Post livre #141


31/8/18 às 7h25

Toda sexta, o Manual do Usuário publica o post livre, um post sem conteúdo, apenas para abrir os comentários e conversarmos sobre quaisquer assuntos.

Newsletter

O melhor do Manual do Usuário:


Nas redes sociais, notícias o dia todo:
Twitter // Telegram

69 comentários sobre “Post livre #141”

  1. Me deparei com o livro ‘a sútil arte de ligar o foda-se’. fiquei curioso e vi q é um auto-ajuda, mas mais ‘rigoroso’. tendo a evitar a evitar livros desse gênero, apesar de vê-los como úteis a muitas pessoas q passam por algum perrengue ou dificuldade momentânea e precisam de algum tipo de empurrão. mas, fora o preconceito com o gênero (justificado em parte, pois há muita porcaria no meio), há algum livro de auto-ajuda reconhecidamente útil por aí?

    1. Nosso amigo Alain de Botton diz que o problema não é a auto-ajuda, mas os livros ruins de auto-ajuda. Ele é suspeito, pois escreve auto-ajuda, mas o gênero é de fato um terreno fértil para picaretagem e, acho, o volume desses é tão grande que acaba ofuscando os que realmente têm algo a dizer. (E, sim, também acho que depende muito do estado de quem lê e do quão receptiva a pessoa é para esse tipo de material.)

      Duas coisas me chamaram a atenção nesse A Sutil Arte de Ligar o Foda-se: o autor, Mark Manson, viralizou algumas vezes no Brasil com textos polêmicos (O “Uma carta aberta ao Brasil” é especialmente ruim); e é o segundo livro com “foda” no nome a entrar para a lista de best sellers (o outro é Seja Foda!, de Caio Carneiro). Soa como uma rebeldia besta, infantil.

      1. pois é, tanto q nem considerava o alain de botton um autor de auto-ajuda. tem um outro tb, o Andre Comte-Sponville que, me parece, tb vai por esse caminho usando a filosofia (nunca li pra saber se é isso mesmo).
        “foda” ou “foda-se” é chamativo e funciona.
        não tinha me ligado no autor… eu vi alguns comentários na amazon e me pareceu ser uma boa leitura pra quem tem um pendor reacionário.
        enfim, nada contra o gênero, mas é lastimável a exploração q as pessoas fazem de pessoas q REALMENTE precisam de uma força ou motivação.

      1. uma parte é preconceito e outra é interesse. combine esses dois que vc chega longe!

  2. Queria expressar aqui o quanto acho íncrivel como o sistema de tradução automáticas do YouTube evoluiu nos últimos anos. Acompanho alguns canais gringos, que disponibilizam a legenda em inglês, e basta selecionar a opção Português em “traduzir automaticamente” para ter uma legenda traduzida com poucos erros. Ainda tem o que melhorar, mas é muito bom saber que alguém que não domina outros idiomas já pode consumir conteúdos estrangeiros sem muitos problemas com a barreira linguística.

  3. Tava vendo esses dias aquele lance de organização japonês (ou de uma japonesa) chamado KONMARIE. Vcs usam algum método pra se livrarem do acúmulo de coisas ou só vão deixando as pilhas crescer até elas caírem e vcs chutarem tudo pra dentro de um armário qualquer?

    1. Acho que o segredo é não deixar acumular. Mudanças de casa/apartamento ajudam a dar uma acelerada nesse processo e viver em um lugar pequeno (<40 m²) ajuda a não acumular novamente. É muito fácil perder de perspectiva o que é essencial ou muito querido a ponto de ser mantido.

    2. No final do ano, eu sempre dou uma olhada nas gavetas e vou jogando fora as coisas…aí acaba não acumulando tanto.

      1. não consigo esperar tanto tempo! me dá uma angústia danada ficar com coisas q estão paradas.

    3. Não conhecia esse método, até ver que o livro que ela publicou (Marie Kondo) tá na minha biblioteca do Kindle… e nunca li, hahaha. Ironias à parte, acredito que a melhor maneira de arrumação é evitar a procrastinação e manter tudo arrumado sempre…

      1. Até que não me importo com uma baguncinha… não pode ser o caos, claro, mas o q anda pegando é o acúmulo mesmo. Achei esse lance de se perguntar ‘isso me traz alegria’ simples e eficaz. Afinal, alegria é algo bem subjetivo e um bom parâmetro pra conviver com as coisas.

        Acho q saquei o conceito… não vou comprar o livro por enqto.
        Já a procastinação…. eu tendo a vê-la como ócio criativo. A gente se cobra demais por eficiência e tornar o tempo útil, aproveitável…

  4. Meu Redmi 4X quebrou a tela e tô pensando em trocar de celular mais por conta da câmera, mas tenho dúvida se as telas com bordas mínimas e sem notch tipo o Mi Mix 3 irão chegar cedo em celulares com preços intermediários com Android One.

    O que mais me chamou atenção até o momento foi o Mi A2 (achei feinho o A2 Lite, deveria ter bordas mais finas), vocês acham que vale a pena ou devo esperar mais um pouco? https://uploads.disquscdn.com/images/b5543c9b5803acdb4839073f0d019a4bc162ab89f3023e0848911c3dcd91010d.jpg

    1. Gostei da proposta do Android One: versões limpas e com atualização constante. Meu Oneplus 3 continua firme e forte (e vai receber o Pie), então não penso em trocar de aparelho tão cedo (Google Camera melhorou muito as fotos). Se eu precisasse de um aparelho novo ia atrás do Mi A2 (Lite ou não). Pode ser que o motorola one chegue ao país, mas com visual de iPhone é provável que ele fique entre o Moto G6 Plus e o Z3. Tem o Nokia X6 também!

      1. caraca! tá no meu carrinho de compra esse aí. só q agora (só por encomenda)… estou pensando se compro ou não.

    1. Nem tava sabendo…
      Olhei rapidamente aqui e acho que nada muito do meu interesse. Que bom, não ia conseguir ler mesmo

    2. Tem alguns da minha lista de desejos com desconto, mas nada imperdível. E como comprei uns há algumas semanas, acho que passarei batido por essa.

    3. estou cogitando algumas hqs: ‘paraíso perdido’, ‘akira 2’, ‘uzumaki’ e ‘battle angel alita 4’. de literatura comprei dois ebooks: ‘a marca humana’, do roth e ‘homem lento’, do coetzee. os preços estão bons para muita coisa boa, mas tem q garimpar.

        1. A gente vive fazendo isso (selecionando coisas para doar ou se desfazer) de tempos em tempos. Mas por conta do mercado editorial brasileiro tem livros que não dá pra jogar fora (coisas que eu comprei há poucos anos e não são mais publicadas).

          1. compreensível.
            estou tentando ser mais realista em relação ao q eu compro e vou REALMENTE USAR. e tb vendo se é possível ter a versão digital ao invés da impressa para livros q são a parte mais difícil de tratar (peso, poeira, espaço, envelhecimento do papel etc.). o mercado editorial pisa mesmo na bola não te dando essa segurança de q um certo livro voltará a ficar disponível em algum momento.
            mas, de agora em diante, vou pensar muito antes de trazer mais um livro pra casa.

  5. Qual app vocês utilizam para acompanhar e baixar os podcasts (de preferencia para Android)? Usava o Castbox mas depois que mudei de aparelho não consigo mais logar em minha conta e o app Google Podcast nem chega a abrir.

    1. Para quem está no iOS: eu uso o padrão do sistema mesmo, porque acompanho poucos e é bem ok. Ouço falar muito bem do Overcast e do Pocket Casts (esse tem para Android também), mas nunca testei.

      1. Na minha humilde opinião, o Pocket Casts é o melhor disponível para Android. Já testei o do Google e o Wecast que são mais simples.

      2. Tinha um iPhone e usava o padrão do sistema também (desde a época do iPod Touch 4), mas fui furtado.. em fim, vou testar esse Pocket Casts.

      3. Eu uso o Overcast e realmente, ele é bem bom. Mesmo na versão gratuita que possui recurso de configurações individuais para cada feed, por exemplo. Se quiser liberar todas as funcionalidades, precisa pagar por uma assinatura. Mas não vi muita vantagem pra meu uso.

        O bom do Pocket Casts pra mim é a sincronização.

    2. Pocket Casts.

      Além de tudo tem uma interface muito bem trabalhada. Valeu cada centavo.

    3. Quais podcasts vocês escutam? Sempre vejo essas discussões, mas nunca parei pra ouvir algum. Estou pensando em começar…

      1. Tenho ouvido com regularidade o Estadão Notícias (diário) e o Foro de Teresina, da piauí (semanal, sempre às quintas). Além do Guia Prático, que ouço de duas a três vezes cada episódio pois é preciso :)

  6. Hoje começa a propaganda eleitoral obrigatória. Isso me fez lembrar de um ad que apareceu no meu instagram stories que achei meio rasteira: era do senador Caiado (GO), mas feito pelo perfil de uma médica qualquer com algo “muito feliz de conhecer esse grande homzzzzz”. Por sorte, até agora só duas propagandas políticas apareceram para mim na plataforma.

    Aliás, vocês sabem dizer se quando aparece a propaganda para mim, significa que de alguma forma eu fui enquadrado como um votante do Caiado ou se é uma coisa aleatória?

    1. Hoje começa a na TV e rádio; a campanha na internet já começou tem umas semanas. Aqui já apareceu candidato da minha região (noroeste do Paraná) tentando me adicionar no Instagram (meu perfil é fechado). Galera não perde tempo.

      1. Engraçado que no resto da rede em si não vi nada (afinal adblockers em quase todos os sites). O que me surpreendeu foi o anúncio ser vinculado por uma conta “comum”.

        1. Se não me engano, propaganda eleitoral paga/patrocinada por usuários “comuns” é crime eleitoral, vide o “mensalinho” do PT.

    2. Acho que eu já vi de um deputado estadual ou federal no Facebook ou Instagram. Lembro porque apareceu todas aquelas informações do candidato (Partido, Coligação, CNPJ/CPF, etc.)

    1. Achei interessante… ficou com cara de revista digital… Não se preocupe com as diferenças no áudio Ghedin, a gente entende. :)

    2. Voltou? Estava sem atualização desde abril e como tenho uma limitação de inscrição no agregador deixo apenas aqueles que são atualizados. Se voltou vou inscrever de novo!

    3. Gostava mais do antigo, mas é porque eu sou chato mesmo. :)

      (e também porque me interesso bem menos por conversas de mercado)

      1. A ideia é manter o foco no usuário final. Esse teve duas de três partes com peso maior em mercado, mas foi um desvio. Acho que o próximo será mais legal para quem preferia o formato anterior :)

    4. Gostei. Achei boa a tentativa em mudar o formato, fugindo um pouco do que a maioria faz (que eu não acho ruim, mas é sempre bom encontrar propostas diferentes). Curti voltar a ouvir o Felitti (acompanhava da epoca do IDG Now e da CBN) e o bate papo com o Cesar Cardoso.

    5. Ouvi. Apesar de interessante saber o que ocorre no mercado, também prefiro algo mais direcionado no usuário final.

      P.S. se isso te conforta, a voz “enlatada” ficou melhor, aqui no meu fone. O som ficou mais limpo rsrs

    1. Temos que estudar melhor essa ideia. Talvez seja uma boa porque o post livre acaba bastante concentrado na sexta; sábado e domingo, o movimento cai fortemente.

      Semana que vem a gente testa, prometo! (Já até mudei o alarme recorrente que deixo no celular para me lembrar de abri-lo nas manhãs de sexta, haha!)

Os comentários estão fechados.