Post livre #152


8/11/18 às 17h09

Toda semana, o Manual do Usuário publica o post livre, um post sem conteúdo, apenas para abrir os comentários e conversarmos sobre quaisquer assuntos.

Cadê os anúncios?

O Manual do Usuário é um projeto independente, que se propõe crítico e que respeita a sua privacidade — não há scripts de monitoramento ou publicidade programática neste site. Tudo isso sem fechar o conteúdo para pagantes. Essas características são vitais para o bom jornalismo que se tenta fazer aqui.

A viabilidade do negócio depende de algumas frentes de receita, todas calcadas na transparência e no respeito absoluto a você, leitor(a). A mais importante é a do financiamento coletivo, em que leitores interessados sustentam diretamente a operação. A assinatura custa a partir de R$ 5 por mês — ou R$ 9/mês para receber recompensas exclusivas:

Assine no Catarse

Newsletter

Toda sexta-feira, um resumo do noticiário de tecnologia, indicações de leitura e curiosidades direto no seu e-mail, grátis:


Nas redes sociais, notícias o dia todo:
Twitter // Telegram

173 comentários

  1. alguém aqui usa planner?
    estava dando uma pesquisada sobre e achei q há muita bobagem sobre (especialmente como decorá-lo…) e menos dicas úteis de como aproveitá-lo.
    acabei comprando algumas coisas pra montar um pra mim – a esposa se animou e quis tb.
    veremos se ajuda mesmo.

  2. o q vcs acham da ideia de um celular pessoal e um para trabalho? separando tudo nele? eu às vezes preciso monitorar coisas do trabalho aos fins de semana, mas como às vezes recebo pedidos fora do horário e acabo vendo (e até atendendo), estou cogitando ter dois aparelhos.

    1. O único problema é o trabalho dobrado — duas contas para pagar, duas baterias para recarregar, dois bolsos para transportá-los… Não rola um celular dual SIM?

      1. pensei em outro aparelho mesmo.
        pra nem correr o risco de ficar lá fuçando nas coisas de trabalho.
        mas meus planos de trocar de aparelho foram frustrados, por ora.
        minha ação contra samsung, graças a total compreensão da questão pelo judiciário, não avançou. estou avaliando se recorro ou não…

    2. vi um colega meu usando um aparelho de dois chips pra isso. tinha um recurso do sistema que criava uma seção de aplicativos separados do sistema, aí nesse ele tinha o whatsapp e contatos da empresa.
      acho que era um samsung, mas nao lembro o nome do recurso.

    3. Quando entrei na minha empresa atual, há 4 anos atrás, me ofereceram a opção de eu “portar” a minha linha pessoal para uma corporativa, onde eles me dariam o aparelho e eu não teria mais que pagar contas. Na época tomei a decisão de não topar isso, e acabei pegando pegando um novo aparelho pela empresa, com uma nova linha. No fim das contas, apesar do incômodo de carregar dois aparelhos no bolso de segunda a sexta, foi a melhor decisão tomada. Quando saio de férias uma vez por ano, desligo o aparelho corporativo por X dias e não tenho de ler e-mails e responder whatsapps, além de conseguir me desconectar do trabalho em meu tempo livre de descanso/lazer.

  3. aproveitei a promo da amazon e comprei os livros do jeff vandermeer. são eles: ‘aniquilação’, ‘autoridade’ e ‘aceitação’. gostei muito mesmo do filme e achei q seria uma boa ler os livros. o primeiro, ‘aniquilação’, é diferente do filme, claro. mas é muito bom tb. comprei para kindle, apesar da edição impressa ser muito bonita. recomendo.

  4. Estou com muitos projetos pela frente e querendo, muito, me organizar. Um dos projetos, provavelmente, vai consumir, pelo menos, cinco anos. Daí que, apesar de gostar muito de desorganização e bagunça, vou ter q diminuir isso e passar a ser mais objetivo e me programar melhor. Ao invés de caçar apps e recursos tecnológicos os mais variados, estou pensando em usar um bom e velho caderno ou, pra ser um pouco mais fresco, um planner. E só. e projetar tudo a longo prazo ao invés de ficar no, amanhã a gente pensa no q fazer…
    Tb estou tentando emplacar algumas técnicas, se assim se pode chamar, minimalistas no dia a dia. Vou começar pelo guarda roupa, q, no meu caso, é uma zona completa. Vi uns vídeos do matt d’avella (q deve ser figurinha conhecida de vcs da velha guarda do MdU) e me animei. E quero tentar essa organização ainda esse ano ao invés de deixar para o próximo. O q acham? É viável?

    1. o segredo é desapegar. sinta-se um budista e desapega dos bens materiais! hahahah
      faz duas semanas que fizemos uma faxina aqui e tiramos sacolas de entulho e mais umas de roupas para doar.

      1. descobri que sou acumulador até de coisas digitais, que inferno

        outro dia tava vendo um cara comentando “porra, eu tinha um bocado de coisa no meu hd externo, mais aí perdido tudo. Lamentei, depois segui a vida”

        e é o que rola mesmo, mas só se percebe depois

    2. Tenho dois pés atrás com esse pessoal que vende minimalismo. Além disso, muitas partes da vida, como o guarda-roupa, envolvem variáveis que não são facilmente replicáveis. É difícil fazer uma mudança total em um prazo tão curto. Você vai gastar muito e talvez abdique de roupas que ainda estão perfeitamente usáveis.

      Para mim, a coisa passa mais pelo consumo consciente (dentro do que for possível na nossa sociedade insana) do que por minimalismo. Acho que é o que buscamos, afinal, mas sem a pecha elitista que cada vez mais me parece indissociável do minimalismo (ou da ideia que os entusiastas passam dele).

      1. eu quero, além de torrar, parecer elitista. acho q estou no caminho certo!

      2. falando sério… é questão de me livrar de uma certa poluição visual q é o meu guarda roupa e, sinceramente, me desvincular de marcas e tal. tem muita coisa, por exemplo, da adidas.

        1. Levei uns dois anos para chegar a um guarda-roupa coeso (leia-se camisetas escuras e calças jeans). E embora esteja bem ok, ainda tem algumas distorções e marcas que jamais comprarei outra vez (Riachuelo, por exemplo).

          Sim, dá para fazer essa migração em dois meses, mas além de ser caro, você corre o risco de ser traído por alguma tendência ou preferência sazonal. Outra vantagem de estender essa mudança é isso: fica mais fácil identificar seus gostos mais perenes.

      1. acho q não. são coisas possíveis de enfrentar num longo prazo. o q eu estava querendo é tudo pra ontem e nada estava rolando. então, se eu realmente me organizar e respeitar o tempo das coisas (e do meu próprio ritmo) acho q q rolaria tudo o q tenho pela frente. são coisas relativamente simples. o mais complicado é a parte musical, na qual minha experiência é e apenas de ouvinte. para o livro é questão de coleta de informação e muitas leituras.

      2. tem um projeto humanitário na parada tb. já encontrei um grupo de hackers dispostos a ajudar. é algo q pode beneficiar milhares de pessoas. cara… tem q ir em frente.

  5. Até entao a viagem mais longa que fiz de moto foram 900Km entre Passo Fundo e Tramandaí.
    Na proxima dia 15 estou saindo de Passo Fundo para Montevideo!
    serão pelo menos 2200Km em 4 dias passando por Chui, Punta, Montevideo e Santana do Livramento. Só no 1º dia serão mais de 750km até Chui (pretendo sair as 5h da manhã).
    Hoje até tive um pesadelo que havia chegado o dia de sair e não tinha arrumado a bagagem. hahahah
    Se der um tempo eu envio algum link de fotos.

    1. sucesso na empreitada aí o/

      não faz falta uma musquinha nessas viagens?

      1. faz muita falta, mas é proibido usar fones…
        mas até que tem seu lado positivo. pegar a estrada assim é um grande exercicio pra controlar a ansiedade.

  6. Aproveitando o gancho do amigo aqui em baixo, uma coisa q eu percebo em relação aos youtubers daqui do BR. Com a fama q eles ganham, ao invés de se profissionalizarem ou melhorarem o padrão, eles se juntam e pioram a qualidade ou, mesmo isolados, se idiotizam. Não vale pra todos, claro, e isso não deve ser uma regra já q ninguém é obrigado a mudar pra “melhor”, mas as coisas aqui, com o sucesso (relativo, pois os seguidores podem ser comprados tb), parecem degringolar de forma acelerada. Ou tb eles não sabem administrar crises (tatiana feltrin e aquele cara da piada racista do jogador francês na copa por ex.). O q acham?

    1. sim.
      as vezes o canal é interessante, vai direto ao assunto, mas a qualidade cai depois que começa a “famosidade”.
      tipo, até aumenta a quantidade, mas a qualidade cai consideravelmente.

    2. Tenho a impressão então que esse fenomeno não acontee mto nos canais de culinária / gastronomia (basicamente meu yt)

      1. Vegetarirango fez vídeo passando pano pra empresa q explora animais e rodou com muita gente.

    3. Eu tenho uma teoria simples (e que talvez por isso esteja equivocada) de que o YouTube leva os produtores que se destacam a um mesmo fim, que a dinâmica da plataforma nivela tudo por baixo. Quando se ganha escala, principalmente quando é alguém que começou fazendo vídeos de forma amadora e despretensiosa, a demanda por vídeos mais frequentes e a sede por mais visualizações “esmaga” qualquer traço de originalidade e desembocam em apelação. Se você pegar um vídeo do Felipe Neto e de qualquer youtuber famoso gringo, verá muitas similaridades: a estética, os trejeitos, os ganchos para segurar o espectador…

      1. faz sentido, não à toa o youtube se instalou aqui e no rio pra ajudar os criadores a formatar. e eles dizem explicitamente: qualidade (de conteúdo) não é o objetivo, mas a forma tem q ser legalzinha… é fato: os youtubers vão se copiando e, cara, fica tudo simplesmente igual.

    1. Eu assistia e achava legal (especialmente qdo caí no canal em busca de mais informações sobre um livro q ia comprar). Depois o cara ficou fazendo muitos vídeos com outros youtubers de qualidade questionável (pirula etc) e parei de ver totalmente.

        1. Biólogo especista é o mesmo q um astrônomo astrólogo. Essa minha geração é uma lástima (a mesma q foi decisiva pra eleger o coiso, diga-se).

  7. Vocês já brigaram no trânsito?
    Bati boca agora pouco com um motorista. Posicionei para a direita com a minha bike para desviar de uma pedestre e um motorista que vinha atrás me buzinou… (todos nós a uns 10km/h)
    quando ele passou eu vi o smartphone….aí me ferveu o sangue. mandei aquele arrombado pra PQP!

    Estou ficando impaciente com a falta de educação.
    essa semana estava chegando no colégio e uma garota sentada nas escadas jogou uma bituca de cigarro no chão…., me arrependo muito de não ter dado uma bronca nela.

    1. Já, até que um cara começou a me perseguir com o carro.

      Depois desse estresse, percebi que só ganho ficando na minha. Consegui me acalmar bastante, tento nem ficar irritado. Mas as vezes escapa: estava atravessando a faixa com o semáforo fechado para carro, na chuva, quando um sujeito com carrão grande quase me atropela. Meti o guarda chuva no carro dele

      EDIT: acabou de acontecer a mesma coisa de novo!

    2. se monitores e veja se vc não tem TEI (TRANSTORNO EXPLOSIVO INTERMITENTE). é sério. Sem zoeira.

      Eu discutia muito no trânsito. Ja sai do carro pra chamar motorista pra briga, briguei onibus com outro passageiro, ja persegui, de bike em alta velocidade no meio do transito, um policial (pm à paisana) por ter passado perto demais da minha bike. Mano… só fiz merda. To vivo de sorte. Pareie com isso.
      (Tb praticamente parei de andar de bike depois q o Doria ganhou aqui)

      1. sempre fui muito calmo pra dirigir.
        quem têm pressa não pode andar comigo, pois sou muito “corretinho”. hahaha.
        Faz umas semanas eu berrei com uma outra que estava usando celular. Ela estava bem em cima da ciclovia, livre pra seguir, mas estava usando o smartphone.
        Estou perdendo a paciencia com essas pequenas imprudencias e lixo no chão.
        Eu admito que já errei, cometi crime de trânsito, mas é necessário amadurecer e pensar de forma lógica.

    3. Nunca. Sou, modéstia à parte, um motorista muito calmo e compreensivo. Mesmo assim, ando extremamente saturado do trânsito. Tomei para mim o desafio de passar novembro sem carro. Se conseguir, ou seja, se provar a mim mesmo que é possível viver sem carro próprio, venderei o meu no fim do ano.

    4. Já fui mais estourado, mas não vale a pena.. Primeiro, acho que dificilmente vc consegue mudar o comportamento do cara. Então, tenho me poupado. Eu não me altero, não libero adrenalina, o coração não acelera, etc. Mas é difícil. Requer muita pratica, treinamento. E com esse trânsito que temos aqui, oportunidade não falta. E tem outra questão: a gente nunca sabe quem tá no outro volante. E se o cara, sei lá, saca uma arma? Pra acontecer uma tragédia, bastam uns segundos de cabeça quente….

      1. exato! a chance de vc levar um tiro numa discussão idiota é grande. soco, facada, bastonada etc.

  8. vou usar um iphone 7 da firma para filmar, basicamente. alguém recomenda algo para esse tipo de uso?

    1. Se puder comprar um gimbal, como o Osmo da DJI, acho que é o melhor upgrade para filmagem com smartphone. O iPhone 7 já conta com estabilização óptica, mas o gimbal é tão melhor que parece outra câmera, além de te dar mais flexibilidade para takes em movimento.

      Fora isso, é bom ficar de olho no espaço livre do celular. Vídeo consome muito e há modelos de iPhone 7 com 32 GB.

      1. pedi um modelo 128 gb por isso. mas foi parada dura, pq eles não entendiam a necessidade. sem falar q o 128gb é mais rápido.
        a firma não vai comprar o gimpal. eu recomendei… mas eles acharam desnacessário. vou comprar um pra mim e uso lá.

  9. Pro pessoal que tem iPhone: usam bloqueadores de anúncios pro Safari? Testei alguns, mas parece que impacta muito na bateria. Recomendam algum?

    1. Eu uso o 1Blocker (o antigo, não essa versão nova, o 1Blocker X). Funciona muito bem comigo e, sinceramente, nunca notei qualquer impacto na bateria. Na verdade, só positivos: como o Safari não precisa baixar e processar toneladas de scripts de rastreamento e anúncios, ele consome menos energia.

      Entre os gratuitos, tem o Ka-Block!. É também um dos mais simples de usar (e menos personalizáveis), do tipo instale e esqueça: https://itunes.apple.com/br/app/ka-block/id1037173557

      1. Instalei o Ka-Block. Muito bom, mesmo. Chama a atenção por ser diminuto (e eficiente), onde a maioria dos apps da App Store são gigantescos. Valeu, Ghedin ??

  10. Alguém já comprou algum hardware em sites chineses (Aliexpress, GearBest)?

    Está chegando a “Black Friday” da China e estou querendo comprar memória RAM para o meu PC.
    Lá os preços estão baratinhos, porém, as marcas são desconhecidas para mim.

    1. Já vi uns reviews de RAM, SSD e placa de vídeo, parece que tem algumas marcas decentes.

      1. Eu comecei a olhar um pouco tempo atrás e só vi duas marcas (VEINEDA e KEFU). O preço é que me atrai mesmo, pois aqui chega a ser 2x mais caro.

        Tem algum canal específico desses reviews?

      1. Acredito que sim, pois no meu caso, a memória RAM que estou procurando, aqui no Brasil está custando em torno de R$ 140,00 mais frete (Mercado Livre). No Aliexpress, por exemplo, vejo memórias de R$ 74,00~94,00.

        Estou contando com o fato, do produto ser abaixo de U$ 50 para não ser taxado em 60%. Acredito que vale sim.

    2. comprarei umas traquitanas no aliexpress, provavelmente.
      ia comprar um pocophone, mas acho q vou ter q esperar um pouco (ha – ha – ha – ha).

      1. Também estou querendo comprar um Android Box, mas estou com medo da Anatel taxar.

          1. Estou me referindo ao valor de R$ 200,00 que a Anatel quer cobrar para “homologar” o produto.

          2. caraca! tudo isso?
            aí não vale a pena… mas isso tá com cara de ilegal.

          3. tem cara de ser sim. homologar a mesma coisa várias vezes? bom, tem q processar a anatel etc, aquela coisa… mas está nítido q sacaram essa da cartola pra levantar uma grana. ainda bem q a turma do próximo governo é a turma do imposto zero!

        1. Idem. Me divirto feito paspalho repetindo a palavras várias vezes. Chiaste total!

    3. Estou de olho nas lâmpadas inteligentes da Yeelight, aos poucos quero automatizar meu lar doce lar.

    4. Há uns 6 meses +- eu comprei um SSD da marca Kingdian, na loja oficial deles no Aliexpress.
      Instalei e tudo certo até o momento. E olha que uso muito o note (home office e lazer).
      Recomendo demais.
      Peguei um de 240gb por 205 reais.

  11. Algum produto que vocês estão namorando de blackfriday?

    Eu não estava muito, até que fui pego de surpresa pela Panini que reimprimiu os volumes da Edição Def. de Sandman (to pra comprar o vol 4 tem 5 anos) e vai lançar o 5 ao final mês.

    Fora isso, talvez algum perfume de dia dia que aparecer muuuito barato ou um SSD m.2 simplão pro notebook

    1. Vou aproveitar que alguém próximo estará nos EUA em dezembro e comprar acessórios: mouse, teclado mecânico e suporte para elevar o notebook.

    2. Também estou querendo comprar um SSD, mas também estou de olho em um HD externo e quem sabe um notebook ou um tablet.
      E os perfumes provavelmente comprarei uns também.

    3. pensando em aposentar meu lg x power…só estou em dúvida se importo um xiaomi ou comprou um meia bomba aqui no brasil mesmo…

    4. Uma fritadeira elétrica e uma frigideira antiaderente são as únicas coisas que me animam esse ano :)

      A propósito, existe algo que me entregue um resultado próximo das panelas da Polishop por um preço mais interessante?

      1. Porcelana. Quero comprar panelas de porcelana.
        Comprei a forma, paguei um pouco mais que as de TFlon (sei lá como escreve) e não me arrependi em nada! Mas eu desconheço as panelas da polishop, então posso estar falando algo que nem tem a ver com sua pergunta! heheheh

      2. Minha mãe tem dessas da polishop, honestamente não senti muita diferença se você usar manteiga para grelhar coisas. Até prefiro as de teflon por serem mais leves

    5. Eu preciso de um celular novo.

      Estou namorando os Galaxy S, vamos ver se o 8 ou 9 aparecem num preço interessante.

      Na pior das hipóteses devo me contentar com um Zenfone da vida.

    6. Tô esperando SDD de 240gb bem barato (aqui no rio vende a 190, então vejo se fica bem mais barato) e o pacote office por uns 50 reais

        1. Entra no site boadica.com.br e procura o que vc quer, achando o endereço vá ao local e informe que viu tal produto no boa dica por tal preço, eles vão vender ao preço que vc viu no site. Nunca tive problemas com esses passos, mas um amigo leva print da tela por precaução.

    7. Eu não estava. Mas li as respostas e agora quero comprar panelas! ahhahahaha

    8. dessa vez nada físico, só um software q estou vendo se fica mais em conta… fora isso. comprei uns ebooks no esquenta da amazon.
      acho q tenho tudo q preciso pra me entreter por uns 50 anos aqui.
      queria, claro, trocar de câmera fotográfica, lentes e tal, mas essas coisas não ficam mais baratas.

    9. PS4! To doido por um. Mas no atual preço, nem fod….
      Se baixar um tanto bom na Black Friday, eu animo.

      1. boa, queria um também mas acho que também não será nessa geração que terei console sony ou mais de um console

    10. Bixo vou ver se acho um iPhone no precinho (rs). E roupas, vou encher meus armários hahahahha

    1. Sabia que ele tinha sido vendido, mas não quem era o novo dono. Fiquei surpreso.

      O Meio Bit ganhou um redesign legal da capa e marca, mas pelo tom dos anúncios a linha editorial não deve mudar — para o bem e para o mal.

      1. Ainda não gosto do site, é ruim de ler. Bem melhor o estilo do próprio tecnoblog e to MdU.

        1. Muito ruim mesmo, principalmente pela pagina principal. Nao sei o que é anuncio, noticia recente ou passada.

      2. Fala aí em off Ghedin: Mobilon já tentou comprar o MdU antes da Gazeta?

        De fato ele ficou mais leve desde última vez que visitei, mas ainda tem algumas coisas estranhas.

        EDIT: não sabia (mas era de se imaginar) que o techtudo fosse o maior site geek tech wahtever do país

        1. Ah, e nunca recebi proposta pelo MdU. O blog tem uma audiência considerável, mas acho o perfil dele muito atrelado a mim. Acho que isso dificulta uma venda — a menos que o interessado compre a operação e queira me levar junto.

    2. nunca fui um assíduo visitante do meiobit. pra mim não mudará nada. espero que o estilo do site não vingue tanto no TB.

    3. Espero que realmente continue separado, acho que é um conteúdo interessante, mas nunca fui fã (ou fui há muito tempo) do “sarcasmo” do MeioBIt.

      1. Aliás, achei interessante a maneira como o texto foi concluído: “Muitos falam que os blogs estão mortos, mas mostramos a cada dia que isso está bem longe de ser verdade.”

  12. No meio dessa onda de empreendedorismo e propósito, fiquei super feliz em conseguir o emprego mais careta possível: em um grande banco, ótimos benefícios, horário rigoroso de 8 horas por dia, uasr Windows/Office/Salesforce, etc. Antes eu trabalhava em uma empresa de Big Data pequena que estava crescendo rapidamente, mas era aquela correria o dia inteiro, horário “flexível”, carreira agressiva e com poucos processos bem definidos.

    Realmente é interessante ter autonomia e se sentir mais relevante na startup, mas é um atraso em qualidade de vida e não bate muito com meu perfil ir para área gerencial para onde estavam me empurrando, então resolvi ver como era atuar dentro do banco que é um ambiente mais interessante em termos salariais para quem só quer fazer seu trampo e ir para casa no horário.

    Definitivamente não tenho o mindset “startupeiro millenial”. E vocês, preferem pegar um desafio grande na empresa ou viver mais tranquilamente?

    1. Startupeiro millenial só na minha empresa, na dos outros não me vejo assim.

      por uns anos acho que houve muita demonização no viver tranquilo

      acho que a correria só seria valida em caso de posto de direção ou algo que o valha

      edit: já contratou a reforma da casa nova? :)

      1. Concordo. Pode valer a pena também se ele ganhar mais por produtividade e etc.
        Acho que se for pra se matar trabalhando, que seja trabalhando para si próprio

        1. Para mim há um teto na relação produtividade/remuneração. Prefiro ganhar menos e ter mais tempo e menos estresse do que me estressar para ganhar muito mais.

          1. Claro, eu tbm prefiro. Nada como chegar em casa depois do trabalho, tomar um café tranquilamente e poder jogar um xbox depois, por exemplo. Mas tem quem seja viciado em trabalho, fazer o que.
            O que eu quis dizer é que se for pra trabalhar demais, fazer muitas horas extras, que seja para si próprio, pois isso resulta em mais renda e crescimento profissional.

          2. Ah sim, os famosos workaholics. Eu só não sei se essa consequência trabalhar demais > mais renda e crescimento profissional é garantida. Tem muita gente que arrisca um negócio na crença de que sabe o que está fazendo e patina por anos antes de se convencer de que aquilo não tem futuro.

          3. De fato, não é garantia alguma. É preciso muita organização e eficiência. De nada adianta trabalhar muito tempo sem eficiência. Apenas comentei presumindo que quem está trabalhando está produzindo com eficiência.
            Por exemplo, conheço gente que poderia ganhar mais se quisesse (médico), mas mantém um horário de atendimento em seu consultório mais curto para ter qualidade de vida. Certamente, se quisesse trabalharia até de noite para ganhar mais.

          4. Na verdade, eu percebi que estava também ficando atrasado em relação ao conhecimento técnico, já que trabalhando muito sobra menos tempo para estudos. Como eu quero ser especialista e não coordenador, essa dinâmica “workaholic” estava me segurando na carreira ao invés de me ajudar a avançar.

            Onde entrei tem uma carreira especial para cientista que oferece 8 horas semanais por estudo e outras coisas legais. Vale lembrar que, se eu tivesse trabalhado assim a vida inteira, não teria conseguido fazer o mestrado que abriu essas portas (tanto na empresa antiga quanto na nova).

      2. Eu estava justamente fugindo desses postos, então não fazia muito sentido mesmo ficar por lá…mas ajuda a melhorar o currículo esse tipo de experiência. Por 2 anos, foi bem válido, mas perdeu um pouco o sentido.

        Ainda não, olhei muito por cima que tem os escritórios super caros e tem outras opções mais acessíveis. E tem a questão de só projeto ou acompanhamento da obra. Acabei de receber a recisão do outro emprego, dependendo do quanto for vai ser decisivo para saber por onde eu vou.

      1. O ministério foi integrado à outro, não extinto. Além disso, há outras instituições que já faziam o mesmo trabalho, como o ministério público do trabalho e até a própria justiça do trabalho.
        Eu “demonizo” em termos a CLT. No seguinte sentido: eu preferia ter o valor do FGTS, por exemplo, integrado ao meu salário, e não depositar lá no fundo que nada rende. Porém, sei que a maioria não teria economia alguma se não houvesse esse depósito compulsório, então o FGTS tem lá suas utilidades.
        Mas, de fato, ainda precisamos da proteção legal dos direitos trabalhistas, nossa cultura consiste na maior exploração possível.

        1. O rendimento do FGTS é patético, mas isso que você falou justifica a existência dele. Joga um “quantos brasileiros poupam” no buscador para ver o estado preocupante da coisa. As porcentagens variam, mas são sempre baixíssimas.

          A CLT não é perfeita, mas ela é muito boa para o funcionário. Do jeito que o povo comenta em redes sociais e mesas de bar, é como se o Brasil fosse uma terra só de patrões — algo obviamente impossível.

          1. Concordo que algo tem que ser feito, aprimorado, mas não podemos (ou acho que não deveria) perder de vista a proteção ao trabalhador, que é a parte fraca nesse jogo. Acho equivocado querer comparar e trazer o modelo usado nos EUA (como o eleito apregoa). São mundos diferentes…

          2. Essas comparações com modelo americano são complicadas, antes de ser parecido numericamente e tecnicamente, temos um abismo cultural muito diferente que não tem como ser aplicado aqui.

          3. Pois é: se é para comparar com modelos econômicos de países que nada têm a ver com o brasileiro, por que não comparamos com modelos europeus, onde há forte proteção do trabalhador?

        2. Tem outro problema aí: o FGTS foi a maneira que a ditadura encontrou para acabar com a estabilidade decenal, dispositivo de proteção do trabalho que existia originalmente na CLT e foi sendo gradativamente extinto pelos militares e depois derrotado na CF de 88.

          Até os anos 70, o trabalhador ganhava estabilidade no emprego após 10 anos de trabalho na mesma empresa (salvo engano, dispositivo similar ao encontrado em alguns países com forte estado de bem estar social). Por conta disso, era muito comum que o patrão abrisse uma conta em que ele depositava o equivalente a um salário por ano para no futuro demitir o trabalhador faltando alguns dias para completar 10 anos de trabalho, já prevendo a rescisão. O FGTS nada mais é que a institucionalização desta prática, agora sem a possibilidade de estabilidade.

          1. e como vc sa be disso tudo, jovem gabriel? é com seus amiguinhos de podcast?

          2. como vc está ciente de como funciona o fgts? eu não aprendi isso na escola

          3. ah, não sei, acho que li em algum lugar alguma vez, provavelmente na própria wikipédia. (mas de fato lembro de ter ouvido algum podcast com o Paulo Rená em que ele basicamente explica isso, não lembro se Anticast ou Mamilos).

      2. Rodrigo, eu sou CLT. Você tem empregados? Quando chegar o processinho por desvio de função – teu funcionário acha que fez alguma coisa que não era função dele, aí você vê o lado ruim da CLT em ação. A CLT é enorme, tem uma porrada de coisa lá… Muita coisa caduca, embora tenha melhorado um pouco na reforma trabalhista.

        1. Eu sou funcionário e já fui autônomo. Nunca tive empregado.

          Abusos ocorrem, por isso toda lei precisa ser reformada de tempos em tempos. Só que eles não justificam a demonização de toda a legislação trabalhista, que, em linhas gerais, é boa para o funcionário — isso eu posso dizer com conhecimento de causa!

          De qualquer forma, é normal que patrões como você torçam o nariz para a CLT. Essa lei, como tudo na vida, é uma relação de forças: os patrões querem extrair o máximo da mão de obra que eles pagam e a lei protege o funcionário de abusos nessa extração.

          1. As dinâmicas do mercado de trabalho são complexas, é difícil encontrar equilíbrio perfeito, nos Estados Unidos o nível de proteção é menor, mas se contrata mais rápido, custa menos para o “patrão”. Acredito que a Gazeta não contrata CLT, pelo jeito.

          2. Por que não comparamos com a Alemanha, onde a legislação trabalhista é sólida e a proteção do trabalhador é efetiva? Está longe de ser um país com economia fraca.

          3. A Alemanha tem coisas ótimas, inclusive um sistema de cursos técnicos que funciona muito bem. A Alemanha tem as regras de aposentadoria mais duras da Europa, nada é tão simples.

        2. há abusos de ambos os lados. minha esposa teve que processar uma empresa só pra ter a carteira de trabalho devolvida. segundo eles haviam “extraviado”

          1. da empresa atual que trabalho….
            anos atras levou um processo por intimidar os funcionários. o dono ameaçava os funcionários com uma suposta arma de fogo….
            levou outro por ter funcionário sem carteira assinada….
            mais um de assédio a uma funcionária….

            faturavam milhões por semana e agora correm atrás pra tentar pagar os funcionários.

            como eu falei, tem falcatrua dos dois lados, mas a CLT garante os direitos básicos.

        3. José, processo por desvio de função é coisa séria e grave violação de contrato de trabalho por parte do empregador. É por causa de gente que despreza direitos trabalhistas assim que não me sinto mal quando digo que lugar de patrão é no paredão (#pas).

          Desculpe-me, mas dizer que a reforma trabalhista melhorou só deixa evidente que você não tem a menor vontade (ou empatia) para se colocar no lugar do lado mais fraco desse nó que é a relação empregatícia no capitalismo: além do patrão já extrair violentamente a mais-valia do trabalhador, você quer precarizar o máximo possível a relação de trabalho?

          Isto não é simplesmente elitista, é monstruoso, desumano.

          1. Desculpa, você não faz a menor ideia do quem eu seja ou faça para me taxar de monstruoso ou desumano. Por questões de sigilo profissional eu não posso dar detalhes, até porque eu uso meu rosto e meu nome verdadeiros. Dentro de uma grande organização, minha unidade de negócio paga mais que a média e não é por bondade, é porque isso entre outras ações reduz a rotatividade e rotatividade custa dinheiro. Nada é simples, apenas taxar os outros que você não conhece de elitistas, desumanos e monstruosos.

          2. Você talvez seja um bom chefe, @josantonioferreiradacunha:disqus — não me arriscaria a fazer qualquer juízo de valor sem conhecê-lo ou a sua empresa —, mas o que pesa é a média. A lei é feita para acomodar muitos casos parecidos, mas com especificidades. É por isso, aliás, que os casos são julgados, e não definidos sumariamente.

            É aí que a CLT se justifica. A relação patrão-empregado é desproporcional. O patrão detém o capital, o meio de produção. Ele é o mais forte da relação. A proteção legal existe para nivelar a relação. (É a mesma premissa do Direito do consumidor.)

          3. Rodrigo, eu não me demonizo nada, muito menos a CLT, só que talvez até pela idade – que imagino mais alta que a média – já aprendi a não querer classificar tudo entre ou preto ou branco, na prática as coisas são bem mais complicadas.

          4. Sim, concordo que quase nada da vida se define de maneira binária. Por isso que, apesar dos pesares, ou seja, de alguns problemas pontuais e que surgem com as mudanças na sociedade, não me parece, do ponto de vista do empregado, que a lei trabalhista brasileira seja ruim. Na prática as coisas são complicadas de fato e, mesmo com todas as ressalvas, no fim é preciso tomar um lado. A lei é boa? Se não, por que ela existe?

            Se fizessem hoje uma nova lei perfeita, amanhã ela estaria defasada porque alguém, patrão ou empregado, inventaria um modo de tirar vantagem, ou alguma mudança em outra área, meio “teoria do caos”, geraria rupturas no texto legal. Talvez o maior defeito de boa parte do pessoal do Direito é achar que a lei vem antes da sociedade. É o contrário.

          5. Você começou fazendo pouco caso de um dos abusos mais comuns em relações precárias e hiperexploratórias de trabalho que é o desvio de função. Desculpe, mas não dá pra deixar passar esse tipo de elitismo e classismo.

    2. É o que eu fiz. Ganho um pouco a menos, mas nao faco quase nada de esforco.

    3. Sempre trabalhei em lugar tranquilo, sem pressão, então tenho certa qualidade de vida no trabalho, o que me faz perder certa qualidade é a distância que demoro para chegar no trabalho (e vice-versa), que hoje é de cerca de uma hora e quarenta minutos, perto de casa é difícil achar emprego na minha área (sou contador e moro praticamente em comunidade).

      Sempre digo que aceitaria ganhar menos se pudesse trabalhar perto de casa ou de casa mesmo, pois na minha área é possível.

      Mas para contornar isso to juntando dinheiro pra tirar carteira e comprar uma moto.

    1. Tem cheiro de pirâmide, jeito de pirâmide, características de pirâmide, mas… sei lá. De repente alguém acredita que não é pirâmide.

      1. então é marketing multinível rsrsrsrs não tenho uma opinião sobre, mas é estranho uma nova moeda que não usa blockchain tudo que mais se aproveita no momento, para usar um “um robusto sistema de confiança e governança”

  13. vcs usam VPN? pq? contratei uma por um mês para testar e o aplicativo está sugando bastante a bateria do celular

      1. Hoje, para muitos, os planos praticamente ilimitados de 3G/4G acabaram com a necessidade tão anos 2000 de wi-fi em todos os lugares.

        1. Tem razão, hoje em dia só me conecto no wi-fi de casa, trabalho e da namorada, tirando isso fico no 4G.

        1. Se você usar uma VPN “gratuita”, provavelmente. Nos testes que fiz o ping aumentou em 5ms, praticamente nada, até pq os servidores ficam no Brasil. Até pra jogar online é tranquilo.

        2. Acho que não. Não faço nada no celular que demande conexões muito rápidas, como streaming de vídeo ou jogos. Para o que faço, não tem diferença perceptível.

    1. Uso somente para me conectar à rede do trabalho/clientes. Fora isso, não.

    2. Passei a usar o tempo todo recentemente, depois do resultado das eleições e de ouvir o Nerdcast sobre privacidade (cagaço define hahahahha). Realmente o impacto na bateria é enorme, chuto que há perda de 20-25% de autonomia. Segue o resultado de alguns testes:

      TunnelBear – Tem limitação para alguns serviços, como Discord, torrent e jogos. É a única que testei que não apresenta a mensagem de alto consumo de bateria no Android, mas acho que a queda de autonomia é a mesma de outras VPNs.

      NordVPN/ProtonVPN- entre as que testei foram as melhores, a escolha fica nos detalhes como preço, quantidade de dispositivos, etc.

      ExpressVPN – No teste que fiz a conexão era extremamente lenta. Os testes apontavam 5mb em uma conexão de 36mb.

      (ironia é falar de privacidade no Disqus, logo mais chove ads de VPN.)

      1. Fui olhar aqui e tem baita diferença de preço entre essa Nord e a Proton hahaha

        Com essas três pagas que você testou, é possível usar essa coisa de túnel para ver serviços de streamings fora do brasil?

        1. Como não seria meu foco não fiz muitos testes. Se esse for um killer feature o ideal seria pesquisar as compatibilidades, mas até onde sei os serviços estão fechando o cerco pra vpn.

  14. Mais alguém fez compras na Kabum recentemente?
    Estou tentando comprar um pendrive, e dá erro ao gerar boleto.
    Se eles entrarem assim na Black Friday, vão sofrer bastante perca financeira.
    Kabum, arrumem seu e-commerce.

    1. O agazinedaluisa tava com promo nuns pendrives, peguei um kingston 16gb 3.0 por 25 reais

Os comentários estão fechados.