Banner anúncio do Revelo UP, com o logo do programa e o texto 'Financiamento de curso em tecnologia' à esquerda, a frase 'Investir no seu futuro começa agora' no meio e, à direita, a palavra 'UP' vazada, com uma mulher pensativa no 'U' e um homem fazendo anotações no 'P'.

Post livre #264

Toda semana, o Manual do Usuário publica o post livre, um post sem conteúdo, apenas para abrir os comentários e conversarmos sobre quaisquer assuntos. Ele fecha no domingo por volta das 16h.

58 comentários

  1. Já notaram se a geração mais nova está mais distante da informática?
    Se passaram a usar mais smartphone, mas deixaram de lado o PC?

    1. Creio que na verdade falta informação sobre isso.

      Esta “era de smartphones” não deixa de ser algo relacionado a informática também – os computadores agora estão miniaturizados, e os celulares são esta “nova geração”.

      O que sinto que falta é ensinar o que é informática para que as pessoas compreendam sobre as similaridades entre um computador de mesa e um smartphone.

      1. preciso especificar melhor?
        tipo, jovens entre 15 a 25 anos que dominam o uso de smartphone, mas têm dificuldade em usar Windows.
        Sei que há uma mudança para a mobilidade, mas o mercado de trabalho ainda precisa de pessoas com o mínimo de habilidade com softwares tradicionais.

        1. Perdão. Acho que eu não fui claro.

          Ao meu ver, se uma pessoa consegue operar um celular – por mais que a interface seja simplificada -, também consegue operar um computador sem tanta dificuldade. Só que o ponto é que quando a pessoa teme muito operar um computador, mesmo sabendo mexer no celular, é que faltou alguma instrução a mais – tipo, entender o que é realmente um programa (app é mesma coisa), como e onde conseguir o programa (ou como fazer, se ela quer lidar com programação) etc…

          Minha mãe quando começou a trabalhar, ela era da limpeza. Colocaram ela para atendimento – e isso requereu entender de operar computadores. Nunca consegui ensinar direito a ela, pelo que notei, ela aprendeu mais mexendo sozinha e eventualmente tirando dúvidas com quem estava do lado no trabalho.

          Noto que o ponto é esse também: as pessoas não mexem mais com PC pois não é todo lugar que o usa. Geralmente é mais balcões de atendimento, telemarketing, trabalhar com documentação eletrônica que requer isso. E há casos que muito foi migrado para os celulares.

          E se analisar, em relação há tempos atrás, os programas estão um pouco mais intuitivos e óbvios. Então a prática para uso é mais na operação diária mesmo.

          Isso vale para celulares também: quem não tem familiaridade, noto que vai pegando conforme o uso. Se tem dúvidas, a mesma pesquisa na internet e acha algum tutorial para sanar a dúvida (ou conversa com alguém que entende mais).

    1. Já voltou. Bem, não vi na minha TL o porque da queda. Mas bem, pelo visto se foi grave ao menos resolveram rápido.

  2. Alguém conhece uma maneira de acessar um Galaxy J5 através de cabo USB, e espelhar a tela para o PC?
    Tenho um com um mês de uso, que quebrou o display. Ganhei outro aparelho da pessoa que causou o acidente, e aí sobrou esse aparelho praticamente novo. A intenção é resetar ele pra limpar os dados, e doar pra quem tiver interesse em substituir o display quebrado e usar.

    1. Eita, que situação!

      Olha, sinceramente nunca mexi com isso, mas chuto que se alguém entender de ADB, TALVEZ consiga ao menos acessar as pastas e recuperar os dados.

      Se eu fosse tu, acho que esperaria um tempo para fazer a tela do J5 e depois revende-lo. Pois aí você teria um controle melhor e ganharia algum dinheiro para compensar.

      Geralmente ligar o celular na tv via cabo requer ativar algum comando no celualr também, por isso precisaria da tela de qualquer jeito.

        1. (ow @ghedin, o Felipe falando que pegou, tu apaga?)

          vagneralexandreabreu em gmail dot com

  3. Então pessoal, pc novo e aí surge a dúvida de sempre:

    Qual navegador usar? Firefox? Chrome? Edge mesmo?

    Tanto faz?

    Meu uso de internet (e do computador como um todo) consiste em ler e escrever textos, ver uns vídeos aqui e acolá e acessar sites de compras quando quero comprar alguma coisa.

    Redes sociais eu navego só pelo celular mesmo.

    O que vocês sugerem?
    (Aproveitando: vocês usam algum editor de texto instalado na máquina? Eu costumo ir de Google Docs online, mas sabe como é…)

    1. Puxe os três (dica – use o http://www.ninite.com) e experimente. A experiência pessoal (e seus conceitos) é o que conta.

      Meu navegador mesmo é o Firefox, se bem que ultimamente ele está bem esquisito… :\ Pelo que li, o Google agora com mudanças nos sistemas dele, incentiva quem otimiza o site para o Chrome.

        1. Gosto de recomenda-lo pois é um site bem prático para quem está comprando um pc novo ou formatando o próprio. É escolher os programas, puxar, rodar, sentar e esperar.

    2. Eu gosto demais do Chrome. Mas com tanto rastreamento tenho usado o Brave e o Firefox diariamente.

    3. Edge ou Brave são muito bons. Por aqui uso mais o Brave por conta do aplicativo móvel ser mais simples de usar que o do Edge.
      Sobre o editor de texto, tem o Open Office.

  4. Duas semanas caçando celular e o Ghedin solta o texto sobre os preços. Eu na verdade tinha até visto um vídeo do Linus Tech Tips / Techquickie que é o mesmo tema: aumento de preços por causa da redução da produção de chips.

    Mas sem delongas, uma historinha:

    Já estou há um tempo no marketplace do facebook e no OLX monitorando preços de celulares. Tentando achar um celular que tenha um preço bom e eu não esquente a cabeça.

    O ruim é que os preços realmente estão bem altos para usados. Mesmo um Moto G2 / Samsung J5 usados em bom estado (sem trinco de tela ou algum defeito incômodo) estão na faixa de R$ 200 a R$ 300.

    90% do que vi (tudo bem, contemos os algorítimos, né?) até R$ 300,00 tinha algum tipo de defeito – geralmente tela, usb ou sistema em bootloop.

    Achei boas barganhas como um LG G4 Stylus por R$ 350,00 – fiquei tentado a comprar pois tinha NFC (gostaria de ter um compatível com os bilhetes de transporte que uso para assim comprar recarga) e bateria razoavelmente boa.

    Fiquei tentado a comprar um Moto E4 por R$ 425,00, mas não tinha todo o dinheiro.

    Resolvi vender um notebook que eu tinha parado – um Lenovo G485 (desculpe aí Henrique e muito obrigado mesmo, de coração! O notebook foi um companheiro por um bom tempo). Instalei um SSD nele (estava sem HD bom) e fui tentar vender para uns amigos, sem sucesso. No final minha mãe que comprou… :op

    Acabei indo onde comprei meu celular (o Nexus 4) que era de uso até então – a Liquitudo. Ela é uma loja de “salvados” – produtos que são adquiridos de estoques de grandes magazines devido a defeitos ou problemas com a garantia. Tinha visto um anúncio com celulares por R$ 300,00. E pensei “Melhor comprar lá pois tem garantia e é ao menos remanufaturado certinho”. Acabei pegando um Moto G3 simples de 16 GB. Veio com carregador, diga-se de passagem.

    Notei um padrão: quem remanufatura os celulares é uma empresa chamada JNA. Ela tem (imagino) um conglomerado de lojas na Santa Ifigênia e 25 de Março, me lembro de há uns anos atrás ter lojas de informática no nome da mesma, mas aparentemente ou trocaram o nome ou criaram uma outra marca, ou venderam o ponto mesmo…

    1. Tá aí uma coisa que eu só parei pra pensar agora: com essa alta toda de preços e todos os outros motivos/problemas embutidos nisso, será que as assistências técnicas e lojas de produtos remanufaturados vão ganhar mais visibilidade?

      Para pra pensar: tá tudo caro e não vai abaixar tão cedo/rápido, e as pessoas que não podem comprar aparelhos novos vão consertar ou trocar por aparelhos usados, ou mais baratos. Infelizmente (ou felizmente, pro meio ambiente) muita gente vai ter que cuidar mais do seu aparelho, então isso “abre portas” para esses tipos de negócios, e talvez até trazer uma consciência maior para as pessoas terem mais cuidado com seus celulares/notebooks etc.

      1. Sim sim, até já está ocorrendo em partes. O problema é que há produtos onde infelizmente uma assistência técnica não compensa.

        Televisões são um dos produtos – porque o preço da peça + mão de obra geralmente fica em torno de 40 a 60% de um aparelho novo. Dependendo do defeito, claro.

        Notebooks são outros – apesar que há pedidos de reparo, o problema é quando há defeitos em placas mães ou troca de tela. Ambos o custo de manutenção é de 500 reais para cima, isso falando de equipamentos de 1 – 3 anos atrás. Uma tela 15″ fina OLED é em média 500 reais só a mesma, sem mão de obra. E a mão de obra sempre fica relutante, pois é uma peça sensível.

        O que acontece é um efeito interessante: a pessoa revende o equipamento quebrado a quem faz remanufatura, e com isso a empresa que remanufatura – técnicos de informática no caso de notes e lojas de eletrônicos no caso de tvs – acabam revendendo os produtos remanufaturados baseados nas peças revendidas pelos clientes. E por preços um pouco mais acessíveis.

        Ainda mais: há casos onde a empresa que remanufatura corrige defeitos crônicos que acabam se repetindo em modelos iguais. Então o equipamento tem mais vida útil, pois foi revisado.

        (sim, soa meio propaganda, eu sei).

        1. Relaxa, não pareceu propaganda. Meu primeiro notebook foi um positivo que ganhei da prova do SPAECE (lá em 2011), o bicho queimou depois de 1 ano e meio de uso e o conserto da placa mãe era quase 600 reais.

          Fiz exatamente o que tu disse, vendi as peças aos poucos e juntei um dinheiro que me ajudou a comprar um notebook no futuro. Acho que se tivesse vendido pra loja ia conseguir uma merreca, mas o cara consertaria o notebook e venderia para outra pessoa necessitada.

          Confirmo essa questão das TVs, aqui em casa o wi-fi da nossa parou de funcionar e o conserto ia sair mais caro do que um desses sticks hdmi. Compramos o fire stick que ainda dá pra usar nos projetores, e não tivemos trabalho com transporte de TV.

    2. Em casa tinha um J5 parado.
      Inicio desse ano resetei ele e removi tudo o que não usava (Gmail, Gdrive e todo aquele bloatware). Instalei o mínimo para correr: app de monitoramento de passos e o Spotify.
      Resultado: o smart não serve pra muita coisa além disso. Ele sente o peso de apps extremamente leves.
      Então cuidado para o custo não ter nenhum beneficio.

      1. Todo celular que tenho removo boa parte dos apps do Google (infelizmente não dá para desinstalar os apps nativos do Google pois Caixa Tem).

        No Moto G3, de 1GB de RAM, tem uma lentidão chatinha. Claro que antes eu usava um de 2GB de RAM…

  5. Recebi um email de pesquisa.aviacao@praxian.com.br dizendo que é uma pesquisa da Secretaria de Aviação Civil. Não sei se é golpe ou não, mas o que mais me chamou atenção foi o nome “Vinicius Katakokinho”. Utilizei esse sobrenome quando tinha uma conta no Facebook, penso que pode ter sido por conta desse último vazamento de informações.
    Gostaria de saber como vocês aqui lidam com informações vazadas, durante muitoa anos consegui deixar meu email pessoal relativamente longe de vazamentos e spams, mas depois dessa “do serasa” e agora facebook… já era. Será que troco de e-mail? Existe alguma forma de desveicular essas informações?

    1. Curioso! Eu sempre gero e-mails únicos para todo lugar em que me cadastro (uma das vantagens de ter seu próprio domínio) e, até hoje, não dei nenhum flagra do tipo.

      Não sei até que ponto vale a pena o esforço de trocar de e-mail. Afinal, e-mail é um negócio que é (ou deveria ser) mais ou menos estático; alguém que tenha pego meu endereço dez anos atrás, por exemplo, ainda consegue entrar em contato comigo por ele. E e-mail você consegue trocar, mas outros dados pessoais, não.

      1. Ghedin,
        qual provedor de e-mail usa/recomenda?
        EStou querendo comprar um domínio próprio também para alguns projetos e considerando algum e-mail com o recurso de “catchall”

  6. Um familiar resolveu resgatar um desktop que estava parado por uns bons meses e quer dar uma sobrevida para uso pessoal, um pouco de pacote Office e Adobe, mas nada de jogos. A configuração atual é essa:

    – Intel i3 4170
    – 4GB de Ram DDR3
    – Placa Gigabyte B85-D3PH

    É uma configuração super modesta, mas acredito que colocando um SSD, expandindo a memória para 16GB e colocando uma placa de vídeo básica de 2GB, ficaria uma boa máquina. Alguém tem uma boa sugestão? O investimento é limitado, então tentei ir no é possível ser feito, comprando a maioria das novas peças no AliExpress.

    1. Cara, eu tenho um notebook com um processador dessa época, mas a placa de vídeo onboard é da série 5000. Volta e meia tô usando ele e dá conta do recado sem problema algum.

      SSD com certeza é o que mais vai mudar, fora um pente de 4 gigas de ram e tá perfeito pra usar.

    2. Toma cuidado na AliExpress pois tem muita “Placa Scam” lá (placa que diz que é um chipset, mas na verdade é outro – procure por vídeos do PhilLabs ou ETA Prime que falam sobre).

      Dica: fica de olho nos usados pois pode ser que apareça barganhas interessantes. Vai com calma.

      De resto, creio que aumentar para + 4GB (totalizar 8GB) compensaria bem mais pois faz sobrar memória do PC (e pode poupar por um tempinho a compra da placa de vídeo, basta fazer o video onboard usar um tequinho a mais da memória normal).

      1. O maior receio que estou tendo é a placa de vídeo do AliExpress… é usada, tem alguns comentários positivos, mas ainda assim. Acho que é melhor pegar uma no Brasil mesmo, como falaram aqui embaixo (só tenho que ver se é compatível)

        1. Antes uma usada do que uma Scam. Pode ser que tenha alguma remanufatura – uma troca de componente eletrônico simples por exemplo. Mas se é usada, muito melhor mesmo do que pegar uma nova que pode dizer que é uma 1080 e no final é uma 9900

    3. Corroborando os outros comentários, eu aumentaria a RAM para 8GB e investiria em um SSD.

      Em relação a placa de vídeo, acho que vale manter essa, qualquer uma está saindo um absurdo…se não vai jogar acho que onboard e uma GT 1030 são a mesma coisa. Só trocaria se percebesse lentidão no uso diário, mas acho que não será o caso.

    4. Cara, dá e sobra. Eu uso aqui um Core2 Duo T8100, 4 GB DDR2, vídeo onboard Intel e SSD e funciona tranquilo para tarefas do cotidiano. Tenho outra máquina com um Core2 Duo E8400, 8GB DDR2, Radeon HD5770 e SSD e funciona melhor ainda, não dá nem para comparar as duas máquinas, imagina contra este teu Core i3, então… No teu caso não sei nem se precisaria de uma placa de vídeo, basta um SSD comum.

    5. 8/12gb e SSD já deve dar uma revivida. Já sobre a placa de video, ainda se vende GT 710 e algumas da AMD (novas) em torno dos R$300 (comprei esses dias atrás uma GT 710 2gb por R$270 na Terabyte) aqui no Brasil, não esta valendo muito comprar na china.

      1. Tenho que ver se é compatível com a placa, mas se for, vale bem mais mesmo.

    6. Só o SSD já deve melhorar muito o PC. Depois, se estiver sobrando, coloca mais 4 GB de RAM — 16 GB para essas atividades é exagero, bem como placa de vídeo.

      1. A placa de vídeo seria mais para dar um gás na produção de vídeos curtos que ele faz vez ou outra por conta do comércio dele. Acredito que seria um bom auxílio para isso.

  7. Quem já atualizou o spotify desktop para a nova interface?
    Aqui ficou lento que nem na versão web.

    1. Eu acabei de atualizar aqui. Para mim ficou infinitamente mais rápido. Rodando Spotify versão 1.1.55.498 no elementaryOS 5.1.7.

    2. Toda atualização nova do spotify é uma tristeza
      Se não fosse tão comodo pra descobrir novos artistas e compartilhas músicas………………

    3. Bom, atualizei e não senti diferença, só ficou diferente de usar.
      Em minha defesa, meu notebook não é um primor de velocidade, então não sei te dizer com certeza se ficou mais lerdo hahaha

  8. Semana sim, semana não, a galera indica newsletters aqui. Eu queria pedir de novo, mas com um recorte bem específico: newsletters brasileiras que vocês curtem e que não são muito conhecidas/populares. Valendo!

    1. Conectando Pontos
      wingcosta.substack.com
      tinyletter.com/Adnilson

  9. Boa tarde.
    Comentário sobre algo que percebi nas últimas semanas.. O Twitter oferece uma ferramenta muito útil (para quem não quer ver a sua timeline “floodada” – Silenciar Palavras – Fiz a minha lista como faço todos dos anos na época do BBB, (não vou entrar no mérito se é bom ou não, apenas é um assunto que não costumo e não me interessa acompanhar), pois bem, do nada essa ferramenta parou de funcionar e nunca mais voltou. Li alguns relatos de quê o TT havia cedido um pedido dos patrocinadores desativando esse serviço. Mais alguém aqui percebeu isso? Sabem algo ?

    1. Fiz assim:

      – mudei o trends para Portugal
      – dei zoom de forma que a interface web do Twitter no pc lembrasse a do celular – sem trends
      – uBlock tá no máximo.

      Os que vejo sobre o tema vem de @ que não dá para silenciar. Fora isso, tudo ok.

      1. Eu uso o Minial Twitter pra tirar os TT e limpar a interface. É um extensão bastante boa, recomendo.

    1. Um dos problemas da infra estar bastante concentrada nas mãos de poucas empresas gigantes.

      1. Só lembrando que Miamar está a 90 dias com restrição de acesso web.

        1. A restrição deles, nesse caso, é por conta do governo/ditadura. Não tem relação ao fato de que se alguém conseguir derrubar a AWS, vai comprometer 70%(?) da rede.

          1. Sim, só queria lembrar que não é só questão empresarial, mas política também

Os comentários deste post foram fechados.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!