Anúncio Black Friday na Insider: descontos exclusivos na máscara antiviral

[Review] L80 ou L90, qual dos dois intermediários da LG é o melhor?

Em maio a LG lançou no Brasil, de uma tacada só, nove smartphones por preços que iam de R$ 350 a R$ 950. A linha L, que abrange os modelos de entrada e intermediários, nunca foi tão populosa quanto nesta terceira geração e, com tantos membros, era inevitável que alguns se sobrepusessem em características e preços. O caso da dupla L80 e L90 talvez seja o que mais se destaque.

Coloquei os dois lado a lado para determinar qual é a melhor escolha. O L80 saiu aqui com preço sugerido de R$ 950, e o L90, por R$ 900. Hoje, três meses depois do lançamento, dependendo da loja e da promoção os preços variam, girando a casa dos R$ 650~800, mas o L80 continua custando mais ainda que por uma margem quase irrelevante. O preço tem um peso importante nos segmentos de entrada; quando ele perde peso no processo decisório e deixa às configurações essa responsabilidade, o que acontece se essas são similares? É o que você confere agora.

L80 ou L90, qual compensa mais?

Não é preciso ser um gênio da matemática para saber que 90 é maior que 80. A superioridade estampada no nome perde muito do seu efeito quando se tem ambos os smartphones, L80 e L90, nas mãos. Com muitos recursos idênticos e exclusividades equilibradas, hierarquizá-los é bem mais difícil do que apontar o número maior.

Qual tela é a melhor?

Adianto que gostei mais do L90: a tela, embora menor com 4,7 polegadas (o que nesse caso é um ponto positivo para mim), tem resolução maior (qHD, 960×540, densidade de 234 PPI), resultando em uma melhor definição. A do L80 não chega a ser ruim, mas a ideia de colocar menos pixels (WVGA, 800×480, 187 PPI) em uma superfície maior, de 5 polegadas, resultou em ícones e rótulos visivelmente borrados.

Ilustração com uma mãozinha depositando uma moeda em uma caixa com o logo do Manual do Usuário em uma das faces, segurada por dois pares de mãos. Ao redor, moedas com um cifrão no meio flutuando. Fundo alaranjado.

Apoie o Manual do Usuário.
Você ajuda a manter o projeto no ar e ainda recebe recompensas exclusivas. Saiba mais »

Talvez o consumidor médio não ligue muito para resolução e esteja interessado em tamanho físico, mas fica o alerta, já que a diferença na definição das imagens é bem nítida. A única vantagem do L80 nesse departamento está na fidelidade de cores, que é superior. A tela do L90 puxa um pouco para o amarelo e isso fica mais evidente quando os dois estão próximos.

O L90 também tem mais poder. Ele vem equipado com um Snapdragon 400, SoC com processador quad-core de 1,2 GHz e GPU Adreno 305. Já o L80 conta com um Snapdragon 200, geralmente encontrado em modelos mais baratos como o Moto E, composto por uma CPU dual-core de 1,2 GHz e Adreno 302.

Ambos contam com 8 GB de memória interna e o L90 que recebi veio com um cartão microSD de 4 GB1. Os dois também têm 1 GB de RAM cada e em tarefas comuns e uso leve, como acessar e-mail, redes sociais, navegação e até um ou outro joguinho (testei o Smash Hit), é difícil encontrar diferenças que valham citar. Parece que os desenvolvedores ainda não exploram muito o potencial do paralelismo em plataformas móveis, então quatro cabeças acabam não sendo mais rápidas do que duas já que o software não é capaz de explorá-las.

10 horas de What's Love!!!

A bateria tem a mesma capacidade nos dois aparelhos, 2460 mAh. Fiz um teste não muito científico, que consistiu em recarregar os dois smartphones completamente, definir as configurações de maneira idêntica e, em seguida, rodar um vídeo do YouTube ininterruptamente por 1h40min. Ao final dele o L90 ainda tinha 82% de carga e o L80, 79%. A tela maior cobrou seu preço, mas ele não ficou muito caro.

No que diz respeito às câmeras, mais uma vez vemos configurações bem similares: as duas alcançam a resolução máxima de 8 mega pixels. A do L90, porém, entrega fotos melhores, com maior definição e menos ruído. Como o software é virtualmente idêntico, é de se suspeitar que tais vantagens decorram do SoC mais avançado.

Veja duas fotos comparativas (ambas com crop de 100%):

Mais definição com o L90.
Foto ao ar livre, com Sol. Mesmo em condições favoráveis a superioridade do L90 se sobressai.
Câmera do L90 se sai melhor com menos luz.
Foto noturna com iluminação artificial. A definição no L80 é menor e ele gera mais ruído.

Veja mais fotos nas galerias do L80 e L90 no perfil do Flickr.

Diferenças dignas de nota também são sentidas na gravação de vídeos. O L90 grava em alta definição (720p), mas o L80 não chega a tanto, limitando-se a fazer vídeos em 640×480. A câmera frontal do L90 também é melhor, em qualidade geral e também na resolução — 1,3 mega pixel contra 0,3.

O L90 ainda traz alguns mimos extras, como porta de infravermelho (e o competente app Quick Remote), NFC e aquele truque legal de manter a tela ligada caso o usuário esteja olhando para ela — estranho o L80 não ter o mesmo, já que ele traz câmera frontal.

O grande trunfo do L80 é ter um módulo de TV digital. E o melhor (ou pior): com antena embutida, tipo de rádio, que você puxa e estica. Dá uma cara de xing ling terrível ao aparelho, mas pelo menos está embutida e dispensa ter que carregar um acessório, como fones de ouvido ou uma antena pequena, para ter acesso à TV.

Antena embutida do L80.

Fisicamente, há semelhanças capazes de identificá-los como irmãos: os botões frontais táteis são iguais e estão nos mesmos lugares (e carecem de iluminação, o que torna um saco usá-los no escuro) e a textura da tampa traseira também é a mesma nos dois modelos. Até a organização dos componentes atrás das tampas, como os slots sobrepostos dos dois SIM cards (padrão Mini), slot para microSD e posições da câmera, flash de LED e bateria. O L90 tem duas vantagens ergonômicas: os botões físicos laterais, mais confortáveis que os excessivamente afundados do L80, e a largura, que permite o uso com uma mão só — o L80 é bem largo, talvez pela proporção 5:3 da sua tela.

O Android, versão 4.4.2, é virtualmente idêntico nos dois modelos, se diferenciando apenas nos pontos onde o hardware exige — o L90 não tem o app de TV digital e o L80 fica sem o Quick Remote, por exemplo. A camada exclusiva da LG que recai sobre o sistema é aquela antiga, pré-G3, e mantém todos os problemas de usabilidade e mau gosto já citados exaustivamente em outros reviews de aparelhos da marca.

Por que o L80 é mais caro que o L90?

L80 e L90, vistos de costas.

É difícil entender. O L80 tem menos recursos, componentes piores (SoC, câmera e tela) e é mais desengonçado. Seus trunfos são TV e tela grandona, uma fórmula que faz sucesso no Brasil. É de se supor que a demanda tenha algum peso na precificação dos aparelhos — em todas as lojas consultadas o L80 está mais caro, apenas em uma ele aparece custando o mesmo que o L90.

Isso é bom para quem não liga muito para TV e prefere qualidade de tela em vez de tamanho, já que o L90, superior, sai mais em conta. E pelo conjunto, ele faz frente a alguns smartphones intermediários bem cotados, como o queridinho Moto G e o Xperia M2, da Sony.

A menos que você seja um aficionado por novelas e/ou futebol que está sempre em trânsito, não vejo muito sentido em escolher o L80 em vez do L90. Ignore o que as etiquetas de preços sugerem e vá no modelo mais barato: o L90 é a melhor opção.

Compre o LG L80.

Compre o L80

Comprando pelos links acima o preço não muda e o Manual do Usuário ganha uma pequena comissão sobre a venda para continuar funcionando. Obrigado!

Todas as fotos por Rodrigo Ghedin, salvo quando especificado.

  1. Estou esperando resposta da assessoria para saber se alguém esqueceu isso aqui ou se faz parte do pacote oficial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 comentários

  1. Tenho um celular LG 80 versão 4.4.2.

    A câmera frontal não está
    tirando boas fotos,saem foscas,sem resolução boa.A câmera traseira
    funciona normal. Já mudei tudo nas configurações ,mas não adianta. Fotos
    selfies péssimas. O que faço?

  2. Onde ativo as notificações pelos botões físicos, a chamada “iluminação frontal” de outros aparelhos da linha L? Obrigada.

    1. As diferenças mais marcantes favoráveis ao Moto G:
      * Resolução de 720×1280 (HD), contra qHD do L90;
      * Pode ser encontrado em versões com espaço interno de 16GB;
      * Sistema operacional “mais puro” e dependendo da otimização da LG, pode ser mais fluido.

      Diferenças favoráveis ao L90:
      * Infravermelho,
      * Suporte a cartão de memória
      * Câmera de 8megapixels, contra 5mp do Moto G, embora os megapixels não sejam lá fatores determinantes para a qualidade da imagem.
      * Bateria de 2540mAh (contra 2070 mAh do Moto G).

      As únicas reais vantagem do L90 para mim são a bateria e a opção de cartão de memória, o infravermelho pode ser útil, mas não é um dealbreaker, e a câmera, nem sempre 8mp são melhores que 5mp, mas ambas as câmeras não passam de razoáveis.

      Há ainda o caso do Moto G possuir Gorila Glass 3 e o L90, o Gorila Glass 2, mas isso pra mim é irrelevante e também não é uma diferença que impacta na decisão.

      Eu, particularmente, pela resolução e sistema operacional, ficaria, se tivesse que escolher, com o Moto G, apesar da bateria menor, a R$ 750,00 na versão 16GB, e na versão de 8GB a cerca de R$ 600,00.

      1. Opa, Rodrigo. Obrigado pela resposta. Existe também uma versão do “Moto G” (MG) com cartão e 4G, certo? Na teoria, com a chegada da versão 2014 do MG a versão 2013 deve baixar de preço. Fora que tudo indica que ela receberá a próxima versão “Android L”. Abraço!

        1. É verdade, esqueci-me da versão 4G do Moto G (é muito G). No site da Motorola está a R$ 799, as diferenças ao Moto G de 16GB (Colors Edition) são que ele é é single chip, 8GB de espaço interno e possibilidade de expansão com cartão de memória, por isso, acho que os preços continuarão no mesmo patamar, pois o Colors tem uma vantagem acima do 4G: dual chip.

          Se o dual chip for essencial, aí já elimina o 4G.

          [EDIT]
          Na minha opinião-pessoal-individual-minha-própria, a escolha ainda seria o Colors Edition: Dual chip e 16GB de espaço interno. Não utilizo tanto espaço assim e utilizo muitas coisas na nuvem e streaming – apesar de não utilizar dual chip (possuo um Moto X hoje), pra mim é mais negócio do que expansão na memória.

      2. Rodrigo, de fato, mais megapixels não significam necessariamente melhor qualidade das fotos, mas no caso do L90 acho que é, hein! Pelas fotos que o Ghedin postou no Flickr, dá pra ver que as fotos tem boa qualidade. Melhores do que as do Moto G, pelo menos…

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!