Post livre #28

Antes de começar a ler, recomendo dar o play:

Agora sim!

O post livre você já conhece, é onde o bate-papo do fim de semana acontece.

Puxe uma cadeira, sinta-se à vontade, tire suas dúvidas, conte uma novidade.

Tem dúvidas? Está com algum problema? Estamos todos aqui, não tema!

(Como podem notar, estou ficando sem ideias para a chamada do Post livre. Perdoem-me por esse… isso… bem, essa coisa.)

201 comentários

  1. Não sei se é impressão minha, mas o movimento aqui no Post Livre é meio “padronizado”. :) se for por minha culpa, aproveito para tirar umas férias dos comentários ;)

    Quem está com o domingo meio paradão, convido para assistir no Crackle (o canal de streaming da Sony) o “Comedians in Cars Getting Coffee” (Comediantes em Carros Tomando Café), o programa do Seinfield onde ele entrevista pessoas de uma forma diferente, passeando de carro e indo em lanchonetes, cafeterias e lugares para comer e tomar um café. Ae Ghedin, se um dia pensar em um talk show, eis um formato diferente ;)

    Acabei de assistir um episódio bacana com um comediante sul-africano, Trevor Noah, que conta um pouco da história do apartheid (ele viveu a época) e também de como é ser um comediante “de cor” =)

    Link aqui: http://www.crackle.com.br/comediantes-em-carros-tomando-café/2495534

    1. Oi Vagner, você usa bastante esse Crackle? tem como falar um pouco da qualidade dele? ja vi uma galera falando que da altas travadas (ok, é um serviço de graça então não espero muito), mas queria saber um pouco da experiência de quem usa.

      1. Não muito, pois não tem filmes e series que eu goste (pelo que noto, é mais filmes ou que são bem antigos e já se pagaram, ou filmes B).

        Travada, bem, eu costumo sempre configurar o vídeo em SD, e o Crackle mudou o sistema de vídeo deles atualmente (isso devido ao bloqueio de plugins no WebKit / Chorminium). Assisti hoje e até que foi bem. Tirando a fonte da legenda que é esquisita, assisti bem. Não dá para exigir muito também.

        Por ser gratuito, tem propagandas.

        Vale dar uma olhada no catálogo, as vezes acha alguma coisa interessante. ;)

      2. Consigo usar sem problemas ou travadas no X360, tablet Android e PC.

        Por sinal, indico a série Hellfjord: Um Inferno Congelado. É uma ótima série de comédia com humor negro.

        O único problema do Crackle são as propagandas no meio dos episódios/filmes.

    1. Acho interessante essa ideia do playlist maker ganhar atenção similar ao próprio artista em si. Um serviço poderá se diferenciar do outro pela exclusividade de playlist maker. E acredito que os próprios artistas se aventurarão como playlist makers, na onda de Trent Raznor.

      E seria curioso um modelo de negócios onde o playlist maker anônimo recebesse lucro a medida que suas playlists tem followers e são ouvidas.

      No spotify já tenho um número de playlists que escuto que são de pessoas aleatórias da internet. Outra parte, são as mood playlists. Para mim, já se tornou mais interessante do que ouvir um album.

      1. realmente faz todo sentido remunerar, pq, querendo ou não, dá um baita trabalho fazer alguns desses arranjos… mas eu não vejo muita graça em playlists, pq prefiro ou vir o álbum todo. acho q uma playlist faz sentido num filme, qdo há ali várias músicas escolhidas inseridas numa história… há os tradicionais playlists por décadas e tal… mas, sei lá… se for alguém q saca muito de música e consegue entrelaçar as músicas pra dar um sentido mais amplo a elas, ok… do contrário, parece mais uma aglomeração q refletem um gosto específico – q devem ser a maioria das playlists…

      2. realmente faz todo sentido remunerar, pq, querendo ou não, dá um baita trabalho fazer alguns desses arranjos… mas eu não vejo muita graça em playlists, pq prefiro ou vir o álbum todo. acho q uma playlist faz sentido num filme, qdo há ali várias músicas escolhidas inseridas numa história… há os tradicionais playlists por décadas e tal… mas, sei lá… se for alguém q saca muito de música e consegue entrelaçar as músicas pra dar um sentido mais amplo a elas, ok… do contrário, parece mais uma aglomeração q refletem um gosto específico – q devem ser a maioria das playlists…

    2. Vocês utilizam playlists?

      Mantenho sempre minhas músicas organizadas por álbuns, com isso nunca ouço playlists.

      Não tenho nada contra playlists, mas gosto muito de ouvir álbuns completos para tentar entender a visão do artista sobre a organização das faixas.

      1. cara, tb prefiro ouvir o álbum e fujo das playlists. qdo estou fazendo algo chato e entediante como treino de musculação na academia tentei ouvir um playlist específico pra isso “metal para academia” ou algo assim e não rolou… preferi ouvir um álbum do ‘sepultura’ completo e já era.

        mas, pelo visto, muita gente gosta de arranjos combinando músicas…

      2. Eu uso. Ouço muito álbum inteiro, mas monto playlists com músicas que gosto, temáticas e descobertas. As do Spotify são legais para uma festa ou encontro de amigos — acha o tema, deixa rolando. E as novas algorítmicas (“Descobertas da semana” e “Find them Next”) são sensacionais para descobrir músicas e artistas novos.

      3. Eu não faço playlists, alias, eu acho que não sei faze-las, alguém mais sofre desse problema?? pois como eu ouço cd’s completos, eu gosto de TANTAS musicas do cd que ao fazer playlists eu acabo querendo botar tudo dos cds nelas, dai ja viu, ficam imensas…

        No spotify eu adoro seguir playlists dos artistas que eu sigo etc, é bem interessante. Outra coisa legal do spotify são as playlists: “Descobertas da Semana” (que sempre põe muita coisa boa segundo o que você ouve la), e a “Novidades da Semana”, que serve pra eu ficar ligado em tudo de novo que saiu por la e que eu possa gostar/goste.

    3. Não li direito, admito. Mas pelo que vejo, “playlist maker” é nada mais que um radialista. Tipo, é que nem escutar a Antena 1: tu escuta o que o radialista manda.

  2. Ei galerinha do MdU, eu estou montando um negócio com um amigo e nós estamos fazendo uma pesquisa de mercado. Vocês poderiam respondê-la ? Dura menos de 5 minutinhos ;)

    Link do formulário: http://goo.gl/forms/oWZEDQxoC2

    Agradecido :D

  3. Trazendo o post que fiz no grupo para cá sobre o evento da Apple:

    iPad Pro: eu achei uma jogada muito interessante da Apple, talvez não se torne um produto de uso geral e fique apenas no nicho de design ou flop por completo, mas acho que pode ser bem estratégico para fazer do iPad a promessa de computador simplificado.

    O iPad já hoje tem potencial para ser uma ferramenta de produtividade, vide blogueiros que usam os editores minimalistas e os milhares de acessórios, mas isso sempre ficou apenas entre os mais inteirados. Apesar de não ser muito completo, já existe um eco-sistema “esperando” esse hardware como esse app para editar LaTeX que faz muito mais sentido hoje do que ontem: https://www.texpadapp.com

    Eu não vejo vantagens muito práticas para mim nesse iPad, muito menos pelo preço, mas lembrando do post traduzido no MdU: as pessoas parecem gostar mais de usar esses dispositivos e, apesar de hoje estarmos acostumado, acho inegável a maior atratividade e acessibilidade do iPad em comparação a um notebook…mas que pecava na hora do “vamos ver”.

    Se os desenvolvedores comprarem o desafio, como sempre fazem com a Apple e agora ainda com o exemplo da Microsoft (!) trazendo o Office…vejo um grande potencial apesar de imaginar um desprezo dos geeks porque não é um “computador de verdade”. Não é uma história nova né?

    Por fim, é interessante que a Apple parece usar uma estratégia Google de sobreposição com essa parte mais acessível de produtos: o MacBook e o iPad Pro se aproximaram demais, um consumidor não deve comprar os dois…mas Apple deve esperar para ver no que dá esses dois produtos.

    Apple TV: vai fazer o tradicional movimento de simplesmente deixar acessível várias coisas que já existem, mas não na caixinha branca e reluzente da Apple. Acho que dará muito certo, principalmente pelo SDK.

    Bônus: se você realmente acha que a canetinha era algo que Jobs odiaria, apenas não. Talvez odiaria por N motivos, mas nada a ver com os motivos do iPhone em 2007.

    1. Acho o iPad Pro algo meio torto. Concordo com isso daqui:

      The iPad Pro is a device that is begging for great third-party software from both large companies like Adobe and Apple, as well as the smaller guys like Gus at Flying Meat. A larger screen, keyboard case, and a Pencil aren’t going to solve those problems. You can’t have a Pro tablet without pro apps to go with it. There are a few great iPad apps out there, but most of them feel like minimum viable products at best.

      [EDIT]
      E concordo mais ainda com tudo: http://ignorethecode.net/blog/2015/08/14/ipad_consumption_device/

      1. Eu tenho certeza que não será uma ferramenta produtiva como um bom desktop para os que sabem usar, minha dúvida é em relação ao público médio mesmo e a disposição dos desenvolvedores com o device

        Não sei se, por exemplo, se um executivo ou estudante de humanas se sentiria mais confortável com um dispositivo com um modo de funcionamento mais similar a smartphones. Para mim, pelo menos, é claro que as pessoas “comuns” parecem se sentir muito mais confortáveis com smartphones/tablets do que com notebook e similares mesmo eu não entendo o porquê.

        Enfim, meu julgamento é mais uma precaução com esse discurso da limitação como foco que foi um erro cometido com vários iDispositivos da Apple. A usabilidade sempre teve um papel preponderante que os geeks não tem muito como analisar.

        O Surface Pro, por exemplo, não me parece um melhor híbrido simplesmente porque apesar de ser poderoso e flexível não conseguiu ser melhor de usar que um bom ultrabook. Além disso, também não é um bom tablet.

    2. Não prendendo o foco no novo ipad, mas sobre o evento como um todo, achei as novidades bem fraquinhas. E olha que foram muitas…
      A principal novidade do appletv já tem na minha TV (uma lg com webos) faz tempo. Aliás, com um controle muito melhor.
      Ipad pro? Ainda sou mais os surfaces, ainda mais se for tratar do tema produtividade.
      IPhone com detector de pressão na tela? Novas pulseiras para o relógio? Poxa… Só a Apple para vender tudo isso como mágico e fantástico…

  4. Galera pergunta da categoria #casa: reformei meu quarto a pouco tempo e agora a cama é encostada na parede, o resultado disso é a parede suja (ainda mais porque ela é branca), então, alguém tem uma dica do que fazer? pensei em botar algo de madeira na parede, no caso em toda lateral desse lado da cama, não sei como explicar direito, enfim, ou então pintar a parede de uma cor escura – preto -, me ajudem ai se der, abraço.

      1. pior que não, pois a mesa do computador é do lado da cama, ai para mesa não bloquear a porta a cama tem que ficar encostada, fica tudo milimetricamente certinho assim, dai só to procurando alternativas.

        1. Talvez um pedaço de madeira na altura em que a cama bate? É algo que costumo ver por aí para evitar marcas de cadeiras nas paredes…

          1. É bem isso mesmo que eu to pensando em fazer, veremos, obrigado!.

    1. Tenta ver todos os lados. A parede é branca, e sujou por causa da cama encostada ou porque tudo agora encosta na parede (até você)? Qual é a cor da estrutura da cama?

      Se é por causa de “tudo estar encostado”, o interessante é realmente colocar algo entre a parede e a cama para servir como divisão. O único mal é que isso resultaria em bastante sujeira entre esta divisão e o muro com o tempo.

  5. Alguém é apreciador de jazz por aqui? Tem algumas recomendações?

    Eu comecei a deixar de background durante meu dia-a-dia, mais para não ouvir os outros no meu trabalho barulhento do que realmente para escutar já que sem vocais elas são boas para não distrair e me isolar do mundo externo.

    Como todo bom leigo, meio que parece tudo igual no começo, mas tem algumas que me chamaram a atenção como o disco “A Love Supreme” do Coltrane que é muito intensa por assim dizer: https://www.youtube.com/watch?v=_qt435yF2Qg

    Gostaria de algo similar, seja lá o que isso significa nesse caso hahaha

    1. Opa! Eu gosto muito de Jazz! Procura por Chet Baker (trompete), Hubert Laws (flauta), Abraham Laboriel (contra-baixo), Kirk Whalum (saxofone). E tem um disco, Kind of Blues em que Miles Davis (uma lenda do Jazz) reúne um Dream Team de músicos no que é considerado um dos melhores álbuns de jazz da história.

      1. O Kind Of Blue é muito bom, dessa lista só conhecia o Chet Baker mas não curti tanto, vou ouvir mais um pouco.Valeu pelas dicas!

        1. O que me incomoda em algumas músicas, e é questão de gosto pessoal, é que prefiro o Jazz só instrumental. Não gosto muito das músicas que têm vocais. O Chet tem músicas dos dois jeitos.

        1. Eu comecei por esse, gostei bastante mas acho que fusion jazz não é muito minha praia, estranho porque meu interesse surgiu a partir do rock: eu curto as longas improvisações do Cream nas versões ao vivo e, apesar de isso ser comum nas bandas da época, acho que Jack Bruce e Ginger Baker deixavam bem mais ricas essas improvisações que os “concorrentes”.

          Aliás, tem um disco do Jack Bruce com John McLaughin lançado anos depois que é muito bom também: Things We Like.

    2. Vou propor uma sugestão que não tem nada a ver com jazz, mas que para o seu propósito (isolar do mundo externo mas também não se deixar distrair pelos vocais) pode ajudar: ouça o álbum The Mix-Up do Beastie Boys.

    3. cara, ouço jazz há muitos anos… desde qdo tinha, sei lá, uns 20… ouvia muita coisa pelo rádio, gastei os tubos com cd’s, como esse do coltrane, e, depois, pela internet, a coisa ficou mais fácil. agora com rdio, então, tenho acesso a coisas q eram bem difíceis. bem, vc pode fazer um passeio pelos estilos, q avançaram com o tempo. o q mais tem me agradado agora é o free-jazz. recomendo christian scooty pra vc se enturmar com algo mais moderno (ele ainda está vivo) e recomendo fortemente, qdo vc puder, ver apresentações ao vivo, q geralmente são cheias de entusiasmo e muita improvisação inédita. mas só te digo algo, Kenney G, não é jazz. jazz é mundo muito amplo e vc tem q ir descobrindo o q gosta, desde vocais e algumas apresentações solos com piano, por exemplo. usam e abusam do jazz em trilhas sonoras… homeland, por exemplo, tem uma boa abertura toda em jazz.

      1. Aproveitando o assunto, confesso-lhes uma parte ignorante do meu ser na esperança de que alguém traga a LUZ.

        Eu gosto de ouvir música clássica enquanto estou trabalhando, lendo e, às vezes, quando estou à toa, sem fazer nada mesmo. Abro o Spotify, escrevo o nome de um grande compositor (Mozart, Brahms, Bach), procuro um álbum que tenha as obras completas (nada de “best of”) e deixo rolando.

        Ok, funciona, não faz mal, mas eu me sinto terrivelmente ignorante por não saber o bê-a-bá do estilo. Várias obras são divididas em partes; por quê? Vejo termos recorrentes como “suíte”, “movimentos”, “op.” e “prelude”, sem saber do que se tratam; sei que várias dessas obras têm histórias e contextos, mas ignoro todas e me atenho apenas à sonoridade.

        Ano passado assisti a uma rápida apresentação dos dois primeiros movimentos da suíte para violoncelo nº 1, do Bach, e o músico explicou exatamente essas coisas (o que é um movimento e que aquela era uma suíte para violoncelo). É esse entendimento que faz falta. Isso posto, pergunto: existe alguma forma de me “educar” nessas terminologias e histórias sobre o tema? Algum livro ou site que possam indicar?

        1. recomendo o livro do otto maria carpeaux, ‘o livro de ouro da música clássica’, q, se não estou enganado, está ainda com a editora ediouro. eu o li há muitos anos e é realmente bem instrutivo apesar de estar nessa linha ‘linha de ouro disso e daquilo’… olha, essas suas dúvidas, ghedin, até q são fáceis de decifrar com buscas na internet mesmo, pois há muitos apaixonados por música clássica prontos pra explicar essas questões específicas. muitos dizem q esse conhecimento específico não é necessário pra apreciar a música clássica, mas conhecimento nunca é demais, claro. a rádio cultura fm tem ótimos programas bem didáticos sobre música clássica tb e vc pode ouvir no arquivo deles ou sintonizando no tunein. mas, o q me parece q faz falta mesmo, é saber ler partituras. enqto isso não se der acho q fica bem complicado apreciar a música clássica em sua completude… um colega carioca, q estudou música e q toca violão a sério, recomenda ter aulas com professores com apurada percepção musical, se não me engano.

        2. tive a sorte de poder ir muitas à sala sp, aqui no centro de sp, mas sempre pra ouvir apresentações de orquestra. recomendo fortemente, pra apreciar a música clássica, ver apresentações camerísticas, q são as de pequenos grupos de músicos, duetos, quartetos, quintetos… acredito q todos grandes compositores escreveram peças pra essas formações, então vc pode até ouvir de algum compositor preferido ou de intérprete preferido. há excelentes apresentações no youtube e pra ouvir tb. no spotfy e no rdio recomendo o selo hamonia mundi e naxos, q tem ótimas interpretações de obras completas, isto é, dando pouco ênfase ao ‘the best of’ q geralmente extrai um outro movimento de uma peça famosa e mais popular. :)

      2. tive a sorte de poder ir muitas à sala sp, aqui no centro de sp, mas sempre pra ouvir apresentações de orquestra. recomendo fortemente, pra apreciar a música clássica, ver apresentações camerísticas, q são as de pequenos grupos de músicos, duetos, quartetos, quintetos… acredito q todos grandes compositores escreveram peças pra essas formações, então vc pode até ouvir de algum compositor preferido ou de intérprete preferido. há excelentes apresentações no youtube e pra ouvir tb. no spotfy e no rdio recomendo o selo hamonia mundi e naxos, q tem ótimas interpretações de obras completas, isto é, dando pouco ênfase ao ‘the best of’ q geralmente extrai um outro movimento de uma peça famosa e mais popular.

  6. Aviso:

    há uns posts livres atrás, falei que um amigo meu importou uns componentes eletrônicos (ci e outros) abaixo da cota (50 doletas). Depois de três meses na alfândega, os componentes foram taxados, e ainda foi cobrado o sedex entre Paraná e SP. Depois vou verificar melhor com ele, mas já fica o aviso. Parece que “a casa caiu” para fãs das quinquilharias chinesas…

    1. Não é só a cota. Tem que ser envio de pessoa física para pessoa física também. Se uma PJ enviou, não interessa o valor.

      1. Hum… vou pedir para meu amigo me mostrar lá como está o remetente, aí já mato a charada. Ele comprou pelo AliBaba (que é mais PJ mesmo). DX e AliExpress, salvo engano, tentam burlar com dados de pessoa fisica.

        1. Mas que é muita sacanagem taxar abaixo de 50 doletas, isso é rs

        2. Mas que é muita sacanagem taxar abaixo de 50 doletas, isso é rs

        3. Eles fazem isso, mas não adianta muito. O pessoal da receita conhecem muito bem.. a turma é toda concursada, conhecem muito bem o que é um pacote da DX e similares.

          Tem mais isso não, qualquer coisa que passa por eles é taxada mesmo, dificil, muito dificil não ser.

          Dia desses eu comprei um chaveiro (de porta mesmo) do mario, que custava menos de 2 dólares. Depois de 2/3 meses fui taxado em mais de R$30 :)

          Bonito assim.

  7. Será que vale a pena esperar para comprar um Macbook Pro Retina com processador Skylake (provavelmente só serão atualizados em novembro ou 2016)?

    1. Se puder, acho que sempre vale para Macs já que eles costumam manter o preço de varejo constante: ou você pega o antigo mais barato ou você pega o mais novo pelo mesmo peço que pagaria no antigo.

  8. A chamada do posy livre poderia ser padrão mesmo huahuahai.

    1. geralmente isso ocorre quando o Google identifica o IP como “fonte de vírus ou spam”. Já aconteceu comigo algumas vezes também há um tempo atrás.

      Agora com o IPv4 já sem números, quero ver como isso vai ser resolvido também.

      1. Sim sim…

        Ocorre que a Claro faz uso de NAT para administrar os seus usuários. E por óbvio que o Google não sabe administrar essa condição, e aponta esses acessos com os spam/robô.

        Mas não culpo a Google. Não por isso. Rssssss

        PS: dos serviços Google faço uso somente do Google+, Youtube e Playstore. E muito eventualmente do Busca.

    1. Agora o bicho vai pegar.. usei o Premium do Spotify mas acho que não vale o preço, mas também ninguém merece os anúncios e não poder escolher a música no celular… :P

      1. Só o Discover Weekly do Spotify pra mim já vale o preço, junta isso com não ter ads e qualidade boa que tá ótimo. Hoje em dia tenho meio que vergonha de piratear música, só baixo mp3 mesmo para ouvir no carro que não curto usar o celular.

        1. Pra mim não é nem vergonha, é preguiça mesmo, por isso eu acabo não largando o Spotify.

          Ruim é quando do NADA um álbum ou partes dele são removidas do Spotify sem explicação nenhuma…

          1. Yep, mas acontece mais (nos cds que eu salvo) de eles ficarem indisponiveis no Brasil, mas em tese ainda disponiveis la nos EUA/Grã-Bretanha

    2. não conhecia o popcorn time. bem interessante. mas muitos filmes do meu interesse não estão lá :(

  9. Opniões: Apple TV, Chromecast ou RPi rodando XBMC ? uso será principalmente filmes e séries.

      1. Então, eu tenho um XONE logado no netflix. Osso é comprar filmes que ainda não saíram por lá :X

        1. Tenho um X360 e quando tinha tempo utilizava bastante para ver filmes e séries por dlna, além do Crackle e YouTube.

          Mas, o que ainda faço bastante é ouvir músicas pela rede sem fio

        1. Não, mas uso bastante streaming, youtube e netflix . Aposentei o xbox 360 para este uso depois que peguei um chromecast. Acho bem mais pratico. O que esse pulse faz?

        2. Não, mas uso bastante streaming, youtube e netflix . Aposentei o xbox 360 para este uso depois que peguei um chromecast. Acho bem mais pratico. O que esse pulse faz?

    1. Se quiser gastar o mínimo possível com a menor dor de cabeça, Chromecast. O Apple TV parece ser um meio termo entre essas opções (mais cômodo, mas mais caro) e Raspberry Pi, o outro extremo — barato, mas só de pensar em montar e instalar e programar e… cansei.

      1. A intenção do Raspberry seria pra usar o tal do Pulse. Streaming de torrent organizado que não necessita de HD (como o popcorn time)

    2. Eu uso um Xbox 360 como media center há alguns anos. Uso com serviços de streaming: Netflix, Hulu, YouTube, e às vezes algum filme no Xbox Videos. Cancelei a TV a cabo há 6 meses e ainda não senti falta. Uso também às vezes pra visualizar fotos e vídeos do celular via DLNA (minha TV não tem).
      Um detalhe é que eu sempre usei com o joystick do Xbox mesmo, mas recentemente descobri que um controle remoto da Philips que eu usava com o meu antigo Windows Media Center e que estava parado em casa funciona perfeitamente com o Xbox! O controle é esse aqui: http://www.ebay.com/itm/New-Philips-RC6-IR-Media-Center-MCE-Remote-Control-RC1974501-00-3139-228-69121-/262044117466?hash=item3d030be9da

      Sobre montar e instalar um Raspberry Pi, concordo com o Ghedin: há alguns anos eu perdia horas e mais horas montando e configurando um PC com Media Center, buscando e baixando filmes e séries, organizando a bibilioteca… hoje eu não teria mais paciência pra isso, prefiro abrir o Netflix ou Hulu no Xbox e colocar pra assistir um filme ou série que inicia imediatamente e sem dor de cabeça, sem me preocupar com espaço em disco e outros problemas. Além disso a biblioteca está sempre organizada, consigo buscar por um filme, ator ou diretor no Xbox e ele me mostra os resultados e em quais serviços estão disponíveis.

    3. Falando nisso fui utilizar o plex aqui (só no pc, para ver como era) e tomei um pau, mesmo sendo simples. Até abandonei…

    4. Aproveitando a pergunta: quando se usa o Chromecast, pode-se continuar usando o device para outras coisas e deixar, por exemplo o Netflix em segundo plano, ou sou obrigado a deixar o app aberto?

      1. Sim, tranquilo. Pode, inclusive, desligar o dispositivo que o vídeo continuará sendo exibido na TV. O celular/tablet/computador só serve para iniciar e controlar (pausar, voltar etc) o vídeo; a execução mesmo acontece no Chromecast.

  10. Pergunta: Alguém sabe como remover definitivamente aquele indicador de correio de voz no Android? Embora a minha linha não tenha caixa postal e mesmo eu tentando ligar para o número para fazer desaparecer aquele ícone e sua notificação, o dito cujo não some. Normalmente eu tenho que limpar os dados do aplicativo Telefone, mas o chato é que sempre que reinicio o aparelho a notificação volta a aparecer.

    1. Limpar o cache do app é o procedimento que eu conheço também.
      Mas aqui no Nexus 4 ele não voltava depois de reiniciar… Até uns 2 meses atrás, que não importava o que eu fizesse, o ícone não saia de jeito nenhum. Só resolvi desabilitando o serviço na operadora.
      Como tu comentou que a tua linha não tem o serviço, aí acho bem estranho mesmo… Mas eu confirmaria se o serviço está mesmo desabilitado.

      1. Está! Quando eu tento discar para o número da caixa postal, sou recepcionado com a gravação da operadora informando que minha linha não tem caixa postal. O mesmo quando desligo o telefone e ligo, de outro telefone, para o meu número.

    2. Na Claro existe a opção pelo autoatendimento de apagar as mensagens e cancelar o serviço do Correio de Voz. Com isso o Android não exibirá mais esse ícone.

      Se você quiser uma solução temporária, pode simplesmente ir em Configurações => Apps => Todos=> Telefone (tem mais de um aplicativo com esse nome/ícone) e parar/limpar dados.

      1. elas estão falando sobre a carcaça do aparelho, não?

    1. Cara, morri de rir quando vi isso aí! Os tempos são mudados mesmo! Se há alguns anos alguém me dissesse que a Apple iria “se inspirar” na Microsoft nos seus produtos e até mesmo software (design flat, AeroSnap, etc.) eu não acreditaria!

    2. Cara, morri de rir quando vi isso aí! Os tempos são mudados mesmo! Se há alguns anos alguém me dissesse que a Apple iria “se inspirar” na Microsoft nos seus produtos e até mesmo software (design flat, AeroSnap, etc.) eu não acreditaria!

  11. Hoje acontecem todas as semi-finais do US Open de Tennis 2015 (se não chover). Se estiverem de bobeira, recomendo assistirem.

          1. Coitado. Fez o que pode… Não se pode esquecer quem era o cara do outro lado.

  12. Atualização de sistema pro meu Moto G 2014 que corrigia o stagefright. Feliz da vida mandei atualizar! O telefone nem inicializa mais, vou ter que baixar a imagem e restaurar o aparelho. Coisas que me deixam puto com Android.

      1. Pois é, quando joguei uma busca, limitada aos últimos 7 dias, pelo problema no google descobri que não sou o único! Bom pra aprender a, antes de mandar atualizar, pesquisar se ninguém tá tendo problema. Meu problema é que sou meio afoito com essas atualizações e upgrades de sistema…

        1. Cara, a não ser que seja um update crítico de seguranca, espera um tempo para atualizar.
          Veja o Windows10 ainda não está pronto e tem updates diários e qualquer um deles pode ferrar a maquina. Com o tempo deixei de querer ter o mais atualizado o tempo todo, é muito bom quando da certo, mas quando não da a dor de cabeça é imensa.

          1. Bem, corrigir o stagefright era uma questão de segurança!

          2. Perdão! Não havia visto que a att. era em relação a vulnerabilidade.

    1. Acho que nem da pra culpar o Android nesses casos. Isso é responsabilidade da fabricante, não do Google.
      O Google uma vez cancelou uma atualização no Nexus 4 por problemas parecidos, só voltou a liberar depois de corrigir. Não sei se a Motorola fez o mesmo, mas pelo teu relato, deveria.

      1. É, na verdade usei o nome do sistema meio que pra generalizar, mas deveria ter dito: Coisas que me deixam puto com aparelhos android. Nesse ponto sinto saudades do Lumia.

    2. Que azar, o meu MotoX 2013 recebeu essa atualização aqui de boa.

      1. Pois é. Meu pai tem um Moto E de primeira geração e foi tranquilo também!

    3. Isso não é culpa do Android, mas da Motorola. Por favor, saiba diferenciar.

      Tive vários problemas com o software do meu extinto Moto G.

      Depois de tudo só quero muita distância da Motorola.

      1. Com fabricantes de android! Problema agora com o Moto G, já tive problema com a Samsung, com a LG… Aliás, se você tivesse lido o comentário que fiz abaixo, teria notado que me corrigi quanto a isso.

    4. Atualizando o post: Restaurei o aparelho, algumas horas baixando apps (meu WiFi tá uma me**a), refazendo algumas configurações e quase tudo no lugar. Só falta convencer os aplicativos de música a enxergar as músicas que estão não cartão de memória e não só os ringtones que estão na memória interna.

  13. Já tivemos aqui no MdU o “Pergunte Qualquer Coisa” do Burgos e das meninas do Evernote e do Lingua.ly. Que tal um SEU, Ghedin? Será que rola? :D

    1. Mas eu estou sempre por aqui, e sou bem acessível. Acho que não faria muito sentido, mas fiquei lisonjeado com a lembrança :)

      1. Até concordo com seu ponto, Ghedin. Ao meu ver, um post focado num único assunto (no caso, você, hahaha), seria interessante… Às vezes é tanta coisa misturada aqui no Post Livre que um ou outro tópico passa batido, por isso sugeri um post estilo PQC.

    2. Aproveitando a ocasião: muito maneiro o “Pergunte Qualquer Coisa”.

    3. Aproveitando a ocasião: muito maneiro o “Pergunte Qualquer Coisa”.

  14. Ghedin, o problema com o Patreon é que meu cartão estava, segundo a gentil atendente, bloqueado/cancelado preventivamente. Pior que a única tentativa de cobrança fora do meu uso padrão foi o próprio Patreon. De qualquer forma, agora tá vinculado no Paypal.

    1. Detesto quando isso acontece. Logo que me mudei, bloquearam o cartão porque usei ele três vezes fora da cidade onde morava.

      Valeu pelo aviso!

  15. Alguém já se arriscou a fazer compras pessoalmente no Paraguai?

    1. Eu já fui, várias vezes, tanto em Ciudad del Este (divisa com Foz) quanto em Salto del Guaira (mais para cima). Tem os shoppings grandes, como o Shopping China, que são como os daqui — têm praças de alimentação e tudo — e as lojinhas e barracas de rua. Aliás, em Ciudad del Este tinha muita barraca na rua; nas calçadas. Algumas lojas são grandes e mais confiáveis, como a Queen Anne, em Salto.

      Faz uns bons anos que não vou para lá, e sempre que ia era cansativo, porque fazia bate-volta no mesmo dia. Com o tempo, deixou de ser vantajoso também para as coisas que compro, ou que costumava comprar e parei na mesma época em que deixei de fazer essas viagens (componentes de PC, basicamente).

      1. é… com o dólar no valor q está, acho q não está compensando muito não. assim q der uma acalmada vou tentar dar um pulo lá pra conhecer esse lugar mítico do mundo das compras.

        1. Cara, vi uma reportagem um dia desses e, aparentemente, ainda vale a pena. Apesar da alta do dólar, lá não tem a quantidade absurda de impostos que temos aqui, então dependendo do que for trazer pode ser uma boa. Um amigo meu contou que da última vez que esteve lá, o posto de fiscalização do lado brasileiro estava vazio.

          1. A questão de fiscalização é meio questão de sorte. Existem truques para evitar a fiscalização, mas tem que sempre ter em mente que a Receita pode estar sempre monitorando, e com isso pode frustrar um comprador que passou do limite.

            O ponto não é nem a fiscalização do lado Brasileiro (ou no caminho Brasil – Paraguai), mas inverso (Paraguai – Brasil). Pode ter um monitoramento forte e ninguém notar. Ou ter operação padrão (quando qualquer pessoa que estiver passando é alvo de fiscalização, ao invés de fiscalização aleatória).

          2. bom, não quero trazer todas as muambas do mundo. talvez apenas alguns eletrônicos e não sei se vou chegar a ultrapassar a cota permitida…

          3. Sem ultrapassar a cota ainda deve valer a pena já que você estará pagando apenas pela sua muamba, sem ter que pagar uma muamba para o governo. Mas é legal pesquisar antes por aqui, né? Aliás, alguém tem alguma dica de como pesquisar isso no py? Digo, pesquisar pela internet antes de chegar lá?

          4. sim, tem q meio q saber antes onde ir. senão vai ser meio complicado por lá… e tb tem isso, muita gente vai pra ficar poucos dias. eu preferiria ir com um pouco mais de calma.

          5. opa, interessante. mas vou esperar as coisas acalmarem mesmo assim. como vcs relataram q foram lá e tudo bem, farei uma visita talvez ainda esse ano. sem falar q quero conhecer foz do iguaçu.

          6. Cara, estou com os mesmos planos que você! Meu pai vai fazer essa viagem no mês que vem e estou pensando aqui se encomendo alguma muamba! Pensei naquele tablet chinês com Windows que usa a tela do iPad.

          7. Cara, tenho que olhar de novo no AliExpress, mas acho que é um Onda. Só ver a resolução de tela absurda que dá pra descobrir. Aliás, a dica foi dada por alguém aqui num dos primeiros Post Livre.

          8. eu vi. parece interessante por rodar windows. eu bem q gostaria de ter um tablet rodando win10 e tudo sincronizado pra não ter mais q ficar com inveja de quem tem tudo isso com a apple. pelo preço, parece valer a pena. mas só vendo pessoalmente…

            https://www.youtube.com/watch?v=-JK2w86iPMs

          9. Acho que era esse mesmo! Mas eu, pelo menos, não faço questão do 3G e do Android em Dual Boot! Já vi fotos dele em resolução boa, parece ser bem acabado, levando-se em conta que é um produto de uma marca chinesa desconhecida por aqui.

    2. Fui uma vez com um amigo em Cidade del Este, há uns 5 anos atrás. Achei uma região bem bagunçada e feia, lembrando a região da Luz / Santa / 25 de março. O interessante é a movimentação de pessoas e a riqueza de produtos. Trouxe um cartão de memória de 8GB (paguei 5 dólares na época) e um pen-drive player minúsculo (7 dólares). E mais nada. Sério.

      Esse meu amigo era muambeiro e fui com ele meio de penetra de carro (14 horas de viagem quase non stop). Acabei tendo uma desavença com ele e voltei de ônibus (quase um dia inteiro de viagem, vomitando sem parar, e com uma companheira no banco ao lado meio estranha… ) .

      Ainda penso em ir de novo. Mas em época de dólar caro, não dá para pensar não..

    3. Sim, mas pesquisei antes quais eram os locais bacanas para se comprar

      1. Faz sentido:

        – Geralmente há mais risco de furto nas cidades paraguaias do que imagina.
        – Há o risco da tentativa de trazer algo empacar quando passar na alfândega ou fiscalização da rodovia.

        Não que ir lá significa ir parar no “Distrito 13” (se bem que eles são mais organizados que a Cidade del Este), mas que é mais arriscado que ir ao Panama ou Miami, isso é.

        1. Risco de furto mesmo é no Brasil. Andar pela cidade para ir trabalhar/voltar para casa é no mínimo tenso.

          1. é nada, cara. tenso mesmo é andar de bike ao lado dos ‘cidadãos de bem’ motorizados da paulicéia… qdo não estão ao celular ou bêbados mesmo, estão a querer se afirmarem como donos das ruas.

          2. Não vou falar nada do Paraguai, pois ainda não fui lá.

            Mas, já conheci a Bolívia (comprar eletrônicos lá por ser bem mais barato) e minha experiência foi bem positiva.

          3. Não vou falar nada do Paraguai, pois ainda não fui lá.

            Mas, já conheci a Bolívia (comprar eletrônicos lá por ser bem mais barato) e minha experiência foi bem positiva.

          4. interessante. vc poderia dar mais detalhes dessa viagem?

          5. Eu fui uma vez, mas não fui assaltado (levei um susto uma vez, mas até agora me pergunto qual o motivo do susto).

            Porém, quem eu conheço já relatou casos.

    1. “My new travel companion”
      Essa mulher tem problemas na cabeça.

        1. Tanta zoeira que no perfil dela tem gente fazendo pose com o (insira o nome que você chama este alimento aqui). =D

          Tem até uma foto com um banquete de pães e o “Mr. Vagina” =)

        1. O que é meio contraditório, se for parar pra pensar hahahaha

  16. Precisava de umas dicas dos “entendidos”. Possuo um Macbook 13″ white (mid 2010) rodando o OS Yosemite. Sei que não dá pra exigir muito de um note de 2010, mas ele está insuportavelmente lento. Qual upgrade vocês recomendam fazer, seja de HD, memória, etc? Onde comprar e quem pode fazer a instalação?

    Além disso, é válido colocar dinheiro num mac com quase 5 anos de uso? Os preços de macbooks novos (seja o pro, air ou o normal) estão abusivos, por isso queria dar uma melhorada no meu antigo…

    1. tenho um Late’09 rodando o Yosemite bem…num SSD da SanDisk. Você pode até melhorar a RAM mas o HDD com certeza é o gargalo.

    2. Tenho um Mac mini Early 2009 (até saiu no Mostre sua Mesa de Trabalho) e ele tem dado conta do recado mas está com todos os upgrades possíveis nessa máquina. 8GB de RAM, HD híbrido e, por fim, um SSD numa configuração de Fusion Drive caseiro. Não é um primor de desempenho, óbvio, mas tem me atendido ao ponto de eu não ver necessidade de trocá-lo no curto a médio prazo. Uma questão que talvez valha observar é que nem todo mundo se deu bem com o Yosemite. Eu tentei utilizá-lo por duas vezes e nas duas vezes voltei pro Mavericks por questões ligadas a desempenho e conectividade de rede. Talvez valha a pena você aguardar o El Capitan (parece que o lançamento será no fim do mês) e fazer uma instalação limpa. Normalmente quando faço upgrade de sistema no meu mini eu faço um backup do Time Machine, e na hora de instalar o sistema eu formato o HD. Assim que o sistema instala, eu restauro minha conta de usuário/arquivos e meus programas. Demora pra caramba já que esse modelo ainda não conta com USB 3.0 mas normalmente não tenho problemas relacionados a desempenho. Repito: Meus únicos problemas foram com o Yosemite.

    3. Quanto de memória ele tem? E veja se ela não está soldada. E um SSD da uma ótima sobrevida a ele sim. Posso te indicar um amigo para fazer isso se tu mora em SP

        1. Manda menssagem nesse número, que ele faz a troca tanto da memória quanto do HDD.
          +5511980423565

    4. Como já disseram, a resposta para seus problemas concentra-se em um SSD. Por menos de R$ 250,00 facilmente você encontra um ssd e faz toda a diferença.

      Além disso, você pode aproveitar para realizar uma limpeza interna e trocar a pasta térmica (se possível).

  17. Mais relatos da Santa Ifigênia. =)

    * Realmente, a cada dia que passa noto que o movimento por lá vai diminuindo e os pontos vão mudando e sumindo.

    * Uma curiosidade: boa parte das lojas de eletrônicos (geralmente celulares) e games tem alguém do Oriente Médio (geralmente libanês) dando as caras e vendendo. Detalhe -são bem implicantes de negociar =3

    * Tem muita loja ofertando “o famoso gatonet” sem pudor nenhum. Via de fato, um receptor deste tipo pode ser ofertado como receptor comum Free To Air. O que faz ser um “pirata” é quando é ativado o serviço de descriptografia do sinal recebido. Nada impede de alguém comprar um receptor destes e ligar em uma parabólica “comum” (aquela que tem canal do boi, sabe?) e ver os canais digitais gratuitos ofertados.

    * Tem crescido o número de lojas que se dizem especializadas em equipamentos Apple. A maçã vem se popularizando por aqui devagarinho. O ruim ainda é o preço de manutenção – um drive interno de iMac novo é 400 reais.

    * Nas paralelas a Santa Ifigênia (Andradas e Triunfo), há muitas lojas de computadores antigos. É possível ver Core 2 Duo por uns 300 a 500 reais (dependendo da configuração), e Pentium por uns 100 a 200 reais. Costumo ir na Triunfo onde tem uma sucateira que costumo visitar e ver se tem algo interessante =)

    * Trabalhei três dias por lá e a movimentação realmente é baixa para compras. Mesmo notebooks baratos por 250 reais, o pessoal chorava ainda mais o preço ou nem levava. =

    1. Precisando de monitor usado. Vou dar um pulo nessas lojas de usado amanha pela manha. ;)

    2. Estive nessa região uma vez, no final de 2008. Os preços que o pessoal pedia por tranqueira velha era impraticável! Não me assusta o movimento ter caído.Fui achando que voltaria com umas coisas legais e voltei de mão vazia.

        1. Computadores antigos, peças para computadores antigos. Lembro que vi um gabinete de servidor numa loja. Ele estava bem usado, sujo e feio. Gostei dele assim mesmo e perguntei o preço: Na época dava pra eu comprar um gabinete de marca daqueles bem top.

          1. São sim, mas esse não era um servidor de verdade (HP, Dell, IBM, etc…) Era um gabinete com o form factor de um servidor, mas genérico, para montar a máquina. Eu tenho um desses, só que AT e nunca animei a tentar serrar ele todo para fazer a conversão para ATX.

          2. Sei qual fala. Já vi um destes com preço de gabinete comum na região da Triunfo. Sugiro sempre bater mais perna por lá, já que a Andradas meio que “cartelizou” os preços :)

    3. Me parece q o varejo online quebrou as pernas da Santa… Porque as vendas no ML e em sites específicos estão em alta, não? A crise na Santa é de modelo de negócio e não de falta de compradores. Sem falar q golpistas de toda sorte ajudaram a criar uma má fama pra região…

      1. Sim sim, perfeito Fábio! :)

        Se bem que muita gente que vende no ML (e online) na verdade está estabelecida lá na Santa mesmo. E a questão dos golpistas também é verdade.

        Detalhe que é a Santa Ifigênia o “icone da entrada dos eletrônicos importados no Brasil”. Como muita gente por lá ia para o Paraguai e voltava com eletrônicos, a região virou referência. Hoje, nem tanto. Daria uma boa reportagem isso =)

        1. daria sim e, claro, os golpistas tb estão no ML e nos sites de vendas…

          1. Aproveitando a deixa.

            Anteontem voltei da região com um amigo (fomos ver um aparelho de telefone para o mesmo), e no trem, um muambeiro anunciava um cartão de memória de 32 GB por 10 reais. Falei para meu amigo “até penso em comprar, mas a esmola é demais. Já tive experiência com isso e sei que dá problema”… Meu amigo: “pago para ver”. E comprou o cartão.

            Logo de cara, já vi que a inscrição no cartão era “silkada” (tinta comum passada por cima) e não impressa ou sublimada (tinta aquecida). Já falei para meu amigo: pela cara, isso não é original.

            Chegamos na casa dele, peguei um programa de teste na internet e deixei rodando. Dos anunciados 32 GB, só 128 MB eram aproveitáveis… =

            Ontem pensei seriamente em usar o SMS denúncia na hora que vi gente anunciando os cartões de memória…

          2. Aqui também.

            É que diferente do Rio, a fiscalização para vendedor ambulante de trem é mais incisiva e punitiva. Não é altamente tolerável, como aí. Para girar mais rápido, eles entram nessa de vender coisa falsificada. De resto, é tudo original e dentro da validade.

          3. meu cunhado e minha irmã foram pro paraguay ano passado e compraram umas 5 pendrives. no fim eram todas defeituosas, hahahaha

          4. É, tem disso! Um tio meu foi uma vez e comprou uma HP Deskjet, quando elas estavam em alta. Chegou em casa e ela não ligava de jeito nenhum aí ele mandou numa autorizada. Assim que o técnico abriu mandou chamá-lo para ver o problema: Basicamente ela não tinha nada dentro da carcaça! Só os conectores, sem as placas, sem nada…

          5. esses golpes são clássicos e pegam realmente os muito desavisados e descuidados… mas não tem como verificar tudo e, se vacilar, vc pode acabar levando coisa estranha. eu já comprei muita coisa pro meu desktop lá, mas escolhia os melhores lugares ou aqueles q tinham um aspecto confiável. o problema é q isso tb não garante nada e, felizmente, nunca cai num golpe. mas no ML já quis dar uma de espertão e dancei, mas foi com roupa e tinha o seguro…

          6. Uma coisa que já percebi comprando em sites tipo o AliExpress e o eBay: Lidar com os gringos normalmente é menos arriscado que com os brasileiros no ML! Também já quebrei a cara lá.

          7. justamente. estava precisando de algo bem específico daquela marca cateye, de acessórios de bike, saca?, e conversando com uma vendedora chinesa no alixpress, ela conseguiu o q eu queria, me mandou rapidão, cobrou um preço justo; o q veio era de fato orginal e nada a reclamar. comprei outras coisas de lá tb e nunca me engabelaram até agora. mas foram mais coisas pra bike mesmo. de eletrônicos só uma placa da intel e agora um powerbank da xaomi e um hub orico. coisas baratas geralmente, q não vão me quebrar caso seja um golpe.

          8. Eles são mais educados e compreensivos. Entretanto, eles se se enganam tanto como os brasileiros.

      2. Hoje não compensa ir na Santa pra comprar eletrônicos, o varejo online tem preços muito similares. Aí a viagem chega não compensar. A diferença está entre 5%~10% do varejo.

      3. Hoje não compensa ir na Santa pra comprar eletrônicos, o varejo online tem preços muito similares. Aí a viagem chega não compensar. A diferença está entre 5%~10% do varejo.

        1. Depende muito também do perfil pessoal. Não costumo comprar online e prefiro sempre ter o equipamento à mão logo de cara, além de ter a possibilidade de testar e também de saber onde trocar e consertar, e tudo o mais.

          Esta diferença muitas vezes se vê refletida no frete pago. Se uma peça está 40 na Santa, e 30 na internet, a diferença é coberta pelo frete. Mas o chato aí é a demora. Para alguns é cômodo isso e não tem problema esperar um ou dois dias. Para ansiosos (eu =p), é difícil.

          1. Sei muito bem sobre comprar o produto e querer ele na mão na hora, sofro do mesmo mal. Mas o online não tem me decepcionando tanto quanto à alguns anos atras. Aí acaba indo da necessidade mesmo

          2. acho legal esperar. quebra o imediatismo da coisa. e tb não fico apressando quem vende. claro, dependendo do item, peço agilidade no envio. se for algo q é realmente urgente, aí não tem jeito, é melhor comprar numa loja pra levar na hora. esse lance de receber encomendas eu acho bem legal, na verdade.

          3. Cara, sou assim também! Tirando comida e remédios, compro tudo online! E algumas coisas de fora, mas agora com o dólar disparado, não tem valido a pena os 4 meses de espera…

          4. justamente. qdo era algo mais urgente, eu apelei ao cabenamala.com.br em no máximo 15 dias eu já estava com a minha encomenda. eu tinha q ir buscá-la geralmente, mas sempre deu tudo certo e sem rolo dos viajantes (todos brasileiros, diga-se). é muito cômodo poder receber as coisas em casa, ainda mais q não tenho carro, ficar carregado não dá.

        2. não mesmo, sem falar q das vezes q ia, ficava meio paranoico… eu gostava mesmo era do promocenter, na augusta :)

        3. não mesmo, sem falar q das vezes q ia, ficava meio paranoico… eu gostava mesmo era do promocenter, na augusta :)

        1. Bem lembrado.

          Shopping Monti Mare e algumas outras galerias na Paulista, o preço realmente sai mais barato dependendo do que for comprar em relação a Santa.

  18. Par~ bolão do preço do iPhone 6S aqui? Chuto no mínimo 4500.

    1. 1 real…

      … na promoção Operadora Super Smart Plus Mega Exclusive Gold Vox’n Data, com 150 minutos para qualquer operadora e 120 MB de cota de dados por apenas 500 reais por mês por 12 meses =3

      1. O pior que nem assim, no melhor plano da vivo, o iPhone 6 saia por 1500 + contrato de 1 ano com uma “pequena” mensalidade

    2. Acho também por volta dos 3,5k, mas o que eu achei estranho foi que a Apple aumentou o preço dos iPads, acho que a maior surpresa vai ser o preço do iPadão.. o que acham?

    3. Esses aparelhos serão a alegria daqueles caras q se apropriam das suas coisas ou as revendem sem a sua permissão, saca?

    4. acho que não chega a tanto, deve sair por uns 4k o iPhone 6s 16gb, a Apple sempre aumenta os preços de uma geração pra outra aqui no Brasil, se vier mais caro que isso nem mesmo os fanboys obcecados pela Apple vão comprar

    5. 6s variando entre 3999 e 5999.
      6s plus variando entre 4999 e 6999.
      nova apple tv: 699
      ipad pro: 7999
      lapis: 499
      teclado: 699

    6. Eu estou mais é curioso para saber quanto eles vão cobrar no “cordão de segurança” do controle remoto da Apple TV.

      Acabo de saber que o mesmo será vendido separadamente.

  19. Eae galerê, tranquilo? preciso de duas recomendações: Caixinha de som Bluetooth e Bateria externa. A power bank da Xiaomi é boa? alguma outra com bom custo x benefício?

    1. A powerbank da Mi ou da Asus, ambas boas e ótimo CxB. Caixinha de som sem fio, recomendo a JBL Pill, lá fora é bem baratinha, por aqui não sei dizer

    2. Tenho a Flip II da JBL, comprada no Submarino no início desse ano por 319,00. Gosto muito dela, o som é bem limpo, é bonita, tem um tamanho discreto e vem com um case de ziper pra proteção pra carregar pra cima e pra baixo.

    3. Caixa de som bluetooth não sei indicar no mercado nacional. Eu tenho uma Music Cup que um amigo me trouxe dos EUA e gosto muito dela.

      Já quanto à bateria, tenho a da Xiaomi e acho do caramba! Consigo carregar meu Moto G 2014 umas 4 vezes com ela. As únicas coisas que me incomodam nela são o tamanho/peso (Não dá pra andar com ela no bolso) e o tempo que gasta para ela ser recarregada.

    4. Tenho uma UE Boom e ela é muito boa mesmo. Mas a Mega Boom tem mais potência. Dependendo da sua necessidade… Ou uma ou outra pode ser boa pra VC. Já o powerbank, comprei um Xaomi mesmo pra ver qualé q é.

    5. Tenho um PowerBank da Xiaomi faz um ano e realmente é muito bom. Consigo carregar quase duas vezes completas um tablet Galaxy Note 8 e um celular Lumia 830. O único porém é o peso, mas é um preço a se pagar pela capacidade.

    6. Tenho um PowerBank da Xiaomi faz um ano e realmente é muito bom. Consigo carregar quase duas vezes completas um tablet Galaxy Note 8 e um celular Lumia 830. O único porém é o peso, mas é um preço a se pagar pela capacidade.

  20. Te entendo Ghedin… te entendo… (Quanto eu tentava fazer as chamadas para a seleção de comentários do Gizmodo, ficava me perguntando o que escrever de piadas… ) Da próxima, pede para alguém fazer a chamada aí ;)

    E base de “Gangsta Rap”? =p Se fosse um hip-hop acelerado ia de boa, não perdoo não =p

    há! ié ié!

    PS: esqueci o que ia escrever de PS

    PS: me perdoem também, nem tomei café ainda…

  21. Seja Da Hora
    Hahaha…. Excelente!

    Alias, tirar proveito do momento musical pra publicar minha playlist dessa última hora:

    Tunnel Vision – Dirty South
    Awakening – Empire Of The Sun
    Original Sin – Hybrid
    Black Out Days – Phantogram
    Girl From Calabria – Yomakomba
    It Must Be The Weather – Holy Ghost
    Swift Minds – Soul Button
    Love Lockdown – Stones & Bones

    ;)

  22. Galera, se o USB pode transmitir dados (imagem/som), além de energia.
    Porque mesmo as caixinhas de som atuais, ainda vem com um cabo USB (pra energia) e outro P2 (pra conectar ao PC), porque não diminuir o numero de cabos, e passar tudo pelo usb? Mesmo usb2, já suporta isso.

    Tava pesquisando umas caixinhas de som, e mesmo modelos lançados esse ano, ainda vem nesse naipe.

    1. O problema é que pra enviar som pela USB, precisa de mais hardware na caixinha de som (tipo um conversor D/A pra converter USB para sinais de áudio) e isso aumentaria mais ainda custo.

      Para caixinhas de som baratas, já cortaria a margem de lucro do fabricante; e quem usa caixas de som mais sofisticadas em geral já tem um bom equipamento de áudio e não vai querer usar USB.

      1. E teria ainda menos qualidade, por que duvido que uma caixinha barata implementasse um conversor D/A melhor que o da placa de som do PC.

    2. Eu acho: Dispositivo USB requer driver, ou seja, interface nas duas pontas. Muita informação pra um tipo de dispositivo que tende a ser para um perfil de uso mais acessível.

    3. Driver até que não precisa, porque há um padrão de dispositivos de áudio USB e praticamente qualquer sistema operacional moderno já suporta isso nativamente. A questão toda é que, como dito, o dispositivo precisa ter um conversor Digital/Analógico. Um conversor barato te entrega uma qualidade baixa de áudio e um conversor bom custa caro. Como praticamente todos os dispositivos (computador, telefone, etc.) já tem um conversor minimamente decente, é melhor aproveitá-lo e cortar custos.

    4. Isso acontece basicamente porque a porta USB não é uma placa de áudio.
      Nesse caso, as caixas de som precisam de hardware e drivers adicionais para que o sistema as reconheçam como um dispositivo de áudio.
      Eu tenho um fone de ouvido USB 5.1. Ele é reconhecido no sistema como uma placa de áudio, com driver próprio e posso alternar entre a placa onboard e o fone.

  23. Galera, se o USB pode transmitir dados (imagem/som), além de energia.
    Porque mesmo as caixinhas de som atuais, ainda vem com um cabo USB (pra energia) e outro P2 (pra conectar ao PC), porque não diminuir o numero de cabos, e passar tudo pelo usb? Mesmo usb2, já suporta isso.

    Tava pesquisando umas caixinhas de som, e mesmo modelos lançados esse ano, ainda vem nesse naipe.

Os comentários deste post foram fechados.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário