Dez anos do fim do Google Reader

Neste sábado (1º/7), completa-se dez anos do encerramento do Google Reader, o querido agregador de feeds RSS do Google.

Ainda hoje, não é difícil ouvir lamentações saudosas do Reader, quase como se, com ele, o Google tivesse acabado com o RSS e não houvesse serviços similares, na época e depois, capazes de suprir sua ausência.

Eu usava o Reader, lamentei seu fim, mas nunca entendi a dimensão da comoção.

O The Verge publicou uma boa matéria (em inglês) com falas dos criadores do Reader. Tem alguns dados suculentos ali, como o máximo de usuários que o serviço alcançou (30 milhões) e o desprezo que a direção da empresa manifestava pelo Reader.

O texto também me ajudou a entender melhor a saudade que ainda persiste, uma década depois. A parte social do Google Reader, parece, era muito importante. Eu seguia muitas pessoas e sempre conferia as recomendações delas. Era legal, mas não era o meu principal uso. Acho que, por isso, consegui me adaptar a alternativas que não tinham (e não têm) um componente social.

Na época, o Google ainda estava comprado no Google+, sua ambiciosa aposta para fazer frente ao Facebook. Foi um fracasso monumental. O Google Reader faleceu nessa época, de causas naturais. Quando puxaram o fio da tomada, ele já estava moribundo, em modo manutenção.

Os criadores do Reader acham, ainda hoje, que o serviço poderia ter tido um futuro brilhante com investimento e apoio da direção do Google. Talvez. Ou talvez essa parte social não estivesse mesmo no DNA da empresa e o domínio do Facebook, naquelas circunstâncias, era inevitável.

Ah, em tempo: quem assina o Manual tem direito a uma conta no Miniflux, um agregador de feeds RSS de código aberto e super elegante. Detalhes da assinatura aqui.

Newsletter

O Manual no seu e-mail. Três edições por semana — terça, sexta e sábado. Grátis. Cancele quando quiser.

Deixe um comentário

É possível formatar o texto do comentário com HTML ou Markdown. Seu e-mail não será exposto. Antes de comentar, leia isto.

6 comentários

  1. O que me deixa mais chateado é que as empresas estão deixando de usar padrões abertos, como o RSS para usar Apps fechados! Fizeram o mesmo com o XMPP, agora o que temos é um monte de aplicativos de mensagens fechados no seu mundinho, isso é triste!

  2. Assim como eu tbm nunca entendi a comoção com o Google Music. O serviço era ok para a época, mas hoje ele fica bem atrás do Youtube Music.
    Acho que é só aquela coisa do saudosismo mesmo que move essa comoção.

  3. acho que a falta é mais pela popularidade, hoje em dias muitos sites não disponibilizam, alguns vc tem que caçar e conferir se tem suporte (tipo colocando rss ou feed no final da url).

    eu particularmente não conhecia rss até ver a notícia da morte do google reader, aí fui pesquisar e conheci o feedly, no qual usei até esse ano, quando mudei pro miniflux.

  4. Eu lamentei bastante, na época não conhecia nenhuma alternativa que era grátis, com sincronia na nuvem e sem limite aparente de feeds

      1. Hoje o feedly me atende bem, mas também assino menos coisas e faço menos questão de ter tudo sincronizado