Detalhe da câmera do iPhone 7 Plus.

Pela primeira vez na história, um iPhone brasileiro é mais barato que seu antecessor


4/11/16 às 8h06

Já é uma tradição aqui no Manual do Usuário: todo ano, conferimos o preço do novo iPhone comparando com indicadores econômicos, dólar e quanto custavam seus antecessores. Foi assim com os iPhone 5s, iPhone 6 e iPhone 6s. Em 2016, o tom é outro: o iPhone 7 está relativamente mais barato.

O iPhone 7 será lançado no dia 11 de novembro por preços a partir de R$ 3.499 — e esse modelo, de entrada, agora vem com o dobro de memória, 32 GB. O valor é 12,5% menor que o cobrado pelo iPhone 6s (de 16 GB!) na época do seu lançamento, R$ 3.999. É a primeira vez que o valor absoluto, em real, cai, e o que é mais surpreendente é que houve inflação no período (8,47% pelo IPCA).

Variação de preço do iPhone brasileiro.

No período entre os lançamentos do iPhone 6s e 7 no Brasil, o dólar deu uma bela baixada, indo de R$ 3,81 em 13 de novembro passado para 3,20 na cotação de ontem (3 de novembro). Pegando carona na planilha que o leitor c_mcardoso fez ano passado, constata-se que, relativamente ao dólar, o iPhone 7 encareceu — mas ainda não é o mais caro, posto esse ocupado pelo iPhone 6, de 2014.

Tabela da variação de preço frente ao dólar do iPhone brasileiro.

Tivessem mantido o mesmo valor-base em dólar, ou seja, US$ 1.050, na cotação de hoje o iPhone 7 custaria R$ 3.360.

Nos Estados Unidos, somando o imposto norte-americano (7,5% em média) e o IOF brasileiro (6,38%), o modelo de entrada, de US$ 650, sai por R$ 2.378. A economia de alguém que prefira ir até lá comprar o seu em vez de fazê-lo aqui diminuiu — R$ 1.121 agora contra R$ 1.175 do iPhone 6s. E isso desconsiderando o desconto de 10% para pagamentos à vista, praxe no varejo nacional, que leva o iPhone 7 a R$ 3.149.

Apesar dos pesares (e há muitos, perigosos e tristes “pesares” aí), a economia brasileira está num período mais ameno que há um ano e isso se refletiu no preço do iPhone. Não significa que está barato, até porque “iPhone” e “barato” são termos mutuamente excludentes, mas sim que o preço do iPhone 7 está menos absurdo. Como resultado, temos algo até então inédito: um novo iPhone que chega ao Brasil custando menos que seu antecessor.

Para colocar em perspectiva, o iPhone 7 custa menos que concorrentes diretos de outras marcas lançados em 2016: Xperia XZ (R$ 3.999), Galaxy S7 (R$ 3.799) e Galaxy S7 edge (R$ 4.299). É o mesmo preço que a LG pedia pelo decepcionante G5 SE. Entre os topos de linha, o único mais em conta é o Moto Z, da Lenovo, que começa em R$ 3.199. Todos esses, preços sugeridos pelas fabricantes nas datas de lançamento.

O iPhone 7 e o iPhone 7 Plus em todas as suas variantes, incluindo a nova cor “preto brilhante”, estão em pré-venda nas seguintes lojas: Americanas, Fast ShopFnacPonto Frio e Submarino. As operadoras não terão pré-venda e, pelo menos até o momento da publicação deste post, a Apple Store também não tinha os produtos à venda.

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês