Anúncio Black Friday: Assine a NordVPN com 72% de desconto

Os melhores apps para iPhone, iPad e Mac (fevereiro de 2016)

Unboxing iPhone 6s.

Todo mês o Manual do Usuário lista os melhores apps para as plataformas mais populares. Você está na da Apple (iOS e OS X) — não deixe de conferir, também, a lista do Android e as dos meses anteriores.

Faltou algum app aí embaixo? Avise nos comentários. E se descobrir algum legal no decorrer do mês, não se esqueça de mandá-lo para cá.


Anchor

Print do Anchor para iPhone.

Para iPhone
N/A
Grátis

Baixar

Uma mistura de rádio, podcast e bate-papo por voz, o Anchor é uma ideia bem diferente e que, talvez, acabe pegando. Por ele qualquer um pode transmitir clipes de áudio com até dois minutos de duração. Os ouvintes, por sua vez, podem responder essas mensagens, gerando conversas entre o produtor e a audiência.

É possível encontrar a quem seguir conectando o seu perfil do Twitter ao app. As conversas e clipes podem ser compartilhadas em redes sociais e incorporadas a páginas web (ouça um exemplo). O visual é meio espartano, mas a premissa é bem interessante.


CHOMP

Para iPhone e iPad
N/A
US$ 2,99

Baixar

Com ilustrações do artista Christoph Niemann, CHOMP é um app de vídeos que, utilizando algumas técnicas de câmera, cria uma interação entre os usuários e as mais de 50 cenas ilustradas por Niemann para o app.

O app permite que qualquer um grave mensagens, coloque músicas e o próprio rosto nas cenas que, depois, podem ser exportadas ou compartilhadas com amigos e familiares. Veja o vídeo acima para entender melhor.

Meio bobinho, mas divertido.


Day One 2

Print do Day One 2 para iPhone.

Para iPhone, iPad e Apple Watch
N/A
US$ 4,99 (promocional)

Baixar

A nova versão do Day One, um dos melhores apps de diário, vem com diversas novidades. Agora, por exemplo, é possível criar até dez diários únicos, com cores e nomes próprios. As fotos ganharam tratamento especial: até dez podem ser incluídas em cada entrada.

O app também ganhou novos filtros, gerenciamento em lote de entradas, suporte a fuso-horários, a gestos usando o 3D Touch (iPhone 6s/6s Plus). O único possível contra é que a sincronia com a nuvem agora se dá exclusivamente pelo Day One Sync, a solução nativa/própria do app — na anterior, era possível optar entre ela, Dropbox e iCloud.

O Day One 2 é um novo app, portanto, mesmo quem já tem a versão anterior precisa, caso queira migrar para a nova, pagar o preço cheio novamente.


Day One 2

Print do Day One 2 para OS X.

Para Mac
N/A
US$ 29,99 (promocional)

Baixar

Basicamente as mesmas novidades do Day One 2 para iOS, mas, nesse caso, para o OS X, com a interface criada para ser usada com mouse e teclado e integrado aos recursos nativos do sistema para computadores tradicionais da Apple.


Doo

Print do Doo para iPhone.

Para iPhone e iPad
N/A
US$ 4,99

Baixar

A App Store está cheia de listas de tarefas, mas isso não impede que novos apps, com novos métodos e propostas, sejam lançados. O Doo é mais um desses.

O Doo se baseia em gestos. É similar ao Tinder, mas em vez de deslizar os cartões lateralmente, você os joga para cima a fim de marcar como resolvida a tarefa, ou a adia deslizando-a para baixo. Existe uma visualização mais convencional, em lista, para ter uma noção melhor das tarefas pendentes.

Foram feitas 18 ilustrações que aparecem de acordo com a tarefa inserida.

O Doo suporta tarefas recorrentes e, com sua apresentação, passa a sensação de que mesmo grandes projetos são mais simples de serem completados — já que ele precisa, desse modo, ser quebrado em tarefas menores. Aos que ficaram curiosos ou nunca se deram bem com outros apps de listas de tarefas, vale a tentativa.


Fluid Browser

Print do Fluid Browser para OS X.

Para Mac
N/A
US$ 2,99 (preço promocional)

Baixar

O lance do Fluid, um navegador para Mac, não é ser mais rápido que os outros ou ter um punhado de recursos. Ele existe, na real, por conta de um só: a transparência. Um slider dá ao usuário o controle da opacidade da janela do Fluid que, por sua vez, flutua sobre as demais.

O Fluid Browser é ideal, sugerem os desenvolvedores, para assistir a tutoriais de Photoshop enquanto se trabalha numa imagem, consultar PDFs direto do navegador para conferência com um texto redigido no Pages/Word ou simplesmente ver um episódio da sua série favorita na Netflix enquanto faz algum trabalho mecânico em segundo plano.


Foodie

Print do Foodie para iPhone.

Para iPhone
N/A
Grátis

Baixar

Dos criadores do Line, aquele app de bate-papo parecido com o WhatsApp, o Foodie lembra um outro muito famoso — o Instagram. A diferença, evidenciada já em seu nome, é que o Foodie gira em torno de um tipo específico de fotografia, a de comida.

Para justificar a premissa, o app conta com recursos de edição que prometem, nas palavras dos desenvolvedores, “transformar fotos simples em obras de arte únicas”. Tem coisas bem clichês como os 26 filtros, mas alguns recursos são mesmo bacanas, como a guia que auxilia a fotografar pratos de cima e a função de desfoque automático a fim de evidenciar a comida.

Como todo bom app de fotografia, o Foodie também permite compartilhar em redes sociais os resultados da sessão gastronômica.


Franz

Print do Franz para OS X.

Para Mac
N/A
Grátis

Baixar

WhatsApp, Facebook Messenger, Telegram, Slack… Tantos apps, todos para a mesma função: conversar, por mensagem de texto, com as pessoas.

O Franz pega todos esses e os coloca numa interface unificada. São oito — além dos quatro citados acima, ele ainda conversa com Hangouts, HipChat, Skype e Grape. Um detalhe legal é que dá para criar mais de uma instância para cada app. Se você tem duas contas no WhatsApp, por exemplo, o Franz deixa criar duas abas do app, uma para cada número.

Não é nada muito sofisticado. O que o Franz faz é se conectar às versões web desses apps de bate-papo e colocar, por cima, recursos do OS X como badge de mensagens não lidas e notificações. Mas para quem usa todos, é uma mão na roda.


GIF Brewery 3

Print do GIF Brewery 3 para OS X.

Para Mac
N/A
Grátis (por tempo limitado)

Baixar

Este app torna a criação de GIFs a partir de vídeos muito fácil. Ele aceita vários formatos e também trabalha diretamente com a webcam do Mac ou com as câmeras de um iPhone ou iPad conectado.

Após importar ou capturar o vídeo, os controles finos do GIF Brewery 3 permitem ajustar a quantidade de quadros por segundo, tonalidade das cores, aplicar filtros e, além de tudo isso, salvar um projeto para continuar editando-o posteriormente.


Sloth

Print do Sloth para iPhone.

Para iPhone e Apple Watch
N/A
Grátis

Baixar

Eu não disse que a App Store tem muitos apps para listas de tarefas? O Sloth é outro — o segundo desta lista.

O diferencial é que ele combina o conceito de lista de tarefas com o da técnica Pomodoro, ou seja, o Sloth incentiva o usuário a destinar períodos pré-definidos ao cumprimento de cada tarefa — com direito a um timer para avisá-lo quando o tempo acaba.

Além do conceito, o Sloth tem uma interface minimalista baseada em gestos e faz bom uso das extensões nas notificações do iOS, além de contar com uma elogiada integração com o Apple Watch.


Alguns avisos:

  • Os apps acima não foram todos testados pelo Manual do Usuário. A lista é composta por apps de destaque, lançados no mês correspondente, que apareceram em outros sites ou foram comunicados pelos leitores;
  • Os apps são listados por ordem alfabética;
  • As notas (estrelas) vão de 0 (zero) a 5 (cinco) e são obtidas das respectivas lojas da plataforma, na data da publicação deste post;
  • Alguns links são comissionados, ou seja, compras realizadas por eles rendem uma pequena comissão ao Manual, sem alterar o preço final ao leitor/consumidor.

Foto do topo: Joseph Thornton/Flickr.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 comentários

  1. Qual é o motivo dos aplicativos de iOS ser mais caros que dos outros sistemas? E ainda tem esse esquema de pagar pela versão desktop e mobile separadamente.

    1. Até onde sei, os usuários de ios estão mais dispostos a pagar por apps.
      Com relação ao desktop, é a desvantagem se não serem universais, como no windows 10

      1. O iOS tem apps universais, mas o universo da Apple é mais restrito — refere-se ao iPhone e iPad. No começo tinha muito app duplicado (os do iPad geralmente eram as versões “HD”), mas hoje essa fragmentação é rara. O normal é um mesmo app funcionar tanto no iPhone quanto no iPad, e em muitos casos a diferenciação entre os dois vai além do “estica na tela grande” comum no Android e no Windows.

        1. Isso. De modo geral a adaptação à telas maiores é melhor no iOS mesmo.
          São apps universais pero no mucho no iOS, até pq há um custo ao usuário essa implantação de sistemas com a mesma base (vide windows).

        2. Opa, só complementando: o universo abrange iPhone, iPad e Apple TV. Aliás, no caso da Apple TV, muitos são apenas telas esticadas ou interfaces duvidosas, ainda não acharam a fórmula de apps pra Apple TV, só o Infuse que já fazia um excelente trabalho nos iPads e iPhones que agora faz melhor ainda na setupbox da maçã.

          Particularmente, aí me questiono porque a Apple ainda não incluiu o OSX nessa, espero que isso aconteça logo, tá ficando difícil comprar App por 4,99 e ter que pagar 19 pela versão do Mac (sim, tô falando de você, tweetbot).

    2. Em apps multiplataforma não vejo muito disso. Os que são gratuitos no Android também são no iOS. Tem muito app independente e exclusivo que é cobrado, e isso é meio da cultura da plataforma, embora seja uma prática em declínio — em 2011, 67% dos apps da App Store eram pagos; ano passado, essa porcentagem tinha caído para 27%.

    3. Em apps multiplataforma não vejo muito disso. Os que são gratuitos no Android também são no iOS. Tem muito app independente e exclusivo que é cobrado, e isso é meio da cultura da plataforma, embora seja uma prática em declínio — em 2011, 67% dos apps da App Store eram pagos; ano passado, essa porcentagem tinha caído para 27%.

  2. Achei muito interessante a ideia desse Anchor! E não só para podcasts ao vivo; outro case de uso seriam as aulas à distância, com a interação dos alunos e posterior disponibilidade do áudio para toda a turma.

    Uma pena ainda ser limitado a somente uma plataforma (Sério desenvolvedores? Ainda nessa de exclusividade de plataforma?).

    1. Não é tão simples se livrar dessa mentalidade. Desenvolvedor é caro e trabalhoso. Existem ferramentas que geram apps para múltiplas plataformas a partir do mesmo código, com pouca modificação, mas elas costumam pecar em otimização e atenção às peculiaridades de cada sistema.

      Nesse cenário, desenvolver para iOS é a melhor saída — é o sistema mais rentável, no geral.

      1. Concordo planamente. Há um tempo fizemos um workshop interno aqui no trabalho visando conhecer as alternativas para desenvolvimento multiplataforma. Xamarin, Delphi, Cordova… invariavelmente piores que desenvolvimento nativo, tanto no sentido de look-and-feel do resultado quanto nas integrações com API’s nativas.
        Fomos para o desenvolvimento com Android Studio e Xcode. Custos altos, projetos separados e dificuldade na manutenção de versões pareadas.

    2. Programar em uma linguagem em alto nível não é fácil. Em 3, mais complicado ainda. Apps para celular são, muitas vezes, desenvolvidos por micro-empreendedores ou até mesmo pessoas físicas. A escala e a consequente portabilidade acontece depois… Vários apps começaram como exclusivos para iOS e depois migraram para Android e Windows Phone.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário