Para quem é o novo Kindle Voyage?


18/6/15 às 9h39

Ontem a Amazon anunciou a pré-venda de dois novos Kindle no Brasil, o Voyage, que já havia sido lançado lá fora em outubro do ano passado, e a terceira geração do Kindle Paperwhite. Salvo engano, é a primeira vez que um novo Kindle é lançado no Brasil ao mesmo tempo que nos EUA.

A grande novidade do novo Paperwhite é o aumento da resolução da tela, que passou de 212 PPI (pixels por polegada) para 300 PPI, a mesma densidade de pixels do Kindle Voyage. Essa era uma das poucas vantagens do modelo superior — e bem mais caro.

Hoje, quem opta por pagar os R$ 420 a mais no Voyage (R$ 899, contra R$ 479 do novo Paperwhite) leva como vantagens:

  • Leveza e portabilidade. O Voyage é 26 g mais leve (180 g contra 206 g do modelo Wi-Fi), menor e mais fino (7,6 mm contra 9,1 mm).
  • Ajuste de iluminação automático.
  • PagePress, os (controversos) botões de pressão nas laterais para passar páginas.

A mim, parece pouco para custar quase o dobro do novo Paperwhite, especialmente porque a característica mais importante de um e-reader, tela, é idêntica nos dois.

Talvez o Voyage seja apenas um “showcase” do que a Amazon é capaz de fazer e, ao mesmo tempo, uma prévia do que o Paperwhite trará nas próximas versões. Ou ele cumpre tabela para criar um efeito de ancoragem1 na linha de Kindle, ou seja, sua razão de existir é para fazer o Paperwhite parecer mais barato. Ou estou viajando e… bem, ignore este parágrafo.

A versão antiga do Kindle Paperwhite, aliás, continua à venda, por R$ 429.

A Amazon mandou um Kindle Voyage para eu testar. Impressões e o review completo em breve, aqui no Manual do Usuário.

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

28 comentários

  1. Se não fosse tão caro, ficaria bem tentada a pegar o voyager. meu kindle paperwhite é da primeira geração e faz falta ter botões laterais às vezes, perdi a conta de vezes que clicava num link ou passava de página sem querer… >_>

  2. Eu não troco meu Kindle 4 com os botões laterais por nada. Ebook Reader com tela touch pra mim só atrapalha.

  3. Minha mulher tem um Paperwhite e gosta muito dele. Eu já prefiro ler no meu tablet de 10″, acho mais confortável. Andei até pensando naquele Kindle de 10″ (ainda existe?) há alguns anos, mas prefiro um tablet, que não faz uma coisa só.
    Sei que muitos discordam, que acham que o tablet gasa muita bateria, tem outras distrações e tal, mas para mim funciona.

  4. Nesse tipo de tela a resolução faz diferença pra leitura? Eu tenho um kindle normal (7a geração) e fico pensando nisso ao ver as especificações desses modelos novos.

      1. Então acho que a resposta para a pergunta do título é: pra quem está com dinheiro sobrando e com vontade de gastar. :P

    1. Até faz uma diferença diferença quando a tela é de baixa resolução, onde causa um maior cansaço da vista após longos períodos de leitura, mas de 215 para 300 não vale a troca.

    2. Não é como se o Kindle normal fosse impossível de ler, mas a densidade maior do novo Paperwhite e do Voyage deve deixar a leitura mais agradável. Resolução maior = mais próximo da legibilidade de um impresso de qualidade. Eu acho isso importante.

  5. –OFF—
    Àqueles que tenham o Chromecast, notaram que o Youtube começou a passar as famigeradas propagandas antes dos vídeos?
    E numa frequência até maior do que no website (pela minha experiência).

  6. –OFF—
    Àqueles que tenham o Chromecast, notaram que o Youtube começou a passar as famigeradas propagandas antes dos vídeos?
    E numa frequência até maior do que no website (pela minha experiência).