Foto de uma galeria de arte antes e depois de ser tratada com o Prisma.

Resultado do desafio de setembro


21/9/16 às 10h12

Fotografar é uma arte subestimada. A facilidade do ato tira o peso que aspectos menos óbvios, externos à máquina, exercem sobre o resultado. Você pode ter uma Leica nas mãos, uma DSLR caríssima com uma lente que custa o dobro do corpo da câmera, e nada disso o ajudará a fazer um bom enquadramento, encontrar um ângulo original, olhar ao redor e perceber algo que valha a pena ser registrado.

Os filtros, popularizados pelo Instagram e banalizados pelo excesso (alguém ainda usa filtro do Instagram?), se juntam ao maquinário como aspectos circunstanciais. São recursos que podem ajudar no processo criativo, mas raras vezes garantem uma boa foto por si só — até acontece, mas aí é questão de sorte. Por isso, o desafio de setembro para assinantes do Manual do Usuário era mais complicado do que parecia.

O pedido em si era simples: mande uma foto tratada com o Prisma, um app de filtros que usa aprendizagem de máquina e se inspira em grandes pintores e movimentos estéticos para mexer profundamente na imagem. Escolher um que valoriza a sua fotografia era parte da missão. O que contou na escolha da foto vencedora foi a fusão do filtro com a foto original, a camada artística gerada e aplicada artificialmente no que o fotógrafo julgou ser uma boa fundação, ou uma boa foto, para concorrer.

Foi uma disputa acirrada. Quando os desafios do Manual são baseados na escolha do “mais bonito/original/etc”, ou seja, de apelo subjetivo, componho uma comissão julgadora de três pessoas a quem peço para que cada uma escolha três trabalhos. A esses, então, são atribuídas notas — 10, 6 e 4 pontos — que, depois, são somadas. O que tiver a maior pontuação, leva. Parece-me o mais justo; esse sistema privilegia trabalhos reconhecidos por mais de um jurado.

A única lacuna dele é quando as escolhas são muito fragmentadas, reflexo da variedade e qualidade das participações. Neste, apenas uma foto foi citada por dois jurados, como segunda e terceira melhor. Tal cenário resultou em quatro fotos empatadas com 10 pontos cada. Uma era a do João Paulo, que ganhou o primeiro desafio e, portanto, não poderia ganhar este (e nem o próximo, de acordo com o regulamento). Sobraram três. Para resolver o imbróglio, convocamos a equipe do Guia Prático para dar o voto de minerva. O primeiro que se manifestasse, decidiria o vencedor.

E, assim, a foto vencedora, que garante ao seu criador um smartphone LG K10, foi a do Wallyson Rodrigo:

Foto do Wallyson Rodrigo para o desafio de setembro.
Wallyson Rodrigo.

Curiosidade: no e-mail, Wallyson contou que essa foto, do Marco Zero de Recife, foi tirada da janelinha do banheiro do local onde trabalha. Bela vista!

A todos que participaram, muito obrigado! E um agradecimento especial às juradas, Emily Canto Nunes e Laís Penteado, pela ajuda, e ao Paulo Higa, que estava ligado no Slack e deu o voto decisivo. Em breve tem mais!

No link abaixo você pode ver todas as 33 fotos enviadas para o desafio (cuidado, página grande/pesada!):

Acompanhe o Manual do Usuário por e-mail (newsletter), Twitter e Telegram.

24 comentários sobre “Resultado do desafio de setembro”

  1. Caras, eu tô muito feliz! HAAHAHAHA
    Uhuulllll!
    Acho que tirei umas 10 fotos ou mais pra sair enquadrada direitinho!
    BTW, as fotos que enviaram foram muito boas também!

    Parabéns aos envolvidos e obrigado aos jurados e ao Paulo Higa por ter “me dado” o espertofone! kkkk

    Show!!

  2. Parabéns ao autor da foto vencedora, realmente casou a composição/tema da foto com os ótimos efeitos do Prisma.

    E uma dica a todos usuários do Prisma: é possível tirar a marca d’água da suas fotos nas opções do app :)

  3. Tem umas 4 ou 5 que eu colocaria no páreo, mas realmente a vitória foi bem justa, é uma das que mais parece uma pintura de verdade, bem bacana :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *