Post livre #15

Hoje é sexta-feira, dia de post livre. Aos recém-chegados, peguem uma cadeira e sintam-se à vontade. Um post livre é um post sem conteúdo, apenas para abrir os comentários a fim de discutirmos quaisquer temas, até mesmo fora da tecnologia. Sugira os seus, participe dos demais, e vamos nessa.

461 comentários

  1. @ghedin:disqus, alguma previsão de quando vão rolar os reviews no site que você pediu indicação para a gente? Alias, estava ouvindo o podcast hoje e vi vocês falando do tablet cce tf74w, me interessei bastante, tanto quanto me interesso por celulares nessa faixa de preço tambem, até 300 ou 400 estourando (pois é isso que cabe no orçamento), então espero que role bastante coisa desse tipo (e que as empresas te ajudem tambem etc.)

  2. Alguém já investigou o verdadeiro motivo de não se conseguir comentar com a frase “Testado e aprovado” no facebook? As teorias de apocalipse para setembro são pequenas frente as teorias conspiratórias explicando isso por lá…

      1. Exagero meu. Na real o que vi foram amigos brincando com os usos irônicos daqueles a “Culpa do PT/Dilma/FHC/NSA/Zuckerberg/Illuminati/Hackers/Greys/etc,etc”… De qualquer forma, a explicação razoável é a de que certas expressões muito repetidas são identificadas automaticamente como spam/flood pelos algoritmos do Facebook, bloqueando-as.

  3. Vendo gente perguntando sobre sentido da vida e tudo mais aqui, lembrei-me de uma pequena angústia que queria compartilhar.

    O Manual do Usuário tem uma comunidade pequena, mas bastante participativa e bem instruída. É algo muito legal, e ao mesmo tempo que me anima, essa situação intensifica uma frustração minha com a abstração da nossa comunidade. Em termos mais simples, com a falta de uma missão, uma bandeira, algo para lutar, defender ou qualquer coisa parecida.

    O Mulheres na Computação tem uma meta bem definida: promover a inclusão das mulheres na computação. Sites com uma pegada mais jornalística, como Gizmodo, Olhar Digital, Tecmundo e Tecnoblog, têm a missão principal de noticiar, o que é algo importante e uma fonte da qual eu bebo muito para fazer o Manual. Mesmo aqueles canais sobre Android no YouTube, esquisitos e amadores, têm algum propósito, do tipo explicar em detalhes (muitos, para mim, supérfluos) como virar do avesso o sistema ou, sejamos honestos, entreter quem gosta de ficar meia hora vendo alguém mexer num celular — esse público existe. E, note, não digo apenas de missões ~nobres como essas, ou voltadas à tecnologia. O Jovem Nerd, por exemplo, abraça a alcunha e o estilo de vida “nerd” e faz disso uma força. Vlogueiros expõem suas vidas de um jeito que eu jamais faria, mas geram identificação com o público e acabam por ser, ainda que de uma maneira torta e provavelmente não os melhores, meio que role models para os espectadores.

    O que me incomoda é que não tenho nenhuma aspiração do tipo. O que me motiva é contar histórias legais/engraçadas/curiosas e levantar umas reflexões que me ocorrem quando leio sites de tecnologia, como a sobre privacidade que discutimos nessa semana. Eventualmente ajudo alguém a resolver um problema ou fazer uma boa escolha de um celular, mas parecem coisas… pequenas, isoladas. Mesmo curtindo essa proposta, não é algo que me tire o sono, ou que pareça caminhar para algo maior, não em números ou prestígio, mas em propósito.

    Estou lendo aquele Os Inovadores e na parte que trata do Douglas Engelbart, o autor diz que A Mãe de Todas as Demonstrações surgiu de uma inquietude dele em fazer algo útil às pessoas. Engelbart notou rapidamente que todas as missões mais grandiosas eram difíceis e complexas, então resolveu atacar essa conclusão: ele facilitaria a operação do computador para diminuir a complexidade na vida das pessoas. É esse tipo de propósito que não consigo vislumbrar e que, acho, poderia ser aproveitado com o que estamos construindo aqui. É uma sensação crescente de que uma boa oportunidade está sendo desperdiçada.

    Talvez seja algo muito pessoal e exagerado, mas como o site sou eu e vice-versa, coisas que acontecem comigo acabam refletindo aqui. E isso tem me tomado um tempão. Fico pensando “ok, isso é legal, mas no que contribuo para o todo?”

    Não tenho resposta, e nem espero que alguma surja (embora, se acontecer, será sensacional). É só um desabafo mesmo.

    1. Parece haver uma espécie de confusão sobre um propósito para você, o blog e/ou a comunidade em torno. Autor-criador, obra e público. A internet veio e bagunçou isso também, né? Ou talvez seja algo de nosso tempo mesmo. Há muita co-criação envolvida e uma certa predisposição do público a uma super identificação com os autores/criadores (e não apenas com sua obra). Embora poderosa, essa “super identificação” pode tornar as coisas um tanto irracionais/emocionais… Não me parece saudável criar torcidas organizadas, embora possa ser mais lucrativo e mobilizador…

      Dizem que, “Para quem só sabe usar martelo todo problema é prego”. E o equivalente ao conjunto de ferramentas que um autor pode ajudar a criar seriam múltiplas, novas e melhores perspectivas e critérios. Mesmo histórias podem trazer isso consigo ao mesmo tempo que entretém. Acho que um dos diferenciais do Manual é trazer um tanto disso na sua mistura em relação a tecnologia em nossas vidas (além das questões mais simples e diretas envolvendo sua operacionalidade). Assim podemos resolver problemas e ver problemas que não estávamos vendo… Só nisso já vejo potencial para uma boa contribuição para o “mítico todo”. O resto que pode surgir (espontaneamente) numa comunidade é lucro. Ou vc tem ambições mais específicas?

      1. Há muita co-criação envolvida e uma certa predisposição do público a uma super identificação com os autores/criadores (e não apenas com sua obra). Embora poderosa, essa “super identificação” pode tornar as coisas um tanto irracionais/emocionais… Não me parece saudável criar torcidas organizadas, embora possa ser mais lucrativo e mobilizador…

        Exatamente!

        Eu consigo ver essa boa contribuição que decorre dos textos publicados aqui, dos mais pragmáticos aos que suscitam alguma reflexão em quem os lê. O que me deixa inquieto é ter (ou perceber) algo maior, ou chegando a quem mais precise. A parte sobre a espontaneidade do que pode surgir aqui é interessante; talvez esse propósito que estou procurando apareça quando e onde eu menos espero.

        Obrigado por esse comentário.

  4. Vendo gente perguntando sobre sentido da vida e tudo mais aqui, lembrei-me de uma pequena angústia que queria compartilhar.

    O Manual do Usuário tem uma comunidade pequena, mas bastante participativa e bem instruída. É algo muito legal, e ao mesmo tempo que me anima, essa situação intensifica uma frustração minha com a abstração da nossa comunidade. Em termos mais simples, com a falta de uma missão, uma bandeira, algo para lutar, defender ou qualquer coisa parecida.

    O Mulheres na Computação tem uma meta bem definida: promover a inclusão das mulheres na computação. Sites com uma pegada mais jornalística, como Gizmodo, Olhar Digital, Tecmundo e Tecnoblog, têm a missão principal de noticiar, o que é algo importante e uma fonte da qual eu bebo muito para fazer o Manual. Mesmo aqueles canais sobre Android no YouTube, esquisitos e amadores, têm algum propósito, do tipo explicar em detalhes (muitos, para mim, supérfluos) como virar do avesso o sistema ou, sejamos honestos, entreter quem gosta de ficar meia hora vendo alguém mexer num celular — esse público existe. E, note, não digo apenas de missões ~nobres como essas, ou voltadas à tecnologia. O Jovem Nerd, por exemplo, abraça a alcunha e o estilo de vida “nerd” e faz disso uma força. Vlogueiros expõem suas vidas de um jeito que eu jamais faria, mas geram identificação com o público e acabam por ser, ainda que de uma maneira torta e provavelmente não os melhores, meio que role models para os espectadores.

    O que me incomoda é que não tenho nenhuma aspiração do tipo. O que me motiva é contar histórias legais/engraçadas/curiosas e levantar umas reflexões que me ocorrem quando leio sites de tecnologia, como a sobre privacidade que discutimos nessa semana. Eventualmente ajudo alguém a resolver um problema ou fazer uma boa escolha de um celular, mas parecem coisas… pequenas, isoladas. Mesmo curtindo essa proposta, não é algo que me tire o sono, ou que pareça caminhar para algo maior, não em números ou prestígio, mas em propósito.

    Estou lendo aquele Os Inovadores e na parte que trata do Douglas Engelbart, o autor diz que A Mãe de Todas as Demonstrações surgiu de uma inquietude dele em fazer algo útil às pessoas. Engelbart notou rapidamente que todas as missões mais grandiosas eram difíceis e complexas, então resolveu atacar essa conclusão: ele facilitaria a operação do computador para diminuir a complexidade na vida das pessoas. É esse tipo de propósito que não consigo vislumbrar e que, acho, poderia ser aproveitado com o que estamos construindo aqui. É uma sensação crescente de que uma boa oportunidade está sendo desperdiçada.

    Talvez seja algo muito pessoal e exagerado, mas como o site sou eu e vice-versa, coisas que acontecem comigo acabam refletindo aqui. E isso tem me tomado um tempão. Fico pensando “ok, isso é legal, mas no que contribuo para o todo?”

    Não tenho resposta, e nem espero que alguma surja (embora, se acontecer, será sensacional). É só um desabafo mesmo.

  5. Alguem assina (ou ja assinou) algum site de streaming de esportes online, tipo o http://www.eiplus.com.br ou o http://www.mastertv.biz? como não tenho grana, nem interesse em tv a cabo, só queria mesmo para ver os esportes ao vivo, dai queria uma indicação de algo online pois é bem mais barato.

  6. com um super atraso, já q o post é de sexta, mas se alguém tiver feito uma leitura mais acadêmica sobre jogos para videogame e puder me indicar, agradeço. já passei por alguns livros americanos, mas acho q há bem mais por aí. não precisa ser necessariamente no formato de livro, vale artigo ou mesmo reportagem. abs.

  7. Preciso de ajuda. Estou com um problema no Chrome do meu Android, e outros 3 familiares estão com o msm problema. É o seguinte, ao tentar acessar qualquer site (Tecnoblog, GSMARENA, GLOBO.COM, etc) aparece mensagens de que o aparelho está com vírus ou está desatualizado. E não tem como fechar ou ignorar, e inviabiliza a navegação. Alguém sabe como resolver isso? É um problema bem irritante, e no google não achei solução. Achei um fórum, mas sem solução:

    http://ajuda.forumeiros.com/t99710-visualizacao-indevida-de…

    Alguém pode me ajudar? Mais alguém está passando por isso e achou a solução?

  8. E essa Meizu ai gente… Emplaca em terras tupiniquins?

    1. Não acompanho o mundo Android. Os aparelhos são bons?

      E será que da mesma forma que houve um lobby contra montadoras chinesas de veículos aqui no Brasil, não rola com os celulares também?

      1. Putz cara, que sistema você usa? Sabendo escolher, são os melhores, mesmo alguns intermediários. E só ver o Moto G, tem uma autonomia melhor que a do IPhone 5s e 6, que custam ate seis vezes mais…. tenho um moto x ha meses, e não tem oe que reclamar… A flexibilidade do sistema me encanta…. Quanto as chinesas, creio que não. Logo logo a Xiaomi embarca aqui, e se manter a f filosofia, vai espancar a concorrência

        1. Ah sim, a pergunta era a respeito dos aparelhos da Meizu em específico. Sei que outros Android são bons :p

    2. Não procurei então vou me ater a uma pergunta só: a camera é boa? pois os androids intermediarios, de sistema, eu ja sei que eles são ótimos, o que mata (Sempre) é a camera, com uma melhora gigante sei la, em relação ao moto g (apesar do moto g 2014 ter a camera bem melhor do que a versão anterior) ja ia ser uma salto excelente na frente dele.

      1. Ta falando de qual? O mx4 e o pro tem ótimas câmeras, se é isso que quer saber

  9. Um bom notebook, core i5, com peso entre 1,8kg e 2kg no máximo? Quanto mais leve melhor. O preço na faixa de 2 mil reais, pra menos.

    Alguma sugestão?

    1. comprei um dell vostro 5470… mas, amigo, ele veio com a placa wireless zoada (e isso com vários compradores) e eles não trocam se vc não instalar win 8.1 q vem de fábrica (o q me recuso a fazer). eu recomendaria esse note, mas é quase como comprar uma bike caloi: vc vai ter q trocar várias peças se quiser deixá-la melhor. nesse dell q comprei troquei memória de 4gb por 8gb, hd por ssd e já encomendei uma placa wireless nova de outro modelo q funciona bem nele. eu já não recomendo mais a dell a ninguém por essa falta de habilidade em resolver problemas… tanto q meu próximo equipamento já não será mais dessa marca – e agora entendo o apego e apreço do pessoal pela apple. se tiver grana, compre um equipamento de uma empresa q não seja tão… mesquinha (se existir, claro).

      1. Cara, você dar mais detalhes sobre essa placa que você comprou? Na facul esse notebook tá ficando popular pelo custo benefício (roda os programas da Autodesk de boas) mas o Wifi da universidade já é uma merda, então já viu.

        1. no forum da dell, apesar do suporte da dell não considerá-lo válido, tem muita coisa sobre esse note e vc pode decidir se vai ficar com ele ou não. então recomendo seu ingresso lá pra esclarecer a partir de quem tem um e usa no dia a dia. a dell lançou um vostro 5480, q já vem com uma placa wireless nova, mas não sei se já testaram essa máquina pra valer ainda. mas o maior problema dessa wireless intel n 7260 é q ela não está funcionando bem em várias situações: uma certa distância do roteador, qdo tem um monitor extra ligado ao note e outras bizarrices. eu vou trocar a minha placa por um modelo AC 7260 q, parece, é q tem funcionado melhor. a dell deveria fazer um recall e trocar, mas está marcando bobeira e desagradando muita gente… uma pena. pq é isso mesmo: esse note tem um bom custo benefício. ele é bem leve, tem uma tela boa e com um ssd, fica bem rápido.

  10. Sempre achei bastante interessante a não-tão-recente tecnologia RSS, afinal, é fantástico poder ler todos os conteúdos de seus sites preferidos em um único lugar, sem ter que abrir bilhões de abas pra depois selecionar o próprio conteúdo em cada site e daí poder ler.

    Mas, sempre tive uma relação de amor e ódio com ela. Como acompanho uma quantidade grande de sites, isso acaba sempre gerando uma bagunça no meu feed, bagunça essa que acaba fazendo eu desistir de usa-la e recorrer sempre a maneira tradicional.

    Ultimamente tenho pensado em voltar a usar isso em meu favor e espero que definitivamente, já que estou praticamente sem PC graças a uma queda de luz que o queimou, fazendo eu depender do meu cel 24/7.

    Testei flipboard como alternativa, mas o resultado foi o mesmo: Uma bagunça gigante, sendo assim, gostaria que me dessem dicas de como posso montar feeds mais organizados ou pelo menos livre essa minha cisma de desorganização. Também se puderem, sugiram serviços/apps legais ou alternativos ao RSS/flipboard caso conheçam, será de grande ajuda.

    1. * Não cadastre feeds de sites que publicam demais (+10 posts/dia). Para sites de tecnologia gringo, use o Techmeme, que faz uma curadoria bem boa do que sai de mais importante.

      * Use pastas para segmentar por assunto. Fica mais fácil marcar/ler posts sobre um mesmo assunto e fazer a triagem do que lhe interessa.

      * Eu faço um “processamento”: textos grandes mando ao Pocket; coisas menores, leio na hora. Vídeos coloco no “Assistir mais tarde” do YouTube. O que me interessa ou precisarei mais tarde (para a newsletter, por exemplo) marco com estrela.

      * Se começo a ignorar muito um site, ou dá preguiça de lê-lo, descadastro.

      * Dou uma passada todo dia, religiosamente. Não deixar acumular é uma dica bem boa.

      Uso o app do próprio Feedly no celular e tablet, e no PC, o Nextgen Reader.

      1. Boa!

        Adicionei uma diretriz nos meus feeds que é de seguir sites cuja a autoria do texto eu consigo perceber facilmente. Acabou que naturalmente meu feed se reduziu a blogs mais autorais, como DaringFireball, OM Malik, Thurrot, MacStories, etc. Menos junk.

      2. Acho que essa dica do “Não cadastre feeds de sites que publicam demais (+10 posts/dia)” é a diretriz fundamental ao se usar o feedly, confesso que eu tinha o tecmundo por ex la, e cara, NÃO DA, é muita coisa inutil.

        1. Eu também tinha o TecMundo e vários outros sites nacionais e gringos gigantes cadastrados, e cara… Era horrendo ficar vendo umas 30 notícias surgindo a cada minuto.

      3. Baixei o Nextgen Reader pra WP (já que não tem o oficial, o que é uma novidade), e tá cumprindo o que promete. Tô usando também o app MSN Notícias pra notícias gerais do Brasil e do mundo (ele tem uma curadoria legal). Reduzi uns 80% dos sites que eu cadastrei no Feedly e por enquanto ta beleza, mas como hoje é sábado e os sites não postam muito, só saberei se aguentarei ou abandonarei novamente segunda, logo na E3.

  11. Parabéns. Continue assim. Esse site é realmente muito interessante!

  12. Ghedin, há algo que explique a ausência das mulheres nos sites de tecnologia? Olha os comentários daqui, por exemplo, só homens.

    1. Agora mesmo estava escrevendo um e-mail sobre isso. Com sorte, em breve teremos uma resposta de alguém com conhecimento no assunto :)

      Eu não sei o que acontece, e é algo recente. Mulheres sempre estiveram presentes na tecnologia, mesmo no passado, quando a sociedade encarava com naturalidade a ideia absurda de superioridade masculina. A história da criação do computador, por exemplo, tem várias personagens mulheres.

  13. Venho aqui publicar um assunto polemico que surgiu agora, não tão polêmico quanto mamilos ou a decadência do GizBr mas, é algo…

    Acham que seria possível, não no Brasil, mas em algum lugar decente, ou louco o bastante. Proibirem a religião para crianças, até atingir a maioridade?

    1. Por que você acha que banir a religião é bom e decente?

      Se você quer tanto isso é bem simples resolver e depende apenas sua vontade. Cuba é contra qualquer religião e um Estado ateísta. Mude-se para lá e seja muito feliz.

      1. Em nenhum momento afirmei nada, então relaxa! Perguntei qual tua opinião sobre proibir a doutrinação de crianças em religiões…

        1. ESSE assunto é bem polêmico, talvez nem fosse o caso de ser discutido aqui — diz o ditado e é (em parte) verdade: política, sexo e religião são assuntos difíceis, especialmente por texto, sem as nuances e a empatia que uma conversa pessoal oferece.

          Mas, já que estamos aqui… né? Eu acho esse tipo de solução ruim, no mínimo, e intolerante se observada com atenção. O que constitui um ateu é a sua incapacidade de acreditar em um Ser Superior e, por extensão, a incredulidade em gente que acredita nesse Ser. Isso, com frequência, faz com que ele se comporte da mesma forma que aqueles que mais critica, apenas com a razão invertida — para um religioso fervoroso, a ideia de não adorar um Deus é tão pavorosa quando a do ateu que o observa, e vice-versa.

          Banir conhecimento é um desserviço. E a religião, mesmo que você não concorde com e/ou renegue a vibe espiritual da coisa, é um negócio importante no contexto sócio-cultural e histórico. Ignorar isso é dar de ombros para um negócio que é importante para bilhões de pessoas.

          Talvez o melhor exemplo de que o caminho para (o que um ateu considera) a ILUMINAÇÃO seja o da Suécia. É o país com mais ateus do mundo (e não Cuba, como o amigo ali disse): 85% da população não acredita em nada. Religião é assunto proibido lá? Pelo contrário:

          “(…) os suecos aprendem sobre cada uma das religiões na escola e são livres para escolher seguir ou não uma delas. E isso se repete na maioria dos países com alto índice de ateísmo”

          Daqui: http://mundoestranho.abril.com.br/materia/qual-e-o-pais-com-mais-ateus-no-mundo

          1. O que quis dizer, é, não termos crianças religiosas até que elas pudessem escolher por si, assim como, só podemos escolher nossos representantes após os 16 anos. Não é impor uma ditadura ateia a todos, e sim, dar escolhas à todos. Coisa que hoje em dia, é algo muito raro.

          2. O que quis dizer, é, não termos crianças religiosas até que elas pudessem escolher por si, assim como, só podemos escolher nossos representantes após os 16 anos. Não é impor uma ditadura ateia a todos, e sim, dar escolhas à todos. Coisa que hoje em dia, é algo muito raro.

          3. Você acha que isso é mesmo uma escolha?

            E qualquer pessoa que seguiu uma religião durante toda a vida pode mudar quando crescer. Por sinal, isso é extremamente comum no Brasil.

            O grande problema é que hoje em dia grupos de esquerdas são em maioria totalmente intolerantes e muito bem organizados para defender seu pensamento sem dar qualquer atenção ao diálogo. O mais grave é a perseguição e criminalização a tudo que não condiz com o que eles pregam.

            A sociedade brasileira é laica e isso é ótimo. Todos já tem essa escolha.

            Na verdade, muitas pessoas falam sobre ensino religioso como se fosse voltado para o cristianismo, mas não é verdade. Pelo menos onde estudei, sempre trataram das diversas religiões e nunca ocorreu uma doutrinação. Os estudos mostravam a história das religiões e era até interessante.

            Não entendo sinceramente o que você quer dizer sobre dar escolhas nesse caso. Entretanto, acho que o importante atualmente é não ter preconceito contra quem tem religião.

            Infelizmente isso na jornalismo brasileiro é marcado pela intolerância e direcionamento político.

            Ano passado foi completamente nojento o que a mídia fez com alguns candidatos, principalmente a Marina Silva. Por ela ser evangélica toda entrevista que ela ia sempre vinham com pergunta sobre religião e tentavam desqualificá-la por isso.

            O mais absurdo era que outros candidatos como a Dilma e o Aécio esse assunto nem era ao menos citado. A Dilma em entrevistas anteriores chegava a dizer que nem sabia se acreditava na existência de um Deus, mas, foi só a campanha começar em 2010 que rapidinho ela se tornou católica.

            Quando se acompanha essas questões, se nota como o jornalismo no Brasil está impregnado de posicionamentos ideológicos não assumidos e muito preconceito.

          4. Mudar de religião pode ser uma escolha, mas em muitas famílias é como assassinar alguém, mas divago, esta ideia, é bem simples em sua tese, mas sua aplicação é algo horrendo. O que disse anteriormente é, deixar a criança livre, sem religião, a criança não precisa ser ateia ou algo do tipo, apenas para que a cabeça dela cresça sem dogmas, e que quando tiver a idade para tomar suas próprias decisões, no Brasil, mentalmente ~16 aos 21~ anos na média. E assim seguir sua vida com ou sem religião.

          5. Você fala de um ponto que na verdade não acredito ter relação com a religião e sim com a família. Existem pessoas que não estão preparadas para ter filhos. Acredito que é importante as crianças terem alguma direção e aprenderem as tradições e cultura dos pais. O problema acontece quando é algo mais radical.

            Não será aprender sobre diversas religiões na escola que converterá fiéis. A base familiar é extremamente importante e cada um encontra seu próprio caminho. Sinceramente não acredito nem que o Estado deva se preocupar.

            O mais importante hoje para o nosso país é a educação. É a falta dela que infelizmente torna as pessoas tão dependentes da religião.

            Quando fico de olho em comentários brasileiros sobre tragédias e desastres naturais é triste ver que a maior parte da população se apega a Deus e a religião. Fica evidente como a educação extremamente ruim no Brasil deixa as pessoas como meros figurantes, que se sentem dependentes de religião para mudar as coisas. A educação é que precisa mudar. Mas, isso não é bom pois boa parte das pessoas teriam pelo menos um pouco de consciência.

          6. Sentando na janela: Assista Jesus Camp e volte aqui. Não é tão simples assim.

          7. Isso seria impossível de controlar (haveria censores dentro das casas para proibir a doutrinação dos pais?) e reduz um tanto o livre arbítrio da criança e do adolescente (ainda que incapazes, são gente e a manifestação da religião pode acontecer cedo). E a comparação com o direito ao voto não vale — esse é um direito que afeta a coletividade, ao passo que a religião é de foro íntimo.

          8. Tenho que discordar em relação à intimidade da religião, pois, no Brasil, assim como vários países, tanto desenvolvidos como os subdesenvolvidos, a religião, infelizmente, tem participação enorme na vida coletiva, de leis barradas por bancadas políticas, que poderiam beneficiar o coletivo, estimulando o desenvolvimento como sociedade, à tradições e festas patrocinadas pelo governo.

    2. E como seria possível proibir? Nenhum pai concordaria (se pá nem mesmo alguns agnósticos e ateus). Penso que a solução não é proibir, mas ensinar pelo menos uma meia dúzia de crenças diferentes com o mínimo de dogmatismo possível (porque nenhum dogmatismo é quase utópico), sob o ponto de vista histórico e também explicar que não acreditar em nada disso é de boas. Mostrar os podres delas também seria excelente, mas né? Acho que é pedir demais já =P

      1. “E como seria possível proibir? ” Leis, é para isto que servem. Sobre ensinar meia dúzia de crenças; É complicado, ou se ensina todas ou se ensina nenhuma, ou algo mais desenvolvido, ensina sobre as religiões mais comuns de sua região.

      2. Não acho que isso deveria ser ensinado, não ao menos, no ensino regular. Porquê isso iria gerar algo ruim, eu tenho que escolher algo não posso me omitir, acho que o conhecimento deveria ser adquirido enquanto a criança cresce, de forma natural.

        1. mas cê falou nada de ensino regular pra começo de conversa. o meu exemplo estava se focando no ensino dentro de casa, nas suas devidas proporções. obviamente, o ideal é que tenhamos um ensino laico, mas isso tu pode encaixar numa aula de história e evitar dogmatismo ao mesmo tempo. não dá pra tentar fugir de uma das maiores fontes de formação cultural de uma sociedade inteira.

          quanto às leis, tudo é bonito no papel. o PCN e PNE do ensino regular, por exemplo, fala-se de um monte de coisas as quais seriam maravilhosas se dessem pra aplicar na educação. e também envolvem leis, ou orientações que são obrigatórias em alguns casos e outros não – mas a aplicação prática nunca é simples assim. eu concordaria com alguma lei que regulasse, por exemplo, o ensino (principalmente exclusivo) do criacionismo nas escolas, ou a obrigação de ensino religioso. agora, se você está falando de proibição num sentido mais amplo…

    3. cara, sou professor, e não creio q, por exemplo, numa aula de história eu deva encorajar ou desencorajar um jovem a seguir algo. é preciso falar com o jovem sobre todas as religiões e como elas se encaixam nos diversos processos históricos (no meu caso) e, ao mesmo tempo, discutir problemas atuais e como as religiões os enfrentam e ajudam (ou complicam). apesar de ser ateu, acredito q a religião ajude, sim, a um grande número de pessoas encontrar um rumo na vida. (não à toa perguntaram aqui o sentido da vida q não apareceu do nada, isso é manifestação interna de quem escreveu isso mesmo q de modo inconsciente) no caso dos jovens é a mesma coisa, especialmente para adolescentes q tb precisam lidar com diversas outras questões: biológicas e comportamentais… o q mais me preocupa nisso é o quão severa algumas religiões são e o impacto q elas têm em algumas pessoas mais sensíveis a essa severidade… não falo de fundamentalistas ou extremistas q são um caso mais grave, mas há visões religiosas q são bastante austeras e tornam a vida dos jovens – especialmente dos jovens – bastante complicada especialmente qdo ela são, digamos, “punitivas”. as pessoas podem mudar de religião e, pelo q eu saiba, no brasil, o número de pessoas declaradamente sem religião só aumenta e o número de pessoas sem um compromisso específico com alguma religião (católicos q se aproximam do espiritismo, por exemplo) tb. seu questionamento é válido, mas as nossas leis não permitem a restrição, pois iria de encontro ao ECA e a constituição… se tiver interesse tem algumas coisas aqui: http://www.promenino.org.br/noticias/arquivo/eca-comentado-artigo-16livro-1—tema-liberdade. abs.

    1. Luis, amigo. Vai dar tudo certo.
      Vou destruir essas barraqueiras e a vida vai voltar a ser como antes.
      Confie em mim.

      1. Suas piadas não tem graça. Você não tem mais idade pra fazer gracinha na internet tia.

          1. Se você não falar comigo vai falar com quem se não tem vida fora do fake?
            Nunca vou te abandonar meu autista querido da melhor idade.

      2. Nem me fale em dia dos namorados. Estou com sangue nos olhos depois de levar um chifre.
        Já coloquei até um cd da lady gaga pra ver se passa, mas… aff mano

  14. Mais tarde postarei um mini-review do app do Disqus (pro WP) aqui na seção de comentários, conforme sugestão do amigo Pedro Dal Bo na semana passada.
    Caso alguém se interesse.

    Caso alguém use WP.

    1. Eu sugiro esperar uma limpeza aqui. Infestou de doentes nos comentários e corre o risco da sua contribuição se perder no meio de tanta merda.

      1. Vagner, por que toda vez vc faz isso? Apaga seu usuário normal e cria um de “zoeira”? Volta pro modo Banner, porque você não é um legítimo Hulk.

        1. Respeite-me sua anciã. O Vagner escreve uma redação do enem em cada comentário. Eu sou um defensor da justiça e vim pra livrar o mundo da devastação de doentes mentais como a senhoura.

          E pra honrar os nobres leitores e contribuidores deste blog tão querido.

          1. Cara, você é infantil, sempre foi. Metido a menino bonzinho, arrogante no fundo, sempre querendo ser o que não é.
            E, quando é desmascarado (como te desmascarei ali embaixo, postando o link do Gizmodo te exaltando), você sempre faz A MESMA COISA: apaga o usuário, fica putinho e volta com um user troll.
            Já são o que, uns 4 anos disso entre nós? Ou você aprende a discutir ou para de comentar na internet, cara, na boa!

          2. Mano do céu, vc é muito doente. Quem diabos ficaria 04 anos brigando com fakes na internet?

            Eu sou um dos assinantes daqui que faz questão de dar uns trocados só pra não ter que conviver com amebas como você. Nem te conheço… mas te odeio.

          3. Também acho que ele precisa.
            Seja homem Vagner, apagar os comentários por conta de fakes bosta?

          4. Espera que tô respondendo o você do chrome no outro post e o você do firefox me chamou lá embaixo.
            Já volto vó.

          5. Vagner, eu tô falando sério aqui. Estou te desmascarando pra ver se você cresce e para de encher o saco de vez.

          6. Vem então. Chama tuas amigas do asilo, vó.
            Tá achando que a vida é fácil e é só chegar nos sites, tirar a dentadura e por a fralda geriárica de lado?

            Aqui tem dono e leitores com culhões ou coalhões ou coisa parecida, sua ameba autista com twitter.

      1. Certo Guedin Quando chegar em casa dou uma ajeitada e te mando. Mas é uma coisa simples, demonstrando as funcionalidades do app.

    2. Comecei a usa-lo depois do meu pc ter dado pau, achei muito bom, mas tem uma coisa que incomoda: Botão pra abrir pagina do post no Browser. Me pergunto como não inseriram isso ainda.

    3. Comecei a usa-lo depois do meu pc ter dado pau, achei muito bom, mas tem uma coisa que incomoda: Botão pra abrir pagina do post no Browser. Me pergunto como não inseriram isso ainda.

    1. baixaram o nível aqui total
      é até um desrespeito para o pessoal que colabora assinando o site
      @malcriadorj:disqus e @legolastheelf:disqus tenham um pingo de vergonha na cara suas doentes mentais

        1. Sim. Vocês duas são as únicas autistas aqui que moram dentro de um personagem. São tão doentes que tem até Twitter…
          Manas, procurem ajuda. Ou um macho pra dar um jeito nesse vício.

          1. Não tenho nenhum twitter, não gosto da ferramenta e em respeito ao Ghedin, estarei cagando e andando pros seus comentários, pois não quero que isso aqui vire um flood…

          2. Foda-se demente. Aposto que neste momento está em 4 navegadores, mais 3 anonimos, mais 4 com VPN pra conversar consigo mesmo e dar “gostos” em si.
            Espero que saia dessa algum dia.

          3. @usuriomododeus:disqus, agradeço a intervenção, mas deixa o papo rolar. Não estava ruim, de verdade. O Manual do Usuário está sempre aberto para todo mundo, independentemente do passado. Recebemos bem, para recebermos sempre.

            Paz!

          4. Ok, Ghedin. Perdão pelos excessos.
            Pode apagar meus comentários (se tiver como), acabei entrando na deles que estava ruim sim, de verdade.
            Se olhar vai ver que estavam até pregando que determinada pessoa deveria ser guilhotinada.

            P.S.: amigos, tenham um pingo de respeito, já que a maioria aqui já haviam se manifestado neste mesmo post que não gostam do modo como vocês agem em outros sites

            P.P.S.: não é o Vagner como pode ver pelo IP (perdão Vagner)

          5. Eu disse que não ia responder… Entrando na nossa? a gente estava aqui de boas com todos, conversando na moral sem desrespeitar ninguém, até você aparecer atacando a gente aleatoriamente. Modo que agimos? somos uma quadrilha agora? apenas comentamos.. nada mais e nada menos, então antes de apontar o dedo na nossa cara, olha bem quem começou com o Rage mode HUE BR aqui….

  15. Dúvida que me acompanha faz alguns meses: Por que o site das casas Bahia dá desconto para quem acessa o portal deles via ipad/iPhone?

    1. Incentivo. Vários sites de e-commerce dão mais descontos para quem vem de buscadores, comparadores de preços, páginas de bancos…

  16. Quando não estou de frente a uma tela preta tentando deixar o Manual do Usuário mais rápido (e manter o servidor de pé), estou tocando violão. Acabei decidindo começar a gravar e gostaria da opinião de vocês.

    O vídeo já tem pouco mais de quatro semanas, mas está valendo. Pretendo voltar a gravar assim que terminar alguns projetos paralelos essa semana.

    O que acham?
    https://www.youtube.com/watch?v=MXvhRb0ZUpE

  17. EM NOME DE JESUS, DÁ PRA ALTERAR AS PROPAGANDAS DO SPOTIFY?
    O meu Spotify tá todo gospel e não aguento mais isso. Volta Preta Gil e Mumuzinho!!

    1. Por causa disso e do offline, fui pra um plano familiar com + 4 amigos e pronto… 9 e uns trocados pra cada um, de 3 em 3 meses. Problema resolvido rsrsrs

      1. Não é tão fácil assim. O que adianta o cartão se não tenho a senha?

        1. Ah, ehh. Esses problemas de ordem maior que são difíceis de solucionar hehehe

  18. Minha grande dúvida é o tamanho (GB) do IOS 9. Será que vai ocupar menos espaço? Será que vai viabilizar o uso de iPhones de 8GB ? Pq hj em dia, é inviável ter iPhone de 8GB.

      1. Mas será que o usuário que tem o aparelho de 8 GB vai deixar de ter só 2,5 GB livre e saltar para uns 6 GB pelo menos?

          1. Caraca! Se ficar assim msm, com 6GB livres, aí fica viável msm o de 8 GB!

          2. Sem contar que eles inventaram aquela coisa de baixar só os pedaços do app que a pessoa vai usar. Com isso, eles prometem também diminuir o tamanho dos apps e ajudar as pessoas que ainda usam aparelhos de 8GB.

          3. Sem contar que eles inventaram aquela coisa de baixar só os pedaços do app que a pessoa vai usar. Com isso, eles prometem também diminuir o tamanho dos apps e ajudar as pessoas que ainda usam aparelhos de 8GB.

          4. To pensando seriamente aqui em trocar o Moto X 1 por um 4S, ou 5C.

          5. Duro é o preço….. mas realmente, não teria coragem de pegar o 4S… Com os preços praticados, está mto difícil migrar pro IOS. E achei o iPhone 6 mto feio. Quando for trocar, estou pensando no Galaxy A5 ou A7 e Moto X 2.

    1. Acho, mas só acho.
      Não vai diminuir o tamanho do sistema. A atualização é menor, então você vai precisar de um espaço menor no aparelho para atualizar.

      O que pode acontecer é que agora o iOS 9 vai baixar somente os arquivos necessários para o dispositivo. Como é isso? Assim:

      Quando o desenvolvedor está varando a madrugada trabalhando, ele coloca no pacote do aplicativo todos os arquivos que serão usados por todos os dispositivos alvos.
      O caso mais notório são as imagens. Vamos pegar às dos ícones. É preciso colocar uma imagem para cada resolução de telas que os dispositivos da Apple possuem. Conta rápida sem precisão, umas 10. Então são dez imagens de ícones que devem existir no pacote do aplicativo. Quando o sistema vai instalar, ele baixa todas as imagens, até agora. Com o iOS 9 ele irá baixar somente aquelas referente ao seu dispositivo. Olha a economia.

      Agora, você pode torcer pro sistema fazer isso com ele mesmo, as imagens do sistema que estarão no seu dispositivo sejam só aquelas que você irá utilizar mesmo. Neste caso, pode ser que haja uma liberação de espaço extra.

      #prontofalei2

  19. entao.. eu comecei a fazer videos diarios comentando sobre tecnologia..
    vcs, como consumidores desses videos, tem interesse em conteudo de video sobre isso!?

    eh so pra saber msm.. eu vo fazer pela diversao.. kkkk

    1. Cadê? De uns dias para cá tenho visto vários canais de YouTube sobre tecnologia e estou abismado com a relação qualidade-popularidade. (Sem pressão, haha!)

          1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
            I get it! =D

        1. – Apoie sua bunda em algo;
          – A mão que segura a câmera chega a tremer. CONTROLE-A!
          – Esqueça esta baboseira de daily vlog, tags e vedas. Isto é coisa de maquiadora e do pessoal do Lego;
          – Os do fundo amarelo ficaram bem bons;
          – Tem um muleque chamado Teteu ou MeteuTutors ou coisa do tipo que pode servir de inspiração;
          – A Gretchen Avaliadora de Youtubers Iniciantes é bem legal tbm.

          1. – OK!
            – OK!
            – A diferenciação por tags é pq a gnt tbm recebe aparelhos pra teste.. a produção é diferenciada.. mas ok! valeu =D
            – Essa foi a série do VEDA.. foram 2 meses de gravaçao pra quase 1 mês de vídeos..
            – OK! Ainda nao tenho esse tempo todo.. mas ok!
            – quem é essa?!!?!??! kkk

            no mais, valeu pelas dicas!

          1. Tripé tá barato. Tem até clone de spiderpod por 15 /20 reais.

          2. achei um bem bacaninha e estável por 80 reais.. tava considerando mas agora eh a hr! =D

        2. Além do tripé que alguns já recomendaram, recomendo comprar uma interface de áudio e microfone também. A qualidade do teu trabalho aumenta consideravelmente com isso.

          Um kit Scarlett da Focusrite, com interface com conexão USB, microfone e fones de ouvido sai por R$ 1.200,00 no Mercado Livre, ou mais barato se você pegar fora. É um investimento um pouco alto, mas vale muito a pena.

          Se tiver um iPad tem também o iTrack Dock, também da Focusrite, que sai um pouco mais barato. E gravar em um ambiente mais iluminado (gravar de dia, com a luz do sol caso esteja usando celular) ajuda bastante na qualidade da imagem também.

          1. um dia, quem sabe..
            por enquanto, vou continuar a brincadeira só com o telefone mesmo e no quartinho q ainda vai virar escritório..
            eu entendo q a parte de equipamentos tem muito q melhorar mas tenho q manter uma casa.. kkk
            sobre gravar durante o dia, concordo! só fica inviável pelo meu trabalho atual mas vou dar um tapa nas luzes.. valeu demais pelo comentário, @julian_fern:disqus

        3. Minha opinião sobre o vídeo seu: comentou muito bem sobre o assunto, mas qualidade (tecnica) do vídeo está fraca.
          Humilde sugestão: além de iluminacao, imagem e áudio melhor… Não fique caminhando, grave o vídeo parado.

          Seguirei o canal. Boa sorte.

          1. poxa @disqus_LyTpOR23K1:disqus.. muito obrigado!!
            eu sei das limitaçoes tecnicas mas vou tentar uma montagem diferente hoje.. valeu mesmo pelas dicas!

            mais tarde, ou amanha, tem video novo e vou levar as dicas daqui do pessoal do Manual do Mundo em consideraçao!
            valeu msm

  20. Pessoal, por favor se vcs tão por dentro do assunto, me ajudem…

    OCR, alguém usa isso?

    Eu utilizo um serviço online o onlineocr.net (dãããhh), mas tem a limitação do fato de ser online. Ele é muito bom, mas às vezes, preciso scanear algo offline e fico na mão sem o OCR.
    Eu estava precisando de algo offline que fosse tão bom quanto o online, e já testado por alguém, já procurei alguns, e instalei há um tempo atrás. Mas, não me lembro porquê, eles não me serviram. São meio complicados, pagos e não são tão bons quanto o offline.

    1. Geralmente programas de scanner e impressão multifuncional vem com um programa de OCR no pacote – gratuitos. Basta achar um CD ou programa para download no site da própria fabricante do equipamento.

      1. Voltando aki no tempo me lembro que a HP mandava mesmo alguma coisa pra isso. Eu sou do tipo, que só baixa o driver nu e cru do site da HP e instala. Não tenho paciencia pra aquele resto de tralheira que eles mandam.
        Vou dar uma procurada na HP e nas outras fabricantes (vai que cola).
        Valeu…

    2. Tanto o Google Drive como o Onedrive e Evernote tem embutidos sistemas de OCR, não?
      É só subir um pdf ou imagem que eles identificam.

      Se quiser algo para celular pode usar o recém lançado Office Lens que manda direto para o Onenote, ou até mesmo o Google Keep.

      1. Interessante, não me lembrava dessas opções. Vou testar depois…

  21. Extra! Extra! :p

    Quem aí abriu o Outlook / Hotmail e se deparou com o botão do Skype? Aí clicou no botão e descobriu que é um beta do Skype web?

  22. Alguém aqui é das BIKES? Fixas, speed, mtb?
    To no aguardo da época de conseguir ir e voltar da facul só de bike

    1. Tenho uma Caloi MTB bem básica e sempre que dá eu uso pra trabalhar. Em dias bons eu dou umas boas pedaladas pela cidade.

    2. Estou louco para comprar uma bike dobrável. Tem uma loja de saldão que sempre passo em frente, e sempre acontece assim:

      – Quando tenho dinheiro para comprar a bike, não tem a bike.
      – Quando não tenho dinheiro para comprar, tem a bike.

      Dias atrás vi uma por 500 reais lá. Para mim é muito caro. Das outras vezes, vi por 350,00. Vou esperar e ver se dá sorte. Ainda por cima que ao mesmo tempo que quero a bike, quero um celular…. tenho que pensar e ver a prioridade.

      1. Cara, queria te falar o que vou te falar agora com os dados certos.
        Mas não lembro de quase nada e não dá pra procurar agora.
        Mas vai lá…

        Tem uma iniciativa do Banco do Brasil de patrocinar eventos esportivos em geral. Uma delas são os passeios ciclísticos. É comum eles venderem equipamentos com desconto. Você faz a inscrição do evento e ganha o kit.
        Normalmente há mais de um kit pra você levar, aí você escolhe o que você quer e paga a inscrição de acordo.
        No último que participei, paguei 400$ de inscrição e levei o kit com bicicleta dobrável, camiseta, boné, garrafinha d’água. Todos de boa qualidade, a bicicleta era normalmente vendida por 1000, em lojas normais.
        Acho que vale a pena dar uma olhada nisso.

        Agora, outra dica.
        Não compre bicicleta pelo preço, por favor. Se endivide para comprar uma coisa boa. E ande nela antes de comprar.

        1. Sabe o nome desse evento? Fiquei interessado.
          É o Circuito Pedalar?

        2. Obrigado pela dica dos eventos. :)

          Quanto a comprar pelo preço, como falei, sou pobre :p

          Costumo sempre observar o produto e pesquisar sobre ele antes de comprar. No caso de bicicletas, compraria uma simples, não uma profissional. Até porque bikes profissionais são caras, e principalmente noto que criou um “mercado negro” de bikes deste tipo, culminando no que houve no Rio de Janeiro dias atrás…

          1. Eu sei, também sou pobreta.
            Nesse caso não tinha a grana, mas como o limite da conta é nosso, eu usei. :P
            Valeu muito a pena, não pra mim, por que a bicicleta é pequena pro meu tamanho, mas é perfeita pra minha esposa.

        3. Porra mermão, que boa! Seu comentário podia ficar destacado

    3. Eu tenho uma speed e uso quando preciso ir para faculdade de manhã cedo. O ar essa hora está um pouco mais puro.

      1. o domingo e feriados de manhã é a melhor hora aqui.
        pouco movimento de veiculos e pedestres.

        1. Quando as aulas são à noite é impraticável. Calor, poluição, motorista parado na ciclovia…nessas horas prefiro o ar condicionado e o spotify dentro do carro (risos).

          1. Estudo a noite e o trânsito aqui é mais vazio, porém a iluminação é uma merda e tem sempre aquele ser insano em alta velocidade que quer te foder. Mas deixa te perguntar, quando tu pedala pra aula tu leva quantos kgs de coisa na mochila?

          2. Estudo a noite e o trânsito aqui é mais vazio, porém a iluminação é uma merda e tem sempre aquele ser insano em alta velocidade que quer te foder. Mas deixa te perguntar, quando tu pedala pra aula tu leva quantos kgs de coisa na mochila?

    4. Quase todos os dias vou ao trabalho de bike. Quase pq ainda só temos 1 bike aqui e a molier também a usa as vezes.

    5. Eu recomendo ir em uma oficina/loja de confiança e encomendar uma bike com a sua medida dando preferencia a um modelo com boa mobilidade.
      Pra uso urbano nas nossas ruas “maravilhosas” eu acredito que uma mtb com aros 27 é uma boa escolha.
      Lembre-se de escolher um quadro compatível com a altura do seu cavalo e dê preferencia aos modelos mais leves ao invés dos mais robustos.

  23. Gostaria da ajuda de vocês para solucionar uma dúvida que me persegue já por algum tempo. Afinal de contas, qual é o sentido da vida?

    1. o meu é entrar nos posts só pra ler os comentários
      e baixar atualizações do windows e apps de celular

        1. Acabei de atualiza o Inbox do Google e o Onenote 2016. Preciso de tratamento.

    2. Para o Monty Python, eles falam no filme deles com o mesmo nome.

      Para o computador que tudo sabe, 42

      Para religiosos e crentes em um deus, logicamente, a busca por este deus e o sentido que este deus dá.

      Para alguns outros religiosos, o sentido é fazer uma vida boa agora para a próxima vida ser melhor.

      Para o cientista, o sentido é achar respostas para suas questões. Depois ele descobre que cada questão respondida cria mais perguntas. Que criam mais respostas, que criam mais perguntas…

      Para o Universo… hum…

      Para mim, não sei… não acho sentido em nada ultimamente… :p As vezes me pergunto se algo realmente tem sentido, caminho, rota, algo que deve ser unicamente seguido. Aí noto que “todas as possibilidades são possíveis”. Nisso, vou vivendo… :p :)

      1. Google it!

        Aí fui no Google, entrei na Wikipedia… e nem eles dão o termo absoluto da palavra vida… no Michaelis é muito termo dado…

        Em comum, uma palavra: existência…

    3. Segundo aquele cientista apresentador da nova série Cosmos que esqueci o nome (mil perdões), o sentido da vida é simplesmente crescer, aprender, procriar e passar a sua cria o que você aprendeu adiante, preservar esse conhecimento, coisa simples que em algumas milhares ou milhões de gerações, terá um efeito enorme esse conhecimento passado adiante, inclusive chegando a feitos que nós atualmente nem podemos imaginar.

      Esses dias estive pensando em algo semelhante: O que há depois da morte? Juro que fiquei sentado por meia hora somente pensando no assunto, misturando sentimentos de desespero com alivio e uma dose de depressão. Nesse momento cheguei a conclusão de que a crise de meia idade chegou cedo demais pra mim e não sabia se ficava triste ou feliz por me questionar coisas como isso no auge dos meus 20 anos.

  24. Comecei a acessar o site esta semana! Muito bom! Reportagens boas, matérias interessantes e bem escritas! Curti mesmo!
    E só!

    1. E dos comentadores, o que achou?
      Aki é otro nível né kirido? cc @gizmodo cco @tekemundo

        1. O techmundo sempre foi nível G1, mas o Gizmodo foi tomado por “autistas” sendo que antes sempre aparecia uns caras legais, especialistas, polêmicos.

          1. De uns tempos pra cá piorou vertiginosamente. Lembro que lá por 2010 ou antes era mais interessante.

          2. Até a época que o Burgos ficou por lá, fazia-se de tudo para tentar manter os comentários em ordem. Me lembro que até houve muita discussão sobre a utilidade dos comentários em um lugar, sobre a manutenção em alguns sites (teve site americano que removeu a seção de comentários pois não aguentavam mais ficar tentando moderar a bagunça e guerrinhas de egos que haviam).

            O Burgos saiu, entrou o Leo, depois a nova menina que esqueci o nome dela. O que fiquei chateadão é que ficou alguns comentaristas antigos que literalmente botaram fogo nos comentários por lá, já arranjaram brigas feias com o pessoal de lá e não há um esforço em remover. Por isso que acho que eles ligaram o “fo**-se”. Não “piso” mais por lá por causa disto.Preferiria a remoção dos comentários do que a manutenção de comentários péssimos. Por mais que eu use um ad-block (ou modificador de código) para remover a seção de comentários, o pior é que fica respingos dos comentários pelo site, e prejudica um pouco a leitura.

            A propósito, ainda estudo meter um processo em relação a problemas passados. Só preciso de conversar com alguns amigos da justiça…

          3. Exato! Mesmo com a saída dele, ficou muita gente nos comentários de lá enchendo o saco e perseguindo o cara. Teve raros casos de até ter alguma discussão inteligente por lá (já vi isso acontecer). Mas fico me perguntando o porque da implicância com o Burgos (que muitas vezes ponderava as opiniões, assim como o Ghedin), sendo que o Cardoso costumava ser bem mais incisivo e crítico ácido, e claro, havia muitos outros blogueiros de tech que “tacava-lhe o pau” e estes não tinham haters (ou se tinham, até se divertiam com eles…).

            PS: tem até hater meu… por isso que penso em acionar a justiça…

            É coisa de estudo de sociologia…

          4. Caras, é complicada essa situação. Muito. Num site do tamanho do Gizmodo, ou do Tecmundo, é ainda mais. São muitas cabeças e opiniões diferentes dividindo um mesmo espaço, o volume de comentários é insano, e falta (faltava, pelo menos) gente para se dedicar a essa interação gostosa e saudável que temos aqui.

            No Manual, acho os comentários tão importantes quanto os posts — por isso tenho feito coisas como o post livre, aquele papo da WWDC e o AMA com o Pedro sobre o Apple Watch. Por enquanto, as coisas estão ótimas. Até quando? Por mim, enquanto o site existir, mas sei que essa dinâmica não será sempre sustentável se ele crescer muito. A história do Ta-Nehisi Coates na Atlantic ilustra bem esse dilema: http://blog.longreads.com/2015/02/04/its-yours-a-short-history-of-the-horde/

          5. Então Ghedin, esta parte eu entendo o quanto você, a equipe atual do Giz e de outros sites sofrem com isso tudo.

            Sei que é um esforço cuidar do conteúdo, da relação site-leitor, das propagandas e dos comentários. Até sei de histórias de bastidores bem chatas.

            Novamente o que implico é deixar os comentários rolarem de forma chata. Acho que no seu caso vai ser difícil acontecer algo pois seu estilo de postagem e manutenção evita que os comentários proliferem “chatomentaristas”. Mesmo se o site crescer em audiência, acho que o nível de comentários pode se regular dependendo de como se cuida deles.

            No caso do Giz, é trauma que peguei mesmo. Se o chato dos comentários ver estes comentários meus, provavelmente estará urrando de alegria “pois conseguiu acertar um alvo”. Tenho meus motivos pessoais também, mas uma hora conversaremos a parte sobre isso ;)

            Isso também vejo que não vale só para sites, mas para qualquer relação social na internet. Vide o pessoal da Prefeitura de Curitiba (nas redes sociais) que lida todos os dias com gente reclamando dos problemas de gestão pública, e ao mesmo tempo procura postar coisas bacanas e informativas. É um trabalho de grande paciência.

            Enfim, só deixando claro: não sou a favor exatamente de “fechar áreas de comentários sem critérios”, mas sim de “fechar comentários quando estes não tem mais comentários respeitosos, e no final se recheia de pessoas destilando ódio.

            Tem um texto no YouPix que deixei uma resposta que fala sobre isso também. Pega aqui

          6. Isto depende do nós leitores tambem, aqui acho díficil acontecer o que aconteceu no giz, não é impossivel mas acho pouco provavel.

          7. Via de fato, eu colaborei um pouco quando incentivei o “Juca Awards” a continuar… :p

          8. É uma definição de espaço, cada um tem sua função predisposta, no ceticismo.net tem um perfil, no meiobit tem outro, o Giz relaxou em vários aspectos, virou um campo de paintball!

          9. Complicada, mas não impossível de amenizar.
            Vejo sempre os mesmos perfis do Disqus lá fazendo a festa no Giz, sendo que poderiam pelo menos dar um block neles.
            Uma coisa são os comentadores exaltadinhos, outra são aqueles que se “apropriam” do negócio e até inibem a participação de outros como ocorre por lá.
            Se até o G1 consegue peneirar um pouco, porque o Giz não? O problema é na equipe, infelizmente.

          10. Complicada, mas não impossível de amenizar.
            Vejo sempre os mesmos perfis do Disqus lá fazendo a festa no Giz, sendo que poderiam pelo menos dar um block neles.
            Uma coisa são os comentadores exaltadinhos, outra são aqueles que se “apropriam” do negócio e até inibem a participação de outros como ocorre por lá.
            Se até o G1 consegue peneirar um pouco, porque o Giz não? O problema é na equipe, infelizmente.

          11. Pelo que sei, mesmo perfil pode ser mais o mesmo nome, mas não o mesmo perfil.

            Do G1, o mesmo tentou por um tempo eliminar os comentários, mas depois voltou. Apenas notícias com notória polêmica eles fecham a área de comentários.

          12. Eles baniram um punhado. Não adianta, os mesmos fazem outro perfil no Disqus e voltam a comentar. E o G1 mudou o esquema, exige autenticação pelo número do celular e, mesmo assim, ainda é um freak show.

            Bater de frente não é a melhor saída.

          13. E um desses apareceu aki, ontem ou anteontem, quando vi já fiquei com medo. Mas, parece que eles te respeitam rsrsrs

          14. Tem a ver com qualidade do material. Também gostava do que ele fazia no Gizmodo, que até então era “acessável”.
            A maior parte das pessoas da Zoeyra™ comenta sério em outros lugares, onde vale a pena. E tem uns chorões que acabam caindo nas provocações. É algo um pouco mais complexo.
            Tenho contato com quase todo mundo desse pessoal, por outros canais também. Tem gente que exagera, mas controlar como a pessoa se comporta é um tipo de censura, e com o tempo (talvez) se toque de que exagerou.

          15. Nem o próprio gizmodo se respeita com as traduções medonhas, os caras dão CTRL+C CTRL+V no google tradutor, nem releem pra ver se ficou bom e depois vem tentar moralizar os comentários! É como lavar as mão mas esquecer de limpar a poupança depois de ir ao banheiro!

          16. Pra falar a verdade, a falta de qualidade do Gizmodo, ocasionou muito disso, saindo do controle.
            A revolta se generalizou, com o MRJ (eu também) e cia.
            Mas é uma época complicada pra eles, que não estão tendo controle (tempo talvez) de revisar matérias ou simplesmente traduzir.
            Nossa abordagem ficou um pouco mais pessoal por lá, MUITA gente se conheceu melhor, por isso de tudo parecer bagunçado e informal por lá no comentários.
            Agora iniciaram uma guerra MeioBit/Gizmodo. Isso é que vai dar m**** de verdade.

          17. Li os posts do blog de vocês comparando Giz e Meio Bit. É algo extra-oficial, né? (Digo, no sentido de que o Meio Bit não tem nada a ver.)

          18. A principio nada oficial, não no HQ da zoeira vulgo hangouts….
            Amamos o Giz tbm, quem sabe não é essa chacolhada que eles estavam precisando!

          19. O caso do Giz é simples, não adianta tentar arrumar a sala se a cozinha, quarto e todo o resto esta sujo! A área de comentários se tornou um diferencial até positivo se para par pensar, eu não entro no giz para ler matérias sensacionalistas e mal traduzidas, entro para descontrair e dar risadas, diferente do meu comportamento no meio bit! “Mas o Gizmodo era tão legal sem bagunça”, para alguns sim mas que tal começar a arrumar com traduções que não seja só do google?

          20. O caso do Giz é simples, não adianta tentar arrumar a sala se a cozinha, quarto e todo o resto esta sujo! A área de comentários se tornou um diferencial até positivo se para par pensar, eu não entro no giz para ler matérias sensacionalistas e mal traduzidas, entro para descontrair e dar risadas, diferente do meu comportamento no meio bit! “Mas o Gizmodo era tão legal sem bagunça”, para alguns sim mas que tal começar a arrumar com traduções que não seja só do google?

          21. O pior é tem moderação dos comentários do G1, mas não dá pra bater de frente com aqueles retardados.

          22. O problema é esse: até quando?!?!

            Mas pelo menos você já sabe.
            Sou to tipo do ‘aceita que dói menos’.

          23. Estou no manual do usuário por conta dos seus posts no Gizmodo, gosto das suas opniões. o Burgos e o Leo eu acompanhava mais pelos podcasts, considero os 3 otimos profissionais, por falar nisso e o Leo, onde foi parar? O Burgos acompaho até hoje.

          24. O Leo tá na Vice Magazine Brasil :) Passa por lá. Mas salvo engano, tem algo novo por aí…

          25. Valeu! O Leo passou um tempo como editor-chefe da Motherboard (canal de ciência e tech da Vice), e agora voltou à F451 para criar um site de entretenimento e cultura pop (ou algo assim). Deve aparecer em breve.

          26. Legal, afinal, não dá pra fazer (O)melete sem quebrar os ovos…

          27. Tudo vai de como funciona o blog, Rodrigo. Aqui é Ricardo Eletro: o dono é quem manda. Você mesmo já abre o blog dizendo que é seu trabalho, que é sua vida. Lá, ao contrário, são todos funcionários, sem tesão nenhum de trabalhar. Isso fica claríssimo em cada matéria escrota ou mal traduzida, infelizmente.
            O povo tem que aprender a trabalhar.
            Falando do Burgos: o que irritou meio mundo lá é que ele é fanboy assumido da Apple, e um editor não pode ser assim.
            Olha o que diz a página “sobre nós” do MeioBit, por exemplo:
            “Não apoiamos sistemas, empresas ou produtos específicos, a idéia é ter vários colaboradores com diferentes interesses e opiniões, produzindo um conteúdo editorial balanceado”.
            Pronto, ficou claro!
            Agora, verdade seja dita: como profissional, o Burgos botava ordem no barraco. Não saía matéria mal escrita, com erros crassos, sem verificação de fontes ou mal traduzida. Aquele cara SABE trabalhar.

          28. Ehh não sabia desse lado admirador hehe Gostava dele, cheguei a conhecer o Giz, um pouco antes dele sair, e gostava bastante do que ele escrevia; até comprei o livro dele rsrsrs

          29. Bom argumento. De fato, eu sempre digo que aqui é um site diferente, meio que uma coisa mais artesanal em meio às linhas de produção que são/viraram outros blogs de tecnologia. E essa diferença se nota na prática, como você argumentou.

            Eu só não entendo muito bem esse questionamento que vocês fazem da preferência do Pedro por Apple. Todo mundo tem. Se ele suprimisse isso do trabalho, acho que o resultado seria pior — menos textos opinativos, um trabalho com menos sal. Até o Cardoso tem lá suas preferências (ou tinha; sempre vejo ele rasgando elogios, exagerados até, à Nokia/Microsoft).

            Se o Giz trouxesse um disclaimer similar ao do Meio Bit, mas dizendo “nós usando marca X e Y, e gostamos,” a reação seria diferente?

          30. Como eu disse, o Pedro é um profissional que veste a camisa, trabalha direito. Isso faz parte da personalidade dele, ele abraça aquilo com gana.
            Você deve ter lido aqueles textos imeeeensos dele sobre produtos da Apple.
            E havia épocas em que era um atrás do outro, e um mais extenso que o outro.
            O problema é que as pessoas começaram a ver textos enormes em relação aos produtos e sistemas da Apple e outros muito mais simplórios em relação a outros produtos e sistemas, e esta disparidade chamou muito a atenção.
            E vieram as críticas. E o Pedro tem personalidade forte, então ele ia pros comentários contra-arrazoar com outros textos maiores ainda!
            E a galera vinha pra cima com mais força ainda, e em bando.
            Fica muito claro para mim que, no caso do Pedro Burgos, a psicologia a ser aplicada é difícil de interpretar.
            O cara ama ser jornalista. Ama escrever. Ama a Apple. Escreve sobre o que ama. Ama tanto que escreve textos enormes e detalhados (claro, quem não faria o mesmo, escrevendo sobre algo de que gosta?).
            Aí vêm as críticas. Neste cenário, as críticas já não são à Apple em si, mas são vistas por ele como críticas à sua própria pessoa, porque ele escreveu, com todo o seu coração, com o melhor da sua argumentação, com toda a clareza, expondo o melhor conjunto de dados que pôde amealhar!
            Assim, na cabeça dele, a crítica passava a ter caráter pessoal, e ele começava a engrossar, e o povo engrossava de volta, e essa onda virou um tsunami.
            O que ele nunca entendeu é que ele era o Editor-Chefe, e tinha que se portar como tal. Editor-Chefe define pautas, distribui o trabalho, coordena a equipe, etc.
            No fim, ele gastava – com certeza! – mais tempo tretando nos comentários do que trabalhando.

          31. Verdade, mas concordo com o Rodrigo Ghedin: não é nada diferente do Cardoso no MeioBit, aliás a personalidade do último me parece muito mais forte que do Burgos. Já tomei patada dele por falar que o Surface era um produto com muitos problemas atualmente (falando dos 2 primeiros ainda, que os próximos seriam melhores). Segundo ele: falavam isso do iPad também.

            Acredito que seja muito mais difícil administrar uma preferência pela Apple do que pela Microsoft quando se fala de leitores. Até nas mochilas, alguns não gostaram da predominância de MacBooks e iPhones da galera de mídia:

            O Burgos até desabafou sobre isso, achei bem honesto: https://br.noticias.yahoo.com/blogs/pedro-burgos/a-apple-nao-compra-jornalistas-para-falarem-bem-do-133002770.html

          32. Desde quando comentário, principalmente de portal, tem alguma grande validade? Ninguém deu prova alguma de que isso ocorra de fato e, aqui mesmo em um podcast, comentam que essa possibilidade é ridícula dado o tratamento que a Apple dá aos jornalistas.

          33. Neste caso específico, foram 14 parágrafos dele desmascarados somente nos 2 primeiros comentários. Vc quer mesmo discutir isso?

          34. Não vi nenhum grande argumento, tirando que ele gosta de Apple e admite. E, novamente, não nego isso…apenas não vejo ninguém perseguindo o Cardoso em relação ao mesmo problema de ter sua marca preferida.

          35. parei de ler o meio bit por causa da arrogancia do Cardoso, mas na época que eu lia ele idolatrava a Apple

          36. Sim, ele curte Apple também, é que os fracassos recentes da Microsoft me fizeram perceber como alguns argumentos se inverteram em favor dela: quando a briga era Linux, ele argumentava que ninguém tinha tempo ou dever de aprender a usar outro sistema, depois com o Windows 8 o problema eram os usuários que eram muito avessos a novidades.

            Acho ele muito bom escritor, mas acho que ele tem alguns radicalismos que, inclusive, acho até irônico vindo de alguém que presa tanto por pensamento científico.

          37. O pessoal pegava no pé dele porque ele idolatrava a Apple e NÃO assumia, se enrustia nas respostas, dando uma patada aqui , outra alí, pelo menos no meu tempo era assim, se tivesse assumido o povo ia pegar no pé do mesmo jeito, mas seria coerente ler um texto pobre sobre Android feito por um cara que usa ama Apple. É igual aquele jogador de futebol que torce para um time , mas não pode dizer porque joga em outro.

          38. A mesma coisa que o Galvão Bueno falar pra que time torce…

          39. Pode parecer mínimo, mas na época de ouro dele, a maioria das brigas rodavam em torno das preferências dele por Apple no ápice da guerra. Depois teve o texto sobre iPad como plataforma de games, ai não perdoaram mais….

          40. Este tipo de briga gerou posts sobre a existência dos haters e o porque das brigas de preferência. Via de fato, era notório que o Burgos gostava da Apple – e ele deixava claro isso. Mas ao mesmo tempo, a maioria dos posts lá no Giz (até a época do Leo que foi que acompanhei) sempre foi dotada de ponderar tanto ao lado da Apple quanto do Android. Lembrando que o próprio Ghedin foi membro da trupe do Giz por um tempinho.

            Não sei como está hoje. Mas acho que o problema pior ainda foi na manutenção de ignorar os chatomentaristas… sei que é difícil, mas poderia ser feito alguma coisa para brecar a manutenção destes, nem que fosse a paralisação temporária dos comentários até os ânimos esfriarem.

          41. Se você é um advogado, porque continua a cometer crimes pela internet, principalmente ser anonimo?

            Se é advogado, então me procure pessoalmente. Preciso MUITO conversar com vocÊ cara a cara.

          42. Eu sou. Conheço os limites da legalidade e não fico jogando ameaças que não cumprirei pela internet. E não tenho interesse em ir a SP só pra te ver.

          43. Fala não. Eu acompanhava o site desde o início de 2009 e a galera que comentava era top, tinha o Juca Awards para os comentários da semana rsrsrs.

            Lá pra meados de 2012 a coisa foi ficando feia…

          44. Fala não. Eu acompanhava o site desde o início de 2009 e a galera que comentava era top, tinha o Juca Awards para os comentários da semana rsrsrs.

            Lá pra meados de 2012 a coisa foi ficando feia…

        2. Gizmodo piorou o nível dos comentários depois que ligaram o “fo**-se, não tou nem aí”. Tecmundo é um site voltado a camada popular, por isso comentarios sempre serão esparsos…

      1. Nem se compara né! Os comentários lá foram invadidos por Zueiros, nivel Legolas e cia!

      2. Nem se compara né! Os comentários lá foram invadidos por Zueiros, nivel Legolas e cia!

        1. Nivel Legolas, meu caro @andreguilhon:disqus eu sou o menor dos problemas do gizmodo, se eu pratico a Zoeyra™? Mas sem dúvida, pois o site decaiu muito, a nossa zoeyra™ (quando digo nossa me refiro ao meu grupo de amigos) é uma forma de protesto, para que eles enxerguem ou nos deem um feedback, e ela só ocorre quando a matéria vai pra esse lado, ou quando está mal traduzida ou com erros grotescos de português. se caso esteja interessado, de uma olhada no nosso site, o Ordem da Zoeyra, lá as criticas são mais construidas ao invés de apenas comentarmos. Abraço!

          1. Caro Zoeyro Legolas, entendo seu protesto. Realmente decaiu MUITO a qualidade dos posts no Gizmodo, porém (ah porém!), antigamente ainda tinha uma possível “fuga” nos comentários. Leia-se: eles eram melhores que a matéria em si, com muitos comentários melhores que a matéria em si (o que não era difícil, concordo), e hoje em dia, só o que rola são Zoeyras™, sem conteúdo, e os “conteudistas” ficaram escondidos! Mas enfim, um abraço por trás! TCHÊÊÊÊÊ!!

          2. Caro coleguinha, estatísticas dizem que 84% das pessoas inventam estatísticas para corroborar seus pensamentos.

          3. Se o site é ruim porque vcs o leem seus retardados?
            Acham que são os donos dele suas amebas?
            Façam o seu Gizomerda e parem de choramingar, moças.

            Se não é eu pra mandar a real aqui.

          4. Vc já é idoso e aí não sobe mais nem com reza amiga

          5. NÃO ACEITO EMOTICON VADIA
            fale como homem sua velha

          6. OK, vá lá passar uma vassoura e colocar a mesa vovó.

          7. Não entro em qualquer lixo. Se quisesse ler merda ia no facebook sua ameba com problema mental.

          8. Não entro em qualquer lixo. Se quisesse ler merda ia no facebook sua ameba com problema mental.

          9. eu nem tinha me dado ao trabalho de ler essa matéria, pois achei que ia ser uma porcaria mesmo.
            mas o seu comentário fui realmente muito bom.

          10. Vlw cara, é a isso que me refiro, a gente zoa pois de certa forma é a forma que temos de protestar, mas comentamos sério também.

          11. Isso é que falta por lá, um pouco de esportiva.
            Quanto mais batem de frente, como o Ghedin falou, pior fica. De vez em quando não tem problema falar uma borracha ou entrar na brincadeira.

          12. Eu não vejo problema nenhum em brincar, em zoar. Se for ver, eu também brinco, sacaneio, zôo (quase um zoológico!). O problema é que a frequência desses comentários está inversamente proporcional ao de matérias boas do site! :D

          13. Hoje teve uma patrocinada, que foi boa, apesar de sem final, sem indicação do patrocinador… Enfim… Fazia tempo mesmo!

          14. Sim, foi um dos pontos cruciais, desconhecimento de como funciona a internet em relação ao feedback dos usuários!

          15. Eu já gosto dos comentários, é gosto cara! Não quer dizer que eu não aprecie os comentário do meio bit mas cada um escolheu o seu perfil, como vc quer levar a sério um site que nem revisa as traduções do Google, que diz que o futuro da aviação são os dirigíveis…. vc colhe o que semeia!

      3. penso que o problema do Gizmodo foi um tipo de bola de neve. Convenhamos que gostamos muito de artigos sinceros como os que tem aqui. Eles pegam e ‘traduzem’ muita coisa de outros blogs.
        A baixa qualidade de postagens aliada a ferocidade de alguns leitores acabou transformando aquilo numa zona de guerra.

      4. penso que o problema do Gizmodo foi um tipo de bola de neve. Convenhamos que gostamos muito de artigos sinceros como os que tem aqui. Eles pegam e ‘traduzem’ muita coisa de outros blogs.
        A baixa qualidade de postagens aliada a ferocidade de alguns leitores acabou transformando aquilo numa zona de guerra.

        1. Verdade, gostava mais do gizmodo, hoje acompanho o manual do usuario, no tecnoblog acompanho só as matérias do higa, não que os outros não são bons mas gosto de como o Higa escreve.

        2. Tuneman eles traduzem uma quantidade massiva do gizmodoUS, mas quase todo post é mal traduzido, quando não é, as frases são desconexas e não adaptadas para o Brasil, algo que deve ser levado em conta na hora da tradução, coisas do tipo :”If it ain’t broke, don’t fix it ” algo como Se não está quebrado, não arrume. Mas o provérbio português é “Em time que está ganhando não se mexe” E coisas do tipo.

          1. isso mesmo. fora que citamos apenas os problemas básicos. o pior é que eles recebem as criticas, sabem que devem melhorar mas nao o fazem.

      5. O problema dos comentários do Giz é que alguns comentaristas bagunçaram o ambiente, não faz mais sentido ter comentários lá.

        1. É chorando que concordo com você. A área de comentários lá era um lugar de comentários excelentes, que melhoravam as matérias. Agora é de pura crítica, conversa fiada, piadas forçadas… Perdeu o sentido de existir.

      1. Rapaz, eu não imaginava esse rebuliço todo por conta de um simples post elogiando o site! hahahahahahah

      2. Rapaz, eu não imaginava esse rebuliço todo por conta de um simples post elogiando o site! hahahahahahah

  25. Comecei a acessar o site esta semana! Muito bom! Reportagens boas, matérias interessantes e bem escritas! Curti mesmo!
    E só!

  26. Pessoal, quem aí conhece um site e/ou app de compra e venda de usados? Explico:

    – Mercado Livre é o mais antigo, mas também o que tem o problema de cobrar porcentagem de vendas e ser um teco burocrático na hora de comprar. E pelo que sei, há muita coisa por baixo dos panos…

    – OLX (fundido com o Bom Negócio) é simples, bacana e prático. Mas na hora de fazer um contato por e-mail, eles “codificam” o mesmo (se usar via contato do OLX), e no caso, muitos usam o telefone de contato e/ou Whatsapp. O ponto negativo é não ter tantas opções de filtros eficientes quanto o ML.

    – Enjooei é too much hipster e tem preços altos em relação ao mercado.

    – Não conheço outros.

    Tou atrás de telefone Android tri-chip, mas toda vez que inicio um negócio, não fecha direito. As vezes, o perfil do site de compras acaba sendo também um teco do perfil do comprador/vendedor (ML é burocrático, enrolado, mas direto; OLX é despojado e realmente desapegado até na hora de negociar, Enjooei nunca comprei por lá mas já imagino os tipos só pelo nome :p …) – sim, é um teco de esteriótipos…

    1. Uma coisa que funciona muito bem aqui na região são grupos no Facebook. E agora o Facebook implementou ferramentas para anunciar neles. Procure aí no seu bairro, deve ter algum.

    1. Cara, não namoro e tá difícil. Já tentei OK Cupid e outros dois sites que já morreram…

      Penso que não é o app que faz o relacionamento, mas os parceiros que o fazem, seja homo, hetero, bi, monogâmico, poligâmico… :p´

      Quem namora e curte a parceria, não importa onde comunica-se, mas sim se curte mesmo e é parceiro da pessoa.

      1. Não é bem assim. Continue solteiro, mas saia da frente do PC/Espertofone.

        1. Já sai e para paquerar hoje é mais difícil em tempos de não poder mais “dar cantada” (se bem que nunca gostei disto) e do jeito que as mulheres agem… =p ehehehe

          O ruim é que namorar, ao que penso, é um misto de arte, sensação de pertencimento e estar bem.

          Já namorei algumas vezes, mas depois não consegui mais nada… (pô, o que tou fazendo abrindo minha intimidade aqui? [esperando ver se alguma menina veja estes comentários e contate-me…. ah, droga, esqueço que boa parte dos leitores de tech são homens… :p])

          1. Seu problema parece estar no local que você frequenta. Pela sua fala, imagino que você deva ter uns 321 anos (paquerar é coisa antiga). tente frequentar lugares melhores, mais caros (velhos como você e eu preferem lugares caros), e frequentados por gente da sua idade (nem que seja mental!).
            E namorar/casar é uma merda. Compre uma bicicleta, bem melhor!

          2. Não fala este último parágrafo… óia a foto :p hehe.

            E quanto a idade, tu errou por colocar uma casa decimal a mais :p hehe.

            Todo mundo me fala isso (frequente outros lugares…), mas cara, não sou muito desta filosofia… boa parte dos namoros/paqueras (acho que tem muito jovem que usa este termo ainda) que tive foi justamente fora dos padrões normais….

            bem, vou deixar o resto para o psicólogo.

          3. “Jovem” outra palavra que só os velhos usam! hahahaha
            Não precisa ser normal, mas se as pessoas que vão onde você vai não combinam com você, complica né, caro psicólogo!

          4. Tinder não funcionou aí? Já conheci várias meninas legais por lá (e algumas malucas, haha), embora nenhuma tenha virado namoro ou qualquer coisa mais séria.

          5. Não tenho paciência pra tinder, uso como se fosse um game mesmo, hahahah, mas prefiro o cara a cara, depois que você descobre o poder que tem a vida fica mais fácil, um não é só um não.

          6. Tinder acho muito voltado ao “esteriótipo”. Precisa ter um perfil para atender a mulherada… vou pensar em tentar, mas… do jeito que comentou, acho melhor não arriscar

          7. Não necessariamente. Não sou bonito e nem muito interessante, mas o Tinder funcionou extremamente bem por alguns meses em que toquei o foda-se e busquei apenas relacionamentos de uma noite.

            Quando fui atrás de um namoro, mesma coisa, simplesmente funcionou. Única coisa que fiz foi escrever uma descrição sincera e começar as conversas com um “filtro”.

            Comecei todas as conversas da seguinte forma:
            – Não quero te impressionar nem nada do tipo, mas eu sou o Batman.

            Eu sabia se o lance ia pra frente dependendo da resposta. Mesmo para relacionamentos de apenas uma noite, procurava pessoas com coisas em comum comigo.

            Se a guria me respondesse “Ok”, eu sabia que não ia rolar nada, agora se ela respondesse algo como “Mas isso não é possível, eu sou o Batman!” e uma conversa sobre universos paralelos e o caralho começasse, eu investia.

            O lance do “vou arriscar” é que fode. Cria um perfil e vá em frente, o mais terrível que pode acontecer é não encontrar alguém.

          8. Não necessariamente. Não sou bonito e nem muito interessante, mas o Tinder funcionou extremamente bem por alguns meses em que toquei o foda-se e busquei apenas relacionamentos de uma noite.

            Quando fui atrás de um namoro, mesma coisa, simplesmente funcionou. Única coisa que fiz foi escrever uma descrição sincera e começar as conversas com um “filtro”.

            Comecei todas as conversas da seguinte forma:
            – Não quero te impressionar nem nada do tipo, mas eu sou o Batman.

            Eu sabia se o lance ia pra frente dependendo da resposta. Mesmo para relacionamentos de apenas uma noite, procurava pessoas com coisas em comum comigo.

            Se a guria me respondesse “Ok”, eu sabia que não ia rolar nada, agora se ela respondesse algo como “Mas isso não é possível, eu sou o Batman!” e uma conversa sobre universos paralelos e o caralho começasse, eu investia.

            O lance do “vou arriscar” é que fode. Cria um perfil e vá em frente, o mais terrível que pode acontecer é não encontrar alguém.

          9. só saber procurar. e outra, o que é seu tá guardado. Eu era tímido pra caraleo e até meio tonto pra esse negócio de namorar. mas também quando encontrei, foi de vez.

            to com ela até hoje. 6 anos de namoro e casamos em dezembro passado.

        2. Concordo sobre o fato de sair um pouco da frente do pc, mas eu só tenho 21 anos, sai sempre para ~festas (ou balada, chamem como quiser) aqui no Rj, quase todo fds, mas nem penso em namorar, agora para algo casual é ótimo.
          E sobre o tinder: nunca usei, mas tenho amigos “mais desesperados” que usam bastante, e sempre conhecem alguem la, tambem para algo mais casual, apesar deles estarem procurando uma namorada e tal, e só conheci uma pessoa que encontrou namorada por la, bem, é isso,

      2. É só ir nas balaids, jovem. Tome uns bons drinks, liberte-se das armadilhas mentais da cabeça e deixa rolar.

        Já dizia os grandes poetas: “deixa acontecer naturalmente, eu não quero ver você chegar, deixa que o amor encontre a gente, nosso caso vai eternizar”

        https://www.youtube.com/watch?v=wo4pWZApd2Y

        1. HUAHUAHUAUHAHAHUAHUAHUAH!!! (Gastando a cota de comentários bestas meus :P ) =D

          Tenho que admitir que os locais que frequentam, nada acontece naturalmente…

      3. Concordo sobre o fato de sair um pouco da frente do pc, mas eu só tenho 21 anos, sai sempre para ~festas (ou balada, chamem como quiser) aqui no Rj, quase todo fds, mas nem penso em namorar, agora para algo casual é ótimo.
        E sobre o tinder: nunca usei, mas tenho amigos “mais desesperados” que usam bastante, e sempre conhecem alguem la, tambem para algo mais casual, apesar deles estarem procurando uma namorada e tal, e só conheci uma pessoa que encontrou namorada por la, bem, é isso..

      4. A, e eu sou contra isso de “procurar namorada”, acho que as coisas acontecem naturalmente e tal, de tanto ficar nessa procura acabo achando que a pessoa namora qualquer uma (ou a primeira que der “condições”) e isso é um erro,..

        1. Parabéns! Vocês fizeram o pagode do “Deixa acontecer naturalmente” ficar grudado na cabeça o resto do dia… huahuahuhauuUHUAHUAHUAHU. =D

    2. Pelo que acompanho, evangélicos, idosos e gays tem altas taxas de sucesso via internet/aplicativos. Algum aqui pra ensinar os truques da seduzencia pra galera?

      1. só tinha iphones e macs….povo caiu matando nas críticas. ai acho que tá procurando alguém que saia dessa linearidade pra postar aqui. mas nesse meio tech brasileiro, deve ser difícil alguém fora da bolha apple.

        1. Não acho bem isso… houve tanto criticas positivas quanto negativas. E não teve só apple – teve até mochila sem computador.

          Lembremos que teve muito leitor que queria contribuir.

          1. Não acabou, mas tive que reformular os bastidores — daí a demora em sair novas.

            Até então, eu convidava a pessoa com uma semana de antecedência e esperava ela mandar as coisas. Tive alguns furos, ou negativas aos convites, e começou a aparecer muito buraco. Então eu parei, fiz uma lista e mandei convites de uma vez só, para acumular um “estoque” de mochilas. Volta semana que vem :)

        2. Tbm achei isto, os posts estavam muito parecidos: toda mochila um imaça e um moleskine…

          Legal se pegasse gente fora do jornalismo (estudantes, gente de negócios, famosinhos da internet)

          1. “famosinho de internet”. não vai querer descer o nível. Aqui tem sido o melhor lugar para comentar. não estrague isso por favor.

        3. é porque a maioria eram conhecidos dele, pessoas da publicidade e jornalismo. Pra esses, equipamentos Apple são quase um padrão. Lembro de ter passado toda a faculdade sem nunca ter visto um imac. No finalzinho a faculdade estava montando um laboratório só com eles. Achei que era para a turma de TI. Que nada. Era para a turma de jornalismo e publicidade.

          1. O que é que uma máquina com Windows não faz pra essa galera ser tão fissurada em Macs? Não consigo enxergar o porquê desse padrão. Pro pessoal de publicidade eu até entendo, mas jornalistas não consigo entender.

            Devo ser muito inocente.

          2. Publicidade e design até entendo, mas o pessoal do Jornalismo é meio estranho; qualé vcs precisam da maçãzinha mágica pra escrever um texto???

          3. Trabalho em grafica e uso mac, mas prefito meu pc, sei que o osx é interessante pra trabalhar com Illustrator e Photoshop mas meu pc não deixa a desejar e foi bem mais barato.

          4. Preços da Apple em geral são impraticáveis, no mercado brasileiro. E isso sim permite a que as pessoas continuem no Windows, onde “estão muito bem, obrigado”.

          5. Verdade, meu pc quando começa ficar cansado, dou um up nele e sigo um frente, Mac não é tão simples. Gosto de trabalhar no Macintosh e algumas funções do Mac OS ajudam mas pc com Windows hoje em dia dão conta do recado.

          6. Exatamente, preço proibitivo, upgrade tmb. Essas e outras tiram os pontos da Apple. Eu mexo com desenvolvimento e o pessoal da área tmb gosta da maçã. E, eles tem razão; pra desenvolver é muito melhor que Windows. Vou testar ele no meu note, só falta um pouco pro meu Hackintosh ficar quase perfeito.

          7. Falo como semi-especialista em manutenção. O conjunto hard+soft da Apple é bem mais estável, e para trabalhos de comunicação, parece melhor do que um equipamento com Windows.

            Isso um jornalista / rp / media pode falar melhor, mas parece que há boas opções de editores de texto para Apple em relação ao Windows. Tirando o Office Mac, que dizem que não é tão bom quanto, há vários programas para editoração eletrônica e criação de conteúdo na plataforma.

          8. Pois ehh, depois fui analisar aki, e vi também outros comentários. E sim, meio que entendo o porque de usarem Mac, eles precisam de boa duração de bateria, tem essa questão que vc levantou e o fato também de muitos deles terem acesso ao exterior e poderem trazer de fora; que de fato, é um custo-benefício muito interessante.
            Não sou fanboy, mas tenho vontade de experimentar o mundo Mac, atualmente tô no Linux e só alegria. Agora só falta morder a maçãmagica hehe…

          9. A maioria dos jornalistas compraram lá fora, não conheço ninguém que tenha comprado Macbook nos ultimos anos por aqui. Porque ele é bom, a bateria dura e não têm problemas muito grandes no sistema além de ser muito portátil

          10. Exatamente, repensei e percebi isso. Essas são as características que quase todos os users do Mac procuram. E a Apple consegue atender direitinho.

          11. Ai vai o investimento, pagar $600 num notebook meia boca que vai durar 2~3 anos sem problemas, ou $1000 num que vai durar mais e é melhor na comparação direta.

          12. Para todo mundo que precisa de bastante bateria e não precisa de algum aplicativo exclusivo para Windows, se consegue, compra um Mac.

          13. Isso é herança da época dos PowerPc, os antigos processadores da linha da Apple. Esses processadores usavam uma arquitetura diferente dos Intel/AMD, eles de fato eram melhores para as tarefas que esse grupo de pessoas precisava.
            Agora não faz mais sentido, tecnicamente falando.

          14. Criou-se a máxima de que só o mac não trava. O trackpad é excelente e a bateria de um macbook dura muito. fora isso alguns aplicativos acabam saindo mais barato.

            O pixelmator deve atender muito bem a essa turma cobrando apenas 15 obamas(promo), preço bem inferior ao photoshop. O finalcut por 300 doletas sai bem mais barato que o premiere, ainda mais naquela época de dólar baixo.

            Some isso à facilidade que eles tem de trazer coisas de fora e ao preço de revenda aqui no BR e você acaba percebendo que vale a pena ter um mac no lugar de um PC.

            É claro que um bom PC(com ssd, fonte, fonte, memória e processador de boa qualidade) terá a mesma qualidade de hardware que um mac e dificilmente vai travar, custando menos. Mas por tudo que falei acima e pelo baixo número de ameaças virtuais, o mac acaba saindo melhor no custo benefício.

          15. Jornalista virou um termo genérico para descrever pessoal que lida com mídias. Em algumas universidades, acho que não há divisão entre jornalista e pessoal que cuida de audio & visual, então ao menos dentro do curso se usa bastante.

          16. Jornalista = profissional responsável por apurar, editorar e divulgar notícias e fatos.

            Publicitário = profissional responsável por criar a imagem de algo com intuito de divulgação, seja para vendas ou outras funções.

            Relações públicas = profissional responsál por intermediar ações entre àquele que o contrata e pessoas que dependem deste.

          17. Comunicação! Era a palavra que eu buscava. É isso, confunde-se jornalista com o restante dos outros profissionais ligados à área de comunicação.

            Na UnB, sei que o curso de comunicação se divide em vertentes tais como jornalismo, audio & visual, publicidade. Na UFSC, acho que audio visual e jornalismo eram uma graduação só. E ainda há o pessoal do design

          18. eu creio que use sim(apesar de não ser um). ultimamente o mundo pede que sejamos ‘multiprofissionais’. O cara não pode depender de alguém para editar seus vídeos e imagens para a matéria ir ao ar. Pelo menos não em agências menores, por onde a maioria começa. Fora os youtubers e blogueiros.

          19. Acho que por ser uma galera que o “on the go” é importante, o Macbook Pro é bem interessante pelo combo peso, qualidade da tela e bateria.

            Status também ajuda e também para esse pessoal, a vida útil da máquina Apple costuma ser bem maior (aí, incompetência da concorrência).

          20. pois é. muita gente com esse perfil tem macs que datam de 2009~2011 e usam até hoje normalmente. com o capitão e tudo agora.

          21. Jornalista tem um ego enorme, já dizia um professor. Se precisar pagar para ter status, paga. Conto nos dedos quantos colegas tem aparelhos Android. O resto se mata para ter um iPhone, e um ou outro se interessa pelo Windows.
            E essa confusão de jornalista e social media é coisa de grande centro. No meu estado (MS), tem empresa que ainda contrata publicitário pra trabalhar com medias. Jornalista só vê redes sociais em assessorias. E a grande maioria vai pra rua.

          22. o unico que vi durante a faculdade foi um macbook white de um cara da arquitetura

  27. Como que vocês organizam “a vida”. Usam algum aplicativo, “workflow” físico, fica tudo na cabeça… Os projetos, as obrigações, os “sonhos”, pesadelos, coisas pra quando crescer… vai aonde?
    Evernote? Onenote? Caderninho? Listinha to-do?
    O desencalhe para o próximo dia dos namorados…

    1. Tentei tantos apps, nem tentei tanto assim, só baixei mesmo, não conseguia me aplicar pra usar. Tentei Wunderlist na nova aba, tentei Evernote, mas num consegui.

      Esse ano comecei a usar uma agenda, anoto tudo que tenho que fazer e fico com ela aberta na minha frente. Melhor coisa.

      1. Team agenda aqui. Problema é mantê-la sempre à mão e, como você disse, aberta.

    2. o maximo que uso é o Keep. ali guardo lista de mercado, musicas da banda, filmes, anotaçoes, lista do aliexpress, telefones, endereços etc.

  28. Estou pensando em montar um servidor de mídia de baixo custo com Plex + Chromecast e é imprescindível que tenha baixo consumo de energia. Qual seria a melhor alternativa?
    PS: Armazenamento de dados não é o problema.

    1. Tu quer uma máquina que rode o Plex pra jogar no Chromecast, certo? Mas, e onde está teus dados? Tu poderia pegar um Intel NUC ou um Raspberry Pi pra rodar o Plex e ligar teu HD com os dados nele.

      1. Sim, isso mesmo. Tenho 3TB em hd externo. Intel NUC está fora de cogitação, para mim não se encaixa em baixo custo. O Raspberry Pi será que dá conta em rodar vídeos em 1080p? Se sim, qual seria o melhor OS para rodar nele? Rasplex?

        1. Amigo, tenho o Pi2, mas nunca testei o RasPlex nele não. Mas se tu der uma olhada no YT tu vai ver uns vídeos dele rodando tranquilo. Acho que não vai ter problemas, não.
          Agora teu HD ext. vai ter que estar alimentado por hub energizado pra poder funcionar no PI; ele sozinho não segura.

          1. Pois é, estou vendo que tenho muitos pontos a se considerar. A intenção é deixar ligado 24/7, mas se for assim complicado vou manter como tenho agora com notebook e ligando só quando for usar.

          2. Cara, eh complicado, mas só na primeira vez; depois é só tranquilidade. Usar o Rasplex é a maneira mais fácil de criar um media center com o PI.

            Existem outras maneiras mais complicadas, mas também bem mais poderosas.
            Eu particularmente uso o PI com SickRage, CouchPotato e Transmission. O Sickrage faz o download automático das séries e processa direitinho (muda nome do arquivo, joga na pasta certa), joga pro meu PC (vou trocar por um NAS, quando tiver $$), o CouchPotato faz a mesma coisa só que com os filmes (tipo uma lista de espera, por exemplo, vai sair VingadoresUltron e o CP vai baixar automaticamente quando sair em 1080p), todos dois usam o Transmission.
            Depois o KODI vai lá, lê a biblioteca, e organiza; baixa as capas, baixa fanart, acompanha o que eu já assiti ou não.
            Eh um pouco complicado de fazer, mas eh meio um hobby rsrs Gosto de bater cabeça com isso, e lógico fica bem legal. Todo mundo que chega fica impressionado, elogia. E tira a preocupação de tá batendo cabeça com torrent…

            Já falei isso tantas vezes aki, que o povo deve já tá abusando rsrsrsrs

          3. Conheço essas alternativas mais elaboradas, mas o meu foco realmente é baixo custo e consumo de energia. De qualquer forma muito obrigado pela suas dicas.

          4. Opa, tem alguma receitinha de bolo dessa sua solução aí?

    2. Alguém que entenda disso, por favor, faça um how to maneiro e mande pro @ghedin:disqus postar.

      Quero muito montar um desse, e quero uma introdução ao assunto.

      #prontofalei

      1. hahaha Tava pensando nisso agora mesmo. @ghedin:disqus seu desejo é uma ordem. Me disponho pra fazer, pode demorar um pouco, mas estou à disposição! É só entrar em contato…

        1. Posso dar pitaco, baseado na minha opinião?

          Há software;
          Há hardware;
          Enumere problemas;
          Enumere situações (casos de uso);
          Resoluções possíveis, não se esqueça delas;
          Mídias possíveis;
          Formatos possíveis;

          Se vire e comprima isso num artigo que não fique massante.

          : ^*

          Outra coisa. Quantos desenvolvedores tem aqui?
          Pelo básico que eu vi, e pelo que já usei no PC (oi, Media Center!), acho que as opções não irão me agradar.
          Então estou seriamente pensando em desenvolver uma aplicação para rodar essas coisas.

          Ok, eu sei que tem vários projetos opensource que posso ajudar. Mas há toda uma burocracia em cima deles, que me afasta.

          Então queria montar uma equipe pequena para trabalhar nisso, sem muito compromisso. Focando no mercado brasileiro, no que temos aqui, etc e talz.

          Alguém?

          1. Rapaz, sou um aspirante a desenvolvedor. Estudo “informática (odeio o nome do curso)” no IFPI. E passei pra UFPI nessa última leva do SISU, pra Sistemas de Informação; vi um pouco de tudo, e sendo sincero, não aprendi o tanto que gostaria. Mas, posso lhe ajudar no que estiver ao meu alcance.

            E valeu pelas dicas, ia demorar muito tempo pra mim chegar e pensar nisso tudo hehehe.

          2. Companheiro, uso FreeNas + Plex Premium com vários plugins, não se faz necessário desenvolver uma nova ferramenta devido ao hardware defasado usado para esse tipo de equipamento por aqui.

          3. Eu fiquei animado, e procrastinador, hoje. Aí fui dar uma lida.
            Parece que o XBMC evoluiu bastante da última vez que usei, acho que realmente não precisa de nada novo. Mas mesmo assim, não descarto a possibilidade.

  29. a sony tá querendo oferecer realidade virtual já no play4. É consenso que isso não vai dar certo, ele não tem poder de fogo pra oferecer nem de perto uma boa experiência nisso, a não ser que adotem a gambiarra da Microsoft de te mostrar uma televisão com o jogo no meio, o que é realmente bem inútil. Essa abordagem apressada, na minha opinião, vai causar aversão à realidade virtual no público em geral. E vocês, o que acham dessa pressa em lançar alguma coisa, qualquer coisa, nesse mercado que nem se quer começou?

    1. O Project Morpheus é ruim? E ontem a Oculus anunciou uma parceria com a Microsoft para que o Rift converse com o Xbox One.

      (Estou por fora total de jogos.)

      1. ele quer ser ligado no play 4, e ele simplesmente não tem poder de fogo pra sustentar a resolução e o fps necessários pra uma boa experiência de imersão real, e pra fazer igual da Microsoft é inútil, se for pra me mostrar uma TV ao longe com o jogo, melhor minha TV mesmo

    2. Acho que o Projeto Morpheus não dará certo também, mas por outros motivos…

      Acho o PS4 perfeitamente capaz de rodar realidade virtual, mas acho que não dará certo pelo mesmo motivo do kinect na geração passada: Adaptação.

      Kinect e Morpheus, ambos são projetos ambiciosos e que poderiam dar muito certo se tivesse mais atenção, tanto das third-parties, quanto dos jogadores, isso alavancaria e seria uma revolução de verdade. Mas enquanto isso não acontece, o destino será o mesmo do kinect e dos controles de movimento: saindo do palco de mansinho pra ninguém perceber.

      1. ele é capaz rodar realidade virtual máximo passiva, uma animação ou filme, mas veja só, os consoles atuais já sofrem pra manter 1080 30, em realidade virtual, só a parte que você tá vendo ja exige um resolução e framerate maiores que esse, uma vez que a tela tá colada na cara, quanto mais o cenário ao seu redor, pra quando virar a cabeça para os lados, e acima e abaixo. Tem a questão adaptação, mas tem também o poder de fogo, a geração atual simplesmente não tem poder pra isso

  30. Pessoal, bom dia.

    Qual celular compensa mais, Nokia 730 ou Moto G 2ª?

    1. Em questão de hardware os dois são emparelhados, sendo que o windows phone sendo mais leve, vai rodar mais suave. No meu caso eu nem pensaria no lumia porque realmente não consigo desapegar de android, meu conhecimento da plataforma é muito grande pra abandonar assim, e eu tenho uma forma de usabilidade única que não conseguiria replicar no wp. Obviamente, se você tem dúvida, é porque a mudança não seria traumática pra você, então eu recomendo o lumia

    2. tá com pressa ou quer comprar um bom aparelho? já estamos na metade do ano, então se voce esperar um pouco poderá pegar os novos lançamentos.

      1. Nada demais, é uso pessoal apenas, só queria um celular com um câmera boa e que se possível não travasse. Não tenho problemas quanto ao sistema ser android ou windows phone.

        Mas como disse o colega acima, acho que vou aguardar até o final do ano para ver os lançamentos.

        Obrigado.

      2. Nada demais, é uso pessoal apenas, só queria um celular com um câmera boa e que se possível não travasse. Não tenho problemas quanto ao sistema ser android ou windows phone.

        Mas como disse o colega acima, acho que vou aguardar até o final do ano para ver os lançamentos.

        Obrigado.

        1. Então compre um Zenfoone 5 que é bem melhor que o Moto G e ainda mais barato.

    1. Moro só então faço alguns testes na minha alimentação pra ver se há alguma mutação no meu dna mutante.
      Este mês é o mês carnívoro. Só como ovos, carnes, leite e café quando acordo. Nada de carboidratos ou açucares.
      No mês passado cada cafezinho tinha de 3 a 4 dedos de açucar + chantily + nutela + paçoquita.

    2. Moro só então faço alguns testes na minha alimentação pra ver se há alguma mutação no meu dna mutante.
      Este mês é o mês carnívoro. Só como ovos, carnes, leite e café quando acordo. Nada de carboidratos ou açucares.
      No mês passado cada cafezinho tinha de 3 a 4 dedos de açucar + chantily + nutela + paçoquita.

      1. Experimenta café sem açúcar, só com chantily e ou paçoquita. É ó (Y)

        1. pão de forma + manteiga + queijo minas, feitos na frigideira (pois eu não tenho uma FAMIGERADA sanduicheira, é triste, eu sei.)

          1. George Foreman cara. Esse grill é mind blowin (o mais barato mesmo)

          2. sim sim eu vi e achei bem barato, não sei pq não comprei ainda, mas o farei!

    3. Um copo d’água gelada. Depois, 13 km em ritmo acelerado de bike. Depois trabalho.

        1. Não! Só sinto fome mais tarde, lá no meio da manhã. Daí vem o sanduíche iche que a empresa fornece! :D

          1. Prêmio de User hidratado do ano.

            Tenho que beber mais água, mas bate uma preguiça.

          2. Haahahaha! Boa! Gostei do troféu!
            Para tomar água, o esquema é deixar uma garrafa cheia perto de você. Quanto mais se toma, mais sede dá!

          3. Sim, fora de caso isso rola de boa… até ter de encher a garrafa.
            Devia levar uns esporros da minha avó por tamanha preguiça (rip), mas é como tá hoje

          4. Me falavam que ia acontecer o mesmo comigo! Mas realmente não sinto falta não!

    4. Algumas latas de RedBull, café preto quando o RedBull acaba e um misto quente quando estou em casa.

      Se estou na casa da namorada é café preto e misto quente.

    5. Café preto + pão francês/pão integral + requeijão ou queijo banco.
      às vezes como uma fruta após, ou lá pras 10horas.

      1. Só porcarias. Quando seguia a dieta, ia fruta, vitamina, pão com peru e queijo branco. Voltei pro leite com nescau de sempre :[

Os comentários deste post foram fechados.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário