Banner anúncio do Revelo UP, com o logo do programa e o texto 'Financiamento de curso em tecnologia' à esquerda, a frase 'Investir no seu futuro começa agora' no meio e, à direita, a palavra 'UP' vazada, com uma mulher pensativa no 'U' e um homem fazendo anotações no 'P'.

Globo anuncia parceria estratégica de co-inovação e migração para nuvem com Google Cloud

A Globo fechou um acordo de sete anos com o Google Cloud. Além de mover toda a sua infraestrutura de internet para os servidores do Google, processo que deve levar 24 meses para ser finalizado, a parceria integrará o app do Globoplay no Android TV e resultará na criação de novos produtos digitais com a aplicação de tecnologias como inteligência artificial e aprendizado de máquina. Para o Google, que no mercado de nuvem fica atrás da Amazon (AWS) e Microsoft (Azure), ganhar a conta da maior empresa de comunicação da América Latina é uma grande vitória. Via Globo, Valor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 comentários

  1. Uma coisa que me veio a mente: onde realmente a gente acha o Android TV?

    Tipo, que equipamentos hoje o possuem? Na minha bolha, acabo vendo as “boxes” pretinhas que imitam o Apple TV e custam 200 reais (em média), tudo com Android normal, mas com apps do Android TV “enfiados” nele.

    1. Algumas TV’s já vem com Android TV. Eu vi uma Philco e uma da LG usando. Quando eu comprei o Amazon Fire Stick eu achei que viria com Android TV, mas até onde eu entendi ele vem com um android mexido da Amazon.

  2. Minha leitura sobre essa situação foi baseada numa frase do Guilherme Ravache: a Globo percebeu que é melhor deixar a tecnologia com quem entende de tecnologia, e conteúdo com quem entende de conteúdo. Falo isso na condição de quem conhece muita gente cascuda trabalhando no setor técnico da Globo, mas para investir e ficar no nível das majors do segmento é preciso injetar ainda mais dinheiro e conseguir captar os melhores profissionais do mercado continuamente, e semana passada alguém havia falado que este tipo de perfil está em falta no mercado – justamente pela concorrência feroz de trabalhos em busca de desenvolvedores.

    Considerando que Netflix (especialmente), Amazon e Disney subiram o sarrafo técnico, a Globo ainda tem um gap a superar referente ao app do Globoplay, que até hoje é mais sujeito a lags e travamentos do que os supracitados. E é esse tipo de melhoria que está engargalado pelas dificuldades que falei antes. Para conseguir dar o salto que deseja/precisa, a Globo precisaria sangrar recursos das atividades que são o seu core business há décadas, e não sei se isso realmente é bom pra ela. Ter assinado esse contrato com a Google é um passo significativo para terceirizar essa responsabilidade e colher frutos, além de emprestar à Google uma das maiores parcerias de conteúdo disponíveis no país – senão a maior.

    Ressalte-se que uma vez migrados para a Google Cloud, sair dela num futuro indeterminado fica progressivamente mais difícil.. mas acho que no fim foi um negócio bom para ambos os lados.

    1. A qualidade do stream e possíveis travamentos e atrasos não tem relação direta com a tecnologia da Globo; esse tipo de problema se dá por questões de CDN e acordos com as operadoras de telefonia/internet para que elas usem rotar melhores para os servidores da Globo. Existe uma discussão bastante interessante sobre isso e sobre os provedores de tráfego superior dentro do Brasil (é uma mercado super concentrado) que acabam jogando os preços dos serviços de tráfego pro alto, inclusive muitas vezes os problemas de lag em jogos online se dão, exatamente, porque as empresas diminuem os custos na hora de ter servidores locais e acabam alugando uma instância da AWS que joga a rota pra Florida (e obra o tempo de resposta pra quem está fora de SP e RJ).

      O setor de SW da Globo.com é bastante competente e a equipe de web deles é reconhecida, acho que o “problema” não é conseguir captar pessoas, a questão deve ser custo mesmo. O Google deve ter dado um belo desconto em troca da integração com Android TV e em troca dos dados dos usuários do Globoplay.

  3. Uma coisa que a Globo sempre teve foi uma mania de “tentar tudo por conta própria”. Ou seja, tentar criar as próprias tecnologias para não depender de terceiros, pelo que eu via.

    Aparentemente acho que ela se viu vencida e, bem, agora o Google ganha mais essa.

    (E em breve: promoção super combo Globoplay + Disney Plus + YouTube Premium…)

    1. Exato. Me surpreendeu que a Globo mantivesse uma infraestrutura própria para o Globoplay — mas, com isso, fica claro porque a qualidade do streaming é tão mediana (pra ser gentil).

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!