Agora no iPhone e Android.

MixRadio é a melhor opção para ouvir música de graça desconectado


21/5/15 às 13h26

Ouvir música por streaming já é algo corriqueiro para muita gente. Para boa parte dos que ainda não aderiram a serviços como Spotify, Rdio e Deezer, ter que pagar é, geralmente, apontado como fator decisivo ao não uso. Afinal, mesmo baratos eles ainda são mais caros que “de graça.”

Por isso alguns desses serviços oferecem planos gratuitos com inserção de publicidade entre as faixas tocadas. Só que eles não são as melhores opções para quem quer ouvir música sem botar a mão no bolso. O MixRadio é.

O app, originalmente da Nokia, foi por muito tempo exclusivo para Windows Phone. Com a venda da divisão de dispositivos móveis à Microsoft (que incluiu o MixRadio), seu futuro era incerto. Ele acabou revendido à japonesa Line, a mesma do app de bate-papo, e agora enfim chegou ao Android e iPhone. Apesar da confusão, uma coisa não mudou: ele continua valendo o download.

Música (mais ou menos) sob demanda

Mixes e Seu Mix, no MixRadio. Quanto Mix!

A maior diferença do MixRadio para Spotify e similares é que você não escolhe qual música ouvir. Nesse sentido, ele lembra mais serviços como Pandora e Radiooooo. O máximo que se pode fazer é escolher artistas-base para montar playlists dinâmicas, ou “mixes,” como são chamadas. Além dessas, existem também mais de 10 mil mixes prontas, baseadas em critérios como humor (#triste), situações (#jantarzinho), geografia, tempo, rankings e métricas de redes sociais.

Só com essa base o MixRadio já seria suficiente para quem ouve música sem muito compromisso, mas ele é, também, uma máquina de aprendizado ávida por entendê-lo a fim de entregar sempre músicas que te agradam.

Configuração inicial do MixRadio.

A personalização começa na primeira vez em que o app é aberto. Ele pergunta quais gêneros musicais você gosta e, na tela seguinte, pede indicações de artistas favoritos. Essa configuração inicial monta o “Meu mix” básico. É a primeira das quatro telas do MixRadio, e tem apenas um GRANDE BOTÃO que inicia a sua playlist, baseada na visão que o app tem do seu gosto.

O processo de conhecimento não para ali. Cada música é acompanhada de dois corações na tela, um cheio e outro partido. Eles ajudam os algoritmos do app a entender melhor suas preferências. Com base nesses dados as próximas músicas da fila são reordenadas, os mixes sugeridos pelo app mudam e o Seu Mix fica mais refinado. De modo geral, já no começo a coisa funciona bem — comigo, pelo menos, o MixRaio sempre trouxe músicas legais.

Música offline de graça

Baixando um Mix para ouvir desconectado.Um dos diferenciais dos planos pagos dos serviços de streaming de música é a capacidade de armazenar faixas para execução offline. Especialmente aqui no Brasil, com planos pré-pago de 3G letárgicos e os pós, caros, é um diferencial bem interessante.

O MixRadio não cobra nada para fazer cache das músicas1. Em contrapartida, ele limita quantas podem ser guardadas para consumo desconectado. (E, claro, não deixa escolher a ordem, nem quais músicas são salvas.) É possível salvar até quatro mixes simultaneamente, de duas horas cada, e sempre que quiser um botão “atualizar” está disponível para mexer neles. Os mixes têm data de validade; eles expiram depois de 30 dias.

Qual a pegadinha, então?

Existem limitações, claro. Além da impossibilidade de escolher músicas específicas para ouvir, o MixRadio também limita a quantidade de vezes que você pode pular uma música — são apenas seis por hora. Também não dá para retroceder, ou seja, tocar uma música repetidamente.

Esse funcionamento ajuda a tocar uma variedade maior de músicas, o que imagino que seja benéfico ao ecossistema de artistas e gravadoras. Em vez de concentrar os trocados gerados pelas execuções nas mãos de uns poucos, a divisão deve ser mais equitativa.

Música no MixRadio.Como não tem plano pago, o MixRadio ganha com anúncios. São pequenas faixas, bem discretas, na parte inferior do player. É impossível dizer se a conta fecha ou se o Line está atuando no prejuízo, mas por ora, funciona.

Uma coisa que me chamou a atenção foi a presença de artistas que não costumam dar as caras em serviços de streaming. The Black Keys, Taylor Swift e Thom Yorke, que andaram tretando e/ou rompendo com o Spotify, marcam presença. O acervo do MixRadio é composto por mais de 35 milhões de músicas.

Baixei o MixRadio no Android e fiquei impressionado com a polidez. Algumas coisas lembram a identidade visual do Windows, como o tempo decorrido da música em fontes grandes e destacadas, mas no geral ele foi bem adaptado e rodou leve num Moto X (2014).

O app é gratuito. Baixe-o nos links a seguir: Android, iPhone, Windows Phone.

  1. Cobrava. Quando era da Nokia, havia um plano pago de £ 3,99 (no Reino Unido, onde fica a sede do MixRadio). Essa modalidade não estava disponível no Brasil.

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

42 comentários

  1. Eu usei um Asha 503 por varios meses como segundo celular por causa deste programa. Muito bom por baixar as suas rádios, e também por várias sugestões interessantes. Bom saber que já possui para Android!

  2. Eu uso Spotify, mas quero mudar para algum serviço “gratuito”, o que me parece melhor é esse Mix Radio que é o único que tem opção de salvar músicas offline (que eu saiba), o problema vai ser se eu quiser ouvir uma musica que já passou outra vez… Estou pensando no Soundcloud, mas se eu for para um lugar sem sinal 3G/4G como o sitio da minha família, adeus músicas. E aliás, o Spotify é o único que tem suporte no Playstation 4 :T

  3. Gosto de escolher o que vou ouvir, utilizo outras formas pra conhecer novas músicas/bandas/artistas, esse app é bom por ser gratuito evidente, mas me sinto meio preso.

  4. Um truque para o “6 pulos”, é ir para outra playlist, daí ele esquece que você já fez 6 pulos (se quiser, volta para a anterior). Funciona de forma diferente do Spotify.

  5. Um truque para o “6 pulos”, é ir para outra playlist, daí ele esquece que você já fez 6 pulos (se quiser, volta para a anterior). Funciona de forma diferente do Spotify.

  6. Tenho que discordar.

    Instalei o aplicativo no meu Android e o sistema avisou que ele estava drenando a bateria. Por esse motivo, desinstalei.

    Espero que resolvam isso.

    1. Foi a primeira coisa que pensei. Há vários do gênero e não entendi esse hype em torno dele. Isso tudo é pela função offline?

  7. Uma dúvida, quando salvo um Mix pra ouvir off-line as músicas que são salvas nele são as que eu estou ouvindo ou é uma nova seleção aleatória?

  8. Ainda sou um pouco old school com a história do “Ei aplicativo, escolha pra mim” de forma fixa (Eu gosto das playlists malucas do Spotify – e por tabela descobrir novos artistas – mas não poder escolher / tocar novamente / limites de avanço em músicas chatas me deixa um pouco tenso. )

    Mas como é de graça, vai ter um lugar pra teste.

  9. Nunca vi um serviço tão unanime quanto esse.
    Quase todos só falam bem dele.
    Vou testar.

  10. uso no android desde quando foi lançado no Nokia X, via xda, e no windows phone a dois anos…. é divertido nesse ponto de descobrir artistas e não ficar preso nos que são mainstream de seu genero

      1. Pra você a Last.fm pode parecer antiquada, um pedaço esquecido da internet, mas na realidade há uma base devota de usuários, que se importam muito com o que ela faz. Além disso, todo serviço de streaming de respeito tem integração, como o Spotify e Rdio. Acho que é algo fundamental se um serviço quer ter sucesso, que é agradar uma fatia de usuários que realmente consome música e está disposto a pagar por ela.

    1. Eu acho legal a integração (usuário do Last.fm desde 2006 aqui o/ ) Como o MixRadio toca músicas aleatórias, de repente é até bom não ter essa integração. Hoje estava ouvindo um mix de música pop e começou a tocar uma dupla de sertanejo universitário. JÁ PENSOU?

      1. A Last.fm é o serviço mais avançado e completo pra descobrir novos artistas que existe, além de ter uma comunidade bem forte que comenta e organiza as informações. É uma rede social, então tem como conhecer gente nova que gosta das mesmas coisas ou que vai aos mesmos eventos que você. Eu adoro a Last e fico muito triste com o relativo abandono que a CBS tem com ela e tenho esperanças que o Spotify ainda compre o serviço, já que a relação entre os dois parece muito boa.

        1. Mas o Spotify n já tem essa função social?
          Ainda por cima, as rádios e playlists ajudam e muito a descobrir novos artista. Sei lá, ainda acho meio irrelevante.

          1. Não dá nem pra comparar, na Last.fm dá pra ver exatamente quais faixas você ouviu, seus artistas mais ouvidos, faixas mais ouvidas, além das faixas mais tocadas de qualquer artista. E como funciona com vários programas de música, é um arquivo abrangente de tudo o que foi ouvido, não importa quantos anos faça. O Spotify é uma plataforma fechada nela mesma.

          2. Ué. Tenho exatamente estas mesmas informações no Spotify…
            O.o

    2. O Last.fm é um defunto que está sendo velado e só aguardando o enterro. Eu era super fã, mas hoje não faz mais sentido usar um segundo serviço de trackeamento quando o principal (Spotify ou qualquer outro do tipo) faz a mesma coisa.

      No Spotify, por exemplo, tenho acesso as mais tocadas minhas, dos meus amigos e de quem sigo. Se quiser descobrir novos artistas, você pode usar a função rádio, escrever qualquer coisa e ir dando like/dislike até ajustar seus gostos. Sem contar as playlists por gênero, por país…

      É loucura querer comparar o algoritmo mais avançado e alimentado por milhões de pessoas diariamente do Spotify com o pobre do Last.fm cheio de artrite, artrose… enfim, renda-se ao Spotify se não quiser virar bacon.

      NÃO ACEITO REPLICA, OK?
      XIU. KALABOKA E VAI OUVIR O SPOTIFY JÁ, SUA PORCA!

    3. Bom, pra quem tem interesse no scrobble, encontrei uma solução. Basta fazer uma receita no IFTTT onde cada música ouvida no MixRadio seja enviada num digest para seu email (diariamente, semanalmente, a escolha é sua). Com essa informação em texto, é só colar no Tracklist Scrobbler (http://tracklistscrobbler.appspot.com), que faz o scrobble a partir de uma lista em texto, com nome do artista e música!

      Pronto, de certa forma as músicas do MixRadio foram parar na Last.fm.

      1. Felipe, você usa Windows Phone? Mesmo com essa receita eu não recebo emails com as músicas que ouvi. Tento me cadastrar no MixRadio pelo Lumia 730, mas não dá, pede uma conta da Nokia…

        1. Oi Leo. Não, uso Android. Nem me lembro mais como me cadastrei, mas acho que pelo site você pode entrar usando Microsoft, Google ou Facebook. Se no Lumia pede conta Nokia, não tem a possibilidade de estar desatualizado?
          Sobre a receita do IFTTT, pode parecer que ela não funciona, mas uma hora ou outra o email chega. Já faz um tempinho que não estou mais usando o MixRadio pq achei essa parte inconsistente, nem sempre ele parecia guardar o que eu ouvia e os e-mails não chegavam na frequência certa. Mas faça o teste, coloque pra funcionar e deixe pra receber uma vez por semana, que vai dar certo.

  11. O MixRadio é de longe o app que me fez descobrir mais bandas legais de acordo com meu gosto, tais como Far From Alaska, Royal Canoe, Ellephant, Nothing But Thieves, e mais algumas.

    No WP ele tinha um plano de assinatura (que era 1,99 ou 0,99 dólares por mês, se não me engano), que deixava armazenar mais músicas localmente e dar skips infinitos. É um dos meus apps preferidos no WP.

      1. As assinaturas não funcionam no Brasil, sempre esperei por isso ansiosamente porque gosto muito do serviço. Acabei indo pro Spotify.