Os novos iPhones.

Conheça os novos iPhone 6, iPhone 6 Plus e Apple Watch


9/9/14 às 16h33

Terminou agora pouco o evento da Apple — e, sim, todos os rumores se confirmaram. Ainda estou digerindo o que foi anunciado e, mais tarde, farei um post analítico. Por ora, um resumo cru:

iPhone 6

O novo iPhone 6.
Foto: Apple.
  • Novo design com bordas arredondadas.
  • Tela maior — 4,7 polegadas e resolução “Retina HD” de 1334×750.
  • Modo esquisito de uma mão só: dois toques no botão Home empurram a tela para baixo.
  • Novo SoC A8 e chip auxiliar M8.
  • Câmeras bastante melhoradas. Atrás, 8 mega pixels e estabilização digital.
  • NFC para funcionar com o Apple Pay.
  • Melhorias no 4G LTE e ligações via Wi-Fi.
  • O modelo americano suporta a banda 7 (2600 Mhz), usada para o 4G no Brasil. Parece que não teremos mais um iPhone fragmentado/diferente do vendido nos EUA.
  • Nos EUA e sem contrato, começa em US$ 649 na versão de 16 GB. A de 32 GB sumiu; em seu lugar, entra a de 64 GB e, depois, de 128 GB.

iPhone 6 Plus

Tem as mesmas características do iPhone 6, exceto:

  • Tela ainda maior — 5,5 polegadas e resolução “Retina HD” de 1920×1080.
  • Bateria com maior capacidade.
  • Câmera com estabilização ótica de imagem.
  • Apps mudam de layout quando o iPhone está em modo paisagem.
  • Começa em US$ 749, sem contrato, pelo modelo de 16 GB.

Apple Watch

Apple Watch, o relógio inteligente.
Foto: Apple.

Nada de iWatch, o relógio chama Apple Watch mesmo.

  • Formato quadrado.
  • Tela de safira sensível a toques.
  • Dois tamanhos para a caixa, 38 e 42 mm (para comparação, a do Moto 360 tem 46 mm).
  • “Coroa digital”: uma roda na lateral para navegar pelo sistema.
  • Sistema exclusivo, com suporte a apps.
  • Nenhuma menção direta à autonomia da bateria. Tim Cook apenas disse que “é fácil recarregá-lo toda noite”, e isso não parece um bom sinal…
  • De acordo com David Pogue, do Yahoo Tech, o Watch resiste à chuva e a uma lavada de mãos, mas não deve ser usado no banho ou para nadar.
  • Em três versões: normal, Sport e Edition (mais cara).
  • Começa em US$ 349 e será lançado no começo de 2015, nos EUA.

Apple Pay

Sistema de pagamentos via iPhone 6, iPhone 6 Plus ou Apple Watch. Características:

  • Via NFC.
  • Autenticação via Touch ID.
  • Dados do cartão ficam no aparelho, dentro do Passbook, e são criptografados localmente.
  • Ao transacionar com a maquininha, o sistema gera um número temporário. O vendedor jamais saberá o número do cartão ou seu nome.
  • Tem um sistema estilo Buscar Meu iPhone que permite cancelar o cartão registrado no Passbook. O cartão em si, de plástico, não precisa ser cancelado.
  • Começa com 220 mil estabelecimentos habilitados nos EUA, incluindo grandes cadeias do varejo.

O site da Apple mudou e a apresentação dos novos produtos, para variar, está linda.

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 comentários

  1. Não sou usuário de iphone, mas pra mim o 5s foi o aparelho mais bonito da apple, muito mais bonito que o 6 ou o plus, são bem feios. O relógio é horrível, mas isso é pra mim, minha opinião.

  2. Nossa, que reloginho mais feio hein? E se a bateria durar apenas um dia AND não for a prova d’água, como gastar 350 obamas num troço desse? Não dá gente, sério.

    Até tava querendo ir pro next level em relação a smartwatches, mas meu Pebble dura 5 dias sem precisar de tomada e até agora tudo foi uma decepção nesse quesito. Pelo menos o Moto 360 é bonito….

    Quanto aos celulares: não vai ser agora que adiro ao iOS. Pq né, meio nada demais – e pagar, no mínimo, o dobro em um iPhone 6 do que o que eu pago num Novo Moto X não rola.

    1. Praticamente nenhum smartwatch vale a pena nessa primeira leva.
      Todos custam caros e os recursos são questionáveis. Vale o investimento? Provavalmente não…
      Quanto ao preço do Iphone em relação ao Moto X, acho que isso vale para qualquer top das outras fabricantes. Com Samsung, LG e Sony custando pra lá de 2000 reias (pouco menos que isso em promoção), qualquer um fica caro no comparativo.
      Motorola veio chutando bundas com essa política de preço. É difícil recomendar algo além do Moto X ou Nexus 5, a não que a pessoa queira muito outro aparelho.

      1. Verdade, Motorola tá bem agressiva (até que enfim, um fabricante!) mas, em relação ao Android, os preços vao caindo. O G2 já tem de 1000 e poucos reais em promoção e o G3 daqui a pouco da pra levar por 1500 – ótimo custo beneficio. Aí vem iPhone 4s, tres gerações atrás, por 1000… Não faz sentido! Realmente, só da pra recomebdar Android (a n ser que a pessoa faça MUITA questão….)

    1. Esse vídeo pulou no Twitter várias vezes.

      A Apple nem se preocupou em dar uma desculpa para o aumento de tela durante a apresentação. E… sei lá, talvez não precisasse mesmo. O mundo se rendeu a telas maiores, há um clamor claro e majoritário por elas, faz sentido resistir só por que em algum ponto do passado 3,5 ou 4 polegadas foram considerados tamanhos ideais? Bola pra frente :-)

      1. Rodrigo, a questão é a arrogância da empresa e por isso o povo pega no pé. Eles (e seus fãs) desdenharam e ridicularizaram as telas grandes (e a Samsung) durante anos e agora, tiveram de dar o braço a torcer, ou seja, cuspiram pra cima e agora o cuspe caiu na cara deles próprios. Não deram explicação porque ela simplesmente não existe. É igual político corrupto: ficam calados e se alguém perguntar, negam! Aliás, algum jornalista chega a perguntar sobre isso diretamente a eles ou fazem o estilo ‘lambe-lambe’, que só enxergam virtudes em tudo que a empresa faz e – jamais – ousariam confrontá-la? Aposto que é por aí…

    1. Por favor, me explica esse “redondo” o que é aquela faixa preta embaixo? Porque diabos ela existe? Porque não some? Porque a tela não é completamente redonda?

      Isso é um fake redondo?

        1. Não dá, simplesmente não dá para entender… 2014, tanta tecnologia, tanta coisa pequena, e ainda assim precisa desse negócio aí, deve ter alguma explicação, o porque ainda ser grande, o porque existir. Sei lá

          É muito feito. É aquele tipo de coisa que não dá para deixar de ver depois que você vê a primeira vez.

          1. Ao manter a borda fina e não deixar esse espaço para os componentes da tela, a Motorola teria que sacrificar algumas coisas no relógio, como a bateria, que inclusive não apresenta boa autonomia. As baterias dos smartwatchs – todos eles – estão longe do ideal.

      1. Depois de ver que eles consideraram a opção de bordas grossas, apoio 100% a opção pela faixa preta. Contudo, definitivamente não é recomendado para detentores de TOC e/ou purismo.

  3. Fico imaginando se esses iPhones caírem no chão de costas, a câmera é a primeira a quebrar… Mas até que ficaram bonitos. Não tanto quanto é o 5, mas bonitos.

    Achei esse Watch uma cagada. Parece o iPhone 1, de 2007. Meio gordinho, e essa rodinha duvidosa aí. E a interface ficou estranha também. Fiquei desapontado, não sou fã da Apple porém é inegável a capacidade dela de ditar tendências, embora ainda ache relógios super desnecessários, mas talvez a Apple talvez pudesse mudar isso.

    Diferente essa mudança na nomenclatura dos produtos, Apple Pay, Apple Watch, nada de “i” na frente.

  4. Olá! Quanto ao site da Apple.

    O vídeo de apresentação dos novos Iphones, é incrível!
    Como é visualmente bem feito e em termos de marketing de proporciona a vontade de comprar JÁ!

    Esse é mais um ponto onde as fabricantes concorrentes tem que aprender.

    1. Ele usa o GPS do iPhone. No geral, ele requer que o iPhone esteja por perto para funcionar.

      Bom texto Ghedin!