Logo da Insider à esquerda e a frase à direita: “Use o cupom MANUALDOUSUARIO12 e garanta peças básicas de qualidade com desconto”.

Tecnologia da Linha do Gol, o golaço da tecnologia na Copa do Mundo 2014

Gol da França, na partida contra Honduras.

O segundo gol da França na partida contra Honduras foi, mais do que qualquer coisa, uma vitória da tecnologia. As câmeras espalhadas no Beira-Rio, em Porto Alegre, deram absoluta certeza a um lance que, de outra forma, seria fonte de polêmica e discussões sem fim.

A Tecnologia da Linha do Gol foi escolhida pela FIFA em julho de 2012 para acabar com dúvidas em lances complicados, em que é difícil saber se a bola entrou ou não. A pressão sobre a entidade, sempre relutante em adotar novas tecnologias no futebol, aumentou após o chute de Lampard não ser validado na partida entre Inglaterra e Alemanha, na Copa de 2010. Foi um erro crasso.

A tecnologia usa 14 câmeras, sete apontadas para cada gol, para situar a bola em um ambiente quadrimensional — além nos eixos X, Y e Z, a velocidade dela também é medida. Se ela passa totalmente a linha embaixo do travessão, situação que configura o gol, um sistema apita no relógio do árbitro.

Como funciona a Tecnologia na Linha do Gol.
Imagem: GoalControl.

A empresa alemã GoalControl venceu a licitação da FIFA. O sistema, chamado GoalControl-4D, foi testado na Copa das Confederações e no Mundial de Clubes, ambos ano passado, mas só agora, na Copa do Mundo, surgiu um cenário propício para um teste real. E funcionou!

Quando Benzema tocou a bola, ela bateu na trave e o goleiro de Honduras se enrolou sozinho, não houve dúvidas: foi gol. O relógio do árbitro apitou, esse apontou o meio do campo e a torcida foi à loucura. No telão, a FIFA exibiu o replay, uma exceção ao protocolo da entidade dentro dos estádios, para mostrar a Tecnologia da Linha do Gol em ação.

Todos os 12 estádios usados na Copa do Mundo têm o sistema. Em cada um, o custo de instalação foi de R$ 622 mil, e a operação em cada partida custa R$ 9,3 mil. A FIFA pagou a conta e arcará com os gastos por um ano, mas caberá à CBF custear a manutenção depois disso. Veja como foram os testes no Maracanã:

Em 2014, a FIFA está mais aberta a auxílios à arbitragem. Além do sistema de câmeras, como o GoalControl-4D, a FIFA permite outro, o GoalRef, que usa campos eletromagnéticos e um sensor na bola para validar o gol. No mundial deste ano, os árbitros também contam com o spray para marcar o posicionamento da barreira, artifício que surgiu no Brasil.

A próxima parada são os impedimentos. Fosse algo tão certo quanto os gols, a Suíça, por exemplo, teria um gol a mais de saldo a essa altura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário