Anúncio Black Friday: Assine a NordVPN com 72% de desconto

João da Silva Luto? A política de nomes reais do Facebook pode impedi-lo de voltar a ser João da Silva

Exemplo de revolta usando o próprio nome no Facebook.

Prática herdada do Orkut e que provavelmente se originou nos nicks do MSN Messenger, usar o nome para refletir um estado ou sentimento ainda acontece hoje, no Facebook. O problema é que ela vai de encontro a uma das políticas mais rígidas da rede, a que força o uso de nomes verdadeiros. Como conciliar esse conflito de interesses?

Uma pesquisa por “luto” ou “guarani kaiowa” no Facebook retorna vários nomes, ou seja, as pessoas ainda fazem isso. Gente que perdeu alguém querido (ou as eleições…) ou se solidarizou tanto com o grupo indígena que, para explicitar seu posicionamento aos amigos, resolveu usar o próprio nome. O problema é que o Facebook é chato nesse sentido. Ele quer que você use o seu nome verdadeiro e não dá muito espaço para homenagens do tipo ou quaisquer outros desvios.

Recentemente uma crise se formou entre o Facebook e a comunidade LGBT dos EUA. Impedidos de usarem pseudônimos, transgêneros liderados por Sister Roma iniciaram uma cruzada para que o site revisse sua política de nomes reais. Afinal, muitos deles usam nomes diferentes dos que constam em seus registros de nascimento. Disso surgiu o Ello e, há poucos dias, um sinal de que o Facebook poderá ceder nesse caso específico.

Em outras palavras, o fato de que transgêneros poderão, talvez, usarem pseudônimos no Facebook futuramente, não abre as portas para o “luto” nos nomes de todos. É preciso ter cuidado para que uma coisa de momento não fique gravada em seu perfil.

As consequências de trocar o nome no Facebook

Algumas pessoas trocam de nome ao longo da vida. Os casos mais recorrentes são os de retificação do registro de nascimento e o casamento. Nesses, é natural que a alteração se estenda aos perfis em redes sociais.

À luz disso, é possível mudar o nome no Facebook. Idealmente, porém, isso é algo extraordinário. Trocá-lo por brincadeira ou qualquer coisa do tipo é mau visto pelos sistemas automatizados do site e há consequências: ao abusar dessa possibilidade, o Facebook pode bloquear alterações posteriores por um longo período.

Quanto tempo? A última atualização na documentação do Facebook fala em 60 dias:

Você pode ter problemas para alterar seu nome se:

  • seu nome não seguir nossa política de nomes
  • você alterou seu nome nos últimos 60 dias
  • você foi solicitado anteriormente a verificar seu nome no Facebook

Esta página foi atualizada recentemente, no dia 1º de outubro — coincidência ou não, mesma data do post de Chris Cox sobre a polêmica dos nomes LGBT. Não sei, ao certo, se esse prazo existia antes ou se é algo novo; já tinha ouvido falar em bloqueios permanentes nesse campo, o que difere do prazo de 60 dias que consta agora.

De qualquer forma, mudar o nome no Facebook sempre foi uma ação delicada e cerimoniosa por parte dele, tanto que pode rolar até um pedido de comprovação, como o envio de RG ou outro documento oficial ao site. Faça-o com parcimônia.

Onde mudo meu nome no Facebook?

Para alterar seu nome no Facebook, basta clicar aqui.

Note que abaixo do nome existe um link à frente do rótulo “Outros nomes”. Nesse espaço o Facebook permite a inserção de apelidos, nomes de solteiro e outros nomes pelos quais você é conhecido. Ou seja, indiretamente é mais um reforço à política de nomes reais.

E caso queira mudar seu nome à vontade, talvez seja o caso de procurar outras redes mais receptivas nesse sentido. Twitter e Ello não ligam tanto para isso — e de quebra você descobre outros círculos de pessoas e abordagens diferentes no uso de redes sociais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 comentários

  1. Estou de luto com minha timeline. Li e vi tanta abobrinha nos últimos dias que estou dando um tempo com o face. apaguei o app do celular e estou usando a extensão kill news feed.

    Não é para sempre, claro. Só enquanto durar essa maluquice toda.

    1. Estou de luto com as redes sociais e a internet em si. A cada dia tá pior conviver na internet.

      É agora padrão virar um “semeador da discórdia”, um malcriado idiota, alguém que define que “opinião tem que ser forte, ignorante e ofensiva”. Não falo de ti, thiagones, mas sim complementando seu comentário.

      Tenho usado o AdBlock para travar a seção de comentários da maioria dos sites, evitado sites com “opiniões ignorantes”, e também tenho me desligado de grande parte das redes sociais.

      Quanto mais pessoas em um lugar, mais impessoal fica. Sempre falei este “mantra” e a cada dia que se passa noto isso na internet em si (internet = sites abertos, públicos, visitáveis e interativos).

  2. Também, acho muito difícil a venda de publicidade para o Sr. Luto ou a Sra. Guarani-kaiowa.
    Bem, espero que eles não encrenquem por eu não usar meu nome verdadeiro completo (ninguém merece nomes longos com Luis Henrique Rodrigues de Oliveirano header). Luis Oliveira é mais do suficiente para mim.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário