Leituras da semana #1


19/10/13 às 9h17

Smartphone, tablet e ereader: todos prontos para a leitura.
Foto: Rodrigo Ghedin.

Na seção Leituras da semana, a ideia é trazer até cinco posts de outros sites publicados no decorrer da semana que merecem ser lidos. São artigos primariamente sobre tecnologia, mas que, seguindo a linha editorial do Manual, podem também flertar com comunicação, psicologia e outras áreas desde que tenham uma abordagem relacionada a gadgets ou bits.

Na sequência, você tem os links e breves descrições de cada artigo. No final do post há um link para o Readlists.com. Por lá é possível baixar um ebook contendo os artigos listados na íntegra ou exportá-lo para seu Kindle, outro ereader ou tablet e ler na piscina, no sofá, onde quiser durante o fim de semana. Espero que gostem.

Sobre o mundo moderno

Franzen é um escritor norte-americano talentosíssimo e, pelos seus ensaios e entrevistas, desiludido com a tecnologia de consumo. Neste aqui, ele faz um ataque feroz ao Twitter, à Apple e às empresas que exploram essa fome por tecnologia e a nossa incrível capacidade de se alienar a partir delas, usando como parâmetro ensaios do austríaco Karl Kraus, “O Grande Odiador”.

The Guardian: Jonathan Franzen: o que há de errado com o mundo moderno

Sobre a Xiaomi

Bom perfil da Xiaomi, fabricante chinesa de smartphones que fisgou Hugo Barra, executivo do alto escalão do Google, mês passado e que pelo tanto de smartphone (com boas configurações a um custo menor) que vende na pátria mãe, já é avaliada em US$ 10 bilhões. Uma das missões de Barra lá é expandir a empresa para fora da China. Em sua primeira declaração pública como funcionário de lá, ele mostrou-se bastante impressionado com o ritmo das operações.

Time: Xiaomi: China’s Threat to Apple and Samsung

Sobre fotos de crianças na Internet

O título é autoexplicativo, a questão que levanta, bem mais complexa. Por mais seguro que seja a distribuição de fotos e fatos de crianças que sequer sabem falar na rede, ainda assim pode haver impactos negativos no futuro para essa geração que está nascendo. O legado que fica, as buscas no Google que retornam resultados antigos, podem se tornar fontes de ansiedade, insegurança e bullying no futuro.

Gizmodo: Por que eu apaguei fotos e vídeos dos meus filhos da internet

Sobre Windows e Mac

Por pouco (R$ 800, mais precisamente) eu poderia ter escrito este texto ano passado :-) Acabei optando por um Ultrabook e permaneci no universo Windows. O Paulo, que está sempre comentando notícias de tecnologia no nosso podcast, fez a transição e conta, neste artigo, quais as dificuldades, surpresas e alegrias que vem tendo com o OS X depois de dez anos a bordo do Windows.

Tecnoblog: Troquei meu Windows por um Mac


Todos os artigos acima estão listados no Readlists.com, onde você pode enviá-los para o Kindle, por email, para dispositivos iOS ou baixar um ebook.

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 comentários

  1. Concordo, o volume é bem maior mesmo. O que percebo – e só achismo, porque não tenho dados nem nada – é que a escrita mais elaborada sobre tecnologia e implicações no exterior (ou Estados Unidos?) não se restringe apenas à veículos especializados. Os grandes jornais e os independentes ou alternativos também contribuem bastante.

    E acabei de assinar a newsletter, valeu!

  2. Assino sua newsletter e a do OEne/Burgos (aliás, aceito indicações que outras que sigam esse modelo) e gosto muito das recomendações de leitura. No meu Feedly, o The Verge entrou exclusivamente pelo “Best Writting of the Week”.

    E achei interessante você conseguir indicar na mesma medida leituras internacionais e nacionais. Seria interessante tentar manter esse ritmo.

    E o texto do Higa deixou com vontade de ter um Air, mas como estudante de ArquiteturaUrbanismo no Brasil, Mac pode ir na contra mão do mercado.

    1. Alguém comentou, faz alguns meses, que a newsletter tinha muito conteúdo internacional e pouca coisa local. Aquilo teve um peso, e além disso passei a ficar mais ligado em questões locais. É difícil comparar a produção em português com a em inglês, a segunda tem um volume muito maior e, nessa, acaba gerando mais coisas que valem ser lidas. Ainda assim, concordo contigo que a newsletter de ontem teve um bom equilíbrio.

      Ah, e pega essa recomendação aqui: NextDraft. É diária, e bem boa.