Post livre #277

Toda semana, o Manual do Usuário publica o post livre, um post sem conteúdo, apenas para abrir os comentários e conversarmos sobre quaisquer assuntos. Ele fecha no domingo à noite.

110 comentários

  1. Boa tarde!

    Se alguém estiver procurando alguma solução de teclado + touchpad pequenos para usar com tablet ou eventualmente até no pc, comprei e indico o K400+ da Logitech.

    Minha Nossa Senhora! Que produto bonito e de qualidade. Teclas macias e precisas (embora pequenas).

      1. Eu tenho um amigo de 80 anos que já está começando a ter perda de audição.

        Enquanto ele espera o aparelho oficial, eu tinha tentado uma vez usar algum truque de celular usando um fone de ouvido e algum app para poder criar um efeito similar a este – de usar o celular como amplificador (o inverso do sugerido no vídeo). Boa parte dos apps são pagos ou com propaganda, não achei equivalente a este.

        Eu juro que não sabia que a Apple tinha algo assim. Agora vou tentar procurar algo na mesma linha para ajudar meu amigo (está previsto para Agosto ele fazer o exame para receber o aparelho).

        1. o recurso é muito bom mesmo e a Apple é notória por ter boas soluções de acessibilidade (por pior que seja a empresa…)

          mas confesso que fiquei abalado com a engenhosidade de usar o recurso para espionar pessoas…

      2. gente, tem cada dica de stalking naquele perfil!

        (e dicas anti-stalking também)

        :)

      1. O pefil que o gabriel trouxe mostrou um vídeo de como usar um recurso da Apple para amplificar o som para servir como “programa espião”

  2. Pessoal, vocês tem o costume de usar a opção de suspender ou hibernar quando estão no computador e vão ficar algumas horas fora e prefere não desligar o computador? Agora que fui me atentar a essa opção, no notebook usei muito pela praticidade pois era só fechar a tela e abrir denovo, mas no computador nunca usava, ou eu deixava ligado ou desligava..

    1. Atualmente não uso PC apenas notebooks, mas acho que ainda no PC usaria apenas o suspender. Não vejo grande ganho de velocidade do hibernar além de ter bastantes problemas quando utilizei essa opção.

    2. Só uso suspender, mas eu faço manualmente ou pelo app do KDE Connect. Geralmente se está ligado é por que está baixando algo.

    1. Jogava bastante esse jogo e é, de longe, o jogo de guerra mais realista que já vi. A munição dos tanques tem rota balística realista, capacidade de penetração e as blindagens dos tanques consideram o ângulo das chapas e tudo. Barra de vida? Não tem, se o seu motorista morre, o tanque fica parado até outra pessoa assumir a posição dentro do tanque. Acertaram a esteira? O tanque só gira pra um lado.

  3. Vi um tablet no AliExpress interessante para assistir os streamings da vida numa tela maior que a do celular. Porém, Netflix e Prime Video (que eu saiba) só conseguem reproduzir o conteúdo em SD (booo). Eu conseguiria assistir em maior qualidade pelo navegador no tablet?

  4. Qual é a relação de vocês com o “Dark Mode”? Vocês são dos que preferem cores claras, dos que ativam em locais específicos ou ativam em toda e qualquer oportunidade? Como é no celular, navegador e computadores de vocês?

    1. Eu gosto de dark mode, desde que seja algo que o software/página tenha sido desenvolvido para isso. Uma vez instalei uma extensão para deixar tudo em “dark mode” e ela simplesmente invertia as cores. Isso me incomodava profundamente.
      Em relação a software, o único que não me adaptei foi o Inkscape. Prefiro ter o fundo branco para desenhar, já me acostumei assim. Da mesma forma como me acostumei ao AutoCAD ter fundo escuro pra desenhar. Vai entender…
      No caso do Inkscape, as barras de ferramentas poderiam ser dark, como no Gimp, mas não lembro dele ter essa customização.

      1. Eu já caí nessa besteira de usar inversão de cores. Senti meu cérebro chiar para processar as imagens.
        Em relação aos navegadores, eu usei uma opção nos flags do Chrome (uma área com configurações ainda em teste) que deixava todas as guias em dark mode “bruto”. Era bom pela escala de cinza, mas alguns sites era necessário desativar e era muito trabalho ir nessas configurações e ter de reiniciar o navegador. Hoje uso o [Dark Reader](https://darkreader.org). Ele se adapta muito bem as guias e também tem um on/off que uso para páginas específicas como edição pelo Canva, por exemplo.
        Nos programas, é minha primeira configuração é acionar o modo escuro. Uso linux, então acaba sendo mais fácil adaptar programas a um ambiente mais dark.

    2. não lido bem com modo escuro de um modo geral para uso cotidiano

      1. Sente desconforto na visão ou é mais relacionado a estética mesmo?

        1. acho que funciona bem em aplicativos que demandam atenção no objeto de trabalho (edição de imagem, edição de vídeo, etc)

          mas para uso geral e especialmente para navegação acho horrível: cansa a leitura

    3. Eu gosto, já acostumei com a maior parte dos apps. Mas para mim, é apenas obrigatório o Windows em modo escuro. Fica bem mais bonito e elegante.

      1. Se eu vou passar mais de 5 min. no computador da empresa com Windows, preciso ativar o modo escuro, mesmo que tenha de desativar ao sair.
        E no caso dos apps, muitas vezes eu mudo de app por não ter essa função nativa.

    4. Não gosto. É muito raro eu ativar o modo escura de qualquer coisa. Até mesmo meu terminal é clarinho.

      1. Puxa. O seu caso é questão mais de gosto ou sente incomodo na visão?

        1. Semelhante ao que o Rodrigo escreveu. Parece que eu tenho que forçar muito mais a visão. Me incomoda bastante. Mas por estética, também. Não acho bonito. Sempre gostei de cores claras, de luz, de leveza (com exceção de roupas).
          E assim como ele, se fosse para usar num ambiente bem escuro, ok, faria sentido, mas como eu trabalho sempre com alguma luz na sala, o modo claro fica bem melhor.

          1. Entendi. Se faz mal, é o melhor a ser feito. Meus pais tem esse mesmo desconforto. Quando morava com eles e só havia o meu computador, tinha de voltar para as cores claras para eles conseguirem usá-lo.

            O engraçado disso da estética é como ela difere de um pra outro. Não sei se você já teve contato com esses apps de bem-estar digital. A proposta é, em certo momento do dia, desativar as cores e deixar a tela em tons de cinza para tornar menos atrativo ao cérebro. Funcionou no meu caso? Claro que não. Pelo contrário, ativei a escala de cinza de forma permanente no celular de tão bonito que achei. rsrs

    5. Não uso. Não sei se é algo com meus olhos/cérebro, mas letra clara em fundo escuro parece “queimar” as retinas — quando desvio o olhar, ainda vejo uma “sombra” do texto claro no fundo escuro por alguns segundos.

      Quando chegou no iOS 13, eu ativei por um tempo, naquele esquema automático ao anoitecer. Durou nem um mês. Na minha experiência, o modo escuro só faz diferença mesmo quando você está no escuro, digo, num ambiente escuro. E como eu só deixo o ambiente escuro quando estou vendo filme ou dormindo, ou seja, situações em que não estou mexendo no celular ou computador, não faz sentido modo escuro.

      1. Eu sentia essa “sombra” quando usava o celular ou o tablet. As vezes passava uma meia hora vendo essa sombra. Reduzi bastante o uso desses dispositivos por esse desconforto na visão. No computador, a opção conta luz azul já fica ativa o tempo todo e quando tenho que digitar por muito tempo ou trabalhar a noite, além de diminuir o brilho, eu ajusto o contraste. Nesses casos, o dark mode entra como um complemento sensacional.
        E um agradecimento por algo talvez não intencional em relação ao site: esse modo mais minimalista e sem muito elementos torna o dark mode do Dark Reader perfeito. rsrs Eu não conheço o site na sua paleta de cores original.

        1. Boa matéria. Nunca tinha ouvido falar nisso. No seu caso, chega a afetar em algo?

          1. Sim, meu caso é similar com o Ghedin então acabo não usando apenas no escuro total.

    6. No celular eu uso em tudo, visto que 99% do meu uso é em apps que já possuem essa função, fora que o meu celular possui uma tela AMOLED e tudo fica muito confortável para ler, mesmo durante o dia.

      No computador, por outro lado, como faço muito uso do browser e poucos sites possuem o modo noturno, eu uso no modo claro. Pior do que usar tudo no modo claro 100% do tempo é estar em uma tela escura (do VS Code, por exemplo) e abrir uma aba 100% branca, ofuscando a visão e causando desconforto intenso.

      1. Eu sempre quis ter tudo dark no celular. Como disse acima, as vezes eu desinstalava por não ter o modo noturno. Há pouco tempo adquirir um celular com um Android mais recente e vi a magnifica possibilidade de forçar o modo noturno em apps específicos. Eu não sei quais os requisitos para ter essa opção, mas achei sensacional.

        Vou repetir uma sugestão que dei acima. Tenho usado o Dark Reader (https://darkreader.org) nos navegadores. Em alguns casos específicos, prefiro o modo noturno da extensão ao invés do nativo do site. E em casos que o modo dark não se adapte bem, basta desativá-lo para apenas aquele site específico.

    7. Eu não me importo muito com nenhum dos dois modos. Deixo o iOS é MacOS com aquela configuração geral de entrar automaticamente no dark mode de noite, mas isso é mais pela curiosidade de ver como os apps e sites vão se comportar com os dois temas.

      Uma única exceção é o app da minha operadora de internet. Preciso desativar o dark mode pra usá-lo. O app não tem dark mode, mas o background dele tem, então fica tudo texto preto em cima de um fundo escuro. Impossível de usar. Achei relevante citar esse caso curioso

      1. Eu também tive esse problema no Android. Ao forçar o modo noturnos, ele acaba não se adaptando bem a todos os apps. No iOS também é possível desativar para apps específicos ou tem de desativar por completo?

        1. No iOS eu uso a central de controle pra controlar o dark mode, é apenas um switch global.

          Mas também não é possível forçar em apps que não o suportam, então a decisão de dar suporte ou não (ou habilitar o suporte sem preparar o app) é toda do desenvolvedor.

    8. Eu não gosto, mas não tenho um motivo específico. Não sei se é apenas costume de usar o computador no modo claro, como venho usando há quase 2 décadas.

      Acho engraçado pq hoje em dia vejo praticamente todos os meus alunos de computação e jovens devs usando apenas modo escuro.

      Pra não dizer que não uso de jeito nenhum, quando uso o kindle de noite ativo o dark mode.

      1. Curioso porque pra mim o único dark mode que não consigo usar é o do Kindle. Não sei se o modelo do meu não tem a tela muito boa, mas parece que fica tudo muito ruim no dark mode dele

    9. Modo escuro em tudo, e Redshift quase sempre ativado no Debian. Gimp, Krita e Mypaint sempre coloco um fundo com cores quentes.
      Faço o possível para ficar assim no celular também.

  5. Não sou pai, mas compartilho aqui esse texto sobre um assunto que me deixa ressabiado desde que comecei a me atentar para assuntos relacionados à privacidade na web:

    “Não publique aquela foto do seu filho nas redes sociais”
    https://brasil.elpais.com/brasil/2019/07/05/actualidad/1562335565_606827.html

    De todos os problemas apontados no texto, que são reais, o mais preocupante para mim são as consequências que recairão sobre essas crianças quando elas crescerem, quando começarem a conviver em outros ambientes que não o familiar. Superexposição, bullying. Acho que ainda não experimentamos muito desses efeitos pois a superexposição de crianças começou mesmo com a explosão das redes sociais (2010, 2012?), sobretudo do Instagram. Talvez estejamos começando a entrar no momento em que essas consequências serão mais visíveis.

    Me assusta especialmente os pais (normalmente influencers de “lifestyle”) que postam vídeos dos seus partos na internet para milhares de seguidores. A criança já é superexposta nos primeiros minutos de vida, e assim vai.

    Outro ponto que me assusta são os pais que publicam, sem nenhuma cerimônia, fotos e vídeos de crianças de sunga, biquíni, tomando banho de piscina, banheira etc etc. Será que não percebem o risco e a exposição potencialmente infinita a que estão submetendo os seus filhos?

    A solução? Acho que o título da matéria já dá o caminho: “Não publique aquela foto do seu filho nas redes sociais”. Ok, talvez não seja necessário ser TÃO radical. Uma ou outra foto em família bem de vez em quando, em perfis fechados, beleza, mas tem que ter MUITO discernimento principalmente com relação aos dois pontos apontados acima: não expor o filho a vexame futuro, e não expor o filho a pedófilos.

  6. O foda é que: estou desempregado. Do jeito que a coisa tá, eu trocaria o computador pelo meu dinheiro de volta e usaria um asus eeepc 1000h com hackintosh que tenho aqui pelo resto da vida.
    Sinceramente, depois dessa gostaria de poder apenas abdicar de toda e qualquer tecnologia na real.
    Inclusive, taí algo interessante de saber, se é mesmo possível fazer esse movimento hoje em dia ou fica naquela “conheço um local no norte do país que dizem ser bom” dos filmes de zumbi.

    1. do que vc tá falando? tem que desenvolver mais o texto aí eu acho.
      eeepc não roda hackintosh.
      se vc tá falando se é possível viver um mundo mais slow tech, dá sim. tem seus problemas, mas é possível. eu sou partidário dessa filosofia, até já pensei em fazer um site sobre isso, mas não tenho conhecimento suficiente ainda.
      uso um notebook com 2gb de ram e ssd de 64 gb, bem antigo, mas que faz tudo que quero. tem que aprender linux, o que é bom. celular eu ainda estou buscando alternativa, principalmente porque a telefonia celular está sendo substituída pelo whatsapp nessas terras, então ter um dumbphone pode te deixar incomunicável. tem um dumbphone q tem whatsapp, mas ainda não consegui pegar.
      tv não assisto mais, tb não tenho em casa.
      o problema é internet. acredito que sem internet não dá mais pra viver, nem sei se eu gostaria de ser tão radical assim.
      enfim, dá pra diminuir bastante a tecnologia. é um processo.

      mas nem sei se é disso que vc tá falando. é o que eu peguei pq é algo do meu interesse.

  7. Hey, pessoal. Vocês participam de algum tipo de comunidade? Isto é, comunidades temáticas, focadas em design, programação, música, ou comunidades que surgem ao redor de de sites/blogs, como o Manual do Usuário, ou algum outro tipo de comunidade.
    Eu, particularmente, gosto muito da 𝑖𝑑𝑒𝑖𝑎 de participar de uma, principalmente porque tenho poucos amigos e a única coisa que nos une é o acaso, uma vez que temos poucos interesses em comum. No entanto, nunca consegui de fato achar uma focada nos meus interesses que não estivesse morta ou que não fosse meio hermética, seja pelos modos dos participantes, seja pelo teor das discussões ser muito técnico (o que é bem melhor do que aquelas que viram uma espécie de Tinder, mas é ruim para os não iniciados). Procurei principalmente no Facebook.

    1. Anos atrás eu participava bastante de comunidades. Lembro das listas de discussões e de comunidades nas redes sociais, principalmente da área que trabalho e assim fiz muitos contatos e aprendia bastante.

      Mas ai lista de discussões morreram e as comunidades nas redes sociais passaram ser um ambiente de pura demonstração de ego e onde todo mundo queria ser relevante. Não tenho conta no FB já tem 4 anos, ñ sinto falta. Passei a procurar canais no Telegram. Recentemente, devido a um post aqui do MdU, acabei descobrindo que existe possibilidades de procurar grupos a partir de sua localidade, arriscado é, mas tenho tido sorte de descobrir canais interessantes por lá.

      1. Bem isso mesmo em relação a competição de egos nos grupos do Facebook. Nunca fui muito ativo no Telegram já que ninguém que eu conheço migrou para lá, mas participo de alguns canais da escola e do canal de um certo influencer, digamos, onde vez ou outra tem alguma discussão interessante. As listas de discussão pareciam legais, mas acho que já não são mais 𝑢𝑚𝑎 𝑐𝑜𝑖𝑠𝑎.

    2. Fala Iago. Tudo tranquilo? Eu não sou ativo em muitas comunidades. Já estive em várias e isso acabou me sugando bastante tempo. Agora sou bastante ativo em grupos do Telegram. Gosto bastante de ajudar, por isso faço parte de um grupo independente de ajuda e suporte para quem é novo no aplicativo. Outra área que eu gosto são os grupos sobre filmes e séries. Às vezes, assisto alguma coisa, mas é difícil achar alguém com os mesmos gostos. Esses grupos suprem essa necessidade.
      Quais são seus gostos? Posso te indicar algumas comunidades boas.

      1. Hey, arrthur. Valeu pela resposta. Realmente, participar ativamente em comunidades pode tomar bastante tempo. Quando eu era um pouco mais novo, participava de algumas comunidades de música – mas que não eram bem sobre música, e talvez por isso fossem tão ativas – e às vezes ficava a tarde inteira vendo meme – a única coisa que realmente postavam lá.
        Eu tenho alguns gostos bastante variados; sempre me interessei muito por literatura e música; filosofia; sou entusiasta, porém completamente leigo, de astronomia; e o mesmo de matemática e lógica (esse último eu já estudei um pouco, mas nada muito complexo). A sensação que eu tenho é que no Brasil não existe uma discussão relativamente séria, porém não exatamente rigorosa desses temas; não existe um 𝑚𝑖𝑑𝑑𝑙𝑒𝑏𝑟𝑜𝑤, digamos.
        Também gosto de cinema, mas não vejo muito filme, para falar a verdade, e nem tenho um gosto muito bem formado.

        1. Tive que pesquisar por “𝑚𝑖𝑑𝑑𝑙𝑒𝑏𝑟𝑜𝑤” – valeu, aprendi uma palavra nova, hehe. E concordo contigo.

    3. O reddit tem uma proposta interessante, não sei se você já conhece.
      Realmente algumas comunidades por lá são meio herméticas, como você disse (e adorei o termo, bem apto!), mas diria que a maioria que eu vejo, são bem abertas a novos membros contribuintes.
      Não posso falar muito sobre participação pois eu mesmo mais leio do que escrevo.

      1. Hey, Felipe. Vez ou outra, pesquisando algum assunto no motor de buscas da Alphabet, acabo esbarrando num post do Reddit, e geralmente são bem úteis. O problema é que eu acho um caos. Tenho muita dificuldade em me movimentar por lá, a sensação que eu tenho é que realmente é uma zona – o que provavelmente não é o caso, mas é a minha sensação de leigo.

        1. Acho que você está correto! A impressão inicial do Reddit é essa mesmo, de zona. Conforme você vai se situando e acostumando com o lugar, você vai entrando em comunidades (os subreddits) e ai sua página principal começa a ser moldada aos seus gostos e passa a mostrar mais informação direcionada.
          É legal também entender as maneiras de ordenação de postagens, para você poder navegar lá.
          Ache um tema que você tenha interesse e provavelmente vai achar vários subreddits referentes a isso.
          Não sei se o idioma é um impeditivo pra você, mas conheço poucos subreddits em português. Na verdade, eu não leio nenhum em português. De cabeça, sei que existem o r/Brasil e o r/Investimentos, mas acredito que existam outros.

    4. Oi, Iago! Tudo bem? Os colegas já citaram algumas interessantes, como o Reddit e os grupos locais do Telegram (tem um grupo de caminhada que tenho vontade de participar mas ainda não criei coragem). Acrescento aqui uma comunidade curiosa: a de usuários do Astrolink! É um aplicativo de astrologia mas que tem um fórum onde o pessoal é bem ativo e um ajuda o outro, tiram dúvidas, brincam com os outros… Sei que nem todo mundo acredita nisso, mas trouxe essa sugestão pois acho fascinante como ela remete ao Orkut, inclusive com correntes de brincadeiras, parece que você foi transportado para os anos 2000…

      1. Hey, Vanessa! Bem, e você? Realmente, faço parte do grupo de pessoas que não acredita muito nessas coisas. Além disso, não peguei a era do Orkut, então teria dificuldades em me sentir transportado para os anos 2000 haha. Ainda assim, valeu pela dica! Vou dar uma olhada, de qualquer forma; às vezes pode ser legal, né?

        1. Oi, Iago. Tudo bem também. Eu sou da época do Orkut mas não era tão assídua pois meu acesso à internet era bem limitado. Eu acho o Astrolink uma cópia do Orkut com foco em astrologia, mas surgem conversas variadas nos tópicos. O interessante é ver pessoas que não se conhecem empenhadas em ajudar as outras, mesmo sendo apenas umas palavras de incentivo ou ajuda na interpretação de um mapa astral. O MdU tem esse perfil de ter uma comunidade que colabora com os colegas e acho incrível. Por mais lugares assim! Sobre astrologia, é uma boa ferramenta de autoconhecimento, mas não acho válida como forma de ver futuro, que infelizmente é o modo que ela é mais utilizada e conhecida.

  8. Olá pessoal. Vocês sabem se existe alguma forma de testar o melhor lugar da casa para instalar o roteador? Queria simular “se o roteador estiver aqui, como será a recepção em cada cômodo da casa”.
    Quero mudar a posição do roteador, pois o sinal não fica bem distribuído pela casa, mas como é internet fibra, isso envolveria quebra-quebra e chamar o técnico para passar um cabo maior, aí queria uma forma de testar a localização ideal para distribuir o sinal.
    Eu sei que um repetidor de sinal resolveria o problema do sinal, mas a posição do roteador me incomoda por ser um problema “arquitetônico”: ele fica num canto extremo da casa e joga 60% do sinal pra rua.

    1. Use um programa de teste de sinal de WiFi como WiFi Analyzer ou similares.

      Ligue o roteador no ponto que você julga central da sua casa (mesmo sem internet – afinal, vc está testando o WiFi neste momento), e use o WiFi Analyzer para saber até onde vai o sinal.

      Se vai usar um repetidor, use o programa para saber onde dá “meio sinal”, ou seja, o quase-limite do sinal começar a perder eficiência.

    2. Tire seu roteador de onde está e ligue na tomada em diversos pontos da casa. Você obviamente não vai ter acesso à internet, já que a fibra estará desconectada, mas o WiFi vai subir.

      Daí siga a dica do Ligeiro e vá testando a intensidade do sinal pelos outros cômodos da casa até achar a posição que te favoreça mais.

  9. Fala pessoal! Como estão?
    Essa semana, tive contato com o Pclound, um sistema de armazenamento em nuvem como um Dropbox da vida. Eu nunca havia usado e sei muito pouco. Eu gostei do fato de ter acesso web, mobile e desktop, incluindo para o Linux, de forma nativa. Ele também dá um bom espaço de armazenamento gratuitamente, 10GB. Uma outra coisa interessante é o plano vitalício, ou seja, pagar de uma só vez e ter aquele armazenamento de forma vitalícia, embora não seja meu interesse.

    Vocês conhecem a plataforma? Usam para seus arquivos pessoais? Conhecem alguma outra que ofereça uma quantidade assim de GB, de forma gratuita, mas fugindo das big techs?

    1. eu já o vi, mas o pessoal desconfiava pq a compra vitalícia não se mantém a longo prazo

      um que dá bastante GB e foge das big techs é o MEGA

      1. Eu conheci o pCloud recentemente. Ainda estou buscando informações sobre ele.
        Excelente dica sobre o Mega. Eu consegui reativar minha conta de 50GB. O bom é que o Mega também tem uma boa integração com o Linux. Obrigado pela sugestão.

      2. Uso ele para fins de backup (mas não único) de alguns arquivos do escritório. Mas confesso que tenho receio em relação a privacidade. Já faz algum tempo que estou estudando montar um servidor em casa com o Nextcloud, mas ainda não coloquei o plano em prática por falta de tempo. Aliás, se eu soubesse alguém que prestasse esse serviço por um valor que encaixasse no orçamento acho que consideraria fortemente pagar para implementá-lo.

    2. Uso ele para os mesmos fins que utilizava o dropbox. Sincronização entre vários dispositivos de alguns arquivos que preciso editar ou ter a disposição diariamente. Para este fim (de sincronização de arquivos) ele tem me atendido bem. Mas conforme comentei em outra oportunidade não sei se ele seria um serviço adequado para backup.

      1. Meu desejo era uma opção de backup de fotos automática, apenas para guardá-las mesmo. Para “sincronização” de arquivos uso o Telegram atualmente.

  10. descobri um podcast de antropologia muito interessante chamado Campo

    recomendo muito ouvir o mais recente episódio, sobre a obra de donna haraway: https://www.podcastdeantropologia.com.br/post/ep-3-1-donna-haraway

    por volta do minuto 13 ou 14 começa uma discussão sobre um livro de donna haraway publicado no fim dos anos 90 em que ela tanto fala sobre a internet e a web como usa a rede como metáfora e gatilho para falar sobre sociedade, cultura, natureza, etc.

    apesar de já ter quase 25 anos, o livro parece permanecer bastante atual: fala sobre (i)letramento digital, sobre “tecnobiopoder”, desigualdade de acesso e de produção de tecnociências, etc.

    gostei bastante

  11. Caros colegas, faz tempo estou pensando em adotar 2 chips/números de celular, um para contatos profissionais e outro para o lado pessoal.

    Problema é que não encontro nenhum plano de celular do tipo ‘controle’ que tenha um custo razoável. Pelo que procurei, ou você de fato paga 2 planos separados, ou usa um plano família que sai muito caro.

    Enfim, alguém conhece algum plano de qualquer operadora para este tipo de uso? Alguém que já utiliza 2 chips tem dicas ou sugestões que barateiem esse tipo de adoção no caso de não haver mesmo opções – tipo, um chip em plano controle e outro pré-pago?

    Obrigado;

    1. Como é a cobertura da Oi por ai? Com 15 reais do pré pago eu ganho 450min e 2580MB de dados…. no fim eu ainda troco esses minutos caso precise de mais internet.

    2. Prefiro sugerir que dependendo da linha que você usa, uma você deixa controle para manter o número contigo, e outra pré-pago caso no futuro precise por exemplo desfazer da empresa.

      Como geralmente uma linha receberá mais ligações que a outra, a que só recebe pode deixar no pré pago, assim, por exemplo você pode pagar para usar uma semana de plano e a outra deixa sem plano.

    3. Já pensou em usar o Vivo Easy?

      Ele é meu plano backup uso ele quando a Internet de outra operadora tá ruim ou quero economizar em créditos.

      Já pensou na possibilidade dos dois números serem pré-pago?

      Eu tenho 3 números de celular, um da Tim que é meu número principal e coloco credito a cada 6 meses pra não perder o número, outro da claro que uso mensalmente para internet e ligações e o da vivo citado acima.

      Pré-pago te dá uma liberdade de você recarregar quando quiser.

      1. Estou começando a cogitar a ideia de 2 pré-pagos mesmo. Olhando meu consumo de internet no plano atual, não chega a 4GB por mês. Talvez 2 pré-pagos dê conta e ainda sai mais barato que 1 controle.

    4. No meu caso, uso um chip com Vivo Controle 4GB e um outro chip dos Correios Celular, que é pré-pago e recarrego com R$30 por mês. Se preciso de mais internet, pego um outro plano deles, mas atualmente tenho usado pouca internet móvel. O bom dessas duas operadoras é que tem uma boa complementação em relação a falta de sinal. Pra mim, Oi e Claro são um desastre, especialmente no meu bairro. Tim é mais ou menos.

      1. A ideia de utilizar operadoras diferentes parece muito interessante mesmo pela complementação de cobertura de área.

    5. O plano Claro Controle que tenho me custa R$43 por mês. Acho bem válido.

    6. Hoje tenho dois chips. Plano claro pré-pago R$19,90 mês, 6gb de internet (3+3gb) e lig. ilimitadas (prezão claro). O outro é um vivo easy. Peguei uma bonificação de 3gb e coloquei mais 30 reais de crédito há 3 meses atrás. Comprei mais gb de internet e ligações. Não usei quase nada desses gb e ligações. Devo ficar mais 3 / 4 meses sem gastar no Vivo.
      Caso não possua código do Easy, e tenha interesse, usa o 0800gb3. Você ganha 3 gb e mais R$35 em gastos, se você gastar acho que R$29, e eu também ; ).

  12. foi um assunto no post livre passado mas, vou deixar aqui minha recomendação de app para gerenciamento financeiro que é o Organizze, uma plataforma brasileira que, vez ou outra lança a possibilidade de comprar uma licença lifetime. uso desde meados de 2014/2015 e não tenho nada a reclamar.

    1. Também uso, muito bom. Bonito, organizado. Paguei o lifetime.

  13. Queria saber se é possível transformar o console antigo um Xbox One, em algum tipo de servidor de mídia alguém já viu se algo do tipo é possível? Ou mesmo que fazer os dois, jogos e servidor de mídia…

    1. Salvo engano dá. Teria que usar ele em “modo dev” para poder puxar por exemplo o RetroPie ou algum programa de mídia de sua preferência.

  14. Perdão a dúvida boba, mas… como eu sei que meu notebook está com problemas?
    Comprei, fazem poucos meses, um Acer Nitro 5 para realizar trabalhos de edição e tal e tal, mas as letras A e S já sumiram (a tinta? saiu). Aparentemente o som alto falante também está estourado.

    Minha dúvida é, esse é só o estado dos notebooks hoje em dia ou eu deveria entrar em contato com a assistência técnica?

    Dúvida complementar, para quem edita vídeos e precisa de portabilidade, há algum produto confiável no mercado? Porque paguei 4mil e poucos nisso e não tenho confiança que vai durar até ano que vem.

    Antes utilizava um HP Probook 4440s de segunda mão e durou (com o segurador da tela quebrado) uns bons 7 anos.

    1. Eu entraria em contato sim, o som não deveria estar estourando e nem a teclas apagando do teclado, isso é um absurdo, se tiver na garantia eles tem que trocar e arrumar o som.
      Eu sempre recomendo Dell, tive problemas em um que comprei a pouco tempo, mas o atendimento resolveu tudo e o note está rodando liso, acho que nessa faixa de 4 mil, você deve encontrar um Inspiron e com o suporte deles se der qualquer problema eles trocam tudo até arrumar! rs

    2. Olha não me parece normal não. Os 3 notebook que tive até hoje nenhum apresentou deterioração nessa velocidade. Recomendaria sim se possível buscar pelas vias cabíveis uma reparação/troca.

    3. Cara, olha só, ele está com problemas. Tu já descobriu isso. Vai lá e reclama para a Acer!
      O cara que fazia o marketing da minha empresa tem um Asus Zenbook e parece ser uma máquina muito boa.

      1. Já tive dois notebooks da Asus e é uma das únicas companhias em que confio pra comprar portáteis (ao lado de Apple e HP). Sempre recomendei e nunca tive problemas.

        Por falar nisso, viram a polêmica do novo Dell Inspiron? Em resumo: 1 estrutura de resfriamento para placa de vídeo e processador, o que faz com que, caso você ative a placa gráfica offboard o processador fique altamente limitado. Esse maluco descobriu que se você desligar a placa gráfica o notebook fica com o desempenho superior: https://www.youtube.com/watch?v=pDdXepJ1sM8&t=454s

    4. Acer já vi muitos novos – mesmo modelos mais antigos na época quando lançados – terem problemas. Troque o quanto antes na garantia (faça cópia dos arquivos e formate o pc caso volte para RMA!)

    5. Muito obrigado pelas respostas, entrarei em contato com a Acer.
      É muito obsurdo, porque antes eu havia comprado um outro modelo que veio com problema no processador, pensei que se pagasse mais teria um produto de melhor qualidade.

      Abraço a todos.

      1. Como posso dizer?

        Não sei se pode ser considerado preconceito, mas pelo que noto no que vejo do uso das pessoas, Acer e Sony Vaio geralmente são as marcas que se quebram, é ruim depender da garantia (ou de peças). A vida útil em média era de 3 anos (isso falo de notes de 5 anos atrás – não sei como está agora).

        Teve uma época que Dell e HP também tiveram problemas de notes com tempo de vida curto. Não é um problema só de poucas fabricantes.
        De qualquer forma troque e veja se compensa manter mais um tempo. Não duvido que já prescreveu o prazo de devolução, então tente manter bem o note que durará.

    6. Quanto você está disposto a gastar? R$ 4 mil é quase preço de notebook de entrada hoje. Modelos mais profissionais beiram/passam os cinco dígitos. É caro? Muito, mas não vão te dar essas dores de cabeça.

      1. Como subiu. Lembro quando eu comprei o meu atual note (Lenovo Ideapad 310) por R$ 2.500,00 e achei caro. Antes tinha uma Acer Aspire Time Line X 4820t (que era excelente) mas foi roubado. Ando pesquisando a algum tempo a futura substituição do note, mas sempre que olho o preço nos modelos que pretendo adquirir o valor fica entre 5-8 mil. As coisas ficaram caras ou nosso dinheiro perdeu valor? Ou ambas as coisas?;)

    7. Tá na hora de procurar a assistência técnica sim e cobrar a garantia, isso não é normal em um produto novo.

      Sobre marcas de notebook, os da Acell parecem excelentes para quem trabalha com edição e afins, pretendo comprar um em breve, mas são notes mais caros mesmo.
      Não recomendo Dell, depois de quatro anos começam a ter problemas na bateria, o meu último eu comprei baterias novas três(!!!) vezes em um ano e estragaram todas. Não consigo nem entender como isso pode ser possível. Agora só uso ele conectado na tomada mesmo. O notebook que eu tinha antes desse era da dell também e também estragaram as baterias mais de uma vez e conheço outras pessoas que tiveram o mesmo problema.

  15. Como fazer um bom backup do Dropbox, hein, pessoal?
    Vi o caso com o Pedro Burgos nesta semana e fiquei um tantinho aflita, queria saber se tem um jeito legal de fazer o download de lá direto pra um HD externo.

    1. Antigamente existia um serviço chamado “Backupify” que copiava tudo que você tinha dentro de Dropbox, Gmail, Facebook, Twitter, etc. Mas vários anos atrás eles passaram a atender apenas público corporativo, encerrando as contas individuais. Será que algum concorrente ainda faz algum serviço parecido?

    2. Também estou atrás disso! Quero me garantir também. Tentei fazer um timecapsule para Mac com um Raspberry Pi 3b e um hd externo ontem, mas não tive muito sucesso (depois de algumas horas deu erro no backup). :-(

    3. Se não me engano você consegue sincronizar os seus arquivos em uma máquina local e, a partir dela, usar algum software de backup e configurar para fazer isso somente com a pasta do Dropbox, não? Se for linux/mac, dá até pra achar algum shellscript na internet que faça isso

  16. Vi o anúncio da Razor no MdU e visitei o site, olhando os gabinetes, fiquei pensando que talvez não tenham fluxo de ar ideal. Suponho que não seja o caso deles, mas me levou a refletir como é ruim o design de vários gabinetes do mercado de PCs. Não estou falando da estética gamer, que não gosto também, mas como é comum produto mal pensado.

    O Gamer Nexus está fazendo uma série para comprar montados, dado o contexto de escassez de peças, a Dell basicamente usa um layout de 20 anos atrás para hardware com TDP de 300W. Outras não são muito melhores, como a Lenovo.

    Para montar sozinho, você vai comprar um gabinete, é muito comum ter uma “parede” de coolers RGB na frente…atrás de um painel de plástico/vidro com umas aberturas laterais somente. O painel de vidro lateral é obrigatório, o que não bate muito com o design dos cooler box, precisando de ao menos um a mais para criar um fluxo de ar.

    Basicamente, é normal ter layouts meio sem sentido, por estética somente.

    Tive que pagar mais para algo mais funcional, além de esperar, porque só chegou no Brasil no começo do ano NR200 da CoolerMaster. Adoro ele, mas é uma exceção, a própria CoolerMaster tinha design sem sentido para esses compactos.

    Enfim, só um “rant” mesmo. Depois de anos usando MacBooks, quentes e barulhentos para ficar mais fino, achei que seria mais trivial comprar um PC focado nisso. Ironicamente, parece pior, porque nem bonitos são.

    1. Boa questão.

      O único youtuber que vejo sobre construção de computadores é o Linus Tech Tips, isso por costume. Tenho começado a ver aos pouquinhos o Game Nexus.

      De fato noto que ainda temos problemas com fluxo de ar – e lembrando que na era dos Pentinum 4 HT, muitos gabinetes vinham com dutos de ventilação – o que me lembrou que o Major Hardware fez um cooler naquele projeto de batalha de coolers, onde tal projeto tinha também tal duto, e o mesmo ajudou bastante na ventilação.

      1. Não conhecia esse Major Hardware, interessante! Acho que os dutos sumiram basicamente porque agora é obrigatório ter um painel de vidro na lateral.

        Em geral, a solução agora é fazer um fluxo pela frente e saindo por trás. Existem alguns de baixo para cima, mas isso é mais raro agora que as fontes ficam na base do gabinete.

        Não é impossível achar um bom gabinete, mas o problema é justamente que não é óbvio, no sentido que tem vários sem fluxo claro.

  17. Atualizando a o post da semana passada sobre a garantia da TP-Link com o kit mesh do meu pai: A caixa foi despachada na sexta-feira, recebida por eles na terça-feira e, cerca de duas horas depois, enviaram um e-mail dizendo que despachariam um kit novo. Atualmente ele está em trânsito para Belo Horizonte.

    1. perdão o atraso, mas acho que ao menos vale dizer que é uma boa notícia mesmo. Bom saber que a TP-Link é rápida no RMA.

      (O ruim é que estou acostumado a comprar em “mercado cinza” – aka 25 de março. Medo de um dia precisar da garantia e não conseguir).

  18. Alguém sabe de algum utilitário para habilitar o smooth scroll globalmente no Windows? Buscando por alguma coisa consegui achar vários passo a passo para habilitar o recurso em vários browsers, mas apenas um, shareware, para habilitar o recurso em todo o sistema.

    Infelizmente esse shareware adota o modelo de assinatura. Uso o sistema esporadicamente, então não sei se justificaria a compra, que dirá uma assinatura.

  19. uso o tachiyomi para ler mangás e hoje ele perdeu suporte a algumas extensores de sites (eles quebravam a ligação pra parar de funcionar no aplicativo) e nenhum mangá meu está atualizando, e as extensões que baixei não tem os meus mangás, alguma luz?

    1. Tentou mudar para algum outro site que ainda é compatível ? Aqui fiz isso com alguns, mudei para outro site que ainda é suportado.

      1. os que baixei não encontrei

        mas a tarde as extensões apareceram novamente, devem ter encontrado um consenso

Os comentários deste post foram fechados.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário