Logo da Insider à esquerda e a frase à direita: “Use o cupom MANUALDOUSUARIO12 e garanta peças básicas de qualidade com desconto”.

Pix terá limite noturno e outras mudanças para inibir crimes

O Banco Central (BC) anunciou na última sexta-feira (27) uma série de alterações no Pix visando inibir sequestros relâmpagos e outros crimes motivados pelo sistema de pagamentos. As principais são:

  • Limite de R$ 1 mil para transferências das 20h às 6h, com possibilidade de aumentá-lo (no geral ou para contatos específicos), com prazo mínimo de 24h para efetivação do pedido de alteração.
  • Possibilidade de limites distintos para dia e noite.
  • Possibilidade de retenção de de transações por até 30 minutos (de dia) ou 60 minutos (noite) para análise de risco da operação.

Segundo Roberto Campos Neto, presidente do BC, 90% das transações com Pix é de valores inferiores a R$ 500. “[A] intervenção protege o patrimônio das pessoas, não diminui usabilidade e desincentiva crimes como sequestro relâmpago”, disse Roberto.

As novas regras ainda não têm data para começarem a valer. Via CNN (2).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 comentários

  1. Geralmente as pessoas de mais idade ou pessoas com traumas de situações de roubos/furtos de dinheiro via online são as mais receosas do uso do Pix. E não sem razão, entendo elas.

    Acho interessante as limitações do Pix para transações. Isso é legal também para evitar fraudes ou lavagem de dinheiro de forma dinâmica (isso é – a pessoa transferir de forma rápida o dinheiro de uma origem oriunda, seja rachadinha, bitcoin, roubo de pix ou golpe online.).

    Noto que o pix não substituiu o TED, como imaginavam. O TED tem a vantagem de ser restringível, apesar do custo de operação. O PIX é imediato, e pelo que noto as pessoas muitas vezes não sabem restringi-la (nem eu). Tipo, desfazer uma operação ou informar que foi fruto de golpe. Mas é claro – mecanismos assim gerariam outros tipos de fraude – como se a pessoa depositasse um dinheiro e depois pegasse de volta.

  2. Em breve não será só o pix que terá regras. Seu dinheiro terá as mesmas regras. E talvez outras piores. Já imaginou dinheiro com data de vencimento pra “estimular o consumo”?
    Vão dando poder pro Banco Central… vão achando que pix é bom… Governo não faz nada bom. Se fizer, não é bom pra vc.

    1. Por que regras sobre o dinheiro seriam um problema? Desde que razoáveis — e consensos são construídos com diálogo, exposição de ideias, democracia, em resumo —, diria que elas são não só bem-vindas, mas essenciais para evitar abusos (desigualdade) e distorções (lavagem de dinheiro e outros crimes contra a economia popular).

      Como funcionaria esse modelo de dinheiro desregulado? É uma dúvida genuína, porque na minha cabeça algo assim tem tudo para dar (muito) errado.

      1. Realmente Ghedin. Você que estudou Direito deve saber MESMO que no brasil existe muito essas coisas de “razoabilidade, consenso, diálogo, exposição de ideias, democracia”…
        Me espanta um cara com essa formação não ver problema nenhum em colocar regras sobre o dinheiro.
        Mas não há o que se preocupar. São pessoas com pensamento parecido que vão acabar colocando data de validade no dinheiro. E com apoio do populaxo. Afinal, é para acabar com “distorções e crimes contra a economia popular, como lavagem de dinheiro”. (dica: as maiores lavagem de dinheiro sao feitas nos sistemas bancários altamente regulados)
        Pra quem não tem neurônios faltando, só resta fugir. O quanto antes.

        1. Você não respondeu minha pergunta. Eu, com “todo esse estudo”, realmente não consigo ver como um dinheiro totalmente desregulado seria benéfico ou mesmo funcionaria. Para mim, é a receita do caos, um retorno a tempos primitivos. Na tua visão, como isso se daria?

          Pra quem não tem neurônios faltando, só resta fugir. O quanto antes.

          Só se for para Marte, né? Porque absolutamente todos os países democráticos/melhores que o Brasil têm regras rígidas relacionadas ao dinheiro.

    2. Engraçado pensar que o próprio bitcoin e “moedas” digitais, que dizem que é uma forma “aberta” e “livre de regulação de governos” de dinheiro, também tem regulações – as regras da blockchain e tudo mais… Toda forma mercantil tem regras.

      Dinheiro sem regra é na verdade escambo puro. Troca-se coisas por coisas.

      1. O cara ta comparando a blockchain com governo. Puts, a falta de conhecimento nos dois espectros é tanta q não dá nem pra começar a conversa.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário