Pessoa de sexo não identificado, com cabelo roxo e pele azul, segurando uma xícara de café com vários ícones em alusão ao Manual do Usuário na fumaça e um celular na outra mão. Embaixo, o texto: “Apoie o Manual pelo preço de um cafezinho”.
Isso não era nem uma questão. Nunca foi. Temos que ter respeito pelas pessoas que trabalham com o cinema. E com isso quero dizer todas as pessoas, incluindo o pessoal que vende pipoca.

— Tom Cruise. Durante a divulgação Top Gun: Maverick, no Festival de Cannes, Tom Cruise exaltou o cinema e disse que jamais permitiria que o filme estreasse direto no streaming. “Sabe, eu vou aos cinemas até hoje. Entro na sala disfarçado e assisto aos filmes como qualquer um.” Via Folha de S.Paulo.

Netflix demite 150 para cortar custos

A Netflix demitiu 150 funcionários, a maioria nos Estados Unidos. O número representa ~2% da força de trabalho da empresa em seu país-sede.

Em nota, a empresa ressaltou que as demissões não têm a ver com desempenho dos profissionais, que foram uma decisão de negócios. “[…] A desaceleração do crescimento de receita significa que também precisamos desacelerar o nosso custo de crescimento como empresa”, disse em nota à Variety, referindo-se à queda de assinantes registrada no primeiro trimestre de 2022.

Além dessas vagas, a Netflix também mandou embora 70 funcionários do seu estúdio de animação e está eliminando posições no setor de mídias sociais e publicação (relacionados ao site “Tudum”). Via Variety (em inglês).

Como Juliette chegou ao 1º lugar no iTunes em 63 países graças a plano de fãs e doações via Pix

Como Juliette chegou ao 1º lugar no iTunes em 63 países graças a plano de fãs e doações via Pix, por Braulio Lorentz no G1:

O G1 conversou com a equipe do Juliette Charts, o principal perfil responsável pelas ações que levam músicas da cantora ao topo do iTunes.

No Twitter e no Instagram, eles pedem doações por Pix e fãs da cantora enviam entre R$ 1 e R$ 10. Toda quantia arrecada, cerca de R$ 3 mil para cada música escolhida, é transferida para pessoas que vivem fora do Brasil, membros de fã-clubes parceiros ou fãs da própria Juliette.

Fascinante.

Diz a Lei de Goodhart: “Quando uma medida torna-se uma meta, ela deixa de ser uma boa medida.”

Spotify ganhou usuários pagantes apesar da polêmica com Joe Rogan

As saídas de Neil Young e Joni Mitchell do Spotify, em protesto ao discurso negacionista do podcaster Joe Rogan, exclusivo da plataforma, não abalaram o crescimento da base de usuários pagantes do serviço de streaming.

O Spotify fechou o primeiro trimestre com 182 milhões de assinantes premium, ou seja, pagantes, aumento de 15% em relação ao ano anterior.

O número já considera as perdas com a saída da empresa da Rússia.

Ao todo, a empresa contabiliza 422 milhões de usuários, entre pagantes e gratuitos, no mundo todo. Via Spotify (em inglês).

Netflix perde assinantes e explora planos com anúncios e cobrança de senhas compartilhadas

A Netflix esperava ganhar 2,5 milhões de novos assinantes no primeiro trimestre de 2022. Perdeu 200 mil. Foi a primeira retração da base de assinantes desde 2011. Não só: a previsão para o próximo trimestre é de nova retração, uma perda de 2 milhões de assinantes.

Parece, afinal, que a Netflix bateu no teto. E isso não vai sair barato para os usuários — literalmente.

Na conversa com investidores após a divulgação do balanço, Reed Hastings, CEO da empresa, sugeriu a criação de um plano mais barato sustentado por anúncios, similar ao que a HBO Max oferece nos Estados Unidos.

Reed também falou do compartilhamento de senhas, que a Netflix começou a atacar. Hoje, a empresa tem 222 milhões de assinantes pagantes e outras 100 milhões de casas usam senhas compartilhadas pelos assinantes (leia-se: sem pagar nada). A Netflix já está testando uma cobrança adicional para essa galera que não paga pelo acesso.

O compartilhamento de senhas é um dos motivos apontados pela empresa para justificar a retração. O acirramento da competição no setor de streaming nos últimos três anos e os “macro-fatores”, como a pandemia, a guerra da Ucrânia e a inflação, também são citados na carta aos investidores.

As ações da Netflix despencaram 25% nas negociações pós-pregão. Via Netflix (PDF), CNBC (ambos em inglês).

China começa a regular mercado de streamers

Uma nova legislação pretende regular a atuação de streamers — uma indústria de US$ 30 bilhões na China. A Administração Tributária chinesa publicou uma circular em conjunto com a Administração de Ciberespaço e a Administração de Regulação do Mercado propondo uma promoção e desenvolvimento mais sadios da indústria, incluindo a responsabilidade com impostos. A notícia veio […]

Com “No ritmo do coração”, streaming fatura primeiro Oscar de melhor filme

No ritmo do coração (ou CODA, no original em inglês) arrebatou a estatueta do Oscar de melhor filme. Um feito histórico: foi a primeira vez que um filme lançado no streaming levou a principal categoria da premiação norte-americana. Mas… de qual streaming?

Resposta curta? Do Apple TV+. Em muitos países, como os Estados Unidos, Austrália, Alemanha e França, No ritmo do coração só está disponível no streaming da Apple. Mas em outros, não. No Brasil, por exemplo, ele está disponível no Prime Video, da Amazon, e pode ser alugado na Apple e no Google.

Isso acontece porque o filme não foi feito originalmente para o serviço da Apple; ele foi comprado por US$ 25 milhões após estrear no Festival de Sundance, em 2021. Só que antes disso, os direitos de distribuição internacional já vinham sendo negociados, o que criou tal situação, já que reverter esses acordos é complexo e, em alguns casos, inviável. Via Variety (2) (em inglês).

Atualização (16h15): O post foi editado para esclarecer que, para todos os efeitos, No ritmo do coração é um original Apple TV+, mesmo não estando em exibição no streaming da Apple em alguns países, como no Brasil.

Em 2021, Spotify aumentou em 40% dinheiro revertido a artistas

O Spotify atualizou seu site Loud & Clear com dados de pagamentos a artistas referentes a 2021. O total pago aumento 40% em relação a 2020, chegando a US$ 7 bilhões, e pela primeira vez mais de 1 mil artistas bateram a marca de US$ 1 milhão em receita no ano, um salto de 20,9% em relação ao ano anterior. Via Spotify (em inglês).

Todos esses dados devem ser encarados com um pé atrás. Afinal, o Spotify é parte interessada em dar a eles uma interpretação favorável e, como sabemos, tem muito artista por aí desanimado com o que recebe das plataformas de streaming

Do arquivo: O árduo caminho entre o meu dinheiro e os músicos em um mundo dominado pelo streaming (4/2021).

A parte de perguntas e respostas traz um debate interessante: o que o Spotify considera artista profissional. O serviço contesta a alegação de que todos os usuários que já enviaram uma música à plataforma, 8 milhões, são profissionais. Usando alguns critérios, como ter pelo menos dez músicas no serviço e o cruzamento de dados com plataformas de ingressos online, a estimativa do Spotify é de que a plataforma hospede 200 mil artistas profissionais.

Essa caracterização aproxima o Spotify do YouTube. E nem sou eu dizendo. Da seção de perguntas e respostas:

É verdade que oito milhões de pessoas já enviaram uma música para o Spotify — mas, da mesma maneira que enviar um ou dois vídeos ao YouTube não significa que essa pessoa esteja tentando ser um youtuber profissional, lançar algumas músicas em Spotify não significa ter uma carreira na música.

Roku OS 11 ganha álbuns de fotos colaborativos e novos recursos de áudio

A Roku anunciou o OS 11, nova versão do sistema operacional das suas caixinhas de streaming, TVs e caixas de som. A grande novidade é a estreia dos álbuns de fotos. A partir do aplicativo para celular, os usuários podem enviar fotos e vê-las no aparelho e na proteção de tela. Esses álbuns podem ser compartilhados e criados em conjunto com outros usuários.

O OS 11 traz, ainda, novos modos de áudio para as caixas de som da marca, uma nova área de curadoria de conteúdo dos canais mais usados, “O que assistir”, na tela inicial e outras melhorias menores, todas descritas nos links ao lado. O Roku OS 11 será liberado gradualmente “nas próximas semanas”. Via blog da Roku, suporte da Roku (ambos em inglês).

Netflix testa cobrança de taxa extra para quem compartilha senhas

A Netflix anunciou que fará um teste no Chile, Costa Rica e Peru em que oferecerá uma opção de cobrança extra para quem compartilha a senha de contas Padrão e Premium com pessoas que não moram na mesma residência.

Segundo a empresa, o “super popular” compartilhamento de senhas também “criou alguma confusão em relação a quando e como a Netflix pode ser compartilhada”. Os termos de uso especificam que a senha do serviço “não [pode] ser compartilhados com pessoas de fora da sua família”.

A adição de usuários externos terá um custo menor e poderá ser convertida numa assinatura à parte no futuro, mantendo o histórico, listas e recomendações personalizadas.

A Netflix sempre fez vista grossa para o compartilhamento de senhas e há registros de declarações positivas à prática do CEO, Reed Hastings. Mas a realidade bate à porta: em 2021, a Netflix registrou o menor crescimento desde 2015, reflexo do arrefecimento da pandemia e do aumento da concorrência no setor.

Não há previsão de quando ou mesmo se esse novo modelo será oficializado e expandido para outros países. Via Netflix (em inglês).

Kantar já mede audiência dos serviços de streaming

A Kantar agora mede a audiência dos serviços de streaming no Brasil, informa a coluna de Ricardo Feltrin. A medição acontece nos 6 mil domicílios que têm a caixinha tradicional, da TV aberta e fechada. Nas que têm banda larga, outra caixinha está sendo instalada. “Esse equipamento passa a ter acesso a todo o conteúdo — serviço de streaming, tempo gasto em cada um, conteúdo assistido etc. — por meio do roteador”, disse Melissa Vogel, CEO da Kantar. Entre os clientes, que recebem os dados diariamente, estão TVs abertas, pagas, agências de publicidade e até anunciantes. Via Uol Splash.

O podcast antivacina do Spotify

Neste Guia Prático, Jacqueline Lafloufa e Rodrigo Ghedin debatem a polêmica envolvendo um podcast antivacina do Spotify e o protesto de artistas e outros podcasts. Não é qualquer podcast: é o Joe Rogan Experience, um dos mais populares do mundo e exclusivo do Spotify. O Spotify tem culpa? Pode/Deve fazer alguma coisa? E nós, consumidores, […]

Compre dos parceiros do Manual:

Manual do Usuário