Governo federal lança aplicativo que prescreve medicamentos inúteis contra a COVID-19

Não satisfeito com um app que poderia fazer a diferença na luta contra a COVID-19, mas não fez (por falta de adesão), agora o governo federal resolveu lançar um app inútil já na largada. Chamado TrateCOV e anunciado pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, o app diagnostica o paciente em um sistema de pontuação baseado nos sintomas apresentados e, em caso positivo, prescreve o famigerado “tratamento precoce” composto por medicamentos comprovadamente ineficazes no combate à COVID-19: hidroxicloroquina, cloroquina, ivermectina, azitromicina e doxiciclina. Via Uol.

Pazuello fez o anúncio do TrateCOV em Manaus (AM). A capital amazonense passa pelo pior momento da pandemia, com os sistemas de saúde público e privado colapsados. “Acabou o oxigênio e os hospitais viraram câmaras de asfixia”, disse o pesquisador Jesem Orellana. “Os pacientes que conseguirem sobreviver, além de tudo, devem ficar com sequelas cerebrais permanentes.” Via Folha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 comentários

  1. Hoje, dia 14 de Janeiro, o NIH (Nacional Institute of Health), acaba de atualizar as suas diretrizes de tratamento de COVID-19 e incluiu, na data de hoje, a medicação Ivermectina como uma possibilidade de tratamento da COVID-19 ( fonte:covid19treatmentguidelines.nih.gov)

    Sobre o escore, é um trabalho brasileiro publicado em uma revista com revisão por pares (Scoring for COVID-19 Diagnosis: A Prompt, Feasible, Costelas, and Highly Sensitive Diagnostic Tool for COVID-19  Based on a 1757-Patient Cohort), um estudo muito bom que ajuda usando apenas dados clínicos para o diagnóstico de pacientes com COVID, ideal para áreas onde é escasso a possibilidade de realização do teste e ajuda naqueles diagnósticos onde o exame pode acusar falso negatico, lembrando o padrão-ouro (RT-PCR) pode falhar em até 30% dos exames.
    Sobre o tratamento precoce sou do tipo “nem a favor, nem contra”.

    1. “Incluiu” é uma interpretação muito generosa, não? A atualização de hoje diz que os estudos da Ivermectina têm limitações metodológicas e informações incompletas, e que por isso o NIH não recomenda nem desaconselha o uso do medicamento. Do original:

      Because many of these studies had significant methodological limitations and incomplete information, the Panel cannot draw definitive conclusions about the clinical efficacy of ivermectin for the treatment of COVID-19. As such, the Panel has determined that there are insufficient data to recommend either for or against the use of ivermectin for the treatment of COVID-19.

      O lance da pontuação não parece problemático à primeira vista. Se tem fundamento científico, poderia ser incluído no Coronavírus SUS em vez de criarem um novo app do zero.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário