Fundo azul, com uma chamada para um PlayStation 5 no centro. À esquerda, a frase “Ofertas de verdade, lojas seguras e os melhores preços da internet.” À direita, “Baixe o app do Promobit”.

Post livre #270

Toda semana, o Manual do Usuário publica o post livre, um post sem conteúdo, apenas para abrir os comentários e conversarmos sobre quaisquer assuntos. Ele fecha no domingo à noite.

122 comentários

  1. Estou há 27 horas ininterruptas com dor de cabeça e no lado direito do maxilar, culpa do bruxismo. Se eu der uma sumida esta semana, já sabem o motivo :(

  2. Com as recentes mudanças, o Chrome está se tornando algo grande, lento e complexo. Pra mim, não dá mais.

    Agrupamento de abas nos dispositivos móveis, botão/teta de pesquisa na barra superior e as mais recentes ações automáticas (bloquear as notificações de um site que você costuma bloquear, por exemplo) tornaram o Chrome algo que tenta ser inteligente mas não é. Sempre que ele ativa alguma configuração padrão uma notificação azul irritante pula na tela e a experiência se torna terrível.
    Mais uma vez, vou tentar deixar de usar o navegador e estou partindo pro Firefox, um dos únicos navegadores que ainda parece se ater ao que precisa: executar uma boa experiência de navegação.

    1. Inclusive, já descobri uma função do Firefox que, por algum motivo, os devs esconderam: a gestão de múltiplos usuários.
      Basta acessar about:profiles e você consegue gerenciar e abrir abas de usuários específicos. Infelizmente, não é tão user-friendly e está bastante escondido, sem ter um botão de acesso
      Referência: https://support.mozilla.org/en-US/questions/1262935

  3. Bom dia, alguém aqui usa um monitor conectado a um MacBook Air, teria uma indicação com bom custo benefício? Minha companheira tem Mac de 2018, deixei um monitor que comprei usado, mas ela prefere ficar só na tela pequena a ter que usar um com diferença tão grande de definição, porém ela tá se aventurando na programação e não é produtivo a tela só do Mac.

  4. Bom dia, pessoal. Pergunta boba: vocês deixam o carregador do celular o tempo todo plugado na tomada, mesmo quando não estão usando? Acham que tem algum problema?

    1. Eu deixo. Tenho um suporte de cabos ao lado da minha mesa, onde deixo tudo com acesso fácil: carregador de computadores e celular. Até onde eu sei, não há nenhum problema e o consumo de energia oriundo dessa prática será só as perdas do circuito interno da fonte (efeito joule), sendo quase irrelevante.

  5. Hoje a Vivo mandou um e-mail marketing me avisando do aplicativo Estádio, da TNT, que passaria a final da Champions League. Estava embutido na minha conta (eu não tinha ideia disso), aí baixei para ver qual que é.

    Vi uns pedaços do primeiro tempo do jogo e, olha, fiquei impressionado: sustentou o streaming, ao vivo, sem travas nem degradação da qualidade. Só é uma pena não ter app para a minha TV antiga. Vi no iPad, num esquema meio ridículo — o iPad minúsculo em frente à TV relativamente enorme e desligada ao fundo.

    1. É o antigo EIplus, do Esporte Interativo. Já tem uns anos de estrada, assinei por uns tempos lá em 2016 ou 17 e já funcionava bem ok. (não lembro se rolava no chromecast, mas acho que sim.)

    2. Falando em Champions, o HBO Max vai ter todos os jogos na próxima temporada. Como é do mesmo grupo que a TNT (Turner/Warner) vão fazer esse esquema. E a Disney agora também vai colocar todo o conteúdo da ESPN no Star+. O mercado de streaming esportivo está esquentando…

    1. Cadastra no gravatar.com com o email que vc usa pra comentar aqui

        1. Da um atualizar e se nao aparecer a imagem, só limpar o cache (ou espera até amanhã que o MdU atualiza o próprio cache também.

        2. Como o Ligeiro disso, leva um tempo até atualizar o cache do Gravatarias. Logo mais sua imagem aparecerá, não se preocupe :)

  6. Ghedin, no AntennaPod o feed do Tecnocracia virou o feed do Guia Prática, o mesmo aconteceu no Google Podcast. É algum bug ou vocês tão unificando tudo num feed só?

    1. Trocamos o sistema de cache esta semana e ele bagunçou os feeds. Já revertemos, mas pode levar alguns dias ainda para surtir efeito nas inscrições dos podcasts.

  7. Acabei de receber uma mensagem no e-mail falando que resgataria R$ 250.00 se eu entrar no TikTok.

    Alguém aí já recebeu alguma mensagem igual?

    (Esmola demais, santo desconfia. Não vou arriscar não.)

    1. Dei uma pesquisada por cima e descobri que sim, o TikTok tem um Programa de bonificação para atrair audiência para o canal. Só que aparentemente tem “missões” a serem seguidas. Então imagino que os tais 250 reais (isso se for um e-mail real) seja uma isca para fazer a pessoa ficar fazendo caras-e-bocas no TikTok, seja para gerar dados para os chineses (desculpe a teoria de conspiração), seja para fazer virais bobos mesmo.

      1. Que inesperado. Taí uma moda que não faz o menor sentido para mim, tik tok.
        E aproveitando o que considerarei como um gancho, o quanto do que ouvimos da China é teoria da conspiração e quanto é realidade?

  8. esses dias eu passei os olhos pelo /r/desabafos do reddit

    foi pancada atrás de pancada

    havia, é claro, desabafos banais, mas a maioria é simplesmente desoladora

    há quem possa afirmar que se tratem de ficções: dói saber que, ao contrário, é exatamente este o retrato do país após o golpe de 2016. Pobreza, precariedade, total ausência de perspectiva de futuro, saúde mental e física destroçada.

    tem que explodir esse país e começar de novo

    1. ou tirar o bolsonaro dos eleições via tse com cassação ou impeachment (sonho utópico) e ultima ato: sair do brasil enfim…Apesar da bagunça que é esse país (brasil), minha vida ficou mais tranquila e previsível pq eu gasto pouca grana e consigo me organizar bem financeiramente.

      E sair dessa zona de conforto, dessa previsibilidade, é uma aventura que não tenho a disposição para viver no momento.

    2. outro dia acabei lá tb, acho que foi até por algum link de um post livre, pq não acesso o reddit, e é realmente triste, mas é legal ver que muitos ajudam como podem.

    3. Estes problemas vem um pouco desde 2013 na verdade. Ou até antes. Existem erros do lado do Lula que a galera tem que entender que se não fossem estes erros, talvez já estaríamos vacinados.

      Lula poderia ter reagido melhor na era Dilma para auxilia-la a governar o país. Mas entendo que no final a galera ia cair mais em cima, e a Dilma também de alguma forma apenas queria só tentar deixar a casa em ordem.

      (E claro, priorizado uma educação política mais eficiente, ao invés de campanhas e ausência de uma militância mais azeitada e que não faça o outro de vilão, mas sim sirva de “evangelizador” do socialismo )

      2013 com os erros da Dilma virou o que virou – o embrião dos problemas que resultou em 2016 até hoje. A militância socialista até hoje não entendeu que para ajudar o pobre, não é só estudando-o ou louvando. É tira-lo do estado de pobreza e pronto.

      Lula fez isso com os projetos profissionais (que fui agraciado por alguns) e que a Dilma manteve até 2013, quando começou a rarear os recursos (lembrando do caso que investigaram o “Ciência sem Fronteiras”e pegaram muitos apenas fazendo mais turismo do que estudando, assim justificando alguns cortes).

      Enfim, como sou ruim em por fatos, paro por aqui, mas entendo que os problemas vem mais de 2013 do que de 2016. 2016 foi um erro que em partes teve culpa do próprio PT, que poderia até lançar dossiês em outros países com denúncias contra os partidos que os levaram ao impeachment, expondo ganhos ilegais.

      Ou poderia deixar a esquerda radical pegar em armas e serem os mártires da vez, , mas noto que no discurso de uso de violência da esquerda radical, parece que eles esperam alguém tipo Adélio para agir, não serão tais pensadores da esquerda radical que vão ser o Adélio da vez.

      1. Que as gestões petistas devem ser criticadas não há dúvidas: houve mesmo muitos erros. Não votava no PT em primeiro turno desde 2002 (embora votasse no partido invariavelmente no segundo turno). O tratamento dos protestos de 2013 realmente foi muito aquém do que se esperava de um partido de esquerda.

        O problema é que em 2016 houve uma ruptura institucional grave. Até 2016, bem ou mal, discutíamos a implementação de um verdadeiro sistema de bem estar social no país — no fundo, discutíamos a implantação efetiva da Constituição de 1988. Depois disso rasgamos a CF: veio reforma trabalhista, da previdência, terceirização, etc.

        E, em 2018, obviamente, aceitamos a chegada do fascismo ao Planalto.

    4. Passei os olhos no LinkedIn e me deu um aperto vendo pessoas demasiadamente gratas a determinadas empresas por fazerem parte delas e tal. Uma delas fez o tema de seu aniversário inspirado no Nubank… Me deu muita tristeza.

      1. LinkedIn é virado no diabo. Da náuseas de tanta babação de empresas. Eu tenho por que estou sondando ofertas de emprego.

      2. defensor de banco é um tipo de criatura por quem não sinto qualquer empatia

  9. Estou com um problema:
    Achar um notebook para meu sobrinho, que seja razoavelmente bom e tenha um preço ~aceitável~ (nenhum notebook está com preço aceitável ultimamente!)
    Alguém tem dicas de modelos/fabricantes para eu dar uma avaliada?
    Quero algo com SSD e 8gb Ram. Nesses quesitos, menos que isso acho que não vale a pena…
    Se alguém puder ajudar, agradeço!

    1. Olha, não tenho nenhum modelo específico pra te indicar, o orçamento que você tem também deve ser considerado. O que eu diria é você ir dando uma olhada nessas comunidades de ofertas (Promobit, Pelando, Oferta Esperta, etc.). Além de postarem boas promoções lá, os usuários costumam trocar opiniões, dúvidas e respostas nos comentários. Outro site que eu recomendo é o Recomendações de Notebooks. Vale a pena dar uma pesquisada por eles.

    2. O problema é que os preços estão altos, então, entender o que seria “aceitável” no seu caso é meio difícil.

      Eis aqui algumas sugestões:

      – Qualquer computador nos dois últimos anos estão com preços que provavelmente você dirá “não aceitavel”, então já desconsidere.

      – Restaria equipamentos de 2/4 anos atrás, muitas vezes ponta de estoque. Procure por “outlets” de informática que podem ajudar nisso.

      – Se não torce o nariz para usados, procure computadores de até 8 a 10 anos atrás (3a geração dos Core iX por exemplo). Você pode facilmente comprar o SSD e a memória para chegar a 8GB (ou mais) para instalar e sem gastar tanto em um PC novo.

      – Uma dica é procurar no seu buscador favorito as gerações e modelos de notebook que são problemáticas. Existem casos já relatados de PCs que duram pouco tempo por erros de projeto, como alguns Pavilion da HP por exemplo.

    3. Quanto quer pagar? Porque, venho acompanhando e digo que notebooks com SSD e 8Gb ñ vai sair por menos de 2500 reais.

      Eu acompanho um canal no Telegram de um portal que foi comprado por uma grande empresa varejista, por lá acompanho promos diversas, inclusive de notebooks.

  10. Outro assunto não relacionado: meu Chromecast 1ª geração de 2014 mostra os sinais do tempo e estou pensando em substituir por outro aparelho. Vocês tem experiência para me recomendar algum? ( Obs: minha tv é velhinha e não tem função smart).

    1. Já pensou em montar algum PC (ou ver se tem algum parado em sua casa) para fazer um PC-Theater? Talvez seja uma solução mais interessante que usar um Chromecast.

      1. Acho que não seria a solução que procuro, quero algo com menos atrito possível. Não considero nem um novo Chromecast pois precisa ficar dando comandos pelo celular direto.

        1. Uma TV Box talvez seja relevante pois funcionaria justamente como um celular, sem precisar de outro celular.

  11. Não sei se faz parte de vossas realidades, mas ontem o canal Loading (que ocupava a frequência da antiga MTV Brasil e propunha ser um canal aberto voltado ao entretenimento nerd/geek) “anunciou” seu encerramento e demitiu 60 funcionários ligados à produção dos programas.
    Particularmente, acompanhei o canal desde o lançamento e gostava bem do conteúdo, principalmente dos programas de variedade e os blocos de animes dublados. Uma lástima que acabou assim, fico triste pois toda a galera envolvida era bem bacana.

      1. Pois é, eu realmente ficava pensando em como eles faziam para se manter com publicidade quase inexistente dentro da grade. Acho que foi má gestão, afinal (e outros probleminhas que circundavam a operação).

      2. Pois é. E eu tinha ouvido falar que eles já estavam conseguindo novos patrocinadores. Mas ser um canal em rede nacional com o tipo de conteúdo de nicho que eles tinham, exigia um nível de estabilidade alto. Qualquer baque e mais cedo ou mais tarde eles iriam cair na minha opinião.

    1. Creio que o maior problema da Loading foi ao mesmo tempo criar uma identidade e não ter uma. Explico.

      Quando nasceu o canal, eles falaram que iam ser “a casa do entretenimento” (o slogan veio na fase 2, mas já viviam falando sobre isso desde a pré estréia). O “boomer”que ficou no início (sem graça) do canal acho que gerou uma bela maldição ao mesmo. E o caso do jornal Metagamer também afastou muita gente da ideia de investir no canal (ou vai saber, pode ser que alguém gere um livro com isso e vai ganhar dinheiro no livro e não nos direitos trabalhistas do canal). Depois tentaram focar mais no E-Sports, mas ao mesmo tempo tentavam agradar fãs de cultura japonesa prometendo uma renca de coisa que não conseguiram trazer direito, em seguida tentando ver se com os animes do momento conseguiam algum pico de audiência.

      Faltou uma “identidade real” ao canal, não uma tentativa de agradar várias tribos e no final se perder em onde focar para ter um ganho. Esqueceu que no BR, pode se ter uma boa intenção, mas o inferno está é cheio de falsos profetas na TV…

      De qualquer forma, eu via a ideia da Loading como ao menos um canal interessante. Não consegui acompanhar a programação – trabalho na rua.E de alguma forma, o canal não cativou minha atenção.

      (Eu queria saber onde deixei o meu banner da época do Mangá Xplosion que era uma espécie de campanha “Animax na TV Aberta”. Eu ia tentar usar ele na época do lançamento do canal.).

    2. Me parece q o grosso da audiência nerd/geek não ia ver programação de TV convencional. Mas posso estar enganado.

      1. Existe uma demanda reprimida. Quem vai em eventos de cultura japonesa sabe que há um número alto de pessoas que consome por TV aberta também (pergunte a quem tem site sobre o tema o quanto eles escutam sobre “a volta da ‘TV Globinho'”ou idolatram a finada Manchete por causa da antiga programação). No caso do público gamer, imagino que a exibição na TV aberta seria para atrair mais gente para os E-Sports (e também satisfazer parte da demanda que gostaria de ver em mais locais sobre sua prática de jogos online).

        O nicho base da Loading era estes dois grandes grupos. Atraía também mais gente curiosa para tentar fazer demanda.

        1. Hum… É verdade, Ligeiro. Vez ou outra ouço um podcast sobre Tokusatsu e eles falam q há exibições na TV aberta q
          geram uns booms de interesse por aqueles antigos programas da finada TV Manchete (que eu assistia e hj sinto saudades). De fato, não seria mal ver coisas na TV, mas propagandas me irritam demais hehe. E outra coisa q lhe dá razão: falei sobre um filme no meu site, um filme água com açúcar contando a história de uma militar e um cachorro, “Megan Leave”, e ele passou na Sessão da Tarde, na Globo. Cara, foi um boom impressionante de acessos no site de gente querendo saber mais – pena não ter feito um vídeo sobre ele. Acho q fui um dos poucos a falar dele, pq, de fato, é bem fraquinho/bobinho (apesar de ter uma baita diretora e atriz protagonista), mas é interessante do ponto de vista animalista. Abs!

          1. Vou aproveitar o fim deste PL e sua fala sobre filmes obscuros para contar uma coisa: se há algo que também há demanda é justamente estes filmes obscuros que passam em televisão. Há alguma procura, e bem, podemos dizer que há sites que oferecem isso (Yar Har!).

            A Rede Brasil tentou algo assim, mas esbarrou nos licenciamentos (por muito tempo operou sem pagar as licenças de exibição). E há distribuidoras de filmes que tentam lidar com isso.

  12. Tenho a sensação que o mercado de informática para mim já não está dando mais. Cogito seriamente virar motorista de app. Só que tenho preconceito com apps! Como faz?

    1. Ao menos aqui nunca valeu a pena trabalhar por conta. A clientela é pouca e não quer gastar com infraestrutura (difícil achar alguma empresa que queira investir, ainda pior no cenário atual)

      1. Entendo.

        Na verdade fiz uma provocação. Como não sou daqueles que vive de curso em curso se atualizando, creio que já estou ficando no limite na questão de trabalho. Sou daqueles que em bairros periféricos atende para trocar uma placa mãe ou ajudar alguém que não sabe instalar algo a instalar.

        Não gosto de fazer propaganda – isso significa arcar com agenda, o que sou péssimo para organizar. O boca-a-boca funciona de certa forma, mas vem rareando. (Até porque hoje qualquer tutorial ajuda “sobrinhos” a consertar PC, mas como digo sempre, minha concorrência é o tal do “sobrinho”).

        E de fato, tanto a tecnologia hoje é um pouco mais robusta, o celular dominou na questão de uso e para quem tem cara e coragem, mais fácil comprar lote de PCs quebrados, reforma-los e vender barato. O preço de um PC consertado é similar o da mão de obra para reparar o velho. E muitas vezes pegam como parte de pagamento.

        Nos últimos tempos tou meio que “treinando” como motorista, dirigindo para amigos. Isso me dá uma auto confiança e com isso posso pensar melhor se compensa virar motorista de app ou até aproveitar a carta B para remunerada e trabalhar de entregador, sei lá.

        Preciso é parar de preguiça e ver se tem vaga naqueles triciclos elétricos que a Americanas está usando

        1. Realmente muito tutorial de forma acessivel. Eu mesmo aprendi muito com a internet e não critico esse tipo de coisa.
          E como o celular tomou conta pro entretenimento… Aqui multiplicaram-se as assistências de smartphone…. Se tivesse investido nisso 5 anos atrás…

        1. Eu pensaria duas vezes antes de investir numa dessas. Não são baratas e a desvalorização será brutal. Além disso as japonesas se uniram para padronizacao de baterias, então daqui uns anos teremos opções muito melhores com uma assistência muito mais ampla.

          1. Eu juro que quero comprar uma elétrica. Para meu padrão de uso até dá, pois a maioria das movimentações são dentro de cidades. O problema é o preço.

            Não sei quando vamos ter motos elétricas melhores, pois noto que o esforço para trazer ainda é pouco.

    2. acabei de ir numa loja pra consertar o controle de um ps4 e vi, pelo menos 50 consoles para consertar, o cara disse que vai demorar pq tem muita demanda, não sei se vc se interessa, mas é algo que pode buscar

      1. Solda SMD e eletrônica microscópica ja perdi o trem. Salvo engano, máquinas de solda infravermelho sao uns 5 mil. Não da para mim agora.

        (Solda infravermelho tbem é bom para recuperação de placas em geral – inclusive de computadores e monitores. Agora com nucs e mini pcs, imagino a demanda.

        1. Solda SMD é bem mais fácil que parece, eu soldo e dessoldo 0402 cotidianamente… Infravermelho realmente precisa de investimento, mas só é necessário para recuperar BGA. Dá para montar um esquema de manter a “frente da loja” e fazer os reparos simples (a maioria) e naqueles que o problema for BGA (que são poucos e normalmente manjados, porque geralmente é erro de projeto) repassar para terceiro com uma margem.

          Não sei a viabilidade econômica, e com certeza vai depender muito da parte comercial e relação com cliente, mas a parte técnica é alcançável.

          1. Fico grato pelo seu comentário. Vejo que quem pegou o macete com celulares já lida bem com SMD usando solda de sopro por exemplo. Acho bacana este tipo de trabalho.

            No caso de solda infravermelho, acho que compensa mais para quem trabalha com recuperação “profissional”, fazendo serviços em lote como tu sugeriu – ganhando com serviços de terceiros. Ganha mais quem está em polos regionais, diga-se de passagem.

    3. Já pensou em se especializar em “rede estruturada”? E Fibra óptica? Provavelmente essa é uma área que sempre vai ter demanda, pois convenhamos que via cabo é sempre melhor que sem fio rs.
      No caso da fibra óptica esse brasilzão tem muito chão para ficar totalmente conectado via fibra. 3:)

      1. Já pensei. Eu perco serviços de rede porque não mexo com alvenaria – boa parte dos pedidos de fazer rede onde moro as pessoas querem canaletas ou passar direto na parede, apenas fazendo furos (com uma furadeira daquelas que atravessam paredes). Aí tem que ter escada também, subir em sotãos… A minha primeira rede (uns 20 anos atrás) foi toda improvisada e feita com canaletas. Estragou tudo em pouco tempo. Meio que peguei trauma, então faço só serviços pequenos.

        E fibra óptica perdi o bonde também, precisaria fazer o curso para aprender as técnicas – inclusive de crimpagem dos cabos ópticos.

        Atualmente mais configuro – abro porta de roteador, testo acessos para ver se está tudo ok, instalo repetidores ou recrimpo cabos RJ45 com problemas.

        (Clientela tá pobre também. Fui atender um restaurante simples e o pagamento foi um almoço pq as contas deles não fecham…)

        1. No caso das redes esse trauma poderia ter sido resolvido passando eletroduto (pode ser o galvanizado) ao invés de canaleta que descola. 3:)

          Quando trabalhava com isso eu fazia assim:
          Usava canaleta dupla face e fazia uns 3 buracos pequenos e passava cola quente. Grudava na parede que é uma beleza.
          Quando a canaleta era grande, era melhor parafusar com , por exemplo, parafuso 6.

          Atualmente tem parafusadeira forte que podemos usar como furadeira e também aquela furadeira de impacto que pode ser um bom investimento. Duram bastante.

          Não seria mexer com alvenaria, são alguns furos na parede para parafusar a canaleta.

          Com relação a fibra tem a parte de passar a fibra mesmo e com o tempo você vai estudando mais sobre. Com tanto provedor local você pode conseguir um freela ou CLT com eles.

          Ganbare!

          1. Grato, Avelino. Sobre alvenaria, falo meio que por experiência tanto da vez das canaletas quanto de outros trabalhos – mesmo que seja só bater o martelo para pregar ou fazer furos, as pessoas cismam pois querem um “acabamento bem feito”; e isso é difícil quando é casa antiga, ou que não foi projetado para receber cabeamentos que não sejam de elétrica comum. Saber mexer com alvenaria (digo, na verdade mexer com acabamentos de construção) seria uma forma de evitar gastos em caso de erros durante a instalação de algo.

            Arigatou!

    4. Faz troca de tela de notebook?
      Tô com a minha partida, fui procurar trocar, mas pelo preço achei que seria melhor comprar mais um monitor usado e deixar em um segundo lugar que frequento. Pensei que o melhor seria guardar dinheiro pra um novo note, mas tenho repensado essa necessidade de um novo e retomar o concerto desta tela

      1. Faço. Porém não trabalho com peças. Geralmente peço para a pessoa comprar.

        Por isso que falo que tenho tendência a pensar a sair da área. Para trabalhar com coisas como notebook, tem que ter um bom fornecedor de peças (algo ruim de achar, e acabamos sempre dependendo de pesquisas no Google entre fornecedores tipo BringIt e notebooks usados que não se sabe o estado real), e ainda mais com o aumento do dólar, é meio confuso ofertar um serviço de troca de tela, sendo que por uma diferença, pode se comprar um notebook usado e mais robusto. O preço de uma tela de 15″ para modelos atuais está em torno de 1000 reais. (exemplo ilustrativo).

        Não falo isso para assustar, mas geralmente sou um cara que prefere resolver o problema junto ao cliente do que para o cliente. Aí indico onde pode comprar peças ou fazer uma instalação que podem dar garantia (eu não posso dar garantia, pois teria que ter uma reserva de dinheiro para por exemplo comprar uma tela em caso de falha própria na instalação).

        Meu foco em info é mais instalação de sistemas e manutenção em computador de mesa, além de solução de problemas como corrigir rede por exemplo. Notebooks e PCs com sistemas mais específicos (tipo NUCs por exemplo), acaba em partes saindo do meu escopo se lido com hardware.

        (Mas se eu puder ajudar, será um prazer)

        1. Eu achei a tela do meu por quase 900 reais, achei um absurdo e decidi por um monitor externo, tem me atendido bem, mas deixa de ser um computador tão portátil, é um Samsung np550p5c 17″ i7 2,4 GHz, 8gb de 2013, já coloquei um ssd. Queria comprar outro, pq ele é grande e pesado também, mas mudei de emprego e estou com um velho da empresa para viagens, não tenho pq ter um novo. Aí cogitei mesmo achando absurdo arrumar essa tela

          1. Então. Não a toa hoje vejo a informática de uma forma bem diferente. Não é fácil falar para o cliente “Olha, a tela do seu PC com mão de obra e tudo fica R$ 1 mil.”. Presto serviços para uma eletrônica também e noto que não é nem só com computadores, mas sim com boa parte de eletrônicos – rádios, TV (principalmente), etc…

            Uma televisão nova é em torno de R$ 2 mil, mas só a tela vale R$ 1500,00, fora mão de obra.

            Tanto na informática quanto na eletrônica para consumo, noto que há o padrão de comprar equipamentos quebrados, reaproveitar peças e revende-las por um preço mais em conta. O equipamento adquirido é por um valor bem abaixo devido a falta de garantia e por muitas vezes precisar de testes (e várias vezes o teste mostrar que todo o aparelho está condenado, não só tela ou placa).

            Usar o monitor externo no caso de notebooks sempre é uma boa pedida, até porque neste meio tempo pode se dar sorte e achar alguma tela equivalente para seu note, porém mais barato. Fica de olho no Facebook/OLX/Shopee para ver se dá sorte.

            (Senão é esperar abaixar o dólar…)

  13. HBO Max chegando em breve no Brasil: pensam em assinar? Confesso que estou com vontade, principalmente se o desconto do Mercado Livre for bacana. Pelo preço que irão cobrar e qualidade do conteúdo, sinto que a Netflix vai perder alguns assinantes ou precisará rever seus preços.

    1. Por hora não, mas sequer cheguei a olhar o conteúdo. Vou no esquema rodízio de assiantura, se tiver algo que me chama a atenção, cancelo um e assino outro.

    2. Assino o DirecTV Go e recebi um e-mail nessa semana de que o HBO Max está incluso no meu plano, sem custo extra.
      DirecTV permite dois acessos simultâneos.

      1. Eu idem, gostei muito do Directv Go. Acabei por cancelar o pacote de TV e ficar somente com ele, e o HBO Max é uma boa adição.

        1. Fui pesquisar melhor a informação. Esse HBO Max vai estar disponível por dois anos, mas não dentro do próprio DirecTV. Vão funcionar separados, porém com mesmo login e senha.

    3. Com certeza irei assinar pois é a melhor carta de séries que existe, sem sombra de dúvida. Peca um pouco em filmes e em quantidade, mas pelas séries e produções existente ali, vale demais a pena.

    4. Pretendo, o catálogo da HBO sempre foi muito bom, e o preço do HBO Max é bem competitivo. Na minha opinião vale bem mais a pena do que Disney Plus, e por esse preço acredito que seja um custo-benefício superior até mesmo ao da Netflix.

    5. Já estou esquematizando com amigos para dividir. Ñ vou deixar o Netflix de lado porque pra mim tem conteudo que me agrada muito, mas vai chegar uma hora que vou precisar ajustar o orçamento de streamings. Rs

    6. Sim! Só não sei como ainda… Tenho HBO Go… E estou no escuro.

  14. Olá,

    Umas semanas atrás pedi umas dicas aqui sobre o MacOS, visto que estaria iniciando em um emprego onde eu iria usar macbooks. Aqui vão as impressões depois de 3 semanas de um usuário de Windows a 15 anos e de Linux a 6 a respeito do MacOS:

    1. O sistema é lindo e o seu padrão visual é um colírio aos olhos de quem tem TOC.
    O Windows, é fato, é o sistema mais bagunçado visualmente, misturando interfaces que vão do XP até o 10 de fato, enquanto cada distro Linux tenta fazer o melhor que consegue (e eu, particularmente, gosto). No Mac, no entanto, tudo é perfeito e feito para agradar, com padrões visuais agradáveis e que fazem sentido ao longo de toda a experiência.
    Uma coisa que me agradou bastante é a barra superior a la Linux, que traz todas as informações necessárias e os menus que importam. A bandeja inferior de apps fica sempre oculta por aqui, visto que é pouco importante para mim.

    2. Os atalhos de teclado são confusos e quebram um pouco a produtividade
    No Windows e no Linux o atalho Alt+Tab é usada para alternar entre os aplicativos. Por aqui é a tecla Super/Command + Tab e eu nunca vou me acostumar com isso.
    Menção honrosa: o “End” não vai para o fim do parágrafo, mas para o fim da linha. Por que, deus?
    Por que o command+w fecha uma janela e o option+w escreve o “?” e por que esses 2 atalhos estão tão perigosamente próximos?

    3. O gerenciador de arquivos é um dos piores que já usei
    Por que eu não consigo abrir um terminal direto em uma pasta, como o bom e velho Linux?
    Por que eu não consigo pegar todo o caminho do diretório (apesar de conseguir fazer ele aparecer na parte de baixo) como o bom e velho Windows?
    Por que o Del com um monte de arquivos selecionados não manda os citados direto para a lixeira?
    POR QUE NÃO CONSIGO USAR O ATALHO CTRL+X PARA RECORTAR?

    4. Um Mac é, de longe, uma das máquinas mais bem construídas que eu já vi
    Até eu usar um Macbook, a minha referência de boa engenharia em um computador era os Thinkpads e, no custo-benefício, Asus. Agora que estou com o Macbook Pro vejo que é uma máquina muito bem construída, feita para durar tranquilamente mais de 5 anos e se manter bem prestativa.
    A bateria dura tranquilamente mais de 6 horas, o touchpad é o melhor que eu já vi e a touchbar é uma invenção genial. Deve ser uma ótima máquina para rodar Windows hehehe

    5. O MacOS é extremamente similar ao Linux
    Eu não esperava encontrar um sistema tão parecido ao Linux, apesar de saber que ambos são UNIX-Like. Os menus, a barra superior e o próprio terminal deixam ele extremamente parecido ao Linux, me deixando a impressão agora de que o Windows é o sistema mais diferentão de todos que temos a disposição. Tem até swap!

    6. O Windows, para mim, ainda é o sistema onde me sinto mais produtivo
    Depois de toda a experiência, sim, ainda considero o Windows o melhor sistema para o uso em um notebook. Quase universal, com uma disponibilidade de programas a perder de vista e muito estável ao meu ver, o sistema ainda é a minha casa favorita, onde eu gosto de estudar, passar o tempo e onde eu consigo fazer mais coisas em menos tempo.

    1. “O sistema é lindo e o seu padrão visual é um colírio aos olhos de quem tem TOC.”

      E olha que a interface tem ficado pior nos últimos anos.

      “O Windows, é fato, é o sistema mais bagunçado visualmente, misturando interfaces que vão do XP até o 10 de fato”

      Você foi conservador aí. Tem coisas no Windows 10 que remetem ao Windows 3. E, vale notar, o Nadela “anunciou o anúncio” de mais uma reformulação no Windows, que pode: a) consertar a bagunça ou b) deixar ainda mais bagunçado. Considerando o histórico de reformulações do sistema, pessoalmente, aposto na opção b.

      “Os atalhos de teclado são confusos e quebram um pouco a produtividade
      No Windows e no Linux o atalho Alt+Tab é usada para alternar entre os aplicativos. Por aqui é a tecla Super/Command + Tab e eu nunca vou me acostumar com isso.”

      Você se acostuma sim! Ainda mais se usar um teclado da Apple, onde o command fica no mesmo lugar em que o alt fica nos teclados de PC. Alterno entre os sistemas sem o menor problema.

      “Menção honrosa: o “End” não vai para o fim do parágrafo, mas para o fim da linha. Por que, deus?”

      Faz muito tempo que não uso Windows por muito tempo, mas tenho quase certeza de que nos editores de texto dele, o End ia para o fim da linha também…

      “Por que o command+w fecha uma janela e o option+w escreve o “?” e por que esses 2 atalhos estão tão perigosamente próximos?”

      Layout de teclado! Em teclados ABNT, o alt direito (Alt GR), faz a interrogação no W. Tenho um netbook aqui que tem essa configuração. No Q está a /. Num teclado com layout americano, o option/alt + W gera um ∑.

      “O gerenciador de arquivos é um dos piores que já usei”

      Nisso não há argumentos. O Finder é bem limitado mesmo e foi assim a vida inteira. Há outras opções de gerenciadores de arquivos no entanto. Eu acabei me acostumando com o Finder.

      “Por que eu não consigo abrir um terminal direto em uma pasta, como o bom e velho Linux?”

      Essa vale pro Windows também. No macOS, seleciona a pasta, vá no menu Finder -> Serviços -> Novo Terminal na pasta

      “Por que eu não consigo pegar todo o caminho do diretório (apesar de conseguir fazer ele aparecer na parte de baixo) como o bom e velho Windows?”

      Não entendi bem o porquê de você querer copiar o path todo, mas presumo que seja para usar no Terminal. Nesse caso, simplesmente arraste a pasta ou arquivo para a janela do terminal e você verá todo o caminho escrito nele.

      “Por que o Del com um monte de arquivos selecionados não manda os citados direto para a lixeira?”

      Porque o atalho para isso é o command + delete.

      “POR QUE NÃO CONSIGO USAR O ATALHO CTRL+X PARA RECORTAR?”

      Porque o atalho para isso é command + X. E o command foi usado para essa função desde antes da tecla se chamar command, quando havia apenas o símbolo dele e/ou uma maçã na tecla. Aliás, como o Windows foi “fortemente inspirado” no Mac OS (ou System como era chamado na época), o que rendeu até um processo da Apple contra a Microsoft no final dos anos 80, os atalhos foram copiados e “traduzidos”.

      “Eu não esperava encontrar um sistema tão parecido ao Linux, apesar de saber que ambos são UNIX-Like. Os menus, a barra superior e o próprio terminal deixam ele extremamente parecido ao Linux”

      Na verdade, creio que nisso o Linux tenha se inspirado no Mac. Foi assim desde sempre. Desde as primeiras versões do sistema. Menos o Terminal, claro. Mas se parar pra pensar que o macOS não é o primeiro Unix da Apple… O primeiro foi o A/UX e ele tinha o terminal. E a barra de menus em cima.

      “O Windows, para mim, ainda é o sistema onde me sinto mais produtivo
      Depois de toda a experiência, sim, ainda considero o Windows o melhor sistema para o uso em um notebook.”

      Aí é questão de gosto. Conheci o Mac no final dos anos 90, no trabalho, e usava Windows desde a versão 3. Só consegui ter um Mac cerca de 6 anos mais tarde e, desde então, usado como sistema primário. Pego em Windows hoje e me sinto um peixe fora d’água, ainda mais com a bagunça que o 10 virou. Acessar as configurações do sistema, por exemplo, era tranquilo: Só ir ao painel de controle e achar exatamente o que precisava. Agora tem painel de controle, central de configuração e mais sei lá o que. Com links que muitas vezes levam de um lado pro outro nessa zona. No Mac ainda está tudo nas preferências de sistema.

      1. Mesmo sendo windeiro desde a versão 3 passando por todas as outras, até eu me perco nessas configurações. O que sinto é que estão migrando pouco a pouco do painel de controle pra essa central de configurações nas configurações mais “simples” e mantendo o velho pra coisas mais específicas (configurações de mouse tipo aceleração, velocidade do duplo clique, etc).

        Tá uma zona.

        1. Concordo. Já li que é uma questão de manter certa retrocompatibilidade. Imagine a quantidade de sistemas que podem quebrar caso alguns paineis legados mas extremamente importantes, como o painel de controle, sumam :p

        2. Que saudade de instalar win 3. 11 com aqueles vários disquetes… Bons tempos. Agora a instalação é tão rápida (e chata com aquelas perguntas). A inicialização quase instantânea tb tirou um pouco da graça…

          1. A tensão de não dar pau em nenhum disquete… e, se desse, não tinha internet pra resolver (eu só fui ter internet na época do Windows 95/98)

            A primeira versão do Windows 95 eu também instalava via disquetes. Só depois que consegui uma em CD e que precisava de um disquete de boot pra instalar. Não rolava boot em cd ainda na época.

            Pior que dá um pouco de saudade sim.

      2. Com relação a questão do teclado, admito que foi certa ignorância minha por não procurar tutoriais o suficiente sobre os atalhos e que, em um teclado mac, toda essa confusão seja suavizada. Mas o fato é que com a grana de um teclado mac eu consigo comprar um ótimo teclado “não-mac”, como o fiz. Além disso, não deixa de ser estranho o Mac ter esses atalhos fora do padrão que Windows e Linux tentam seguir :p torna a migração bem mais difícil!

        Acho que é mesmo uma questão de costume como tu comentou e me sinto realmente um peixe fora da água fora do Windows! No entanto, como sou cientista de dados e a minha máquina acaba sendo somente uma porta de acesso aos servidores onde faço tudo, acaba que muitas coisas nem fazem tanta diferença na máquina ou OS que uso. Mas ainda sou nativo do Windows, haha

        1. Se pensar que o Mac meio que introduziu esses atalhos à computação pessoal, não faria muito sentido que ele seguisse Windows e Linux.

          De todo modo, se você for no item Teclado, dentro das Preferências do Sistema e em Teclas Modificadoras… poderá alterar a posição das teclas. Pode ser que te ajude.

        2. A propósito, eu já gastei boas horas da minha vida procurando um teclado no formato do Mac (com tecla Cmd etc.) com venda aqui no Brasil e o mais interessante que achei foi aquele Logitech K380 Bluetooth.

          Se alguém tiver indicações que não impliquem em importar, eu agradeço muito.

          1. Não deve ajudar muito: mas tem outras da Logitech, o MX keys e o Ergo K860. Eu usava o MX Keys, mas achei as teclas muito pesadas, acabei comprando um Keychron K2, mas esse é importado.

          2. Eu uso o teclado da Logitech K375s, ele tem a tecla Cmd no Alt, nunca testei em um Mac. No IpadOS ele funciona muito bem.

      3. Acho que windows possui opção de abrir um cmd diretamente na pasta se você apertar shift ao clicar pro menu de contexto.

        1. Tem sim! Não sei desde qual versão, mas lembro de usar um Power Toy no 95 e/ou 98 para ter essa funcionalidade.

    2. Ia falar justamente do truque de arrastar o arquivo/pasta para o Terminal citado por Harlley para pegar o caminho inteiro.

      Sobre o Finder: de fato, é notório como ele é travado para atividades de gestão de arquivos mais robustas. No entanto, não vivo mais sem as colunas miller e quando lido com windows sinto bastante falta delas.

      De resto, é como falei da outra vez: um dos melhores aspectos da interface do macOS é a versatilidade do spotlight. Por conta disso, muitas vezes sequer abro o finder para pegar um arquivo específico (acaba sendo mais rápido acessá-lo via spotlight).

      1. Verdade! Quase todo arquivo que eu abro, chamo via spotlight. E não precisa nem saber o nome do arquivo, se souber de alguma coisa do conteúdo, ele busca dentro do arquivo. Só abro as janelas do Finder quando preciso ver o que há dentro de uma pasta.

    3. Para refletir: acho que essas discussões de interface melhor/mais produtiva meio que perdem o sentido, especialmente porque intuitivo não é bem definido. Em geral, são anedotas e fortemente influenciada por experiência prévia.

      É menos irritante se adaptar, quando se tem menos apegos as próprias opiniões sobre como deveria ser uma coisa ou outra.

      Eu pensei nisso quando, em curso sobre linguagens de programação, o instrutor comentou que as pessoas costumam ter muitas opiniões (e fortes) sobre sintaxe, que via de regra são argumentos completamente subjetivos. Dificulta o aprendizado e gera frustação se apegar muito a sintaxe, o que seria ruim para um curso que justamente mostraria linguagens bem diferentes entre si (incluindo sintaxe).

      Não que seja de interesse das pessoas, exceto designers e afins, refletir sobre o design de cada sistema/decisão…mas acostumei a me irritar menos com diferenças. O que para mim é relevante, porque muitas vezes sou obrigado a usar o sistema que não quero por questões profissionais haha

      Mas sim, o Finder acho que é o pior haha

      1. As pessoas discutem usar as chaves de C/Java logo depois da função ou na linha abaixo, discutem se é melhor usar TAB ou 4 espaços, discutem se é melhor usar CamelCase ou underline para nomear variáveis … as pessoas *GOSTAM* de discutir, é assim que vejo.

        1. Com certeza gostam haha, discutir ainda beleza e até eu me entretenho, mas o ruim é se levar a sério. Eu prefiro um ou outro, mas ok, não muda fundamentalmente a vida.

          Um saco trabalhar com programador que aprende linguagem a contragosto, fica resmungando de tudo que é diferente e tentando adaptar o “certo” na linguagem. Quem é de Java EE quer colocar 50 camadas para fazer um script Python e vice-versa.

          1. quanto mais leio estes relatos sobre programação, mais quero ficar distante desta área de programação (apesar que sinto que precisaria entrar nela. Tenho muitos pepinos que acho que se eu soubesse um pouco de progs, eu conseguiria ter mais tranquilidade).

    4. Vi em outro comentário que você comprou um teclado externo para usar que não tem o layout da Apple (pela posição da tecla Command, que na Apple é no lugar do Alt, mas no seu está no lugar da Windows/Super). Não sei até que ponto isso atrapalhará sua adaptação, mas eu consegui me acostumar bem à lógica de que a Command é a tecla “mais importante”/equivalente ao Control.

      Sobre a End, mesmo meu teclado tendo essa e as outras do tipo, acostumei-me a usar Command + setas e Option + setas para navegar por documentos e sites.

      Não acho o Finder ruim. Ele é bem diferente do Windows Explorer (o lance de recortar arquivos, por exemplo, é uma função definida na hora de colar, não na hora de copiar), e nisso reside muitas das implicâncias que a gente tem no início (como assim o Enter renomeia arquivos em vez de abri-los!?). Mas, novamente, é questão de estar com a cabeça aberta e consultar tutoriais no começo.

      Você consegue copiar o caminho de um arquivo ou pasta no Finder com o atalho Command + Option + C.

      Uma dicona que esqueci de comentar semana passada: olhe com carinho para estes aplicativos. Alguns, como o Rectangle e o Maccy, melhoram enormemente o uso do macOS e se encaixam muito bem no sistema.

    5. Obrigado por dizer isso: “Os atalhos de teclado são confusos e quebram um pouco a produtividade”. Tinha medo de dizer isso em voz alta.

      Meu palpite é que com o tempo você vai se acostumar tanto com os pontos do tópico 2 que vai começar a achar que no Windows deveria ser assim também hahah

      Sobre o option+w == “?”, talvez seja coisa do teclado em português. Se você deixar no original (recomendado!), essa combinação escreve a letra grega Épsilon

    6. “O gerenciador de arquivos é um dos piores que já usei”
      Eu focaria em aprender a usar o spotlight (ou quem sabe até mesmo o Alfred). Vale a pena tentar mudar a perspectiva de que você não precisa necessariamente organizar arquivos em pastas e tudo mais (vai depender da rotina e workflow, mas vale pensar sobre).

      Investir um tempo em aprender atalhos e gestos será bem interessante.

      Quanto ao teclado, tem alguns interessantes. Tô usando um keychron K8, com red switch e estou gostando bastante.
      As teclas são bem altas, mas bem leves, talvez eu gostasse até um pouco mais do brown, mas o vermelho é mesmo ótimo hehehe.

  15. Instagram permitindo os usuários a ocultar a contagem de likes (https://about.instagram.com/blog/announcements/giving-people-more-control) e o YouTube testando ocultar a contagem de dislikes (https://support.google.com/youtube/thread/104325801/testing-new-designs-for-the-like-and-dislike-buttons).

    Sempre me chama a atenção o efeito psicológico que esses pequenos marcadores sociais. Principalmente quando notei que eles foram importados pra dentro da mecânica do Big Brother Brasil como o “Queridômetro” com o intuito claro de causar estresse. E conseguindo facilmente.

    1. O melhor de tudo é eles voltando atrás aproximadamente 1 ano depois de terem ocultado essas métricas em posts em nome da saúde mental dos usuários. Parece que, 12 meses de pandemia depois, saúde mental nem é mais tão importante (e nem pop).

    2. Gostei da análise da Rebecca Heilweil. Toda vez que o Facebook se depara com uma decisão difícil do tipo, ele se livra da responsabilidade. E, nesse caso, apesar da opção, o padrão é como era antes e mudar as coisas depende de mergulhar fundo nas configurações e/ou ficar alterando post a post. Típico Facebook.

  16. Revelação exclusiva!

    O Manual do Usuário ganhou um upgrade esta semana: uma câmera. A partir da semana que vem, os vídeos do canal e as fotos próprias passam a ser geradas por uma RX100 V, da Sony.

    Comprei a câmera usada, por um preço bem interessante. Ela já está comigo e, agora pouco, chegou o cartão de memória. (Até veio um com ela, mas um lento, incompatível com a filmagem em alta resolução.) É a primeira vez que tenho uma câmera dedicada desde o fatídico assalto ao meu apartamento, em 2015. Estou animado com as possibilidades. Apesar de ser uma câmera mais simples que a anterior, a RX100 é beeeeem melhor que a câmera do celular. Esperem por imagens mais bonitas por aqui. E sim, vou escrever (ou gravar) alguma coisa sobre ela em breve.

    1. Se eu morasse perto, tentaria lhe ajudar com estas coisas! Sucesso!

    2. O Manual do Usuário ganhou um upgrade esta semana: uma câmera. A partir da semana que vem, os vídeos do canal e as fotos próprias passam a ser geradas por uma RX100 V, da Sony.

      Passei anos achando que só dava para ver a diferença fazendo pixel peeping, mas ao menos na tela do computador, é muita diferença de qualidade ainda. Por outro lado, acho que ninguém mais olho foto em uma tela maior que um smartphone, então…tanto faz haha

      1. No dia que a câmera chegou, tirei fotos com ela e com o celular e mandei no grupo da família. A reação foi bem murcha, hahaha..

        Sim, também acho que celulares são bons o bastante, mas ao mesmo tempo a câmera dedicada oferece um punhado de controles a mais e, convenhamos, mesmo para ver na tela do celular a diferença na qualidade é perceptível. Para quem não liga muito para isso, imagino que o impacto maior será nos vídeos mesmo.

        PS: O LinkedIn “dedurou” que seu aniversário é hoje, Gabriel. É mesmo? Se sim, parabéns! 🥳🎈

        1. A compressão também é um problema, a do WhatsApp destrói completamente a qualidade. Mas sim, no Instagram ainda dá para saber se foi usado câmera ou não, especialmente retratos.

          É meu aniversário sim, obrigado! :)

          1. Sucesso e paz aí! Espero um dia poder tomar um café contigo!

    3. Eita! Boa! São poucas coisas que se comparam a sensação boa de comprar equipamentos novos para melhorar nosso serviço. ^^

Os comentários deste post foram fechados.

Compre dos parceiros do Manual:

Manual do Usuário