O grande guia de compras de smartphones

Mão segurando iPhone 6s na caixa, embalado.

O que compõe um smartphone? Tela, antenas, sensores e alto-falantes colocados num retângulo que pode ser de plástico ou alguma liga de metal. Parece simples, mas não é. Nem fabricá-lo nem comprar um. Existem dezenas, talvez centenas de smartphones diferentes à venda no Brasil, com preços que variam de R$ 250 a R$ 5 mil. Qual o melhor em cada faixa de preço? O Manual do Usuário indica.

O mercado de smartphones é muito volátil, graças à celeridade com que as fabricantes lançam novos aparelhos. Em casos extremos, como o da Samsung, chega a ser (literalmente) mais de um por semana. Mesmo as mais conservadoras, casos de Apple e Motorola, lançam no mínimo um aparelho por ano. E com a amortização dos componentes, cada vez melhores e mais duradouros, aparelhos lançados há um ano seguem interessantes e, o que é melhor, com preços convidativos, o que aumenta o leque de opções.

O guia abaixo foi criado com a Black Friday e o Natal em mente — são as melhores épocas do ano para o varejo, quando mais se vende tudo, inclusive smartphones. O objetivo maior é atualizá-lo todo semestre.

Dividi as indicações em seis faixas de preço, de até R$ 450 a mais de R$ 2.000, a fim de atender a todos os gostos e, principalmente, bolsos. O preço entre parênteses ao lado de cada smartphone mencionado/indicado é o mínimo aferido no Bondfaro nos últimos 30 dias imediatamente anteriores a hoje (9/11). Porém, ao posicionar os smartphones nas faixas de preço considerei o médio do período, e não esse mínimo. Como estava havendo muita confusão com essa parte dos preços, removi eles.

A maioria desses aparelhos eu tive a oportunidade de testar (os links dos reviews aparecem ao longo do texto, em lista); os demais, confiei em análises, feitas por sites brasileiros e de fora. A confiança nessas análises decorre de uma triangulação simples: também li o que eles publicaram sobre os smartphones que eu usei e, com isso, pude identificar os analistas com opiniões mais parecidas às minhas. São, para todos os efeitos, minhas “indicações oficiais”, o que eu falaria a amigos ou parentes que me pedissem uma opinião.

Espero que lhe seja útil.

Até R$ 450

Existem diversos smartphones muito baratos, com preços abaixo de R$ 300, nas constantes promoções do nosso varejo. Poucos, porém, são recomendáveis. Nesse nível há uma série de decisões pautadas pela contenção de gastos, o que acaba comprometendo o produto final.

Lumia 535 na mão.

O melhor nessa faixa é o Lumia 535, da Microsoft. De cara, seu maior defeito é rodar Windows Phone. Embora o sistema sempre melhore com atualizações (essas não tão regulares), ele ainda deixa a desejar, especialmente na disponibilidade e qualidade dos apps. Há um fio de esperança com o Windows 10 Mobile, mas eu não apostaria muitas fichas nisso. Apesar desse contra, o Lumia 535 é um smartphone bem construído, com tela grande e características decentes.

Quem não abre mão do Android, tem no Xperia E4, da Sony, uma boa alternativa. Ele não faz milagres e o sistema do Google mostra, na prática, que precisa mesmo de mais RAM para não ficar indisposto. A ergonomia desse modelo também não ajuda — ele tem um design esquisito e escorregadio. No conjunto da obra, porém, satisfaz e fica acima de aparelhos concorrentes, mais lentos no dia a dia.

Até R$ 700

Este é, provavelmente, o segmento mais concorrido de todos. São aparelhos mid-range, ou seja, intermediários, com configurações já decentes, embora ainda fiquem devendo em áreas específicas aos modelos topo de linha, como câmera e desempenho geral. Não me entenda mal: esses aqui não são lentos, mas são mais lentos do que aqueles que custam o dobro ou mais.

Não sei apontar um que seja muito melhor, então deixo as três indicações: Moto G de 2ª geração, a versão 3G do Quantum Go e o recém-lançado Zenfone Go, todos em versões de 16 GB.

Os melhores até R$ 700.

Quantum Go e Zenfone Go, além do nome, compartilham também a contemporaneidade — ambos foram lançados recentemente. Já o Moto G de 2ª geração tem mais de um ano no mercado, mas graças à subida assustadora de preço da nova (3ª) geração, permanece como uma opção interessante até R$ 700. Todos os três são grandes, com telas de 5 polegadas, e apresentam desempenhos similares. As câmeras não são grande coisa, mas já podem ser levadas a sério. O Zenfone perde alguns pontinhos pelo excesso de modificações que a Asus aplica ao Android, mas nada muito grave.

Uma curiosidade que emergiu dessa seleção é que, até R$ 700, 4G ainda é raro. Temos um ou outro aparelho que oferece esse padrão de conectividade, como Moto E e Redmi 2, mas que escorregam em outras áreas — em especial, desempenho e câmera. Assim, a soma “bom desempenho” e “4G” ainda fica restrita a aparelhos levemente mais caros, e que você deveria considerar também, caso seu orçamento possa ser esticado um pouquinho, mas não muito. Em especial, veja o Quantum Go 4G e algumas variantes do Moto G de 3ª geração. A exceção a essa regra é o Lumia 640, da Microsoft. Tem todos os problemas citados no Lumia 535, mas é 4G e está bem barato.

Até R$ 1.100

A barreira dos quatro dígitos assusta um pouco, mas é o tipo de gasto extra que se paga no uso. Infelizmente, a leva 2015 de smartphones tem sofrido com o dólar alto e as incertezas da política econômica do governo federal; então, lançamentos que em outros anos ficariam na categoria anterior, acabaram subindo para esta — caso, por exemplo, do já citado Moto G de 3ª geração. Esse cenário criou uma situação inusitada: compensa mais comprar um high-end do ano passado do que um mid-range atual.

Easter egg do Android 5.0 no Moto X.

Aqui, o Moto X de 2ª geração e o G3, da LG, despontam como as melhores ofertas. São smartphones incríveis, com hardware de ponta e, no caso do G3, uma tela de babar e uma câmera bem boa. Por cerca de R$ 1.000~1.100, não há nada melhor que tenha sido lançado esse ano.

Correndo por fora e visando agradar os órfãos de telas pequenas, o Xperia Z3 Compact, com tela de “apenas” 4,6 polegadas, caiu bastante recentemente. Ele tem um ótimo hardware e câmera acima da média.

Até R$ 1.500

O teto de R$ 1.500 é (ou era?) usado para a concessão de isenções fiscais a smartphones provenientes da Lei do Bem. Por isso tanta fabricante lançava produtos custando R$ 1.499. O benefício está na corda bamba, mas o valor continua sendo um bom parâmetro. Para mim, é o “sweet spot” para quem procura o melhor da telefonia móvel e não quer gastar muito.

O Moto X Play ganha fácil a indicação nessa faixa. Ele tem hardware equilibrado, uma bateria fantástica e a câmera é bem decente, algo raro de se dizer de um Motorola. Nas promoções do varejo, já ficou abaixo de R$ 1.200 na versão com 16 GB. Por um pouco a mais, esse número dobra, o que é uma boa pedida em tempos de fotos em altíssima resolução, vídeos e grupos no WhatsApp enchendo a sua galeria de memes e vídeos engraçadinhos.

Talvez o único problema do Moto X Play seja o tamanho e o peso. Ele é grande e pesado. Nada, porém, comparado ao Zenfone 2, o carro-chefe da Asus em 2015 e minha outra indicação aqui. Ele é enorme e pesa muito, mas entrega 4 GB de RAM (!) e um SoC Intel bem avançado. É um brucutu em forma de smartphone que, surpreendentemente, custa menos do que qualquer um esperaria.

Até R$ 2.000

Se alguém me oferecesse qualquer smartphone, independente de preço, hoje eu só consideraria duas opções. O mais legal? Uma delas está aqui, nessa faixa de preço, e não na dos mais caros, que vem a seguir.

Detalhe da borda inferior do Galaxy S6.

É o Galaxy S6. A Samsung reduziu seu preço logo após o lançamento, e isso, somado aos descontos do varejo, já o colocou abaixo dos R$ 1.700. Não se engane por esse valor: o Galaxy S6 é tudo o que se pode querer de um smartphone. Leve, bonito, super rápido e com a melhor câmera do mercado. Peca um pouco na bateria, mas nada muito grave. É um senhor smartphone, do tipo que rivaliza de igual com qualquer iPhone.

As concorrentes diretas da Samsung no universo Android — LG e Motorola — também têm opções nessa faixa. São o G4 e o Moto X Style, respectivamente. Talvez você prefira eles por questão de gosto mesmo, ou torça o nariz para a Samsung. Não importa. Em qualquer caso, estará bem servido.

Mas se o seu negócio é iPhone, nesse preço o que dá para levar é o iPhone 5s. É um aparelho relativamente antigo, lançado no final de 2013, mas que preserva boas características como a TouchID, uma câmera legal e, talvez, a melhor: uma tela pequena, de apenas 4 polegadas, coisa raríssima entre os topos de linha contemporâneos.

Dinheiro infinito

Pegue um iPhone.

Foto de divulgação do iPhone 6s.

Ok, ok… elaborarei melhor. O iPhone 6 e seu sucessor imediato, prestes a ser lançado no Brasil, o iPhone 6s, são equilibrados. Fazem tudo certo, sem nada fora do lugar. Eles funcionam bem, têm um acervo de apps sem igual e rodam o iOS, que (ainda) é mais redondo e bonito que o Android. O sistema parece mais orgânico, é mais fluido e deleita o usuário com suas pequenas animações e detalhes bem pensados. E o hardware… bem, dispensa comentários. É um smartphone que nunca te deixa na mão e sem pontos fracos.

Como nem todos gostam de iPhone, o universo Android oferece alternativas. A mais tentadora é o Galaxy Note 5, que é praticamente uma versão maior do Galaxy S6. A Motorola apresentou o Moto X Force com o diferencial da tela virtualmente inquebrável. E a Sony, bem… a Sony chutou o pau da barraca ao precificar o Xperia Z5 mais caro que o iPhone 6s. Pelas primeiras impressões, parece ser o melhor Xperia que os japoneses já criaram, mas é difícil justificar um preço superior ao que Apple e Samsung cobram pelos seus melhores aparelhos.

***

Tentarei atualizar este guia semestralmente. A cada seis meses o mercado muda o bastante para justificar uma revisão.

Se você discorda ou tem outras indicações, deixe um comentário.

Revisão por Guilherme Teixeira.
Foto do topo: Kārlis Dambrāns/Flickr.

O Manual do Usuário é um blog independente que confia na generosidade dos leitores que podem colaborar para manter-se no ar. Saiba mais →

Acompanhe

  • Telegram
  • Twitter
  • Newsletter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

114 comentários

  1. Nossa na faixa até 700,00 dava pra recomendar fácil os Lumias 730, 735 ou 640XL. Todos tem ótimo custo-benefício e confiabilidade maior que esses cels Android.

    OK que a oferta de apps é um ponto fraco, mas acho mais fácil vc ficar 2~3 anos com um WP funcionando bem, do que com um Android.

  2. Esse post veio em boa hora. Tenho um Moto X de primeira geração que, recentemente, após inúmeras quedas, “quebrou” o display. Vou me pautar aqui para decidir o que melhor irá me atender. Valeu ;)

  3. Esse post veio em boa hora. Tenho um Moto X de primeira geração que, recentemente, após inúmeras quedas, “quebrou” o display. Vou me pautar aqui para decidir o que melhor irá me atender. Valeu ;)

  4. Ae galera e @ghedin:disqus ! Eu tenho uma recomendação de celular de R$1100,00 que não entrou na lista. o Sony Xperia Z3 Compact. Eu paguei 2 mil há um ano, e hoje eu vejo por 1100, e acho muito barato pela qualidade do aparelho, tem espaço pra cartão de memória, tem camera 4k (otima durante o dia, media-ruim a noite), o tamanho e design são bacanas e ele foi atualizado pro Android 5.1 (certamente não vai ser atualizado pro 6). Enfim, eu recomendo, acho melhor e mais bonito que o Moto G 3a geração por ex., pra quem gosta de celulares pequenos!

    1. É outro que vi agora que está na faixa de preço que estou disposto a pagar. A duração da bateria é boa? O armazenamento interno é pouco ou dá para levar? A Sony fez algo que permite mover apps para o Micro SD ou não deixa? (Estou usando Windows Phone por 3 anos e estou bem por fora do que pode e o que não pode fazer no Android atualmente).

  5. Ghedin, fui ler esse post só hoje e, clicando nos links que você deixou, percebi que os preços subiram, e muito, em relação ao que você tinha anotado, hehe. Será que já é aquele efeito Black Fraude? Tipo, vão começar a aumentar os preços agora pra reduzir para o que já era antes no dia D?

    1. Não é efeito da Black Friday, é que cada preço colocado no post é o mais barato aferido nos últimos 30 dias. Como explico no começo:

      “O preço entre parênteses ao lado de cada smartphone mencionado/indicado é o mínimo aferido no Bondfaro nos últimos 30 dias imediatamente anteriores a hoje (9/11). Porém, ao posicionar os smartphones nas faixas de preço considerei o médio do período, e não esse mínimo.”

      Você não foi o primeiro a fazer confusão (o que indica um erro meu), então editei o post e removi os preços. Melhor assim :)

  6. Só faltou explicar melhor o motivo pelo qual o iPhone é a opção principal pra quem não tem medo de gastar dinheiro. “Redondo” é um pouco vago e beleza é questão de gosto, também, a fluidez deliciosa do iPhone talvez são seja tão necessário pra alguns que prefiram algo mais direto. Dependendo do tipo de usuário, ele vai pagar muito mais pra levar menos, o mesmo ou só um pouco mais. Acho que essa categoria deveria estar em aberto pra que o comprador não pense que vai ficar plenamente satisfeito apenas por levar um produto absurdamente caro – incluindo o xperia z5, que está querendo pegar carona nessa onda de preços absurdos.

    Se apenas o Nexus 6p estivesse disponível aqui, a única coisa que precisaríamos pensar seria no tamanho gigantesco dele :(

    1. Deixar a última categoria vaga acabaria com o propósito do guia — para que um guia que não guia ninguém a lugar nenhum?

      Quanto aos motivos para indicar o iPhone, é bem simples, na verdade: porque acho o melhor smartphone à venda hoje.

      1. Eu concordo. A experiência que tive com o iPhone não encontrei paralelo no Android. A discussão se o que ele oferece a mais compensa o gasto é pertinente para mim, por isso mudei para Android. Já a discussão se é ou não o melhor não faz sentido: Se eu tivesse “a grana”, não hesitaria em comprar outro.

      2. Deixar a última categoria em aberto no sentido de não afirmar que x é melhor do que y, afinal é um mercado bem diferente dos low e mid-end. Hoje em dia é complicado dizer que um top de linha é melhor do que o outro pois enquanto um tem a melhor câmera, o outro tem uma melhor tela, e quem compra esse tipo de aparelho tá bastante interessado em ter o melhor de todos os mundos, o que o iphone não oferece. Talvez seja mais fácil simplesmente recomenda-lo por ser o mais conciso de todos no brasil, mas o usuário pode acabar pagando caro por essa escolha que foi dada como certa.

        1. Indicá-lo como mais conciso é a manifestação de uma preferência, só que usando um critério pretensamente objetivo, ou menos imparcial. O que não é o que eu quis fazer aqui.

          A premissa deste guia é simples: quais smartphones eu/o Manual do Usuário indica. E, para mim, o iPhone é o melhor smartphone.

          1. Vc tem razão Ghedin. Mas infelizmente, preços impraticáveis os da Apple! Um iPhone 5C de 8GB (8 GB! Não dá pra quase nada) custa R$ 1.400,00, o mesmo preço de um Moto X Play, bem mais atual, com o dobro de memória, duas sim, slot pra cartão micro sd…..!!

          2. Vc tem razão Ghedin. Mas infelizmente, preços impraticáveis os da Apple! Um iPhone 5C de 8GB (8 GB! Não dá pra quase nada) custa R$ 1.400,00, o mesmo preço de um Moto X Play, bem mais atual, com o dobro de memória, duas sim, slot pra cartão micro sd…..!!

  7. Ainda vale a pena comprar um galaxy s4 ? Ou os intermediários já são mais poderoso que ele ? Faz algum sentido comprar smartphones que foram top ou melhor partir direto pros intermediários?

    PS: to procurando um substituto pro meu gran prime,é um dos piores smartphones que eu já tive

    1. Hmmm é uma dúvida difícil. Pelo preço talvez não (está entre R$ 1k e R$ 1,4k, pelo que vi aqui), já que dá para pegar topo de linha do ano passado com esse valor. Outro problema é o Android, que provavelmente já não é mais atualizado ou, se sim, em breve deixará de sê-lo.

  8. pro meu orçamento limitado, um moto X de 2ª geração seria o ideal, mas vale pagar um pouco mais por um moto X play?

    1. Vale sim. Câmera e bateria são bem melhores. Você perderá em design (o Moto X antigo é mais bonito) e um pouco no desempenho, mas nada grave se você não vê seu smartphone como uma sucursal de Xbox.

      1. não vejo… aliás, não tenho o hábito de jogar no celular.
        ótimo! vou começar a juntar uns caraminguás. valeu!

  9. pro meu orçamento limitado, um moto X de 2ª geração seria o ideal, mas vale pagar um pouco mais por um moto X play?

  10. Parabéns pelo seu aniversário Ghedin! Muitos anos de vida com saúde, dinheiro e sem assaltos.

    ps: Ótima matéria e acrescentaria que na faixa de entrada o Lumia 532, que apareceu várias vezes nas últimas semanas por volta de R$ 200.

  11. Eu a exemplo de muitos aqui, Ghedin, não pretendo me desfazer do meu Moto X 2014 enquanto ele não me dispensar… Acho que tem o tamanho ideal, nunca travou, é fluido, câmera é razoável e a bateria dura um dia inteiro e caso não durasse eu tenho um Mi Power Bank que nunca deixo fora da mochila

  12. Ghedin o Moto já sofreu 2 reajustes esse ano, não se encaixa mais em “levemente mais caro que 700”

    1. É o preço médio levando em conta promoções e descontos do varejo, @disqus_jcZ6O0l2k5:disqus. Embora esse seja o preço de tabela, ele costuma aparecer fácil por menos de R$ 700.

  13. Concordei em muita coisa.
    Eu recomendaria moto maxx até R$1500 ele está muito a frente de qualquer concorrente nessa faixa.

        1. Beleza é um atributo bastante subjetivo, pessoal, então isso é totalmente passível de discussão :)

          Na minha opinião, o Moto Maxx é o topo de linha mais feio dos últimos anos. Formato esquisito, aquele acabamento de tecido é estranho e ainda tem botões táteis na frente, algo que era tendência em… sei lá, 2010 no universo Android.

  14. Acho que só faltou ter uma divisão entre as indicações (quando necessário): dois chips. O mercado brasileiro se importa bastante com essa característica, então creio que seria interessante ter indicação com um chip, e a com dois chips dentro de cada faixa de preço.

    1. Essa é uma tendência em baixa. O efeito clube levou um soco no estômago do WhatsApp e agora que TIM e Oi acabaram com as diferenças de preço entre ligações “internas” e para outras operadoras, a tendência é que o chip duplo caia em desuso. No mais, a maioria esmagadora dos smartphones intermediários e low-end são dual SIM mesmo…

      1. O meu maior uso para dual-chip é ter dois pacotes de dados (já que nenhuma operadora se presta a fazer pré-pago com mais de 1 GB de franquia, e eu uso 600 MB em 15 dias com relativa facilidade) mesmo.

        Isso e a cobertura de 3G/4G, nunca liguei muito para o efeito clube.

  15. Eu não vou trocar de smartphone este ano. O Moto X 2014 que eu comprei em set/2014 ainda está dando conta.
    Vou começar a me preparar pro ano que vem e estou de olho no S7. Seus rumores estão interessantes, principalmente o da adoção de um DAC de 32 bit.

  16. Ghedin sempre se superando nos excelentes textos!

    Tenho um moto x 2014, comprado em dezembro por 999 (promoção do submarino). Acho ele muito bom! Tive antes um Xperia Arc S (do qual tenho traumas por ser muito lento e nunca ter recebido uma atualização) e um Lumia 925 (excelente câmera e um windows phone terrível, mas não sobreviveu a uma queda no chão que danificou seriamente a tela).
    Bom, meu moto x nao fica devendo nada em responsividade, agradabilidade em pegada e tela. Apenas a câmera é bem fraquinha (fica a dever). Ah, aguentou alguns tombos também.
    A princípio, não tenho necessidade de troca por enquanto, espero conseguir mantê-lo até 2017 :p

  17. Ótimo guia, Ghedin. Espero (pro bem da concorrência) que os novos Lumia possam entrar na faixa de 1500/2000 quando lançados aqui. E que tenham apps rs

  18. Estou em serias duvidas entre o zenfone 2 e o LG G3. O da LG aparenta ter a câmera melhor, mas o da Asus parece que ira ter um tempo de vida maior por conta do hardware mais robusto. Em ambos os casos não terei problema de ergonomia pois meu aparelho atual é o “pequeno” Lumia 1320, qualquer um dos dois deve ser mais confortável e leve de segurar do que ele.

    Estou inclinado a pegar o zenfone 2, a menos que me mostrem que a câmera do LG seja bem superior ao da Asus.

    1. Tem vários comparativos de fotos do G3 e Zenfone 2 , recomendo que você dê uma olhada nos arquivos do Adrenaline sobre ambos os dispositivos, pois, lá tem muitas coisas interessantes.

      1. O LG G3 permite mover apps para o Micro SD? Pois pelo meu uso do Lumia eu já consigo usar quase seus 8GB interno + metade de um SD card de 16GB. Mesmo o WP tendo poucos apps já tenho um bom uso e tenho medo da memória interna do LG se torne um gargalo na hora de usa-lo.

  19. Não discordo, nem concordo. Pelo contrário: deixo uma crítica, na forma de sugestão: a avaliacao era pelo software ou pelo hardware? Porque a avaliação dos smartphones de acesso, vc se perdeu divagando sobre o O.S. do Lumia e eaqueceu de botar em pauta o que oferece o aparelho. Tal fato não se repetiu na avaliação dos aparelhos das demais faixas de preço. O hardware do Lumia 535 é claramente melhor que o de qualquer Android de entrada, de qualquer marca. Eu uso o MELHOR Android de entrada (Moto E geração atual), e usando o Lumia 535 por um dia percebi que este dá um banho no Moto E por 75% do valor. Câmera simples e muito boa, possui flash LED, conjunto “Processador x RAM x Sist.Operacional” sem igual, tela ótima (considerando a faixa de preço), dual chip 4g, tecnologia de transmissão sem fio com o que há de melhor atualmente. Resumindo: banho na concorrência fandroid.

    1. Mais do que adianta um bom hardware se não tenho app para rodar nele. Por mais que os fãs do windows phone queiram justificar a compra, smartphone sem app é a mesma coisa que uma ferrari sem combustível.

      1. Minha queixa se dá pelo seguinte fato: quem gosta de iOS pode alegar que não deveriam considerar Android porque os aplicativos são muito mal projetados, que o sistema trava muito, e etc. E os fandroid podem alegar que iOS é limitado, que a interface não muda, e etc. Resumindo, cada qual tem uma reclamação contra cada plataforma. Uma comparação justa seria hardware x hardware. Só acho.

        1. Ter aplicativo mal projetado é uma coisa, não ter o aplicativo é outra…

          Não rola hardware x hardware mesmo, o @Taichou12:disqus disse tudo.

          Pega um telefone ultra top extreme sem aplicativos e um só com lanterna super simples. Agora instala o Whatsapp + Facebook no mais simples e app nenhum no segundo. Pergunta por aí qual celular vão querer… :)

          1. Usos e usos.

            Eu, depois de anos com Android, resolvi entrar no meu modo low-web e não queria gastar rios de dinheiro para ter um SO que rodasse (!) no meu telefone (meu antigo Moto G chegou a travar o teclado e o Moto G2 levava uns bons 20s pra abrir o Whatsapp pela central de notificações). Mudei pro Lumia 535 e ele me atendeu, jamais senti falta de nada.

            Mas, veja bem, não gravo nenhum de vídeo (e tenho pavor dessa ideia) e, basicamente, meu uso se resume a Audbile podcast, Deezer via TimMusic, Twitter, Whatsapp e Telegram e sites usando o IE/Edge. Raramente pego táxi, tiro fotos para Instagram ou uso Tinder/Happen.

            Óbvio que isso é uma visão bem direcionada que eu tenho, a maioria das pessoas vai querer 100 mil apps (que, verdade seja dita, serão abertos uma vez aqui e ali). Para uma pessoa que instala todos os apps que saem, que precisa trabalhar com isso, que está 90% do dia ligado no smatrphone isso deve ser um problema grande, mas, pro meu uso – perfil que eu me coloquei por gosto – o Lumia e o WP atendem muito bem.

            Mas, quando o Ghedin faz um guia, ele coloca a opinião dele sobre o aparelho – e não teria como ser diferente – e quando ele analisa o WP ele vê uma grande desvantagem em relação ao Android/iOS em termos de design de interface e variedade/atualização de apps, nada mais normal que ele use isso como critério na pontuação que ele fez. Não tem que ser imparcial não, quem vem aqui vem pra pegar a opinião dele sobre assunto, nada mais. Se não gostar, se achar incompleto, etc pode-se muito bem ir em outros locais buscar mais informações sobre o SO/aparelho em si.

          2. Usos e usos.

            Eu, depois de anos com Android, resolvi entrar no meu modo low-web e não queria gastar rios de dinheiro para ter um SO que rodasse (!) no meu telefone (meu antigo Moto G chegou a travar o teclado e o Moto G2 levava uns bons 20s pra abrir o Whatsapp pela central de notificações). Mudei pro Lumia 535 e ele me atendeu, jamais senti falta de nada.

            Mas, veja bem, não gravo nenhum de vídeo (e tenho pavor dessa ideia) e, basicamente, meu uso se resume a Audbile podcast, Deezer via TimMusic, Twitter, Whatsapp e Telegram e sites usando o IE/Edge. Raramente pego táxi, tiro fotos para Instagram ou uso Tinder/Happen.

            Óbvio que isso é uma visão bem direcionada que eu tenho, a maioria das pessoas vai querer 100 mil apps (que, verdade seja dita, serão abertos uma vez aqui e ali). Para uma pessoa que instala todos os apps que saem, que precisa trabalhar com isso, que está 90% do dia ligado no smatrphone isso deve ser um problema grande, mas, pro meu uso – perfil que eu me coloquei por gosto – o Lumia e o WP atendem muito bem.

            Mas, quando o Ghedin faz um guia, ele coloca a opinião dele sobre o aparelho – e não teria como ser diferente – e quando ele analisa o WP ele vê uma grande desvantagem em relação ao Android/iOS em termos de design de interface e variedade/atualização de apps, nada mais normal que ele use isso como critério na pontuação que ele fez. Não tem que ser imparcial não, quem vem aqui vem pra pegar a opinião dele sobre assunto, nada mais. Se não gostar, se achar incompleto, etc pode-se muito bem ir em outros locais buscar mais informações sobre o SO/aparelho em si.

          3. Pavor. Pânico. Ojeriza. Raiva.

            Sempre que eu to deslizando a timeline do Instagram, vendo o que rola, e vem um vídeo eu amaldiçoo grande parte da família de quem fez isso. Idem para os vídeos que agora aparecem no Twitter e no Facebook.

            Meu pensamento é que se eu quero ver um vídeo eu vou no Youtube. Se quero ver algo curto, tem o Vine por exemplo. Mas parece que mini vídeos imbecis são o grande mote dos telefones e redes sociais atualmente.

          4. Hum, bem pensado. Mas será que essa história de faltar tantos apps no wp não é exagero não? Sei lá, usei um tempo um Lumia 730 e não senti falta de nada frente aos apps de Android…

          5. Não é exagero não. É um problema tão grande que quando alguém (sites, reviews, todo mundo) fala sobre Windows Phone a primeira coisa que comenta são os apps.

            É um problema tão grande que a e gente ainda está discutindo isso :)

          6. Tem razão. A MS caga o pau deixando que isto aconteça, pois poderiam enfiar grana neste sentido para incentivar o porte dos apps para a plataforma. Caso quisessem, é claro.

    2. Acho que não é nem pelo hardware, nem pelo software, mas pelo conjunto.

      A ideia é que o Lumia 535 é um aparelho bem competente para sua faixa de preço, mas roda Windows Phone, o que acaba prejudicando seu score geral por causa do velho problema dos apps.

      Não dá pra separar o hardware do software quando se trata de smartphones, são pacotes fechados (diferente de notebooks/desktops, onde eu instalo o SO que bem entender)…

    3. Acho que não é nem pelo hardware, nem pelo software, mas pelo conjunto.

      A ideia é que o Lumia 535 é um aparelho bem competente para sua faixa de preço, mas roda Windows Phone, o que acaba prejudicando seu score geral por causa do velho problema dos apps.

      Não dá pra separar o hardware do software quando se trata de smartphones, são pacotes fechados (diferente de notebooks/desktops, onde eu instalo o SO que bem entender)…

      1. Mas, mas… WP é tão bom!

        Minha queixa se dá pelo seguinte fato: quem gosta de iOS pode alegar que não deveriam considerar Android porque os aplicativos são muito mal projetados, que o sistema trava muito, e etc. E os fandroid podem alegar que iOS é limitado, que a interface não muda, e etc. Resumindo, cada qual tem uma reclamação contra cada plataforma. Uma comparação justa seria hardware x hardware. Mas…

    4. Ambos. Não existe software sem hardware, e vice-versa, logo avaliar smartphones apenas por um ou outro critério não faz sentido. Foi por isso, aliás, que não indiquei o Moto E — muito caro pelo que oferece.

      1. Um pouco chato julgar pelo OS. Depende do gosto do usuário. Poderia colocar mais uma opção de Windows em cada faixa de preço.

        1. Tem todo o direito :)

          Apenas para exemplificar meu ponto. Imagine alguém que compre um Lumia 535. Essa pessoa não acompanha sites de tecnologia, mas sabe o que é Snapchat e usa o Instagram, por exemplo. Aí ela procura por esses apps. Um, não existe na plataforma; o outro até existe, mas está abandonado há quase dois anos. Do que vale o hardware superior se o que ela quer fazer o software não permite?

          1. Pior que vc tem razão. Usei por um tempo um Lumia 730, e adorei o aparelho, mas minha gana por apps se limita a mapas, whats e face, rs… Mancada feia da Microsoft em não liberar grana para pelo menos os apps mais populares desembarcarem por lá. Tem que investir, se quiser que o negócio deslanche. Parecem amadores!

    1. Tenho um Lumia 930 e fiquei louco pelo 5X. Apesar do downgrade forte em câmera e áudio quando comparado ao 930, eu nunca tive um Android e acho que ele seria uma boa forma de ingressar no OS.

  20. Como sempre, perfeito o guia.
    Das ausências que senti, achei que o Redmi 2 certamente ganharia um cantinho especial nas indicações do Ghedin pelo review aqui no MdU e em outros sites.
    Fora o chinês, também incluiria na faixa d’O céu é o limite o S6 Edge. Pelo lado tão positivo dos reviews do irmão sem bordas curvas (principalmente câmera) e, sobretudo, pela beleza do aparelho (que pra mim rivaliza tranqüilamente com os iPhones), estaria na lista do meu eu cheio da grana que está em algum lugar por aí…

  21. Para imprimir algumas cópias e distribuir na primeira pergunta que me fizerem! risos.
    Calma…. Imprimir a URL… !! XD

    Gostei da lista, muito boa e cheia de boas opções em suas categorias!! Meu Moto X 2gen, quase 1 ano depois, continua bem rápido. Embora tenha dado um bug que precisou ser resetado na A.T. (a camera ficou de ponta cabeça…mesmo depois de Hard Reset… tiveram que recolocar a ROM). Como todo celular Android vem com aquele pacote de bugs que as vezes irritam muito, mas, com o iPhone nesse preço, é o que temos pra hoje. (PS: Eu gosto do robô, antes que algum hater venha me pentelhar, mas… a Google já dormiu demais no ponto pra corrigir alguns problemas)

  22. Parando para analisar essas recomendações me ocorreu uma coisa: como ta difícil decidir qual é a melhor opção.
    Me corrijam se eu estiver errado, mas pela primeira vez temos vários concorrentes bons em várias faixas de preços. Algum tempo atrás, a recomendação era gastar um pouco mais para pegar algo decente, já que não tínhamos nada “usável” por menos de mil reais…

    1. Realmente, com a nova política da Motorola e a chegada da Asus nesse segmento e a entrada da xiaomi em terras tupiniquins, deu uma boa balançada no mercado.

    1. Sim, de acordo com o Bondfaro. (E vários eu vi “ao vivo”, nas lojas.) Vale notar que eles consideram promoções e saldões, então são preços BEM surreais que podem ter ficado no ar por… sei lá, só um dia, ou mesmo algumas horas.

          1. Gosto dos aparelhos top da sony, na minha opinião são os que mais chegam perto dos iphones no quesito design e materiais premium, esse z3+ será minha opção de smartphone.

        1. Como disse, foram os menores preços nos últimos 30 dias. Servem de parâmetro (ou esperança) para quem tem paciência e/ou está esperando a Black Friday. Com sorte, uma hora eles voltam a esses menores preços aferidos :)

  23. A única coisa que mais me intriga nessa nova geração de smartphones, é que a maioria dos smartphones que tem uma configuração boa, possui tela acima de 5″. E pra quem é acostumado com telas pequenas, isso acaba sendo um fator decisivo na compra (uso um velho iphone 4s). Estava especulando vários androids por algum tempo e os únicos que me chamaram atenção foi o Redmi 2 e em especial o Z3 Compact que se encontra em promoções da vida por 1000~1100, pois ambas possuem telas de 4.6″. Estou aguardando ansiosamente pela black friday, para ver se pego um z3c na faixa dos 700.
    Mas dessa lista, com toda certeza iria de moto x 2ª gen.

    1. Eu pensava exatamente como você até ter meu primeiro smatphone de 5 polegadas.
      Depois que você se acostuma, dificilmente quer saber de uma tela menor.

      1. Comigo foi o inverso. Vendi o Moto G 2ªgen e peguei um MotoE justamente por não acostumar com tela grande. Um Z4 compact dual seria bem vindo.

        1. Eu até que me acostumei à tela do Moto G 2, mas sinceramente é grande pra colocar no bolso da calça. Já para ver fotos e vídeos, navegar na web, é ótimo. De qualquer maneira sinto falta de bons modelos na faixa das 4-4.7 polegadas.

          1. Minha reclamação contra telas de 5″ é exatamente esta: só uso calça jeans, e fica foda andar com uma tábua de passar no bolso da frente.

      2. Aqui a mesma coisa. Uma tela maior é bem mais prática pra consumir conteúdo, não relo mais no meu tablet já faz um bom tempo.

      3. no meu caso, após 2 anos de uso de um smartphone de tela de 5″, já estou decido que o próximo terá que ser menor. e olha que eu quis pegar o nexus 6 na época do lançamento dele, recentemente tive essa epifania e redescobri a vantagem de um smart pequeno.

        1. Eu também … cheguei a ter um de 5 polegadas e agora uso um de 4,5. Cabe em qualquer bolso de calça sem fazer volume.

        2. Passei a ter esse pensamento também… Tinha um smart de 5.5″(Galaxy Note 2)que me servia muito bem em jogos e vídeos mas me incomodava a bessa na hora de mexer com uma mão. Por isso nessa Black friday vou priorizar um celular menor ou de melhor aproveitamento..

  24. Já favorito para mandar para a família e pessoal do trabalho, que por eu ser o “cara da TI”, vem aos montes perguntar sobre isso no natal.

    Minha irmã mesmo havia me pedido indicação esses dias na faixa de 1k, e passei o Moto X 2014. Tenho um e, caso não ocorra nada com ele, não pretendo fazer uso dessa lista tão cedo.
    Muito embora o S6 dê uma coceira, viu?

    1. Idem: o moto x 2014 me serve muito bem e não está dando sinais de exaustão, embora a câmera deixe a desejar
      E é justamente a câmera que também me dá uma coceira pelo S6 hehehe
      Aí me lembro do bloatware da Samsung e a coceira passa

  25. Louvado seja MdU. Eu aqui me matando pra achar ideias de smartphone pra substituir meu Moto X (2013) e eis que encontro esse belo texto. Infelizmente os que mais me agradam estão na faixa de preço errada pra – minha – economia atual, o S6 e o G4.

    ps. apesar de todos os comparativos, ainda não sei dizer qual dos dois tem a melhor câmera. As fotos parecem muito parecidas em qualidade, salvo em certas condições.

      1. Alias belo comparativo, mas talvez por trauma, eu não consigo me convencer que o S6 consiga ser preciso no foco de algumas situações que todo celular android escorrega. 1. Animais 2. Crianças 3. Em uma festa por exemplo (aniversário então, é uma foto ruim atrás da outra). Enfim…fotos onde a precisão do foco precisa ficar bem alinhada com velocidade, mas sem escorregar. Nesse ponto tenho saudades do iPhone que tive.

      2. Alias belo comparativo, mas talvez por trauma, eu não consigo me convencer que o S6 consiga ser preciso no foco de algumas situações que todo celular android escorrega. 1. Animais 2. Crianças 3. Em uma festa por exemplo (aniversário então, é uma foto ruim atrás da outra). Enfim…fotos onde a precisão do foco precisa ficar bem alinhada com velocidade, mas sem escorregar. Nesse ponto tenho saudades do iPhone que tive.

        1. O problema dos períodos que tenho para testar celulares é que não costumo me ver em muitos cenários possíveis. Quando estava com o S6 não rolou fotos de nenhuma criança ou animal, mas nas noturnas que fiz ele se saiu bem. Enfim, é a melhor câmera de um Android que já usei e, em qualidade, briga de igual com o iPhone 6/6s, mas não colocaria a mão no fogo no quesito flexibilidade/esperteza…

          1. Poxa cara, o que custa vc entrar de penetra numa festa infantil de estranhos pra testar um celular!??? [custa poder ocasionalmente apanhar, ser humilhado, preso, etc.. hahahahaha] XD

            Eu tbm entendo que a Samsung conseguiu ser a melhor camera Android dos ultimos tempos, ao menos, é a que mais parece se esforçar para isso, junto com a Sony. Só estou cético… porque toda vez que perco uma ótima foto rÁpida, tenho vontade de espancar o pessoal da Google com um tripé de camera. Por outro lado, fotos que dá tempo, eu consigo tirar boas até com meu X 2gen

  26. Excelente dicas,bem explicado e dentro de varias faixas de preços,show,a notar que Sony/Samsung/Android,desvalorizam rapidamente

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!