O que tem na sua mochila, Pedro Burgos?

O que tem na mochila do Pedro Burgos.
Foto do Pedro Burgos.

Pedro Burgos, 34, é jornalista e escreve sobre tecnologia há 12 anos. Você talvez tenha lido alguma coisa dele no Gizmodo Brasil, Superinteressante, Yahoo! ou Oene. É autor de um livro, Conecte-se ao que importa – um manual para a vida digital saudável (entrevista) e diversos textões no Facebook. Atualmente está passando uma temporada nos Estados Unidos fazendo mestrado em Social Journalism pela City University of New York.

“Tenho tentado diminuir o peso da minha mochila, e nem sempre tenho sucesso. Mas esses são os itens que mais vezes apareceram nela nos últimos meses.”

  1. MacBook Pro 13″ 2015. O meu MacBook anterior, um 15″ de 2011, ainda estava muito bem desde que coloquei um SSD. Mas acabei trocando pelo modelo novo pelo peso mesmo, pela tela Retina e porque queria uma bateria que fosse mais longe. A velocidade dessa máquina nova (com Core i7 e 16 GB de RAM) é excelente para o que preciso fazer, como editar áudio, vídeo e fotos; o teclado e o trackpad não têm paralelos e os meus programas favoritos de edição de texto e de foto, bizarramente, são exclusivos para Mac. Outro ponto pró (para um estudante de mestrado): não é uma máquina tão boa para jogos, sem placa dedicada, então não fico tentado. O melhor mesmo é que se eu não passar o dia usando o Chrome, a bateria vai muito longe.
  2. Câmera Panasonic Lumix GH4. É a minha terceira câmera da Panasonic, sou bem feliz com elas. É micro–4/3, relativamente leve, mas bem durável, e faz vídeos incríveis. Uso uma lente fixa 1.8/17mm a maior parte do tempo e produzo coisas de que me orgulho. A câmera tem Wi-Fi, o que me permite ser um feliz cheater de Instagram.
  3. Lente Olympus 40–150mm. Comprei recentemente essa lente para substituir outra, mais pesada. O alcance é bem bom, e serve para retratar uns “flagras” que acho na rua ou ângulos diferentes, em close. Fun-fact: os americanos acham super comum estranhos tirarem fotos deles na rua, ou bem menos estranho que os brasileiros. A lei sobre isso é diferente também.
  4. Fone de ouvido Westone 4R. Depois que você acha o fone de ouvido in-ear que encaixa na sua orelha, é difícil largar essa vida. E esse da Westone, com seus quatro drivers, é incrível. Isolamento perfeito, soundstage, etc. Sim, é ridiculamente caro. E, sim, eu tenho um mini-ataque-cardíaco toda vez que acho que perdi, mas ele me fez redescobrir várias das minhas músicas favoritas.
  5. EarPods. Sim, dois fones! Uso pelo microfone na hora de fazer entrevistas (mais confortável), e quando eu preciso ouvir um pouco do som ambiente. É mais fácil tirá-los do ouvido também.
  6. Cabo Lightning. Representando o iPhone 6 que eu tenho, usado para tirar a foto. E porque, né, não é incomum o bicho precisar de carga antes de eu voltar pra casa.
  7. Álcool gel. Não é TOC, mas faz bem, especialmente porque eu fico andando pela rua/metrô/ônibus e comendo comida de rua.
  8. Microfone lapela Rode Lava+. É ridiculamente leve, então eu deixo “esquecido” na mochila. Ele pode ser extremamente útil para gravar alguns tipos de vídeo. Não daria para fazer o Periscope que fiz recentemente sem ele.
  9. Anker Astro E4. Esse na verdade é um carregador meio pesadão, “de viagem”, que uso quando saímos eu e minha esposa para passar um dia longo em um parque, viajando ou batendo perna. Com 13000 mAh ele tem carga o suficiente para pelo menos dois smartphones (tem duas entradas USB), mais uns trocados. E carrega rápido como uma tomada.
  10. Bloco de notas. De vez em quando o velho bloquinho de jornalista é o melhor lugar para rascunhar ideias ou anotar coisas. Voltei a ter uma admiração por papel que não tinha.
  11. Caneta Uni-ball Jetstream. Minha caneta favorita. Depois que descobri, não troco por nada. É suave, precisa com 0.7mm e não espalha tinta. Se você usa muito caneta e não quer gastar mais de R$ 10, esse é o caminho.
  12. Crachá. Me dá acesso a vários lugares, e com desconto. Fora que o “press” dá todo um verniz de pessoa séria.
  13. Barra de cereal KIND. Se há uma área que o Brasil ainda está muito atrás dos Estados Unidos é em barra de cereais. Essa marca, KIND, faz coisas bem gostosas que não são secas (e a empresa tem uma história bem incrível). A ideia de misturar sal marinho e caramelo também é das maiores contribuições dos EUA à humanidade.
  14. Garrafa térmica Zojirushi. Não vivo sem café, e tenho que admitir que sou o “chato do café.” Tenho moedor em casa, compro grãos específicos, faço no AeroPress com o peso certinho em gramas, etc. Não me orgulho disso, admito, e um café semelhante ao que faço aqui custa US$ 4 na rua (o que dá uns 25 Reais Novos, ou sei lá). Faço extra em casa e levo nessa garrafa térmica japonesa que é claramente feita com magia negra: 12 horas depois continua bom e quentinho (veja o review).
  15. Mochila Thule. Comprei há mais de quatro anos e ela continua firme e forte. Tem um compartimento seguro e sólido no topo onde costumo colocar as lentes e o fone de ouvido, é fácil de acessar. Mas tenho que admitir que ultimamente tenho me incomodado com o tamanho, o peso e o jeitão dela, muito informal pra onde eu vou de vez em quando. Estou à caça de outra.

“Coisas que volta e meia estão na mochila, mas não o suficiente para aparecer na foto:”

  • Apetrechos para gravar áudio, especialmente um Zoom H5.
  • Kindle Paperwhite (em viagens longas).
  • Fonte do MacBook, se for passar mais de sete horas usando o computador.
  • Apple Watch (porque fica no pulso. =))
O que tem na mochila do Pedro Burgos.
Clique para ampliar.

Nota do editor: O Na mochila é uma seção semanal do Manual do Usuário que apresenta o que gente que admiro carrega em suas bolsas e mochilas. Acesse este link para espiar as demais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

27 comentários

  1. @pedro_burgos:disqus ta tarde ainda pra perguntar sobre essa “garrafa magica”? Queria saber se ela também deixa as coisas minimamente geladas por um bom tempo, me interessei bastante.
    Ah, e gostei bastante das fotos!

  2. Eu tenho essa bateria dele, é muito boa mesmo. Ótimo setup, bem parecido com o meu (tirando a câmera e o álcool)! :)

  3. Eu tenho essa bateria dele, é muito boa mesmo. Ótimo setup, bem parecido com o meu (tirando a câmera e o álcool)! :)

  4. Team Uni aqui também!
    Mas as minhas são com tampa, acho mais elegantes. As canetas nanquim que uso também são Uni, funcionam bem melhor que a concorrência. <3

  5. “Crachá. Me dá acesso a vários lugares, e com desconto. Fora que o “press” dá todo um verniz de pessoa séria.”
    Pô, Burgos! Carteirada? Vai tirar a carta de “Jornalista” no RPG? :p (tou brincando, viu?) ;)

    Dos “Na Mochila” que já vi, me parece o que é ao mesmo tempo mais pesado (por causa dos equipamentos grandes) e com menos objetos.

    1. Hahaha. Não! É porque atrás dessa de “jornalista” tem a de estudante da CUNY, o que me dá direito a vários descontos. =)

      E é menos pesada do que parece. Até porque normalmente eu só saio com o notebook (1.58kg) e a câmera (~700g, dependendo da lente) mais uns fios e a garrafinha (que aí pode pesar 1 kg, dependendo do que tem dentro). Então dificilmente é mais que 3kg, o que acho bem razoável.

  6. “Crachá. Me dá acesso a vários lugares, e com desconto. Fora que o “press” dá todo um verniz de pessoa séria.”
    Pô, Burgos! Carteirada? Vai tirar a carta de “Jornalista” no RPG? :p (tou brincando, viu?) ;)

    Dos “Na Mochila” que já vi, me parece o que é ao mesmo tempo mais pesado (por causa dos equipamentos grandes) e com menos objetos.

  7. Meu único problema com o Pedro é que ele tá no Yahoo!. NÃO, NÃO e NÃO! Sei de casos de gente que teve câncer, úlceras e até hemorróidas só por ler o Yahoo!. Aqueles comentadores não são gente. Eles são uma mutação dos comentadores do G1 com os comentadores do Batepapo UOL.

    Vou rezar pra você, mesmo eu sendo ateu.

    1. AdBlock ou algum “personalizador” de página + bloqueio “comentários” (nas páginas que quer) e não verá mais chorumes de comentários :p

  8. Meu único problema com o Pedro é que ele tá no Yahoo!. NÃO, NÃO e NÃO! Sei de casos de gente que teve câncer, úlceras e até hemorróidas só por ler o Yahoo!. Aqueles comentadores não são gente. Eles são uma mutação dos comentadores do G1 com os comentadores do Batepapo UOL.

    Vou rezar pra você, mesmo eu sendo ateu.

    1. Hehehe. Foi meio que piada. Mas eu acho que há certo valor em coisas menos multitarefa. Tipo eu leio mais coisas no Kindle do que no iPad não só pela e-ink e tal, mas porque se eu chegar a uma parte chata do livro eu não tenho o ímpeto de apertar home e jogar Hearthstone.

      Mas o meu Mac antigo, que tinha uma placa dedicada, era bom pra jogos também, agora que é bem mais comum ter coisas lançadas pra PC e Mac. Então não é uma “falha do Mac” que eu transformo em “feature”, mas é uma escolha minha em limitar as opções mesmo.

        1. Fico trocando entre o iA Writer Pro e o Byword. São legais no iPad também. Nunca achei um bom editor “light” no Windows, que fale Markdown direito

          1. Isso. Ele é muito rápido, abre instantaneamente. E tem uns recursos extras pra “correção de estilo” em inglês que é interessante.

    1. Cara, uma coisa sobre a AppleWatch é que ele está sendo lançado como produto de design que é util, não o contrário, como o Lg Urban Watch ou o Moto360 que são úteis e calham de ser bonitos, o caminho mais lógico de um Watch qualquer, seria uma tela e-Ink, já que o propósito é ser um relógio que possui conectividade e mostra notificações e é uma “janela da aba de acesso rápido ao seu telefone” ele não precisa ter tela colorida nem nada do tipo. O AppleWatch é algo de luxo com utilidade o oposto de seus concorrentes.

      1. Eu não sei muito bem se esse argumento de que smartwatches com Android Wear são “úteis” vinga. Estou com um Moto 360 (post sai essa semana) e a última coisa que ele me tem sido é útil.

        (O Apple Watch tem uma tela OLED, que é mais amena com a bateria, especialmente com a interface bastante voltada ao preto do sistema. Já o Moto 360 usa uma LCD, logo…)

    1. depende da fissura do ladrão. se estiver muito doido pode acabar trocando tudo por algumas pedras de crack

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário