Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, em uma montagem de aniversário.

Facebook remove exportação/sincronia de aniversários dos contatos


10/7/19 às 10h06

Pergunte-se a si mesmo: o que te prende no Facebook? Desde que encerrei o meu perfil lá, esse assunto tem aparecido com maior frequência em conversas. Em muitas delas, meus interlocutores revelam que são detalhes que os seguram no cercado azul de Mark Zuckerberg. Exemplo? O lembrete diário de aniversário dos amigos.

O cadastro do Facebook exige poucos dados. Entre eles, a data de aniversário. Se você opta por deixá-lo público ou visível aos amigos, o Facebook passa a avisar seus contatos do seu aniversário. Para muita gente, a comodidade deste singelo recurso é tamanha que acaba servindo de justificativa para a permanência em uma rede que já não desfruta da simpatia da maioria e tem se transformado em um fardo — uns ficam ali porque precisam ou por preguiça, não por ser legal e/ou útil.


As principais notícias de tecnologia e indicações de leituras no seu e-mail. Assine a newsletter (é grátis!):


Ao agregar bilhões de pessoas no mesmo espaço virtual, era natural que algumas convenções sociais fossem internalizadas pelo Facebook. Os desejos de “parabéns!” no aniversário foram um deles. Em 2013, a rede começou um processo de potencialização dos aniversários. Foi nesse ano que as notificações de aniversários surgiram. (Até então, eles apareciam apenas em um bloco na coluna à direita da tela.) Nos anos que se seguiram, mais e mais recursos do tipo foram lançados. O mais recente foi em maio, quando novos os stories do Facebook ganharam adesivos e outros penduricalhos para parabenizar os aniversariantes do dia.

Estudos apontam que os aniversários movimentam o Facebook. Neste, os pesquisadores descobriram que 39% das primeiras interações de novos usuários com amigos na plataforma giram em torno de aniversários. Como resumiu Molly McHugh nesta análise publicada em 2016 no site The Ringer, “nenhuma outra rede social conseguiu capitalizar as celebrações de aniversário na internet como o Facebook”.

Fechando o cerco

Um dos fatores que colaboram para a reputação ruim que o Facebook tem atualmente é seu histórico concorrencial. A empresa comprou o Instagram e o WhatsApp quando detectou, com a ajuda de um software espião, que essas redes estavam crescendo e poderiam ameaçá-la no futuro. Cortou o acesso do Vine, outro rival promissor, da sua API de contatos. O backup que o Facebook oferece do perfil não segue um padrão e, portanto, não pode ser restaurado em outras redes sociais.

Sabe-se lá o que mais fizeram ou fazem para conter entrantes em seu mercado e persuadir os usuários a permanecerem. Quase por acaso, descobri uma nova ação do Facebook para dificultar a vida de quem quer depender menos dele.

Esta história que você lê surgiu como um tutorial. Pretendia mostrar aos leitores como exportar os aniversários dos contatos no Facebook para outros lugares a fim de mitigar um daqueles detalhes que prende muita gente ao Facebook. Tudo mudou quando reparei, durante o processo, que o Facebook eliminou a sincronização/exportação dos aniversários dos contatos, um recurso que até o mês passado (junho) existia na plataforma.

A opção aparecia na página de eventos do Facebook. Havia a de exportar eventos ou aniversários a aplicativos externos de agenda de compromissos. Apenas o de eventos permanece. Ao importá-lo em um app de agenda, ele sincroniza os eventos confirmados pelo usuário e atualiza o novo calendário de acordo com ações tomadas dentro da rede.

Aqui, cabe um parêntese. Os arquivo ICS que o Facebook gera (ou gerava, no caso dos aniversários) são de sincronia, não de exportação. Eles puxam os dados da rede social, logo, não posso afirmar que, caso alguém sincronizasse os aniversários e excluísse sua conta no Facebook, as datas permaneceriam em um aplicativo de agenda. De qualquer forma, possibilidades se abrem ao ter os aniversários em um app à parte. E, no mínimo, o recurso tornava desnecessário visitar o Facebook todo dia se o objetivo era apenas saber quem estava de idade nova.

O print abaixo, de uma matéria do The Independent de agosto de 2017, mostra como era esta parte da página:

Print do bloco de exportação de eventos e aniversários do Facebook, em agosto de 2017.
Imagem: Facebook/Reprodução.

Atualmente, apenas o link de eventos segue disponível. O print abaixo eu mesmo fiz, nesta semana:

Print do bloco de exportação de eventos do Facebook, em julho de 2019.
Imagem: Facebook/Reprodução.

Quando isso aconteceu? O próprio Facebook, meio sem querer, responde. A rede social tem uma seção de ajuda em que sana as dúvidas mais recorrentes dos usuários. Nesta, a pergunta é: “Como faço para adicionar eventos do Facebook ao meu calendário?”

Página de ajuda do Facebook com pergunta sobre exportação de eventos.
Imagem: Facebook/Reprodução.

Repare que a edição não foi completa. O item 2 da lista ainda se refere a “próximos aniversários”, uma opção que não existe mais na referida página.

Recorri à Wayback Machine, um serviço que registra páginas da web a fim de preservá-las para a posteridade. Ele faz cópias esporádicas de todas as páginas que podem para também registrar a evolução delas. No dia 11 de junho, aquela pergunta e resposta da ajuda do Facebook eram diferentes. A página salva na data está no idioma alemão1. Com a ajuda de um tradutor,

Wie füge ich Facebook-Veranstaltungen oder die Geburtstage von Freunden zu meinem Kalender hinzu?

Vira…

Como faço para adicionar eventos do Facebook ou aniversários de amigos à minha agenda?

Se preferir em inglês, a cópia do dia 6 de abril foi copiada nesse idioma.

Página de ajuda do Facebook com pergunta sobre exportação de eventos e aniversários.
Imagem: Facebook via Wayback Machine/Reprodução.

Isso prova que o Facebook removeu o recurso referente a aniversários em meados de junho de 2019. Ocorreu-me que talvez os aniversários tivessem sido incorporados ao arquivo exportado de eventos, mas três testes independentes, um meu e dois de leitores feitos a meu pedido, mostraram que não é o caso.

Detalhe importante: em lugar algum da página de ajuda consta a informação de que ela foi alterada ou de que o recurso de exportar/sincronizar aniversários já existiu.

Por quê?

Alguém poderia argumentar que a mudança é bem-vinda do ponto de vista da privacidade, mas não faz sentido se já existe, nas configurações da rede social, a opção de ocultar o aniversário aos demais contatos — se ela estivesse oculta do contato que faz a exportação, obviamente não integrava o arquivo exportado. Quem a mantém visível, em tese, é porque deseja que seus contatos a vejam. Se partirmos da premissa de que se trata apenas de sincronia, não de exportação total, faz menos sentido ainda essa linha de raciocínio.

Dadas as circunstâncias, a alteração soa a mais um artifício para trazer de volta usuários que deixaram de acessar o Facebook regularmente. Além disso, ela também tem potencial para desestimular a troca do Facebook por outra ferramenta que lembre os aniversários de amigos. Ainda que a do Facebook — agora suprimida — não alcançasse este fim, ela no mínimo sugeria a existência de outras possibilidades.

Nos últimos anos, terceirizamos os parabéns às pessoas queridas ao Facebook e, agindo como lhe é de praxe, o Facebook agora faz de tudo para manter o domínio sobre esta interação humana. É possível reverter este cenário? Certamente, mas no que depender da rede social, ela fará de tudo para dificultar a vida de quem quiser fazer o caminho de volta.

O Manual do Usuário entrou em contato com a assessoria do Facebook no Brasil pedindo esclarecimentos sobre esta mudança. Até a publicação desta notícia, não havia recebido resposta. O texto será atualizado tão logo ela chegue.

Foto do topo: Anthony Quintano/Flickr. Montagem: Rodrigo Ghedin/Manual do Usuário.


  1. As páginas de ajuda do Facebook são traduzidas em tempo real, de acordo com a localização ou o idioma do usuário logado. Por isso, a Wayback Machine pode coletá-la em idiomas diversos, dependendo de onde estão seus servidores e sistemas usados na coleta.

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês