Pela primeira vez na história, um iPhone brasileiro é mais barato que seu antecessor

Detalhe da câmera do iPhone 7 Plus.

Já é uma tradição aqui no Manual do Usuário: todo ano, conferimos o preço do novo iPhone comparando com indicadores econômicos, dólar e quanto custavam seus antecessores. Foi assim com os iPhone 5s, iPhone 6 e iPhone 6s. Em 2016, o tom é outro: o iPhone 7 está relativamente mais barato.

O iPhone 7 será lançado no dia 11 de novembro por preços a partir de R$ 3.499 — e esse modelo, de entrada, agora vem com o dobro de memória, 32 GB. O valor é 12,5% menor que o cobrado pelo iPhone 6s (de 16 GB!) na época do seu lançamento, R$ 3.999. É a primeira vez que o valor absoluto, em real, cai, e o que é mais surpreendente é que houve inflação no período (8,47% pelo IPCA).

Variação de preço do iPhone brasileiro.

No período entre os lançamentos do iPhone 6s e 7 no Brasil, o dólar deu uma bela baixada, indo de R$ 3,81 em 13 de novembro passado para 3,20 na cotação de ontem (3 de novembro). Pegando carona na planilha que o leitor c_mcardoso fez ano passado, constata-se que, relativamente ao dólar, o iPhone 7 encareceu — mas ainda não é o mais caro, posto esse ocupado pelo iPhone 6, de 2014.

Tabela da variação de preço frente ao dólar do iPhone brasileiro.

Tivessem mantido o mesmo valor-base em dólar, ou seja, US$ 1.050, na cotação de hoje o iPhone 7 custaria R$ 3.360.

Nos Estados Unidos, somando o imposto norte-americano (7,5% em média) e o IOF brasileiro (6,38%), o modelo de entrada, de US$ 650, sai por R$ 2.378. A economia de alguém que prefira ir até lá comprar o seu em vez de fazê-lo aqui diminuiu — R$ 1.121 agora contra R$ 1.175 do iPhone 6s. E isso desconsiderando o desconto de 10% para pagamentos à vista, praxe no varejo nacional, que leva o iPhone 7 a R$ 3.149.

Apesar dos pesares (e há muitos, perigosos e tristes “pesares” aí), a economia brasileira está num período mais ameno que há um ano e isso se refletiu no preço do iPhone. Não significa que está barato, até porque “iPhone” e “barato” são termos mutuamente excludentes, mas sim que o preço do iPhone 7 está menos absurdo. Como resultado, temos algo até então inédito: um novo iPhone que chega ao Brasil custando menos que seu antecessor.

Para colocar em perspectiva, o iPhone 7 custa menos que concorrentes diretos de outras marcas lançados em 2016: Xperia XZ (R$ 3.999), Galaxy S7 (R$ 3.799) e Galaxy S7 edge (R$ 4.299). É o mesmo preço que a LG pedia pelo decepcionante G5 SE. Entre os topos de linha, o único mais em conta é o Moto Z, da Lenovo, que começa em R$ 3.199. Todos esses, preços sugeridos pelas fabricantes nas datas de lançamento.

O iPhone 7 e o iPhone 7 Plus em todas as suas variantes, incluindo a nova cor “preto brilhante”, estão em pré-venda nas seguintes lojas: Americanas, Fast ShopFnacPonto Frio e Submarino. As operadoras não terão pré-venda e, pelo menos até o momento da publicação deste post, a Apple Store também não tinha os produtos à venda.

O Manual do Usuário é um blog independente que confia na generosidade dos leitores que podem colaborar para manter-se no ar. Saiba mais →

Acompanhe

  • Telegram
  • Twitter
  • Newsletter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

41 comentários

  1. Uma coisa que eu não entendo porque se usa, é o valor dele dividido. “Sem Juros” anunciado.

    Todo mundo, sabe que tem um jurosinho e que esse “não juros” existe apenas no pagamento à vista.

  2. Ano passado a apple tacou o fod@#$ para o BR.
    Acho qeu eles contaram que o dólar iria para R$6,00. Algumas semanas após o lançamento a cotação estabilizou e depois começou a cair, menos o preço do aparelho que ficou estável.

  3. Legal seria ver a Apple lançando o iPhone 7 por R$ 2999,90 só para moer a concorrência.
    Aí sim que surgiriam diversas manchetes do tipo “apple precisa de dinheiro e por isso está vendendo celulares baratos”.

      1. Sim, mas se parar para pensar….
        Ganha menos R$ na unidade, mas vende muito mais iPhone.
        Mais gente com iPhone = mais gente gastando dinheiro nos aplicativos ou nos acessórios ou nos serviços apple.

        1. Isso é um pensamento que os executivos da Apple não terão nem aqui no Brasil e nem em qualquer lugar do mundo. Sem contar que são poucos os brasileiros que realmente pagam por apps.

  4. Gostaria de saber qual a porcentagem de americanos que realmente pagam o valor cheio por um Iphone?
    Só uma olhada rápida no site da Sprint, em um contrato de 2 anos o Iphone de entrada sai por 199,99. O Iphone 7 Plus por 319,99.

  5. Gostaria de saber qual a porcentagem de americanos que realmente pagam o valor cheio por um Iphone?
    Só uma olhada rápida no site da Sprint, em um contrato de 2 anos o Iphone de entrada sai por 199,99. O Iphone 7 Plus por 319,99.

  6. Tirando 2012/2013/2014 onde o preço subiu em dólar, o preço de hoje é o esperado até.
    Ainda é absurdo, mas, menos absurdo do que seria se mantivessem uma curva crescente de preços – sei lá, 1300USD – que parecia ser o padrão até o iPhone 6.

    Faz bastante sentido, do ponto de vista da empresa, essa conta da Apple pra baixar o preço – a inflação tem impacto pequeno, porque ela já impacta no dólar diretamente, então, ter ou não inflação no período ACHO que é meio irrelevante pra precificação em si.

    Para saber se caiu mesmo, seria interessante que alguém fizesse a tabela com o preço (em BRL) corrigido desde o 4, aí a gente poderia saber se ficou mais caro ou não ter um iPhone no lançamento.

  7. Na verdade, eu acho que o mercado brasileiro perdeu a mão, em preços de Gadgets no geral.

    Um país com salário minimo de 271 dólares, não pode ter smartphone custando 1078 dólares topo de linha (mesmo sendo iphone), ou de porte médio 427,52 Dólares.

    Por isso não troco meu moto X segunda geração, desde que ele saiu.
    Cada vez, esta mais caro e mais descartável, não da pra acompanhar.

    Mas, sei lá, meu pensamento.

    1. E que telefone é o X2. Arrebentei a tela e mandei trocar pra não ter que mudar de telefone.
      É um telefone tão “redondo” na usabilidade que não tem comparação com outros.

      1. concordo com o Paulo, estou com o meu iPhone 5 q comprei em 2013 nos USA e estou fazendo de tudo para não mudar, o problema é que cada atualização do iOS eleva vai ficando lento. Vou até o final com o iPhone 5 e se aparecer uma bom preço no Moto x style ou Moto Z eu micro meu eco sistema para androide.

      2. Eu só troquei o Moto X1 por causa da memória interna limita a 16gb. Porque se tem um celular que mais gostei de todos que usei, desde iPhones, Galaxys, Lumias. Foi o Moto X1.

  8. Todos são caros, mas Moto Z me chama mais atenção pelas reais inovações enquanto linha Moto, visto que iPhone só trouxe upgrades e algumas coisas já esperadas à tempos. Porém, o Moto Z daqui possui 25% menos CPU e 30% menos GPU que outros modelos com snap 820, o que me decepciona, e a diferença de 300 entre o iPhone e ele, com o iPhone tendo câmera e som melhores, sendo à prova d’água e tendo melhor processamento, prefiro o iPhone, mesmo que perdesse em tela e bateria.
    But, como não sou rico nem trouxa, prefiro um Zuk Z2 que sai por menos de 600, se for taxado sai por 800, com mais bateria que iPhone (bem mais), mais bonito que Moto Z, câmera pouca coisa inferior, som excelente, snap 820 full acompanhado de 4 gb de RAM e 64 gb internos com expansão, USB, recarga rápida e etc. Com uma diferença de mais de 2000 para ambos (iPhone e Moto Z), o Zuk acaba sendo melhor.

    1. Pô, a qualidade de construção do iPhone é bem superior ao Moto Z… Qualidade de câmera, lentes, sensor… Se não me engano o Moto Z ainda vem sem fone na caixa (ou com um fone que não entra nele sem adaptador, não lembro). Sem falar no pós-venda da Apple que ainda é referência em qualidade.

      Por esse preço, a Lenovo, Sony, LG e outros vão ter que rebolar pra derrubar seus preços recomendados.

      1. Em momento algum falei que o iPhone é inferior ao Moto Z em construção, mas sinceramente, o aparelho da Lenovo é mais resistente, é mais fino porém é mais difícil de entortar o mesmo. O Moto Z vem com adaptador e fone com entrada P2, o que é melhor que o fone Lightning que só funciona com iPhone, nem com ipod funciona. Lembrando que S7 e Edge estão mais baratos que o iPhone, o S7 tá abaixo de 3k se saindo melhor que o iPhone. Todos os tops vão ter preço menor com o tempo, só o iPhone que não.

      2. Moto z estava por 1500.
        Pelo preço do iPhone 7 dá pra comprar 2 moto z e ainda sobra troco.

      3. Moto z estava por 1500.
        Pelo preço do iPhone 7 dá pra comprar 2 moto z e ainda sobra troco.

          1. Lembrando que o S7 está sendo visto à 2600, sendo a melhor opção no momento por oferecer o conjunto mais equilibrado.
            Ainda sim, por 1600 compro um Mi5s Plus de 6 gb de RAM, por 2500 sai o futurístico Mi Mix. Não compro mais nada no Brasil senão algo que realmente valha a pena, o que é raro.

    2. Não se esqueça em.baixar a ROM indiana nele assim que vc recebe-lo , a chinesa é um lixo ,tem vários tutoriais no YT ensinando como fazer.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!