Prédio baseado no logo do Manual do Usuário, em perspectiva isométrica, com um recorte na lateral e várias pessoinhas nos andares e terraço. À esquerda: “Manual de dentro para fora”.

Como deixar de seguir todo mundo no LinkedIn

Funcionários de um escritório reunidos em torno de um notebook, sorrindo.

Dependendo da sua profissão, ter um perfil no LinkedIn é quase obrigatório. Muitas empresas usam a plataforma para recrutar, então estar fora dela significa abdicar de oportunidades. O problema é que o LinkedIn não é só um “currículo 2.0”; é, também, uma rede social. Com um feed. Que, por experiência própria e pelo que ouço de amigos e colegas, está cada vez mais esquisito, repleto de autoajuda corporativa barata e lições de moral questionáveis. Já pensou em deixar de seguir todo mundo lá, para ter paz ou para recomeçar do zero o seu feed? Se sim, hoje é o seu dia de sorte.

Nenhuma rede social oferece um botão “deixar de seguir todo mundo” porque isso vai contra a essência e o modelo de negócio delas. É possível fazer isso manualmente, mas dependendo do tanto de pessoas que você segue seria um trabalho demorado e entediante — em alguns casos, inviável.

Felizmente, existem hacks que automatizam o “deixar de seguir”. No caso do LinkedIn, testei um bem simples contra os cerca de 940 perfis e páginas que seguia. Não precisa instalar nada, basta um trecho de código aplicado na página que lista quem você segue. Fiz o procedimento no navegador Safari, mas ele com certeza funciona também no Chrome; provavelmente, em todos os demais. Com qualquer deles, é preciso fazer o procedimento em um computador, já que smartphones e tablets não dão acesso às ferramentas do navegador de que precisaremos.

Esta dica foi encontrada no Quora e publicada por um usuário anônimo.

Primeiro, acesse a referida página aqui: https://www.linkedin.com/feed/following/

Agora, abra as ferramentas de desenvolvimento do seu navegador. No Chrome, você pode apertar a tecla F12 ou Ctrl+Shift+I (Cmd+Opt+I no macOS; esse atalho também funciona para o Safari). Outra alternativa é clicar com o botão direito na página e selecionar a opção “Inspecionar Elemento”.

Uma janela estranha (ou painel dentro da página, dependendo da configuração) aparecerá. Não se assuste! Você só está vendo as entranhas do site — todos os códigos e processos que acontecem nos bastidores.

No topo dessa janela/painel, existem abas. Procure uma chamada “Console” e clique nela. No rodapé, haverá um campo de texto. Ele serve para executar comandos que interagem com a página em exibição. Naquele espaço, cole este trecho de código:

var buttons = $("button"),
interval = setInterval(function(){
    var btn = $('.is-following');
    console.log("Clicking:", btn);
    btn.click();
    if (buttons.length === 0) {
        clearInterval(interval);
    }
}, 1000);

E dê Enter.

Print do inspetor de elementos mostrando o processo de deixar de seguir todo mundo no LinkedIn.
A mágica acontecendo.

Se funcionar, imediatamente você verá os botões “Seguindo” abaixo das fotos dos seus contatos mudarem para “+ Seguir”. Isso significa que você os deixou de seguir, automaticamente. O que o código faz é isso: ele automatiza esse clique que, de outra forma, teria que ser dado manualmente, um a um.

No meu caso, notei que o código só estava interferindo nos contatos que eram exibidos na página. Por padrão, o LinkedIn mostra apenas cerca de 20 deles; o restante, só rolando a página. Bastou fazer isso para que o código, que fica rodando até você recarregar ou fechar a página, retomasse o trabalho. Acredito que esse problema tenha ocorrido por eu ter usado o Safari, que pode ter alguma diferença ou limitação com o código usado. Segundo relatos que li na web, no Chrome o procedimento é totalmente automático.

Caso o código dê algum problema ou você precise se ausentar ou desligar o computador, tudo bem. Basta repetir o procedimento e ele recomeçará do ponto onde parou.

Ao final, se der tudo certo, você se deparará com esta imagem de paz e tranquilidade:

Print da tela que o LinkedIn exibe quando você não segue ninguém.
Seria um sonho??

Agora, basta procurar os perfis que compartilham conteúdo útil e legal e segui-los novamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 comentários

  1. Rodrigo, toda vez que executo o comando no console tenho a seguinte mensagem de erro:

    Uncaught ReferenceError: $ is not defined at :3:11

    Rodrigo, você sabe como resolver essa questão? ou pode me indicar quem pode?

    1. Esses sites modernos de redes sociais alteram o código quase que diariamente. Não é surpresa que o hack do post tenha deixado de funcionar. Infelizmente meus conhecimentos técnicos são limitados, e não saberia como consertar o código da dica para fazê-la funcionar de volta…

    1. Desconheço, Fernando. O que eu fiz lá (antes de encerrar a minha conta) foi o seguinte: sempre que abria o feed, ia deixando de seguir as pessoas que apareciam nele. Demora um tempo, mas eventualmente você deixa de seguir todas.

      Bônus: é bem interessante ver como o algoritmo fica maluco quando você começa a deixar de seguir pessoas que ele considera próximas de/importantes para você, haha.

      1. Eu acabei optando por entrar na lista de amigos e deixar de seguir um a um. Deu trabalho, mas o resultado é ótimo. E, realmente, notei que o algoritmo se comporta de maneira estranha mesmo rsrs.

  2. Excelente dica. Talvez o LinkedIn seja a rede mais difusa em compartilhar clichês de gente que você nunca viu na vida, mas teve conteúdo curtido ou compartilhado por algum conhecido seu (sendo que o conceito de “conhecido” no LinkedIn já é algo diferente do Facebook, pois é onde você tende a adicionar contatos puramente profissionais e de quem você não conhece a vida pessoal a fundo).

    Ghedin, um pouco off-topic mas acho que cabe a sugestão: não seria bom colocar na página inicial o contador de comentários ao lado de todos os posts? Hoje apenas o Post Livre mostra quantos comentários a postagem teve. É um indicativo que serve para eu (e talvez outras pessoas) decidir se vale retornar à postagem para checar uma discussão que evoluiu, ou não. Abraços!

    1. Sim, Raphael, também tenho sentido falta desse contador. O que pretendo fazer quando virarmos o layout definitivo: sem contador enquanto o post não tiver comentários, com contador (em todas as categorias) depois que o primeiro for publicado.

  3. Rola fazer o mesmo no Twitter. Rh preciso entrar na página de Seguindo.
    O código é esse:

    setInterval(function(){t=$(“.following”).find (“.follow-button”);if(!t[0]){window.scrollTo(0, $(document).height());}else{ console.log(t.attr (“class”)); t.trigger(“click”);}},100)

    1. Boa dica! No caso do Twitter, a API parece que é mais aberta, o que explica o monte de apps e serviços que prometem fazer isso. Eu fiz uma vez, há muitos anos, e funcionou bem — porém não recordo o nome do serviço que usei.

  4. Ótimo! Fiz aqui agora no Firefox e funcionou perfeitamente. Só precisei digitar “allow pasting” antes pra poder permitir o ctrl+v.
    Obrigado!

  5. Excelente! Engraçado que se eu me mantiver sem seguir ninguém, o feed continua cheio, puramente de anúncios.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário