O que me chamou a atenção no evento da Apple — novos iMac, iPad Pro, Apple TV 4K e AirTags

A Apple anunciou um punhado de novos produtos nesta terça (20), vários deles já esperados graças à máquina de rumores que existe em torno da empresa. Vimos as AirTags, o único produto realmente novo, e atualizações do iMac, iPad Pro e Apple TV 4K. Alguns destaques no calor do momento, ou o que me chamou a atenção:

  • O chip M1 se espalhou pela linha de produtos: está no reformulado iMac e (surpresa!) no iPad Pro.
  • O iMac chega em sete cores. A versão prata/sem cor foi pouco citada e esteve ausente em várias fotos e tomadas dos vídeos de divulgação.
  • O iMac perdeu muitas portas. A versão de entrada só tem duas USB-C 4/Thunderbolt e a conexão Ethernet na fonte é opcional. (Isso não foi citado no evento, que focou na intermediária, que traz duas USB-C 3 extras.) É a “macbookização” dos desktops da Apple.
  • O iMac traz “a melhor webcam que já colocamos em um Mac”, segundo a Apple. Convenhamos, não era muito difícil.
  • Touch ID no teclado, que a exemplo dos outros acessórios, também ficou multicolorido.
  • O iPad Pro de 12,9 polegadas vem com a aguardada tela de Mini-LED. Isso, sim, é um avanço interessante.
  • O Apple TV 4K agora usa o chip A12 e ganhou um controle remoto reformulado, que traz de volta a clickwheel (sem vidro que quebra fácil) e joga o botão da Siri para a lateral, igual nos celulares.
  • Tudo muito dentro do esperado e, ainda assim, muito bacana, mas estamos falando de objetos para poucos, pois caríssimos. Uma AirTag, acessório para “localizar” objetos perdidos, custa R$ 369. O iPad Pro começa em R$ 10,8 mil. O iMac, perto dos R$ 20 mil. Veja os preços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 comentários

  1. O que nunca surpreende na Apple são os valores cobrados aqui no Brasil. Mesmo sabendo do “custo Brasil” e o dólar nas alturas.
    Em 22/05/2017 comprei meu primeiro e talvez único Mac mini até o momento. Instalei um SSD de 480GB e está voando. Para o que uso, por enquanto está bom.
    Já para um upgrade no laptop provavelmente será um notebook com linux. Tenho testado algumas distribuições e sinceramente estou curtindo.
    Para substituir meu Samsung Galaxy Tab S3, o meu tão sonhado iPad Air 4 256GB, que está por apenas R$ 8.699 na loja da Apple fica cada dia mais diante… o.O

  2. A fonte externa do iMac foi algo… estranho. Eles não colocaram a fonte dentro da carcaça porque? Não é possível que fosse adicionar mais do que uns milímetros de grossura. E esse cabo de energia / internet proprietário também: mais um cabo padrão perdido.

    Dá pra entender que o sistema é todo voltado pra produtividade (que a Apple especifica, não qualquer produtividade), mas chega a ser cômico a parte de falarem do Apple Arcade no computador como se fosse uma grande coisa.

    1. Uma fonte de energia é um dos principais itens que mais pode ser problemático em um pc.

      Uma fonte interna geraria um custo a mais de manutenção, além da dificuldade: sabemos que a maioria dos equipamentos hoje fabricados não usam nem mais parafusos ou são encaixados com travas plásticas, mas sim colados.

      E pelo visto, a fonte é uma padrão USB-C (ou Thunderbolt), o que facilita na hora da troca por um novo em caso de queima. Conte isso como ponto positivo.

    2. Cara, eu vejo como um ponto positivo. Uma fonte de calor a menos dentro da máquina.
      E o cabo ethernet não é um cabo ethernet comum? A única diferença é que, ao invés de estar ligado diretamente no computador ele vai estar ligado num outro acessório que liga no computador.

  3. Além da Apple, existe algo que impeça rodar um Mac OS ou virtualizar outros sistemas operacionais nesse iPad pro?

    Imagino as possibilidades e portabilidade de um dispositivo desse tamanho e com o grande poder de processamento do m1.

    1. Já é possível no MacOS ARM, acredito que seria trivial tecnicamente portar para o iPad OS, mas certamente a Apple não quer deixar brechas para pessoas instalarem apps de fora da App Store…ainda mais agora com processo sobre eles.

    2. Eu gosto muito do macOS, mais que do iPadOS, mas… sei lá, não acho que ele seria muita vantagem no corpo do iPad. A interface não é otimizada para toques, os botões são pequenos (para dedos) e tal. Com iPad e Macs cada vez mais parecidos (os Mac com chip M1 rodam apps do iPadOS!!), o sistema operacional deve ser o único diferenciador mesmo das duas linhas.

    1. Eu sempre fico pensando “puxa como seria bom ter um produto Apple, só pra saber se é essas maravilhas todas” mas o preço me afasta com força.

  4. Eu quero demais esse iMac. Eu quero muito esse iMac. Eu não vou conseguir comprar esse iMac. 😞

    1. Achei bem simpático, mas parece que o pessoal não curtiu muito. Pessoal no caso, comentário do Reddit haha

      1. Se fosse pra seguir a vontade do Reddit, o iMac seria um monitor 5k 240hz com um gabinete com lateral de vidro cheio de leds RGB e watercooler e teclado mecânico e mouse. Tudo ligado com belísimos cabos.

      2. Eu curti o design, apesar de não ser o público alvo de um iMac e ter zero interesse nele.

        Só me incomodou essa fobia de portas da Apple. Num MacBook, que é feito pra ser algo portátil e leve, até dá pra fazer certa ginástica mental pra defender. Mas pra que tirar as portas e perder alguns mm e mg em um desktop que vai ficar fixo numa mesa?

        1. Só me incomodou essa fobia de portas da Apple. Num MacBook, que é feito pra ser algo portátil e leve, até dá pra fazer certa ginástica mental pra defender. Mas pra que tirar as portas e perder alguns mm e mg em um desktop que vai ficar fixo numa mesa?

          É institucional mesmo a fobia, a história do primeiro iMac teve isso. A lógica padrão é colocar o máximo de portas possível, para não perder compatibilidade e consequentemente vendas.

          Jobs voltou e não queria adicionar coisa legada no iMac, tirou porta serial, paralela e principalmente o disquete. Preferiu apostar na USB. Foi bem arriscado, era o primeiro produto dele e a Apple era uma empresa quase irrelevante na época.

          Deu muito certo na época e facilitou o caminho posterior, algumas (muitas?) vezes exageram e precisam voltar atrás. Mas para eles é vantajoso puxar esses movimentos, AirPods que o diga.

          A ideia desse iMac parece ser bem algo para usuário casual, até pelas cores, acho que nem vai ser o caos que foi nos MacBooks.

        2. Complementando o Arruda, imagino que a Apple queira que pessoas que precisam de mais portas comprem um hub. O mercado Apple (creio que no US /Europa) é voltado a usuários comuns, mesmo com o preço nas alturas. Não é que nem o mercado BRBR, que mesmo um equipamento básico da Apple é um preço de um Celta 2009 .

          E ainda a Apple tem sorte (ou azar) de no BR tem um mercado de usados aqui, dado que é notório o quanto de iPhones 5/6 e superiores ainda giram por aí.

    2. Uma vez eu ganhei um Apple iMac de primeira geração, só que não consegui faze-lo funcionar. Pensei até em fazer um mod, mas deixei quieto e acabei vendendo barato (só compensou o preço de eu levar para quem comprou…)

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário