Post livre #14

Está aberto o post livre pós-feriado! O esquema é o seguinte: um post, sem nada, apenas para abrir os comentários a fim de debatermos quaisquer assuntos por ali. Sugira um, participe das outras discussões, sinta-se em casa.

195 comentários

  1. Não sei quantos de vocês já estão no preview do Windows 10, mas tenho gostado muito mesmo do trabalho que a MS tem feito. O próprio Ghedin fez um review aí no manual, mas não pega as últimas novidades das builds mais recentes.
    Na 10130, que foi a última a sair, a forma como estão mostrando o andamento de downloads, transferências de arquivo, etc., por trás dos ícones da barra de tarefas ficou muito legal. O traço embaixo dos programas abertos na minha máquina fica azul. Nos que estão com transferências em andamento, o traço fica branco e uma barra vai subindo por trás do ícone indicando o andamento da tarefa. Muito bom mesmo.
    Isso, junto das muitas modificações que foram feitas nos ícones (que no início eram sofríveis) fazem valer a pena acompanhar o desenvolvimento da versão preview.

  2. Não sei quantos de vocês já estão no preview do Windows 10, mas tenho gostado muito mesmo do trabalho que a MS tem feito. O próprio Ghedin fez um review aí no manual, mas não pega as últimas novidades das builds mais recentes.
    Na 10130, que foi a última a sair, a forma como estão mostrando o andamento de downloads, transferências de arquivo, etc., por trás dos ícones da barra de tarefas ficou muito legal. O traço embaixo dos programas abertos na minha máquina fica azul. Nos que estão com transferências em andamento, o traço fica branco e uma barra vai subindo por trás do ícone indicando o andamento da tarefa. Muito bom mesmo.
    Isso, junto das muitas modificações que foram feitas nos ícones (que no início eram sofríveis) fazem valer a pena acompanhar o desenvolvimento da versão preview.

  3. Meu Moto G 1ª geração caiu no chão, a tela rachou toda mas continuou funcionando tudo, porem no outro dia eu deixei cair de novo e PLAU, so da pra ver umas luzes e tal, porem o celular ainda esta ligado, entao me tirem uma duvida: levo numa assistência e troco a tela (ja soube que tem por aqui por 120 reais que troca na hora), ou arrisco comprar na net mais barato e trocar? alguem que ja tenha trocado a tela sozinho recomenda?

  4. Vocês usam algum serviço online de backup, tal como blackblaze? Ou apenas sincronização da nuvem, como Dropbox, Onedrive, etc.?

    1. Sincronização da nuvem com Dropbox e Google Drive.

      Dropbox uso mais pelo Camera Upload e uso Google Drive para meus arquivos pessoais (acho o ecossistema e as ferramentas do Google melhores).

  5. Quero trocar de smartphone daqui a um tempo (meu Moto G 2013 já está entregando os pontos) e cheguei à conclusão que possivelmente vai ser o Moto X 2014 ou o LG G3. (Vai ser para uso pessoal e vou usar o Moto G como roteador com um SIM apenas para dados)

    Pesando para o lado do LG: câmera e bateria melhores, hardware mais parrudo, ter suporte a SD e carregador sem fio. Porém, acho a tela dele “overkill” (acho QHD bobagem e, aparentemente, anula a vantagem da bateria) e não sei como a LG é com atualizações. Já do lado do Moto X, algo fortíssimo pra mim é o Android limpo e o hardware mais “pé no chão”, porém pelo que eu já vi em reviews a câmera dele deixa a desejar.

    Qual desses tem melhor CxB na opinião de vocês?

    1. Cara, acho que como ambos podem ser atualmente encontrados no mesmo preço, é fechar o olho e escolher um, porque ambos atenderão bem (ou o que aparecer em promoção primeiro).

      Se o G3 tiver previsão de 5.1, eu iria nele.

    2. Passei pela mesma situação no início do ano e acabei optando pelo G3 porque a câmera era melhor. Embora o telefone me atenda bem, não repetiria a escolha. O aparelho sofre com “travadinhas” ocasionais e tem problemas de construção (procure por “rachaduras na carcaça do G3”).

    3. Se tu liga para câmera, vá de G3. Senão vai de motoX.

    4. Se tu liga para câmera, vá de G3. Senão vai de motoX.

  6. uma coisa q gostaria de compartilhar aqui é q me sinto cada vez mais satisfeito em ir na contramão do mercado e comprar, qdo possível, coisas novas q desvalorizaram pra caramba, mas q são boas, ou mesmo coisas usadas em bom estado q foram consideradas boas e ainda são, apesar de não terem o frescor da novidade. eu não tinha um tablet até poucos dias e ao comprar um vi a chance de voltar a ler com o mesmo entusiasmo de alguns anos. deixei de carregar livros pesados qdo passei a ir de bike até o metro e o tablet resolveu o meu problema pra carregar um livraço de mil páginas na mochila sem detoná-lo ou detonar as minhas costas. comprei um lg pad 8.3 usado por 550 mangos. estava muita inclinado a comprar um ipad, mas depois de ter passado uns dias com um da firma… vi q pro uso q eu faria, não teria problema algum. fico satisfeito em ter economizado uns 2 mil e ainda não ter receio de perder essa soma num assalto ou num acidente. e estou cada vez mais inclinado a isso, a deixar passar a fúria da novidade e da adesão e comprar só aquilo q é barato. estou me desafazendo de livros impressos e optando pela versão digital daqueles q tenho e não li tb. assim posso carregar minha biblioteca comigo e achei isso fabuloso, pq leio vários livros ao mesmo tempo, mas sempre me atrasava pra sair de casa por ficar escolhendo qual levaria naquele dia… bom, isso não é muito usual, mas talvez alguém tenha passado por isso já. e, por último, recomendo ao manual dicas e reviews de equipamentos ergonômicos e eventualmente destaque a apps q dão ênfase em acessibilidade. abraços.

    1. Se com o tablet vc já ficou feliz, imagina se tivesse comprado um Kindle!

      1. pois é. ia fazer isso, mas o tablet é mais útil pra mim. ouvi em um podcast de tecnologia q o cara não recomendaria um tablet android nem ao inimigo dele… sei lá, há uma adesão exagerada a certos dispositivos q eu não vejo sentido, exceto, claro se aquele aparelho específico é extrema e verdadeiramente necessário para o seu dia a dia (o q pra muitos não deve ser o caso). e como uso o app do kindle, se um dia comprar o aparelho kindle, vai ser fácil migrar. por ora, o tablet está fazendo um bom trabalho. abraço!

        1. Talvez ouvi essa do tablet Android. Achei um exagero. Ainda mais que ele não estava se referindo ao tablets android baratinhos, mas a todos eles. Alguns tablets Android realmente são muito ruins, mas dá para achar coisa boa por preços bem em conta. Comprei um da AOC por R$ 270 e estou satisfeito com ele. Mas o LG que você comprou é muito melhor. Vale a diferença!

          1. pois é, exagero ou adesão cega a produtos e marcas específicas. não nego q um ipad te encha de entusiasmo e satisfação, pq é um aparelho sensacional e com apps incríveis, mas se vc não tem grana ou não está disposto a gastar tanto (especialmente no brasil q tudo é uma fortuna)… é melhor uma opção em conta q lhe atenda minimamente. esse q peguei é bom, tem uma ótima tela, mas um formato pouco usual… o q eu acho q o deixou pra escanteio. estou bem satisfeito, apesar da bateria não durar muito. pô, fora q tem o nexus 9 q é incrível e dizem não ficar muito distante de um ipad em qualidade, mas mesmo esse é demais pro meu bolso. se um dia ele custar 500 mangos (o q não é nada improvável), ok!

          2. Que modelol é esse da AOC? Fiquei curioso. Ando procurando algo para a patroa mas que tenha qualidade razoável e que não me faça entrar no vermelho.

          3. Eu não lembro exatamente o modelo, mas já faz quase um ano que eu comprei, então já deve ter sido substituído por outro modelo. Mas o que me chamou a atenção é que ele é muito melhor do que os outros dois tablets baratinhos que eu tive: um da CCE e um da Qbex. O preço dos 3 foi semelhante, mas o da AOC é muito superior.

          4. Acho q vale, mas preferiria ter gasto ainda menos… E não por avareza, mas por estar comprando algo ultrapassado e se o mercado é tão implacável com as novidades deveria ser TB com aquilo que já passou.

        2. Cara, já vi muita gente falando mal, então compartilho a minha experiência: Tive um tablet android. Na verdade um eReader que eu troquei o sistema para poder usar como tablet. Era um nook Color da Barnes&Noble. Comprei novo. Tinha lá minhas frutrações com o Android, na época na versão 2.3, principalmente no quesito qualidade de aplicativos. Daí depois de alguns meses vendi e comprei um iPad de primeira geração, o topo de linha, pouco antes da Apple lançar o segundo. A tela era maior, a touchscreen melhor, o acabamento era lindo e tinha metade da memória RAM do nook que eu usava. A quantidade de travamentos de aplicativos no iOS era uma coisa irritante! Era uma blasfêmia ele travar mais que um android que nem era pra ser um tablet. E disso eu já tinha uma noção já que eu tinha um iPod touch. Senti muita falta do acesso ao sistema de arquivos mas pelo menos estava mais bem servido com os aplicativos mais bem feitos. Quando o iPad já não me atendia mais, lá pro final de 2013 comprei um Galaxy Note de 8″, que me acompanha até hoje. A qualidade dos aplicativos melhorou muito (embora eu admita que ainda há coisas legais no iPad e que só estão lá) e o tablet tem me atendido muito bem. A única coisa que me incomoda nele é a proporção da tela em 16×9 que é quase que onipresente nos aparelhos android. Sinto falta de algo com 4×3 e talvez fosse a única coisa que me motivaria a fazer uma troca hoje. Babei naquele da outra Nokia para o mercado Chinês.

          Por hora eu ando flertando com a possibilidade de um tablet windows, mas economicamente acho que não é hora de um novo gadget.

          1. Leio muitos artigos da scielo e no tablet ficou bem legal o formato mais cumprido. Esse formato 4×3 não me faz tanta falta não… Talvez no futuro venha a ter algo da Apple, mas não vejo muito sentido em pagar tanto por coisas q me são úteis q um tablet Android faz igualmente bem… Se os aplicativos melhorarem cada vez mais acho q distinção entre tablts tende a ser feita de modo ainda mais subjetivo se o custo-beneficio não vier em primeiro lugar…

    2. No intuito de economizar tablets Android é o que há. Mas no quesito tablet, um iPad é muito superior.

    3. Eu comprei faz quase 1 ano o iPad Mini 1, foi minha primeira experiência com produtos Apple (sou do ecossistema Windows), e não me decepcionei, porem somente uma coisa me incomoda: seu ciclo de vida praticamente já acabou já que é bastante improvável ele receber update para o ios 9. Alem de ter sido minha primeira experiência com apple, também foi com tablets e, ao usa-lo, tive a mesma sensação sua em relação a ebooks. Eu odiava ler… é, odiava. No passado…

        1. Eu estava lendo o 2010, sequência do grandioso 2001, porem minha namorada deixou ele cair e ficou difícil pra ler nele com a tela trincada, mas, ainda tento hauahau
          Por falar nisso, será que é caro o reparo da tela? (quando digo caro, digo caro a nível apple)

      1. Tenho um MacBook de 2008 (modelo branco) e tomei birra da Apple por isso. Ela mata os produtos propositalmente. O Windows, a cada versão nova que sai, geralmente fica um sistema mais leve e você tem a opção de instalar na máquina que bem entender. Este comentário mesmo estou escrevendo em um notebook HP de 2007 (C2Duo) mais antigo que o MacBook em questão, rodando Windows 10 preview, e está perfeito. Mas no da maçã eu não posso instalar nada mais novo que o Lion, que se não me engano é de 2012 ou 2013.
        Existem tutoriais que explicam como burlar e instalar o yosemite em máquinas não suportadas, por exemplo. Mas você gastar uma dinheirama em um computador que vai ter que ficar burlando regras para conseguir usar um sistema mais recente é triste…

        1. Usa bootcamp e instala Windows 10 no teu macbook, que por sinal tem melhor desempenho do que o próprio OS da Apple hauaha

          1. É exatamente o que eu tinha feito há um tempo atrás. Só que fiz sem o bootcamp. Coloquei o W10 como sistema único e pronto.
            Engraçado que já havia feito o mesmo processo com o Windows 8.1 e penei para fazer tudo funcionar. No fim, tive de recorrer aos drivers fornecidos pela Apple mesmo no Bootcamp para ficar redondinho.
            Já com o 10, já reconheceu praticamente todo o hardware automaticamente. Creio que a única função que não habilitou automaticamente foi as teclas de função (multimídia, etc.) do teclado.
            Voltei pro OS X apenas porque o desempenho ficou um pouco sofrível em algumas builds do W10 e estava um pouco complicado para ficar atualizando toda hora. Mas voltarei assim que sair a versão final. A Microsoft tem feito um trabalho muitíssimo bom!

  7. Tive um breve contato com um Galaxy S6 ontem e, rapaz…gostei muito do aparelho. Eu que não tinha planos de mudar de smartphone esse ano, estou repensando a ideia.

    Já está a R$2.190,00 na Cissa Magazine.

    1. Ele realmente é um aparelho muito bonito. Minha esposa gostou muito dele, mas o preço ainda me parece proibitivo.
      A Samsung acertou no visual e alguns dizem que acertou na Touchwiz também.
      Eu, como gosto muito de como o Lollipop ficou visualmente não iria, mas parece que hoje é uma escolha melhor do que eram os Galaxy S antes.

      1. Sim, ainda está caro. Mas creio que ele desça da barreira dos 2 mil reais em pouco tempo.
        Ele está com uma pegada muito boa, a câmera está bem acima da média. Tirei algumas fotos noturnas com ele e o resultado foi ótimo.
        Em relação à tela…já começo a achar que esse argumento do limite do olho humano é conto da carocha…comparei com o meu Moto X 2014 e as diferenças são nítidas (trocadilho tosco, rsrs)
        Na TW só me incomodou aquele design datado dos ícones. Mas com a permissão do dono instalei/desinstalei o GNL rapidamente só pra ver como ficava. Ficou no jeito.

    2. Cara, MotoX é muito mais por muito menos, nos ~R$1000 reais tu tens um celular tão bom quanto e que é mais atualizado, caro, se você liga para Câmera ai a coisa é um pouco decepcionante, mas ainda vale o investimento, o S6 tem um visual muito bonito, mas tenho a impressão que já vi aquela carcaça numa fruta…

      1. Mas eu tenho o Moto X e comparei os dois lado a lado, leia dois comentários abaixo.
        E quanto a parecer ou não com o iPhone, não me importo.

    1. Qual a vantagem sobre o que fizeram? Por que esse botão era uma coisa que eu senti muita falta e a implementação que deram foi funcional e agradável na estética.
      Por que adotar esse recomendado?

      1. Esse recomendado é uma zoeira — ele volta ao topo bem devagar, tocando música de elevador, e faz “plim” quando chega ao topo :)

        Mas, falando sério, existem uns plugins jQuery que deixam a rolagem mais suave. É bem bonito esteticamente, mas preferi manter o negócio simples, com HTML puro apenas, por questões práticas (menos dados/arquivos para carregar, logo site mais leve).

        1. Achei que aquilo tudo fosse apenas zoeira no site :P
          Não gostei muito por que dificultaria minha leitura no trabalho, será que o som aparece nos smartphones? Ficaria difícil ler durante o cafézinho e soar um elevador do nada… heheehhe. Mas sou a favor do “mais leve e funcional”. ;)

  8. Ghedin, existe alguma possibilidade no desenvolvimento de um aplicativo do Manual (no meu caso Android), principalmente pela questão dos comentários e interação que você coloca aqui no site.
    Gosto muito de comentar por aqui, alias, é o único site que realmente participo dos comentários.
    Sei que pode ser complicado, mas sinto falta de um aplicativo do Disqus para o gerenciamento dos comentários nos tópicos.
    Alguém teria alguma solução interessante?

    1. Acho que não, @dalbo1201:disqus. Daria um trabalhão desenvolver (e/ou sairia caro), e precisaria de manutenção depois… É muito trabalho para pouco retorno. Em vez disso, investimos em tornar o site o mais rápido, leve e responsivo possível.

      1. Entendo, mesmo achando que seria um belo diferencial para os assinantes e um talvez incentivo para angariar novos, mesmo que rolasse um Patronamento dos próprios assinantes? Não existe interesse nosso ou sou apenas eu que me incomodo em ter que ficar sempre voltando ao artigo para acompanhar as conversas?
        Não gosto da notificação pelo email que o Disqus oferece, me parece muito lento ou então tenho que acessar o site deles, que para mim não agrada muito.
        Mas entendo a questão financeira e é um real impeditivo. Fico na vontade mesmo.

        P.S.: como faz para colocar a menção ao usuário? Não consigo nem pelo celular nem pelo PC.

      2. Entendo, mesmo achando que seria um belo diferencial para os assinantes e um talvez incentivo para angariar novos, mesmo que rolasse um Patronamento dos próprios assinantes? Não existe interesse nosso ou sou apenas eu que me incomodo em ter que ficar sempre voltando ao artigo para acompanhar as conversas?
        Não gosto da notificação pelo email que o Disqus oferece, me parece muito lento ou então tenho que acessar o site deles, que para mim não agrada muito.
        Mas entendo a questão financeira e é um real impeditivo. Fico na vontade mesmo.

        P.S.: como faz para colocar a menção ao usuário? Não consigo nem pelo celular nem pelo PC.

        1. Então, eu acompanho os comentários (e leio todos) pelo e-mail. Comigo, pelo menos, o Disqus entrega rapidinho os novos.

          Não tenho muita ideia dos custos de desenvolvimento e manutenção, mas creio que seria caro. É uma questão de racionalizar custos — existem outras áreas mais urgentes para investir. E vendo as experiências de fora, não sei nem se seria o caso com dinheiro disponível.

          O The Verge tem um app para Androi com “1000-5000 instalações” (eles têm mais de 12 milhões de visitas por mês). A Quartz, que é referência em práticas modernas de jornalismo, não tem app e faz o que eu faço aqui (na real, é o contrário haha), ou seja, focar na experiência web. Acho que o único app que faria sentido nessa questão de acompanhar comentários seria um do Disqus, mas isso está fora da nossa alçada :/

          1. Verdade Ghedin, o aplicativo do Disqus não depende de nós. Talvez os autores de blogs pudessem comentar com eles sobre a possibilidade e interesse no desenvolvimento do aplicativo.
            Sobre os comentários, eu sempre volto ao blog para ver se existe alguma resposta a um comentário mais rápido que o email. Sei lá, pode ser coisa comigo mesmo.
            Não deixarei de acompanhar e comentar, isso tenho certeza.

          2. Não precisa muita pressa. Monta um para semana que vem, passa um tempo usando e aí fica com uma experiencia mais longa. Acho que vale a pena. ;)

          3. Uma dúvida no uso do Disqus.
            Como eu posso receber notificação (pode ser o email mesmo) de novos comentários no blog sem ser respostas a comentários meus? Mesmo em artigos onde não tenha participado ainda.
            Vejo que acontece muita coisa no blog e poderia perder algo que acho interessante simplesmente por que não voltei mais a algum artigo já lido ou mesmo comentado.

          4. Dá sim. No rodapé do Disqus, depois daqueles posts recomendados, tem um botão quase escondido chamado “Subscrever.” É só clicar ali e você passa a receber todos os comentários publicados num post.

    2. NUNCA achei que que fosse dizer isso. Mas tem solução no Windows Phone! rs rs rs
      O Disqus tem um app para WP que funciona até bem. E exclusivo do Windows. Quem diria…

  9. Algum ser humano percebe a diferença entre o snap 808 e 810 ?

      1. Não manjo… estão dizendo que o aquecimento interfere, e o 808 se sai melhor no final?

  10. Primeiramente, bom dia amigos e amigas ;)
    Como é um post livre, me sinto bastante compelido a não falar necessariamente sobre tecnologia, então decidi postar uma música. Sim, uma música! Isso porque acabei de ouvir aqui no trabalho e pra uma manhã de sexta pós-feriado trabalhando (leia-se: manhã meio lenta) é uma música bem agradável =) não conhecia a banda, mas já curti bastante! Segue o link: https://www.youtube.com/watch?v=gmX-ceF-N1k

  11. Votação para o próximo review do Manual: Boticário ou Jequiti?
    Escolham rápido.

      1. pois vai ficar só navon tade mesmo
        AVON AKI NAO!!! MAIS RESPEITO NESTA CASA.

    1. Prefiro o “ou”… Nada pessoal, é só que o nome por ser curto pega melhor.

  12. Se vocês tem Bandsports, liguem no canal. Hoje acontece as duas semifinais masculinas de Roland Garros e serão as melhores partidas do torneio.

  13. Minha namorada comprou um daqueles notebooks ASUS que estavam em promoção desde a Blackfriday (S46A alguma coisa). Pro uso dela, a máquina é ótima. Porém, aparentemente do nada aconteceu uma merda louca aqui.

    A placa de som e de wifi não conseguiam mais serem detectadas pelo windows. Além disso, o próprio windows (não lembro se 8 ou 8.1) dava uns alertas de erro bizarros. A solução foi restaurar pro zero, mas dá um medo que aconteça algo parecido de novo.

    1. Teria que tentar identificar o que causou, talvez alguma atualização do windows ou de drivers. Não restaure pro zero se acontecer de novo, tente usar um ponto de restauração do windows que seja recente, e vá escolhendo outros pra trás caso o primeiro não resolva.

      1. A pergunta é ignorante porque não tenho conhecimento mesmo, mas qual seria a diferença entre restaurar para zero e usar um ponto de restauração recente? Porque em ambos os casos, me parece que se acontecer de novo, o problema é iminente e não há o que possa ser feito sem que se descubra a real causa.

        1. Restaurando pra zero você perde tudo é fica sem saber o que foi. O ponto de restauração diz qual foi a alteração, por exemplo, instalação de driver, atualização do Windows, e volta só um passo, você não precisa reinstalar tudo é tal.

          1. Ah, entendi. É mais esperto mesmo
            No caso nem teve problema de perder as coisas porque não tinha nada mesmo :p

  14. Wunderlist X Todoist X Trello X Keep
    Dissertem sobre.
    Quero ver SANGUE e vouchers de premium rolando por aqui.

    1. Nunca curti o Wunderlist. Acho o visual estranho e o app meio lento, tanto no PC quanto no smartphone.

      Todoist nunca usei, mas o vídeo de apresentação deles é triste. Tem uma mina já em vias de dormir com o tablet no colo só tickando o que ela fez no dia para finalmente poder dormir feliz.

      Trello é a “moda da vez” nos projetos que participo. Ainda não me aventurei por ele, mas em breve não terei escolha.

      Não tenho acesso ainda ao Keep

    2. Quando mudei do iOS pra Android, substituí os apps nativos de Notas e Lembretes pelos Wunderlist e Keep, respectivamente. O Keep fica para anotações gerais como endereços, horários, etc e o Wunderlist para tarefas.

      Cheguei a usar o Todoist antes do Wunderlist, mas não gostei muito e não lembro porque. Já o Trello, nunca fui atrás porque achei que era focado em gerenciamento de projetos em equipe, mas vou dar uma olhada.

    3. Lembrando que o Wunderlist agora é da Microsoft e o Keep deve receber o Timeful, app daquele prof/escritor Dan Ariely.

    4. Eu uso muito o Evernote. O Keep so utilizo para compartilhar lista de supermercado com a esposa, simplesmente por que no Evernote ao ticar um item da lista ele não some, no Keep some.

      1. bahhh, eu tenho pra isso tambem. temos uma lista fixa de compras e sempre desmarcamos o que precisamos antes de ir ao mercado.

    5. Tenho usado o Trello no Manual do Usuário, mas acho que ele funciona bem no desktop, com a tela grande com colunas e cartões espalhados.

      Dos demais, só não usei o Todolist. O Keep é o mais legal, mas inviável por só funcionar no Chrome e no Android. O Wunderlist já foi mais pesado, ainda é meio esquisitão, mas funciona bem no geral. Eu gosto dele.

  15. Alguém usa o Google Fit por aqui?
    Não sei se acontece com vocês, mas acho os dados dele pouco apurados. E olha que botei para sincronizar com uma Mi Band, e mesmo assim ele me dá uma contagem de passos/distância diferente.

    1. eu usava só no smartphone e sempre foi muito preciso. até entendia quando eu pedalava até o trabalho.

    2. Pelo que já li, a Mi Band não é lá muito precisa na contagem de passos (por mais paradoxal que isso seja)… Já tentou desativá-la e confiar no celular para contar os passos?

  16. O que acham do futuro do Youtube com o Facebook na cola e o Spotify abrindo as asinhas? O site está removendo várias funcionalidades como as coleções e o botão assistir mais tarde. Significa o que Ronies?

    1. “Nada”.

      Youtube ainda é relevante como plataforma principal de vídeos. É de lá que saem produções interessantes que depois ganham outras plataformas ou ficam por lá e fazem sucesso. Facebook não remunera quem produz conteúdo (até onde sei), o máximo que faz é amplificar a publicidade.

      1. Sim, no novo player que está sendo implantado.
        Não estou entendendo… isso vai fazer as pessoas salvarem menos, e a remoção das coleções vai fazer com que assinemos menos canais.

        Quero respostas. Youtube Premium vem aí? Cadê o Russomano?

        1. *Mussomano.

          O Youtuber
          Premium vai ser um fracasso, imagine que delas uma função e não ter mais
          anúncio. Aí te pergunto para onde vai o dinheiro da conta Premium?

          Criando: Não serviu
          de nada para ganha lucro para o youtuber e nem para o criador já que aparte do
          dinheiro vai ter que ser dividida com, mas EX. 15 criadores, logo os criadores
          vão ir para um serviço rival.

          Youtuber: Os
          criadores vão reclamar que quere sua parte logo vão para um serviço rival.
          (OBS: se o youtuber de a parte deles acontecer o mesmo que acima)

          Qualquer um dos dois
          eles vão para outro lugar. Deveria continua do jeito que está com anúncios para
          todos.

          Eu era um criador de conteúdo par o youtuber sair depois que fizeram a
          brincadeira da url personalizada, que até hoje nem 50% dos canais conseguiram
          por causa de um bug.

          Bay Youtuber.

          1. Cara, se não tiver que ver anúncios por até $15 eu pago numa boa, uso mais o Youtube que o Netflix, e se o serviço der certo vai ter muito mais criadores de conteúdo.

      2. Crie uma playlist “Assistir mais tarde”. :)

        Cara, uma coisa: normalmente eu botava algo no “assistir mais tarde”, mas esquecia por lá… :p

      3. Eu
        gostava muito, era notificador do vídeo que marquei para assistir mais tarde. E
        uma pena que a google que ferra minha vida
        novamente.

    2. Ja não tem mais coleções des do dia 26.
      Ta muito ruim.
      Tem o novo play que não permite pula anucio.
      Assim eles vão mata o youtube.

    3. Vejo o futuro do YouTube como somente uma plataforma mais moderna da TV. Ok, existe o Netflix, mas vejo isso de forma diferente. É como se o YouTube fosse o SoundCloud e o Netflix o Spotify: ambos os serviços fazem o mesmo, porém o primeiro serve para artistas independentes, já Spotify para aqueles já consolidados.
      Ainda vejo bastante futuro no YouTube, só acho que a equipe do Google desde que o comprou-o, não sabe muito bem o que fazer com ele (vide as várias atualizações frequentes e implementação de serviço de musica sendo que a própria Google já tem algo dedicado a isso)

  17. O que acham do futuro do Youtube com o Facebook na cola e o Spotify abrindo as asinhas? O site está removendo várias funcionalidades como as coleções e o botão assistir mais tarde. Significa o que Ronies?

  18. Me encorajei e finalmente assinei o Netflix. Só que sou chato e assistir à alguma coisa pra mim é só na TV. Pensei em comprar um Chromecast. Compensa?

      1. Por Favor Disserte sobre. Brincadeira em Ghedin, mas a verdade é que faz falta um review conceituado do Chromecast. O que aparece de dúvidas sobre esse dispositivo não é pouca coisa.

          1. Ok. Não me surpreenderia se descobrisse alguma coisa sobre o Chromecast que ainda não sei.

          2. Boa, gostaria que tu falasse também como é pra quem só usa Windows.

          3. Boa, gostaria que tu falasse também como é pra quem só usa Windows.

          4. De fato existe essa lacuna sobre o Chromecast mesmo. E tem mais. Comprei um para minha mãe. Liguei na TV, fiquei impressionado com a simplicidade da embalagem, simplicidade essa que também deve ser do sistema, pelo tanto de reviews e textos que li sobre o gadget.
            Quem disse que funcionou?
            Ele aparece no celular, no tablet, em tudo. Mas o botão do cast que é bom, nada. Revirei a internet, busquei ajuda em tudo que era lugar. O jeito foi devolver na loja, onde ele funcionava perfeitamente.
            Hoje, meses depois, que fui achar dois blogs tratando do assunto. Aparentemente, uma incompatibilidade com o valor MTU definido nos modens da GVT. Esquisito. Porque testei em três casas diferentes, três provedores diferentes, um monte de celulares e tablets, e nada. Não. Não é tão perfeito como dizem.

      2. E pra quem tem já uma smart tv? É que vejo tanto falarem sobre chromecast que fiquei pensando que talvez esse “brinquedinho” possa ser melhor que o sistema da minha smart Samsung (cujo OS nem sei como se chama)

        1. chromecast é muito bom no que faz, acredito que melhor que qualquer device ou smartv. Por exemplo, eu tenho um Xbox one, e faço um inception ligando o chromecast nele, pq acho o chromecast mais rápido, além de que ele consegue uma imagem em resolução melhor, sei lá pq

          1. Havia pensado em comprar um xbox one também pra suprir essa necessidade de apps novos, principalmente com a chegada do windows 10 a plataforma. Os apps da Samsung são extremamente defasados, com uma store medíocre. Pra se ter noção, o app do Netflix é o mesmo que eu usava no PS3 há uns 4 anos atrás, só recebeu o update dos perfis.

          2. Pode comprar sem medo, os apps de netflix e youtube são bons, eu só uso o chromecast pq ele consegue pegar um sinal de wifi melhor, sei la o porque

        2. Não sei, mesmo. Se for uma TV recente, com bons apps da Netflix e do YouTube, o apelo cai bastante. (Retomando o exemplo das minhas irmãs: elas acabaram de comprar uma Smart TV Samsung com ótimos apps desses dois; não vimos necessidade de comprar um Chromecast lá.)

          Mas há relatos, de leitores do Manual mesmo, de apps de TV defasados, sem suporte a perfis na Netflix, por exemplo. Aí talvez valha a pena — no mínimo, o Chromecast é mais “future proof,” já que depende mais das atualizações dos apps do que de qualquer outra coisa para se manter atualizado.

          1. Comprei aqui pra casa uma smart da LG (modelo 7000). Com webOS e apps nativos do Youtube e Netflix muito bons e espelhamento e compartilhamento de conteúdo do PC e dos celulares e tablets, definitivamente não sinto falta de um Chromecast.
            Recomendo (muito) este modelo da LG.

    1. Se tem um computador próximo a TV ou um celular, compensa. Lembre-se que o Chromecast sincroniza e é controlado por um equipamento externo – ele não é autônomo.

      E depende da sua TV também. Se tua TV é Smart e atual, não duvide que já tenha um app do Netflix. Se não for Smart, pense:

      -Em casa, só existe “eu” ou as pessoas tem um celular, pegue o Chromecast

      – Em casa, só “eu” tem um celular e o resto da família se renega a ter celular ou mexer nele, procure um Player, como os da Western Digital por exemplo.

      Edit e lembrete: em uma conversa com o Mário Nagano do ZTOP, ele me falou (e lembrou) de que alguns Blu Ray Players também tem aplicativos para conexão a serviços de vídeo, inclusive Netflix. E o valor hoje destes players é bem barato: geralmente uns 200 reais.

      1. Tenho uma TV smart mas não tem vôo comparar a utilização do Chromecast, ele é muito superior. Para mim compensa não importa se a TV é esperta ou não.

        1. Uso o app da netflix da tv esperta da sony e (de dez em quando) o do PS3. A sincronização do chromecast é tão melhor assim?

          Preferia comprar uma TV de uma vez, mas estou há alguns anos esperando a apple liberar a versão nova.

          1. O que eu prefiro, nã osei se é uma deficiencia no aplicativo da minha LG (que já tem uns 2 anos) é a falta de suporte a perfis. E pelo Chromecast isso não importa pois o aplicativo não existe realmente no gadget, mas ele se utiluza do aparelhos de origem.
            Sem contar que navegação por controle remoto, por melhor que possa parecer é pior que pelo celular.

          2. Ah sim. As Smarts mais antigas (2010-2013) usam sistemas arcaicos, e muitas vezes SoC travados. Não permitem atualizações, hacks ou melhorias. E há relatos que algumas smarts da LG travam após a instalação de uma atualização.

        2. Não acho exatamente que seja superior, mas sim tem que se analisar o perfl de uso.

          – Se a pessoa quer um espelhamento do celular ou pc, o Chromecast ta aí para isso. Não vi outras funções além disto. Depende do equipamento anexado. Não vi ninguém até hoje usando com um controle específico ou teclado-e-mouse.

          – Se a pessoa só quer acessar um Netflix e quer deixar o celular carregando ou em outra parte da casa, um media player é o melhor no caso. Medias players ou as SmartTVs tem mais praticidade nesta parte, pois deixa o celular mais livre.

          Claro que a conveniência do Chromecast anexado a um celular é muito melhor. Mas para quem não tem como ou não quer, um SmartTV/Media Player é a opção restante :)

        3. Não acho exatamente que seja superior, mas sim tem que se analisar o perfl de uso.

          – Se a pessoa quer um espelhamento do celular ou pc, o Chromecast ta aí para isso. Não vi outras funções além disto. Depende do equipamento anexado. Não vi ninguém até hoje usando com um controle específico ou teclado-e-mouse.

          – Se a pessoa só quer acessar um Netflix e quer deixar o celular carregando ou em outra parte da casa, um media player é o melhor no caso. Medias players ou as SmartTVs tem mais praticidade nesta parte, pois deixa o celular mais livre.

          Claro que a conveniência do Chromecast anexado a um celular é muito melhor. Mas para quem não tem como ou não quer, um SmartTV/Media Player é a opção restante :)

          1. O Chromecast não funciona exatamente assim. Ele não consome recursos do celular; é ele quem “baixa” os dados do vídeo e executa (salvo quando usado para espelhamento). O celular ou tablet, quando usado como ponto de partida de um serviço de streaming, é apenas isso, um ponto de partida e, se necessário, o “controle remoto.” Tanto que você pode até desligá-lo depois de dar o play e o vídeo continua rolando.

            A ideia de um media center é tentadora à primeira vista, mas pouco prática no fim das contas (a menos que você tenha um SSD e um sistema bastante personalizado/que dá trabalho para configurar). Eu tenho um PC ligado na TV, mas desde que peguei o Chromecast só uso ele para jogar. Música e vídeo não tem jeito, a praticidade do Chromecast (ou de uma Smart TV moderna) ganha fácil.

          2. Não discordo. O ponto é que o chromecast ainda assim depende de um segundo equipamento para o controle. Um player autonomo tem a vantagem de nao depender de nada além dele mesmo. De fato, a principal desvantagem é a defasagem

          3. Não discordo. O ponto é que o chromecast ainda assim depende de um segundo equipamento para o controle. Um player autonomo tem a vantagem de nao depender de nada além dele mesmo. De fato, a principal desvantagem é a defasagem

          4. Hoje, pelo que vi, o melhor media-box pronto para comprar seria o novo Nvidia Shield, à $200 ainda é caro, mas ele faz streaming 4K e tem todos os recursos do android Tv que ainda tem que amadurecer muito, outro para um outro mundo, é a AppleTv que têm rumores que sai algo novo essa segunda, veremos.

    2. To quase indo nessa também. Além do Netflix, o próprio Youtube.
      Sou bem dependente do combo TV mais sofá.

  19. Bom dia. Quem quer café? Chá? Suco? Biscoito? :)

    Galera, quem aí usa app de ônibus, tipo Moovit, app do grupo que atende a região onde vive, etc?

    Explico o porque da pergunta: uma coisa que noto é que não existe um app ou site que catalogue de forma inteligente e bonita as linhas de ônibus existentes no Brasil.

    Eu tava segurando esta ideia para mim, mas vou jogar no ar: imagino produzir um app que crie rotas com qualquer tipo de transporte público: trem, ônibus (urbanos e rodoviários), barcos, etc…

    Sei que o Google e o Moovit tem isso, mas acho que eles não tem todas as rotas brasileiras. E da parte do Governo Federal (que poderia fazer isso sem dores de cabeça), só tem o site desatualizado da ANTT que tem a relação de ônibus rodoviários que atendem sob a base da ANTT. E claro, os governos estaduais que pelo departamento de cada um (São Paulo é a ARTESP) também tem suas listagens.

    Outro problema é que sites de listagem de linhas interestaduais de ônibus só apenas oferecem linhas nas quais eles podem fazer “crawler” e oferecer as rotas das empresas. Não faz combinação de rotas ou ofertas de linhas mais baratas (como a Decolar faz no caso de aviões).

    1. O problema é mais de fundação do que execução. Exemplo de Maringá: a TCCC, empresa que administra os ônibus daqui, tem uma tabela para consulta no site e um app, mas não acho que ela libera esses dados via uma API decente ou padrão estabelecido.

      Para se ter uma ideia da situação: o site oficial da TCCC tem um banner anunciando os apps para Android e iOS. Em Flash. Que não abre no Android e iOS. Aqui: http://www.tccc.com.br/home.aspx

      Se houvesse um padrão usado por todas as empresas de transporte, seria mais fácil fazer essa integração. O Google Maps consegue, pelo menos em grandes centros — em São Paulo ele mescla ônibus, trens e e metrô. Mas, imagino, não é fácil…

      1. É isso que fico pensando.

        A Agência Nacional de Transportes Terrestres (a ANTT) poderia fazer uma parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia e criar incentivos para criar um padrão para cadastrar, trabalhar e analisar dados sobre o transporte público em um todo. Cara, me ajude a mandar esta ideia lá!!! Acho que tou tendo uma epifania! :D

        E na maioria dos municipais, realmente é um site simples com a tabela de horários, as vezes até em um documento anexo em .doc, .xls, .pdf e demais. As vezes nem a prefeitura fornece a tabela de horários, só a empresa… :p

        1. A prefeitura de PoA tem um site chamado DataPoA onde ela disponibiliza dados para a construção de aplicativos para “cidades inteligentes”. Acho que SP deve ter coisa mais avançada sendo disponibilizada para o pessoal de hackatons, Startup Weekend…

          1. Isso me lembrou: uma vez fui em uma reunião da SPTrans / CET
            / Transportes da prefeitura de SP, pois eles estavam convocando pessoas para criar e trabalhar em plataformas para um trânsito inteligente. Isso era feito em parceria com a USP.

    2. certo dia, enquanto esperava meu onibus passar, fiquei imaginando um app colaborativo para rotas de onibus que funcionasse da seguinte maneira: o usuário ligaria o gps de seu aparelho e subiria no onibus. durante o percurso, ele poderia ir colocando os dados como o horário que o onibus passou, a empresa, etc e cada vez que o onibus fizesse uma parada ele marcaria no mapa

      talvez poderia ter um esquema mais ou menos como o foursquare de prefeitos. no caso, o usuário que mais contribuísse seria um moderador pra isso tudo

      e talvez na pratica isso nem funcione perfeitamente, mas fica aí a ideia

      1. É isso que fiquei pensando também. Uma vez pensei em criar um “WikiBus”, que seria uma espécie de “Wikipedia de rotas de ônibus”. Poderia ser a base inicial de dados para isso.

        Talvez até exista algum “OpenTransportRoute” por aí, mas se tivesse, já teria uma boa visualização…

        1. Apesar disso, não permite o usuário criar ou implantar rotas. Acho que é isso que ele quis dizer também.

          Claro que uma alta interação de usuários também significa informações não confiáveis, mas…

      2. Engraçado que eu já tive essa exata ideia prcl, sem tirar nem pôr.

        1. me too :)

          Acho que o Mobee que o Fred postou tem um teco desta ideia :)

    3. Eu passo um perrengue toda vez que tento utilizar transporte público na cidade (Montes Claros/MG). Nenhum app cobre as linhas de ônibus, e o site que oferece os trajetos é quase inutilizável. O método mais fácil é ir no ponto e ir perguntando a quem faz o mesmo trajeto.

    4. Cara, sou de Porto Alegre e uso o Moovit. Não tem nada igual! Minha vida mudou depois dele. O Now do Google também está bem avançado e acho que não vai haver espaço para um 3º em grandes centros.

      Aqui tinha um local que funcionava via hashtags do Twitter ou coisa do tipo, mas acho que não vingou.

      1. Aqui em SP tento usar o Moovit, mas além do meu celular ser fraquinho (mas é bom), ainda não peguei o jeito com ele. Uso uma mistura de apps proprietários + conhecimento de rotas (gosto de ler e saber sobre como fazer boas rotas de ônibus + mapa + sites)

      1. Se esta plataforma for aberta e oferecida à outros, será bem interessante :D

    5. Aqui em Santa Maria a associação que representa as empresas de ônibus (são 4) tem um site que até funciona bem, mas é bem limitado.

      Não fornecem nenhuma API e o site é bem pesado para usar com uma conexão móvel. Teve um desenvolvedor que criou um app independente, mas pelo que eu sei é atualizado manualmente ou por “scraping” do site da associação (frequentemente os horários ficam defasados).

    6. O maior problema é as concessionárias/empresas que controlam as rotas, o Google Maps depende delas, que é a empresa que alimenta, para possuir os dados. Isso neste lado, ai tem a parte comunitária, e essa ideia vale um app.

      1. Por isso o que joguei aqui (e um dos comentários que deixei ao Ghedin).

        Via de fato, o Moovit faz um pouco deste trabalho. Não vi outras empresas, fora as “crawlers de passagens rodoviárias”. Se o ministério dos Transportes (ANTT) se juntasse ao ministério da Ciência e Tecnologia, aposto uma jujuba que eles fariam um sistema que toda empresa de transporte seria obrigado a colocar suas rotas lá. E os dados seriam liberados para o público. :)

        Vou tentar falar com algum deputado para jogar esta ideia adiante. O ruim é que hoje idéias valem dinheiro. E deputados querem dinheiro…

        Tem a equipe de software livre – http://www.softwarepublico.gov.br/ . Acho que seria uma boa jogar esta ideia lá também. :)

  20. Vamos começar os trabalhos. Quais foram as “mudanças” mais positivas (e negativas) que vocês viram no Android M?

    1. O Google Now dentro do Chrome. Estou usando e é tão útil quanto parece

      1. Isso é do Chrome, não? Não testei, mas a última atualização dele na Play Store diz, entre as novidades, que ele tem agora um “tocar para pesquisar.” Seria esse recurso?

        1. Uhum, achei que era do Android M especificamente. Porque a mesma função aparece em outros apps também, mas ainda não acha nada. : /

    2. Eu gostei (e fiquei um pouco assustado) com o Now on Tap. Não só pela engenhosidade do recurso em si, mas por ele permitir ao Google receber informações de dentro dos apps e processá-las.

      Para quem acompanha o MERCADO, o problema do Google é que smartphones não são “abertos” como a web, e isso implica em um grande problema de indexação e compreensão dos hábitos dos usuários. O Now on Tap é um tiro certeiro para furar essa barreira e ter acesso aos dados de uso de apps.

      Mais sobre isso: https://www.bloomberg.com/news/articles/2015-05-28/what-google-just-announced-is-a-bombshell

      1. Vamos ver se entendi: no novo Android, qualquer app também conversa com o Google repassando informações, certo? Isso também não é um pouco de invasão de privacidade também? :)

        1. Sim, dá para encarar dessa forma, mas na prática é só uma extensão do Google Now (que, quem já usou, sabe que conhece muito dos hábitos do usuário). Não tem jeito: se você quer usar o Google, o “pagamento” é a cessão de uma outra (ou um punhado de) informação pessoal…

          1. Já falei que poderíamos abrir uma nova discussão sobre o real sentido do termo “privacidade”… tenho uma teoria em mente que “privacidade não existe”… mas aí é outra coisa ;)

          2. Privacidade, ao que penso é: “aquilo que apenas um ou muitos poucos sabem e não repassam a outros”. Porém, acho que tem um paradoxo: se mais de um sabe, já não é tão mais privado quanto.

          3. Privacidade, ao que penso é: “aquilo que apenas um ou muitos poucos sabem e não repassam a outros”. Porém, acho que tem um paradoxo: se mais de um sabe, já não é tão mais privado quanto.

          4. Li a pouco uma matéria podre de um site concorrente do Ghedin sobre privacidade. Fiquei com tanta dó da “escritoura” que se pudesse ia lá no editor dela apagava tudo e reescrevia.

          5. “Me segura…
            que eu vou apagar e reescrever o artigo dela”

          6. Isso é pós-censura. Apagar o texto da pessoa é não deixar que “erros” não sejam mantidos para se criar novos padrões a partir destes. (Exceções: ofensas, provocações, comentários prejudiciais e com intenção de fazer um mal ao meio, ao meu ver, merecem censura plena)

            Faça melhor: escreva seu artigo em uma plataforma que julgue interessante em resposta ao artigo dela. De preferência, de cara limpa. :) Quem sabe não dá resultado melhor?

            Fiz isso algumas vezes e sempre deu resultado. :) E não censura

          7. Como posso exemplificar melhor baseado no seu post?

            A partir do momento que estamos em um local público – e internet está incluso – estamos de certa forma sujeito a qualquer forma de invasão de privacidade, ou monitoramento basico (saber se entrou, se saiu, se deixou algo público… etc…)

            Não estou dizendo que não é importante… na verdade estava querendo escrever um post gigante no Medium sobre minha teoria, mas não tenho uma capacidade editorial de fazer um texto pensativo como o seu, do Beguoci ou Burgos. :)

            O ponto o que penso é que “se estamos em um lugar público, privado não está”. Pelo menos não 100% – uma terceira parte vai saber e esta parte é a portadora da privacidade nossa.

            Não falo exatamente de contas bancárias expostas – isso hackers e criminosos em geral tentam ganhar em cima, e aí também tem um pouco em haver com o que penso. Mas sim de que “se estamos em sociedade, neste momento não estamos mais privados”.

            De certa forma, muitos de nós agimos bem parecidos, temos padrões de ação. Isso não é privado.

            Outro ponto sobre privacidade que penso é que isso nasceu quando nossa mente começou a valorizar as coisas de forma mais artificial – além do bem-e-do-mal. Quando vimos que se o próximo não sabe do que temos ou fazemos ajuda a nós a viver mais, demos um valor maior a isso. Lembremos que somos animais. E base de nossas atitudes não difere de outros animais.

            Enfim, tudo o que eu preciso é parar de ficar fazendo filosofia barata em comentários e tentar entrar em um estudo de sociologia ou filosofia para trabalhar em cima do que penso. E ver se estou certo ou errado, ou no final é só mais uma opinião sobre tudo :p :)

          8. Só do Google? Todos os grandes serviços da web pedem isso. Não existe uma serviço de graça. E mesmo os pagos se utilizam dessas informações. O próprio Netflix utiliza para gerar conteúdo próprio.
            Como o próprio Vagner tem falado, não acredito muito em privacidade na web, acredito mais em algo como gerenciamento da informação. Quem a possui e como a utiliza.

        2. acho esse um dos mais importantes relacionados a vida digital. talvez seja o mais importante até, porque a implicância disso pode ser substancial num futuro não muito distante. o meu maior receio verdadeiro qto a isso é o uso dessa informação por parte do governo. eu tenho a minha opinião política, por exemplo, e a depender da inclinação de um governo e dos pactos que as grandes empresas fazem com os governos, eu posso ser perseguido ou ter minha vida burocrática prejudicada. não a ponto de, por exemplo, saberem em quem eu votei numa eleição qualquer, pq isso até nem é o mais importante, já q a vida política de alguém não se resume ao dia de uma votação. sempre q posso procuro alternativas para usar a internet de modo privado. achei absolutamente admirável o como richard stallman maneja seu acesso à internet. me pareceu impraticável para as minha necessidade e bastante complicado, mas deveria existir essa possibilidade de se evitar a entrega de informações pessoais. não encontrei aqui, mas li que uma mulher tentou evitar a enxurrada de anúncios de coisas para bebê, porque ela estava esperando um, ao fazer buscas na internet e já pairou sobre ela dúvidas de atividade terrorista! vi várias dicas na internet pra evitar a entrega compulsória de dados e pratico algumas coisas, mas ainda não consegui me livrar dessa praga. desativei quase todos históricos no google e uso duckduckgo como buscador padrão (se a coisa complica vou ao google). tb estou tentando migrar meus emails para uma conta q não seja gmail. facebook, infelizmente, tenho q usar por motivos profissionais, do contrário não usaria. se um dia isso entrar na pauta do manual do usuário, com dias e tal, será bem legal uma atualização. tb gostaria de trocar o android ou deixá-lo menos invasivo… abraços!

          1. Não sou especialista e nem possuo muita base de comentários, falo mais pelo sentimento que tenho ao utilizar os serviços.
            Vai trocar o Android pelo quê? Você simplesmente trocaria o destino dos dados.
            O mesmo penso para outros serviço, acho que no futuro não teremos muito como fugir dessas situações num uso mais comercial da internet.
            É uma troca em que não vejo não ocorrendo, principalmente pelo caráter gratuito que a internet apresenta. Até mesmo os pagos como o Netflix utilizam de alguma forma informações.
            Não sei até onde podemos ir com essas escolhas sem que nos coloquemos num cercado onde utilizar a internet como “todo mundo gosta” fique impossibilitado.
            Talvez uma solução seja dividir as utilizações dos serviços. Email em um lugar, documentos noutro, fotos num terceiro, backup de documentos e fotos locais, sem utilizar a núvem. Buscas num quarto local…
            Ou seja, tudo o que os maiores players da internet lutam contra. Temos ainda o problema da integração de serviços como o Office 365 com o Dropbox. Como fugir quando essas coisas começarem a ficar mais comuns? Deixar de usar?

          2. é, pedro… não é fácil, mas eu acho q tem q haver uma postura mais ativa mesmo, pois, pensando bem, todos esses recursos sempre nos oferecem, sim, facilidades e comodidades, pq acreditamos sinceramente q eles são indispensáveis (apesar de termos vivido sem eles até aqui) e eu acho q isso é algo plantando pelo marketing e pelo entusiamos de adesão q comove meio mundo ligado ou próximo ao mercado tecnológico (acho q não é o caso do manual). estava vendo há pouco explicações do pessoal do google sobre a criação do material desing, mas eu me preocupei mais em observar como o vídeo foi editado, q música escolhida, a narração e as narrativas, etc. percebi q aquela coisa, q é bem feita, não é tudo isso, mas eles fazem de um modo tão legal e agradável, q vc fala “caralho, essa sombrinha aqui é muito louca”, mas, francamente, é só um efeitinho q daqui uns meses pode ser já demais e uma volta a um outro estio assuma o posto de eleito da vez… eu acho q é preciso resistir e ser minimamente combativo, mesmo q pra isso seja necessário pagar pra ter privacidade (e q isso seja de fato feito) e, em último, caso vc não usar tal e tal recurso. ora, afinal não é possível ter q abrir mão todas as convicções por conta de um ícone bonitinho… valorizo muito o design eficiente, mas pra mim é claro tb q muito do q é dito design é 90% marketing (e não me refiro a uma marca específica, já q esse parece ser um expediente comum). eu quero é ter o controle sobre os meus dados e não a sensação apenas. eu receio pelo futuro em q vai ser cada vez mais complicado se esquivar dessa entrega de dados e talvez tenhamos q migrar definitivamente para um outro modo de vida, inclusive. enfim, estou disposto a adotar uma postura mais combativa e acho q vale a pena – por princípio, inclusive. abraço!

          3. Acho que isso é simplesmente a potencialização do que sempre foi sonhado nos departamentos de criação.
            Antes era necessário realizar uma série de entrevistas e pesquisas para podermos ter alguma informação sobre os usuários de algum serviço, leitor de alguma revista ou espectador de programas ou canais. A internet facilitou isso, potencializou a velocidade com que temos.
            Todo tipo de propaganda ou produção de qualquer coisa funciona como você informou e sempre irá acontecer assim. Até mesmo serviços que se dizem menos agressivos de alguma forma tomarão informações e as utilizarão, não vejo a internet funcionando sem isso, não a comercial.
            Volto a dizer, mesmo pagando não teremos privacidade. Sempre, de alguma forma, suas informações serão utilizadas e ter o controle delas é mais uma sensação do que a realidade.
            Eu, pessoalmente, não consigo visualizar uma forma de ter real controle sobre sua privacidade na internet comercial. O que você entende por controle da privacidade?

          4. grande pedro. talvez vc se recorde e, independente da sua opinião sobre o assunto, um caso pode servir de exemplo: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/02/1592839-medico-chama-policia-apos-atender-jovem-que-fez-aborto-na-grande-sp.shtml. uma paciente fez um aborto e o médico a denunciou à polícia. ora, é evidente q o médico violou o sigilo médico e ele, provavelmente, será punido por seus pares por isso. o q teremos q exigir é leis q nos protejam da sanha (nefasta ou não) das empresas por dados pessoais. se a gratuidade envolve ceder dados é uma coisa, agora se vc tem um contrato com a empresa de sigilo com as suas informações e tal, isso tem q ser preservado de algo modo e termos proteções legais. não vejo isso ocorrendo localmente, já q os eua abocanham o planeta todo com sua vigilância, então deve ser algo em âmbito global. a espionagem sempre existirá enqto houver forças nacionais competindo por recursos escassos, então, isso é outra coisa. só vazamentos nos dirão o q os espiões aprontam. mas na relação comercial deverá (e deve) existir uma forma de dizer q eu não quero q meus dados sejam usados e ponto. se eles usarem pra ganho comercial e qualquer outra coisa, eles devem ser multados e sofrer as sanções punitivas pra evitar q façam outra vez… acho q isso é tangível e alcançável se houver demanda da sociedade, não? a internet é uma maravilha, mas tb é foda nesse aspecto… abs.

          5. Entendi e concordo plenamente.
            Mas a meu ver, e pelo que estamos conversando estou plenamente equivocado, isso já ocorre.
            Os termos de uso apresentam essas informações. Claro que muitas vezes são apresentadas de forma vaga, mas que contrato não tem esse caráter?
            E caso essa discordância entre o proposto no termo e o real uso seja provado a empresa paga pelo seu erro.
            O que eu sinto que acontece é que “ninguém” lê os termos e não tem muito conhecimento do que é feito com suas informações, aí, quando descobre ou lê algum grande portal escrevendo sobre o assunto fica louco e passa a achar que a empresa é a mais desonesta do mundo.
            Não sei, mas tenho essa sensação na internet. Ninguém está muito preocupado até que dê merda. Aí, a culpa não é dele que não se informou, mas do serviço que fez o que disse que poderia fazer.
            Uma coisa que me incomoda nos termos de uso é mais ou menos essa coisa de que “posso talvez, um dia, quem sabe usar alguma informação”. Para mim isso deveria ser muito transparente.

          6. pedro, as empresas não podem, pelo menos pela brasileira, enfiar algo no contrato q não seja claro pra quem o aceita. e tb pode ter coisas no contrato q são ilegais e por não sermos da área do direito concordarmos, mas mesmo concordando, os itens ilegais ainda serão ilegais numa contenda jurídica… tem q ser transparente e fácil de bloquear aquilo q vc não quer dá e ponto. e aquilo q vc não pode bloquear por conta da natureza daquilo q vc assinou ou faz eles precisam garantir q vão preservar. a sony, por exemplo, permitiu q dados de seus usuários fossem vazados, não foi? os usuários deveriam pressionar e deveria haver lei para puni-los tb, pq, poxa, eles tem a obrigação de proteger os dados. na justiça brasileira vc tb não pode alegar q não sabia, q é uma completa vítima etc e tal. pq alguma noção vc tem, agora se vc foi ludibriado é outra história e eu acho q qdo aceitamos esses contratos mal traduzidos e q são impossíveis de ler na íntegra é quase certo q ali há armadilhas. mas felizmente temos uma justiça pra apelar – mesmo q lentíssima. eu sempre q puder, vou procurar formas de proteger meus dados e olhar com desconfiança para soluções mágicas pra ajudar no meu dia a dia, especialmente se forem embaladas por aquelas musiquinhas do cacete q vão num crescendo até explodirem de alegria… haja. abs!

          7. Concordo com tudo o que disse e estou com a grande sensação que estamos dizendo a mesma coisa de certa maneira. Principalmente na direção dos deveres e na forma como se apresentam os termos e do que pode ou não, mesmo apenas no âmbito nacional.
            O que eu penso sobre tudo no final das contas é que se usamos um serviço, marcamos o aceito, não é honesto vir reclamar do que o serviço faz com o que disponibilizamos. Veja, não estou dizendo que isso se aplica aos seus comentários.
            Acho que não há muito espaço para reclamar que o Facebook ou o Google, ou a Apple ou a Microsoft, ou o Evernote fazem com nossos dados. Penso isso por que antes eu li e aceitei tudo o que eles iriam fazer em troca do serviço que quero usar. Ao não concordar eu busco uma alternativa.
            Posso ser meio hipócrita agora, afinal, não temos muitas escolhas, mas não sei bem como resolver essas situações acho até meio confuso todo esse universo que estamos inseridos.
            Também acho que não iremos encontrar serviço que não se aproprie dos dados e os use de alguma maneira. O que temos que fazer é entender realmente o que cada serviço quer e o que fará com as informações. Concordar ou não e buscar uma melhor solução que atenda nossas expectativas.
            Ainda não me preocupo com o conhecimento que as empresas tem sobre mim, mas me deixa inquieto o que os Governos podem fazer ao acessas essas informações, como você comentou antes.
            Acho que essa deve ser uma preocupação maior. O que um Governo pode fazer tendo informações sobre as interações e visões políticas-sociais da população e como podem utilizar isso para controle.

          8. estamos de acordo sim. e estamos preocupados. acho q isso já é alguma coisa. mas tem gente q não tá dando a mínima por desconhecimento, mas pior para aqueles q sabem de algo e tb não dão a mínima. um dia isso pode pegar mesmo. eu, por exemplo, não concordei com a instalação no win8 numa máquina nova aqui e agora não querem me dar suporte para um problema na máquina. querem me forçar a usar algo e tal. isso é contra a lei e cabe a mim, agora, procurar a justiça (apesar da justiça ter coisas mais sérias e importantes pra lidar, lá vou eu). muitos não tem como ir à justiça resolver seus problemas, então as empresas tb se beneficiam disso já q seus contratos são pra lá de questionáveis. seria legal se alguém os esmiuçasse e nos alertasse dos pontos críticos, numa trabalho de garimpo mesmo, coisa de ativista e tal… eu acho q muita coisa ruim ia sair desses contratos e seria embaraçoso para as empresas explicarem, mas eles só fariam algo se as pessoas realmente ficassem indignadas e começassem a procurar outros serviços. cara, eu acho q há saída pra quase tudo hj, mas é q os serviços tradicionais das grandes empresas estão num nível tão bom q se aproximar de outros sistemas demanda tempo e aprendizado… eu acho q a maioria das pessoas é inteligente o bastante pra aprender coisas novas. estou tentando migrar do gmail para o zohomail, por exemplo, q diz não usar os dados dos clientes mesmo na edição free…

          9. Pedro, farei os testes aqui, mas estou trocando o Gmail pelo Fastmail, q é pago anualmente. Li um artigo do The Guardian que o recomendava e me pareceu bom. TB uso o zohomail para a minha empresa, mas sem pagar nada nesse. TB estou disposto a deixar o face e só seguir o q me interessa via twitter. Agora preciso encontrar algo bom para substituir o hangout q uso muito. Vamos ver se esse combate dá em algo… ABS,

          10. Eu utilizo o zohomail para meu domínio particular, mas a interface é muito ruim, aí acabo jogando ele para meu Gmail que atualmente funciona como um gerenciador de todos meus emails. Na questão de privacidade, não resolve, concordo.
            Mas qual a vantagem do Twitter sobre o Facebook em questão de controle de privacidade? Ou vocês está só escolhendo o serviço que ira te conhecer melhor?
            Pessoalmente, não gosto muito do twitter, não me adaptei ao serviço. Mas isso fica para outra conversa.

          11. a interface do gmail é muito boa, mas essa mudança pro material design, pra mim, deixou claro q eles passaram a se preocupar com design e isso vai seduzir ainda mais as pessoas… tô fora. estou cabreiro até com o windows 10. aí tem… já deixei agendado o update, mas acho q vou declinar e usá-lo apenas de forma virtualizada. vou tentar usar o linux mesmo como sistema principal, apesar do win7 estar funcionando muito bem no meu note. qto ao twiiter, bom ele não esconde as publicações das pessoas e para a maioria das pessoas e empresas q sigo, eles têm conta lá, então acho q vou perder menos q usando o face. não vou desativar o face, mas deixá-lo exclusivamente para os contatos ali. o twiiter é lega, mas depois q colocaram as imagens… ficou ruim. no app tem como desabilitar, mas no desktop não encontrei. abs

    3. A duração da bateria parece que melhorou também, mas pode ser só impressão. :P

Os comentários deste post foram fechados.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário