Amazon lança novo Kindle Voyage e atualiza modelo básico

Os novos Kindle.
Foto: Amazon.

Tem um novo Kindle nas lojas — não na brasileira, por enquanto. O Kindle Voyage é uma evolução do Paperwhite grande o suficiente para que a Amazon a tenha lançada com novo nome e em uma faixa de preço superior.

As diferenças do novo modelo são:

  • Tela com definição maior — 300 pontos por polegada contra 211 PPI do Paperwhite.
  • Brilho automático.
  • Botões sensíveis a pressão nas laterais.
  • Novo design mais fino — apenas 7,6 mm, o Kindle mais fino já fabricado.

São novidades legais e todas úteis. Quando testei o Kindle Paperwhite, escrevi:

Como outros já notaram, os botões físicos para avançar e retroceder páginas têm uma função importante em usabilidade: com eles ali a leitura transcorre de maneira mais natural. A sensibilidade da tela é surpreendentemente boa, mas obriga o usuário a (literalmente) movimentar um dedo, ao passo que com botões físicos bastava descansar o polegar sobre um deles e aumentar a pressão na hora de passar para a próxima página.

É um detalhe, mas em um equipamento tão refinado como o Kindle Paperwhite, os detalhes, para o bem ou para o mal, se notam mais facilmente.

Problema resolvido.

Nos EUA, o Kindle Voyage custa US$ 199 na versão Wi-Fi com anúncios. Fazendo a conversão para cá, quer dizer que ele sairá bem caro. Para colocar o valor em perspectiva, o Kindle Paperwhite, que continua à venda, começa em US$ 119 lá e é vendido aqui a partir de R$ 479. Se a mesma diferença valer para o novo modelo, uma regra de três nos leva ao valor de R$ 801. Ouch.

O Kindle básico também mudou: ficou 20% mais rápido, tem o dobro de espaço interno e perdeu todos os botões em prol de uma tela sensível a toques. Só ficou um pouco mais caro, US$ 10 para ser mais preciso. Agora custa US$ 79.

O site brasileiro não apresenta nem o Kindle Voyage, nem o novo modelo básico. Entrei em contato com a assessoria da Amazon para saber se e quando eles chegarão aqui e recebi aquela resposta padrão: “A Amazon não comenta planos futuros”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 comentários

  1. Sou geek assumido e acho que cada gadget tem seu momento: fora de casa o smartphone, em casa o tablet e na hora da leitura antes de dormir o Kindle, sem retroiluminação para não cansar (ainda mais) os olhos. Hoje não vivo sem.

  2. Fiquei chateado com a remoção de botão para trocar a página do modelo mais barato. Para mim, fica perfeito para usar em pé no transporte público, agora só o modelo mais caro em botões. Se sair no Brasil, deve ser uma facada só esse novo modelo.

    1. Este é um dos principais motivos pelo qual nunca me interessei em comprar nenhum Kindle Touch; a experiência de tocar na tela não é boa; fico mais confortável com o meu Kindle “botãozinho” não precisando tocar na tela! Ponto pra Amazon que se tocou! Uniu a praticidade do botão com conforto de se tocar na tela para fazer as outras operações: sublinhar, marcar e destacar!

  3. Tomara que o modelo de entrada diminua de preço por aqui. Ficou muito interessante. Apesar de já ter um tablet, esse mais barato seria uma ótima opção por aqui se custasse uns 200 reais

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário