidades são aquelas esperadas pra roteadores do tipo.

      1. Fica de olho na claro. Aparecem bastantes promos de kit com 3 Deco M5 por cerca de 1k

      2. Eu justamente estava pesquisando essa semana sobre esses Deco da TP-Link. Me interessei pelo M4 ou M5. Mas minha proposta é usar um principal, recebendo a WAN, passando para um Switch gigabit e dele apenas no cabo entre cada um dos outros “potinhos” (o roteador parece um potinho né) e meus outros pontos já cabeados.

        Minha única dúvida é se cada potinho desses emite a mesma rede Wifi e se, andando pelos cômodos com um celular eu sentiria a troca de rede.

        Essa “emenda” de wifi eu já tentei por aqui e sempre achei que fica meio capenga.

    6. Cara, o que recomendo pra qualquer um é:
      – verifique se o aparelho tem uma política de atualizações continuadas

      Tem vulnerabilidade todo dia saindo e se vc n quer seu roteador fazendo parte de botnet ou alguém invadindo sua rede interna pra baixar conteúdo criminoso, compre aparelhos de empresas que estão sempre atualizando e, assim, vc terá um aparelho para durar vários anos e com menor risco de problemas de segurança.

      Pesquisa pelas soluções sem fio da mikrotik e ubiquiti.

      Ponto negativo: exige conhecimento técnico.

    7. Acho que primeira precisa ter claro quanto quer investir. Se for um valor baixo nem procuraria tanto WiFi 6. Você pegará um modelo de entrada de provavelmente um roteador feito antes da especificação ter sido concluída.

      Se for uma faixa de preço abaixo de 500k, procuraria os TP-LINK são geralmente os com melhor CxB no Brasil, como o modelo C6 ou C80. Se for acima disso, procuraria um Asus, como RT-AC68U, com suporte ao Asus Merlin https://www.asuswrt-merlin.net

      Existe um site muito bom e bem técnico sobre wifi que é o SmallNetBuilder, lá tem bastante artigo e review de aparelhos.

      Se for pra mesh abaixo de 1k de investimento, também não iria muito, pois o ideal de mesh seriam aparelhos com pelo menos 3 antenas e pelo que falou do seu espaço, nem seria algo tão grande assim. Investiria mais num router com mais recursos

  9. Em se tratando de compras on-line, em grandes lojas ou marketplaces, me considero um comprador atento, com experiência para saber escolher os produtos certos, de parceiros com credibilidade. No entanto, tem um produto corriqueiro que definitivamente não sei comprar sem cair no conto do vigário: baterias de celular.
    Existe alguma fonte segura para a compra de baterias originais?

    1. Direto da fabricante? Esse é o tipo de coisa que prefiro não arriscar, mesmo pagando um preço mais alto.

      Outra coisa dificílima de comprar em marketplaces é cartão SD. As chances de pegar um pirata (ou seja, imprestável) são enormes.

      1. Eu gosto de comprar cartões micro SD ou unidades SSD na Kabum e nunca me decepcionei, mas é frustrante que não haja lojas com credibilidade que vendam baterias para celular originais ou mesmo genéricas de boa procedência.

      2. Para cartões de memória, eu recomendaria as lojas brasileiras de material fotográfico Angelfoto e Orangephoto. No Aliexpress, a E Digital Store.

    2. Bateria de celular é o tipo de componente eletrônico que não se vende no varejo assim. É tipo peças de eletrodomésticos, eu imagino. Acho que as fabricantes (originais ou terceirizadas) tem em suas assistências próprias ou vendem para assistências terceirizadas.

      Infelizmente para baterias de celular — e para inúmeros outros componentes de eletrônicos — a gente tá restrito a pegar um usado de outro aparelho funcional ou pegar um de qualidade duvidosa.

    3. Direto numa representante da fabricante ou de marcas alternativas de qualidade (que não fingem ser da fabricante), a exemplo das baterias da zerolemon.

  10. um dos meus blogues preferidos (entre os poucos que ainda resistem) é o arun.is

    no entanto, ele passou por uma reformulação nos últimos dias e se transformou num site estilo cartão-de-visitas/CV de seu autor — e os textos de blog ficaram numa seção separada

    é uma pena: pra quem teve a chance de visitar antes, o blogue era um deslumbre visual — os posts eram visualmente perfeitos e complementados por um excelente material de infografia e ilustração feito sob medida

    um exemplo do esmero visual que o blogue possui: https://www.arun.is/blog/apple-watch-faces/

  11. Apesar de já ter conta há 2 anos, venho utilizado com mais frequência o Mastodon no último mês e percebi algumas coisas interessantes:

    1 – A maioria dos toots (vulgo posts) estão “por baixo dos panos”. Geralmente a galera posta algumas coisas listadas como públicas, mas a maioria está como “não listado” ou “apenas para seguidores”.
    2 – As conversas são mais autênticas e fica mais gostosinho interagir com a galera.
    3 – As pessoas são mais mente aberta, mais tranquilo de trocar ideia, sem medo de chegar alguém chato e começar a espalhar ódio.

    Talvez seja uma particularidade da instância que participo ou da minha minha mini bolha? Talvez, mas é muito bom ter um cantinho assim.

      1. Participo da instância mastodon.com.br, mas sigo uma galera de outras instâncias também.

      1. Manual do Usuário, com certeza hahaha
        Mas assim, você tem que descobrir uma galera legal pra seguir. Pode ser que quem eu sigo não posta conteúdos do teu interesse.
        Minha dica é: interaja com a galera.

    1. Eu acredito que, por não ter interesses comerciais escusos por trás, não tem a influência do “algoritmo” empurrando conteúdo popular, mas que a gente não gosta, pra nossa timeline. Assim, a gente vê só o que é do interesse mesmo. Que bom que toda a internet fosse assim: descentralizada, com menos interesses escusos, e com as pessoas controlando mais os seus dados.

      Manda o seu perfil aí!

  12. Uma pergunta para as pessoas que investiram dinheiro numa cadeira boa para o home-office e que têm gatos: como impedir que eles destruam o assento “brincando” de arranhar? Tem alguma dica ou técnica que usam para mantê-los longe da cadeira? Fechar a porta do quarto não vale, rs.

    1. Olha, vou dar um pitaco não sendo dono de cadeira, mas tendo cães e gatos na família:

      Melhor coisa é botar algum protetor, tipo capa. E se possível, tentar achar alguma forma do gato ter um arranhador a parte (e incentivar a ele usar só lá).

      Existem produtos que botam cheiros que afastam os animais. Pode ser uma boa experimentar isso também.

        1. pro gato não arranhar a cadeira!
          ainda se ele fizesse o trabalho…

      1. O arranhador a parte eles até já tem, mas mesmo assim não funcionou: o lema deles parece ser arranhar tudo que é possível de ser arranhado. Mas ainda não havia testado isso de colocar algum cheiro, pode ser uma boa. Já a capa, o problema seria ter que ficar colocando e tirando ela toda vez.

        1. Eu tenho um frasco com borrifador, tipo aqueles que se usa pra borrifar água nas plantas. Andamos usando em casa com álcool 70° quando a pandemia estava mais braba, pra desinfetar pacotes de compras, limpar as mãos etc. A gente tem usado também pra espantar o cachorro quando ele quer morder ou arranhar alguma coisa. Dá uma leve borrifada no local (não no bicho, claro) e ele se afasta do cheiro na hora. Até já reconhece o frasco, às vezes é só mostrar e nem precisa espirrar o álcool. E com certeza fica bem mais barato do que esses produtos “especializados” que as pet shops tanto anunciam.

          1. Não seria mais seguro trocar o alcool por água, no caso de usar nos pets? Eu ficaria com medo de acertar o olho de um e machucar.

        2. Olha, eu também achei que seria um transtorno mas é bem fácil de tirar/colocar, já me acostumei. A minha pedi pra uma costureira fazer.

      2. Aqui em casa eu tive problemas com gatos e principalmente gambás entrando no quintal. Comprei um produto que é um repelente de gambás (e gatos), que são pastilhas rosadas, que você coloca no local onde você deseja afastar os bichanos. Eles odeiam o cheiro e nem chegam perto.

        Não faz mal algum a eles, só os repelem. Talvez seja uma solução para você, pode ser colocado dentro de casa também. Tem no Mercado Livre.

    2. Cara, a única resposta para isso vem do clássico moderno Frozen: Lerigou!
      Uma noite de descuido com a porta aqui em casa e o sofá de 2 semanas se transformou no arranha unha mais gostoso dos últimos 5 anos.

      Quem manda em casa é o gato e eu ainda tenho que agradece-lo por não mijar nas cadeiras e no sofá.

      amo ele, mesmo que o respeito dessa relação não seja tão equilibrado kk

      1. Meu sofá tá com o encosto detonado. Preciso fazer um reparo mas não ligo, pq ter gato é muito bom. Kkkk

    3. A dica que eu tenho (talvez seja muito tarde) é evitar cadeiras de courino ou couro sintético, eles amam. Tenho uma genérica parecida com a a famigerada Flex Form Uni, sendo que o assento também tem aquelas “telinhas” e os gatos só gostam dela pra deitar em cima. Tive uma “gamer” de couro sintético e rapidamente ficou completamente arranhada no assento, lateral e costas.

    4. No Mercado Livre você encontra capas pra cadeiras em tecido suplex ou suede e que fazem propaganda justamente nessa proteção dela pros gatos não arranharem.
      Eles também enviam de acordo com o modelo da sua cadeira

  13. Eu assinei faz algum tempo o Office 365. Faço serviços de preparação e revisão pra um grupo editorial e eles me mandam trabalhos em Word. Parecia cômodo ter assinatura do 365, pela garantia de ter sempre a versão mais recente do word, eu não precisar me preocupar em salvar o arquivo enquanto mexo nele (o salvamento vai sendo feito automaticamente no One Drive) etc. Mas eu ando pensando se não é um desperdício pagar pra Microsoft só por essas aparentes comodidades (até porque eu só uso o Word e o One Drive, e todo o resto do Office fica lá ocioso). Sei que é um assunto que já deve ter aparecido por aqui, mas queria saber de vocês: vale a pena parar de pagar o Office e recorrer a alternativas – tipo usar o Libre Office Writer e salvar em Word na hora de mandar o trabalho de volta pra editora?

    1. Acho que essa resposta só você pode dar, porque depende das especificidades do seu trabalho e da disposição do grupo a que você presta serviços de aceitar um documento “esquisito” — mesmo salvo no formato do Word, nem sempre a formatação é fiel ou idêntica a de documentos editados no próprio Word.

      Eu sugeriria fazer um teste, avisando de antemão quem vai receber o documento do outro lado. Se passar, bem. Se não, paciência.

    2. Eu nunca consegui ser muito feliz com o Libre Office. Se os documentos nos quais você trabalhar usarem formatação mais complexa, é grande a chance de que você tenha problemas quando importar/exportar o arquivo final.

      Há algum tempo venho utilizando os editores online do OnlyOffice no trabalho, trabalhando com arquivos do MS Office. Nossos documentos não têm nada de muito complexo e, talvez por isso, nunca vi problemas com a formatação.

      Talvez seja interessante você fazer alguns testes antes de chutar o balde com a Microsoft.

      1. Penso em fazer um teste: converter um arquivo de Word pra Libre, usar nele todos os recursos que uso normalmente na revisão e depois reconverter pra Word e mandar pra mim mesmo por email (de um endereço meu pra outro endereço meu). Abro o material enviado e vejo como ficou. Se o resultado for muito bom ou muito ruim, compartilho por aqui.

    3. Acredito que o grande impeditivo para as pessoas “abandonarem” o Office está nas ferramentas de revisão de texto, correção gramatical e padronização ABNT – ale’m claro, do bom e velho comodismo para não aprender uma ferramenta diferente. Falo isso como um usuário super ocasional de processadores de texto, tanto que uso o Pages da Apple.

    4. A minha assinatura vence em setembro deste ano e não penso em renovar pelos mesmos motivos que você apresentou. 1 TB de OneDrive é bem atrativo pra mim, até perceber que eu só usava 7 GB e um pendrive de becape já seria suficiente. De fotos devo ter mais de 100 GB mas, guardo tudo no Google Photos.
      O OneDrive pra armazenamento já larguei. Até setembro uso o Office e depois vou migrar pro LibreOffice.

      1. Pois é, tem desperdício de espaço no drive. Pra não falar no desperdício que é deixar encostadas as outras ferramentas do Office. Mas vamos experimentar a migração. Daqui a algum tempo, quem sabe haja uma troca de experiências boas ou ruins por aqui.

    5. O office online eu sempre usei grátis, não sei se tem todas as funções da versão paga mas no meu uso sempre funcionou normalmente, com sincronização e compartilhamento nunca tive problemas.

    6. Eu tentei usar o LibreOffice, que aliás é muito bom, porém tive esse problema da formatação, ela sempre fica meio esquisita ao exportar de um software para outro. Acabei me submetendo à assinatura do Office 365.

      Curiosidade, encontrei esses dias uma promo de R$96,00 pela assinatura anual, comprei e estranhei a demora para me enviarem o código de ativação. Depois de uns 5 dias chegou a caixa física com o código aqui em casa.

      1. Caixa física quer dizer que veio material físico, tipo DVD pra instalação, ou veio só o código na caixa?

        1. Veio uma caixa mais ou menos do tamanho das capas de Nintendo Switch, com uns folhetos aleatórios e um papelzinho com o código.

    7. Primeiramente, você deve olhar para isso como o meio pelo o qual você irá executar o seu trabalho. Igual um marceneiro que utiliza uma mesa de corte com trocentos mecanismos de segurança e possui uma manutenção mais cara não deve pensar em economizar para uma mais antiga e que pode custar um dedo, uma mão ou um pedaço do braço. Você deve olhar para isso pensando “Qual o risco de eu prejudicar o meu trabalho, a relação com meu empregador e minha saúde mental caso eu tente pegar algo mais em conta ou barato mesmo?”.

      Olha, não vale a pena utilizar o libre office se te encaminham os arquivos word, porque sempre ocorre alguma alteração no documento que bagunça a edição.
      Pode ser que você tenha alguns atritos com o pessoal que te encaminha os documentos para revisão, quando você encaminhar os documentos revisados, porque o documento editado no libre office, por exemplo, ao ser aberto no word têm algumas limitações de edições que antes de tivesse ocorrido apenas dentro do word, não teria. E isso é normal de ocorrer de um programa de edição para outro, sempre ocorrerão mudanças de edição ou incompatibilidades.
      Eu falo tudo isso por experiência própria, meu trabalho é escrita pura. Acabei utilizando o libre office um tempo, assim como word online, e faz falta o programa do word, esses dois exemplos tem limitações que impactam no dia a dia.

    8. Pra mim vale a pena o 1TB , especialmente olhando pro plano família (que compartilho com a minha). Cada um entrou com a compra de 1 pacote, numa promoção.

      5 usuários, cada um gastou 100. (Ou 120, não lembro exatamente) e ficamos com Office por 5 anos (é meu principal ponto é o OneDrive, não o Office em si)

    9. Questão de hábito. Uso só o Libreoffice há anos, nem me imagino usando ms de novo.

    10. Acho que se o Word é uma ferramenta de trabalho pra você, eu não arriscaria numa transição pro LibreOffice não.
      Já pensou em comprar o Office Home and Student? Você paga um valor grande numa tacada só, mas fica com uma licença vitalícia, pra Word, Excel e PowerPoint.

      1. como funciona esse vitalício? eu tenho vontade mas me pergunto quão vitalício realmente é.
        por ex, se eu precisar baixar um office daqui 10 anos, pra uma versão futura de windows ou macos, eu vou ter o office mais recente?
        meu trabalho me dá a licença, mas no meu computador pessoal uso o libreoffice meio contrariada… funcionar funciona, mas eu não gosto da experiência. eu cogitaria comprar só se não precisasse mais pensar nisso realmente pra sempre

        1. > por ex, se eu precisar baixar um office daqui 10 anos, pra uma versão futura de windows ou macos, eu vou ter o office mais recente?

          Não, você vai ter que usar a mesma versão que comprou, antiga. Por exemplo, eu tenho um Office Home and Student 2010, e ainda utilizo ele legalmente, mas ainda na versão 2010. Ela até já acabou o suporte, não atualiza mais, mas ainda funciona nos Windows recentes.

          Realmente, se a necessidade é sempre estar com o último Office, aí só assinando o MS 365 mesmo.

          Podes ver as opções em: https://www.microsoft.com/pt-br/microsoft-365/buy/compare-all-microsoft-365-products?&activetab=tab:primaryr1#mscomservices-comparisontableV2-o3xwep7

        2. Você fica estacionada na versão comprada, não tem opção de atualização. É um lance bem diferente do Office 365, que nem tem versão direito — está em constante evolução. De tempos em tempos, a Microsoft empacota a versão atual, coloca um ano no nome (Office 2019, sei lá) e vende em caixinha.

          Para quem não usa recursos avançados do Office, diria que dá. Se duvidar, o Office 2010 ainda deve servir à maioria das pessoas. O único problema é quando acaba o suporte, porque aí a liberação de correções de segurança é interrompida.

    11. Como todo mundo já disse, tudo depende do seu nível de uso. Se vc usa só o Office e nada mais talvez compense comprar o Office separadamente, mas mesmo em promoção ainda sai mais caro que alguns anos de assinatura comprando no varejo.

      Eu compartilho o 365 com parentes e amigos, e a última renovação acabou saindo de graça (a minha parte o cashback compensou). Meu pai usa muito o OneDrive, mas eu mesmo só aproveito o acesso fácil ao Office mesmo.

    12. Eu já usei muito o Libreoffice mas sempre acabo voltando para o Office por um único motivo: o corretor gramatical é insuperável

  14. Estou procurando algum (vou chamar de) caderno de notas, para me organizar. Atualmente solto tudo em um grupo no Telegram onde estou sozinho), mas fica ruim separar por assunto as notas. Ao mesmo tempo já pensei em usar o Google Keep, porém ele faz o download de tudo (inclusive imagens) para o dispositivo móvel. Procuro algo multi plataforma (Linux, android e Windows) que fosse online (na nuvem como o Telegram é), sem muita limitação como o Evernote tem. O que sugerem ?

    1. eu gosto do standard notes, mas ele não tem suporte para imagens

    2. Sugiro o Joplin. Ele é multiplataforma, tem recurso em nuvem, e foi criado para ser uma versão mais amigável do Evernote.

      1. Se um dia eu abandonar o Evernote (o que acho difícil), com certeza minha primeira opção seria o Joplin.

    3. O Notion é o que uso, ele é bem simples num primeiro momento mas é super poderoso se tomar um tempinho pra usar. No plano gratuito da até pra compartilhar umas páginas (organizei todo meu casamento nele). Tem versão web que o faz funcionar em tudo, mas também tem app pra Android, iOS, Mac e Windows (eu uso um não oficial no Linux mas só porque não gosto de usar em aba de navegador).

      Diria que o maior problema dele era ser meio lento, mas teve mudanças bem grandes nesse quesito. Hoje não incomoda mais

    4. Uma boa indicação é o Simplenote. Dá pra incluir imagens nas notas usando markdown, mas elas precisam estar hospedadas em algum site. É super rápido e tem app pra macOS, Windows, Linux, Android, iOS e web.

      Já usei Nextcloud Notes, Evernote, Joplin, Standard Notes e Notion, mas sempre volto pro Simplenote. As tags ajudam muito na organização e na hora de encontrar as notas.

    5. Atualmente meu organizador de anotações são as notas do Box. De quebra organizo alguns arquivos também, mas meu uso principal são as notas.

  15. Pergunta para um público bem específico: Gente que corre e tem Rinite.

    Como vocês fazem quando chega essa época meio maldita de meia estação? Não sei como é em geral, mas para mim é quando o nariz resolve escorrer e trancar e isso dificulta demais para manter a rotina de corridas. Para mim o antialérgico (Allegra D) dá conta para não ficar trancadaço, mas ainda sinto que não fico 100% e percebo algumas dificuldades quando saio para correr.

    O que vocês fazem?
    Aqueles dilatadores nasais externos adiantam para alguma coisa?

    1. Pode não ser a solução pra você, mas foi pra mim: eu sofria bastante com isso até fazer cirurgia de correção de desvio de septo – não era só a rinite que me deixava trancado. Mas após a cirurgia até a rinite melhorou.

      A diferença foi gigantesca. Caso nunca tenha ido atrás disso, tenta ver com um otorrino. O procedimento é super tranquilo e a maioria dos planos de saúde cobrem 100%.

    2. Opa. Assim como o Matheus falou aí embaixo, ouço relatos milagrosos de quem já fez a tal cirurgia de desvio de septo (ou rinoplastia, para os mais íntimos). Eu, como sofredor de rinite alérgica, sinusite crônica e apnéia do sono, tudo isso devido a um desvio enorme detectado por exames, espero realizar essa cirurgia, que ainda não rolou devido à pandemia e mais recentemente, pela troca do meu plano de saúde.

      Sobre os dilatadores externos, eu não sei te dizer, a minha impressão é de que não funciona, não vejo muitos relatos sobre eles.

      Eu te recomendaria fazer uma visita ao otorrino pra ele verificar teu caso e te recomendar alguma medicação ou até algum tratamento se for o caso. Pra mim, o spray nasal Avamys funciona quase que instantaneamente nos dias que a rinite ameaça atacar.

    3. Lavagem nasal. Uso um jala neti com soro fisiológico ou água e sal mesmo (só tem que cuidar pq a maioria dos sais que a gente encontra no mercado tem antiumectante, que não é algo que a gente deveria colocar no nariz, então leia os ingredientes ou dê preferência pro soro)

      Deveria ser um hábito que nem escovar os dentes, mas eu sou muito preguiçosa e uso quando tenho crises muito fortes. Ainda assim, faz milagres.

      1. Me tornei adepto recentemente e numa dessas mudanças de tempo percebi como uma narina minha fecha completamente. Quando fui fazer a lavagem a água não saia pela outra narina, mas pela boca. Foi bem desagradável. Já o sentido contrário ia normalmente. Depois de ler os outros comentários, pensei no desvio de septo.

        Sobre o sal, não sei se é em conta, mas eu comprei no MercadoLivre uma solução para misturar em água para usar. Pagar quase R$10 em 500mL de soro é tenso, quando li que a lavagem deveria ser feita com 300mL por dia (uso 150mL para cada narina). Mas não tenho uma fonte de respeito para citar, foi coisa que li pela internet mesmo.

        1. Eu também tenho uma narina mais fechada que a outra. Percebo que se eu lavo com mais regularidade (deveria fazer todo dia, mas não faço..) a água flui melhor, como se fosse uma congestão mesmo, mas tens razão, pode ser desvio de septo.
          Eu uso um sal marinho que compro em lojas de produtos naturais, mas essa ideia da solução no Mercado Livre parece uma boa também!

          1. É, eu também estou nessa de deveria fazer todo dia mas não faço.
            Uma das coisas que li é sobre usar água morna pra fazer a lavagem. Não sei se é melhor ou pior, mas sinceramente não foi desagradável!

    4. Minha solução foi, receitado pelo médico com quem faço acompanhamento, o uso de corticóide nasal (nasonex). Disclaimer: Isso não é uma recomendação. Ele leva uma semana mais ou menos para apresentar os efeitos, mas eu não sinto a rinite tanto quanto sentia, tanto o nariz congestionado, típico dos dias frios, quanto coriza e coceira. E raramente faço uso de antialérgicos.

      Como sou relaxado, assim que acaba o spray nasal (uso 120 doses, dá pra 2 meses, 1 jato em cada narina), fico semanas e até meses sem comprar de novo e a rinite ainda assim demora a voltar.

      Além disso faço lavagem das narinas com soro fisiológico: usando a própria embalagem do soro faço um jato até sair pela outra narina, e o contrário, e depois puxando pela garganta e cuspindo. Nunca devolvendo pelo próprio nariz. Mas isso eu faço mais para controle de sinusite, para não acumular nenhuma secreção, pois para a rinite isso pra mim não funciona.

      Sugiro a consulta com um otorrino ou alergista e questioná-lo. Acho um sofrimento desnecessário ter rinite e depender só de antialérgicos para o controle.

      Fui num otorrino que mencionou que quase todo mundo tem desvio de septo e que, se não for muito grave nem traz incômodos, é melhor não mexer. Mas consulte um especialista.

    5. Como já disseram aqui, tem alguns remédios que ajudam com a rinite, como o Nasonex e o Noex, mas procure um otorrino antes.

      Também fiz um tratamento que consistia em pingar umas gotinhas embaixo da língua, funciona como uma vacina. É feita uma investigação de quais alergias você tem e aí o laboratório faz o preparo adequado para o seu caso. É um tratamento de longo prazo, tomei por 1 ano e meio, me ajudou bastante. Minha companheira também fez mas para picadas de insetos, ela tinha aquelas alergias que formavam feridas, também melhorou muito. Acho que pra esse tipo de tratamento é mais recomendado um alergista.

  16. Uma coisa engraçada neste pós pandemia (?) é o como as pessoas de alguma forma se acostumaram ao tira e põe das máscaras. Como a obrigação é em ambientes de saude (hospitalar / farmácias) e transporte público, no final o pessoal deixa a máscara de forma a ser facil pegar e usar.

    A propósito, não tirei a minha ainda.

    1. Quando preciso sair, ainda uso. Com tanta coisa que foi feito de errado na gestão da pandemia, eu ainda duvido que a mesma tenha de fato acabado (como falaram agora no domingo, mas aí já são outros motivos por trás…)

      A minha mãe foi sair de ônibus esses dias, ela era a única que estava de máscara. Os outros não estavam nem aí.

    2. Mesmo com a liberação em locais públicos aqui em BH, ainda mantenho o hábito de usar máscara em locais de uso comum, como no condomínio em que moro, ao andar na rua, durante o exercício tanto na pista de corrida quanto na academia. Hoje sou visto como o alienígena paranóico nas ruas.

      Entre meu grupo de amigos gostamos de dizer os poucos que ainda usam são a resistência, pois há até uma divisão ideológica / política entre as pessoas que usavam e as que adotavam por obrigação sanitária;aria.

    3. Segunda-feira peguei um ônibus, 8 horas de viagem, geral sem máscara. Aterrorizante. Eu segui firme e forte com a minha PFF2 no rosto e só a tirei na parada para banheiro e alimentação, fora do ônibus e afastado de outros seres humanos.

      1. Sim, as vezes que fiz viagens de ônibus similares também passei por isso, mas até que dependendo do ônibus, não são todos que tiram. Fica em torno de 20% até 40%. É KN-95 (não tem PFF-2 por aqui, e quando tem fica apertado demais) e simbora. Provavelmente junho passarei por isso de novo.

        Tiro mais na hora do almoço mesmo. Mesmo sozinho acabo ficando com a máscara – misto de comodismo, preguiça e costume.

    4. Talvez eu seja paranoico, mas considerando que muitas das medidas que visavam conter a pandemia foram impopulares e ainda que 2022 é ano eleitoral, sempre me pergunto se esse relaxamento nas medidas de segurança está bem respaldado na ciência ou se é apenas mais uma medida eleitoreira (e irresponsável). Ainda mais agora que estamos vendo as temperaturas caírem em algumas regiões do país e nos preparamos para o período mais seco, onde doenças respiratórias são mais comuns.

      1. Acredito que haja um pouco de ambos fatores: científico no sentido da análise de progressão de casos e mortes apontar uma super baixa – a menor desde as primeiras semanas de pandemia e também como uma jogada política para apostar na normalidade, tanto que várias prefeituras deixaram de reportar os dados diários de COVID e inclusive dispensaram os comitês de enfrentamento.

        1. No fundo, boa parte dos políticos brasileiros ficaram pê por causa da pandemia. Muitos se sentiram perdidos – ainda mais pois já vinham com problemas por causa de escolhas feitas um ano atrás do inicio da pandemia.

          Quando houve as eleições, de fato houve uma “redução de cuidados” ao invés de aumentos. Sinceramente acho que 2020 foi também um ano que contribuíu para a disseminação, devido as eleições municipais – só que político nenhum vai admitir isso publicamente.

          Espero que de fato estejamos em uma “espiral descendente” – ou seja, que possa até haver a doença circulando, mas fraca e sem causar mortes. Só que sei lá, não sei nem mais em quem confiar. Apenas vejo as notícias e vou usando a máscara aqui.

    5. Uma constatação que fiz após o fim da exigência de máscaras: as pessoas não usavam máscaras deixando o nariz de fora como forma de burlar a regra. elas fazem isso, talvez, por desleixo ou por achar que estão protegidas. Aqui onde moro, depois da liberação, a maioria das pessoas continuam usando em locais fechados, mas é comum encontrar quem use incorretamente, cobrindo apenas a boca.

      1. Pelo que entendi ao conversar com uma ou outra, noto que as pessoas sempre alegam que “é difícil respirar com a máscara”, então por isso o desleixo.

        O que acontece? Ainda se usa muita máscara de tecido por aí por costume ou para evitar gastos (máscaras “cirúrgicas” abaixaram bem os preços agora com a redução de regras, só que ainda não se acha no popular os PFF-2 ou KN-95 com qualidade).

        Faltou tanto um pouco de empenho dos governos – máscara é barata e poderia ser distribuída de graça em muitos lugares; e faltou também bom senso de lideranças e celebridades: não se educou bem as pessoas para entenderem o porque das restrições e achar formas de compensar tais restrições sociais.

      2. pra mim é uma questão de Design de Produto, desde 2020 tô batendo nessa tecla ai, mas não colou em nenhum lugar :'(

        1. Sim, máscaras deveriam ter um design correto e “óbvio”, que ao mesmo tempo que isola a área de respiração, não prejudique ou encoste em boca ou ponta do nariz de forma a incomodar.

          Só que é aquela coisa: tudo ocorreu de uma pressa incrível. E depois ninguém quis mais mexer em nada.

          Noto que geralmente as PFF-2 ou similares tem melhor design, pois dão esta distância da boca e isolamento do rosto. Mas são poucas que são feitas assim. As KN-95 e máscaras baratas que se dizem PFF-2 na verdade tem forma de “filtro de café” (lembrando as matérias do começo da pandemia que falaram que a “Melitta ia transformar a fábrica de filtros de café em fábrica de máscaras” ou algo assim). São confortáveis até certo ponto, mas as vezes encosta na boca ou é desconfortável por ser pequeno ou mal moldado.

          1. eu tenho usado máscara cirurgica na maioria dos lugares agora (pff2 só nos mais fechados e aglomerados) e mesmo nesse caso tem problemas de design.
            eu comprei uma caixa ótima, q era super confortável, e mesmo sendo da cirurgica vedava bem nas bochechas, msm deixando um espaço bom na frente da boca, q não atrapalhava falar.
            qdo esse caixa acabou, não achei no mesmo vendedor do ML o msm produto, e comprei outra máscara cirurgica qualquer, achando q era tudo igual. era horrível. agora eu entendo as pessoas com a máscara caindo, ou incomodadas.
            fui atrás de comprar da mesma máscara de antes, e até achei positivo q a marca boa é fabricação brasileira, e a ruim é importada da china. mas enfim, não é td mundo q pode ter acabado de comprar uma caixa de 50 mascaras e comprar outra pq não gostou.

      3. o mais estranho q eu tenho visto por aqui é, em um restaurante q frequento para buscar marmita, uma cliente q até hoje usa aquelas máscaras de acrílico (tipo isso https://www.plural.jor.br/wp-content/uploads/2020/08/mascara.jpg).
        Antes eu achava q quem usava essa máscara queria poder não usar máscara, mas achou uma solução q ajudava ela não ser questionada. Mas agora vendo, mesmo dps da liberação, alguém q usa, fico me pensando q ela realmente acha q protege. E nem é gente simples, é uma pessoa claramente de classe média alta e tal.

        1. Posso estar errada, mas acredito que essa escolha tenha a ver com comunicação com pessoas surdas ou com deficiência auditiva. Muitas pessoas fazem uso de leitura labial em situações cotidianas ou precisam estar mais atentas a expressões faciais na comunicação e aí a máscara acaba dificultando mais ainda a vida dessas pessoas. Não sei se é esse o caso desse indivíduo.

        2. Eu sempre pensei que a opção da máscara de acrílico seria interessante se fosse algo com filtro e tudo mais. Muitas vezes acaba sendo apenas o “shield”, aquela que ou pega toda a face ou só a boca (sim, já vi destes).

          De fato, para o público surdo é interessante, só que seria mais interessante se tivéssemos algo que incentivasse nós (até eu, não vou negar) a aprender Libras. Talvez isso ajudaria bastante.

    6. O que está incomodando de verdade agora que estou saindo mais em público e com a revogação da obrigatoriedade das máscaras é que gente que nem me conhece se sente no direito de falar que é pra eu parar de usar (?) como se tivesse me fazendo um favor ainda por cima, me livrando de um fardo. Não sei se é um jeito da pessoa se sentir melhor consigo mesma ou se acham que eu tenho cara de influenciável.

      1. Uma vez que visitei uma tia minha, escutei “falando pelas minhas costas” que “eu era louco de ficar usando máscara” – isso creio que já faz um ano.

        Não a julgo, mas tipo, minha tia tem seus problemas de saúde. Prefiro ser xingado do que passar alguma doença para ela – por mais que ela esteja vacinada, não dá para vacilar.

    7. É notório que quem comenta aqui no Manual, normalmente tem um cuidado preventivo maior em relação a muitos temas. Por exemplo, usam VPN, bloqueadores de rastreamento, raspberry pi com bloqueador, escolhem bem os aplicativos que são menos invasivos, etc.

      A população em geral, infelizmente não tem todo esse cuidado preventivo, fazem o que é mais prático, o que é mais cômodo. Se você reparar nos banheiros públicos, banheiros de restaurantes, etc, muita gente sai de lá sem lavar as mãos, imagina se vão usar as máscaras.

      Capacete e cinto de segurança já existiam antes de se tornarem obrigatórios, mas foi preciso que se criassem leis para que sejam utilizados por todos.

      1. A população em geral, infelizmente não tem todo esse cuidado preventivo(…)

        Olha, eu queria ter mais paciência para estudar ciências sociais para justamente pensar em como ver este campo de ação. Porquê em países orientais como China e Japão, há cuidados maiores.

    8. Me sinto nu se estou em público sem máscara. :D No ônibus nunca mais deixarei de usar!

    9. Aqui onde moro já foi liberado ficar sem máscaras até em locais fechados. Não uso mais em quase lugar nenhum, até nos ônibus percebo que a galera começou a não usar também, embora sempre tenham as pessoas que continuem usando.

    10. Você tem tanto o componente político-ideológico (como se o vírus estivesse muito preocupado com ideologias…), quanto o componente de políticas públicas. Em São Paulo você encontra preservativos em UBSs, postos, no metrô (ao menos em campanhas na época do Carnaval) etc.; por que não distribuíram máscaras de qualidade para a população? E a iniciativa privada, que tinha tanta pressa na reabertura, por que não distribuíram máscaras de qualidade para seus funcionários e consumidores? Por que o poder público não fiscalizou fortemente o não uso de máscaras enquanto a lei estava em vigor? Por quantas blitzes vocês já não passaram para fiscalizar motoristas alcoolizados? E blitz de uso de máscara, alguém ouviu falar? Outro dia fui numa farmácia, dos poucos locais onde ainda é obrigatório o uso de máscara (transporte público e ambientes de saúde), tinha um cliente sem, e um funcionário disse que o patrão tinha orientado a não cobrar o uso pelos clientes. Então você pode escolher qual lei seguir, agora? Sempre penso no esforço de profissionais de saúde e dos que criaram as vacinas, comparado ao esforço de usar uma máscara (que, sim, é chato, ninguém curte), e acho vergonhoso alguém não ter aderido.

      1. Salvo engano no Brasil, uma das poucas cidades que foram “exemplo” (no sentido de seguir a risca as condições sanitárias) era Araraquara. Eu teria que revisar matérias da época (já fazem dois anos, né?) sobre a situação.

        Me lembro que poucas cidades adotaram esquema de distribuição de máscaras ou uma fiscalização mais severa em relação a pandemia. Boa parte teoricamente tinham fiscalizações, mas geralmente isso virou mais “balela” desde o fim das eleições (lembrando que a pandemia coincidiu com as eleições 2020).

        O ponto sobre seguir leis recairia em questões psicossociais que não domino, mas entendo que poderia ter textos fáceis e populares para a gente entender o porque destes desvios de conduta. Ainda mais em países ocidentais.

    11. Sigo usando minhas máscaras em lugares fechados ou quando não tenho distanciamento. Em supermercado, uso a PFF2. Meu filho tem 11 anos e, por opção própria, segue usando a máscara. Muitas crianças e adultos estão com sintomas de gripe e só consigo relacionar com o fim da exigência do uso das mascaras. 3 semanas, em média, e olha como estamos.

  17. eu já testei dezenas de apps de produtividade, organizador de tarefas mas nunca gostei/me adaptei a nenhum, já usei dos mais famosos a vários desconhecidos, mas depois da dica da Vivian e postado pelo Ghedin eu tenho adorado e usado bastante o Taskito, a função de timeline é sensacional, pois eu consigo sentir que tenho tempo para as coisas, diferente dos outros que as tarefas estão praticamente uma em cima da outra.

    muito obrigado!

  18. Graças a várias indicações da galera, resolvi aderir ao Protonmail. a princípio a ideia e associar o endereço a serviços públicos (acesso.gov, apple.id, bancos e afins) e tocar a vida com minha conta jurássica do Google.

    Vi que eles oferecem também um serviço de VPN gratuita. Alguém usa e recomenda? Ou caso não recomende, qual seria o motivo?

    1. A VPN gratuita deles é bem básica. Oferece um nível legal de privacidade e anonimato e serve bem pra assistir um ou outro vídeo com restrição de localidade. Mas por ser gratuita tem uma velocidade bem lerdinha. Mas é de graça! Pra uso diário, não recomendo. Mas pra usos casuais, serve muito bem!

    2. Você vai fragmentar seu e-mail em dois endereços? Eu teria alguma dificuldade com isso, ainda mais em se tratando do Protonmail, que exige o uso do cliente próprio para que a criptografia de ponta a ponta funcione (e apenas em mensagens trocadas entre contas do Protonmail).

      A VPN deles é boa. Uso a versão gratuita vez ou outra e tem boa velocidade para algo de graça e, até onde sei, seguro e privado.

      1. Hum… bom ponto. Não havia me atentado que a criptografia era apenas entre contas do serviço. Não diria fragmentar, mas vou tentar redirecionar serviços mais propensos a vazamentos para uma conta mais segura ou menos visada. Faz sentido rsrsrs?

        1. Não sei. Quando um serviço X vaza dados, faz pouca diferença se o seu e-mail é do Gmail ou do Protonmail. Não? De que maneira você imagina que essa divisão ajudaria num cenário de vazamento?

          O que pode ajudar é ter aliases específicas, como muito já se falou aqui no post livre — criar um e-mail para cada serviço, tipo netflix@manualdousuario.net, de modo que você possa cancelar esse endereço sem comprometer o seu principal —, coisa que não sei se o Protonmail oferece.

  19. tem bastante gente no canal do manual no telegram, visualizando e interagindo com emojis. já foi cogitada a possibilidade de abrir os comentários nos posts para o pessoal comentar lá?

    1. Já sim, mas não pretendo fazer isso. Fragmentaria os comentários que hoje estão concentrados no site.

      O Manual sempre prioriza suas próprias plataformas — site, newsletter — e usa as dos outros de forma complementar, para promover as próprias e alcançar novos públicos. O Telegram cumpre esse papel.

      1. Concordo e apoio totalmente essa política. Quem não faz isso está doando seu trabalho para sustentar plataformas de umas poucas empresas.

  20. E o preço do Sonic Origins, hein? R$210,00 o jogo base. Sim, porque agora nenhum jogo vem inteiro no lançamento, né? Tem que ter as DLCs. O jogo completo sai mais de R$230,00;

    Jogos requentados, com preço de jogo, e tapado de DLC… Onde foi que eu já vi isso…? Ah, sim! Parece que a Sega aprendeu com a Nintendo e a Konami. E a Capcom.

      1. Vou esperar por esse dia. E se não chegar, tiro a poeira do meu Mega e jogo só o Sonic 1 e 2 que são os que eu tenho.

        1. Você pode comprar um everdrive na AliExpress, por as ROMs num cartão micro SD e ser feliz. Eu fiz isso com o meu Atari 2600 (sim, tem um “everdrive” pra ele, o Harmony) e vendi todos os cartuchos originais que eu tinha. Praticamente paguei o cartucho Harmony. Agora é só alegria com River Raid e quebrar controles com o Decathlon!

          1. Essa é uma boa dica! Eu queria comprar aquele Everdrive que consegue rodar jogos de Sega CD, porque aí era menos uma coisa pra eu comprar, mas ele tá relativamente caro e acho que não tem versão AliExpress. Mas realmente, vale a pena. Obrigado pela dica!

            P.S.: fiquei surpreso de saber que tem Everdrive pra Atari… Aproveite bem! O Atari é um videogame muito especial.

    1. Deve ser feito pelo Withehead, o mesmo mestre por trás do Sonic Mania.

      Esses jogos trabalham no hype, logo mais tá 39,90 como preço base, e em promoção por 19,90.

      1. Você está certo e provavelmente é isso que vai acontecer mesmo. Mas não sei se vai ser esse o preço. Tem jogos muito antigos que até hoje são vendidos a preços bem altos. Quando a empresa não quer dar o braço a torcer, não tem quem o faça mudar de ideia.

    2. Essa “novidade” vem acompanhada do recente aumento dos preços de todos os jogos da Sega no geral na Steam.

      Me parece que o sucesso dos filmes do Sonic subiu à cabeça da Sega e eles querem aproveitar esse hype a todo custo pra lucrar mais uns trocados.

      1. Esse aumento repentino foi paia. A Sega tá começando a agir como a Nintendo, e isso me magoa. Ainda bem que os jogos que eu gosto eu já tenho de outros carnavais, tipo o Sonic Mania e Bayonetta. Até hoje lamento não conseguir pegar o Shenmue grátis na Epic. Acho que o site não aguentou o tanto de gente tentando pegar o game.

        1. Quando o jogo da vez for dos grandes, deixe um lembrete pra pegar no final da tarde ou de madrugada, quando os servidores já tiverem esfriado. Se conseguir de primeira já pode jogar na loteria.

          Sobre o aumento dos preços, parece que as empresas japonesas estão com sangue nos olhos. A Square Enix mesmo foi uma das primeiras a aumentar os preços dos jogos.

          Acho que nem a trilha original do Sonic3K justificaria esse preço do Origins, e duvido muito que tenham conseguido resolver a questão das licenças. Como já tenho quase todos os títulos do Sonic disponíveis pra PC (falta “só” o Team Sonic Racing e o Colors), vou pular o Origins por enquanto e juntar uma grana pro Frontiers. Até lá os mods dão conta do recado. Será que já tem algum pra jogar o Sonic CD com o Knuckles?

  21. Estamos perto de lançar um “beta” do novo formato do post livre. Diga aí: do que você sente falta nesse formato atual, ou o que gostaria que o post livre tivesse/fosse diferente/melhorasse?

    1. Eu sou novato no Post Livre, mas notei que a dinâmica de publicação é bastante orgânica e há um certo engajamento nos assuntos. Quando a coisa flui naturalmente é difícil pensar em melhorias. A única coisa que me veio à cabeça é de oferecer temas para debate, porém, como disse acima, é algo que acaba acontecendo naturalmente nas treads.

    2. eu sinto falta de mais cascatas para resposta, pq às vezes a discussão alonga e o pessoal começa a usar o “@ghedin vou responder aqui pq não dá pra responder direto”;

      filtrar por últimos comentários, muitas vezes eu estou interessado numa discussão mas não comento, aí quando abro o PL tenho que descer, passar por todos os comentários que já tinha visto até chegar nos novos;

      não sei se é bug, mas na segunda quando vou ver os comentários depois que fechou e um assunto não me interessa o botão “[-]” que fica do lado do nome pra ocultar o comentário só oculta o da própria pessoa, não as respostas, mas funciona normalmente quando o post está aberto;

      dar um tempo pra pessoa editar/excluir o comentário, poderia colocar 60 segundos pra pessoa editar/excluir, pois vira e mexe vejo comentário duplicado, feito direto no post em vez de uma resposta ou até mesmo a pessoa se respondendo para corrigir algum erro, então dar uma função para editar/excluir seria interessante.

    3. Não sei como, mas algo que percebo bastante são comentários repetidos em diferentes post livres, tipo: indicação de teclado mecânico, indicação de smartphone até 2k reais, indicação de serviço de email, indicação de cadeira, etc… se houver alguma forma de “conectar” as diferentes respostas de temas iguais, ajudaria quem não entra com tanta frequência ou não consegue acompanhar todas as respostas.

    4. Podia ter a capacidade de enviar imagens. Porque de vez em quando não basta se expressar só em texto. Tem que ver pra acreditar (ou não).

      Pra ficar legal, poderia colocar os likes ou a caixinha de comentários do Facebook. #hehehe

      (Tirando a piadinha, a primeira sugestão seria ótima)

    5. O que eu mais sinto falta é de um jeito mais fácil de visualizar novas respostas. Quando o número de mensagens vai crescendo, fica cansativo achar as novas mensagens.

    6. acho que a principal virtude é mesmo ser efêmero: a gente sabe que a conversa não deve durar mais do que dois ou três dias e não precisa se preocupar em tentar esgotar os assuntos

      é muito bom não ser uma versão local do reddit ou de discussões infindáveis no twitter: a grande qualidade é poder passar os olhos por assuntos diversos, sem o compromisso de aprofundá-los — já que segunda-feira a coisa toda é interrompida

      a única coisa que sinto falta é a possibilidade de postar imagens, mas também entendo que talvez não seja mesmo essa a proposta

    7. O aclamado filtro por data seria legal.

      Mais possibilidade de respostas tbm (pra ficar organizado, as vezes fica solto não na mesma cascata)

      Linkar os assuntos ou uma forma mais fácil de baixar nos posts livres anteriores seria bom.

    8. Sem dúvida uma maneira mais fácil de localizar os tópicos/comentários. Muitas excelentes dicas de produtos e serviços são passadas mas se não for atrás na hora, esqueça q não vai encontrar mais. Tenho tirado print das sugestões e salvado no notion, em uma listinha de possíveis compras… pode ser só FOMO da minha parte tbm

    9. Bom dia. Tenho acompanhado o post livre há alguns meses apenas como leitor. Tanto que essa é minha primeira resposta por aqui. O que ocorre comigo (que leio pelo celular) são vários cliques acidentais no campo de comentário. Talvez reposicionar o botão de responder seria uma boa.

      1. Esse é um problema bem chatinho mesmo, mas infelizmente do próprio WordPress. O bug está cadastrado há anos no sistema deles, mas segue ignorado. Prioridades…

    10. Sou novo aqui, mas acho que a possibilidade de seguir uma discussão poderia ser interessante. Às vezes alguma outra pessoa já citou um ponto que eu citaria, então não sinto a necessidade de interagir, mas gostaria de acompanhar a discussão.

    11. Talvez uma forma de colocar um links no topo da página, com os tópicos mais comentados. Quanto um assunto atinge um mínimo de comentários pra receber o destaque, surge um link pra acompanhar ele através do primeiro comentário.

  22. todo mundo comemorando tiradentes e a gente aqui comemorando o aniversário de Brasília :D

    1. os 60 anos dois anos atrás passaram meio batidos por conta da pandemia, né?

      1. Não seria também porque o próprio DF meio que está “mal visto” dado não só ser a sede do poder nacional, mas também toda a confusão que tem vindo de lá ultimamente?

        1. O DF sempre foi mal visto, apesar de só colaborarmos com uma parte infima dos políticos que o Brasil inteiro manda pra cá.

    2. teve o 60tão da unb tb
      não comemorei nem versão instagram, mas agradeci o feriado

  23. que susto! achei por um momento que a semana já tinha acabado!

    mas tem feriado amanhã…

    1. idem aqui!

      abri o calendário pra confirmar que hoje é quarta, hahah

    2. na prática brasileira, de fato a semana acabou. pois “feriadão”.

      Mas entendo aqui. Melhor coisa agora é tirar os próximos dias de folga…

Os comentários deste post foram fechados.

Compre dos parceiros do Manual:

Manual do Usuário