Reviews

[Review] Pulseira All4One Connect U220, da Netshoes

Connect U220 contra o céu.

Gadgets vestíveis, ou “wearables” estão em ascensão e embora ainda não seja fácil avistar um relógio inteligente ou um (bate na madeira) Google Glass nas ruas, produtos mais em conta e menos agressivos socialmente já estão no nosso alcance. Hoje, o jeito mais fácil e barato de experimentar essa nova categoria é com uma pulseira fitness.

Existem várias, de muitas marcas e com níveis de complexidade variados — mas não se preocupe, a maioria é simples de operar. Uma das poucas exceções nesse aspecto e a da Netshoes, que através de uma nova marca, a All4One, se lançou nicho dos gadgets vestíveis com a pulseira Connect U220. Como ela se comporta frente a rivais de fabricantes mais experientes?

Uma pulseira fitness bonita

Connect U220 na mão.

A Connect U220 usa o mesmo mecanismo da SmartBand SWR-10, da Sony, e do Gear Fit, da Samsung, as duas pulseiras do tipo que já passaram pelo Manual do Usuário. Trata-se, pois, de um módulo solto que se encaixa a uma pulseira emborrachada. (Além da preta padrão, que você vê nas fotos, a Netshoes vende uma azul à parte.)

Em funcionalidades, o módulo fica entre os dois gadgets citados acima: tem uma tela, como o Gear Fit, mas apesar disso ele é quase tão simples quanto o da SmartBand no que é capaz de fazer, o que deixa um gostinho de oportunidade perdida na experiência.

Por padrão a tela, feita de LED e monocromática, fica desligada. Para acendê-la é preciso apertar o único botão em sua superfície. Outros toques alternam os dados exibidos, a saber:

  • Data, hora e nível da bateria.
  • Pedômetro.
  • Calorias gastas.
  • Temperatura corporal.
  • Altímetro.

A necessidade de se apertar o botão para ver as horas é um pouco frustrante e torna impossível aquela espiada no pulso — você sempre precisará das duas mãos para saber que horas são. Seria legal ter um acelerômetro para exibir as horas ao levantar o braço, como acontece com o Gear Fit.

Fecho da Connect U220.

Apesar da caixa um pouco alta, a Connect U220 é uma pulseira bonita. Ela é discreta, tem um acabamento de boa qualidade e um fecho de metal de bom gosto. O botão é meio feio, mas como é preto como a tela, e essa nunca acende por inteiro (apenas ilumina números e ícones), acaba passando despercebido. Outro problema, esse mais difícil de esconder a longo prazo, é a exposição da caixa, que onde não tem tela apresenta acabamento em black piano. Com quase três semanas de uso a minha unidade de testes já apresentava alguns riscos perceptíveis.

Connect U220 parcialmente encaixada em uma porta USB.

Não há cabos ou carregadores malucos para o módulo. Ele é um stick USB, então basta espetá-lo em qualquer computador para recarregar sua bateria. Se você tiver um Ultrabook ou MacBook Air, porém, a curvatura da caixa impedirá a conexão. É meio patético e o que poderia ser uma enorme vantagem acaba sendo um pouco frustrante. A solução para o caso do meu Ultrabook? Elevá-lo para aumentar o vão entre ele e a caixa e viabilizar a inserção do módulo. Se o plug USB fosse invertido, esse problema talvez não existisse.

O último drama do hardware da Connect U220 é o nível de proteção contra água. Sua classificação é IPX5, o que significa que ela resiste apenas a respingos — pense em uns pingos de chuva, ou aquele suorzinho da corrida. E é justamente esse cenário, inevitável em um gadget com apelo para a malhação, que torna a falta de vedação total contra água um contrassenso. Como manter higienizado um gadget que por padrão fica sujo e molhado de suor?

O pecado é ser (muito) simples

Connect U220 exibindo informações.

Contador de passos.

Ser simples de tudo é outro pecado da Connect U220. Ela se conecta ao smartphone via Bluetooth, mas não aproveita muito dessa conexão. A contagem de passos e os monitoramentos do sono e das atividades físicas são sincronizados manualmente e esse processo de conexão é feito pelo próprio app em vez da tela de opções do Bluetooth. Perdi alguns minutos me batendo nesse detalhe e precisei recorrer a outros usuários para descobri-lo.

No dia a dia, a única coisa proativa que a pulseira faz é acordá-lo com vibrações. Fora isso, nada mais: não vibra com ligações, não alerta notificações, nem dá qualquer sinal referente aos dados que coleta salvo exibi-los. É como ter um relógio (ruim) que, por sinal, conta passos.

À noite, antes de dormir, um toque longo no botão ativa o modo noturno para monitorar e avaliar seu sono. É preciso se lembrar de desativá-lo manualmente na manhã seguinte e você, claro, se esquecerá disso alguns dias, o que bagunçará um pouco as estatísticas.

Telas do app da All4One.

Estatísticas que, por sinal, nos levam ao app para AndroidiPhone. Os primeiros usuários dizem que ele era muito pior, e isso me leva a imaginar o caos que deveria ser usar (se possível) a Connect U220 logo depois do seu lançamento.

Fiz meus testes com um iPhone e o app é, se muito, usável. Ele tem telas carregadas, tutoriais confusos, prioriza informações desnecessárias ao mesmo tempo em que esconde algumas imprescindíveis. Não dá, por exemplo, para ver um histórico de passos dados — ou você vê esse dado às 23h59 (o número zera todo dia), ou se contenta com o consolidado, que soma todos os passos dados desde o início do uso da pulseira.

O foco parece ser mesmo na prática de exercícios. Existem algumas modalidades e é preciso, como dito, sincronizar a pulseira antes de iniciá-los. Ah, e carregar o smartphone junto, o que meio que acaba com o propósito de uma pulseira do tipo — afinal, apps que fazem a mesma coisa e independem de pulseira existem desde sempre. Em duas caminhadas que fiz, não sei por qual motivo, a pulseira não contabilizou meus passos.

Aí eu desisti.

Existe um ranking geral, com nome de todo mundo e sem opt-in ou opt-out (o que é um pouco ruim), que se baseia nos “pontos de experiência” para incentivá-lo a se exercitar. Também é possível agendar suas atividades pelo próprio app e, nos horários correspondentes, ser notificado. São áreas que não são ruins, mas que talvez tenham tomado um tempo no desenvolvimento que poderia ter sido utilizado para refinar outras mais importantes, como o mítico histórico por dia dos passos dados. Há muita, mas muita margem para melhorar esse app e a utilidade da Connect U220 depende diretamente disso.

A dúvida é: ele será melhorado? O pessoal da Netshoes parece bastante comprometido e os avanços no app são notáveis, mas apenas porque o começo foi desastroso. Comprar a Connect U220 hoje é, acima de tudo, um voto de confiança na empresa.

A Connect U220 vale a pena?

A caixa alta da Connect U220.

A All4One lançou outros dispositivos, como balança, monitor cardíaco (por que não o colocaram na pulseira?) e um contador de cadência para bicicletas, todos sincronizando com o mesmo app. O acervo está completo, mas a julgar pela qualidade da Connect U220 e do app, o conjunto parece ser fraco. Ainda  não entendo muito bem o frenesi em torno dessa quantificação sobre nós mesmos e os exercícios que fazemos, mas sei o que esperar de gadgets e aplicações do gênero. E a Connect U220 não entrega esse básico.

Talvez ela sirva para quem se exercita regularmente e já tem o hábito de ir malhar equipado com o smartphone. Para um primeiro produto, de uma marca recém-criada e ainda sem muita expertise, ele funciona. O problema é que o consumidor não tem nada a ver com isso.

O grande atrativo da Connect U220 é o preço: custa só R$ 199. Depois dela, as mais baratas de marcas de tecnologia chegam a custar quase o dobro. É um ponto de bastante apelo, especialmente em um mercado tão sensível a valores como o nosso. O único receio é saber se o ganho com essa economia superará as possíveis frustrações com o produto. A boa notícia? Muitos dos problemas são solucionáveis com atualizações no app. Fica a torcida para que elas aconteçam.

Compre a pulseira da Netshoes.

Compre a Connect U220

Comprando pelos links acima o preço não muda e o Manual do Usuário ganha uma pequena comissão sobre a venda para continuar funcionando. Obrigado!

A melhor maneira de acompanhar o site é a newsletter gratuita (toda quinta-feira, cancele quando quiser):

Acompanhe também nas redes sociais:

  • Mastodon
  • Telegram
  • Twitter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

27 comentários

  1. Não estou conseguindo alterar o horário, ele sincroniza mas quando entro nas configuração diz a mensagem “Band Não Localizada”

  2. Olá, a pulseira vibra com as ligacoes? vibra ao se afastar do celular? vibra com o despertador? grato.

  3. Comprei o produto, mas infelizmente não pude utiliza-lo. Fui obrigado a devolve-lo pois o aplicativo fornecido pela Netshoes não funciona em versões Android recentes, nem em alguma versões de ios. Em ambos os sites (google play e AppleStore) você encontra os erros e os problemas de sincronismo entre o Gadget (e toda linha ALL4ONE) e o app. O feedback da Netshoes foi péssimo, falei com diferentes atendentes, um inclusive por email me disse que era melhor eu devolve-lo e pegar meu dinheiro de volta a esperar que o app fosse atualizado.

      1. A partir das versões 4.4 do Android nenhum funcionou que testei, para o ios 8 também não. Nestes casos o app nem funcionou, não realizava nem cadastro de usuários muito menos a sincronização com o gadget.

        1. Realmente, é uma vergonha a NETSHOES vender o aparelho sem avisar ao comprador que ele só poderá usá-lo se tiver um dispositivo android com versão 4.3 ou menor. Ainda bem que, no meu caso, eu tenho um. O que permitiu que a sincronização fosse feita. Quem não tem, penso eu, tem o direito não só de receber o seu dinheiro de volta, como de receber uma indenização da NETSHOES por venda de produto sem informar que o produto só pode ser utilizado sob certas condições. O Código do Consumidor favorece totalmente a que o consumidor, num caso desses, seja indenizado.

        2. Realmente, é uma vergonha a NETSHOES vender o aparelho sem avisar ao comprador que ele só poderá usá-lo se tiver um dispositivo android com versão 4.3 ou menor. Ainda bem que, no meu caso, eu tenho um. O que permitiu que a sincronização fosse feita. Quem não tem, penso eu, tem o direito não só de receber o seu dinheiro de volta, como de receber uma indenização da NETSHOES por venda de produto sem informar que o produto só pode ser utilizado sob certas condições. O Código do Consumidor favorece totalmente a que o consumidor, num caso desses, seja indenizado.

    1. Ah, certamente é algum produto OEM chinês com o rebrand da Netshoes. O Android consegue localizá-lo na tela do Bluetooth e indica o nome “Korex-5163”, mas não achei resultados pesquisando no Google…

  4. Comprei a pulseira Xiaomi Mi Band e estou esperando chegar. Ela não tem visor mas em compensação é mais barata.

  5. Bom que ela é barata.
    Mas ruim saber que ela não contabilizou os passos.
    To muito inclinado a pegar a da microsoft.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!