O que tem na mochila do Lucas Oliveira.

O que tem na sua mochila, Lucas Oliveira?


19/9/16 às 9h00

Carteira da Chimp Carteiras sobre uma mesa.

Oferecimento: Chimp Carteiras.
Estamos patrocinando esta seção para espalhar uma mensagem que acreditamos ser muito importante: carregue menos. Queremos deixar a sua vida mais simples. Mais bonita. Melhor. Começando com o seu bolso. Conheça as carteiras Chimp.

Foto do Lucas Oliveira.

Lucas Pontes de Oliveira é formato em administração pelo Insper e trabalhou por dois anos como estagiário de Investment Banking na Goldman Sachs. Hoje, é analista de Relações com Investidores e Estratégia do grupo Arezzo&Co e fundador e CEO da marca Chimp Carteiras. Ambicioso e pró-empreendedorismo, adora as artes, especialmente música. Gosta de compor e produzir música quando tem um tempo livre — deixa as menos piores no SoundCloud. Não se incomoda em pensar diferente da maioria das pessoas.

  1. Messenger Bag. Acho mochilas do tipo tartaruga horrorosas. Acredito que se as coisas que você carrega são pesadas demais pra uma messenger bag, então você precisa deixar de carregá-las. Mochilas tartarugas são para subir montanhas.
  2. Carteira Chimp Sleeve. Essa é a cereja no bolo. Carrego nela tudo que carregava na minha carteira sanduíche de dois anos atrás (6 cartões, CNH, 4 cartões de visita e dinheiro). Gostei tanto quando comprei minha primeira carteira slim que decidi compartilhar a alegria com o Brasil todo. Essa cor, azul, por enquanto é a única que existe. Vou lançar essa cor nova (e outras duas) no site até o fim de setembro!
  3. iPhone 6. Reconheço o quão melhor é ter um iPhone mais fino e com a tela maior. Foi a única coisa que me fez trocar o meu 5C. Por outro lado, não consigo entender quem opta por ter um 6s. E, por enquanto, não estou muito animado com o 7 também. Estou tão satisfeito com o meu iPhone 6 que será difícil me convencerem a gastar meu suado dinheirinho em um novo.
  4. MacBook Pro. Meu primeiro MacBook. Está comigo há quatro anos e ainda funciona tão bem quanto quando comprei! Não pretendo trocá-lo por alguns anos. Aguentou tudo que precisei até hoje sem problemas (com exceção de uma vez em que o cooler parou de funcionar), desde produção musical pesada até planilhas e modelos financeiros extensos. Infelizmente, o Excel para macOS não sustenta heavy users, por isso tive que instalar o Windows 10 via Bootcamp. E é como li uma vez: “a Mac is the best Windows computer out there”.
  5. iPad Air (16 GB). Está comigo desde a faculdade. Depois que descobri o app Paper by FiftyThree, deixei de carregar cadernos, folhas e estojos. É onde anoto todas as minhas ideias novas. Inclusive, Paper é um dos softwares mais bem feitos, simples, bonitos e elegantes que já usei. A identidade visual e simplicidade da FiftyThree me inspiram no meu trabalho até hoje.
  6. EarPods. Impossível viajar sem ouvir música.
  7. Kindle. Valeu cada centavo. Adoro ler no avião e sou péssimo em lembrar de pegar os livros que quero ler. Às vezes quero levar mais de uma opção e o Kindle me ajuda a não ter que encher a minha mochila. Admiro também a beleza e simplicidade do aparelho.
  8. Pencil by FiftyThree. Já testei milhares de stylus para o iPad e essa ganhou de todas. Além de ser muito mais bonita e elegante que qualquer uma que já vi, é uma das poucas (se não a única) que possui uma ponta de “borracha” que apaga naturalmente, igual um lápis de verdade. Além disso, conecta por Bluetooth e possui palm-rejection. Devo ter sido uma das primeiras pessoas que compraram no Brasil, de tanto que amo a marca! Afinal de contas, até a Apple acabou copiando o nome no fim.
O que tem na mochila do Lucas Oliveira.
Clique para ampliar.

Nota do editor: “Na mochila” é uma seção semanal do Manual do Usuário que apresenta o interior das bolsas e mochilas de leitores, colegas e amigos. Veja as outras mochilas já publicadas e mande a sua.

Assine o Manual do Usuário

Ao acessar este blog, você não é rastreado ou monitorado por empresas como Google, Facebook e outras de publicidade digital. A sua privacidade é preservada. O Manual do Usuário tenta viabilizar-se por métodos alternativos e éticos. O principal é o financiamento coletivo. Colabore — custa a partir de R$ 9 por mês:

Assine no Catarse