Anúncio Black Friday na Insider: descontos exclusivos na máscara antiviral

Chrome 87 e Firefox 83: navegadores mais econômicos

Google e Mozilla lançaram novas versões dos seus navegadores prometendo menos consumo de recursos do computador.

O Chrome 87 agora prioriza abas em primeiro plano. Na prática, segundo testes internos do Google, a nova versão reduz o consumo de CPU em cinco vezes e estende a autonomia da bateria (qual?) em 1,25 hora. Em velocidade, a empresa promete que ele agora inicializa 25% mais rápido e carrega páginas 7% mais rápido. Via Google (em inglês).

No Firefox 83, a Mozilla promete que seu navegador está 15% mais rápido no carregamento de páginas, 12% mais responsivo e que reduziu o consumo de memória em 8%. Uma novidade legal é uma opção que força conexões HTTPS (criptografadas), similar a extensões como a HTTPS Everywhere. Via Venturebeat (em inglês).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 comentários

  1. O Firefox meu tá esquisito hoje. Tem hora que ele escurece a tela, dando a sensação que não está processando legal as imagens…

  2. Melhorias são sempre bem-vindas, será que amenizou a fome do Chrome por RAM?

    Eu usava o Firefox até recentemente no smartphone, o último update deixou ele incompatível com o LastPass.

  3. “Uma novidade legal é uma opção que força conexões HTTPS (criptografadas)”

    Exceto que não, não é legal. Tal retrocesso prejudica mais pessoas do que você pode imaginar:
    http://n-gate.com/software/2017/07/12/0/

    Mozilla, A Corporação, parece ter se esquecido que intranets ainda existem. Um caso em particular meu, seria o do servidor para minha impressora, só a ideia de instalar um certificado para esse propósito já é ridícula.

    Sem falar de webhosts que ainda não permitem que você não use nada além de certificados expirados, extremamente codificados, e autoassinados. Como é o caso de vários países em desenvolvimento, incluindo o Brasil.

    As intenções são boas, mas ainda sim só está tapando o sol com a peneira e puxando o tapete em baixo de vários usuários. Não será um software que vai consertar a sociedade, que é de onde o verdadeiro problema parte.

    1. Cá entre nós, falo uma coisa: falta um belo de investimento em Ti + um pouco de boa vontade das equipes de TI em sair de sistemas arcaicos.

      Pelo pouco que sei, é fácil “phodher” a rede das das polícias, e a invasão de ransonware dos sistemas da Justiça mostra que temos um sistema ainda arcaico.

      A questão do HTTPS tou meio por fora, mas sinto que de fato, o texto está certo em dizer que há gastos abusivos, dado que as pessoas são obrigadas a pagar para ter um certificado – segurança também é um mercado, tem isso também. Agradecemos ao “Alexandre o Grande” por isso?

      Mas enfim, de qualquer forma, o ideal é que sistemas sempre estejam razoavelmente atualizados. De preferência com software livre, aberto, gratuito – mas pagando a mão de obra de quem colabora, claro.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!