Logo da Insider à esquerda e a frase à direita: “Use o cupom MANUALDOUSUARIO12 e garanta peças básicas de qualidade com desconto”.

Leituras da semana #2

Smartphone, tablet e ereader: todos prontos para a leitura.
Foto: Rodrigo Ghedin.

Na seção Leituras da semana, a ideia é trazer até cinco posts de outros sites publicados no decorrer da semana que merecem ser lidos. São artigos primariamente sobre tecnologia, mas que, seguindo a linha editorial do Manual, podem também flertar com comunicação, psicologia e outras áreas desde que tenham uma abordagem relacionada a gadgets ou bits.

Na sequência, você tem os links e breves descrições de cada artigo. No final do post há um link para o Readlists.com. Por lá é possível baixar um ebook contendo os artigos listados na íntegra ou exportá-lo para seu Kindle, outro ereader ou tablet e ler na piscina, no sofá, onde quiser durante o fim de semana. Espero que gostem.

Sobre o Android ser aberto

Qualquer um pode pegar o Android e usá-lo em um smartphone, tablet ou como sistema embarcado. Mas até que ponto o Android que conhecemos, recheado de serviços do Google, é aberto? Ron Amadeo explica os artifícios que o Google usa para controlar o sistema e impedir que forks, como o Android da Amazon, tenham relevância. É um jogo de xadrez maliciosamente bem pensado.

Ars Technica: A mão de ferro do Google sobre o Android: controlando o código aberto da maneira que for necessária

Sobre comentários em blogs

Na New Yorker, Maria Konnikova recorre a pesquisas científicas para entender o complexo e imprevisível comportamento das pessoas em espaços abertos a comentários na Internet. É um área cheia de resultados controversos. Bônus: Sakamoto propõe uma pesquisa com seus leitores para tentar desvendar o que se passa pela cabeça da galera que comenta no seu blog. Dada a natureza dele, que defende pontos de vista bastante humanistas em casos onde a selvageria e a Lei de Talião parecem tomar conta da opinião pública, vai ser interessante acompanhar.

New Yorker: A psicologia dos comentários online

Sobre Kindle

Nadiajda Ferreira, a nova repórter do Gizmodo, dá 15 dicas para usar melhor o Kindle. Algumas manjadas, mas várias muito boas e que passam batidas por muitos donos do e-reader da Amazon. Bônus: saiu um texto meu la´semana passada, sobre como é usar o Kindle básico com a Amazon nacional.

Gizmodo Brasil: 15 truques para você usar (de verdade) seu Kindle

Sobre baterias de notebooks com Windows

Jeff Atwood tenta entender por que notebooks e tablets com Windows têm autonomia tão baixa. O último MacBook Air chega a 12 horas fácil com os novos chips Haswell, da Intel; o Surface Pro 2, por sua vez, se gaba de alcançar 6,6 horas. Por quê?

Coding Horror: Por que o Windows tem uma autonomia tão horrível?


Todos os artigos acima estão listados no Readlists.com, onde você pode enviá-los para o Kindle, por email, para dispositivos iOS ou baixar um ebook.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 comentários

  1. Uma dica sobre o assunto dos comentários de internet: o novo livro de Bernardo Carvalho (um dos melhores romancistas brasileiros da nova geração), REPRODUÇÃO, cujo protagonista é um “estudante de chinês”, comentarista raivoso de blogs e portais de internet.

    Fala, entre outras coisas, do comportamento automático de reproduzir conteúdo, sem reflexão a respeito da informação que está sendo consumida. Um mundo onde nada de novo é produzido, tudo é reprodução.

    Ele deu uma entrevista falando sobre o livro: http://g1.globo.com/globo-news/literatura/videos/t/todos-os-videos/v/conheca-o-novo-romance-do-escritor-bernardo-carvalho/2869032/

  2. Achei curioso a inclusão do Sakamoto. Há muita gente que o detesta a ponto de ficar zangado só de ler o nome. Sou indiferente, mas acho elogiosa a atitude de ver o mundo da tecnologia/geek/gadgets/etc. a partir de visões externas e não sempre no clubinho fechado dos mesmos sites.

    Tenho um Dell XPS 15 cuja duração estimada é de 7 horas e acho bastante respeitável dado o tamanho da criança. Ele é da mesma época em que os Macbooks tiveram a redução massa de 10horas para 7~8horas. A mim, o hardware também desempenha um papel tão importante quanto o sistema (hurr durr) e a exceção de iPhones, quem fabrica baterias para a Apple está mandando muito bem.

  3. Este artigo sobre como o Google controla o Android é MUITO interessante. Já havia lido outro, também do Ars Technica, sobre o Google Play Services (outra estratégia do Google de controle do Android, que inclusive é também é citado neste).

    Acho a estratégia do Google extremamente engenhosa e não vejo mal nisto sob a ótima de negócios. Se as outras empresas querem criar um fork do Android, tudo bem, elas podem, o sistema é de código aberto. Mas elas que desenvolvam suas soluções para o sistema. Acho justo.

    1. É uma discussão válida. Que Android é aberto? Porque o que todo mundo conhece é o que vem com o Google Play Services, apps e APIS do Google. Esse outro, a cada dia que passa, fica mais distante desse ideal, fica “menos Android”.

  4. Espera… estou quase no finalzinho.
    Ok, leituras feitas.

    Uma curiosidade.
    No seu blog pessoal não havia espaço para comentários, assim como também não havia no excelente OENE. Mas neste há. Naquele, alguma tática de pulverização de conteúdo como o R7 (segundo a própria Rosana)? Ou fazia o Jaiminho, evitando a fadiga mesmo?

    Uma sugestão.
    Futuramente rola algum post sobre produtividade em leituras? Tipo… dica para se abastecer de conteúdo bacana, mas sem passar metade do dia filtrando ou marcando como lido, coisas que sugam toda nossa energia. Assino algumas dezenas de newsletter e algumas centenas de RSS’s via Feedly. Abandonei o Twitter, Facebook e Gmail por não poder “marcar como lido”, mas mesmo assim ainda tenho um Pocket lotado de coisas.

    1. Não sou contra comentários, só acho que há casos e casos. No meu blog pessoal não vejo motivo para ter; geralmente não escrevo lá para gerar discussão, para pedir opinião ou debater, é apenas para extravasar. Aqui, não: a participação dos leitores pode contribuir para os posts, ou para ajudá-los a entender algum ponto que tenha ficado eventualmente mais obscuro. Esse artigo da New Yorker linkado nas leituras dessa semana dá bem essa dimensão de cada situação deveria ser analisada.

      Sua sugestão de post é boa, valeu!

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário