Logo da Insider à esquerda e a frase à direita: “Use o cupom MANUALDOUSUARIO12 e garanta peças básicas de qualidade com desconto”.

Claro induz clientes a cederem dados pessoais

Print do pop-up da Claro pedindo autorização para “Formação do perfil do cliente” e “Uso de geolocalização”.
Imagem: Claro/Reprodução.

Leitores clientes da Claro informaram ao Manual do Usuário que a operadora iniciou uma investida para obter permissão para coletar dados de uso dos seus celulares e de geolocalização, a fim de divulgar “ofertas personalizadas” e geográficas.

Até aí, tudo bem — e parabéns por jogar às claras, como determina a LGPD. O que chama a atenção negativamente é a interface do pedido. O botão Salvar só fica ativo quando o cliente marca (consente) com a coleta de dados. Caso ele não queira compartilhá-los, é preciso clicar em um link “Lembrar mais tarde”, bem menos chamativo que o botão e, presume-se pelo texto/rótulo, registra a opção apenas temporariamente.

É um típico caso de “dark pattern”, jargão do pessoal de experiência do usuário (UX) que descreve um estratagema usado para direcionar os usuários a uma ação desejada por quem desenvolveu a interface. É fácil imaginar alguém, menos íntimo de tecnologia, preso nesta tela e que só consiga sair dela ao descobrir que o botão Salvar fica ativo ao selecionar as duas caixas acima.

O Manual do Usuário entrou em contato com a assessoria da Claro e pediu um posicionamento acerca dessa “dark pattern”.

Atualização (24/6, às 16h50): A Claro enviou o seguinte posicionamento:

Sobre o caso relatado pela reportagem, a Claro informa que é possível negar o consentimento do compartilhamento de dados ao interagir com as opções disponíveis na tela. De todo modo, reforçando o compromisso com a transparência, a operadora irá ajustar o pop-up para que a interação fique mais simples ao usuário.

Ficaremos de olho à espera desse ajuste.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

26 comentários

  1. A Claro atualizou o pop-up, colocando a opção de não aceitar o consentimento. Ao contrário do que foi dito na resposta da empresa, não era possível fazer na versão anterior.

  2. Outro exemplo é quando a gente vai instalar um programa no Windows e aparece um monte de programas adicionais, como os Baidus da vida. Nunca cliquei tanto em “Decline” como nos ultimos tempos.

    1. Gerqlmente pesquiso no Alternative To as opções de programas e downloads. E quando vem um com Bundleware, desligo a internet e tento a instalação.

  3. A despeito do confuso portal da Claro, tenho visto essa mensagem todas as vezes que faço login (e até mesmo durante a navegação, quando volto à página principal). Mas se isso já é invasivo, você precisa ver as permissões do app. É muito acesso sem necessidade.

  4. Gostaria de falar também sobre uns dark patterns da Tim também: até onde eu entendi, eles usam uma função para report de emergências em alguns aparelhos para tentar forçar a aquisição de algumas funções meio zoadas, tipo banca de jornal digital, pacotes de sms de futebol, etc. Basicamente é uma janelinha que pula na sua frente enquanto você usa o celular onde, caso você selecione “ok” automaticamente você adere ao pacote.
    Alguém mais já presenciou isso?

    1. E quando essa “janela” da tim pula no ios, a tela não apaga enquanto vc não cancelar.
      Ou seja, se ela aparecer 5 min depois de vc dormir, vai ficar gastando bateria até o outro dia.

      1. Exatamente! A Oi tbm faz isso. O celular do meu pai vive com a tela acesa por causa disso, eu que geralmente apago pq ele nem precebe.

    2. Sim, eu tinha Tim e tinha este problema. Tinha que ir lá manualmente silenciar o tal canal de reporte para poder não aparecer os anúncios. Não sei se eles pararam com isso, mas foi um dos motivos de eu ter migrado de Tim para Claro.

    3. É o tal do SMS 0, que a Apple inclusive vai bloquear a partir do iOS 15. Deveria ser usado apenas como um recurso de emergência, mas as operadoras como sempre avacalharam. Esse foi um dos motivos que me fez sair da TIM. Drenava a bateria do celular e esquentava o aparelho.

  5. O app pra Android da Claro também não fica muito atrás em intrusão.

    Além das permissões padrão que até fazem sentido (telefone e GPS pra identificar o local da instalação), o app solicita permissões pra início automático (!) e sobreposição de tela sobre outros apps (!!!).

    Aí eu pergunto, pra que um app que só serve pra ver fatura e acompanhar suporte técnico precisa estar ativo o tempo todo no meu aparelho, e provavelmente sem indicar isso?

    1. Não deveria existir um aplicativo para ver a fatura, bastaria que ela fosse enviada por email. Não deveria existir um aplicativo para acompanhar um chamado técnico, bastaria ser lembrado via SMS ou email.

      A ideia de ter um aplicativo “para tudo” é nociva por si só. A ideia que se iniciou quando a Apple queria criar webapps “para tudo” virou uma massaroca de imbecis no setor de TI de todas as empresas criando aplicativos que arrumam problemas que nunca teríamos se não fossem, exatamente, esses imbecis da TI “tendo ideias”.

      1. Exato. Essa maldita ideia de ter um aplicativo para cada coisa é um desastre desde sua concepção. Vai contra a “simplicidade” da web.

        E sobre as faturas da Claro, as minhas vem por e-mail. É só entrar no minhaclaro e alterar por lá.

      2. Só discordo um pouco, pois ter um app, desde que bem desenhado e resolvido, é tipo uma forma de acesso relevante – eu uso para ver sobre minha internet residencial. As pessoas mais leigas nem veem e-mails direito, quanto mais SMS.

        O problema maior é a velha coisa de “enfia tudo o que pode + publicidade”, aí caindo onde você falou. Claro realmente tem um app horroroso, leu errado meu consumo de dados – aí recorri ao USSD (*1052#) para poder ver como estava meu consumo.

        (A se pensar que quando eles podem, enfiam publicidade em tudo – tava vindo todo dia propaganda de uma tal skeelo).

        Oi sumido!

        1. Mas os problemas que vem com o aplicativo são muito maiores dos que as facilidades. Desde precisar ter um aplicativo a mais instalado (que consome dados, RAM e armazenamento interno) até ter publicidade, rastreio e sabe-se-lá quantas coisas mais.

          As pessoas não olham email e também não olham aplicativo. Para “massa” a internet móvel é o WhatsApp.

          Olá hahahaha

          1. O app da minha operadora residencial aparentemente é bem tranquilo e nao ocupa muito espaço. Nao sou hacker ao nivel de ver se ele faz atividades não relevantes. Mas aparentente não o faz.

          2. @Ligeiro

            Sim, acho que a maioria é tranquilo.
            Aliás, é um ponto relevante a se discutir: o quanto é de fato um problema a “invasão” de privacidade e o quanto é um problema “fake” (do ponto de vista prático)? Digo, somos irrelevantes em 99% do tempo, mas agimos como se fôssemos relevantes pras empresas a ponto de nos preocuparmos com “violações” de dados. Para mim, existe muito “capitalismo” nessa venda de privacidade como produto de luxo, criando uma necessidade que, sendo franco, a imensa maioria não precisa.

            Repetindo: somos irrelevantes.

            Mas daí já é tergiversas sobre o tema que eu respondo inicialmente.

      1. Ahh, entendi.

        E já não basta eles, do nada, começarem a enviar promoções via SMS para mim. Nunca nem sequer pisei naquela bagaça.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário